O Rei Lear

O Rei Lear William Shakespeare




Resenhas - O Rei Lear


41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


MauricioTiso 09/05/2019

Cegueiras e Virtudes
Uma obra prima!! Um drama que análisa profundamente a cegueira, visual e intelectual, do ego e a contraposição serena mas firme da virtude.

Destaque especial para todo o contexto histórico e pela trama entre os personagens que o enredo nos leva.

O cuidado neste livro que a editora tem de contextualizar autor e obra também merece destaque.

Recomendo a todos que tenham interesse no comportamento humano bem como àqueles que desejam ter o prazer de se deixar levar por uma obra prima.
comentários(0)comente



Caio 05/01/2019

Uma grande lição real
Primeira obra do Williaw Shakespeare que li. Achei muito bom. Eu gosto da dramatização, dos fatos narrados pelo inglês, suas peças teatrais. Aqui conta a repartição do reino do rei para suas filhas só que ai está a crítica: Não são todas as merecedoras do Reino do pai, ai vc começa separar Falsidade/Lealdade, Hipocrisia/bondade, Conquista/Usurpação. Aqui mostra os traços da realidade: Injustiça, falta de reconhecimento dos sinceros, a dominância da mesquinhez, e dos interesseiros. Obra muito boa, essa é em linguagem simples, mas a mensagem de W.Shakespeare é latente até os dias de hoje, por isso ele é um dos melhores escritores ingleses de todos os tempos. 4/5.
comentários(0)comente



Francislaine.Lopes 29/11/2018

O mais fascinante desse livro, é que o Shakespeare é tão antigo, mas lendo suas peças teatrais, sinto que ele é tão vivo, sinto que ele é do nosso seculo, é incrível o modo como entendo exatamente o que ele vem nos passar, esse livro tem uma historia bem triste, mas trás uma lição para toda uma vida.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Ricardo.Consolo 04/02/2019minha estante
Esse é um dos meus favoritos, gosto da morte sublime que ele tem, recuperando a sanidade ao perdoar a filha.




Rafa 29/03/2018

Rei lear
Uma REAL loucura ?
comentários(0)comente



Ana 30/01/2018

O Rei Lear
Olá meus queridos!

Hoje venho trazendo para vocês uma resenha que foi extraída de um trabalho de faculdade. Tive que ler Rei Lear para um trabalho e pensei… Porque não ir para o LK!?? Então, cá estou eu, misturando prazer e trabalho , trazendo esse clássico da literatura estrangeira de William Shakespeare para vocês.

Rei Lear, decide dividir seu reino e todas as responsabilidades entre suas 3 filhas (duas casadas e uma caçula ainda sendo cortejada). Entretanto, Lear pede que, cada uma declare seu amor por ele, e de acordo com sua adulação, seria o tamanho de suas terras recebidas.

Suas duas filhas mais velhas o adularam da maneira esperada pelo pai e receberam suas terras. Já sua caçula, a mais querida, lhe foi honesta ao declarar seu amor, sem exageros, o que feriu muito o ego inflado de seu pai. Decepcionado com a resposta “seca” da filha, Rei Lear deserda e renega-a, negando-lhe inclusive, o dote para casamento.

Com suas decisões tomadas, Lear divide todas as suas terras por suas duas filhas e, apenas com alguns homens, cavalos e “mesada” dessas suas filhas, passará a viver um mês na casa de uma e outro mês na casa de outra.

Com o passar da leitura, descobriremos muitas traições e mortes como todo e qualquer bom drama de Shakespeare. Lear acaba se vendo em meio a lobos em pele de cordeiro, arrependimentos e a perda de sua sanidade.

Levando em consideração que essa obra é uma peça, eu tive um início de leitura muito difícil. Talvez pela falta de costume, não conseguia me ver absorta na história. É muito drama e eu achava realmente muito exagero. Mas Shakespeare é exagerado, então, cheguei a conclusão de que apenas não é a minha vibe literária.

O livro é curtinho. Li pelo Kindle e em 4 horas consegui concluir sem muitas dificuldades.

Bem, pelo menos agora eu já posso falar que já li Shakespeare! uhahuauhauhahuauha

A nível de curiosidade, Shakespeare foi casado com uma mulher chamada Anne Hathaway. Logo, vou terminar a resenha deixando essa imagem para que vocês reflitam….

capa-Shakespeare.jpg

Fica aí o questionamento…..

Bjux de Lux ❤ .

site: https://literakaos.wordpress.com/2017/11/01/resenha-o-rei-lear-de-william-shakespeare/
comentários(0)comente



Pandora 24/01/2018

"Rei Lear" de William Shakespeare é uma peça teatral, uma tragédia escrita em 1606. Nela se conta a história do que aconteceu a família do Rei Lear quando ele, já idoso, decide dividir seus bens entre suas três filhas (Goneril, Regana e Cordélia) e viver sob a tutela delas o resto de seus dias. O plano de Lear era brilhante, conferindo independência as filhas ele desejava poder gozar de seus últimos anos de vida com tranquilidade e sem o peso das responsabilidades, no entanto, os resultados de sua ação são catastróficos para todos e infinitamente mais para ele.

Fiquei aturdida com a atualidade do texto de Shakespeare em relação ao diálogo do Ocidente com pessoas envelhecidas. Enquanto Lear é dono de suas propriedades e tudo que lhe confere poder e honra, suas filhas o tratam com dignidade, uma vez despido de sua fortuna o tratamento muda completamente. Regana e Goneril "brincam" de jogar seu velho pai de um canto a outro, tirar dele coisas que lhe são preciosas, desqualificando seu julgamento, tirando dele sua dignidade. Pouco a pouco a lucidez do velho homem se fragiliza, ele se jogado na rua, louco e exposto ao furor da tempestade.

O quadro de dor no qual Lear se vê no momento que se coloca a mercê da generosidade e senso de dever de suas filhas não é nada estranho. Quem de nós não conhece uma história de alguém idoso que foi abandonado e maltratado pelos filhos? A fragilidade social da pessoa idosa no Brasil é latente ao ponto de existir o "Estatuto do Idoso" para garantir os direitos dessas pessoas. Foi doloroso perceber o quanto, guardada as devidas proporções, a história do "Rei Lear" se repetiu pelos séculos e continua se repetindo. É assustadora a forma como quatrocentos e doze anos depois de ser escrita, a critica de Shakespeare a forma como algumas famílias tratam seus idosos continua atual.

Sobre a edição da L&PM Pocket, apesar da antiguidade da história narrada, a tradução de Millôr Fernandes é muito fluida, acessível, de fácil compreensão. Millôr meio traduz meio adapta o texto de Shakespeare para a linguagem de hoje. Da para ri das piadas, se emocionar com os monólogos eloquentes, amar os mocinhos e mocinhas, odiar as vilãs e os vilões e ficar desnorteada com o fim trágico.

site: http://www.pandoraesuacaixa.com.br/2018/01/rei-lear-de-william-shakespeare.html
comentários(0)comente



Sarah 29/08/2017

Muito bom!
Foi meu primeiro livro de Shakespeare e me surpreendeu. Pensei encontrar uma linguagem tão difícil a ponto de tornar o livro chato; o livro contém várias palavras que não conhecia, mas em nenhum momento isso atrapalhou o entendimento da trama no geral. A história, apesar de antiga, continua com questões atuais e dá muito pano pra manga pra discussão. Li para uma matéria na faculdade e adorei! A história fala sobre o rei Lear, um homem já velho, acima dos 80 anos, que decide repartir seu reino e dar a herança para as suas três filhas, de acordo com a eloquência e a "puxação de saco" de cada uma; quem falar mais bonito, ganha uma boa porção do reino. Ele se surpreende com algumas filhas que falam muito bonito e uma que não consegue fingir admiração além do que já tem. Excelente história!
comentários(0)comente



