Codinome Cassandra

Codinome Cassandra Meg Cabot




Resenhas - Codinome Cassandra


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Flavia 25/09/2012

Esperava mais...
Codinome Cassandra é o segundo volume da série Desaparecidos, de Meg Cabot, e Jessica Mastriani, a "Garota do Raio", está de volta. No primeiro volume (vide resenha aqui) Jess é atingida por um raio e passou a ter poderes especiais: o endereço de alguém desaparecido simplesmente lhe vem a cabeça. E isso causou muita confusão em sua vida. Só que dessa vez, cansada de ser perseguida pelo governo, pelo FBI, pelos papparazzis e por pessoas desesperadas das quais ela não sabe as verdadeiras intenções, Jess decidiu se manter no anonimato, alegando que perdeu seus poderes e não pode mais fazer nada pra ajudar ninguém, mas secretamente continua encontrando pessoas sem chamar atenção ou levantar suspeitas de que ainda tem o dom.

Nas férias, Jessica e sua melhor amiga, Ruth, vão para o acampamento de verão trabalhar como monitoras. Tudo bem que o acampamento é lá onde Judas perdeu as botas e completamente esquecido pela raça humana, mas isso é só um detalhe... Jess chegou lá toda feliz e satisfeita acreditando que seria monitora do Chalé das Garotas Frangipanas, mas acabou se decepcionando quando soube que Ruth é quem assumiria as garotas enquanto ela teria que ser monitora do Chalé Bétula, e ter que aturar os garotos bagunceiros e chatos.

Jéssica terá que lidar com o todo insuportável Shane, um menino prodígio, que assim como ela, é fera em tocar intrumentos musicais. O problema é que Shane é super mimado e não dá um minuto de sossego, e obviamente, Jess, que não aceita nenhum tipo de desaforo, não vai aliviar pro garotinho...
E é claro que os agentes "carrapatos" do FBI, Johnson e Smith, não acreditam que Jess tenha perdido seus poderes, e não têm a menor intenção de deixá-la escapar de suas vistas...

Até que ela recebe um pedido de ajuda de um pai desesperado querendo saber do paradeiro da filha sequestrada, mas mesmo deixando claro que perdeu os seus poderes, Jess decide investigar por conta própria, se metendo na maior roubada de sua vida.

"Codinome Cassandra" foi um livro muito esperado por mim. Depois que terminei de ler "Quando Cai o Raio", fiquei com aquele gostinho de quero mais, mas infelizmente, o livro não superou minhas expectativas. Digo isso pois não achei que nada de realmente novo e emocionante tenha acontecido na história que tivesse feito alguma diferença, muito pelo contrário.

Jessica continua com aquele jeitão "Suzannah" de ser. Xinga e bate nos outros e não está nem aí, mas ao mesmo tempo continua com aquela necessidade de ajudar quem precisa. Ruth está super chata e controladora e Rob, o "quase namorado" de Jess, teve uma participação tão pequena que mal pude acreditar. A química tão fofa que eles tinham no primeiro livro, parece ter desaparecido nesse segundo, pois ele está meio que indiferente apesar de ajudá-la muito, e isso sem nenhuma explicação.
O garoto, Shane, definitivamente é um menino chato, muito chato... e por mais que ele tenha evoluído no decorrer da história, não despertou minha simpatia.

Enfim... Esperava muitos acontecimentos, mas não achei que vieram nesse livro... O jeito é esperar pelos próximos.
Não vou dizer que é um livro ruim, pois não é. O livro é legal, a narrativa flui bem, eu achei a capa muito bonitinha, dá pra rir um pouco e se irritar com os personagens malucos, mas não foi o que eu esperava. Também não achei que o título tenha sido muito adequado...
Fiquei com aquela sensação de que lia e lia, mas nada de interessante e novo acontecia. E quando aconteceu, foi tudo de uma vez e acabou!
comentários(0)comente



Gabi 15/07/2012

www.livrosecitacoes.com

Eu tenho toda uma história com Meg Cabot até ela ter se tornado uma de minhas autoras preferidas. Há alguns anos, ela me deixou curiosa com O Diário da Princesa. Ela ainda estava longe de entrar no meu top 5 de autores favoritos mas estava perto. E depois de algum tempo, eu conheci A Mediadora e, como não poderia deixar de ser, dei muitas risadas com Suzannah e Jesse. Meg quase me convenceu com essa saga. Mas foi com 1-800-Where-R-You, aqui no Brasil traduzido como Desaparecidos, que eu fui flechada! Vejam bem, não digo que Desaparecidos é minha saga favorita, é difícil ter um primeiro lugar. A questão é que um autor é bom quando escreve uma saga que conquista milhares mas autor ótimo, fera, é autor que não é definido por uma e sim por várias sagas e livros. Sem dúvidas Meg Cabot está nesse patamar.

"Resistir a mim? Acho que não."

Desaparecidos nos apresenta Jessica Mastriani, mais conhecida como Jess ou Mastriani pelos ainda mais íntimos, uma garota que por azar do destino é atingida por um raio e a partir disso acaba desenvolvendo o estranho dom de encontrar pessoas. Em Codinome Cassandra, segundo capítulo de uma série composta por cinco livros, Jess esconde do governo, mídia e para quem mais estiver interessado de que continua conseguindo encontrar pessoas. Depois dos eventos de Quando Cai o Raio, Jess vai evitar ao máximo chamar a atenção para que não acabe virando rato de laboratório. Bem, mais fácil falar do que fazer porque mesmo Jess e sua turma estando de férias e trabalhando em um acampamento esquecido por Deus é quase um dom também para nossa protagonista se meter em confusões.

Se eu fosse colocar os melhores trechos do livro aqui, a Galera Record me processaria porque eu ia digitar o livro todo. Não tem parte ruim, sério. Todos os personagens são ótimos, até o mais irritante me fez dar risada. É um livro que te deixa de um humor leve e gostoso, rindo a toa, e acabei lendo-o em um pulo. Aliás, se houve algum erro de revisão por parte da editora, não encontrei de tão rápida que foi a leitura. Jess uma protagonista que cativa fácil, engraçada e adora resolver tudo na base da porrada, é o tipo de garota que ensina uma criança a quebrar o nariz de outra. Infelizmente, apesar de ser uma das melhores sagas de Meg, ela é pouco lida, tanto no Brasil quanto no exterior. Então aí vai uma dica, e uma das boas! Compre, leia e aprecie Desaparecidos. Se você gosta de livros jovens adultos, você não vai se arrepender.


"Ele é seu namorado?"
"Ainda não. Mas será."
"É mesmo? Quando?"
"Quando eu fizer dezoito anos. Ou quando ele não conseguir mais resistir à esmagadora atração que sente por mim e me agarrar. O que vier primeiro."
comentários(0)comente



Lu 04/02/2012

Eu já tinha feito uma resenha para Quando Cai O Raio recomendando toda a série Desaparecidos. Porém vi que Codinome Cassandra ainda não tem nenhuma(imagino que seja por que ainda não foi lançado no Brasil), então decidi fazer uma análise mais detalhada sobre esse livro.
Não consegui encontrar nenhum ponto negativo na história toda, ao menos não um que me preocupei em lembrar.
Jess vai trabalhar em um acampamento de verão para fugir de ter que ficar na mesa de vapor de um dos restaurantes do pai dela. Mas acontece uma pequena confusão e ela acaba tendo que tomar conta de uma cabana de meninos e não de dóceis garotinhas como era o esperado.
Em meio a dificuldade em controlar os pestinhas (em especial o garoto conhecido como "desafio" por ser basicamente impossível de controlar), Jess ainda tem que convencer Rob de que a idade dela pouco importa, lidar com os agentes do FBI que não saem do seu pé e atender o pedido de um pai desesperado para encontrar a sua filhinha.
Isso sem contar que fica cada vez mais difícil manter seu emprego e seu segredo com os agentes Johnson e Smith de olho nela e o desconfiado Shane a provocando.
O livro não perde o clima divertido e Jess ainda é a mesma pessoa com tendências violentas e que quer resolver as coisas por sua conta. E Rob continuou arrancando suspiros meus, ele até que tenta esconder a sua preocupação (e um pouquinho de ciúmes) com a Jess, mas não engana ninguém. Eu li tudo em um único dia, já que uma vez que li a primeira página não consegui parar de devorar as palavras.
Não sou muito boa para descrever as coisas detalhadamente, mas posso garantir que não é um livro que permite arrependimentos. Meg Cabot é minha escritora favorita quando se trata de livros para adolescentes e a série Desaparecidos está entre as melhores dela. Não sei por que a Galera Record demorou tanto para trazer o livro para o Brasil.
Eu certamente vou reler o livro assim que sair nas livrarias.
comentários(0)comente



Juliana Cohen 27/12/2012

A série continua ótima! Não encontrei nada ruim sobre o livro. Engraçado, fofo, muito bem escrito, fácil e rápido de ler. Recomendo!
comentários(0)comente



Mariana Garcia 19/08/2012

Codinome Cassandra – Meg Cabot | O Blog da Mari
Há algum tempo fiz a resenha do livro quando cai o raio aqui no blog e agora estou aqui para comentar sobre Codinome Cassandra, a continuação do livro. Assim que terminei de ler o primeiro livro da série, fiquei bem curiosa em relação ao segundo livro. Queria saber com a autora continuaria contando a história de Jéssica Mastriani, a garota relâmpago. E gostei muito da forma, que a autora conduziu a história mostrando mais da personalidade da Jess, mas mantendo os momentos divertidos.

Em Codinome Cassandra, Jess continua dizendo a todos, que perdeu os seus poderes, contudo não deixa de ajudar as pessoas que estão desaparecidas, dessa vez tomando um pouco mais de cuidado e claro trabalhando anonimamente. Nesse verão, ela está trabalhando como monitora em um acampamento de música, junto com Ruth, porém diferente do que ela havia imaginado nem tudo são flores, principalmente quando fica sabendo, que não cuidará mais das garotas Frangipanas, mas sim do grupo de garotos Bétulas. Grupo esse que tinha um insuportável garotinho, Shane. Durante o livro, você pode até mudar de opinião e simpatizar mais com ele, mas no meu caso, o achei quase que insuportável, com seu jeito mimado de ser.

“Shane: Espere até o meu pai saber que péssima monitora você é. Vai fazer você ser demitida, com certeza

Jess: Nossa. Você quer dizer que eu vou poder ir embora e nunca mais ouvir você choramingando? Que punição.”

Continue lendo a resenha aqui http://bit.ly/NVnjpL
comentários(0)comente



Jéssica 14/08/2014

Codinome Cassandra
Se não leu o primeiro, pare por aqui!

Como o outro era livro de abertura, achei esse muito mais divertido. Quando cai o raio terminou com a Jess dando uma entrevista dizendo que perdeu todos os poderes para tirar o FBI do pé dela. Infelizmente, pra ela, não é exatamente o que acontece, pelo contrário, eles a vigiam de todas as formas para provar que ela mentiu na entrevista.

Jess está nas suas férias de verão, com isso ela tem que escolher entre trabalhar em um dos restaurantes do seu pai ou ir para um acampamento de músicos como monitora de crianças artistas. Obvio que ela escolhe a segunda opção, ela não aguenta mais passar o verão trocando a comida do self-service.

O combinado era Jess monitorar o grupo das garotas, com um lindo quarto e ótima vista pro lago, mas tudo dá errado quando um dos monitores dos meninos não pôde ir e ela troca de grupo. Imagina um monte de crianças e soma isso ao fato deles serem meninos e implicantes. Pois é. Mas até que Jess tira de letra, o jeito dela moleca de lidar com as coisas a ajuda, e muito!

Mesmo ela dizendo para todos que perdeu os poderes, Jess ainda ajuda a central de desaparecidos. Rosemary, a simpática atendente da central, passa a ajudá-la enviando somente fotos de crianças que querem ser encontradas, mas apenas algumas, para não chamar muito a atenção do FBI.

E é claro que Jess não ia passar sem uma confusão. Indo atrás de investigar por ela mesmo, mais uma vez ela se mete em uma enrascada e, mais uma vez, ela recorre à Rob por ajuda.
Muita diversão, confusão e uma certa dose de adrenalina é o que você pode esperar dessa livro.

site: http://reviewiing.blogspot.com/2014/08/resenha-desaparecidos-codinome.html
comentários(0)comente



Thaís 22/08/2012

Adorei
*-----* muito bom
comentários(0)comente



Ani 09/12/2015

Um ano após de ser conhecida pelo mundo todo como A Garota Relâmpago, tudo o que Jess quer é passar as férias em paz. Acho que não contei e, podem ficar tranquilos que não tira o brilho do livro, mas quando Jessica Mastriani foi atingida por um raio no livro passado, ela teve algumas consequências e eu não estou falando da marca que ficou no seu tórax. Jess passou a localizar pessoas desaparecidas.
Acontecia assim: Ela via uma foto e sonhava com aquela pessoa. Isso mesmo, algo no raio ativou esse lado nela e claro que ela começou ajudar os pais que procuravam seus filhos. Acontece que as 20 denúncias em menos de um mês acabaram chamando atenção do FBI que “querendo ajudar” acabaram pedindo que Jess trabalhassem para eles.
Mastriani sempre foi muito esperta quando o assunto é falcatrua e por isso, decidiu fingir que nada estava acontecendo. Como os poderes vieram, foram embora. Ela mentiu para todos só para poder ter a vida dela de volta e assim tentar fazer com que Rob assuma um relacionamento com ela.

"Não é só que eu tenha problema com as pessoas tocarem em mim. Tá, estou dizendo que tenho. Se você não me conhece, guarde suas mãos com você. Qual é a dificuldade?"

Mas acontece que ele é maior de idade – e ela só tem 16 – e está em condicional, ou seja, ela é uma “chave de cadeia” e o FBI está com diversas escutas atrás de uma falha dela. Por isso – e para fugir do trabalho com o pai – ela aceita ir para Camp Wawasee trabalhar como monitora e tentar ser uma adolescente normal. Será que ela consegue?




Codinome Cassandra é o segundo livro da série Desaparecidos e dá continuidade a Quando Cai o Raio, nesse volume acompanhamos a evolução e as tentativas de Jess em ser uma adolescente normal. O que é quase impossível se tratando da Garota Relâmpago. Nesse volume, o romance está um pouco mais presente, mas não é o foco do livro. Jess como qualquer menina de dezesseis anos fala constantemente do seu amor não correspondido por Rob e esse já aparece bem pouco, apenas no final e com um papel bem importante para o desenrolar do livro.

"Mas outra coisa que aprendei na última primavera é que quanto menos as pessoas souberem das coisas, melhor. De verdade."

Não sei o que a Meg tem ao criar personagens masculinos, mas é quase impossível não se apaixonar por Rob e olha que ele nem é o centro do livro.

"- Me Faça um favor, Mastriani - disse Rob.
- Claro, o quê?
- Não me ligue."

Jess está mais responsável e amadurecendo durante a história e espero que continue nos próximos livros. Os livros dessa série não têm pontas soltas, mesmo começando no mesmo ponto do livro anterior não traz aquela angustia para ler a próxima obra. A diagramação está simples e condiz com o trabalho da Record a qual eu sou muito fã. Folhas amareladas, fonte agradável e as capas seguem um padrão até mesmo na cor.
Já estou com o terceiro e quarto livros da série em mãos, mas vou esperar um pouco para ler. Aconselho a leitura.

site: http://www.entrechocolatesemusicas.com/2015/12/codinome-cassandra-meg-cabot.html
comentários(0)comente



Psychobooks 16/07/2012

Mais uma vez Meg Cabot soube surpreender com bom humor, aventura, trapalhadas e um pouco de mistério.
Jess Mastriani ainda tenta se livrar dos federais e da fama de "garota relâmpago", afinal ela disse a todos que havia "perdido" o dom, mas aparentemente os agentes Johnson e Smith não acreditam muito nessa história...
Para fugir da mesa térmica do restaurante do pai durante o verão, Jess resolve se aventurar como monitora em um acampamento para crianças musicalmente super dotadas. Não sei onde isso é algo emocionante, mas a personagem em questão acha super excitante cuidar de doze menininhas, trançar os cabelos e fofocar durante a noite.
Mas como já vimos antes, Jess Mastriani é sinônimo de confusão, e só pra variar nada sai como esperado. Primeiro que ela acaba sendo realocada como monitora e acaba tendo que cuidar de um chalé de garotos e o que era pra ser uma simples localização de criança, acaba com um louco psicótico atrás dela.
A combinação Meg Cabot e Jess Mastriani não podia ter dado mais certo. O livro é irreverente, flui bem e os personagens são destaques a parte. Mesmo Ruth, melhor amiga da personagem, tem seus momentos. Apesar que achei o namoradinho da Jess, Rob - aquele do primeiro livro - meio destoado, até torci pra que ela arrumasse outro bofe.
E acho que a convivência dos dois federais com a nossa pequena rebelde os contagiou, ao menos um pouco, pois eles estão um pouco mais bem humorados do que em Quando Cai o Raio.
Não há o que criticar na história. O livro é simplesmente perfeito (pelo menos pro meu gosto!) Valeu a espera! Esse livro só me animou ainda mais pra terminar de ler a série A Mediadora da autora.
Fica a dica de leitura obrigatória pra quem gosta de diversão, aventura e uma personagem extremamente rebelde! ;)


Acesse:
http://www.psychobooks.com.br/2012/06/resenha-codinome-cassandra.html
comentários(0)comente



Vanessa Sueroz 09/01/2013

Neste segundo livro da série Jess te que lidar com os federais que não acreditaram quando ela disse que perdeu os poderes, Rob que ainda insiste em não dar uns amassos e que todos ainda a chamam de ‘Garota do Raio’ mesmo ela dizendo o contrário.
Jess esta de férias da escola, porém não é hora de ficar sentada curtindo as férias, ela e Ruth vão ser monitoras em um acampamento de música, então os problemas começam, o acampamento é no meio do nada e horas da civilização, não tem telefone e para piorar Jess acaba sendo monitora de uma turminha de meninos.
Na turma de meninos, além deles serem bem chatos Jess conhece o mala sem alça do Shane, um menino prodígio que é fera em tocar flauta, porém Shane é muito miado e não dá um minuto de sossego, mas o menino esta mexendo com a monitora errada e Jess não vai deixar um menininho passar por cima dela.
“Espere até o meu pai saber que péssima monitora você é. Vai fazer você ser demitida, com certeza”.
Tudo vai indo razoavelmente bem até que Jess recebe um pedido de ajuda de um pai desesperado para achar sua filha, e Jess resolve ajudar e acaba se metendo em uma grande confusão que pode colocar sua vida em risco.

Resenha completa: http://blog.vanessasueroz.com.br/codinome-cassandra/
comentários(0)comente



isa25 27/07/2012

Fraco
Definitivamente, Desaparecidos não é o meu tipo de livro. Eu li o segundo como uma segunda chance, pensando que talvez pudesse ser melhor que o primeiro.
Não me julguem! Eu gostei do livro, tem partes engraçadas, mas não tem absolutamente nada de ação! E quando tem, é contada em no máximo 5 páginas. O livro em si é bem parado e os personagens não são os melhores.
Além do que eu simplesmente não consigo gostar do Rob. Talvez pelo fato de em todo livro ter um "Rob". Sempre o personagem bad boy que é a paixão da mocinha. Enfim, para quem não gosta de livros parados e sem muitas emoções, esse não é o seu livro!
comentários(0)comente



AmadosLivros 05/03/2015

Resenha do Blog Amados Livros
Não deixe de conferir nossa opinião sobre este livro no nosso blog! E lá também tem muitos outros livros legais! Dê uma passadinha lá! ;D
Link no final da postagem! ;]

site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2015/02/livro-codinome-cassandra-serie.html
comentários(0)comente



Elisa 01/06/2014

No segundo volume da série Desaparecidos, Jess está de férias e decide trabalhar como monitora em um acampamento para gênios musicais, achando que se afastar um pouco da cidade poderia ajudar a tirar o FBI da sua cola. Eles não pareciam ter acreditado, afinal, na história que contou à imprensa sobre ter perdido seus poderes psíquicos - e que van branca era aquela que não desgrudava da porta de sua casa?

Mas, é claro, manter sua mentira não seria tão fácil assim, ainda mais com tantas crianças desaparecidas sendo encontradas após ligações anonimas informando seus atuais endereços. Mesmo tentando ser discreta, uma criança por semana ainda era bem mais do que a polícia encontrava antes de Jess aparecer.

Logo o FBI passa a não ser o único suspeitando de sua declaração, quando Shane, uma criança especialmente problemática de sua cabana no acampamento, entra em seu quarto sem bater e a surpreende com a foto de um garoto desaparecido. As coisas ficam mais complicadas, entretanto, quando o pai desesperado de uma menina desaparecida a procura, implorando para que tentasse encontrar sua garotinha.

O Rob não apareceu muito dessa vez, mas pelo menos sua participação foi um tanto esclarecedora sobre seus sentimentos por Jess. Continuamos sem saber o que ele fez para estar em condicional, mas esclarecer isso tão cedo não teria graça, teria?

Codinome Cassandra talvez não seja um livro tão emocionante quanto o primeiro da série, mas nem por isso deixa de ser ótimo. A narração da Meg em primeira pessoa flui muito bem e a história corre de forma a sempre te deixar curioso sobre a próxima página.
comentários(0)comente



Camila 18/07/2012

Codinome Cassandra
Acho que esse é um dos livros da série que eu menos gosto. Motivo? O Rob tem uma participação muito pequena! rs... Mas falando sério agora... Depois de todos os problemas causados à Jess pela descoberta de seus poderes, a garota resolve sair de cena e aproveita as férias para trabalhar como monitora em um acampamento de música e acaba sendo destinada para um chalé de meninos! Tarefa fácil, hein? Até que seria, mas Jess não consegue evitar se envolver em confusão e mais uma vez terá que usar seus poderes para salvar o dia!
Eu não canso de dizer que essa é uma das minhas séries prediletas da Meg.

www.leitoracompulsiva.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2