O verão que mudou minha vida

O verão que mudou minha vida Jenny Han




Resenhas - O Verão Que Mudou Minha Vida


838 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Patricia Lima 06/07/2020

O verão que mudou minha vida
O livro vai girar em torno do romance não correspondido, mas também aborda o relacionamento entre as duas famílias, tem um drama familiar que vai abalar muito eles. E esse drama familiar, foi o que mais me chamou a atenção, foi o que mais me interessou na história.

Porque se dependesse do romance eu não teria me interessado muito em continuar a trilogia, mas infelizmente eu continuei, e esse tema mais interessante foi se perdendo ao longo dos livros, e sendo mais substituído pelo romance.
comentários(0)comente



Evellyn 12/11/2020

O Verão Que Mudou Minha Vida
Bom sobre o livro... Gosto bastante da autora, gosto como ela escreve sobre assuntos leves e adoro ler porque trás aquele sentimento de conforto, e este livro me deu este sentimento, mas infelizmente passei muita raiva também kkkk não posso dizer que desgostei totalmente. O final na minha opinião foi a melhor parte e que me fez acrescentar mais uma estrela, mas não sei se lerei os próximos livros, terei que pensar.
Mas apesar de tudo, recomendo a leitura para que está buscando algo leve, simples e clichê para ler.
comentários(0)comente



Blog MVL - Nina 05/12/2011

Minha Vida por um Livro | www.minhavidaporumlivro.com.br | Marina Moura

Escrito em primeira pessoa, "O Verão que Mudou Minha Vida" possui uma narrativa realista sobre amadurecer,e destinada a ser uma leitura obrigatória para as meninas brasileiras no verão que se aproxima!

Belly está em certo ponto da adolescência em que começamos a realmente amadurecer. Olhar para trás,lembrar da criança que fomos e começar a ter vislumbres da pessoa em que estamos nos tornando. É assustador. Especialmente para as mulheres. É uma época confusa e complicada. A autora soube como escrever sobre tais emoções de forma sutil, delicada e tocante.

O título do livro em inglês é “The Summer I Turned Pretty” ou seja “O Verão em que fiquei bonita”,pode parecer superficial e fútil,entretanto acho que os mais críticos perdem a noção do que realmente significa para uma mulher se sentir bonita. E notem que eu não disse ser e sim se sentir bela, desejável e bem consigo mesma. Para a protagonista do livro, com apenas quinze anos, é a primeira vez em que ela realmente se descobre como mulher. Talvez seja difícil para os homens imaginarem esta sensação, mas tenho certeza que as meninas vão concordar comigo que é um momento inesquecível.

Jenny Han escreve sobre personagens tão bem construídos que nos fazem lembrar as pessoas queridas em nossa vida. Familiares e amigos de infância. O relacionamento distante entre Belly e sua mãe, cercado por sentimentos nunca pronunciados, sua relação com Susannah, a mãe de Conrad e Jeremiah,seus dois amores. Conrad é distante, sério, misterioso e o típico primogênito. Jeremiah é engraçado, espirituoso e divertido. Conrad é o primeiro amor de Belly,mas é com Jeremiah que ela troca o primeiro beijo. Enfim, é uma situação complexa. Todos se conhecem muito bem, estão vivenciado uma tensão emocional em virtude do câncer de Susannah, e apesar de o verão ser o melhor momento para se esquecer dos problemas, nem sempre nos é permitido esse refúgio. Belly adentra a maturidade em um momento de grande caos pessoal, o que de certa forma (falo por experiência própria) nos faz amadurecer ainda mais, o que não quer dizer que não haja muito sofrimento envolvido. Segundo J.k Rowling as pessoas só “crescem” quando sofrem, e eu concordo.

Uma escritora que sabe como escrever para os adolescente, e não de uma forma leviana e clichê. Não tem idade para apreciar a leitura. Se você é adolescente vai se identificar com os conflitos, se já passou faz tempo dessa fase vai relembrar com muito carinho dos verões inesquecíveis, e que mudaram a sua vida. O fim do livro ainda deixa uma prazerosa brecha para a continuação. Para nos contar a história de Belly, a autora ainda escreveu mais dois volumes. “It’s not Summer without you”(2010) e “We’ll always have Summer” em tradução livre “Não há verão se você” e “Sempre teremos o verão”. Não percam a oportunidade de acompanhar esse belíssimo trabalho sobre a adolescência e uniões eternas como a amizade, amor e família.
Dand 24/04/2012minha estante
Foi amor a primeira vista com essa capa.Eu simplesmente amei,tem algo,não sei oq,q me prendeu.Me imagino nessa capa aí no meio desses dois,LOL




ka mcd 06/03/2013

O Verão Que Mudou Minha Vida
Hoje é a primeira vez que não vou fazer uma resenha positiva. E provavelmente serei uma das poucas pessoas que vocês verão falando mal desse livro. Já que todo mundo, aparentemente, está apaixonado por ele.

Em primeiro lugar: a estória não é lá muito interessante. Quase nada acontece no decorrer do livro. Nada mesmo. Nós vemos apenas Belly fazendo seus biquinhos, tentando causar ciúme no Conrad, brigando com sua mãe e reclamando da vida. Tudo em uma casa de que ela, sua mãe e seu irmão dividem, todo verão, com uma amiga de sua mãe e seus dois filhos – Jeremiah e Conrad. E, ao mesmo tempo, vemos o passado. Como eles chegaram a tal ponto, como foram os outros verões, o que faz esses verões serem tão importantes para eles.

Fora algumas poucas situações engraçadas e boas filosofadas da autora, não há nada que tenha me interessado no livro. Exceto Conrad. Quer dizer, só por um tempo. Por que, sabe aquele tipo de livro no qual você não consegue gostar de nenhuma personagem? Pois é, esse é um desses livros.

Vamos começar por Belly. A pior. Ela é a personagem mais infantil e mimada que eu já vi na minha vida. Ela literalmente faz bico quando as pessoas não fazem o que ela quer, ameaça o irmão com ‘vou contar para a mamãe’, consegue ser mais volúvel do que a Zoey de HoN, vive fazendo brincadeiras realmente infantis, não sabe argumentar – ou seja; só sabe gritar ‘cala a boca’ quando discute com alguém – e age como se soubesse o segredo da humanidade só por que, de repente, ficou bonita. E ela tem quase 16 anos de idade! Ela me irritou tão, tão profundamente que eu não sei como não joguei o livro na parede e o rasguei inteiro. E o pior: parece que ninguém liga para essa personalidade extremamente fútil dela.

Acho que não é exatamente que ninguém liga, é mais por que todos eles são tão superficiais quanto ela. Eu gostei muito do Conrad logo que ele apareceu, é impossível não se interessar por um cara como ele: meio sombrio, calado e com algum segredo que o torna um garoto-problema, mas que tem um lado sensível. Foi uma pena a estória mostrar como ele é completamente egoísta e até imaturo.

O irmão dele, Jeremiah, foi o único que não mudou no meu conceito ao longo do livro. Ele é bem-humorado, fofo, infantil, meio bobão, sem-vergonha e nada muito extraordinário. Então, sim, eu terminei o livro gostando muito mais do Jeremiah do que do Conrad.

Fora eles ainda têm as mães. Susannah foi a única personagem que me pareceu madura de verdade na estória. Ela teve e ainda tem sérios problemas, está sempre tentando ajudar os outros, raramente se irrita, é quem faz tudo na casa e sabe como controlar as pessoas ali dentro. Diferente de sua melhor amiga - mãe de Belly e Steven - que não sabe nem como cuidar dos filhos direito. Isso já é o suficiente para eu não gostar da mulher. Mas ainda tem o fato de ela agir como se ainda fosse uma adolescente (não que eu ache que pessoas mais velhas não merecem diversão, o problema é que ela extrapola).

Muita gente diz que essa estória é sobre um verão lindo, um verão onde Belly amadurece, onde ela começa a entender as coisas e em que tudo se resolve. Não. Não para mim. Eu não acho que Belly tenha realmente mudado no final do livro, ela agiu mais responsavelmente? Sim, mas só por que aquele exato momento pediu isso dela. E... ‘o verão perfeito’? Nem um pouco! É um drama disfarçado de romance, por que não tem nada de lindo.


"Às vezes é como se as pessoas fossem um milhão de vezes mais belas na nossa cabeça, como se as víssemos através de uma lente especial. Mas, por outro lado, se é assim que as vemos, talvez seja assim que elas realmente são."


Mas preciso elogiar a autora pela forma como conduz a estória. Intercalando capítulos que se passam no presente, com capítulos que se passam nos verões anteriores de Belly, Conrad, Jeremiah e Steven. É muito mais fácil entender as personagens e as situações assim. E o modo como ela os intercalou foi bastante inteligente também, deixando-nos curiosos para saber o que aconteceria nas duas estórias – a presente e a passada.

O livro tem várias idéias, filosofias e ambições muito boas, mas, por seus personagens não seguirem nenhum de seus ideais, perde a força que deveria ter e se torna algo superficial, levemente irritante e nem um pouco distrativo.


http://blogminha-bagunca.blogspot.com.br/2012/01/resenha-o-verao-que-mudou-minha-vida.html
Dand 24/04/2012minha estante
é legal ver opiniões diferentes...


Jei 12/06/2012minha estante
Concordo em gênero, número e grau com sua resenha. Achei que eu tivesse sido a única a me sentir assim com esse livro.


Laurita 24/03/2013minha estante
Cada um tem sua opinião né?
Pega outro livro e vai ler então!


ka mcd 25/03/2013minha estante
Dand: Sim. Afinal, qual seria a graça de mundo se todos dissessem a mesma coisa sobre tudo?
Jei: Fico feliz em ver que não sou um completo E.T., haha.
Laurita: Exatamente! Pode ter certeza que já li muitos outros livros depois dele (e que são infinitamente melhores do que ele).


Laura 01/04/2013minha estante
Realmente, uma resenha que foge dos "padrões" desse livro mas que descreveu exatamente o que senti. Adorei!


Monique 19/06/2013minha estante
Mais uma resenha sua que me agrada, Ka :D Escreves muito bem!
E, depois de ter lido sua crítica, desisiti dfinitivamente do livro. Mesmo porque eu estou fugindo de personagens imaturas, e olha que as dos recentes livros li e que me fizeram fazer isso não são tão irritantes assim.


Ana Luiza 21/09/2020minha estante
Eu também achei a Belly muito mimada, infantil para a sua idade, imatura. Ela tenta tanto parecer adulta, e isso só mostrava o quão criança ela é.


Lucélia 30/10/2020minha estante
Concordo, a protagonista é bem chatinha e também acabei gostando muito mais do Jeremiah do que do irmão dele


Nalice 23/03/2021minha estante
Menina, eu também odiei! Que bom que não fui a única!




Bruna 01/08/2020

Por que este livro merece cinco estrelas?
O verão que mudou minha vida é um ótimo livro.Não consegui parar de lê-lo até chegar ao fim.Ele me conquistou desde a primeira frase.Admito que fiquei um tanto confusa no início em relação a alternância de passado e presente.Mas,depois, compreendi facilmente.Estou ansiosa para ler as próximas histórias da Belly no volume dois.
:)
comentários(0)comente



yas 21/03/2021

legal
é uma leitura bem tranquila e rápida, o livro trata diversos assuntos e eu achei bem divertido de ler... considerando que tem apenas 233 páginas, gostaria que a autora estendesse um pouco mais pra aprofundar mais os personagens, mas entendo o jeito que ela quis fazer. Gostei muito de todos os personagens e queria ir pra casa de verão deles ???
comentários(0)comente



letí 21/10/2020

eu esperava muito mesmo dessa série de livros, botei muita expectativa e me decepcionei mas gostei muito da minha leitura pois foi extremamente rápida e suave
Junaestante 21/10/2020minha estante
oiii, é tipo para todos os garotos que já amei?? (o romance)?




Victoria (Vic) 05/04/2020

Muito fofo! Não gostei tanto quanto ?para todos os garotos?, mas é uma gracinha! Recomendo muito para distrair a cabeça
Raissa.Medeiros 12/04/2020minha estante
Você já leu os outros dois, Vic?




Emilly 09/04/2021

eu amo muito esse livro, juro!!
ele eh muito leve e tranquilo, vc lê beeem rapidinho, bem clichê o que eu amooooo
agora que reli comecei a gostar mais do conrad (antes eu >odiava< ele), mas o jeremiah pra mim>>>>>>
é o tipo de livro que tira fácil fácil da ressaca literária
na primeira vez que eu li eu não gostei do fim dele, mas dessa vez eu adoreiKKKKKK (eu li faz uns 6/7 meses)
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 05/01/2016

Resenha: O Verão Que Mudou Minha Vida
O verão que mudou minha vida, publicado no Brasil pela editora Galera Record, foi escrito por Jenny Han que é também autora de Para todos os garotos que já amei, resenhado aqui no blog pela Denise. A sinopse promete uma leitura leve e cheia de emoções, como um amor de verão deve ser.

O livro se passa no decorrer do verão, o cenário é Cousins Beach e a protagonista é Belly, uma adolescente de quinze anos. O verão em que Belly se torna bonita (The Summer I Turned Pretty, em seu título original) é, também, talvez o último que ela, sua mãe e seu irmão passem na casa da praia junto com Susannah e seus dois filhos. O velho clichê de uma garota possivelmente divida entre dois irmãos foi o que me atraiu, confesso. Mas aqueles que odeiam triângulos amorosos não precisam se preocupar, porque não é o caso aqui. Belly é obcecada por Conrad, e ponto final.

Jeremiah é um mero coadjuvante, pintado como o amigo leal, e não importa o quanto a autora tenha tentado criar uma possível dúvida sobre o romance, simplesmente não funciona. Conrad, o irmão mais velho e alvo das afeições de Belly, é típico projeto de bad boy com um segredo e um bom coração. Não precisa explicar muito, é a velha fórmula do irmão fofo e legal versus o irmão calado e sexy. A mãe e o irmão da Belly foram meio que "qualquer coisa" pra mim, sendo Susannah uma das poucas personagens agradáveis da história, ficando a outra posição para Cam, um garoto que Belly conhece quando vai a uma festa e a quem ela, definitivamente, não merece.

E já que estamos falando da protagonista: meu deus, podia ser menos chata? Ou mimada? Ou infantil? Quem sabe só um pouquinho menos birrenta? Sinceramente, procurei outras resenhas e não consigo entender o que as outras pessoas dizem ter visto de tão interessante no livro. Para mim Belly é uma criança e se porta como tal, impossibilitando qualquer tentativa de uma boa e prazerosa leitura.

As cenas alternando entre o passado e o futuro, e os dramas amorosos exagerados, só deixaram ainda mais nítido a imaturidade da personagem. As atitudes dela são tão bobinhas que eu mal conseguia distinguir a Belly de treze da de quinze, quando ela já se sentia quase mulher. Talvez o problema seja eu, talvez eu esteja exigindo mais do que a história se propõe, mas não posso ser injusta com todos os outros livros que já li que tinham uma proposta tão simples o quanto e cumpriram o seu papel.

“Susannah me contou que, quando nasci, ela sabia que eu me casaria com um dos seus meninos. Era o destino. Minha mãe, que normalmente não acreditava nesse tipo de coisa, disse que seria perfeito, contanto que eu tivesse alguns namorados antes de casar.”

Ainda tenho esperanças com os livros da Jenny, pretendo dar mais uma chance a essa série e ler o próximo livro também. Principalmente porquê o livro tem um final absolutamente em aberto, mais um fator que me fez desgostar do mesmo. Sinto muito se a resenha sou confusa ou pobre, mas no que diz respeito a O verão que mudou minha vida, só posso dizer que o título não se aplicou à leitura.
comentários(0)comente



Gui Teixeira 15/05/2020

O primeiro verão deles
Belly passa seus verões com sua família na casa de veraneio da amiga de sua mãe e são nessas ocasiões que vamos vendo duas famílias muito unidas e amigas vivendo momentos incríveis no verão. Com isso Belly, seu irmão Steve e os filhos de Susannah (amiga de sua mãe), vão crescendo juntos e aproveitando as férias, com toda beleza e alegria que o verão trás. Porém Belly é uma jovem tímida e que sempre foi um pouco excluída por ser a única menina e a mais nova do grupo, mas isso vai mudar naquele verão que ela completa dezesseis anos. Acontece que Belly sempre amou Conrad, um dos filhos de Susannah, desde que ela tinha apenas dez anos de idade e Jeremiah, o outro filho de Susannah é seu melhor amigo. mas ele não se sente apenas um amigo, ele quer mais.

Conrad e Jeremiah, apesar de irmãos, são o oposto um do outro; enquanto Jerimiah é mais solto, divertido e meigo, Conrad é o típico adolescente mal humorado, muitas vezes grosseiro e tem aquele ar misterioso que as garotas costuma curtir.

A história segue nos apresentando as mudanças que uma garota passa quando está passando de um ciclo a outro em sua vida. Sua personalidade, gostos, indecisões, certezas, incertezas e descobertas; tudo isso nos é mostrado com vislumbres do passado intercalando o presente e vamos traçando assim a Belly em nossa mente e toda a família que a acompanha durante os verões. Sendo assim, passado e presente servem como complemento perfeito nessa história e Janny Han consegue fazer isso com maestria. A história trás muita leveza e vai nos conquistando a cada página.

Nesse primeiro volume, como temos o ponto de vista de Belly, não temos uma clareza sobre os outros personagens o que nos faz terminar a história íntimos de Belly e ansiosos por saber mais sobre os demais personagens.
comentários(0)comente



Gih 30/03/2021

O verão que mudou minha vida?
???????: Foi o primeiro livro que eu li da Jenny, e eu me apaixonei pela escrita dela. É um livro fácil de ler, com muito diálogo, eu li muito rápido e ele me tirou de uma ressaca literária horrível.
Eu senti uma pequena falta dos sentimentos da personagem principal, tiveram alguns momentos que eu senti que havia a necessidade de uma descrição sentimental maior.
Eu em apaixonei por todos os personagens (os bons pq nn suporto Taylor), e eu nutri um carinho especial pelo Jeremiah.
Eu super recomendo para alguém que esteja em busca de um clichê para se apaixonar.
comentários(0)comente



klfeijolle 10/03/2021

a coisa mais fofa!!! uma historia bem gostosa de ler, por se passar a maior parte na praia
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mim 06/09/2020

Sentimento bom
Eu amo a escrita da Jenny Han e a forma como eu volto à minha adolescência/inocência com as estórias dela. Belly é uma personagem que me atrai, todo clima de verão traz uma sensação maravilhosa enquanto flui a leitura. É rápido e gostoso o ritmo, gostei muitos dos capítulos ?flashbacks? e a forma como foi construído.
Me incomodei com a forma que Cam foi deixado de lado em determinado momento, não sei se ele volta nos outros livros, mas senti falta de um desfecho para ele.
É um romance bem clichê e satisfatório, ótimo para sair da ressaca e reler quando quiser algo descontraído para passar o tempo. Para aqueles que gostam do gênero e estilo eu super recomendo!!
comentários(0)comente



838 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |