Palavras Para Desatar Nós

Palavras Para Desatar Nós Rubem Alves




Resenhas - Palavras para desatar nós


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Beatriz 25/11/2020

Encantador
Retrata todas as coisas da vida que são simples e que muitas vezes passam despercebidos por nós. Leve de ler e encantador, muitas vezes me senti como uma amiga do autor. Me tocou profundamente. Recomendo!
comentários(0)comente



@livrosdajan 13/11/2020

Rubem Alves foi pastor, professor, psicanalista. E depois dos 30 anos, escritor. Suas crônicas refletem suas vivências por universos tão diferentes e, cheias de metáforas, nos fazem refletir sobre diversas questões humanas : fé, morte, inveja, depressão, solidão, esperança, amizade, beleza. Seus livros são "livroterapias", para ler e digerir devagarzinho.

"Textos de fazer pensar são alimento para a inteligência. É preciso lê-los como quem come: devagar, ruminando, para que a inteligência tenha tempo de mastiga-los e digeri-los. Quando isso ocorre, acontece com eles o que acontece com a comida: a comida é assimilada, passa a fazer parte do nosso corpo. Se a comida não for assimilada, ela é vomitada. O texto também. Esquecer é o jeito que o corpo tem de vomitar... Textos de fazer sentir são alimento para a alma. Eles trazem alegria! E quando a gente sente alegria está experimentando aquilo para que fomos criados".
°°° 13/11/2020minha estante
O Rubem Alves é fantástico, a leitura de seus livros é um banquete a inteligência.




HeLe 08/05/2017

O livro é composto por 47 crônicas, copiladas da vasta obra do autor e reunidas neste livro.

O autor atenta-nos ao jeito de ler. Compara o livro com aquelas orientações "Modo de usar”" em bulas de remédios. O uso incorreto pode causar danos à saúde, assim "o poder das palavras não está nelas mesmas. Está no jeito como as lemos. Tarefa difícil, que devemos aprender. É preciso ler com todo o corpo, não só com os olhos e intelecto. Um mesmo livro pode ser lido como o barulho de uma serra ou como o som de uma canção. Como disse o filósofo dinamarquês Kierkegaard, o poder mágico das palavras não se encontra no que elas dizem, mas no “como” são ditas."


Rubem escreve textos que nos fazem pensar e questionar. Suas crônicas são "alimento para a inteligência. É preciso lê-los como quem come: devagar, ruminando, para que a Inteligência tenha tempo de mastiga-los e digeri-los."” Sua proposta é questionar vários assuntos sob a perspectiva da literatura, filosofia, religião, psicanálise, arte e música.

Um livro que merece muitos grifos e releituras.
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR