Equinócio

Equinócio Lu Piras




Resenhas - Equinócio


49 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Elaise G. Lima 28/03/2012

Equinócio - A Primavera
Não sou do tipo que compra livro pela capa, mas concordem comigo que essa capa de EQUINÓCIO é de arrasar. É de passar alguns minutos admirando, admirando... e babando! A boa notícia é que não é somente a capa que é um arraso, a história também é digna de aplausos. E o mais bacana ainda é saber que foi escrito por uma autora brasileiríssima, a Lu Piras e a Editora Dracaena está certíssima em apostar nos escritores nacionais, pois temos grandes talentos aqui.

Já li muita coisa sobre anjos, esses anjinhos que caem por amor, mas acreditem, o Nate é incrível, a Clara fez muito bem em se apaixonar por ele e à medida que nós vamos lendo nos apaixonamos também. (Nate é anjo pra ninguém botar defeito!) Mas não é só esse anjinho que encanta. Os personagens do livro possuem características bem marcantes. E acredito que ao longo da saga (serão quatro livros) eles irão se destacar ainda mais, pois em Equinócio a autora deixou um pouquinho de suspense em relação às atitudes de alguns deles. Os personagens são cativantes e até a patricinha do livro é legal, a Chris, melhor amiga da Clara.

Clara é filha de um renomado cientista, um homem que não se conforma com a morte da esposa e está disposto a descobrir e experimentar qualquer método científico que possa trazer sua amada de volta. Como o Dr. Chevallier é um pouco cético não se preocupa nem um pouco em desafiar as lei naturais (e divinas) ao estar prestes a terminar uma fórmula que possa devolver a vida de sua esposa. É aí que o anjo Nate entra em ação. Como anjo da guarda de Clara e Chevallier seu papel é alertá-los do perigo de interferir na ordem natural dos fatos e evitar o caos que se tornaria o universo caso os planos de Chevallier dessem certo. Mas do mesmo modo que Nate e as hostes angelicais estavam dispostos a impedir toda essa desordem, alguns seres do mal também estavam dispostos a entrar nessa batalha e Clara acaba se tornando um alvo nas mãos deles.

Toda essa necessidade de proteção acaba aproximando ainda mais o casal que por mais que estivessem receosos acabam cedendo ao sentimento que une os dois.

O livro é muito bem escrito, impossível não se prender na narrativa. As cenas são românticas, mas com um romantismo angelical (sem ser bobo, vocês me entendem?) pois tanto Nate como Clara respeitam muito a posição de anjo dele... Mas um amor tão puro pode ser pecado?
Robson Coelho 09/04/2012minha estante
Muito boa sua resenha!
Sim, sim, a capa, é tipo UAUU, MUITO LINDA! rsrs
Espero muito desse livro, não vejo a hora de te-lo em minhas mãos ^^


Elaise G. Lima 11/04/2012minha estante
Que bom que gostou, Robson. O livro é muito bom mesmo. Sei que vc vai amar!!!


Mila Wander 21/05/2012minha estante
A capa é perfeita! Já disse isso à Lu.
A editora Dracaena arrasou e a Lu nem se fala!

Estou LOUCA-PIRADA da silva para ler equinócio T_T


Elaise G. Lima 29/05/2012minha estante
Vc vai adorar, Mila.
Bjos!!!


Jacqueline 07/06/2012minha estante
ótima resenha
estou louca para ler o livro!!!


Laísa C. 15/06/2012minha estante
Vou ler!! \o/




Rafa 21/12/2012

Resenha - Equinócio - Lu Piras
Equinócio fala sobre anjos, uma história sobrenatural que vai além das expectativas, com um ensejo de tomar seu dia se você não se despertar para a realidade, o livro compensa em tudo. Foi um sonho? Me pergunto. Tomara que sim.

Confesso que adoro livros sobre anjos e quando me deparei com Equinócio, essa capa linda e esse nome tão diferente, não resisti.

Clara, uma jovem de 21 anos é estudante de medicina assim como a maioria dos seus amigos citados no livro, supracito Chris, a sua BFF, que está prestes a se casar com Gustavo.

Olívia tem a cara da mãe, Clara percebe isso pelos traços e o jeito dela. Olívia e Clara são irmãs e super amigas. Maria, a governanta da casa é como parte da família, todos se dão muito bem. Já o pai, o talentoso cientista super reconhecido, é um pouco fechado, está muito focado em suas pesquisas, a conhecida criogenia, capaz avivar a sua mulher.

Nate, tão perfeito e ao mesmo tempo tão humano, toma os sonhos de Clara para falar com ela. Clara se depara com assuntos e pessoas que vão além da sua imaginação, inclusive anjos que não são bons, anjos caídos, anjos maus, algo mais acontece... Muitas coisas inexplicáveis. Até mesmo acontece o que não deveria, ambos se apaixonam verdadeiramente, e o amor proibido deles se torna algo capaz de mudar a vida deles pra sempre.

É nesse enredo delicioso que Equinócio se sobressai, com uma narrativa leve e despretensiosa, que deixa o leitor sedento por mais e mais a cada capítulo. A capa e a diagramação ficou linda demais, não posso dizer perfeita e nem falar dos poucos pontos negativos, pois acho desnecessários, quanto a revisão achei uns errinhos de digitação, nada que atrapalhe...

Resumidamente, o livro é magnífico, é daqueles que fica na sua mente por semanas a fio. Posso dizer que já estou mega ansioso para o próximo da série, que se chama Polaris - O Norte. Recomendo para quem adora romance sobrenatural.
21/12/2012minha estante
Adorei a resenha! Eu tenho este livro mas ainda não li... até agora consegui resistir aos encantos dessa capa que é realmente muito linda. Também adorei o fato da história envolver anjos =) Me deixou ansiosa pela leitura!

Bjs
@Tibiux


Virgínia 23/12/2012minha estante
Tenho que ler esse livro, amo romance sobrenatural e principalmente livros sobre anjos.
Sua resenha está linda, fiquei apaixonada pelo livro antes mesmo de lê-lo.


Ju 28/12/2012minha estante
Sou louca pra ler Equinócio desde que a Lu lutava pela publicação. Infelizmente, ainda não tive oportunidade. A capa ficou mais que linda mesmo, e a história deve ser fantástica! preciso dele na estante!!! *-*


Fran 29/12/2012minha estante
Achei incrível a resenha, e a capa então é perfeita! Não conhecia este e nem o seguinte Polaris - O Norte, mas já fiquei ansiosa para adquirir os dois! Beijo.


Thais 13/01/2013minha estante
A capa desse livro é linda e como não gosto muito de romances não tinha me interessado. Porém, após sua resenha, me empolguei novamente e vou fazer o possível para ler.

Thais Vianna
@dathais




Fulana Leitora 01/08/2012

http://fulanaleitora.blogspot.com.br/2012/07/resenha-equinocio-primavera-de-lu-piras.html
Como algo que parece tão certo pode ser errado?

Essa é a pergunta que me fiz durante toda a leitura. Um amor tão puro como o de Clara e Nate, pode ser errado? Mas, antes, vamos começar do início.

Clara é uma jovem estudante de medicina, moradora do Rio de Janeiro, minha Cidade Maravilhosa. Vive com sua irmã Olívia; uma menina adorável, doce e cativante, apaixonada pelas estrelas. O pai Maurício; um renomado cientista inconformado com a morte da esposa. E a governanta Maria; gentil, amorosa e com cheirinho de mãe. Clara leva sua vida cotidiana como qualquer carioca, até que o seu pai desaparece misteriosamente.

No decorrer da trama, Clara descobre que o desaparecimento de seu pai, não é mera obra do acaso. É quando seu anjo da guarda Nath-Aniel (Nate) entra em sua vida e muda seu mundo completamente.
Maurício nunca se conformou com a morte da esposa e durante anos tentou criar uma forma de trazê-la de volta. Quando finalmente estava perto de obter êxito na fórmula da perpetuação da vida humana (criônica), Nate aparece alertá-lo a não ir contra a ordem natural, dos perigos envolvidos, pois isso resultaria na destruição da humanidade. E esse é o objetivo dos renegados (anjos caídos) que o sequestram e o obrigam a terminar a experiência.

Com todos os recentes acontecimentos sobrenaturais, Clara tenta aparentar viver normalmente, pois não quer envolver seus amigos nos perigos que cercam sua vida.
Uma das infinitas qualidades da Clara, proteger os amigos. Por mais que queira compartilhar seus anseios com sua melhor amiga, a sempre carismática, exuberante e nada modesta Christiane, ela retém tudo para si, para proteger a amiga. E ainda consegue acompanhar Chris nos preparativos do seu casamento com Gustavo. A avoada Jéssica e seu namorado, o misterioso Marcus, fecham o grupo de amigos, tão unidos como uma família.

Outros personagens recheiam esse romance. Temos os três esquisitos, os pagãos, como seus “colegas” de faculdade os chamam. Wotan, Ahriman e Lug. Com o tempo, Clara percebe a origem dessa esquisitice.
Jonas o caubói do asfalto, no melhor estilo James Dean, é o amigo; ou deveria dizer inimigo?; de infância da Clara. Ele é filho do dono do famoso laboratório no qual o pai de Clara trabalha. Jonas é o típico arruaceiro que, aparentemente, não se importa com nada, aparentemente. E Rodrigo, irmão de Marcus, que é inimigo declarado de Jonas. Ambos envoltos em mistérios, que estou ansiosa para desvendar no próximo livro da Lu.

E em meio a toda essa turbulência o amor de Clara e Nate vai se intensificando a ponto de nenhum dos dois poder, nem querer, negar esse amor. Mas eles não podem viver esse amor de forma plena, pois Nate é um anjo e seus encontros, praticamente, só acontecem em sonhos. Os sonhos mais perfeitos e lindos que alguém poderia sonhar. Praia, céu e estrelas são as testemunhas desse amor.
A cada sonho eu sonhava e a cada despedida eu chorava. E até agora a pergunta de Clara rodeia meus pensamentos.

​“Quanto de tempo pode caber numa despedida? E quanto de saudade?”

Há um único meio de Clara e Nate ficarem juntos. Mas essa decisão tem um preço alto, muito alto. Enquanto espero pela decisão no próximo livro, fico ouvindo as sábias palavras de Josh Groban na música Let me fall, e espero que a Clara também as ouça.

Equinócio entrou para a lista dos meus livros favoritos. Um romance açucarado, sim, mas sem melodramas. A Lu soube explorar muito bem todos os temas expostos no livro. Não se perdeu entre o natural e o sobrenatural, mas soube balancear esplendidamente os dois. Equinócio é o início de uma série que venho para ganhar seus corações e habitar para sempre em seus sonhos.

Há coisas que eu não poderia deixar de elogiar, como a capa belíssima, a escolha da fonte, a pena no início de cada capítulo e as inúmeras citações literárias e musicais. São pequenos mimos que fazem a diferença. Mostram todo o cuidado e dedicação para nos presentear com uma obra que encante não só os nossos corações, mas também os olhos.

E não poderia deixar de agradecer a Lu por me proporcionar sonhar esse sonho. Por todo o carinho que ele tem por nós, leitores. Meu livro e marcador autografados que eu vou guardar com muito carinho e daqui a algum tempo, vou me sentar no Arpoador lendo o livro, olhando para o Cristo e sonhando com o Nate.

Uma dica para quando forem ler, entrem no site da Lu e escutem a playlist. Sim, faz toda a diferença *-*

E mais uma coisa. Jasmim virou minha flor preferida ;)
Lu Piras 09/08/2012minha estante
Resenha espetacular.
Espetacular.
Espetacular.
Já disse que achei espetacular?
É... eu não encontro outra palavra para definir melhor. :)




gleicepcouto 14/07/2012

Bom (e um pouco longo) início para uma trama que promete
http://murmuriospessoais.com/?p=3568

***

Equinócio - A Primavera (Dracaena) é o primeiro livro da série de quatro volumes da escritora carioca Lu Puras. Nessa sua estreia literária, a autora entra no mundo do romance sobrenatural.

Clara estuda medicina e é uma jovem como qualquer outra, morando na cidade maravilhosa, Rio de Janeiro. Sua vida vira de cabeça pra baixo, porém, quando seu pai, um cientista famoso, misteriosamente desaparece. A polícia não acredita que ele possa estar vivo, mas Clara e sua irmã não perdem as esperanças.

Aos poucos, Clara descobre que o desaparecimento do pai ia muito além de causas 'naturais'. Toda um dinâmica celestial estava por detrás e ela se vê inserida em um guerra entre o bem e o mal, justamente porque seu pai é o responsável pela fórmula da perpetuação da vida humana (criônica). No meio disso tudo, está Nath-Aniel, seu anjo da guarda, que promete ajudá-la e livrá-la de todo mal. Mas será que realmente ele conseguirá cumprir com sua missão mesmo apaixonado por Clara?

Esse é o primeiro livro da série e isso fica claro ao longo da história. A obra é uma introdução de quase 450 páginas à história de Clara e Nate. Fiquei esperando um pouco mais de ação e respostas, mas nem todas vieram. Claro que isso tem um motivo: tem que ter gancho para os demais livros, mas, após acabar de ler o livro fiquei com a sensação de ainda esperar mais acontecimentos referentes à criônica.

Esse fato, entretanto, não diminui em quase nada o valor da obra. Lu Piras escreve muito bem e, o mais importante, com sentimento. Até as cenas mais banais, do dia-a-dia são, são carregadas com uma emoção simples e cotidiana, que te faz sentir o ambiente e a cidade do Rio de Janeiro (que é tratada quase como uma personagem secundária na história).

Os personagens são bem delineados e palpáveis. A família de Clara realmente parece uma família. Isso pode até parecer bobo de se dizer, gente, mas não é. Representar uma família coerente, sem parecer ter saído de um seriado de quinta categoria onde as peças não se encaixam, é difícil. Ainda mais se a autora se predispõe a misturar o sobrenatural (anjos e afins) com o natural.

E isso, a Lu faz muito bem. Na verdade, é o ponto alto do livro. Cada item (sobrenatural e natural) está em sua medida exata. Até mesmo no romance. A autora poderia ter caído no (perigoso) modismo atual e feito um anjo que mais parece um humano do que um ser celestial. Ao invés disso, preferiu dar o seu próprio toque e nos apresenta um anjo de verdade: etéreo, com poderes e essencialmente bom. Clara, uma mocinha bacana e não chata (outra raridade na literatura atual também), combina com o anjinho da guarda direitinho. Casal bonitinho, gente.

A Dracaena fez um trabalho editorial muito bom, especialmente no que diz respeito à capa. É lindíssima e traduz grafica e perfeitamente a atmosfera do livro. O trabalho interno também ficou bonito. No início de cada capítulo há uma pena fofinha e o nome do capítulo com uma fonte diferente. São coisas pequenas, mas que mostram o cuidado com o qual a editora trabalhou o livro.

Equinócio - A Primavera demonstra ser um bom início para uma trama que promete. Queria que a trama realmente já tivesse começado, mas tudo bem, espero pelo próximo. Enquanto isso, posso me deliciar com o amor puro de Nate e Clara.

Avaliação:
Autor(a): Lu Piras
Editora: Dracaena
Ano: 2012
Páginas: 438
Valor: $35 a $45
Extra: Clara, fica esperta, que tô chegando pra te roubar o Nate.
Lu Piras 14/07/2012minha estante
Resenha de uma das pessoas cuja opinião literária eu mais valorizo na blogosfera! Não podia ser menos do que excelente. :)
Obrigada, Gleice, por ter sido você, isenta, objetiva e coerente. Por ter se entregue à leitura de Equinócio, compreendido e o acolhido em seu coração.
Beijoooos!
Lu




Gabi 17/08/2012

Poético! Divino!
Bem, ao longo de um pouco mais de um ano escrevendo minhas impressões sobre minhas leituras consigo perceber quando e porque escrevo facilmente sobre um livro e quando travo ao expressar minhas opiniões. Quando mergulho fundo em uma leitura e a trama me absorve, me faz vivenciar situações e sensações maravilhosas, é quando eu tenho maior dificuldade em escrever uma resenha. E assim foi com Equinócio – A Primavera da autora nacional Lu Piras. Do começo ao fim do livro me encantei, mergulhei em um universo de fantasia criado para cativar e prender qualquer criatura que tenha um coração batendo, pulsando...

Quero colocar de imediato que a obra, para quem lê com uma visão mais crítica, não só trás o romance e a fantasia, mas também o questionamento. Pode a “Criatura” brincar de “Criador” sem afetar o equilíbrio do Universo e trazer consequências? Será que enxergamos de fato tudo e somente o que vemos? Ou as aparências podem enganar e confundir até mesmo o mais atento humano? E essas questões são pontos que podemos analisar e utilizar no nosso dia à dia.

Equinócio é narrado por Clara. Ela é uma garota de 21 anos, estudante de medicina, filha de um renomado cientista chamado Maurício e de Beatriz que já é falecida, irmã carinhosa e apaixonada de Olívia, amiga da Jéssica, Marcus e Christiane...

Clara seria uma mulher comum, vivenciando suas conquistas, alegrias e tristezas se não fosse a morte de sua mãe e a obsessão de seu pai em encontrar uma fórmula que trouxesse Beatriz de volta a vida.

Maurício coloca em xeque o equilíbrio entre o bem e o mal no Universo quando resolve brincar de Deus. E é assim que Clara conhece o sobrenatural e um mundo fantástico além do que os olhos podem enxergar.

Clara e Maurício possuem mais do que o laço de sangue em comum. Eles possuem o mesmo anjo da guarda, Nath-Aniel, ou simplesmente Nate. E Nate vem a terra para alertar seus protegidos de que forças malignas tentam se apossar das pesquisas do Dr. Maurício.

Nate é um anjo com todo seu brilho, glória, beleza, sensibilidade e bondade. E o que não deveria acontecer, acaba acontecendo. Nate e Clara se apaixonam.

O amor entre Nate e Clara é descrito de forma quase poética pela autora. O desabrochar desse sentimento é perfeito, maravilhoso e complexo, como deve ser. Afinal, se apaixonar por seu anjo da guarda e vivenciar essa relação é muito, mas muito complexo. E acompanhamos não só a beleza e ternura desse amor, mas também a agonia, tanto de Clara quanto de Nate, para vivenciar essa relação.

E é aí a grande sacada da autora. Escreveu um livro maravilhoso, onde um tema já tão batido na literatura se torna uma história diferenciada, poética e equilibrada! Mesclando romance, ciência, angeologia, vida cotidiana e mistério a autora te transporta para o mundo criado em sua imaginação, rico em detalhes e perfeito. E não só o lado da luz é bem descrito, o lado das sombras também.

A narrativa é leve, por vezes engraçada, quando acompanhamos a vida cotidiana de Clara na faculdade e no convívio de seus amigos.

Todas as personagens da trama são bem descritas e bem inseridas no enredo. O leitor consegue sentir um pouco de cada personagem, até mesmo dos personagens chamados de secundários. Temos Christiane, a melhor amiga de Clara e um pouco “patricinha”. Temos Maria, a governanta da casa de Clara, que é muito doce e prestativa, uma verdadeira “mãezona”! Temos Olívia, a irmã de Clara, que é uma pré-adolescente bem madura para a idade e cheia de sonhos. Temos Jéssica e Marcus, que são amigos de Clara e Chris. Temos os chamados “pagões”, que são os alunos esquisitos da faculdade de Clara. Temos o Dr. Maurício, pai de Clara, que apesar dos erros que comete é amor e mais amor para com as filhas. E temos Jonas e Rodrigo, que aparecem na trama por volta da metade do livro. Posso dizer que um deles é um bad boy que conquistou meu coração e que se você gosta do tipo vilão / mocinho com certeza vai se apaixonar por ele também.

Equinócio termina com um gancho fantástico para o segundo volume da série. Irá sobreviver o amor entre Clara e Nate? Irá o bem vencer o mal? Além de uma boa dose de mistério que espero ser desvendado sobre alguns personagens da trama no próximo livro.

Mais do mesmo? Não, definitivamente não! Um legítimo “conto de fadas”, ou melhor, de anjos! Que o leitor vai adorar conhecer, sentir, vivenciar e se apaixonar... Porque é isso que acontece com quem lê Equinócio... Você conhece a trama, os personagens e todo o Universo criado pela Lu Piras. Sente e vivencia cada passagem do livro com cada personagem! E se apaixona... Apaixona-se pelo Nate, pela história de amor dele com a Clara...

Nunca mais você sentirá o cheiro do Jasmim da mesma forma... Ao ler Equinócio você vai acordar pela manhã e se questionar... Será que realmente aquilo foi um sonho? E a sua resposta com certeza vai te surpreender! Fica o convite para essa leitura fascinante! Eu me joguei... Se jogue você também!

http://ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/2012/08/resenha-equinocio-primavera-lu-piras.html
Lu Piras 20/08/2012minha estante
A Gabi se superou nesta resenha. Eu sou suspeitíssima, mas não posso me abster de dizer que se consegui chegar ao coração de um leitor da forma como aconteceu com a Gabi, então Nate cumpriu bem o seu dever nesta história. *-*
Obrigada, Gabi... já te agradeci mil vezes todo o seu carinho e por me lembrar que vale a pena continuar nesta luta.
Beijos,

Lu


Cris Motta 29/09/2012minha estante
Concordo!!! Uma poesia!!! Ameiiiii!!!




Nicole Weiss 25/02/2013

Mais que um romance...
Escrever sobre anjos é surreal. E tem que ser bem feito. Sim, Lu Piras mostrou em Equinócio que não é apenas mais uma escritora de anjos apaixonados. O enredo é detalhado, inteligente, instigante e emocionante. Trata-se de um romance? Sim. Porém, eu acrescentaria um pouco de ficção científica, filosofia e estudo intenso de escrituras apócrifas.
Ana Luísa – Lu Piras – inovou com seu enredo. Se você leu a série Hush Hush, por exemplo, e gostou, prepare-se! Encontrarás em Equinócio algo extremamente superior e inteligente. Odiou Sussurro? Melhor ainda, vai poder comprovar que o talento nacional não pode ser comparado com o que vem de fora, pois está níveis acima dos importados.
Veja bem, não estamos falando de uma obra com um enredo bobinho e vivido por personagens de escola de ensino médio. Descarte essa ideia. Clara é uma jovem adulta em plena faculdade de medicina, prestes a se formar. Porém, como todo começo, essa é uma nova fase de sua vida. Tudo muda de repente, até suas crenças... E, quando Clara imaginou que nada mais poderia surpreendê-la, eis que surge um anjo.
Odeio deixar spoilers em resenhas, mas não posso deixar de mencionar o incrível mundo criado pela autora: Malkuth, o lar dos anjos da guarda. É lá onde tudo se materializa de acordo com a imaginação de Clara. E... não! Não compare com o mundo vivido de Ever, Summerland, do livro Para Sempre – Alyson Nöel. A teoria de Ana Luísa passa longe disso. É mais concreta e chega a ser quase real.
Equinócio não é apenas um livro sobre anjos e humanos, é uma verdadeira aula de angelologia, medicina, criônica, biologia, paisagismo, psicologia e amor. Redundante? Leia para crer.
Falando da escrita, Lu Piras mostrou-se exímia, com um vocabulário rico, termos técnicos que, confesso, pesquisei para saber se estavam corretos. E, sem surpresa alguma, comprovei a veracidade dos mesmos.
Mesmo usando a linguagem coloquial, a autora não se perdeu e permitiu um texto complexo e muito bem escrito. Encontrei alguns erros que costumo chamar de “erros de digitação”. Nesse caso, culpo a editora e o revisor (a). Afinal, esse é o trabalho de ambos.
Como disse anteriormente, Equinócio provou que a sua escritora não apenas sentou-se diante de uma tela, abriu o Word e disse: “Vou escrever um livro”. É notável que houve horas e horas de pesquisas, leituras, aprofundamento e aperfeiçoamento para dominar o assunto. E isso, caros leitores, é mais que admirável, é digno de aplausos.
E o que dizer do título, Equinócio? Há algum tempo, quando terminei a leitura, postei algo no blog sobre o fenômeno “equinócio”. Porém, sinto-me na obrigação de relembrar pontos específicos com fortes argumentos de defesa para os textos da Lu:
Começando pelo título: EQUINÓCIO. Exótico, com uma pronúncia gostosa e instigante. Porém, o que significa equinócio? Tecnicamente, é o período em que o Sol se posiciona sobre a linha do Equador, tornando dias e noites com a mesma duração: exatas doze horas. Tal fenômeno ocorre por volta da primavera aqui no Brasil, setembro. E outra vez em março, a primavera dos países do norte. Portanto, agora fica mais fácil de entender o título e o subtítulo do livro, que é forte e único: Equinócio – a Primavera.

E o que encontraremos em Equinócio? Anjos e humanos, amor entre espécies. Clichê? Piegas? Utopia? De maneira alguma! E dou argumentos para defender o texto da Lu.
Vamos começar com a relação inter-racial. Anjos jamais amariam humanas. Será que não? Certa vez, escutei de um amigo que anjos não foram feitos para amar, pois a própria palavra, em sua essência original – ággelos, do grego – significa ‘mensageiro’. Meu argumento para combater tal idiotice foi tirada da Bíblia cristã. Ora, não estamos falando sobre criaturas divinas? Então vamos combater fogo com fogo: “Quem não amar, não chegou a conhecer a Deus, porque Deus é amor” (1 João 4:8). Logo, temos a resposta: se anjos foram criados por Deus, conheceram o Pai. Sendo assim, eles amam.

E quanto ao fato de anjos envolverem-se com fêmeas humanas? Então, entramos agora em um assunto polêmico. Porém, ainda assim, tiro o argumento de um livro sagrado, encontrado no Pentateuco da Torah, livro Bereshit, conhecido pelos cristãos como Gênesis, no capítulo 6 e verso 4. Vamos conferir?
“Então, os filhos de Deus (anjos) vieram a notar as filhas dos homens... e foram tomar para si esposas...”
Creio que esse trecho dispensa explicações.
Outro ponto polêmico é o que gera divisão grande de opiniões. Conversei com amigos cristãos e perguntei se acreditavam que cada pessoa tinha seu anjo da guarda. Com o resultado equilibrado, tive 6 votos para o não e 5 para o sim. Na minha própria opinião, meu voto iria para o sim, cada pessoa tem um anjo da guarda. Entretanto, como estudante de jornalismo, não me conformo com opiniões, então, busco fatos. E, para convencer cristãos, nada melhor que usar seu próprio livro. Foi em Revelação (Apokálypsis) capítulo 5 e verso 11, que encontrei a resposta:
“Ouvi vozes de muitos anjos em torno do trono... e o número deles era miríades de miríades de milhares de milhares”.
Veja bem: miríades de miríades! Tudo bem, o que isso significa? Um valor de origem grega, significa dez mil. Portanto, temos dez mil vezes dez mil. Só nessa operação, temos um resultado de nove dígitos: cem milhões. Agora, use a lógica: cem milhões de milhares de milhares... Na terra tem cerca de 7 bilhões de habitantes. Creio que a quantidade de anjos é mais que suficiente para proteger cada ser humano, sobrando muitos deles para o exército celestial. Isso sem contar os arcanjos, querubins, ofanins...
Clara e Nate é o casal da estória. Clara tem seu próprio anjo da guarda. Posso parecer ridícula ou louca, mas não há conto sobrenatural mais real para mim que Equinócio.
Leitura recomendada!
comentários(0)comente



Brubs - @oquebrubstalendo 11/01/2013

Minha Opinião: Equinócio
Fonte: http://contodeumlivro.blogspot.com.br/2012/11/minha-opiniao-equinocio-primavera.html

Bom, o que dizer desse livro?

Estava ansiosa pela leitura desde o momento que foi lançado, daí fiquei sabendo desse Book Tour e me inscrevi, houve uma desistência e me escolheram, fiquei toda alegre e saltitante pela espera do livro. Assim, que chegou já peguei para ler e fui com muita sede ao pote, o livro não me atraiu. Decepção Total!!

Calma! Calma! O livro não é ruim, mais aconteceu que eu tinha acabado de ler Cilada de Harlan Coben e por ser um livro investigativo e tals, senti falta de uma escrita "pesada/forte" dai minha decepção com o livro.

Equinócio foi me ganhando com o tempo, na verdade me prendeu no final e fiquei olhando pro livro procurando o resto das páginas. Tem uma leitura gostosa e de fácil entendimento. Apesar que eu demorei para sentir a leitura, fui me rastejando até o final do livro, lendo de pouquinho em pouquinho, mais eu gostei da ideia da Lu Piras de misturar anjos, humanos e a fórmula da perpetuação da vida humana. Tipo quando eu li essa parte no livro fiquei pensando: Pronto agora deu, vai ter gente querendo se tornar Deus. E querendo ou não isso acontece todos dias, algum cientista maluco igual ao pai de Clara quer tentar entender a vida e a morte. Pensando nisso, esta ai o ponto que faltou no livro, explicar mais sobre essa fórmula que o pai de Clara inventou, ficou no ar, o ponto central do livro foi a paixão de Clara e Nate, chegou a ser chato demais, eu me irritei com esse amor. Espero que no próximo livro fale mais sobre a fórmula. Sim, isso mesmo, nem eu sabia que era uma série, O próximo livro se chamara: Polaris - O Norte, não sei quando vai ser o lançamento, estou ansiosa pelo próximo livro e acredito eu, será melhor, assim espero.

Ah!! Já estava esquecendo. Editora Dracaena tem dar uma dura nos revisores, porque tem alguns errinhos graves que me incomodaram. Apesar desses errinhos a Editora esta de parabéns pela diagramação do livro. Perfeita!!

Mesmo eu não tendo curtido o livro, tenho que assumir que Equinócio é um livro doce e bem a cara da Lu Piras, acredito eu que se eu não tivesse lido Coben antes eu teria gostado muito mais do livro. Pretendo reler e tirar essa expressão que tive do livro :) Indico a leitura.
Laura Malatesta 26/01/2013minha estante
Concordo plenamente quanto aos revisores!




Yorsh 13/09/2012

Primeiro Romance brasileiro sobre anjos que li...
Antes de mais nada é preciso salientar como o assunto anjo vem sendo amplamente usado tanto no território internacional, quanto no nacional. Por isso, assim como os romances sobre vampiros, é preciso ter cada vez mais criatividade pra se apresentar uma história que não fique na "mesmice"

Felizmente, é esse tipo de criatividade que consegui encontrar com Equinócio: A Primavera.
A história mistura sobrenatural com ficção científica de uma forma bem interessante. Lu Piras não se prendeu apenas nas cenas de amor (apesar de elas estarem presentes, como em todo bom livro do gênero), mas também em conflitos interessantes e mistérios que nos fazem querer o próximo volume o mais breve possível!

É o tipo do livro que nos faz questionarmos quanto até onde é ético interferir na vida humana, além, é claro, sobre o qual inseguro é uma paixão por algo sobrenatural...

Recomendo a leitura, aguardo o lançamento da continuação da saga!
Lu Piras 26/09/2012minha estante
Obrigada, Allan!

Super objetivo na sua opinião! Adorei como você resumiu a sua experiência. :)
Fico muito feliz que tenha gostado!
Beijos,

Lu




Evan 05/01/2013

Muito além das expectativas
Para falar sobre Equinócio, livro de estréia e o primeiro de uma trilogia de minha colega Lú Piras, não vou entrar em detalhes sobre a história em si, pois para isso já existe uma sinopse bem explicada. Então, vamos direto para minha opinião sobre o livro. Antes, porém, se faz necessário que eu fale sobre meu gosto literário como leitor. Leio e aprecio de tudo, principalmente quando o assunto é literatura nacional. Mas, confesso ter uma caída pelo sobrenatural e o fantástico, principalmente por histórias e contos vampirescos que são os meus favoritos desde a mais tenra idade. E neste quesito, os principais autores que mais aprecio são estrangeiros, como Edgar Alan Poe; H.P. Lovecraft; Stephen King, entre outros. Meu maior sonho, é que tenhamos também aqui no Brasil um time de peso de histórias fantásticas. Não que já não tenhamos execelentes autores, apenas ainda não temos tradição . Devo confessar também, que quando o assunto é sobre anjos, fico completamente com o pé atrás. Na infância, a idéia que fazia de uma boa história sobre alguma coisa parecida com anjos, eram as histórias sobre o Gavião Negro, Ìcaro, o homem-alado de Barbarella (sim, eu assisti quando tinha 14anos) ou como o homem-alado de “ Brazil, o filme”. Além disso, como escrevi em meu livro, gostava de admirar a figura dos anjos nas lápides dos cemitérios e vitrais das igrejas. Eles sempre exerceram em mim um fascínio, por sua áurea misteriosa. Mas, fugia das poucas histórias sobre figuras angelicais, geralmente por conta do conteúdo religioso ou meloso em demasia. Foi com o peso dessa bagagem de experiências passadas, fundadas na mais completa aversão ao tema, que li Equinócio.
A primeira coisa que me impressionou na leitura, foi o estilo, limpo, elegante, explicado, minucioso e detalhado usado pela Lú. A história, apesar de ser um conto fantástico, está bem dosada e verossímil e mesmo abordando uma história de amor entre uma garota e um anjo, não é piegas em nenhum momento. Para que não digam que sou todo elogios, porque a Lú é minha minha colega e fazemos parte de um mesmo grupo; devo dizer que meu chato olho crítico de leitor (quem me dera que esse mesmo olho tivesse a mesma serventia quando sou eu quem escrevo...), olhou torto em vários momentos de indecisão da Clara em relação ao Nate. Porque que é que na hora “H”, em que ele vai fazer exatamente aquilo que ela deseja, ela dá para trás? Ou faz exatamente o contrário do que é esperado, por tudo que passou e experimentou com Nate e cede as chantagens de Wotan ? E a polícia fecharia realmente um caso de sequestro com as explicações esfarrapadas dadas pelo pai de Clara? Mas, isso são coisas insignificantes, que esse meu olho crítico teima em ficar cutucando, como aquelas pessoas que procuram chifres em cabeças de cavalo; e que não desmerecem em nada a obra como um todo. A história está repleta de ação, aventura, romance. Tem todos os ingredientes de uma dessas séries televisivas atuais e me fez sentir como se estivesse assistindo algo como: TrueBlood, Vampire Diares, Grey’s anatomy entre outras ; isto por falta de alguma série interessante com o memso tema que se houver , não assisti ainda. E o melhor de tudo, é uma história passada no Brasil, com persongens brasileiros. O que vem comprovar que nosso páis não fica a dever em nada a outros lugares e tem ambientes e paisagens excelentes para qualquer tipo de história.
Apesar de ser uma escritora estreante, Lú Piras deu um show nesse seu primeiro trabalho e a minha nota para Equinócio só poderia ser cinco estrelas. A literatura nacional vem ganhando a cada dia novos reforços de gente muita capacitada, e Lú Piras surge nesse novo universo da literatura nacional como um talento de peso. Vamos apoiar a nossa literatura.
Aproveito a resenha também para falar da minha surpresa como ótima diagramação digital de Equinócio. Quando vi meu livro na primeira versão digital no Brasil há algum tempo, não gostei, achei muito mal-feita, se tratava apenas de um conversão da versão impressa para PDF e depois Epub. Mas agora, com novos horizontes surgindo no mercado literário, foi uma surpresa agradável ver em Equinócio, que a Editora Dracaena começou a ver de forma estratégica essa nova forma de publicação que com certeza será a linha de frente nas publicações em um futuro não muito distante. Para finalizar, indico Equinócio como uma leitura altamente recomendada, mesmo para quem tem aversão como eu, a temas que envolvem anjos e afins. Você ira´se surpreender.
Lu Piras 06/01/2013minha estante
Evandro,

Fiquei muito feliz quando me disse que leria Equinócio e, confesso, um pouco preocupada. Justamente por já saber das suas preferências literárias e que o tema "anjos" não se encontra entre elas. Eu não costumo restringir o público de Equinócio, tampouco rotular os leitores de sobrenatural (em especial, pois são mais exigentes!) justamente pelo que você tão bem desenvolveu em sua resenha. Um livro pode sempre nos surpreender, seja o tema que for, contanto que o estilo e as técnicas narrativas sejam eficazes para arrastar o leitor para dentro da história a ponto de que, mesmo que em algum momento considere a história mediana ou enfadonha, terá sempre curiosidade e um apelo para chegar ao final. Se um livro consegue prender o leitor, consegue captar a sua atenção não só pelo tema em si mas pelos meandros da história e da narrativa, então, o autor conseguiu seu objetivo.
Fico feliz que Equinócio o tenha cativado, que você tenha ultrapassado essa barreira inicial erguida em desfavor da literatura de anjos. :)

Sobre os pontos críticos que levantou (e o autor está sempre preparado para eles, você sabe, rsrs!):

É a protagonista que faz a história acontecer. É a partir dela e em torno dela que tudo acontece (afinal, no caso de Equinócio, a história é contada sob o seu ponto de vista) e, sendo assim, suas atitudes deverão sempre esperar uma aceitação do leitor que tentará se imaginar em seu lugar e a julgará. Sendo este romance o primeiro de uma série, ainda mais razão há, para que as atitudes da Clara nem sempre caminhem para a resolução pacífica da história. Existem consequências em tudo o que o protagonista vê, ouve, faz, sente. E a Clara é como cada um de nós. Oscilante, indecisa, incoerente algumas vezes consigo mesma. E uma situação inusitada como ela vive (de se apaixonar pelo seu anjo da guarda), é complicado exigir dela que seja sempre segura em relação às suas decisões. As implicações estão sempre mudando e ela está sempre descobrindo algo novo. Isso é o bom do sobrenatural. As situações que criamos enquanto escrevemos podem nos levar a muitas possibilidades, nossos personagens podem nos arrastar em muitas direções. E, ao mesmo tempo, é preciso manter sempre o foco. Eu optei por tornar a Clara uma garota o mais normal possível, de quem se espera (aos vinte anos) certas atitudes e que nos surpreenda em outras.

***
ATENÇÃO PARA O SPOILER A SEGUIR (só leia se leu o livro):

Quanto a questão de a polícia ter encerrado as investigações do desaparecimento de Chevallier, cabe uma observação que me sinto na obrigação não só como autora, mas também como advogada, de fazer: o arquivamento do caso deveu-se ao único fato de não haver provas do sequestro. Sem provas, o juiz manda arquivar e pronto. Não tem jeito. As declarações do Maurício em depoimento apenas servem de registro no processo (e para acalmar a mídia, já que é uma figura com algum prestígio público), pois em nada mudaria o curso do mesmo. As explicações de Chevallier visavam acalmar a mídia e não convencer a polícia, portanto. :)

Suas observações são muito pertinentes. Não se trata de procurar chifre em cabeça de cavalo, não. Está certíssimo, Evandro e fez muito bem em referi-las, pois percebi que leu a história com um olhar atento e que a avaliou sob vários aspectos. Essa troca entre leitor e escritor é muito enriquecedora e eu sei que como eu, você a valoriza muito também.

***

Muito obrigada por mergulhar nesse universo dos anjos em Equinócio e por permitir-se conhecê-lo e entendê-lo. Muito obrigada por suas palavras que, vindo de um escritor que admiro, são de grande incentivo para mim.

Que em 2013 elevemos a nossa literatura nacional a mais altos patamares, nos quais merece estar. Pois nós temos excelentes escritores apenas a espera de oportunidade para mostrarem o seu trabalho. Estamos mudando o cenário preconceituoso que existe e, para isso, acredito que o caminho seja a união entre os escritores e essa divulgação maciça que estamos fazendo nas redes sociais.
É uma honra e motivo de muito orgulho para mim, ser sua colega de editora e lutar ao seu lado por um Brasil com mais literatura e que seja visto no exterior como um país que valoriza a sua cultura, um país de grandes escritores.

Um beijo,

Lu




Nanda 13/07/2012

Uma leitura tocante, de todas as formas possíveis
Tocante de todas as formas possíveis, é assim que eu posso definir Equinócio. Mais do que um livro falando sobre amores impossíveis e proibidos, Equinócio consegue te emocionar, com uma leitura envolvente e cheia de detalhes que só enriquecem a obra maravilhosa escrita pela Lu Piras. Equinócio é, de longe, um dos melhores livros que eu li nesse ano (e não gente, não estou puxando saco da Lu Piras porque ela é parceira do blog, o livro é realmente muito bom).

Tendo o Rio de Janeiro como cenário, Lu nos apresenta toda uma nova visão da cidade maravilhosa, nos fazendo visualizar exatamente as cenas e os personagens. Eu me apaixonei pela história e pelos personagens, super bem escritos e bem desenvolvidos. Logo de cara já dá para perceber que Clara é uma pessoa super altruísta, que pode estar passando pelo problema que for, mas sempre está lá para ajudar quem precisar, sendo seu amigo ou não. Olívia, irmã de Clara, foi a personagem que mais me cativou durante a leitura, com sua inocência e sua curiosidade sobre o céu e as estrelas, eu me identifiquei com a personagem (claro que não na idade que eu estou, mas quando eu tinha a idade dela eu era muito parecida).

E quem nunca teve uma amiga espalhafatosa com Christiane que atire a primeira pedra, gostei muito da forma como ela foi apresentada e me diverti muito com as cenas protagonizadas por ela. O grupo de amigos da Clara me pareceu daqueles bem unidos, do tipo que se uma pessoa se machucar, o resto está lá para proteger, é um ótimo exemplo de amizade verdadeira que Lu nos mostra.

A forma como Lu nos apresenta Nate é simplesmente divina, envolvendo sonhos, misticismo e amor. Realmente não tem como não se apaixonar por Nate e seu jeito carinhoso e doce. Mesmo sendo um amor (quase) impossível, o livro nos faz torcer pelos personagens, desejando que eles consigam viver seu amor em plenitude. Os quotes entre Clara e Nate são perfeitos, e exprimem bem o sentimento de querer e não poder ter, coisa que eu tenho quase certeza que todo mundo já passou.

"É como eu vejo você. Como o equinócio, a tenuíssima linha imaginária que separa o dia e a noite em partes iguais. [...] O instante em que isso acontece e os astros se zuam, é aquele em que você decide ser quem é."

Mas não é só de amor proibido que se trata Equinócio, o tema central mesmo é a criônica, uma forma de manter um corpo já sem vida, com o intuito de no futuro, quando se descobrir a cura de doenças como câncer, essa vida seja retomada. E é onde conhecemos o pai de Clara, o cientista Maurício Chevalier, que está desenvolvendo uma forma de retomar a vida de sua esposa que faleceu de câncer. O impulso inicial de toda história começa com a criônica, despertando a curiosidade dos renegados (anjos caídos) que pretendem usar essa descoberta para derrotar o criador.

Quando os renegados foram apresentados, confesso que senti calafrios pela forma detalhada que Lu os descreveu, e eu com a minha imaginação nada fértil consegui imaginá-los muito bem. Por outro lado, também existe a legião dos anjos celestiais, os quais eu consegui imaginar perfeitamente com a descrição de Lu.

É importante ressaltar a forma como Lu apresentou os cenários, personagens e toda história de uma forma cheia de detalhes, que ainda assim não fica entediante, e não nos deixa parar de ler, a autora realmente soube usar os detalhes de cada a cena em favor da história, coisa que poucos escritores (na minha opinião) conseguem. E eu realmente adorei que no início de alguns capítulos tem um quote de autores como Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector e até mesmo da Bíblia.

Outro personagens são apresentados de início como secundários, mas depois a sua importância é revelada, como Jonas e os pagãos. Jonas foi o personagem que mais me deixou intrigada, não só pelo jeito (muitas vezes arrogante) mas por suas atitudes contraditórias e a forma como Nate se refere a ele. Os pagãos, que são um grupo de três pessoas com nomes estranho, sendo eles: Wotan, Ahriman e Lugh, são ainda mais intrigantes e quando é revelado quem eles são realmente confesso que me choquei.

A parte do livro que mais me emocionou (e que me fez chorar, admito) foi a parte em que faz uma visita a sua memórias ao se lembrar de seus pais, principalmente de sua mãe, suas lembranças de sua mãe me remeteram a minha infância, e incrivelmente me lembraram de minha avó já falecida.

"Ficava ao seu lado nesta cama, enquanto lia histórias da carochinha e eu adormecia nos seus braços já fracos, sonhando com reinos longínquos, príncipes e princesas encantados."

Os sonhos de Clara são muito importantes, sendo revelados como uma das únicas formas de comunicação entre ela e Nate, e todas as partes em que ela sonha são perfeitas, tendo de início como ela conhece Nate. Eu adorei a referência musical aos Paralamas do Sucesso e a música Lanterna dos Afogados, deu total ênfase ao momento e caiu perfeitamente com o que se passava.

Equinócio, como eu disse de início, é um livro tocante. Eu devorei o livro, e quando dei por mim estava quase no final, daí fui desacelerando a leitura porque ao mesmo tempo que eu queria saber o desfecho da histórias, não queria que acabasse. A leitura é agradável, prende a sua atenção até o fim e merece total atenção. Lu desenvolveu muito bem a história, cruzou elementos bíblicos, com amor proibido, amizade e família de uma forma extremamente bela. Equinócio é sem dúvida um livro excelente, e apenas o início de uma trilogia que promete ser muito boa. O final do livro ainda nos traz um bônus do próximo livro da série, e eu fiquei me coçando para saber, então Lu, lança logo o próximo livro, por favor!

http://entrelinhascasuais.blogspot.com/2012/07/resenha-equinocio-primavera.html
Lu Piras 13/07/2012minha estante
Que resenha espetacular foi essa, Nandinha?
Estou escrevendo e enxugando as lágrimas aqui...
Até agora já li resenhas excelentes de Equinócio, mas ninguém ainda tinha apresentado uma visão tão aprofundada da história, ninguém ainda me transmitiu o sentimento do leitor como você fez agora. É tão importante para o escritor e é tão interessante saber o alcance da sua obra, que eu posso ler e ler a sua resenha, analisá-la e fazer um estudo sobre ela! :D
Obrigada, Nandinha. Primeiro, pelo seu interesse na história. Segundo, por ter criado o primeiro Booktour de Equinócio (isso ficou para os anais da história!) e, em terceiro (valendo por mil agradecimentos) pela sua sincera opinião.
Se depender de respostas positivas como a sua, o próximo volume não vai demorar! Prontinho, ele já está. :)
Beijocas!
Lu


Nanda 13/07/2012minha estante
Obrigada pelos elogios Lu, eu tive um esforço tremendo para escrever a resenha e não revelar nenhum spoiler.
Morrendo de curiosidade por Polaris - Norte!
Obrigada pelo confiança no blog e em mim.
Mil beijos!


Nanda 17/07/2012minha estante
ai agora quero ler esse livro !!!!!!


Nanda 18/07/2012minha estante
Oi Nanda!
Lê sim, Equinócio é muito bom, super recomendado!


Nanda 19/08/2012minha estante
Originalmente postada em: http://www.entrelinhascasuais.com/2012/07/resenha-equinocio-primavera.html




Tribo do Livro 24/08/2012

Resenha por Gio Vaz

A palavra que me vem à mente em relação a esse livro é "delicadeza". Ela está presente em todos os aspectos: seja na história, seja na forma de escrita da autora carioca Lu Piras e até no projeto gráfico do livro (que a área da qual melhor entendo como designer) na belíssima capa e escolha na tipografia para as capitulares de abertura.

Equinócio – a primavera, nos introduz ao mundo dos anjos com tanta riqueza de informação que você se esquece que trata-se de ficção. E é um livro de introdução mesmo, pois é o primeiro volume de uma série (os títulos dos próximos são: Polaris – o Norte; Renascer – o Sol e Missão – o Futuro), então se deve estar ciente de que muitos assuntos vão ser apresentados e não serão concluídos nesse momento.

Clara, uma estudante de medicina e a personagem principal, só tem clareza no nome. Está confusa, passa por episódios de insegurança e vulnerabilidade, características presentes em qualquer ser humanos. E estão aí para contrastar com Nate, um anjo que ela julga um ser perfeito. Na verdade, é a figura divina Nate que trás a tona essa fragilidade nela.

A história se passa na cidade do Rio de Janeiro. É muito interessante, pelo fato de ser onde moro, pois traz ainda mais veracidade quando reconheço cada local descrito. O que reforça a sensação de fidelidade também na descrição do mundo dos anjos, como disse anteriormente.

Lu Piras traz muitos elementos ricos ao enredo juntando dois universos bem distintos: o científico e o espiritual. Coloca lado a lado o conhecimento e o desconhecido. Questiona até onde o ser humano pode interferir na própria existência. Temos o livre-arbítrio? Ou o perdemos quando colocamos em risco o equilíbrio do Universo?

Um detalhe me incomoda no livro: ser narrado em primeira pessoa. Lu Piras se sai muito bem. Porém, minha opinião, quando escrito em terceira pessoa a história ganha mais liberdade, pode-se explorar outras visões e não ficamos presos na mente de uma só personagem. Ao final do livro, como é comum em livros de séries, a autora nos dá um gostinho do que virá no próximo e parece que nesse a narração não é em primeira pessoa :)

Talvez a palavra “delicadeza” que utilizei seja na verdade “carinho”, não há como negar a sua presença. Está no amor entre Clara e Nate, está na relação do principal núcleo familiar, nos ciclos de amizade e principalmente, nas escolhas das palavras da autora.

Convido-os a entrar nesse sonho e acordar sem saber o que é real.
Lu Piras 27/08/2012minha estante
Olá, Gio e Verônica!

Muito obrigada pela resenha lindíssima! Só mesmo alguém com muita sensibilidade para resumir tão bem Equinócio numa só palavra! Gio, tenha certeza que usarei essa definição em minhas palestras sobre o livro por aí!




[email protected] 30/05/2020

Equinócio.
Fui a livraria pra comprar qualquer coisa que fosse, escolhi esse. É um daqueles romances água com açúcar, mas é o melhor dos xaropes. Pelo menos pra mim, na época, a atmosfera um tanto simbolista que a autora quis criar realmente deu certo. O batido romance com o anjo da guarda fica mais interessante com a Medicina, o Rio de Janeiro e a Criônoca.
comentários(0)comente



Kezia 23/07/2012

Equinócio: A Primavera de Lu Piras
http://fulana-rosada.blogspot.com.br/2012/07/resenha-equinocio-primavera-de-lu-piras.html

Como algo que parece tão certo pode ser errado?
Essa é a pergunta que me fiz durante toda a leitura. Um amor tão puro como o de Clara e Nate, pode ser errado? Mas, antes, vamos começar do início.

Clara é uma jovem estudante de medicina, moradora do Rio de Janeiro, minha Cidade Maravilhosa. Vive com sua irmã Olívia; uma menina adorável, doce e cativante, apaixonada pelas estrelas. O pai Maurício; um renomado cientista inconformado com a morte da esposa. E a governanta Maria; gentil, amorosa e com cheirinho de mãe. Clara leva sua vida cotidiana como qualquer carioca, até que o seu pai desaparece misteriosamente.

No decorrer da trama, Clara descobre que o desaparecimento de seu pai, não é mera obra do acaso. É quando seu anjo da guarda Nath-Aniel (Nate) entra em sua vida e muda seu mundo completamente.
Maurício nunca se conformou com a morte da esposa e durante anos tentou criar uma forma de trazê-la de volta. Quando finalmente estava perto de obter êxito na fórmula da perpetuação da vida humana (criônica), Nate aparece alertá-lo a não ir contra a ordem natural, dos perigos envolvidos, pois isso resultaria na destruição da humanidade. E esse é o objetivo dos renegados (anjos caídos) que o sequestram e o obrigam a terminar a experiência.

Com todos os recentes acontecimentos sobrenaturais, Clara tenta aparentar viver normalmente, pois não quer envolver seus amigos nos perigos que cercam sua vida.
Uma das infinitas qualidades da Clara, proteger os amigos. Por mais que queira compartilhar seus anseios com sua melhor amiga, a sempre carismática, exuberante e nada modesta Christiane, ela retém tudo para si, para proteger a amiga. E ainda consegue acompanhar Chris nos preparativos do seu casamento com Gustavo. A avoada Jéssica e seu namorado, o misterioso Marcus, fecham o grupo de amigos, tão unidos como uma família.

Outros personagens recheiam esse romance. Temos os três esquisitos, os pagãos, como seus “colegas” de faculdade os chamam. Wotan, Ahriman e Lug. Com o tempo, Clara percebe a origem dessa esquisitice.
Jonas o caubói do asfalto, no melhor estilo James Dean, é o amigo; ou deveria dizer inimigo?; de infância da Clara. Ele é filho do dono do famoso laboratório no qual o pai de Clara trabalha. Jonas é o típico arruaceiro que, aparentemente, não se importa com nada, aparentemente. E Rodrigo, irmão de Marcus, que é inimigo declarado de Jonas. Ambos envoltos em mistérios, que estou ansiosa para desvendar no próximo livro da Lu.

E em meio a toda essa turbulência o amor de Clara e Nate vai se intensificando a ponto de nenhum dos dois poder, nem querer, negar esse amor. Mas eles não podem viver esse amor de forma plena, pois Nate é um anjo e seus encontros, praticamente, só acontecem em sonhos. Os sonhos mais perfeitos e lindos que alguém poderia sonhar. Praia, céu e estrelas são as testemunhas desse amor.
A cada sonho eu sonhava e a cada despedida eu chorava. E até agora a pergunta de Clara rodeia meus pensamentos.
“Quanto de tempo pode caber numa despedida? E quanto de saudade?”.

Há um único meio de Clara e Nate ficarem juntos. Mas essa decisão tem um preço alto, muito alto. Enquanto espero pela decisão no próximo livro, fico ouvindo as sábias palavras de Josh Groban na música Let me fall, e espero que a Clara também as ouça.

Equinócio entrou para a lista dos meus livros favoritos. Um romance açucarado, sim, mas sem melodramas. A Lu soube explorar muito bem todos os temas expostos no livro. Não se perdeu entre o natural e o sobrenatural, mas soube balancear esplendidamente os dois. Equinócio é o início de uma série que venho para ganhar seus corações e habitar para sempre em seus sonhos.

Há coisas que eu não poderia deixar de elogiar, como a capa belíssima, a escolha da fonte, a pena no início de cada capítulo e as inúmeras citações literárias e musicais. São pequenos mimos que fazem a diferença. Mostram todo o cuidado e dedicação para nos presentear com uma obra que encante não só os nossos corações, mas também os olhos.

E não poderia deixar de agradecer a Lu por me proporcionar sonhar esse sonho. Por todo o carinho que ele tem por nós, leitores. Meu livro e marcador autografados que eu vou guardar com muito carinho e daqui a algum tempo, vou me sentar no Arpoador lendo o livro, olhando para o Cristo e sonhando com o Nate.

Uma dica para quando forem ler, entrem no site da Lu e escutem a playlist. Sim, faz toda a diferença *-*

E mais uma coisa. Jasmim virou minha flor preferida ;)
Lu Piras 24/07/2012minha estante
Que resenha lindaaaaa, Kezia! Você me levou às lágrimas por toda a envolvência que refletiu na sua resenha. Eu pude sentir que você realmente viveu a história, que conhece a Clara (vocês agora são melhores amigas praticamente, hehe!) e que o mundo dela se tornou o seu mundo! Quando um escritor alcança isso, é incrível!
Obrigada por ouvir a playlist, por sentir o aroma do jasmim e incorporá-lo à sua vida, por criar a ambiência da leitura, enfim... por sonhar o meu sonho. Infinitamente, obrigada. *-*
Beijocas,

Lu


Kezia 24/07/2012minha estante
Eu fico muuito feliz que tenha gostado. E eu é que agradeço por ter me proporcionado essa história linda, por me fazer sonhar.
Muito sucesso para ti, que Equinócio lhe renda muitos frutos e que mais pessoas se sintam tocadas pela história, assim como eu.
Beijos!




Bianquinha 29/09/2012

Clara,18 anos, estudante de medicina,filha de Maurício Chevallier mora com sua irmã Olívia de 11 anos e Maria a governanta e esteio do lar após a morte de sua mãe Beatriz.

Seu pai um médico brilhante após a morte de sua esposa se dedica a criar uma fórmula para trazê-la de volta,mas ele é sequestrado por forças que querem destruir a raça humana,os Renegados,mas Clara tem um aliado sobrenatural na busca de seu pai,Nate,um anjo enviado para protegê-la,mas ele desperta nela sentimentos muitos mais fortes do que os de proteção.

Clara é uma jovem comum,cursando a faculdade,com amigos e uma família de classe média,muito unida a irmã e a Maria,mas o relacionamento com seu pai está um pouco estremecido desde que ela tinha 15 anos,quando ele revelou a ela sua ideia de trazer a esposa de volta através de um processo chamado Criônica,depois dessa conversa eles se distanciaram,mas se amavam muito e quando seu pai some sem deixar vestígios,seu mundo vira de cabeça para baixo,pois ela se vê sozinha com sua irmã e as duas acham que precisam fazer algo para encontrar o seu pai,então Nate aparece para ela,um anjo da guarda lindo,que cheira a jasmim para guiá-la e protegê-la nesta missão.

Mas Clara não consegue refrear os seus sentimentos por Nate,tenta levar uma vida normal enquanto procura pelo pai,mas seu anjo,começa a ocupar grande parte de seus pensamentos e sonhos e mesmo nessa situação de sofrimento e aflição ela se apaixona por ele.

Nate tem que ajudar Clara a encontrar seu pai e corrigir o grande erro que ele estava cometendo com o projeto de criogenia,pois os Renegados querem a fórmula,e após essa missão ele precisa decidir o que é mais importante para ele,ser um anjo ou o que sente por Clara.

Gostei da história e do romance de Clara e Nate, e entendo a obsessão de Maurício em trazer de volta a pessoa amada que perdeu,por não conseguir viver sem ela,mas a narrativa é lenta em alguns pontos o que tornou a leitura um pouco enfadonha em alguns capítulos,mas os amantes de um bom romance ficarão satisfeitos com o livro e principalmente com o final.
Lu Piras 28/10/2012minha estante
Oi Biazinha!

Obrigada pela resenha! Sim, Equinócio é para os amantes de um bom romance, rsrsrs. Acredito que Polaris surpreenderá você. :)




Jéssica 06/02/2013

O livro conta a estória de Clara.Uma jovem universitária que tem uma vida tranquila e modéstia,apesar de ter perdido sua mãe ainda criança.Ela mora com seu pai,irmã mais nova e uma empregada que cuida de toda a família com muito amor.

Eles tem uma vida feliz a medida do possível.O pai das meninas,Mauricio Chevallier - um cientista renomado - ainda não se recuperou da perda da mulher e tem uma tristeza inconsolável dentro de si.

Clara passa a sonha com um homem estranho e misterioso, que também é muito sexy.E ela acaba descobrindo que esse homem se chama Nath-Aniel,ou melhor Nate,na verdade é o seu anjo da guarda.Ele tem o dever de sempre a proteger e Clara no começo se sente louca por conversar com um anjo,mas a relação deles passa a ser mais íntima e logo Clara percebe que seus sentimentos por ele é mais profundo do que imagina.

Além de todas essas questões, Clara descobre ,através de Nate, que sua família corre perigo, e isso tudo porque seu pai está realizando uma pesquisa sobre a criônica.
Criônica: é o processo de preservação em baixas temperaturas de humanos e outros animais que não podem mais ser mantidos vivos pela medicina contemporânea, na esperança de que a cura e reanimação sejam possíveis no futuro. FONTE
Esse processo está causando um risco para a sociedade e os anjos celestiais não estão nada satisfeitos com isso,porque essa fórmula pode trazer o desiquilíbrio da vida e os anjos renegados estão gostando dessa pesquisa,pois poderão usá-las a seus benefícios.

Diante de tantos perigos, Clara e Nate tem que afugentar os sentimentos que sentem,porque essas emoções são erradas e perigosas,já que ele é um anjo e ela uma mera humana.

Um livro que aborda o sobrenatural,o romance,as traições,os medos e as descobertas sobre si mesmo.A autora traz uma narrativa leve,onde possui muitos detalhes, o que me alegrou,já que gosto disso.

A diagramação do livro está ótima e bonita.Equinócio é uma série e estou ansiosa pela continuação.

Quotes:

“Você não deve se esconder de mim e de si mesmo por mim. Somos todos parte do equilíbrio, Nate. Todos temos um equinócio dentro de nós. Há uma proporção entre o que somos e o que pensamos ser. Eu sei o que você é para mim e sei que é o mesmo que você pensa que não é.”
"Nunca estive tão segura e ao mesmo tempo nunca me senti tão insegura. Para que eu alcance o inatingível e possa provar aos meus sentidos que amar o sobrenatural é natural, Nate precisa amanhecer um lado para que o outro anoiteça. Eu preciso ver o homem que se eclipsa na sombra do anjo"(Clara Abravanel Chevallier)

BLOG LEITORA SEMPRE http://leitorasempre.blogspot.com.br/2012/12/resenha-equinocio-primavera-lu-piras.html
comentários(0)comente



49 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4