Jogador N° 1

Jogador N° 1 Ernest Cline




Resenhas - Jogador nº 1


823 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gustavo Alberguine 23/10/2020

Maravilhososl
Muito bom esse livro, com certeza foi o meu livro favorito do ano... recomendo demais
comentários(0)comente



Thiago.Sousan 22/10/2020

Perfeitamente Esplêndido
Terminei de ler Jogador N°1 e sem dúvidas foi o melhor livro que ja li do início do ano ate agora.
Perfeito, poético, aventureiro, um deleite para quem curte cultura pop/geek e mesmo vc que nao curte ou nao entenda vai se imprecionar com esse livro maravilhoso e esplêndido
O meu único arrependimento foi ter demorado tanto a conhecer e nao ter lido antes
comentários(0)comente



Ize 20/10/2020

É um livro bem legazinho, mas é um daqueles livros do "Escolhido" em que o personagem principal parece quase que predestinado a ser o único capaz de "salvar o mundo".
comentários(0)comente



Rafaela.Ribeiro 18/10/2020

Muito bom
Eu poderia fazer várias críticas ao livro, depois de ter tido um tempo pra pensar sobre ele. Várias falas problemáticas, ou a falta de aprofundamento na construção dos personagens. Mas eu não comecei a ler para fazer uma resenha. Assim que acabei de ler, eu estava pronta pra dar 5 estrelas e favoritar esse livro.
Durante a leitura eu me diverti muito! Eu sou cria dos anos 80 e sim, fui uma pseudo-gamer, ou seja, foi um prato cheio pra mim. Depois dos 50% de leitura eu estava completamente imersa na história e foi quase impossível parar de ler. O ritmo fica acelerado, com bastante ação, me prendeu o tempo todo, ficava ansiosa pra saber o que aconteceria a seguir (e sim, muitas vezes é o óbvio e tudo bem). Os nomes dos consoles, computadores, equipamentos, não dificultou em nada o andamento da leitura (alguns-muitos- eu conhecia, os inventados eu achei simplesmente interessante e desejei a existência deles).
comentários(0)comente



Maísa 17/10/2020

PRECISO DO JOGADOR NÚMERO DOIS
TERMINEI! Eu tive muitos surtos durante essa leitura, e fiquei indignada em muitos momentos. A riqueza dos detalhes a respeito dos jogos e da cultura dos anos 80 (os que possuem, na minha opinião, as melhores músicas e filmes da história) são incríveis. Eu fui transportada para esse mundo de Ernest Cline de tal forma, que ele me parece mais real que o nosso, rsrs. Estou feliz por ter tido a oportunidade de conhecer essa história. Agora estou LOUCA PELO JOGADOR NÚMERO DOIS!!!! ??
comentários(0)comente



gusta 16/10/2020

É bom, mas nem tanto
É uma ideia muito boa, mas não tão bem desenvolvida na minha opinião. As referências aos anos 1980 são excessivas em algumas partes do livro, às vezes sem motivo nenhum tem citações à computadores, jogos e etc, o que não atrapalha na maioria das vezes, mas é bem desnecessário em determinadas passagens e eu acabava pulando um ou dois parágrafos que não diziam nada, eram só montes de referências que não acrescentavam na história.
Os personagens não são muito bem desenvolvidos, são bons, mas rasos demais, o protagonista sempre sabe quase tudo e raramente tem alguma dificuldade real na caçada.
O autor, no início do livro, parece que vai tratar sobre o problema do vício profundo da sociedade no OASIS, mas isso se perde no desenrolar da história e só retorna nas últimas páginas.
Enfim, é uma ideia muito boa, mal explorada e com execução média.
comentários(0)comente



Brenda 16/10/2020

Que experiência!
Esse livro é tudo de bom, tem referências aos anos 80 (jogos, filmes, música), tem ação, romance...e é construído de uma forma que não cansa, só da mais vontade de continuar a ler! Mesmo não entendendo várias referências o livro detalha quando é necessário te fazendo imergi ainda mais na história. Boa leitura :)
comentários(0)comente



Anna 14/10/2020

Muito além de boas referências
Já começo dizendo que cabulosamente inovador esse livro não é,
ele segue a clássica Jornada do Herói, que é o feijão com arroz das narrativas...
Porém tem coisa melhor que um arroz soltinho com feijão bem temperado?
Pra mim esse livro foi exatamente isso, uma narrativa clássica porém super bem feita.

Vários dos personagens e dos plots realmente são bem caricatos e esperados, mas a aventura é bastante envolvente, inteligente e completa!

O livro, pra mim, não ficou lento em nenhum momento, e me deixou conectada e ansiosa em vários momentos. Acho que a maioria das referências está lá pra abrilhantar a história mesmo, mas você não pegar tudo ou quase tudo não atrapalha o seu envolvimento com a mesma.
Eu já tinha gostado bastante do filme e o livro é bem melhor, nele temos um personagem principal mais astuto e muito mais inteligente, assim como a Art3mis também, que achei ela mais fera ainda no livro! Ela se mostra uma competidora tão ameaçadora quanto o Parzival, ao invés de ficar sempre cedendo passagem pro protagonista, como é feito no filme.

Gosto muito das reflexões pontuais que são feitas ao longo do livro sobre o uso excessivo do OASIS, já que aquilo não é o mundo real, mas acaba que sendo uma prisão, como o Wade mesmo comenta em um momento do livro. Acho que até poderiam ter sido melhor aprofundadas...
O finalzinho do livro é um pouco conveniente talvez... Não que tenha me incomodado muito.

Realmente amei esse livro!
É uma aventura super envolvente e super válida!
comentários(0)comente



lorenamsad 13/10/2020

Ideia boa, história um pouco rasa
Ideia bacana, enredo bem amarradinho, riqueza de descrições e detalhes. No entanto, senti que faltou MUITO desenvolvimento de personagens e faltou também um significado mais profundo pra tudo aquilo. Parece que o autor meio que quis fazer uma crítica àquela sociedade e àquele sistema, mas ao mesmo tempo meio que não quis??? A reflexão sobre aquela realidade ficou MUITO rasa. Além disso, eu particularmente não comprei as super-habilidades do protagonista, que sabia de tudo, era bom em tudo, etc. Vale como uma leitura divertida, mas não muito mais do que isso.
comentários(0)comente



MateusSilva 11/10/2020

Perfeição de livro.
Com uma pegada de mistura geek com várias referências a cultura pop do anos 80 e 90, isso ficou muito fenomenal na história que deixou o livro com um tempero gostoso e eu leitura bem fluida. Virou meu livro favorito porque eu senti muitas emoções lendo, a história me prendeu do começo ao fim. O filme foi bom mas não se igualou muito ao livro. Obrigado Ernest Cline por me apresentar essa obra incrível, já estou louco pelo lançamento da continuação do Jogador Número 2. Livrão da porra.
Lucas Garcia 11/10/2020minha estante
Quando li pela primeira vez achei perfeito também, mas numa segunda leitura achei tem coisas bem forçadas pro plot das estória andar.


MateusSilva 11/10/2020minha estante
Melhor livro que eu li esse ano. Eu gostei de cada capítulo.




Pietra 10/10/2020

Decepção atrás de decepção
Comprei esse livro e estava no fervo pra ler por causa do Geek Freak. E é agora que o cancelamento chega (brincadeira!)

Eu acabei o livro muito decepcionada. Achei a construção dos personagens péssima, pra não dizer inexistente. Achei a escrita fraca e muito pobre.

Tinha explicação repetidas, diálogos desnecessários e uma repetição incansável da palavra ?havia? que me deixou com ranço eterno dela.

Para piorar, há tantas referências sobre o entretenimento dos anos 1980 que chega a ser irritante. Pulei parágrafos de nomes de computadores e séries. Senti que o autor abriu o Wikipedia, colocou o máximo de nomes possíveis, pra disfarçar a história mal escrita e mal desenvolvida.

Achei a ideia do plot incrível, mas no final recebi um concurso virtual de um velho louco que queria que todo mundo gostasse das mesmas coisas que ele. Na história, parece que o OASIS é sim o mundo ideal e só no final o autor tenta jogar uma liçãozinha de moral que não casa com nada durante a narrativa.

Me lembrou fanfics com artistas que as/os autores/autoras se colocam na história, escrevendo seus próprios nomes e fazendo o clichê do ?brasileira que fez intercâmbio e trombou no famoso no meio da rua?. O livro me parece uma realização pessoal do autor para que os nerds sejam os heróis e chega a dá um pouco de vergonha alheia, já que ele engoliu a construção narrativa com angu.

Para piorar, se não fosse o bastante a decepção completa, ainda há um diálogo (desnecessário) em que os personagens se chamam de ?bichinha? e fica por isso mesmo. E, quando começa a parte Dois, no diálogo com a Art3mis, o Wade pergunta ?se ela é mulher mesmo, sem cirurgia de redesignação de sexo?. Nem preciso falar mais sobre o quanto isso foi transfóbico, ne?

Mesmo se eu ignorasse essas partes (o que não vou fazer, pois as acho seríssimas), o livro continua péssimo. Sinceramente, já li fanfics melhores e mais bem escritas que esse livro.

Se você é um nerd que é viciado nos anos 1980, você pode gostar das referências e da nostalgia, e tudo bem. Mas o livro continua mal escrito e mal desenvolvido.

Não entendo o hype dele. Há outros beeeem melhores. Mas, se você gosta, entendo seu posicionamento. O livro continua ruim, mas eu também gosto de coisas que eu sei que são ruins. O problema não ta em gostar delas, na maior parte das vezes, está em não identificar o quanto ele é péssimo.
comentários(0)comente



Isa 08/10/2020

Adorei
Gostei demais desse livro, eu não conhecia nenhuma das referências kkk mas isso não atrapalhou minha leitura. Alguns comentários e pensamentos do personagem me incomodaram um pouco mas acredito que seja por eu não ser acostumada a ler autores homens.
comentários(0)comente



Isabelle.Christianes 07/10/2020

Perfeito
Entrou pra lista de favoritos da vida. Um universo cheio de referências e incrivelmente detalhado.
comentários(0)comente



Mari 07/10/2020

A fuga de uma abominável realidade
Esse é certamente um dos melhores livros que eu já li, a forma como Cline consegue fazer uma obra que se passa tantos anos no futuro, é incrível. É uma obra extremamente cativante, tem sempre algo novo surgindo, é a arte de uma mente brilhante!
comentários(0)comente



Yas 06/10/2020

A melhor distopia
Esse livro me encantou dês de suas primeiras páginas até suas últimas. Os personagens são muito bem construídos (tanto os virtuais quanto os reais) e a narrativa perfeita, tudo nesse livro é perfeito. Por mais que seja uma distopia tem um ar nostálgico ao mesmo tempo, fazendo várias referências aos anos 80. Recomendo a leitura para todos, até eu que não sou nado do mundo dos games me apaixonei.
comentários(0)comente



823 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |