Eu Sou a Lenda

Eu Sou a Lenda Richard Matheson




Resenhas - Eu Sou a Lenda


199 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Rafael.Nagao 13/06/2019

Solidão
Esse livro retrata o mais profundo desespero e solidão que um ser humano pode sentir. Nessa história acompanhamos a vida de um homem, o qual se encontra num mundo assolado por uma tragédia, desse modo além de estar só ele também precisa enfrentar os perigos desse ?novo mundo? pós apocalíptico de criaturas nefastas. Recomendo a todos a leitura.
comentários(0)comente



Patricia Lima 10/06/2019

Eu Sou a Lenda
Eu gostei muito desse livro, ele tinha tudo pra ser uma história monótona, mostrando o dia dia do cara, correndo atrás de alimento e locais seguros, essas coisas.

Mas o autor conseguiu colocar mistérios e tensão em cada atividade do personagem, e isso te prende muito durante a leitura, e por causa disso eu também consegui ler o livro muito rápido.

Achei muito legal que o personagem se interessa em investigar o que são essas criaturas o que nos dá várias respostas interessantes, e não torna o livro apenas como uma jornada pela sobrevivência.

Você também se sente comovido com solidão do personagem em algumas cenas, então o livro é uma mistura de mistério, tensão e drama.

E as surpresas que tem pro final, foi algo bem inesperado pra mim, principalmente por ser muito diferente do filme

Eu acho que gostei bem mais do final do livro, que é um final mais aterrorizante, não tirando o a essência dessa história de terror.
comentários(0)comente



Lay 12/05/2019

Robert Neville, a Lenda
Robert Neville está sozinho, depois de uma epidemia atingir toda a população transformando-os em vampiros.
Robert luta por sua sobrevivência, mesmo tendo perdido toda sua família e aqueles que conhecia, lidando com o fato de não ter mais alguém com um pingo de humanidade para compartilhar sua dor.

Todos os dias Robert pendura alhos fora de sua casa, faz estacas de madeira, queima os corpos de vampiros mortos e procura por alimentos, tenta não enlouquecer, mas a rotina e a solidão são mais fortes do que ele próprio deixando-o desesperado por companhia.

Sendo o último homem que não fora infectado pelo vírus, bactéria, germe, ou seja lá o que for, Robert tenta entender a situação em que vive e o que aconteceu com a humanidade. Por que os vampiros temem as cruzes e os espelhos? Por que não suportam se aproximar de alhos? Por que morrem com estacas de madeira? Será que as histórias que foram contadas através dos séculos são verdadeiras? Será que os vampiros existiam a muito mais tempo do que imaginávam? Como todos foram transformados e será que há uma cura?

O autor nos transporta para este universo, fazendo-nos ter as mesmas dúvidas e sentimentos que o personagem, nos deixando desesperados por respotas ao memso tempo que nos mantém com a chama da esperança acesa.

Senti-me decepcionada com o final, sinceramente, esperava uma coisa totalmente diferente. E aposto que era isso mesmo que o autor queria nos transmitir... Nos deixar desesperançados.
comentários(0)comente



Emi 03/05/2019

Minha experiência
Não achei que fossem contos e fui pega de surpresa, mas achei o livro interessante e criativo. No geral gostei de tudo, só houve um conto que senti um certo incômodo por conta da forma que a cultura afro foi retratada e o primeiro conto "eu sou a lenda", achei relativamente confuso e engraçado a questão vampiresca.. Apesar de ter trazido uns questionamentos interessantes, acho que gostei mais dos outros contos...
comentários(0)comente



Natália | @tracandolivros 20/04/2019

Esperava um pouco mais do que o livro me entregou
Robert Neville é o único ser humano vivo na Terra, o último sobrevivente de um vírus fatal que devastou os seres humanos, transformando-os em vampiros. Neville vive em uma casa toda equipada para sua segurança, cheia de alhos espalhados pelos cantos, com as janelas fechadas por madeiras. Todas as noites os vampiros param em volta de sua casa e o chamam para sair e se juntar a eles, parar de lutar contra a maré.

Aos poucos Neville vai lembrando sobre seu passado, porém ele nunca fica exatamente claro, ele fala sobre sua mulher e filha, apenas em momentos que ele está bêbado. Ele é um homem extremamente temperamental e explosivo que passa o livro todo quebrando copos.

A explicação científica sobre os vampiros que o protagonista encontra é até que muito bem pensada, e para mim este foi o único ponto que salvou o livro, porque a narrativa dele é bem confusa, nada me prendeu, o personagem não ajudou muito também. A escrita muitas vezes parece abreviar situações e as cenas de ação ficam parecendo incompletas.

Eu estava me sentindo muito ET por não gostar de um livro que muitos amam, e até mesmo o King que é um dos meus autores favoritos diz que se inspirou nele para fazer seus livros, porém eu li com duas amigas (@literaturaestelar e @amornapagina) e elas tiveram os mesmos problemas que eu tive com ele.

Não sei dizer se recomendo ou não, porque eu particularmente não gostei não, mas tem tantos que amam que pode ser que você seja um desses, ou não, não posso garantir isso, então jogo para cima e lavo minhas mãos, leia por sua conta e risco, ou não...

site: https://www.instagram.com/p/BbreQUJgJhP/
Kal 24/04/2019minha estante
Concordo contigo. É a primeira vez que acho o filme (de 2007) melhor que o livro, apesar de não ter nada a ver um com o outro.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Pedro | @LeitorCasual 15/02/2019

O livro traduzido como "Eu sou a lenda" é originalmente chamado "I'm Legend". Pode não parecer ser grande a diferença, mas a presença do artigo torna o personagem especial quando, na verdade, lenda é algo comum às sociedades em geral. O entendimento real do título, no entanto, é dado apenas nas últimas páginas do livro, no momento de sua conclusão.

A obra é rica em caráter psicológico, já que o assunto principal são as aflições sofridas por um homem que enfrenta a solidão, apesar de estar rodeado por outros seres com os quais é incapaz de se identificar.

Outra situação muito bem abordada é a transformação, ocorrida ao longo do tempo, do indivíduo que se encontra nesse contexto de uma sociedade extinta por uma epidemia que tornou vivos e mortos em seres de aspecto e comportamento vampiresco. O personagem principal aprende a suprimir seus desejos e vícios ao mesmo tempo que busca compreender o comportamento biológico dos indivíduos infectados.

Mais uma vez o livro acerta no método de investigação adotado pelo protagonista, um homem comum, que busca compreender o mito de forma científica através da pesquisa em livros, da experimentação e da constatação.

Por todos esses aspectos, este livro é considerado um marco na modernização das obras de ficção científica e terror, é portanto, extremamente recomendado a qualquer um que se interesse pelos assuntos.

O autor, no entanto, tem uma grande variedade de obras com diferentes temas como Amor além da vida,  Em algum lugar do passado,  Outros Reinos, 7 passos para a meia noite, dentre outras, algumas destas foram adaptadas ao cinema inclusive.
Richard Matheson é, portanto, uma aposta certa.

Siga o @Leitor Casual no Facebook.
comentários(0)comente



Ricardo 01/02/2019

Inesperado
Fui levado ao levo através do filme, e também após ouvir vários elogios sobre ele. Gostei do que li. Mas, não me foi de grande impacto como pensei que seria. E, desculpem-me os fãs do livro, prefiro bem mais o último filme baseado nele. Faltou um pouco mais de carisma do Robert Neville. O livro tem uma narrativa envolvente e, realmente, tem vários momentos onde você não quer parar de ler. É uma boa leitura, sim. Apenas nãome cativou tanto quanto pensei que faria.
comentários(0)comente



Alisson.Ramos 29/01/2019

Não confunda com o filme
Muita gente, assim como eu acredita que o livro terá muitas características semelhantes em relação ao filme. São apenas alguns detalhes semelhantes. Em compensação a história é muito bem trabalhada e envolvente.
O livro possui muitos trechos que te fazem sentir sufocado e te traz uma imersão sensacional na vida do personagem.
comentários(0)comente



Aline Teodosio 09/01/2019

O ano é 1976. Uma pandemia vampiresca assola o mundo e agora só resta uma pessoa imune, Robert Neville, que passa seus dias a estudar a causa desse caos e a matar a ameaça que se alastra implacavelmente.

O tema aqui é bem conhecido: vampiros, as sanguinolentas criaturas da noite. Entretanto, o livro não centra especificamente nos seres medonhos das trevas, que são aqui desmistificados e desarraigados do sobrenatural. Antes, foca na vida de Neville, aprofundando-se em seu tédio, na dor da perda e na sua solidão, em seu eu mais introspectivo.

Em suas divagações, que ele classifica como monólogos monótonos, Neville questiona o porquê de sua existência quando nada mais resta, perpassa pela ética, pela moral, explana sobre as necessidades fisiológicas e emocionais humanas. É uma busca constante por uma vivalma, uma companhia que faça a sua vida ter um sentido, um quê melancólico existencialista.

Ao mesmo tempo em que a ênfase da narrativa envereda-se por essas necessidades, antes consideradas básicas e elementares, a história choca-se com uma realidade atípica e nos mostra que o ser humano a tudo pode se adaptar em prol de sua sobrevivência. Isso explica a frieza sistematica do personagem acostumado à reclusão e à solidão.

De maneira simbólica, o livro também abrange a questão do medo gerado pelo diferente, da anormalidade, das minorias.
"O principal ponto do preconceito contra as minorias é este: elas são odiadas porque são temidas."
Mas, saindo da ficção e com o pé na nossa realidade, será que as minorias são mesmo uma ameaça latente? Será que conviver pacificamente com elas é deixar que a "peste" contamine tudo? Michela Marzano, filósofa, citada na obra de Bauman, diz que "longe de assegurar proteção, as barreiras solidificam as diferenças, promovem mais medo ? a presença de muros provoca a ideia de que o inimigo está por toda parte, perigoso e inominado, e de que todas as medidas defensivas são legítimas."

Fica aí a reflexão através de uma obra sombria e imbuída de melancolia...
comentários(0)comente



Letícia 15/12/2018

Gostei da leitura, mas não achei tão excepcional como disseram. Achei um pouco arrastado, mas entendo quero queria mostrar como era a rotina do Robert, que por si só já era arrastada, a mesma coisa todo dia.
comentários(0)comente



HL Castro 05/12/2018

Esperava mais
Li várias resenhas cheias de elogios mas não achei grande coisa ..
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Emilia Yumi 19/11/2018

Bem diferente do filme...
O filme captou apenas a ideia básica do livro, de Robert Neville, ser o último humano após uma pandemia que devastou a raça humana. O livro mais narra o sentimento de solidão do protagonista, da relação com os vampiros que visitam sua casa toda noite, de como foi que ele perdeu sua família e amigos e o que aconteceu com o cachorro que surge no meio da estória... E por fim, por que ele é a lenda....

Leitura fácil, bastante fluida. Recomendo esta edição por haver no final do livro. Um comentário sobre a obra e autor. E nas últimas páginas a entrevista com o próprio autor, comentando sobre todas as adaptações realizadas para o cinema...
comentários(0)comente



199 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |