O Evangelho Segundo Jesus Cristo

O Evangelho Segundo Jesus Cristo José Saramago




Resenhas - O Evangelho Segundo Jesus Cristo


172 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Arthur Pacheco 07/10/2019

Imprecável!
"Em algum lugar do infinito, ou infinitamente o preenchendo, Deus faz avançar e recuar as peças doutros jogos que joga, é demasiado cedo para preocupar-se com este, agora só tem de deixar que os acontecimentos sigam naturalmente o seu curso, apenas uma vez ou outra dará com a ponta do dedo mindinho um toque a propósito para que algum acto ou pensamento desgarrados não quebrem a implacável harmonia dos destinos."

"…Filho, a ocasião pode sempre criar uma necessidade, mas se a necessidade é forte, terá de ser ela a fazer a ocasião."

Eu não sei exatamente o que dizer. Fui pego de surpresa e estou ate agora pensando em passagens tão excepcionais que não há como explicar sem estragara mesma.

Acompanhamos a história de Jesus Cristo, aos olhos do autor José Saramago, do momento de sua concepção até sua crucificação.

O que se torna incrível nesta obra, e o como. Não me lembro das passagens de jesus completinhas na cabeça, mas ao longo da leitura podemos perceber algumas mudanças - como, por exemplo, a história de Lazaro -. Porém, esse "como" se torna incrível com o poder da narrativa do autor. E absurdamente perfeito a maneira de escrita de Saramago. Ela te toca, te desafia, te instiga e transforma. Desabrocha em você algo nela que vocês vêem como um grande filme.

Muitos podem achar saramago difícil, concordo, certas passagens podem ser meio complicadas de saber o que está acontecendo. Mas assim, chega um momento que você percebe os pontos, as exclamações e qualquer outro. Até a parte onde não há mais mistério e você lê disparado sem nem notar que está lendo algo haha.

Enfim, achei uma história impecável, altamente recomendável.
comentários(0)comente



Eliseu 22/08/2019

O evangelho segundo Jesus Cristo
Que livro espetacular!
A idéia de Deus como um ser vingativo, extremamente egoísta(atributos meramente humanos), que condiciona a salvação à adoração incondicional da sua figura,é aqui abordada de maneira brilhante por Saramago.
Deus e o Diabo podem ser descritos como duas figuras que se complementam, nenhuma existiria sem a outra. Saramago consegue expôr, quase que de forma didática, os vícios, as contradições e a arrogância dos homens, quando entorpecidos por religiões, por crenças imaginadas. A religião, enquanto crença imaginada, foi muito útil para os governantes ao longo da história, sujeitando e moldando comportamentos de acordo com seus interesses. E a idéia de Deus é central nessas narrativas históricas. Seria Deus uma criação da mente humana, com atributos fabulosos para ilustrar melhor, para melhor convencer e reconfortar as pessoas num mundo de poucos confortos, e estabelecer um controle seguro sobre suas vidas?

"... Homens, perdoai-lhe, porque ele não sabe o que fez." Assim disse Jesus na cruz sobre Deus? Simplesmente fantástico!
comentários(0)comente



Dani 13/08/2019

Original
Saramago surpreende por sua originalidade e ousadia. Seu estilo solto nos prende. Usando-se uma história conhecida como a de Jesus de Nazaré, consegue manobras pirotecnicas onde altera falas e as imprime um estilo próprio, que é quando sua perspectiva pode ser chamada de heresia já que muitas vezes questiona ele os desígnios de Deus. Uma experiência que vale a pena qualquer um ter para que se aprenda com Saramago a brilhante alma da invenção.
comentários(0)comente



Christiano 30/07/2019

Livro Maravilhoso.
comentários(0)comente



Gisele 01/07/2019

Tocante
Livro que eu recomendo a qualquer pessoa: que acredite ou não em Jesus Cristo. Saramago apresenta um Jesus que ao longo da vida constrói seu papel com filho de Deus aos poucos - questionando, tentando, acertando e errando. Essa é a beleza do livro: ele não tira a divindade de Jesus, mas o constrói aos poucos. Com certeza lerei novamente.
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 07/06/2019

"O filho de José e de Maria nasceu como todos os filhos dos homens, sujo de sangue de sua mãe, viscoso das suas mucosidades e sofrendo em silêncio. Chorou porque o fizeram chorar, e chorará por esse mesmo e único motivo." Todos conhecem a história do filho de José e Maria, mas nesta narrativa ela ganha tanta beleza e tanta pungência que é como se estivesse sendo contada pela primeira vez. Nas palavras de José Paulo Paes: "Interessado menos na onipotência do divino que na frágil mas tenaz resistência do humano, a arte magistral de Saramago excele no dar corpo às preliminares e à culminância do drama da Paixão".

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!


site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/8571642095
comentários(0)comente



Ernani.Maciel 02/06/2019

Ler Saramago é ter a certeza em adquirir mais senso crítico.
Saramago tinha uma visão peculiar sobre o cristianismo. Levanta, neste romance baseado no novo testamento, incongruências pouco discutidas a respeito de uma das maiores, senão a maior religião do mundo.
A leitura torna-se muito interessante quando trata de questões inerentes à vida dos leitores. O cristianismo é um assunto que salta-me aos olhos, tendo em vista minhas experiências pessoais e o fato de estar incrustado em boa parte da vida da população mundial.
As atrocidades cometidas pela igreja católica ao longo dos séculos, especialmente anteriores ao XIX, também são abordadas ampla e chocantemente. Em nome de Deus pode-se tudo, até matar inocentes.
O personagem principal, obviamente Jesus Cristo, é muito mais humano que o do novo testamento. Não passarei disto, caso contrário, praticaria o odiado spoiler.
Há muito que se discutir a respeito desse romance, um ótimo livro para ser lido e discutido em grupo.
A forma como Saramago coloca o bem e o mau, mais precisamente Deus e o Diabo, no antepenúltimo capítulo é o ápice da história.

Ler Saramago é ter a certeza em adquirir mais senso crítico.
comentários(0)comente



Bianca.Oliveira 05/05/2019

O evangelho segundo Jesus Cristo
Para quem gosta de José Saramago conhecer o livro que motivou a sua saída de Portugal para morar em Lanzarote é fundamental.

O próprio autor, sendo ateu, reconheceu a sua surpresa ao escrever a sua versão da vida de Jesus Cristo.

O que mais se destaca desta obra é a humanização do protagonista. Jesus é o filho adolescente com seus problemas com a mãe e os irmãos, é o amante de Maria Madalena e chega a recusar o seu lugar de ?escolhido de Deus?.

Com seu clássico estilo de escrita, Saramago explora o humor e a ironia de forma inteligente e divertida.

Baseado nos acontecimentos descritos nos evangelhos canônicos, o autor questiona o lugar de Deus, da religião, só bem e do mal. Além disso, não são poucas as polêmicas levantadas: a relação carnal, descrita em detalhes, entre Jesus e Maria Madalena, a intimidade entre Diabo e Deus, a ambição deste último, a hipótese da existência de mais de um Deus e, por fim, a relativização da traição de Judas.

Por isso, e pelas suas declarações a respeito do cristianismo, Saramago tornou-se alvo de perseguição em seu país e foi forçado a abandonar Portugal.

@expansao.cultural
comentários(0)comente



Marcos 07/04/2019

Jesus como nunca visto
Em primeiro lugar esse livro não é uma leitura fácil.
Saramago mostra um Jesus diferente daquele que é mostrado na bíblia. Aqui, Jesus é um menino que aprende a ser homem rápido e carrega nas costas o peso da família que tanto machucou seu coração, começando por José, seu pai. Culpas sem direito, mas o peso da culpa é diferente para cas um é algumas são por gerações. Jesus não é próximo de sua família, Maria de Magdala é uma das melhores mulheres já vistas e pode se dizer que é quase uma voz e bondade e justiça que guia Jesus, muito mais que Deus. Aliás, uma questão desse livro... Qual deus é esse deus que Jesus serviu? E Deus, acima de tudo e todos, tão fraco, caminha junto com o Diabo.
comentários(0)comente



Jose.Bueno 01/02/2019

Muito bom.
Distópico. Apaixonante. Deve ser lido.
comentários(0)comente



Magali.Ferreira 23/01/2019

Livro cansativo!
Saramago outra vez me surpreendeu pela negativa Só mais um livro que passou em minha vida, mais nada!
comentários(0)comente



Daniel.Simoes 16/01/2019

O escritor português conta a história de Jesus de Nazaré brincando com os fatos bíblicos e incluindo a visão humana do século XX, com os dramas psicológicos dos personagens e um exagero de ceticismo. Um livro muito ousado, que vale a pena ser lido. Há muito respeito pela figura de Jesus, embora haja certa ironia em algumas partes. A forma de escrever de Saramago é fluida, não interrompendo o texto durante os diálogos, o que requer uma atenção redobrada do leitor.
comentários(0)comente



Dudu 16/01/2019

Humano
“O dia de amanhã não se sabe a quem pertence, há quem diga que a Deus, é uma hipótese tão boa como a outra, a de não pertencer a ninguém, e tudo isso, ontem, hoje e amanhã, não serem mais do que diferentes nomes da ilusão. ”

O jesus mais humano em suas características está apresentado neste livro. O autor nos apresenta um jesus que aos poucos lhe é apresentado seu destino inexorável, um jesus que ama, se comove, que tem fúria, que se envergonha e se compadece.
Outros grandes personagens como Jose pai de jesus, um Pastor enigmático e a sofrida Maria Mãe de jesus., Fica muitíssimo recomendado a leitura da obra.
comentários(0)comente



Igor.Lima 09/01/2019

A melhor obra entre literatura, cinema, música ou teatro já feita sobre Jesus Cristo!
A primeira coisa que você, independente se sua religião ou crença, deve entender é: esse livro é puramente ficcional e não tem nenhum intuito de ser uma adaptação de livros bíblicos. Quando você entender isso, perceberá a genialidade que essa obra possui. Todos os seus simbolismos, diálogos e tem um dos MELHORES FINAIS da história da literatura.

Saramago faz muita falta para o mundo.
comentários(0)comente



Pena 01/01/2019

Uma perspectiva interessante.
Gostei do livro, e apesar de não concordar totalmente com o ponto de vista do autor, achei interessante conhecer uma visão mais humana e histórica do Cristo, me lembrou um pouco o "Zelota". Enfim, trata-se de um livro do Saramago, impossível ser ruim! Sem querer fazer espolier, gostei especialmente da visão do autor sobre a multiplicação do pão.
comentários(0)comente



172 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |