O Detetive Parker Pyne

O Detetive Parker Pyne Agatha Christie
Agatha Christie




Resenhas - O Detetive Parker Pyne


13 encontrados | exibindo 1 a 13


Emilia Yumi 10/07/2019

12 contos voltados para a natureza humana...
Nesse livro encontramos 12 contos protagonizados pelo detetive Parker Pyne. Este é um detetive diferente que lida mais com questões da natureza humana. Ele publica nos classificados: "Você é feliz? Se não, procure por Parker Pyne".
Os meus preferidos foram:
3. O caso da sra. angustiada - uma senhora angustiada procura Parker Pyne para devolver discretamente um anel de diamantes. Mas esta história esconde uma engenhosidade que PP desvenda incrivelmente...
6. O caso da milionária - uma senhora milionária procura PP para ter alguma coisa emocionante em sua vida. E ele cumpre com a missão...
8. O portão de Bagdad - uma morte dentro de um ônibus de turismo... morte acidental ou assassinato. PP soluciona este mistério...
10. Uma pérola valiosa - Um brinco de pérolas desaparece. Uma perda ou um roubo? PP novamente está por perto para solucionar o mistério...
12. O oráculo de Delfos - Um sequestro, um pedido de resgate em diamantes... PP novamente estará presente para ajudar a mãe angustiada...
Um livro um pouco diferente da Rainha do Crime mas de leitura fluida e divertida... Recomendado para os fãs...;)
comentários(0)comente



Keeh 20/06/2019

Eu particularmente no começo não gostei nem um pouco do personagem principal então eu parei de ler, depois de muito tempo voltei a ler ele e gostei, são vários casos que os primeiros são bem mais ou menos mais depois fica melhor
comentários(0)comente



Aninha | @pactoliterario 18/05/2019

Agatha Christie mais uma vez me presenteando com ótimas história de suspense policial. Dessa vez temos como nosso personagem principal o detetive Parker Pyne.

Parker Pyne tem seu próprio escritório e um anúncio no jornal que diz:


"Você é feliz? Se não for, consulte o sr. Parker Pyne na rua Richmond, 17."

A partir daí nós temos seis casos de pessoas que procuram Parker Pyne por acharem que não são felizes o suficiente e seis casos que acontecem enquanto ele está viajando de férias.

Irei contar um pouco de alguns dos casos presentes no livro.

No caso 2 somos apresentados à um soldado que está em Londres, porém não se habituou ao lugar por ser muito calmo, ele gosta de ação e de se envolver em perigo, assim como ele faz nos campos de guerra. Parker Pyne cria um caso em que uma moça aparece para ele pois seu advogado lhe disse que seu falecido pai deixou uma herança para ela, só que ela teria que achar um mapa que seu pai escondeu. Por um acaso o soldado acha essa moça sendo encurralada em lugar por dois ladrões que querem o mapa e então ele a ajuda e parte para trajetória de tentar achar o que aquele mapa esconde.

No caso 3 nós temos a Sra. St John, que ao visitar a casa de um casal de amigos com o seu marido, Naomi, uma mulher muito rica e dona do lugar, pediu para ela quando voltasse para a sua residência, que fosse numa joalheria e consertasse seu anel de diamantes que soltou o engaste. Como Daphne estava muito endivida, pediu para criarem uma cópia idêntica ao anel verdadeiro e entregarem na casa dela. Daphne vendeu o anel e pagou as dívidas que tinha. Mas após uma tia sua morrer e deixar para ela uma boa herança, ela compra o anel de volta e quer devolver aos donos, e claro, quer a ajuda de Parker Pyne para fazer isso.

O caso 6 é o caso da sra. Abner Rymer, que ficou milionária após seu marido morrer e ela toma posse de todo o dinheiro e empresas dele. Só que apesar de ter bastante dinheiro, ela já comprou tudo o que queria na vida dela, e agora não tem mais nada para fazer, então recorre a Parker Pyne para ajuda-la a arrumar uma coisa que ela possa comprar e que faça valer a pena.

O caso 12 conta a história de uma mulher e seu filho que estão na Grécia por causa que ele, Willard, gosta bastante de antiguidades, então vive viajando para lugares históricos juntamente com a mãe. Só que ele é sequestrado e mandam uma carta para a mulher dizendo que ela terá que pagar uma quantia em dinheiro para que soltem o filho dela novamente. Esse caso foi o melhor do livro, pois Parker Pyne não foi escolhido ou escolheu participar desse caso, ele praticamente foi obrigado a se envolver.

Não irei falar de todos os contos pois o livro tem vários. Foi minha primeira experiência com o detetive Parker Pyne e eu gostei bastante, com certeza futuramente desejo ler outros livros da autora em que ele esteja presente.

Apesar de ter gostado da maioria dos contos, achei alguns bem fraquinhos e a história não me convenceu. Apesar do livro ser bem antigo e a linguagem bem diferente, a narrativa da autora é maravilhosa e fluiu perfeitamente, como sempre, Agatha dando um show.

Por um milagre, eu consegui acertar o final de um dos casos em que ocorre um assassinato, eu premeditei o culpado e acabei acertando. Fiquei bem feliz, pois isso não ocorre com frequência em um livro da Agatha, haha.

Encontrei o livro baratinho em um sebo, foi apenas 4 reais e apesar de seu estado não muito conservado, valeu muito a pena, não me arrependo nem um pouco.

Fica a dica para quem gosta de um livro com contos curtinhos e do gênero suspense policial, Agatha Christie mais uma vez me proporcionou ótimas horas de boa leitura.

Resenha postada originalmente no blog Pacto Literário.

www.pactoliterario.blogspot.com.br
www.instagram.com.br/pactoliterario
comentários(0)comente



RUDY 01/07/2018

ANÁLISE CRÍTICA E DA AUTORA
Acredito já ter falado que estou fazendo releitura dos livros da Ágatha Christie, minha eterna diva desde a adolescência. E alguns, como este, não lembro de ter lido e foi uma grande surpresa boa.
O protagonista não é uma personagem das mais conhecidas da autora e por isso, pelo menos para mim, o livro tornou-se inusitado. Através do protagonista podemos observar a grandeza da autora já naquela época, mostrando um formato ‘básico’ sobre o comportamento humano e formas até fáceis de resolver determinados problemas, que se tornam grandes, para quem vive a situação.
E claro, não poderia fugir a sua origem de escrita que são os suspenses policiais. Tinha de ter uma ação, um assassinato, ladrões e a resolução inesperada através das conjecturas do detetive.
É uma leitura rápida, divertida e traz um entendimento melhor sobre o comportamento humano. Merece ser lido, embora precise de uma revisão ortográfica.

site: http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/2018/06/resenha-34-o-detetive-parker-pyne.html
comentários(0)comente



J R Corrêa 12/02/2018

O detetive Parker Pyne
Na página de classificados do The Times, um anúncio insiste em provocar curiosidade nos leitores: “VOCÊ É FELIZ? SE NÃO FOR, CONSULTE O SR. PARKER PYNE”. Depois de 35 anos compilando estatísticas em uma repartição pública, o detetive Parker Pyne decide empregar seu conhecimento de forma inovadora: salvando casamentos, acrescentando aventura ou dando sentido à vida de seus clientes. No lugar de crimes insolúveis, ele se dedica a investigar os recônditos do coração humano. Porém seus talentos não se restringem a seu escritório; quando viaja de férias, incógnito, o consultor sentimental é forçado a usar seu conhecimento da natureza humana para enfrentar ladrões, e até mesmo desvendar assassinatos.

Publicado primeiramente em 1934, o livro reúne catorze histórias protagonizadas por este improvável detetive.
comentários(0)comente



CisoS 28/12/2017

Moderno, década de 30
Solução de problemas por estatística. Embora a premissa seja abandonada em troca de uma abordagem mais detetivesca, é um bom ponto de partida para os contos.
E uma visão das viajens na década de 30.
Um conto ?morte no nilo? com o Parker Pyne.
Bem divertido.
comentários(0)comente



Evelyn 27/07/2016

Primeiro livro de Agatha Christie que leio e não trata de uma trama envolvendo assassinato. É dividido em doze contos diferentes, sem qualquer ligação, no qual sempre aparece o detetive Parker Payne. O que achei interessante foi o modo como ele é envolvido nas histórias e as suas resoluções.
comentários(0)comente



Lívia 26/01/2016

Parker Pyne é o melhor
Esse cara é um trambiqueiro de marca maior. O que faz esse um dos livros mais divertidos da Agatha. Tem mistério e tudo mais, mas com um toque cômico.
comentários(0)comente



Felipe 16/06/2015

a ignorancia sobre estatisticos dela ofende...
comentários(0)comente



Lili Machado 06/07/2012

Você é feliz? Se não é, consulte Mr. Parker Pyne.
“Você é feliz? Se não é, consulte Mr. Parker Pyne, Rua Richmond 17. Fico no lugar do médico... mas... se me dedicar a um caso, a cura é praticamente garantida.” - Parker Pyne
Pyne passou 35 anos de sua vida compilando estatísticas num escritório do governo. Depois da aposentadoria, decidiu usar sua experiência:
“A infelicidade pode ser classificada sob cinco títulos principais. Uma vez conhecida a causa da moléstia, o remédio não deve ser impossível.”
Pyne é um homem corpulento, sem ser gordo, calvo, olhos brilhantes por trás de lentes grossas. Inspira confiança. Sempre se vangloria de fazer as pessoas felizes ou devolve o dinheiro.
Este livro é uma coletânea de contos protagonizados pelo especialista em corações partidos, Parker Pyne.
Adepto de remendar esses corações ou, quem sabe, os fragmentos de um mistério de assassinato, Pyne é, possivelmente, o mais estranho detetive particular – e, certamente, o mais charmoso.
comentários(0)comente



Natalia 24/06/2012

Um detetive nada convencional
Apesar de não trazer os dois detetives mais famosos das obras da Agatha Christie, o detetive Parker Pyne não vai decepcionar você.
Tão excêntrico quanto Hercule Poirot e tão observador da natureza humana quanto Miss Marple, Parker Pyne é um detetive diferente e carismático.
O livro traz 12 pequenos casos que o detetive se encarrega de solucionar utilizando métodos muito peculiares e nem um pouco conservadores.
Entre os casos, esta um soldado aposentado que esta entediado, cansado dessa vidinha mais ou menos, e sonha em ter um pouco de aventura. O problema é esse? Falta de emoção? Nada tema, com Parker Pyne não há problema. Ele não só agita a vida do aposentado, como arruma uma história mirabolante para isso que com certeza vai divertir você tanto quanto divertiu a mim.

Essa resenha encontra-se disponível no blog http://perdidasnabiblioteca.blogspot.com
comentários(0)comente



Mariana 21/02/2011

Apesar de gostar do personagem que dá nome ao título, não me empolguei e nem achei as histórias interessantes. Recomendo o livro a quem busca um passatempo sem compromisso.
comentários(0)comente



iemai 05/05/2010

O Oráculo de Delfos
Em O Detetive Parker Payne, Agatha narra doze histórias sobre Parker Pyne, um carismático personagem especialista em dados e em "assuntos do coração".
Para mim, se destaca a última história, entitulada "O Oráculo de Delfos". Genial. Simples e puramente Agatha Christie.
comentários(0)comente



13 encontrados | exibindo 1 a 13