Quem vai dormir com quem?

Quem vai dormir com quem? Sophie Kinsella




Resenhas - Quem vai dormir com quem?


28 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Dana Silva 06/02/2012

interessante... porém um pouco decepcionante.
Neste novo livro da minha diva Sophie Kinsella conhecemos vários personagens interessantes, em especial os casais Chloe e Phillip, Hugh e Amanda. Os dois casais têm um amigo em comum, o sommelier Gerard, que oferece sua casa de campo no sul da Espanha para seus amigos passarem umas férias, ele só não avisa que as famílias terão uma bela surpresa ao chegarem ao local. Os dois casais são convidados na mesmíssima data, o que os leva a pensarem que houve um engano da parte do anfitrião e que tudo não passa de uma infeliz – ou não - coincidência.

Chloe e Phillip estão passando por problemas no casamento. Phillip está em vias de perder o emprego por causa de uma fusão de empresas e eles tiraram essas férias junto com os dois filhos Sam (filho apenas de Chloe) e Nat (filho dos dois) para relaxarem. Falar de trabalho é terminantemente proibido. Já Hugh e Amanda decidem tirar essas férias para tentarem uma reaproximação como casal e para Hugh conhecer um pouco as duas filhas pequenas, Octavia e Beatrice, já que é tão ausente por conta do trabalho, que não sabe nada a respeito das meninas.

O que Phillip e Amanda nem desconfiam é que, Chloe e Hugh já tiveram um passado juntos, um passado que não terminou bem para nenhum dos dois: ela saiu de coração partido por ter sido deixada de lado sem sequer uma explicação e ele também, mas por ter sido um covarde e ter fugido da situação que para ele, na época foi totalmente inesperada.

Bem, a estória tinha tudo pra ser muito boa, mas eu sinto que faltou alguma coisa. Não posso revelar o que acontece no final por causa de spoiler, lógico, mas eu posso afirmar que o livro passa boas mensagens para o leitor. Aprendemos que você deve trabalhar para viver e não viver para trabalhar, aprendemos o quão importante é amar e respeitar a nossa família, aprendemos que pai é o que cria, aprendemos que pedir perdão é irrelevante, a menos que se possa fazer algo a respeito, aprendemos que é impossível voltar no tempo, entre muitas outras coisas que não dá pra citar aqui.

Senti falta da explicação de Gerard para o acontecimento, que foi armação dele isso é fato, porém temos dois motivos cruciais, só não sabemos se foi pelo motivo 1 ou pelo motivo 2, que não vou citar, obvio, e para vocês saberem vão ter que ler. #hahaha Se Phillip e Amanda vão descobrir sobre o envolvimento de Chloe e Hugh no passado, vocês vão ter que ler também.

Destaque para a personagem da babá das filhas de Hugh e Amanda, Jenna, que é uma personagem interessantíssima, muito observadora e perspicaz, com um quê de sarcasmo e ironia que só ela é capaz, sem falar no visual descoladíssimo.


“-Eu estava explicando ao seu marido que me distraí no Free Shop – disse Jenna, acariciando a sacola – Estocando cigarros e bebida.
Houve um silencio embaraçoso, no qual Amanda olhou para Hugh contraindo a mandíbula.
- Brincadeirinha! – disse Jenna, cutucando Octavia, que começou a dar risadinhas.
- Ah – disse Amanda, desconcertada, tentando rir. – Bem, claro...
- Na verdade são preservativos, para quando eu sair – acrescentou Jenna em tom sério. Então seus olhos brilharam. – Brincadeirinha!”.


Neste romance, Sophie escreve com seu nome de batismo, Madeleine Wickham e apesar de alguns traços serem bem parecidos com os outros livros da autora, este tem um estilo mais adulto, porém, a escrita de Sophie é inconfundível e leve, a leitura flui de maneira rápida e agradável. Confesso que o final foi inesperado e decepcionante, pois eu esperava muito mais. A capa é linda mas eu acho que não combina muito com a estória em si, diagramação simples e folhas amarelas. Sem erros de digitação, ortografia ou concordância.
Mas eu sempre digo, leia para tirar suas próprias conclusões, você poderá ver a situação de uma maneira diferente da minha.
comentários(0)comente



18/04/2020

Esperava mais
É um livro bom, com uma história intrigante, mas esperava mais. Poderia ter desenrolado um pouco mais.
comentários(0)comente



Livinha 03/09/2020

Esperava mais
Eu esperava mais do livro! A história tinha tudo para ser legal mas acho que não foi bem explorada. As mentiras que a Chloe e o Hugh contam me deixaram enojada. Enfim, já li muitos livros bons da Sophie mas esse não foi um desses.
Kathrein 03/09/2020minha estante
Há eu também não gosto de livros onde os personagens são mentirosos. Da Sophie eu gosto dos livros leves que se passam no verão com um romance fofo e ambientações incríveis


Livinha 03/09/2020minha estante
A história se passa no verão durante a Espanha, cheguei até sentir vontade de ir pra praia! Kkkkkk mas fora isso o restante do livro foi bem ok.


Kathrein 03/09/2020minha estante
Hahahhahaha então a ambientação é bem do tipo que eu gosto




Paula Pimenta 05/07/2012

É da Sophie Kinsella mesmo??
Tive a maior decepção com esse livro, porque eu gosto muito da Sophie Kinsella. Eu já havia inclusive lido outro livro dela como Madeleine Wickham (The Wedding Girl - http://www.skoob.com.br/livro/55487) e tinha adorado, então fiquei realmente decepcionada com esse.

O triste é que o livro até que começa bem, eu estava gostando, mas a partir de um ponto comecei a ter raiva de todos os personagens (menos da babá, ela é ótima!) e a história tomou um rumo estranho.

Pena que esse foi o primeiro livro publicado no Brasil da Sophie com o pseudônimo de Madeleine (mas que na verdade é o nome real dela), porque muita gente vai ficar com birra da escrita da "Madeleine". Mas, como eu disse, o "The Wedding Girl" é bem legal, vale a pena não julgar apenas pelo "Quem vai dormir com quem?".
comentários(0)comente



guidix3 16/12/2020

Com certeza o mais fraco que eu li até agora da Sophie (sob seu nome Madeleine Wickham), mas nada muito negativo a ponto de não indicá-lo para leitura. Leitura super fluida e rápida. Da pra ler em pouquíssimos dias.
comentários(0)comente



Mari 08/08/2020

Este é o primeiro livro de Sophie que não me agrada muito. Senti raiva dos personagens do início ao fim, e a forma como as coisas se desdobram não é muito orgânica. É fácil e rápido de ler, mas não leria novamente.
comentários(0)comente



Kinha 16/06/2013

Um grande divertimento... Ou não.
"Um grande divertimento"
THE DAILY TELEGRAPH

Não, não e não. Não se iluda com essas palavras escritas na capa.
Somente alguém com o senso de humor deturpado como Gerard Lowe poderiam considerá-lo divertido, em qualquer sentido.

Se você procura a escrita já conhecida de “Sophie Kinsella”, pode esquecer, pense em Madelaine Wickham como uma pessoa totalmente diferente, uma desconhecida e, só então você poderá desfrutar do livro que aborda temas sérios como a infidelidade, a rotina e a pressão familiar por exemplo. Porém, mesmo se tratando de alguns temas bem sérios, não consegui acrescentar uma única qualidade a esse livro, não achei os personagens cativantes – nenhum deles – o que é muito chocante para mim, o tema foi fraco e o desenvolvimento da trama foi extremamente previsível. Não teve absolutamente nada que corresse fora do contexto, até mesmo Jenna, a baba, que às vezes tinha uma tirada interessante, se tornou maçante ao longo do livro com seu “amplo” repertório de brincadeiras. Os outros personagens então... Nem se fala.

Se você assim como eu, não curte uma “boa dose de realidade”, não recomendo esse livro. Afinal, de real já basta a minha vida, obrigada. E se você procura livros para se distrair, e se transportar para outro mundo. Esse livro não é nem de longe o mais indicado.
Virgínia Macêdo 26/04/2016minha estante
Adorei a sinceridade! Perfeita!
Parabéns!




Adriana 13/05/2012

Este é o primeiro livro da autora lançado com seu nome verdadeiro aqui no Brasil. Desconhecida para muitos, hoje lhes apresento Madeleine Wickham. Não sabe quem é? Pois é, eu também não sabia. Mas mencionar o nome Sophie Kinsella talvez abra seus horizontes, afinal este é o pseudônimo usado por Madeleine e que a tornou tão famosa no meio literário.

Não é segredo pra ninguém o quanto eu sou fã da autora de obras como Menina de Vinte; Samanta Sweet, executiva do lar; Lembra de Mim?; O Segredo de Emma Corrigan e da prestigiada e maravilinda série Becky Bloom *-* Por isso, quando vi nas livrarias este livro e parei para reparar no nome Sophie Kinsella (descobrindo na sequência uma coisa que jamais imaginei ser possível: que este nome era um pseudônimo), não tive dúvidas em relação a compra. Demorei um pouco para ler porque já tinha visto comentário dizendo que o estilo de escrita era diferente do de Sophie, o que me entristeceu.

Infelizmente, pude comprovar que isso era verdade e atestar que, realmente, Quem vai dormir com quem? deveria ser publicado com o nome verdadeiro da autora, pois a escrita não se parece em nada com a de nossa querida Sophie.

O livro gira em torno de dois casais que recebem uma casa na Espanha emprestada de um amigoem comum. Porém, eles não imaginavam que teriam de dividir a casa até chegarem lá. Amanda e Hugh não faziam ideia de quem era o outro casal. Chloe e Phillip também não. É, bem, na verdade isso não é bem verdade…

Chloe e Hugh tiveram uma história há muito esquecida por ambos. Hoje são casados, tem filhos e uma vida que não abre espaço para antigas lembranças. Qual não é a surpresa dos dois ao se encontrarem naquelas férias?!

É aí que começa o verdadeiro drama, afinal feridas profundas podem até cicatrizar, mas sempre deixam uma marca… E esta marca ainda é bem visível em Chloe e Hugh.

O livro é rápido e fácil de se ler, o que não quer dizer que seja divertido. Esta foi a principal característica da escrita de Sophie que senti falta na obra. O livro não tem as tiradas sarcásticas, o humor e a diversão das protagonistas de Kinsella. Amanda e Chloe são meio apáticas neste sentido e Phillip e Hugh despertam menos paixão que uma ameba o.O

O livro é bem construído, tem uma história interessante que deixa boas lições ao leitor. Porém, recomendo enfaticamente que não leiam procurando indícios da escrita de Sophie e se baseando somente em seu nome para escolher esta obra. O livro é bom, mas não mais do que isso.

Resenha em: http://mundodaleitura.net/?p=3398
comentários(0)comente



Jaqueline 01/02/2013

É sempre curioso lidar com o pseudônimo de um autor. “Quem Vai Dormir Com Quem?”, publicado pela editora Record, foi escrito por Madeleine Wickham, mundialmente conhecida como Sophie Kinsella, autora da divertida série “Becky Bloom”.

Se você iniciar esta leitura esperando uma comédia hilariante no estilo de “Samantha Sweet, Executiva do Lar” ou “Lembra de Mim?”, a decepção será certeira. Dramático, com protagonistas mais velhos e um tema central bastante controverso, este livro me pegou de surpresa. Pela sinopse e pela capa (que me lembrou demais a série “Gossip Girl”), eu poderia jurar que “Quem Vai Dormir Com Quem?” se tratava de uma obra leve e descontraída, mas Madeleine Wickham me surpreendeu com a abordagem de temas que eu consigo extremamente sérios: adultério, confiança, decepções familiares e profissionais e amadurecimento.

A história nos apresenta dois casais ingleses que não estão vivendo seus melhores dias e acabam tendo que dividir a casa emprestada por um amigo em comum na Espanha durante suas férias. Chloe, uma costureira, vive há 13 anos com o gerente bancário Phillip e tem dois filhos. Na tentativa de fazer com que o companheiro deixe de lado os problemas que estão ameaçando seu emprego, ela decide embarcar com a família para uma pequena vila no ensolarado país ibérico. Já o casal formado por Amanda e Hugh, um rico empresário, busca escapar das obras de redecoração que sua casa está passando, o que torna o ambiente estressante e pouco saudável para suas duas filhas pequenas. O que poderia ser o início de uma série de trapalhadas com muitas tiradas divertidas transforma-se algo denso e doloroso quando descobrimos que Chloe e Hugh tiveram um envolvimento amoroso muitos anos atrás. Feridas que pareciam estar completamente curadas ressurgem e antigas recordações começam a mexer com os sentimentos dos dois, criando uma trama extremamente tensa e dramática.

Não espere por situações hilariantes - a única personagem que traz um pouco de frescor a história é a babá das filhas de Amanda e Hugh, uma jovem australiana que logo se torna a menina dos olhos do filho adolescente e boboca de Chloe. O único paralelo que eu pude criar entre o estilo narrativo de Sophie Kinsella e Madeleine Wickham foi a extrema fluidez da história, já que as tramas desenvolvidas não poderiam ser mais diferentes. Contando a história de casais em fases críticas de seus relacionamentos, este livro passa longe da diversão, ainda que seja muito rápido e fácil de ler.

Confesso que simplesmente detesto histórias que giram em torno do tema “adultério”. Não consigo deixar de me colocar no lugar da pessoa traída, o que acaba comprometendo bastante a minha percepção da história e dos personagens. Ainda que a trama de “Quem Vai Dormir Com Quem?” seja bem construída e interessante, foi difícil criar algum vínculo com os personagens do livro. Com muitos problemas na cabeça, Phillip e Hugh dedicam-se mais à bebida do que qualquer outra coisa, passando longe do padrão de homem charmoso que nos faz suspirar. Amanda, ainda que muito dedicada e carinhosa com suas filhas, é uma mulher fútil e esnobe, enquanto Chloe prova ser emocionalmente imatura e frágil a cada capítulo. Eu não esperava um final diferente do que foi apresentado, mas não pude evitar certo mal estar pelas pessoas que nunca souberam do passado de seus parceiros.

Se você é fã de Sophie Kinsella e deseja algo no estilo que consagrou o pseudônimo, passe longe de “Quem Vai Dormir Com Quem?”. Porém, se você deseja conhecer a jovem autora Madeleine Wickham, mergulhe já nesta realista e densa trama sobre relacionamentos adultos.


>> Resenha publicada no site www.up-brasil.com
comentários(0)comente



Livia.Oliveira 22/04/2020

Leitura rápida, bom para passar o tempo....
Quando comecei o livro, vi que havia muitas resenhas negativas e a nota do livro não era muito boa e acho que por isso acabei me surpreendendo positivamente com uma boa leitura. O que mais gostei da história é que ela nos mostra que as vezes precisamos nos confrontar com algo que não ficou solucionado no passado para podermos realmente seguir em frente sem qualquer remorso ou qualquer tipo de pensamento duvidoso. Adorei o final que não foi nem um pouco clichê. Nota: 3,5
comentários(0)comente



Mai 06/02/2021

Sentimentos confusos em relação a essa leitura.
Eu não sei muito bem como definir essa leitura em palavras. "Quem vai dormir com quem?" com certeza foi uma livro bem diferente do que eu imaginei que seria começando pelo inusitado fato de que eu NÃO torci pelo casal principal. Inclusive, me apeguei mais aos demais personagens e tive mais empatia por eles do que por Hugh e Chloe. Mas isso não me surpreende. Essa, mais do que uma história de "amor", é uma história onde se enxerga as injustiças da traição. Não foram poucos os momentos em que me vi enojada e revoltada com Chloe e Hugh, inclusive no final...
Não, eles não são culpados pela forma como se sentiam, mas com certeza são culpados pela forma como agiram. Bem, essa é minha visão.
Ainda estou num processo para decidir se gostei ou não do encerramento da história, mas certamente gostaria de mudar algumas coisas se pudesse.
A escrita da autora é aagradável e fácil de ler, nesse quesito, não me recordo de nenhuma reclamação.
Por fim, foi uma experiência "diferente".
comentários(0)comente



Nad' Openthebook 01/06/2020

Chloe safada !
Pense numa salada de frutas ..

De um lado uma mulher hiper cansada, precisando relaxar, um marido prestes a perder o emprego, um adolescente precisando transar, um pré adolescente que vai na onda de seu irmão. Uma família.

Do outro lado um homem viciado em trabalho, que não conhece direito suas próprias filhas por causa disso, uma mulher controladora, e duas crianças que não param um instante. Uma familia, que de lambuja tem uma babá temporária que fuma um baseado, toma uns gole e fala verdades como se fossem brincadeiras!

Ambos vão parar na Espanha, de férias, na casa de um amigo, do qual emprestou a propriedade para eles sem se atentar que iam todos na mesma semana.

Para piorar .. Chloe a mulher cansada do seu trabalho é ex namorada do homem que só pensa em trabalho o Hugh. E ninguém sabe. Ambos vivem um martírio dentro daquela casa durante uma semana.


Minha visão ?

Tem sexo, drogas, segredos, bebedeiras, brigas, inundação, tudo que a história merece. Senti falta do toque de humor que só essa autora tem, e de um final arrebatador .. mas a trama é maravilhosa!! ??
comentários(0)comente



Maria 22/07/2020

Ah muito sem graça
Duas famílias,vão passar férias em uma casa do Gerard,(amigo dessas famílias).
O que essas famílias não sabiam que eles iam passar juntos na mesma casa!

Phillip e Cloe estão nervosos por causa dos trabalho de Phillip,que está quase sendo desempregado!
Hurg e Amanda,estão tendo uma reforma e Hurg mal sabe direito da sua família !

Até que esses casais se encontram e mal sabem por o que esperar!
Dois amantes em uma confusão,será que eles vão voltar ou continuar com seus casamentos horríveis?


Realmente achei esse livro razoável,uma história meio sem graça!Não da vontade de saber o que vai acontecer!Muita lenga-lenga!
Não recomendo este livro a ninguém!
comentários(0)comente



Denise 30/01/2013

Péssimo
Breve comentário apenas para constar a decepção com a obra desta autora que admiro tanto.
Leitura que não motiva em nada. Na verdade, é tão indiferente e superficial que nem consigo dizer porque achei ruim. É simplesmente muito fraco.
Juh Avila 13/05/2013minha estante
Que bom que alguém concordou comigo! Tb achei esse livro uma droga...aliás Louca para Casar, tb assinado como Madeleine Wickan tb foi péssimo. Por favor, Madeleine, volte a ser Sophie!




28 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2