Di 27/08/2017

Velhice, lealdade e sentido
Bem, o livro nos narra a história de um rei que, visando aproveitar a velhice em paz (e garantir a continuidade de seu reinado) decide dividir seu poder e posses entre suas filhas, deixando de lado suas responsabilidades enquanto rei. É a partir daí que vemos quem realmente era leal ao rei e quem apenas o bajulava para obter benefícios.
O desenrolar da história é interessantíssimo, a leitura flui bem e nos faz refletir sobre velhice, lealdade, sobre o que realmente é importante para nós.
Com certeza, é leitura recomendadíssima. It's Shakespeare bitch!
comentários(0)comente



Isa 28/07/2017

Rei Lear
Primeiro livro que eu li do escritor William Shakespeare e, sinceramente, não entendi a obra. A minha edição é da Saraiva de Bolso e ele é escrito em forma de peça de teatro (acredito que Rei Lear seja uma peça de teatro, não parei para pesquisar). Já vi tantas pessoas falando de como é explícito o sofrimento de Cordélia, mas eu juro que não entendi a obra. Embora seja escrita em forma de script, o livro foi traduzido como se estivesse no´português arcaico, o que dificultou mais ainda minha interpretação do livro. Talvez eu necessite rele-lo novamente da mesma maneira que tive que reler o "auto da barco do inferno" para compreender a mensagem que Gil Vicente queria passar.
Livro meio confuso, me perdi em vários momentos, mas sei que a história se trata de um Rei que pergunta as filhas o quanto elas o amam e as duas primeiras dizem ama-lo enquanto a terceira, Cordelia, diz não poder dizer seus sentimentos e o rei acha que ela nao o ama e que isso é pouco, deserdando-a. Então, Cordelia perde seu dote, só que ela está sendo disputada para ver que vai desposa-la porem ela já nao tem mais o dote... enfim, não me recordo da história tintim por tintim porque já faz um tempo que o li, mas é basicamente isso. Confuso? Sim. Recomendo? Apenas se gostar desse tipo de quebra-cabeça.
comentários(0)comente



Jehssy Müller 21/07/2017

... Essa é a maravilhosa tolice do mundo: quando as coisas não nos correm bem - muitas vezes por culpa de nossos próprios excessos - pomos a culpa de nossos desastres no sol, na lua e nas estrelas, como se fôssemos celerados por necessidade, tolos por compulsão celeste, velhacos, ladrões e traidores pelo predomínio das esferas; bêbados, mentirosos e adúlteros, pela obediência forçosa à influência divina... Ótima escapatória para o homem, esse mestre da devassidão, responsabilizar as estrelas por sua natureza de bode...
comentários(0)comente



Braguinha 23/06/2017

Obra menor
Uma obra menor do bardo inglês.
comentários(0)comente



Mariane Bach 10/05/2017

"Não está vazio o coração cujo som, por isso mesmo, não ressoa"
Rei Lear é um velho rei que promove uma cerimônia de adulação com a finalidade de repartir o reino entre suas três filhas: Regana, Goneril e Cordélia. As duas primeiras realizam um excelente discurso, afirmando que amam o pai acima de tudo; Cordélia, no entanto, não consegue imitar a fala hipócrita das irmãs, alegando não conseguir trazer o coração à boca. Por isso, então, seu pai, em uma atitude extrema, deserda-a e expulsa-a do reino, sob a acusação de ingratidão e orgulho. Essa atitude de Lear desencadeia toda a tragédia da história, que é marcada por falsidade, ambição e soberba.

"Julgas que o dever terá medo de falar quando o poder se curva à adulação? A honra tem de ser sincera quando a majestade se perde na loucura. Conserva o teu comando, considera e reflete, freia esse impulso hediondo. Respondo por minha opinião com a minha vida; tua filha mais moça não é a que te ama menos; não está vazio o coração cujo som, por isso mesmo, não ressoa."

comentários(0)comente



Ricardo 20/02/2017

Vergonha, Martin Claret
Tradução/revisão deixa a desejar. Na hora h em uma disputa o conde Gloucester é atingido por um golpe de espada no rosto perdendo o 'ALHO' e o leitor a paciência.
comentários(0)comente



Ulisses 13/12/2016

Excelente tradução de Millôr Fernander.

Quem puder assista ao filme (melhor seria dizer uma peça filmada) com Ian McKellen como o Rei Lear. Uma interpretação mesmerizante.
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3