Socrates in Love

Socrates in Love Kyoichi Katayama




Resenhas - Socrates in Love


22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Natalia 12/09/2017

RESENHA: Socrates in Love | Kyoichi Katayama ; Kazumi Kazui | JBC | 5/5 ⭐️ + fav ❤️
O mangá já começa contando a estória de amor entre Aki e Sakutarô. Saku lembra de todas as maneiras que a perdeu e a encontrou e por fim, a perdeu para sempre. Os dois se tornaram amigos no 2º ano do ensino fundamental 2. Ficaram responsáveis como representantes de classe e Aki sempre quis fazer amizade com Saku. Conforme o tempo foi passando e a amizade dos dois crescendo, Saku começou a perceber que fazia de tudo para vê-la sorrir. Na primeira vez em que vê Aki chorar pela morte de uma professora, ele se dá conta do que todo mundo já sabia, que estava apaixonado por ela. Quando o relacionamento se torna sério, uso aqui a frase que inspirou a escrita dessa estória, “o amor é uma forma de violência que obriga as pessoas a pensarem”. Saku está feliz como nunca, planeja viagens com Aki e uma vida para sempre ao seu lado. Mas ao mesmo tempo, a escuridão sempre está a espreita, ele tem a sensação de que algo ruim pode acontecer e os separar. Aki fica doente de repente, mas os médicos dizem que a doença que ela tem é facilmente tratável. É uma prova de amor e resistência, os dois tem que enfrentar juntos a doença e a dor da perda.
.
Ufa! Mais um mangá arrasador que eu trago pra vocês. No começo achei que ia ser bem normalzinho, mas MEU DEUS! Quantas emoções. Me apeguei muito aos personagens, o casal é tão fofo. E a Aki ~chorando~ é muito fofa. Acredito que quase todo mundo que está apaixonado não gosta de pensar que coisas ruins podem lhes separar e consigo sentir o medo que atormenta Saku. É um mangá que traz o ensinamento e a força da perseverança, de acreditar no amor e se manter firme. Apesar do pesares, ele nos ensina também a superação e a tirar os ensinamentos que uma perda trás. Já aviso que esse mangá é só pra quem aguenta fortes emoções.
comentários(0)comente



Raquel 02/09/2017

Sócrates in love: doce e trágico

Sócrates in love é um mangá que adapta o sucesso literário japonês "Um grito de amor do centro do mundo" do escritor Kyoichi Katayama. Com traços de Kazumi Kazui, o sick-lits narra a história de amor entre Sakutarô e Aki; as emoções e a descoberta do primeiro amor, o cotidiano compartilhado, os sentimentos mútuos... o que poderia ser apenas uma narrativa doce, torna-se trágica com uma inesperada tragédia do destino ensinando Sakuratô e Aki sobre perda, dor e desilusão. Encontramos, ainda que superficialmente no mangá, reflexões filosóficas, através de confidências entre Sakuratô e o avô, abordando temas sobre a vida, morte, amor, recomeço e crescimento pessoal. Isso aqui funciona muito bem para quem gosta de estórias tristes e emotivas.

Sobre a primeira experiência de ler mangá, no inicio foi meio incômodo o modo inverso de ler mangá japonês, mas nada que a prática não resolva. Pela abordagem apenas de pontos principais a sensação é que perdi detalhes do livro, então, ainda pretendo ler a obra na integra em algum momento. A experiência de leitura requer atenção nos traços para captar todas as nuances, mas que cativa pelas ilustrações. Apesar de fofo, doce e trágico, não ganhou cinco estrelas porque passou a sensação que apenas os pontos principais foram abordados. Pretendo ler mais alguns mangás entre leituras, principalmente àqueles considerados referências. De qualquer forma, é sempre positivo sair da zona de conforto e adquirir novas experiências na leitura.

"Este mundo é tão amplo que temos facilidade de perder as pessoas especiais que encontramos com tanta dificuldade. (p.182)"
comentários(0)comente



Rafa 22/07/2017

Um amor além do tempo
Minha primeira leitura de manga e sei que jamais vou esquecer a doçura e sutileza de Sócrates in love. Lindinho, mas prepare os lencinhos, e triste demais.
comentários(0)comente



Camila Márcia 17/04/2017

Fofo, triste, choroso
Sekai no Chushinde ai wo Sakedo no Brasil recebeu o título Socrates in Love: o amor sobrevive ao tempo se trata de um mangá criado por Kazumi Kazui, mas é baseado no romance de Kyoichi Katayama, tive a sorte de encontrá-lo enquanto navegava na seleção de mangás da Amazon e fiquei curiosa.

Logo de início preciso dizer que Socrates in Love é uma história triste, mas muito bonita e romântica que comove a todos que se entregam a leitura de suas páginas, pois aqui iremos acompanhar um casal de jovens: Sakuratô Matsumoto (carinhosamente chamado de Saku-chan) e Aki Hirose, que se conhecem ainda na escola e de uma amizade onde ambos implicavam um com o outro nasceu o amor e, na medida em que o tempo passa, esse sentimento vai se tornando maior e mais intenso.

Saki-chan de Aki passam a fazer planos juntos e sonham com um futuro em que eles poderão se tornar inseparáveis, mas todo esse sentimento é abadalo quando Aki adoece e, no auge de sua juventude, tem que ficar internada em um hospital para fazer o tratamento.

Aki se sente deprimida, pois sua vida agitada acaba sofrendo uma pausa, além do mais sente-se culpada por fazer seu amor, Saki-chan ter que ficar indo e vindo do hospital, além disso, passa a achar que está atrapalhando na vida dele e fazendo com que ele deixe de aproveitar a vida por conta do problema dela, para estar ao seu lado.

As coisas passam a ficar mais cinzas quando a família de Aki esconde o real problema da garota tanto da própria Aki, quanto de Saki-chan, e assim Aki passa a lutar contra uma doença que ela não entende, não conhece e, começa a ficar estressada por sempre estar presa num hospital, envergonhada por seu cabelo cair, por ter variações de humor horríveis de suportar e por querer estar aproveitando a vida com Saki-chan, mas não poder.

O mangá me emocionou demais, ver ambos: tanto Saki-chan, quanto Aki sofrerem pela doença e a distância que se instalou entre eles não foi fácil. Ver a delicadeza e pureza dos sentimentos de ambos estar sendo fragmentada por uma doença horrível. Ver morrer as esperanças foi muito doloroso para mim, leitora, mas eu conseguia ver algo maior: um amor despretensioso, puro, singelo, onde Saki-chan ao descobrir a doença de Aki tentou salvá-la a todo custo, tentou tornar seus dias melhores.

No fim, é claro que um cisco caiu no meu olho e derramei umas lagrimas porque não sou de ferro e, apesar de muito triste e doloroso, o final foi bonito, deu uma continuidade, porque Saki-chan nunca esqueceu e nem esquecerá aquela que pousou delicadamente em seu coração e marcou toda a sua vida. Gosto de pensar que a existência de Aki fez a vida de Sakuratô melhor e o tornou numa pessoa melhor, porque quando anjos aparecem em nossos vida eles tem a capacidade de transformá-la por completo. Gostei de poder ver o rumo que a vida de Saki-chan tomou, de certa forma a vida de Saki-chan tornou a vida de Aki perene.

Definitivamente eu poderia falar muito mais sobre esse mangá, mas acho que é muito melhor indicá-lo para a leitura e assim, vocês poderem entender o tamanho do sentimento e beleza expostos nestas páginas. Leiam, por favor, mas leiam com o coração aberto para que as palavras possam enchê-los de amor também.

Mesmo que Socrates in Love tenha o estilo de mangá shoujo ele não é destinado apenas ao público feminino, acredito que o público masculino também poderá apreciar bastante, ok?

site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



Tuca 17/03/2017

Socrates in love
"Socrates in love" é um mangá que adapta o livro "Um grito de amor do centro do mundo" escrito por Kyoichi Katayama. Eu li o romance antes de ler o mangá, e particularmente, comparando os dois, prefiro o livro. Entretanto, ao pensar o mangá como uma história individual, ele foi muito bem feito, a adaptação em si colocou os pontos principais do enredo original, porém o livro de Katayama é muito filosófico, e, nesse aspecto, acho que o mangá ficou mais "pobre" em relação a "Um grito de amor do centro do mundo", além de que o relacionamento entre os personagens secundários não é tão bem exposto. Não sei se por eu te lido o mangá depois do livro, eu não chorei 1ml sequer. Enquanto isso no final do romance eu estava soluçando sem ar, em posição fetal. Aconselho quem leu o mangá e gostou, ler também o livro que o baseou pois ele sem dúvidas é assustadoramente maravilhoso. Uma das coisas mais apaixonantes para mim que a história traz além do relacionamento entre Sakutarô e Aki, é a relação do menino com o seu avô. Além de ser um personagem bem incomum, traz algumas das reflexões mais singulares da história.

Sócrates in love narra a história de amor entre Sakutarô e Aki e todas as implicações filosóficas que virão a partir disso, desde a análise do desenvolvimento do amor, da vida, da morte, do tempo e do crescimento dos personagens. Mangá perfeito para quem gosta de amores trágicos, sick-lits, choro descontrolado e reflexões desmedidas.
comentários(0)comente



Carol 21/11/2016

ingredientes: doçura e tristeza
Confesso que essa foi a minha primeira leitura do tipo e que no começo fiquei receosa e nas primeiras paginas perdida. Porém, depois a leitura fluiu de maneira rápida e emocionante.

A história de dois adolescentes que conhecem a amizade, a confiança, a parceria e depois o amor. A história "in love" de Saku e Aki nos mostra a construção desse sentimento, o preenchimento, o buraco negro do vazio, a saudade, a perda e um sentimento que sobrevive a tudo.

Esse mangá é uma adaptação de um dos grandes sucessos das livrarias Japonesas. Quero muito ler o original que aqui no Brasil se chama "Um grito de amor no centro do mundo" (sim, já coloquei na listinha dos desejados).

Eu amo sofrências e todo mundo aqui sabe disso (até o nome do ig já diz), mas ao ler esse mangá também vi tanta fofura e carinho, que o recomendo até mesmo para quem não curte as lágrimas durante a leitura (porém acho que elas cairão do mesmo jeito, ok?!)

site: www.nossaressacaliteraria.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Rafaela B 07/09/2016

A Perícia Japonesa em Escrever Histórias Tocantes
Sim, japoneses são mestres em histórias pra chorar (eu adoro e aceito dicas). Já li algumas que me fizeram respirar fundo e piscar muito, como Um Litro de Lágrimas, The Wedding Eve, As Memórias de Marnie, 5 centímetros por Segundo, etc. Essa história é assim, mas não a julgue só por isso, sua arte é linda e diz tanto quanto o texto, que é excelente!
É a história de Sakutarô e sua amiga Aki, que são obrigados a serem representantes da sala, e vêem sua amizade crescer aos poucos e se tornar algo muito maior que eles mesmos. Onde ficar longe um do outro é algo doloroso e a companhia do outro é algo natural, isso até Aki ficar doente e colocar o amor de ambos à prova.
É uma história muito doce, sobre o primeiro amor, a insegurança e companhia. Perfeito para quem gosta de histórias tocantes!
comentários(0)comente



Mariana 02/09/2016

Uma love Story muito bem desenhada.
No ultimo ano tenho conhecido obras em manga maravilhosas, vejo anime dês de criança, mais nunca tinha ficando interessada em manga. No bolo de leitura desse ano pequei esse més para lê "Socrates in Love", na real fiquei mais interessada pelo nome do que pela historia da sinopse em si. Gostei, muito dos desenho de Kazami Kazu, realmente achei delicado e bem feito. Gostei da divisão das vozes, em preto o narrador (no futuro), e nos balões (as fala do passado). A historia e bem batida, mais no bom sentido da palavra, o autor não tenta requentar a historia com alguma "inovação narrativa". O cara saber que historia é família, abordagem dele conseguiu ser sensível e delicada. O manga não tem haver com Romeu e Julieta, lembra mais aquele filme dos anos 70, "love Story". Lendo a contra capa,descobrir que ele foi adaptado de um livro que vendeu muito no Japão, esse livro foi impresso no brasil mais tem um outro nome "Um grito de amor no centro do mundo".
comentários(0)comente



Jen. 09/04/2016

Um grito de amor no centro do mundo/Socrates in Love
Achei muito surpreendente quando estava na metade do mangá e sabia que o mangá havia sido inspirado em um livro, e até pensei: ´nossa quero ler esse livro!´ mas quando estava na metade, achei muito familiar e lembrei que já havia o lido em 2013 (Um grito de amor no centro do mundo - editora Alfaguara).
O mangá e o livro tiveram um efeito semelhantes em mim, mas se eu puder indicar uma pequena preferencia: será o mangá com certeza!

Em um romance tão profundo e sincero quanto o de Aki e Saku acho que as imagens são totalmente indispensáveis. Eu não sentia o amor deles tão forte assim quando o lia, mas com os desenhos e com as expressões perfeitamente demonstradas pela artista Kazumi Kazui, me tocou muito mais e me fez sentir aquela falta de ar de quando se lê algo que você sabe que vai te mudar pro resto da vida.

Tinha vontade de ler esse mangá a séculos, e agora me sinto com um ´task´ da vida completa, mesmo tendo o livro a tempos atrás, sinto que agora sim, eu usufrui da história.
comentários(0)comente



Nat 02/04/2016

Esse é um mangá baseado em um best seller japonês (que eu desconhecia). Fala de dois adolescentes que se apaixonam, Aki e Sakutarô. Desde o início sabemos que ela morreu. O mangá então conta como foi que tudo aconteceu, desde como se conheceram, passando pela sua morte e no final do porque de estar contando essa história. Achei bem interessante e me deixou com vontade de ler o livro que o inspirou.
comentários(0)comente



Ingrid 05/12/2015

Muito amor, muito triste, te envolve... me avisaram que eu iria chorar e realmente eu chorei.
comentários(0)comente



Haag 03/11/2015

O quão triste pode ser o amor?
Sócrates In Love é um mangá volume único baseado no livro “Chuushin de Ai Wo Sakebu” de Kyoichi Katayama, e o desenho da obra é de Kazumi Kazui. No Brasil, Sócrates In Love chegou em 2008 pela JBC, e agora em agosto ganhou um reimpressão.

Esse é provavelmente um dos mangás mais tristes que já li, porém confesso que eu estava esperando um pouco mais dele.

O mangá conta a história de Aki e Sakutaro, um casal que se conhece desde o fundamental e que juntos descobrem as emoções do primeiro amor, mas que infelizmente acabam descobrindo também o lado negativo desse sentimento.

A obra já começa nos dando um “soco na cara”, a primeira página já está escrito em letras gigantes “Minha Aki morreu”. E acho que é justamente aqui o ponto pelo qual não achei Sócrates in Love “tããããão desesperador”, mas calma, já volto nesse ponto em breve.

A história vai se desenvolvendo numa linha do passado, contando como eles se conheceram, como perceberam aos poucos o sentimento que tinham um pelo outro e como isso foi aos poucos evoluindo. Os personagens são cativantes e extremamente convincentes, o que a meu ver é bom, pois em obras mais voltadas ao drama, normalmente tem aquele personagem “forçado” e que exagera no sentimentalismo, o que felizmente não temos em Sócrates in Love.

A trama também conquista, ela vai se desenvolvendo rápido. Algo que me chamou a atenção foi o fato de não ter “capítulos” e ser um mangá direto. Quem acompanha o blog desde o começo deve lembrar que critiquei isso em RG Veda, pois isso não dava aquele “tempo de absorção” para o leitor, porém em RG esse tempo era necessário pois a história era complexa, enquanto em Sócrates nós temos uma história que vai fluindo de modo gostoso e sem se notar, e quando a tragédia começa, ela nos prende querendo o desfecho logo.

E aqui vem o ponto negativo, não é exatamente nenhum fim do mundo, porém acho que isso tirou um pouco a graça da obra. Desde a primeira página nós já esperamos a morte da protagonista (não é spoiler, você descobre ao abrir o mangá), e talvez o fato de já sabermos disso é que tira o impacto da morte.

Isso quer dizer que não é triste? Pelo contrário, a obra é aquele drama triste que te deixa mal realmente, que nos faz pensar um pouco sobre o que temos e quem amamos. Admito que chorei (ah, eu sou manteiga derretida, nem tô), mas não chorei tanto como foi com Só Você Pode Ouvir por exemplo. Eu acho que se a morte tivesse vindo de surpresa, talvez eu tivesse ficado mais triste ainda do que com uma já esperada.

Sobre a qualidade física, o trabalho da JBC neste mangá está impecável. Desde o primeiro momento em que bati os olhos nele já me apaixonei. A capa é fosca, com orelhas e papel offset. O mangá tem aproximadamente 190 páginas e custa R$ 19,90 (muito bem pagos).

Essa é uma obra obrigatória em qualquer coleção, podem ter certeza disso. Coloquei o meu na “prateleira foda”, ao lado de Berserk, Planetes e 20th, e onde também vai entrar Akira, então imaginem o quão incrível é este mangá.

Nota: 4,9 / 5
comentários(0)comente



Bia 29/01/2015

Muito lindo :)
O Manga mais adorável que já li
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cris 28/08/2012

Perfeito
Sinceramente todos deviam ler esse mangá. Tanto por ser um best-seller quando pela linda mensagem que ele passa com uma arte leve e tocante. Com certeza uma das obras que mais gostei de ler e com certeza também uma das que mais me fez chorar ^^
Obrigado pela indicação Prih s2
comentários(0)comente



22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2