O Caçador de Pipas

O Caçador de Pipas Khaled Hosseini




Resenhas - O Caçador De Pipas


1930 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Tábata Kotowiski 06/12/2010

Amir e Hassan vivem realidades muito diferentes. Amir é rico e Hassan é o filho de um caseiro. Amir tem o privilégio de ser um pashtun e Hassan é só um hazara. Amir é medroso e egoísta e Hassan é conhecido por sua coragem e dignidade. Apesar de todas as diferenças possíveis entre Amir e Hassan, eles são amigos. Mas a amizade deles é colocada a prova naquele inverno de 1975. O dia que mudaria a vida de ambos para sempre.

Parte da história dO Caçador de Pipas passa durante a guerra do Afeganistão e para ser sincera, eu temia que a história toda fosse sobre a guerra. Temia porque não gosto de histórias de guerra. Pelos menos as guerras modernas. Gosto sim de guerras da época em que a arma mais potente era um canhão. Da época em que os homens tinham que lutar corpo a corpo contra espadas e flechas. Da época em que havia grandes líderes e homens acreditavam lutar por um bem comum. Entretanto, a guerra do Afeganistão é somente o pano de fundo para uma história muito mais profunda sobre amizade, traição e principalmente, redenção.

Em alguns momentos, durante a leitura do livro, imaginei que se colocasse um nome duplo ao personagen principal, como Amir Antônio, por exemplo, O Caçador de Pipas viraria um grande drama mexicano. Porque, gente, é muita desgraça e reviravoltas na vida de uma pessoa só. Mas em nenhum momento a trama se tornou piegas. Pelo contrário. Me peguei muitas vezes refletindo como um simples ato, uma simples escolha pode selar o nosso destino para sempre.

Khaled Hosseini escreve de forma gostosa, leve e consegue te prender muito bem. Vale cada página lida e não vejo a hora de ver o filme. ;)

site: randomicidades.wordpress.com/
Cau 30/11/2010minha estante
Resenha perfeita, simplesmente perfeita. Amir Antônio? Acho que Amir César é bem mais bonito! hasuahsuah (Não posso negar que viraria, sim um grande drama mexicano!)


Tábata Kotowiski 30/11/2010minha estante
rsrsrsrsrsrs

Obrigada, Cau! ;)


Allan.Fenelon 22/08/2011minha estante
perfeita a resenha.


friendly 15/08/2012minha estante
Concordo...

... gente, é muita desgraça e reviravoltas na vida de uma pessoa só. Mas em nenhum momento a trama se tornou piegas. Pelo contrário.

Me peguei muitas vezes refletindo como um simples ato, uma simples escolha pode selar o nosso destino para sempre.


Flavia 16/12/2013minha estante
Concordo,é triste , comovente e me fez refletir como nossas atitudes afetam a vida dos outros.


Ana 18/06/2014minha estante
Adorei sua resenha, vou ler o livro por causa dela" rs


bruno.martingil 27/02/2015minha estante


O livro em si é muito bom. Faz a gente repensar sobre várias coisas
em nossa vida e de como uma simples atitude pode te afetar pelo resto da vida.
Em certos momentos do livro vc pensa: "CARAMBA, QUE FDP!!!", ao mesmo tempo tendo raiva do personagem e curiosidade pra ver como a trama vai desenrolar. Mais uma vez o Khalled consegue nos envolver em sua trama.

OBS: Não chorei.


Isah 23/04/2015minha estante
Chorei tanto D:
Meu livro preferido.


Tassy 30/12/2015minha estante
Realmente concordo com o que você disse.
A história é magnifica do começo ao fim e se um dia alguém me pedisse uma indicação faria desse livro por que simplesmente eu me apaixonei por ele e a forma como foi contada pelo escritor.


Emilia.GalvAo 15/06/2020minha estante
Confesso que eu chorei, o livro é intenso e quando se trata de criança, pelo sofrimento que ele passou... É muito tristeza e dias escuros para uma criança só... ?


Santiago.Leon 22/07/2020minha estante
Nossa que leitura viu? Chorei demais


Gabriela.Freire 03/01/2021minha estante
Sem sombra de dúvidas , meu preferido


Adriel 19/01/2021minha estante
quando li tinha uns 13 anos...me deu um nó na garganta daqueles...que livro!!!


Silneide 02/03/2021minha estante
Ola ... Como faço pra ler nesse app. Tem que compartilhar , salvar ou o que posso fazer , não entendi esse app


Sasa 23/05/2021minha estante
Como lê o livro


Leitor de horror 11/01/2022minha estante
Um livro perfeito, completamente sem defeito, tanto na narrativa quanto na história.


Ana 27/05/2022minha estante
Resenha incrível! Concordo superrr


Marcos.Silva 11/07/2022minha estante
Um dos livros mais tristes que li. Tristeza sem fim. ?


Vall 30/07/2022minha estante
Alguém me ajuda, como ler livro nesse app ?




Julia Agnes | @ponto__parágrafo 18/08/2021

"Por você, faria isso mil vezes"
Com as tristes notícias do Afeganistão, me recordei deste livro incrível que li no ano passado e não poderia deixar de resenha-lo.

Assim como em "A Cidade do Sol", realizamos uma verdadeira pesquisa ao ler ambos os livros, pois apesar de parecer um pouco confuso no começo, com alguns grupos étnicos e guerras, entendemos ao longo da história tudo o que acontece de uma forma clara. O melhor de se aprender com uma literatura de tal nível, com certeza é não esquecer mais, já que são leituras marcantes, com passagens e personagens fortes.

"O Caçador de Pipas" relata a vida e a amizade de Amir e Hassan, duas crianças criadas juntas desde o nascimento, assim como seus pais, apesar de suas diferenças serem um incômodo para preconceituosos. Hassan é um menino hazara - sendo esta uma etnia do Afeganistão que exerce funções como serviçais, e de religião xiita. Amir, filho do patrão da casa, era um menino sunita. Entretanto, nos emocionamos como duas crianças não fazem ideia das diferenças que o mundo as impõem, mas em especial com o coração de Hassan. Um fato então muda suas vidas e causa uma separação. Desde então muitas coisas acontecem não só em Cabul com a tomada soviética, mas gerando uma segunda chance a Amir.

Durante todo esse processo de crescimento das personagens, nos deparamos com todas as dificuldades reais enfrentadas por aqueles que não queriam perder a liberdade ou a vida para extremistas. Há a presença de relatos e cenas tristes, sendo ainda muito parecidas com as da Segunda Guerra, já que se tratam de momentos cruéis.

Apesar de seus momentos fictícios, Hosseini faz com que pareça parte da realidade contada. Entendemos como se deu a intervenção dos EUA contra o Talibã, trazendo de tal forma mudanças e investimentos para escolas, universidades e hospitais. Mulheres passaram a pertencer a escolas e posições de destaque. Porém, há dificuldades por conta da violência. Infelizmente, como não houve qualquer pretensão de paz entre os grupos étnicos, em foco sobre o Talibã, quem sai mais em danos são as mulheres, e seus direitos. Como é o triste caso de Malala Yousafzai. Esperamos o melhor em prol dos inocentes!

Para conferir esta resenha completa, confira no instagram: @pontoparagrafo23
Ou ainda em nosso site: pontoparagrafo.art.br

site: https://www.pontoparagrafo.art.br/post/resenha-o-caçador-de-pipas
Juliana 19/08/2021minha estante
Esse livro é lindo demais!


Julia Agnes | @ponto__parágrafo 19/08/2021minha estante
Não é?? Faz um ano que li, até hoje aperta o peito algumas passagens


Juliana 19/08/2021minha estante
Eu li há anos, mas essa frase do final (que vc usou no título da resenha) me deixa a beira das lágrimas só de lembrar. Acho esse livro inesquecível! E acabei de ler Cidade do Sol, amei também ??????


Julia Agnes | @ponto__parágrafo 20/08/2021minha estante
Essa frase é linda mesmo... Lembro do Hassan, que menino maravilhoso. A Cidade do Sol que eu li há uns 10 anos, mas é tão bom quanto mesmo. Pretend reler assim que possível. Hosseini manda ver


Paulo 22/08/2021minha estante
Valeu. Coloquei na minha lista de leitura.


Julia Agnes | @ponto__parágrafo 20/09/2021minha estante
Vai adorar, com certeza




lia 07/05/2021

Depois de muuuito tempo, consegui sair da ressaca literária com esse livro. E que livro! A emoção e sentimentos que ele passa são muito intensos. Hassan e Amir são dois melhores amigos que se amam, porém têm realidades muito diferentes. E quando uma prova dessa amizade se faz necessária, as coisas desandam e os dois tomam rumos muito diferentes. Chorei, precisei dar um tempo pra me recuperar de algumas cenas e senti demais. Perfeito.
Pitaiazul 07/05/2021minha estante
É realmente um livro fortíssimo!




Lucas L 07/01/2009

Maldita Propaganda
Eu ouvi falar tão bem desse livro, tanto de revistas semanais quanto de pessoas próximas que logo pensei: "deve ser o melhor livro do mundo! Esse livro vai mudar minha vida."
Peguei emprestado com um amigo e o li até com uma certa repidez no início. No meio da história veio uma preguiça fenomenal porém, mesmo assim, eu terminei de ler Caçador de pipas. Quando eu li a última página....
que tristeza, que livro ruim....
história frouxa e cheio de cliches.
Agora estou mais atento com esse execesso de propaganda para não ser tentado a ler outro livro parecido com esse
Carla Floriana 19/05/2011minha estante
Lucas, tive exatamente a mesma sensação, e, para piorar li também a "a menina que roubava livros", fiz o mesmo que vc, li, achei chato, deu preguiça, mas fui até o fim, no final... nada... acho difícil que me peguem novamente nesses marketings de aeroporto, ninguém merece.


Medina 04/06/2011minha estante
Um Livro não se torna bom e famoso apenas pelo seu ritmo! Muito menos pela "propaganda". O que torna o livro bom é o que ele ensina, o que você consegue entender e guardar consigo mesmo. São valores que nos emocionam, mesmo sendo contados lentamente. Não se impressionar com isso seria o mesmo que não se impressionar com a realidade da vida.


Eddie 06/06/2011minha estante
Concordo plenamente com o Lucas e a Nanda. É um livro incrivelmente chato, sem um herói cativante e sem ritmo nenhum.


RPGventura 08/06/2011minha estante
O que eu não gostei no livro foi o personagem principal. Não entendi a reação dele depois que ele vê (aquilo). Achei completamente injusto e inexplicável o que ele fez com o outro garoto. Que personagem mais canalha e ridículo. Personagens principais precisam ter ALGUM atrativo.
De resto, a história é legal.


Franci 30/07/2011minha estante
a verdade é q os rebeldes sem causa tem q sempre ser do contra independente do q for.....


Lucas 11/11/2011minha estante
Um livro não precisa sempre ter um herói cativante. Não é esse o intuito do livro. Ele fala sobre arrependimento, culpa e redenção. Quem não gostou foi porque não esperava essa essência do livro. Para mim o livro merece 5 estrelas, mas respeito quem não gostou!


Bruna 19/12/2011minha estante
Lucas esse livro não é um daqueles livros que nascem pra fazer sucesso ele é um livro de reflexão e de critica. Ele não tem um herói nem um vilão único, e não era pra ter. O tipo do livro é assim. Sobre as indicações de revistas e de amigos antes de ler o livro só porque é muito indicado tente pegar referencias do autor do estilo do livro, como é narrativa e sobre o que é historia isso vai te ajudar a não cair mais em " ciladas" quando te indicarem um livro que literalmente " não faz o seu estilo".


Cath 13/07/2012minha estante
Sério que é isso que você conseguiu concluir com o livro?


Valentim 25/01/2013minha estante
Não entendo como as pessoas chamam esse livro de chato. Como se coisas assim não acontecesse. Mas acreditem, acontecem coisas piores e não tem heróis como nos livros.


Milton 23/03/2013minha estante
Livro fenomenal. Esse livro não é mera propaganda, os leitores que estão lendo isso por favor não desistam de ler, se o fizerem perderão de comtemplar uma das melhores historias já escritas.
O livro não é perfeito, claro, seria muita presunção da minha parte dizer isso, porém a riquesa com que é escrita, a mistura de sentimentos e personagens aliado a cultura afegã faz desse livro uma obra prima do gênero.


Luana 29/08/2013minha estante
As vezes não é a própria história ruim e nem o "estilo" do leitor que não bateu, mas sim a expectativa que nós mesmos criamos! Lemos o livro achando que cada palavra será surreal, escrita diretamente pra você, por um quase Deus... enquanto de fato pode ser ótimo mas você está preso as SUAS impressões estimadas!
Uma dica, além de claro, sempre procurar o assunto, o tipo de narrativa e outros..
É também ler com o coração aberto, livre! Só assim a gente consegue captar a essência, a lição de cada livro!


Gabriel 05/10/2013minha estante
Discordo plenamente de vocês , foi um dos melhores livros da minha vida o autor conduz uma história dramática do Inicio ao fim , não é igual muitas histórias que a partir de um momento começa a ficar boa,é simplesmente perfeito !


Cristina Fontes 07/10/2013minha estante
Não li o livro, mas confesso que a sinopse me chamou atenção. Pelo o que pude perceber uns aprovaram a leitura e outros não. Os gostos literários não são iguais. Discordo da colega Carla que falou mal sobre a obra "A menina que roubava livros". Foi uma das histórias mais lindas que já li, emocionante, cativante, o tipo de livro que você não consegue parar de ler. Nem sempre os bons livros falam de amor entre um casal de enamorados, ou do sobrenatural, ou comédia e, é isso que faz da leitura algo interessante.


Natália 31/10/2013minha estante
Nunca você deve começar a ler um livro achando que é o melhor livro do mundo, porque assim é óbvio que você vai se decepcionar. Temos que aprender a começar um livro com a mente aberta, sabendo que pode ser bom ou ruim, só assim você vai absorver o que realmente o livro tem de bom. Os pontos negativos sempre terão, só que se você esperar demais, você acaba "criando" mais coisas negativas do que realmente existe.(É só um conselho para todos) Beijos :)


Nanda 06/11/2013minha estante
Realmente um livro bastante aclamado pela crítica. Confesso que tentei. Algumas vezes entrei em lojas, peguei-o mas mãos...li a sinopse, abri, remexi. E me deu preguiça. Muita preguiça, da história, do cenário, enfim. Não li e não tenho vontade. E não foi como a Menina que Roubava Livros não. Esse último eu demorei um pouco para pegar no tranco da leitura porque não gostei do estilo da Morte, com aquelas pequenas pausas explicativas, que, no início, me enjoaram. Mas insisti e foi a melhor coisa que fiz, livro fantástico, cenário que chamou minha atenção, etc. Passei a adorar aquele estilo da Morte. E esse outro do Hosseini, A Cidade do Sol: vontade nenhuma também.


Thaynary 30/11/2013minha estante
Bem, devo dizer que também não gosto de propaganda que muitos fazem em relação aos livros quando os mesmos estão em lançamento, porém, gostei muito do livro "O Caçador de Pipas". Talvez o que tenha decepcionado muita gente tenha sido o fato de criar expectativas demais mediante ao livro. Eu não gosto muito de ler um livro quando ele está em lançamento porque é toda aquela mídia nele, e isso é o que faz com que muitas vezes nos decepcione. Por isso, li esse livro a alguns dias atrás, agora que ninguém faz muita propaganda, pode-se ver a essência real do livro, e, eu gostei muito. Para falar a verdade, gosto do estilo de escrita de Khaled Hosseini, e acho os livros dele fantásticos. Como nós seres humanos somos diferentes, uns gostam e outros desgostam... O que faz uma pessoa gostar de algo é exatamente a mesma coisa que faz a outra detestar. Eu por exemplo, adorei o livro "A Cidade do Sol", e, com toda a certeza foi um dos melhores livros que já li. Sei que muitos discordam, porém, quem discute coisas imutáveis é digno de pena.


Ane 15/12/2013minha estante
Como muitos já disse o problema é que criar expectativas demais sempre atrapalha, fato! Para mim foi e sempre será o melhor livro que já li e olhe que foi muitos, foi uma lição de vida! O certo a se fazer é não ficar ligando apenas para opinião dos outros e seguir a sua própria intuição


Vera 24/01/2014minha estante
quando acontece isso comigo normalmente eu paro de ler guardo o livro, e em outro momento recomeço a leitura e impressão que tinha do livro passa a ser totalmente diferente,acho que tem a ver com o momento que estamos vivendo. Khaled Hosseini é um contador de histórias magnífico, escreve com uma naturalidade tocante,eu daria mais uma chance ao livro e o leria novamente, vale a pena ler livros escritos assim, sem exageros, li recentemente o silêncio das montanhas dele, e amei a forma como ele nos envolve no cotidiano dos personagens, é comovente, não é qualquer livro por mais espetacular que seja, que o autor consegue te fazer se sentir parte dele,como um de seus personagens.É esse o diferencial de Khaled Hosseini


Rosimeire 07/10/2014minha estante
Achei o melhor livro de todos. Como já disseram o que atrapalha é a expectativa que geram antes de ler um livro.


naestantecolorida 07/10/2014minha estante
PERCEBO QUE GOSTO É ALGO INDISCUTÍVEL MESMO, ESTE LIVRO FOI UM DOS MELHORES QUE JÁ LI NA MINHA VIDA, É COMPLETO.


Barbara.Ferreira 13/07/2015minha estante
Lucas, se você ouviu dizer tão bem desse livro, tanto por pessoas conhecidas como na mídia, antes de tudo, deveria ter lido pelo menos UMA resenha para saber o "grosso" do conteúdo da obra. Não é um simples conto, com personagens sem ATRATIVO algum. Conta parte da história de uma nação, de seus costumes, de seus valores, de como a guerra torna a vida tão rara naquela parte do mundo.
Eu já li e reli pelo menos quatro vezes o livro e me emociono TODAS as vezes.
Talvez frouxa sejam as suas escolhas, que são feitas sem nenhum conhecimento e sai criticando uma obra espetacular como essa.




Mih 08/07/2020

Por você faria isso mil vezes
Título: O Caçador de Pipas
Autor: Khaled Hosseini

É um livro sobre amor, amizade, lealdade, coragem, honra... O quanto você é capaz de se entregar pelo que sente e acredita

“Por você faria isso mil vezes”

Khaled Hosseini traça o fio dessa trama, onde nada é em vão, cada conversa e detalhe importa.

Amir é Hassan cresceram juntos, tiveram a mesma “ama de leite” e apesar disso as características de caráter vão se moldando de maneira diferente.

“Eu era pashtun, ele era hazara; Eu era sunita, ele era xiita.”

Dois mundos distintos, de um lado um com opções o outro tem seu destino traçado, o que faz refletir que não importa quanto poder e influência você demanda, sempre vai haver algo intangível que nasce com você, independente dos homens terem criado sistema que te faça duvidar disso.

“Era eu que ia ao colégio. Era eu que sabia escrever. Era eu o inteligente. Hassan não era capaz de ler nem um livro de primeira série, mas podia me ler como a maior facilidade”

Tendo como cenário o Afeganistão, no norte de Cabul, parte da infância decorreu antes do período de guerra, retratando uma infância com brincadeiras na rua, soltando pipas, um duro contraste com o que viria acontecer.

“A guerra não nega a decência. Pelo contrário, exige isso, muito mais que os tempos de paz.”

Ótima narrativa e construção de personagens, inevitável sentir variados sentimentos em relação a eles. Narrativa realista e emocionante.

“A muitas crianças no Afeganistão, mas pouca infância.”

O autor não tenta ser agradável, não realiza passes de mágica e “Voilà “ tudo se ajusta, Khaled não é esse autor carrega a coerência dentro da bagagem de cada personagens.

“Fiquei imaginando se era assim que brotava o perdão, não com as fanfarras da epifania, mas com a dor juntando as suas coisas, fazendo as suas trouxas indo embora, sorrateira, no meio da noite.”

É sobreo o quanto nossas atitudes podem modificar a nossa vida e as pessoas que nos cerca. E o mais importante que não podemos mudar o passado, porem temos como dever refletir, arrepender e nos perdoar.


site: comquallivroeuvou.wixsite.com/website / https://www.instagram.com/comquallivroeuvou/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Meneva 26/01/2022

Vida triste
Mesmo tendo um "final feliz" não supriu o sofrimento e tristeza dessa história.
Não bastasse o que aconteceu com Hassam quando criança, o fato era constantemente relembrado na história e, pra quem tem gatilho com isso, ficou bem difícil de ler.
Sei que nem vou conseguir olhar o filme por conta disso.
Adrienne 26/01/2022minha estante
eu assisti ao filme e não consegui ler o livro por motivo de gatilho. Muito pesado.




Agnaldo 19/06/2021

Um livro criado para viver e ser vivido
Não tenho nem palavras ou condições de falar sobre essa obra prima que me fez viver um turbilhão de emoções, e a única coisa que consigo dizer é que essa história só nós mostra um pedacinho de como é grande a injustiça no mundo e o quanto nossas decisões vão impactar no dia do amanhã. E uma coisa eu digo, esse livro faz a gente passar raiva, faz a gente sorrir ao lembrar da infância, faz a gente questionar nossas atitudes, faz gente chorar muito pelos acontecimentos e por fim faz a gente pensar se estamos fazendo realmente todo possível para ajudar as pessoas que nós salvam, nós ergue ou que pela gente fariam mil vezes o possível e o impossível para ver a gente bem e feliz.
comentários(0)comente



antonio.mms 29/08/2020

Sobre o que é necessário para a redenção
O livro é narrado por Amir, que conta o caos de sua vida sob a perspectiva de suas origens afegãs ? desde uma infância carente de afeto paterno até uma vida adulta cheia de remorsos e fantasmas. A crueza com que Hosseini retrata todos os pontos de tensão da vida dos personagens faz o leitor encontrar uma identificação dolorida, seja ao perceber os grilhões que uma sociedade tradicionalista e em crise impõe, seja com a consciência persistente da culpa. Toda a narrativa é uma aula sobre perdão e empatia, mostrando a todo instante que nunca sabemos que tipo de demônios o outro enfrenta quando toma as próprias atitudes ? perdas familiares, saudades do país de origem, arrependimentos. Violentamente denso, mas igualmente maravilhoso de se ler.
comentários(0)comente



Thay 01/06/2021

Nao queria que acabasse
Um livro repleto de tragédias. Teve momentos que achei que nao conseguiria continuar a leitura, chorei muito e fiquei com raiva de Amir, mas ele era apenas um garoto egoísta e mimado que nao sabia lidar com seus sentimentos, e que acabou se tornando um homem honrado, e de certa forma conseguiu se redimir mais tarde.
O final é fantástico!

"Por você, faria isso mil vezes!"
comentários(0)comente



Israel 14/07/2020

Atenção pais de meninos!
Atenção pais de meninos!
Esse livro vai arrebentar seu coração.
Livro indicado para entendermos como funciona o Afeganistão, ou pelo menos, como funcionava na época que se passa a história.
comentários(0)comente



Pam 16/07/2022

Foi difícil atravessar o abismo que separa Amir de Hassan nessa história.
Impactante, surpreendente e de dilacerar o coração. Levei muito tempo pra absorver e superar essa leitura. Livro incrível, escrita coesa e fluída, história muito bem narrada, mas eu não teria coragem de ler novamente.
É o tipo de leitura que te marca em antes e depois.
comentários(0)comente



Lari Bagdad 30/08/2021

"Por você, faria isso mil vezes"
Lembrei desse livro maravilhoso, com tudo o que está acontecendo no Afeganistão.

Uma história daquelas que nos faz refletir por dias. Sou grata por ter podido ler. Além de me envolver com a história, tem a parte real, a da guerra, das opressões. Com esse primeiro livro do autor, comecei a me interessar pela história do Afeganistão, e passei a me despir da ignorância que me fazia olhar só para o meu país, para a minha realidade, quando existe muito mais por aí. Me sensibilizo com os atuais acontecimentos, mas só porque sei, graças ao livro, do que se trata, de quem, principalmente, se trata.

A história traz a relação entre dois meninos, Amir e Hassan, de etnias e vida diferente. Amir é um pashtun, o grupo dominante, podemos dizer. E Hassan, um Hazara, a classe mais submissa de todas. Mas são amigos, se gostam e brincam juntos, apesar das diferenças. Dentre as muitas brincadeiras, a que mais gostam é fazer e soltar pipas. Anualmente, acontece uma competição de pipas entre todos os meninos de Cabul (capital afegã). Juntos, eles anseiam e aguardam o tão esperado dia.

Amir vive em prol de agradar seu pai, rígido que é. E decide que ganhará o torneio para lhe orgulhar, já que ele, quando tinha sua idade, era um invencível cortador de pipas. Por outro lado, temos os caçadores de pipas, que são aqueles que correm atrás das pipas cortadas, era como um troféu para eles.

E é depois desse torneio que tudo acontece na vida desses amigos. É a partir de então que a história muda, e se torna uma luta interna contra traumas, arrependimento e reconstrução. "Pode ser injusto, mas o que acontece em poucos dias, às vezes até uma única vez, pode alterar o rumo da sua vida inteira."

Khaled Hosseini domina a caneta. Sempre falo que ele tem o poder de fazer com que o tempo em seus livros realmente pareça passar, mesmo em poucas páginas. Leiam, e quem já leu, releia. Esse livro é necessário!
lio 30/08/2021minha estante
tive a oportunidade de ler esse livro quando mais novo, mas não fazia muito meio estilo na época e acabei devolvendo. hoje, eu me arrependo amargamente.


Aninha.Costa 30/08/2021minha estante
Uma das minhas melhores leituras de 2020 ?


Jessie 30/08/2021minha estante
Tive a oportunidade de ler o livro "A Cidade do Sol" desse autor, e foi uma das leituras da minha vida, recomendo ele também se ainda não tiver lido ?


Lari Bagdad 30/08/2021minha estante
Gente, é sensacional!!! Li em 2018, se não me engano e até hoje me emociono ao lembrar


Lulu 30/08/2021minha estante
Eu amei tanto esse livro, e chorei horrores também


Lari Bagdad 30/08/2021minha estante
Eu li a cidade do Sol e também foi uma das melhores leituras da minha vida. Recomendo "O silêncio das montanhas" também", do mesmo autor


Lari Bagdad 30/08/2021minha estante
Chorei horrores também aaaaaa


Jessie 30/08/2021minha estante
Vou procurar, a escrita desse autor com o contexto histórico que ele aborda são ótimos, choro sempre mas também sinto o peso de outra percepção da realidade, faz a gente pensar...


Lari Bagdad 30/08/2021minha estante
Realmente, é um misto de sensações. Os livros dele são meus queridinhos, mas eu gostaria que tudo neles fosse ficção. Infelizmente, não é!




Mari 04/11/2021

Apesar de ser um livro clássico e bem conhecido, eu demorei pra ler e na verdade só fui ler por ser escrito por Khaled Hosseini, que é um dos meus escritores afegões favoritos e autor do meu livro top 1, ?A Cidade do Sol?. Apesar de ?O Caçador de Pipas? ser extremamente bom, eu confesso que já vou fechada para ler outros livros de um autor que já gosto, porque comparo muito! Então acabo ficando com o meu Top 1 mesmo, além do que eu sou bem fresquinha então fico achando tudo muito pesado, como é o caso desse livro, que contextualiza muitos acontecimentos tristes, porém reais. Sem contar muito sobre a história, que trata de uma amizade e suas consequências por distância, traumas e tempo decorrido, leiam.
Procurando, aleatoriamente, algo que marquei, encontrei: ?E é isso que acontece com as pessoas que dizem o que pensam: elas acham que todo mundo faz o mesmo.? ??
Pedro.Lima 09/11/2021minha estante
Amo esse livre




Jac 07/09/2020

POR VOCÊ FARIA ISSO MIL VEZES
Achei muito bom, faz com que nossas emoções passem por muito altos e baixos ao decorrer da leitura

Dei 4 estrelas porque usei como base para a nota o outro livro do autor "A Cidade Do Sol" e não tem como dar a mesma nota pra ambos, aquele ganhou meu coração em disparada kk

Mas jamais deixa de ser bom, vale muito a pena a leitura

Um ponto interessante que nos é mostrado é como uma susseção de erros vira uma bola de neve e sempre as mais afetadas são as crianças que acabam sofrendo muito pra tentar se encaixar nesse mundo louco que é o nosso
comentários(0)comente



Hidalberto 31/08/2020

O caçador de emoções...
O livro "O caçador de pipas", de Khaled Hosseini muito falado, indicado e até virou filme é realmente tudo aquilo que falaram dele. Entre muitos aspectos, o que me chamou mais atenção foi a narração dos acontecimentos minuciosamente detalhados. Cada narração é como se estivessemos lá perto, ao vivo, vendo cada ação acontecer.

Amir e Hassan são apresentados como simples crianças que vivem em Cabul e com o desenrolar da história ficamos surpreso com o rumo que a narrativa vai tomando.

Fica a reflexão para o leitor: "aproveite cada momento", não deixe seu medo atrapalhar sua bondade", "lute pelos seus objetivos". Claro que poderíamos tirar mais conclusões.

Fiquei triste pela maneira como o povo do Afeganistão vivem. É muita violência, é muita tragédia. Enfim era aquele livro que estava ali na minha estante desde 2008, como tenho arrependimento de não ter devorado antes. Nota 1000.
comentários(0)comente



1930 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR