A Sombra da Lua

A Sombra da Lua John Sandford




Resenhas - A Sombra da Lua


28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Carolina Gama 28/08/2017

Muito bom
Bom, eu nunca tinha escutado nada sobre esse autor, muito menos lido algum de seus livros. Por isso mesmo, optei por escolher este exemplar. Eu precisava de alguma coisa diferente. Me surpreendi. O livro retrata a história de um investigador, transferido de sua cidade natal para Bluestern, onde ocorreu uma estranha morte. Ao chegar no destino, Virgil se depara com um incêndio de grandes proporções na casa de um fazendeiro, que acaba morto junto com seus pertences queimados. Como este fazendeiro um dia fez parte de um grande esquema naquela cidade e foi corrupto, por assim dizer, Virgil, que descobre ao longo de sua jornada a história do homem, acaba achando que isso tem ligação com o crime que ele veio investigar. Sendo assim, tanto Virgil quanto o xerife da cidade acabam se unindo em uma busca aparentemente sem respostas. Aos poucos, Virgil vai descobrindo o que de fato aconteceu na casa dos Gleasons, caso que cabe a ele decifrar. A questão principal é que, esta família nunca teve perfil para ser simplesmente assassinada e isso intriga os investigadores que, junto de Virgil, tentam juntar pistas.

Em termos gerais, a narrativa é muito envolvente. Gostei da forma com que o autor resolveu separar os capítulos e até mesmo partes do texto, porque são destacadas ao longo das descobertas de Virgil. Assim, é mais fácil entender o que cada departamento procura ao mesmo tempo e o que vai acontecendo sob várias perspectivas. Estrofes são destacadas do texto, o que, pra mim, deu um ar muito mais investigativo pra história. Deu vontade de desvendar, sabe, como se fosse em um jogo de tabuleiro. A narrativa é clara e franca, é possível entender tudo que se passa na cidade, que é bem pequena, daquelas onde todos se conhecem. Não sei se vocês sabem, mais o livro é apenas o começo do que promete ser uma série de sucesso. Passei boa parte do livro achando que existia mais de um assassino na mesma cidade e que os crimes estavam ligados uns aos outros, mas a surpresa foi maior. Não conheço nenhum outro livro do autor, mas li que o personagem Virgil já apareceu em outros livros, investigando outros casos. É bastante interessante, devo dizer. No começo, achei que não gostaria, porque é um gênero novo pra mim, que só conheço livros de alguns autores. Mas, confesso: gostei. Gostei e muito. O final foi bem convincente, me fez querer ler os outros livros em que Virgil aparece. Muito bom.

site: Resenha postada nos tempos de Entre Livros
comentários(0)comente



Saynne 16/05/2017

Um livro policial com uma trama fraca e que utiliza de uma linguagem muito vulgar quando refere-se as mulheres. O detetive Virgil Flowers é um personagem que foi construido na imagem machista. Não recomendo!
comentários(0)comente



Quel 04/05/2016

Resenha | A sombra da Lua John Sandford/ Book Bus
Editora: Arqueiro
Ano: 2012
Gênero: Romance Policial
Páginas: 263

Sinopse: Acostumado a assumir casos difíceis, Virgil Flowers, investigador do Departamento de Detenção Criminal (DDC), é mandado a Bluestem, uma pequena cidade do interior, para ajudar a polícia local a solucionar um crime que chocou a população: um casal de idosos foi morto em sua residência com requintes de crueldade.


Virgil chega à cidade de Bluestem, para investigar um crime, porém nesta mesma noite um homem muito poderoso e rico também é assassinado. No desenrolar da história para descobrir quem cometeu os assassinados. Quais são as ligações entre os assassinatos. Ocorre um terceiro assassinato de outro casal de idosos. Virgil acredita que tem haver com algo do passado de todos eles não só nada foi roubado durante os assassinatos, mas também as cinco vítimas eram idosas e parece ter algo comum que as ligam. Uma noite pode mudar tudo. Uma noite muda uma vida.

Virgil Flowers um homem alto, forte e atlético o que não tem nada a ver com um detetive, porém ele é e está sempre com roupas deslocadas. Jim Stryker é o xerife da cidade e um homem muito bonito, mas tímido e um homem honesto. Joan é irmã de Stryker e é uma mulher divorciada, bonita e muito inteligente. Tood Williamson é o editor do jornal que está poucos anos na cidade. Está sempre em todos os lugares para colocar em primeira mão as informações em seus jornais e ganhar mais credibilidade.

A narrativa a meu ver começa é um pouco difícil de compreender o que o escritor quer passar, mas no decorrer da história ela vai melhorando muito e você fica se perguntando quem é o assassino de todos esses crimes. Escrita muito boa. O tradutor realmente segue a norma culta de uma maneira sucinta. A capa é linda. Admito que foi uma das coisas que me chamou a atenção para ter e ler esse livro.

As personagens de um modo geral são bem construídas. O modo como o escritor conta algumas coisas do passado foi de uma forma que faz sentido na narrativa.
larissa.reisdegade.9469 17/09/2016minha estante
Qual o climax dessa historia ?


Quel 30/09/2016minha estante
Olá, Larissa,

O clímax da história é justamente a pessoa que faz/fez isso e o que o motivou a fazer isso...rs
Gosto muito dos desenvolvimentos dos livros de John Sandford. Ele ele deixa um suspense muito bom.




Sheyla 06/03/2016

A SOMBRA DA LUA
A Sombra da Lua é um suspense muito bem trabalhado escrito pelo autor John Sandford, que possui mais de 30 milhões de livros vendidos no mundo inteiro; entrando para a lista dos mais vendidos do New York times e ganhador do prêmio mais cobiçado, o Pulitzer. O que esperar desse livro? Muito suspense, uma rede de intrigas muito bem elaboradas com uma narrativa fácil e rápida; que prenderá o leitor até a última virada de página!

Nosso personagem principalVirgil Flowers, depois de oito anos servindo a policia de St.Paul - Minnesota, recebe o convite para fazer parte do DDC (Departamento de Detenção Criminal) do estado, com a promessa de assumir apenas casos importantes. O que ele não esperava era que a investigação mais difícil de sua vida estava prestes a começar.

Após o cruel assassinato de um casal de idosos na cidade de Bluestem; Virgil é enviado para lá a fim de ajudar o xerife Jim Stryker a descobrir o que e quem, está por trás desses assassinatos; já que eles ocorreram em uma cidade que por 20 anos não registrava casos assim; principalmente envolvendo idosos! Ao chegar à cidade durante a madrugada, Virgil descobre que a casa de Bill Judd no alto da Montanha Búfalo está em chamas e mais tarde recebe a notícia de que os restos de Bill Judd foram encontrados e que o incêndio na verdade trata-se de um assassinato premeditado.

Virgil foi até Bluestem para investigar o assassinato do casal Gleason, porém este parece estar ligado à morte do fazendeiro Judd e é então que Virgil aos poucos começa a cutucar o passado e descobrir uma rede de mentiras e intrigas; sexo, adultério, drogas e muito mais.

Judd não é um homem muito amado pela população da pequena Bluestem, pois no passado ele deu um golpe milionário que deixou vários fazendeiros falidos; outros tiveram de vender parte de suas terras para saldar suas dívidas. Um homem adultero que vivia na esbornia apesar de ter sido casado por um tempo; o que mais lhe importa na vida é o dinheiro. O casal Gleason, era um casal, aparentemente pacato; podiam até haver pessoas que não gostassem deles, porém não a ponto de matá-los. Outros assassinatos macabros ocorreram deixando a cidade com os nervos saltando e o nosso detetive ainda mais intrigado e disposto a desvendar esse mistério.

O livro é muito bom, e eu que adoro um bom suspense não pude deixar de apreciar. Virgil não é um policial comum, ele detesta andar armado, adora Rock e desfila com camisetas estilosas de bandas e ainda por cima é escritor nas horas vagas! Ele tem um alter ego, chamado Homer, ao qual através de histórias que escreve pode analisar os assassinatos por outro ângulo. Tenta se dar bem para cima da irmã do xerife, apesar de ela ser uma de suas supeitas em uma teia que ele duvida de tudo e todos. A Joan (irmã do xerife) é esperta, inteligente e ao mesmo tempo engraçada e gostei muito das cenas entre ela e Virgil.

Virgil, é muito esperto e sagaz, soube colocar a cidade a seu favor, com suas fofocas favorecendo sua investigação, criando assim um balburdio que o beneficiou! Perspicaz ao extremo, foi destecendo o emaranhado de intrigas vigentes nesses misteriosos assassinatos. A impressão que eu tive em muitos momentos é que Virgil tenta (e é bastante convincente nessa tentativa) demonstrar uma personalidade diferente da que é sua na realidade, a fim de distrair os demais de sua verdadeira sagacidade; para que os mesmo não venham a ter conhecimento de que estão sendo usados em prol de sua investigação ou mesmo que ele desconfia delas.

A rede de intrigas e mentiras criada por Sandford, foi bastante inteligente, dando voltas e voltas até chegar ao final; ao longo da leitura desconfiei de várias pessoas e aos poucos minha tese era quebrada. Gostei bastante do final e de quem era o assassino maluco, inclusive quem teve participação indireta nisso tudo.

A trama é bem desenvolvida, com uma história de mistério e segredos. A narração é envolvente, mas em alguns momentos torna-se um pouco lenta graças as descrições que não estão relacionadas diretamente com a investigação. Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa traz informações sobre o primeiro grande acontecimento do livro, mas por si só não desperta o interesse.

site: http://navibeblog.blogspot.com.br/
larissa.reisdegade.9469 17/09/2016minha estante
Qual o Climax dessa historia ?




Fabrício Araujo 17/08/2015

Muito mediano.
O que escrever sobre este livro? Muito pouco. Trata-se de um grande, chato e previsível quebra-cabeças. Personagens rasos e superficiais. Conclusão. Chato demais.
comentários(0)comente



Carolina Durães 29/03/2014

"A Sombra da Lua" é o primeiro livro da série Virgil Flowers cujo protagonista é um investigador do departamento de detenção criminal. Virgil é um personagem peculiar. Ele ama pescar, é escritor em meio período e também fotógrafo, além de um conquistador. Além disso, ele tem um visual meio diferente, sempre com camisetas de bandas e um cabelo mais longo, que segundo alguns personagens dá a ele um ar meio de surfista, talvez hippie. Esse poço de contradições é a mente que trabalha para resolver crimes complexos. Com o raciocínio rápido, muitas vezes sarcástico e sempre disposto a criar um pouco de caos para conseguir resultados, Virgil é um protagonista carismático graças as suas imperfeições.
Na pequena cidade de Bluesterm um horrível incêndio mata Bill Judd, um homem idoso. O principal problema na investigação é que Bill não era uma pessoa muito querida na cidade e diversas pessoas tinham motivo para cometer o crime. Além disso, outras pessoas com a idade próxima a de Bill também começam a ser assassinadas de forma brutal. Para conseguir resolver esse caso Virgil precisará cavar os segredos mais sujos que envolvem a pequena comunidade de Bluesterm.
Os capítulos são curtos e dinâmicos, tornando a narrativa que é feita em terceira pessoa ainda mais fluida.
O leitor acompanha a investigação através de Virgil, mas também acompanha os sentimentos e as motivações do crime através do assassino, que mantêm-se anônimo até o momento da revelação. A única identificação que o leitor têm do assassino é a de que ele se autodenomina "Lunar".

"O espantalho era Russel Gleason, apoiado numa estaca de madeira e com seus olhos perfurados a bala". (p. 22)

O livro ainda traz personagens como a equipe da polícia e Joan, a irmã de Jim Stryker. A trama contêm alguns personagens cativantes, alguns momentos engraçados (como a primeira conversa de Virgil sobre a Joan com o Jim) e algumas cenas fortes descritas em detalhes.

" - Aquela é sua irmã, não é?
- É ....
....
- Olha Jim, aquele negócio todo sobre a bunda dela..." (p. 25)

A trama é bem desenvolvida, com uma história de mistério e segredos. A narração é envolvente, mas em alguns momentos torna-se um pouco lenta graças as descrições que não estão relacionadas diretamente com a investigação.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa traz informações sobre o primeiro grande acontecimento do livro, mas por si só não desperta o interesse.

site: http://www.adpiagge.blogspot.com.br/
larissa.reisdegade.9469 17/09/2016minha estante
Qual o Climax dessa historia ?




Dany 24/01/2014

Bom romance policial, mantém uma trama ágil e o enredo empolga logo no início... O personagem principal, Virgil Flowers, parecia um tanto excêntrico, mas me cativou desde o começo, tal qual ser parceiro de investigação, o xerife Stryker, que parecia ser o contraposto perfeito para o jeitão despojado de Flowers.
O final do livro deixou um pouco a desejar, pareceu rápido demais, o autor não explorou o desenvolvimento da história (e consequentemente seu fim) como poderia, deixou um gosto de "já acabou? é isso?"
Um livro regular, que serve para passar o tempo, mas não chega a ser marcante.
comentários(0)comente



Livretando 16/01/2014

Resenha A Sombra da Lua
Com um incêndio na casa de Bill Judd, um dos moradores mais conhecidos de uma cidade de interior, chamada Bluesterm. Virgil Flowers, do departamento de detenção criminal, é levado à cidade para investigar o caso. Porém, chegando lá, mais algumas pessoas ilustres da Bluesterm foram mortas de forma bastante estranha, como se existisse algum tipo de ritual que o assassino estivesse montando ou participando.

Logo no começo da trama conhecemos o assassino, mas ele é chamado apenas de Lunar (ou homem da lua), mas não somos diretamente apresentados ao suspeito, deixando o leitor curioso e mais apreensivo, pois nos mostra o passo a passo de como ele incendiou a casa do Bill. Sem sabermos quem ele é de verdade.

Judd nunca teve uma boa reputação durante sua vida, participava de um esquema fraudulento que envolvia suas fazendas, continuando rico, mesmo após uma crise entre os fazendeiros. Além de gostar de dar “festas” particulares em sua casa, o que possibilitou que uma das participantes dessas suas festinhas ficasse grávida e cometesse suicídio - e mesmo assim seu filho ainda foi salvo -, fatos que fizeram com que ele fosse odiado por certas pessoas, deixando o caso mais intrigante.

Com sua morte, filhos do Bill, de fora do casamento, foram encontrados. Um deles, filho da moça que se matou. Além da descoberta de várias pistas que incriminariam muitas pessoas, inclusive religiosos da região, o que aumenta a expectativa em relação ao criminoso.

Este é um livro de ação em que vários personagens da trama são suspeitos e como é uma cidade pequena do interior e todos se conhecem, fica um pouco mais difícil que certos segredos que possam ajudar na investigação venham à tona. Até porque os envolvidos se conheciam e tinha/tem algum tipo de relacionamento.

É uma trama bem feita e cheia de detalhes, mas que pra mim, em partes, foi cansativa. Porque não faziam com que o livro desse a fluidez que merece esse tipo de historia. Mas já no fim o autor consegue nos prender na leitura até de forma viciante, pois vão surgindo novos fatos e pistas que nos deixam mais perto do assassino, com direito a muita ação.

Já li livros nesse estilo em que o autor consegue deixar a historia mais rápida, mas mesmo assim este livro daria uma ótima adaptação cinematográfica, ficaria clichê, mas daria certo.

site: http://livretando.blogspot.com.br/2012/03/resenha-sombra-da-lua.html
comentários(0)comente



Felipe Miranda 10/01/2014

A Sombra da Lua John Sandford por Oh My Dog estol com Bigods
Eu costumo comparar livros entre autores do mesmo gênero, e no quesito livro policial, comparo todos com meu mestre, meu ídolo, o senhor das noites em claro, Harlan Coben. É meio injusto, não há comparações mas John Sandford me envolveu.

Se alguém estranho aparecesse numa cidade pequena, onde todos se conhecem e sabem tudo sobre as vidas alheias, seria notado, certo? E quando assassinatos acontecem, uma onda de investigações e mal estar se apodera de todos os habitantes, é alguém da cidade.

O fazendeiro Bill Judd, foi morto queimado em sua casa, o incêndio é o ponto de partida para uma série de assassinatos. Bill era rico e odiado por todos, o segredo de seu sucesso estava relacionado a falência de outros fazendeiros, fraudes entre outros assuntos sujos e ilegais. Nada nunca foi provado contra ele. Com tantos inimigos, quem poderia ter cometido o crime? Já Russel Gleason fora médico por 50 anos e Anna enfermeira na juventude, o casal com mais de 80 anos de idade foi morto de forma brutal. Quais os motivos para tal barbaridade? As mortes não param por aí mas prefiro deixar vocês lerem.

O investigador do Departamento de Detenção Criminal, Virgil Flowers é o nosso condutor nesse livro. Ele logo traçara uma linha que ligue todos os crimes e as investigações durarão o livro inteiro, em parceria com o xerife Jim Stryke que tenta a reeleição. O romance também está presente, Virgil terá um caso com Joan, irmã do xerife, e renderá alguns momentos leves e outros nem tanto. Jim, se envolverá uma a filha bastarda de Budd, Jessica. Como um bom livro policial, eu suspeitei de todos os personagens e mais alguns. Só descobrimos quem é o assassino junto com os personagens no decorrer da leitura. A estória convence, os pontos se ligam mas acontecem coisas demais. Orgias, drogas, lavagem de dinheiro, debates religiosos, tiros, muitos tiros. Quem realmente gosta de tiroteios policiais vai se deliciar. Discordando de muitos outros que leram o livro, achei o Virgil, apesar desse nome péssimo, um personagem forte, ele tem estilo, adorei suas camisas com nomes de banda.

Em alguns capítulos o assassino dá voz aos seus pensamentos, achei interessante. Os capítulos são curtos e por várias vezes ágeis demais. Isso vicia a leitura, eu terminei bem rápido. Se formos comparar com a extensão que tiveram certos pontos da leitura o seu desfecho aconteceu de forma rápida, e me deu uma sensação de não ter todas as questões respondidas. E de fato acontece isso mesmo, o Virgil, escreve textos, como se fosse um hobby profissional, que ajuda-o a ver por outro ângulo as pistas encontradas nas cenas dos crimes. Me restou a dúvida, era só para esse objetivo mesmo? É um livro bom.

site: http://www.ohmydogestolcombigods.com/2013/05/resenha-sombra-da-lua-john-sandford.html
comentários(0)comente



Hélio 18/07/2013

É um bom livro, porém está longe de ser perfeito.
O protogonista é um personagem muito interessante e vívido, bastante real. Gostei muito da forma como foi construído. E há vários outros personagens bons nessa trama.
A descrição do ambiente também se mostrou muito realista. Foi um dos aspectos mais marcantes dessa obra.
Contudo, a história, embora seja rica e inteligente, se perde em diversos pontos: há muitos personagens (fazer confusões com tantos nomes é inevitável) e há muitas ações e acontecimentos exagerados nessa narrativa: incêndios grandiosos, assassinatos requintados e elaborados, tráfico, segredos de família, orgia, heranças e etc... e, no final, um esclarecimento lacônico arremata tudo.
O final surpreende sim, com certeza; porém é tão rápido, tão pouco explorado, deixa a sensação que várias explicações não foram dadas - e, de fato, não foram...
Sem dúvida, o maior demérito da obra é esse: o desfecho ficou muito aquém de todo o enredo. Afinal, algumas cenas e ações foram tão intensamente exploradas, que, em contrapartida, a solução dos crimes foi muito ofuscada, tendo se mostrado bastante superficial na verdade.
comentários(0)comente



Rita 25/05/2013

Livro muito bom! Um suspense policial cheio de suspeitos e segredos do passado vindo à tona, em que é difícil imaginar o desfecho! Além de muita ação e personagens pitorescos, como o próprio Virgil Flowers.
Vou procurar outras obras do autor.
Recomendo!
comentários(0)comente



Melian 16/01/2013

Resenha Blog Mell Books
Leia resenha completa aqui: http://mellbooks.blogspot.com.br/2013/01/resenha-sombra-da-lua-john-sandford.html

O livro começa com um assassinato (jura?) e um homem que se denomina Lunar é o assassino.
Virgil aparece logo em seguida, foi chamado para solucionar o caso em parceria com as autoridades locais.
Virgil já conhecia a cidade e também já conhecia Jim, o delegado da cidade que está concorrendo a releição. Em alguns momentos Virgil lembrou-me do detetive do livro "Assassinatos na Academia brasileira de letras" aquela apelação sexual desnecessária, o homem fatal, o cara é mal arrumado e largado, mas todas as mulheres que ele olha querem dormir com ele (Bah! Esse tipinho me enoja), e o fato de várias das conversas descontraídas do livro caírem em sexo, me irritava.
Mas fui continuando a leitura. Dando uma chance, como dizem.
O livro não perdeu essa característica, mas melhorou depois da página 190.
Outros assassinatos ocorreram e Virgil sofre um atentado, nesse momento ele percebe que precisa resolver esse caso o mais rápido possível.
Tem uma pista a vai atrás dela, mas são muitos os suspeitos, Bill Jr. , Jim, a mãe dele, o pastor da região, uma filha bastarda, alguma antiga amiga de Bill, ou alguns outros fazendeiros da região que foram prejudicados por ele.
Para ajudar a pensar, Virgil escreve romances policiais nas horas vagas, e está escrevendo um baseado no caso em que está solucionando, seu personagem é Homer, e ele usa Homer para analisar os casos de outro ângulo. Usando esses personagens, e fazendo análises ele começa a achar outros envolvidos e a chegar mais perto de quem realmente cometeu os crimes.
As cenas de ação são boas, para quem gosta de uma boa perseguição a lá policial vai adorar!
Virgil é um personagem legal, se não fosse essa apelação que citei ele seria eleito um personagem favorito do ano (lembrando que esse é o meu segundo livro no ano, então ele tem grandes chances de perder o posto haha).
A leitura me foi um pouquinho arrastada até a página 190, mas depois fluiu muito bem e terminei o livro rapidinho.
É gostoso ler policial porque você fica analisando os personagens e pensando, mas tal pessoa tem uma atitude estranha, tal pessoa é muito conveniente e tals rs.
Eu matei a charada junto com Virgil do assassino, mas antes do livro mostrar desconfiava de um personagem, e eu estava certa no final. Adoro! rs
comentários(0)comente



Milla 18/12/2012

www.amorporclassico.com
Em uma pequena cidade do interior, um casal de idosos é assassinado e cabe ao detetive Virgil Flower solucionar o caso. Ao chegar no lugar, ele se depara com um incêndio logo identificado como mais um assassinato, o do velho e rico Bill Judd.

Todos na cidade têm motivos para desejar a morte de Bill porque anos antes ele causou um enorme prejuízo em toda a população fazendeira local.

Virgil une-se ao xerife da cidade - que precisa solucionar estes casos para garantir sua reeleição - para descobrir o culpado e o motivo das mortes.
Durante as investigações, mais um casal de idosos é assassinado e a cidade - sem registros de crimes há vinte anos - fica assustada.
Virgil precisa urgentemente encontrar e parar o assassino antes que mais pessoas morram.




A trama é interssante e o mistério de John Sandford é bem escrito, talvez não tenha sido muito bem desenvolvido no quesito suspense, mas o enredo é bem amarrado e no final das contas não é nada alienado e irreal.

O que não gostei no suspense foi o fato dos capítulos serem muito entrecortados, como se quisesse forçar as aberturas nas informações.

Outro aspecto positivo para mim foi o humor da escrita, o livro não é tenso porque é engraçado. É um bom livro para distrair, mas não dá para ficar obcecado pela história.
Em diversos momentos, nosso heroi se vê estacionado e sem novas informações para solucionar o caso, diante de pistas falsas e confusas que o levam a um pastor louco, ao codinome "homem da lua" e a desconfiar das pessoas que estão lhe ajudando nas investigações.

Enquanto isso, ele está se envolvendo com Joan Stryker - irmã do xerife - e está incentivando o relacionamento do próprio xerife com Jessica - uma possível filha de Bill Judd.
Entendam: o livro é bom e tem vários pontos positivos (ninguém tem sete vidas, ninguém ressuscita, não existe nenhuma conspiração a nível mundial), mas faltou algo.
Virgil Flower não é carismático, não é envolvente, não é sedutor (ele foge do padrão dos detetives que fizeram sucesso na literatura - e isso poderia ser uma particularidade boa, mas faltou graça nele por isso). Ele combina botas de cowboy com camisas de banda e traz três divórcios em seu currículo. E, apesar de tentar ser escritor nas horas vagas, eu não me senti envolvida.

Portanto, somando lá e subtraindo cá, o livro ganhou três estrelinhas lá no skoob.
comentários(0)comente



Angélica 01/12/2012

Sem carisma...
Faz tempo que quero ler algum livro do John Sandford, pois adoro thriller policial!
Em vista disso, resolvi ler A Sombra da Lua, publicado pela Editora Arqueiro. Só o título já achei instigante! E a capa também me chamou bastante a atenção, achei linda!

No entanto, a leitura não correspondeu às minhas expectativas. Achei a narrativa do autor confusa e a trama não conseguiu prender a minha atenção.

O personagem principal se chama Virgil Flowers – um investigador do Departamento de Detenção Criminal de Minnesota - que é escritor em suas horas vagas.

Virgil é enviado para uma cidade do interior, chamada Bluestem, para dar apoio à polícia local na investigação de um assassinato de um casal de idosos.
Chegando lá, Virgil se depara com um grande incêndio em uma casa. Vai lá averiguar o fato e descobre que morava nessa casa Bill Judd, um fazendeiro idoso odiado por muitos na cidade.

Como Bluestem é uma cidade pacata, onde esse tipo de crime pouco ocorre, Virgil fica intrigado com essas mortes tão próximas e em um curto espaço de tempo.
A partir daí, ele decide ir a fundo nos casos para descobrir que correlação há entre ambos e quem é o autor dos crimes.
Mas, para isso, Virgil terá que se aprofundar na história da cidade e das pessoas que fazem parte dela. E, isso, acaba trazendo grandes problemas para ele.

O livro me lembrou bastante aqueles filmes americanos em que a história se passa no interior, onde o xerife usa aquela estrela na roupa e os policiais andam com trajes de cor bege, com um belo chapéu e uma grande fivela no cinto.
Além disso, mostra bem a realidade o interior, onde todos os habitantes se conhecem, sabem tudo da vida um do outro e possuem grandes segredos de família.

Achei a ideia da trama legal, mas além de eu ter achado a narrativa do autor confusa, os personagens não me conquistaram.
O personagem principal, Virgil, não possui carisma, nem profundidade - o autor não conseguiu me convencer de que o protagonista pudesse ser alguém real.
Outro fato que me incomodou é que a história possui muitos personagens e vários deles possuem nomes parecidos, já que pertencem a mesma família. Achei bem complicado lembrar quem é quem no meio da leitura. Chegou um momento em que fiquei perdida, pois é quase impossível conseguir decorar todos os nomes dos personagens.

Enfim, A Sombra da Lua é um livro para se ler sem muitas expectativas, para passar o tempo.

Mas, de qualquer forma, valeu a diversão. Pois, não resisto a um suspense policial!

* Confira outras resenhas em http://pensamentotangencial.blogspot.com
comentários(0)comente



Ana 20/11/2012

Falta agilidade
Falta agilidade. Não me identifico muito com a forma de escrita desse autor. E ao final, a história fica um pouco previsível.
comentários(0)comente



28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2