A Night Like This

A Night Like This Julia Quinn




Resenhas - A Night Like This


9 encontrados | exibindo 1 a 9


isabelle.domingues 15/01/2021

Não decepciona
Como sempre, uma leitura rápida, divertida e empolgante. Julia Quinn consegue dar personalidade aos personagens de uma forma que poucos autores conseguem. Gostei muito da personalidade do Daniel.
comentários(0)comente



Maiarita22 06/06/2020

OMG! Que atrevida
Muito bem amei. Senti falta de um epílogo que conta como ficaram com filhos e as novidades do trabalho dele.
comentários(0)comente



Lissa 13/06/2017

Comentários apenas
Eu não sou muito uma crítica de livro. Eu amo romance histórico, acho sempre bom ler um livro "água com açucar" no dia a dia agitado. Mas, eu esperava algo mais elaborado da Julia Quinn. Não me entendam mal, eu gostei do livro, mas eu esperava uma virada na história, uma surpresa... Ela demorou tanto pra engatar na história, deu tantas voltas, que no final ela correu pra concluir e deixou a desejar.
No mais, gostei da leitura. Bem rápida e simples, romance fofinho.
comentários(0)comente



LuizaSH 17/04/2017

Daniel Smythe-Smith é o conde de Winstead, irmão de Honoria e melhor amigo de Marcus, os personagens do livro anterior.
Por conta de uma bebedeira entre amigos e um jogo de cartas que não terminou de forma muito amistosa, Daniel se viu obrigado a deixar o país. Após 3 anos longe, agora ele está de volta à Inglaterra. E chega bem no dia do famoso recital das mulheres da família, só que, ao piano, está uma mulher que ele não conhece, mas sabe que não é uma de suas primas.
A mulher é Anne Wynter, governanta das irmãs Pleinsworth, que são Smythe-Smith por parte de mãe. Acontece que Anne guarda um grande segredo de seu passado, e tal fato agora está de volta para atormentá-la.
Achei esse livro bem melhor que o primeiro, tem mais ação, movimento, momentos bem engraçados com as irmãs Pleinsworth. Apesar do primeiro encontro entre Daniel e Anne ter sido um pouco nada a ver, até pelas circunstâncias todas dos dois, não acho que tenha comprometido a qualidade da história.
comentários(0)comente



Thay Moreira 05/01/2017

Mais uma série no meu coração...
Tal como fiz com Os Bridgertons, preferi esperar até concluir o segundo livro da série das Smythe-Smithes para escrever uma resenha. Isso porque, na primeira série, tive medo de ser o típico caso de uma primeiro livro maravilhoso e um segundo livro raso, assim como o restante da série. No caso das Smythe (vamos chamar assim, é cansativo escrever o nome completo), apenas preferi esperar. Afinal, o segundo livro dos Bridgertons (O Visconde que Me Amava) é, até agora, meu favorito da série inteira, quiçá um dos meus romances históricos favoritos.

Pois bem, isso não se repetiu com A Night Like This.

Em resumo, enquanto no primeiro livro tivemos a história da caçula Smythe, Honoria (que por sinal, eu amei com todo meu coração - não apenas ela, mas Marcus, o mocinho, também), aqui temos a história de seu irmão mais velho - e o único ainda solteiro, por sinal - Daniel. No primeiro livro, eles esclarecem que um pequeno escândalo forçou Daniel a viver exilado, mas logo no final ele retorna. O homem que buscava vingança contra ele finalmente o tinha perdoado, e Daniel poderia voltar a sua vida normal.

Eis o que eu acho que teria sido melhor: que nesse livro, tivéssemos a história de outra irmã (ou prima) Smythe com o Daniel aparecendo cá e lá para que nós conseguíssemos acostumar com ele. O problema que senti aqui foi semelhante ao de Francesca e Gregory nos Bridgertons - uma sensação de que nós não o conhecemos. Tudo bem, tampouco eu conhecia a Honoria, mas é diferente, pois ela está introduzindo a história e a família. No primeiro livro, eu conheci muito mais sobre Sarah e Iris (protagonistas dos livros #3 e #4) do que sobre Daniel. E para piorar, tudo o que li sobre ele no primeiro livro não se confirmou no segundo. Honestamente, eu senti como se fossem personagens diferentes.

Além disso, o próprio enredo me pareceu uma mistura de Um perfeito cavaleiro (Bridgertons #3 - Benedict e Sophie) com Manhã de núpcias (Lisa Kleypas, Hathaways #4 - Leo e Catherine). Tem o mocinho com passado arruinado tentando se restabelecer (Leo)? Tem sim. Tem mocinha com passado super secreto (Sophie e Catherine)? Tem sim. Ela se torna governanta/funcionária da família do mocinho? (Sophie e Catherine) Sim, senhor. Ele passa a ficar perseguindo ela e nós fingimos que achamos isso romântico (meio Benedict, embora ele não tenha stalkeado tanto quanto Daniel)? Sim, senhor.

As diferenças são: Benedict tinha mais carisma que Daniel tem, e como o enredo era uma "novidade" dentro da série, a gente deixou passar. Além do mais, apesar do enredo ser igual, o desenvolvimento é bem diferente (embora eu ache a Sophie bem insossa). Em Hathaways, a coisa melhora: primeiro porque temos dois livros mostrando como o relacionamento de Leo e Catherine costumava ser e, mais importante, qual o relacionamento dos dois com a família Hathaway. Os dois personagens são extremamente carismáticos. O enredo, ainda que semelhante, também se desenvolve de um jeito muito diferente E inusitado.

Depois de ter lido esses dois livros, A Night Like This pareceu só bom. Se eu tivesse lido esse na frente dos outros dois, ou se fosse o livro de outra pessoa senão a Quinn, talvez eu tivesse curtido mais. No entanto, dentro de todo esse contexto, eu apenas achei bom.

Mas recomendo. E continuemos para ver se a série melhora, é claro.
comentários(0)comente



Layssa Costa (@mermaidsandbooks_) 13/07/2016

Amor à primeira vista.
Srta. Wynter é uma jovem linda e inteligente. Ela teve que sair de casa cedo, trocou de nome, batalhou pra conseguir um trabalho em uma posição respeitável. Daniel é um Jovem Conde que depois de passar 3 anos em exílio em outros países, volta pra casa e em seu primeiro dia ele conhece a Srta Wynter e se apaixona por ela. Ela tenta resistir ao encanto do Conde, mas o amor é mais forte. Juntos vai enfrentar perigos e ameaças. O paixão já ser difícil de controlar.
comentários(0)comente



Jadna 04/05/2014

A Night Like This - Julia Quinn

Anne Wynter é a governanta de um grupo de primas Smithy-Smith(nao dá pra especificar quais porque são muitas) e no livro anterior,teve que cobrir uma delas no musical anual porque estava "doente".É durante um dos ensaios,que Daniel Smithy-Smith a vê pela primeira vez.
Ele teve que fugir do país por causa de uma briga no jogo,caso que foi abordado em Just Like Heaven,mas conseguiu assinar uma trégua com seu adversário,e de volta à Inglaterra,está tentando provar que é digno do seu título.

Só que imediatamente fica encantado com a beleza de Anne.A atração dele por ela pode até chegar a ser surreal(rola logo beijo e tudo)mas Julia tornou isso crível,pelo menos pra mim.

Aos poucos Daniel arruma mais e mais desculpas para visitar suas primas,e os dois vão se conhecendo e se apaixonando.

Pois é,simples assim.

A história tem ainda um vilão que é a causa de Anne ter virado governanta(como diz em Jane Eyre toda governanta tem uma história triste),mas é isso.

Nada arrebatador.Os diálogos que são sempre o trunfo da Julia,aqui a chegaram a ser enfadonhos,e alguns personagens falavam realmente demais.Tenho que admitir,ela escorregou um pouquinho a mão dessa vez.

site: https://twitter.com/Jadna_Rocha
comentários(0)comente



jessiliphare 20/08/2013

Quando lia os livros da série Bridgerton sempre tive curiosidade sobre o quarteto Smythe-Smith, confesso que sentia pena das pobres garotas que mesmo sem "nenhum" talento musical, eram forçadas, por tradição familiar, realizar os concertos rsrsrs...
Esta história foge um pouco do contexto, pois a mocinha não faz parte do quarteto, apenas fez uma participação, pelo fato de uma das integrantes "dizer" estar doente. Ela é uma governanta que diz se chamar Anne Wynter... mas como toda boa trama a garota esconder um enorme segredo, enfim, não é quem diz ser...
Em meio a esse contexto temos Daniel Smythe-Smith, um conde que ficou anos longe de seu país, e que no primeiro dia de sua volta fica extremamente encantado por uma moça misteriosa que se apresenta no musical anual de sua família, que claro, se trata de Anne. A partir desse encontro, ambos se envolveram em uma trama perigosa que ameaça a felicidade do casal.
Adorei essa história, achei o par romântico bastante envolvente, acabei por ler esse livro em um único dia!
Beatriz Ribas 03/09/2013minha estante
Único defeito dos livros da Julia é o tamanho!! Tão bom que conseguimos lê-los em um dia =(




9 encontrados | exibindo 1 a 9