Hannibal

Hannibal Thomas Harris




Resenhas - Hannibal


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Jack Sabino 20/07/2017

Decepcionada...
Se Hannibal Lecter como um mero coadjuvante já estava ruim, aqui em Hannibal como protagonista, ficou péssimo.

Leitura arrastada, história com muita enrolação, repetitiva em inúmeros pontos e fantasiosa ao extremo, o que faz o livro sair totalmente fora dos trilhos. A sensação que tive é que o autor empolgou tanto que se perdeu. Foram muitas histórias de personagens contadas a fundo e não colaborou em nada pra história, só a tornou maçante. Muitos personagens foram criados, muita transição de lugares e até do tempo e isso meio que se perde.

A humanização do Dr. Lecter era obviamente necessária e aí sim pedia mais páginas pra esse personagem, já que ele é o protagonista, não é mesmo Thomas Harris? Porque pra um personagem principal, ficou muita coisa da vida dele fora, o que me deixou com a sensação de "ok, ele se tornou esse monstro porquê? tem essa personalidade porque? age assim porque?". Tudo tem um motivo e as raízes do Dr. Lecter não são muito sólidas, pelo visto. Apenas alguns flashes de sua infância e inúmeros pontos repetidos e irritantes do primeiro livro. E falando em repetição, acredito que as leituras desses dois livros do Harris podem ser independentes. Nem precisa ler "Silêncio dos inocentes" primeiro e depois Hannibal, porque o autor já te conta tudo de novo. As mesmas cansativas palavras.

Fiquei decepcionadíssima. Lecter virou queridinho no cinema e esperava que o livro fosse mais denso e justificasse tantos fãs. Fiquei meio sem entender tamanho fanatismo. Se foi pela interpretação de Hopkins eu concordo, mas em partes. Em "Silêncio dos inocentes", Hopkins tem um olhar animalesco e achei isso sensacional. Mas as falas dele são desesperadas e atropeladas. Mal respira. Isso EU não gostei.

Mais um livro pra minha lista de desastres. Uma pena...
Jéssica 20/07/2017minha estante
tambem gostei mais do primeiro


Jack Sabino 20/07/2017minha estante
Jéssica, eu não gostei nem do primeiro kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Jéssica 21/07/2017minha estante
ah!




Alana 16/02/2016

Após as mortes que Hannibal causou ao fugir do presídio, ele consegue fugir e vai parar na Itália, onde, com nova identidade e um novo rosto, tenta começar uma vida nova, sendo o curador de um Museu, mas o vício de matar não o abandona tão facilmente.

Nos Estados Unidos, o FBI não desistiu de prendê-lo, estão usando agora a agente Clarice Starling, que tem um bom conhecimento sobre Hannibal e está em maus bocados depois de uma operação policial mal feita.

Porém o maior problema de Hannibal não é a polícia! Uma de suas primeiras vítimas, o rico Mason Verger, que foi completamente desfigurado por Lecter, só pensa em vingança. Ele sempre está um passo a frente do FBI, com a ajuda de todo o seu dinheiro. Ele planeja uma vingança, que pode ser considerada surpreendente e bizarra!

Agora, Dr. Lecter, passa de caçador, para caça. Vai ser preciso muito mais que seus dentes para se safar dessa rede e uma pequena grande ajuda de Starling.

Thomas Harris conseguiu superar O Silêncio dos Inocentes, aparando todas as rebarbas da estória, dando um sentido a tudo. E o final... Que final! É comovente, excitante, é maravilhoso! Foi o final que eu desejei, e que excedeu minhas as expectativas.

site: ironiadascapas.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Maria Clara 06/06/2015

Maravilhoso!
Absurdamente diferente do filme e nem venha pensando que têm qualquer relação com a série (que é boa apesar disso). Hannibal dá calafrios, é perverso na medida certa para não ficar desumano. Devorei o livro em três dias, logo depois do silêncio dos inocentes.
comentários(0)comente



Egídio Pizarro 09/05/2015

É radicalmente diferente do filme em partes cruciais. E nem por isso é possível apontar qual dos dois é melhor - cada um, com suas nuances, consegue ser brilhante.
comentários(0)comente



Cassiana 12/03/2015

Um desafio faço
Um o que eu posso dizer de um livro que já é um filme. Então vamos lá muita coisa realmente o filme foi fiel, mas como já outras resenhas aqui postadas diziam que o final é diferente do filme, dai minha mente criativa voou longe, e minha presunção dizia que eu sabia mais ou menos como deveria ter acabado o livro. Pois é olha que eu criei um monte de teorias loucas na minha cabeça é nem cheguei perto eu olhei pra direita e o autor escreveu algo tipo pra esquerda e para baixo ou da esquerda do fim ao começo, é, pois é até descrever que como pode ser o final com o que agente imagina é difícil. Então lei e tente imaginar o final creio que vc não chegara nem perto.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lisi 13/09/2012

Hannibal
Tenho a acrescentar que achei interessante o final do livro, pois antes de lê-lo, tinha assistido o filme, e os finais de ambos são diferentes pelo final da protagonista Starling, há rumores que foi diferente, porque Jodie Foster não quiz fazer a continuação, porém Hopkins continou brilhante no papel da continuação no cinema.
Recomendo ler o livro e assistir o filme, pois terá finais diferentes, porém igualmente surpreendentes.
comentários(0)comente



Lili Machado 06/04/2012

Lembra do Dr. Hannibal Lecter? Um cavalheiro..., um gênio..., um canibal.
Sete anos se passaram desde que o Dr. Lecter escapou da prisão. E por 7 anos ele tem estado livre para saborear os aromas e gostos de um mundo sem algemas.
Mas... alguns intrusos surgem em seu mundo, perseguindo sua nova identidade, sentindo o mal que o cerca.
Para um multimilionário, para um policial italiano corrupto, e para a agente do FBI Clarice Satrling, que já esteve frente a frente com Lecter e que nunca mais foi a mesma... - a caçada começou.
Todos, cada um a seu tempo e local, querem encontrar o Dr. Lecter E todos vão conseguir o que querem. Mas somente um viverá o bastante para saborear a recompensa...
Na trilogia de Thomas Harris, o primeiro livro: O Dragão vermelho (resenha no blog: http://houseofthrillers.wordpress.com/2012/03/24/o-dragao-vermelho-red-dragon-thomas-harris-serie-hannibal-lecter-2/), filmado como Manhunter, Hannibal ajuda o FBI a capturar um fascinante serial killer. No segundo livro: O silêncio dos inocentes (resenha no blog: http://houseofthrillers.wordpress.com/2011/02/12/o-silencio-dos-inocentes-thomas-harris/), ele serve de consultor para a agente do FBI, Clarice Sterling, e acaba por realizar uma fuga brilhante, apesar de sangrenta.
Anos depois, fazendo-se passar pelo acadêmico Dr. Fell, curador de arte, Hannibal vive uma vida de prazers em Florença, sem matar quase ninguém... só uns poucos para não perder o hábito e não chamar atenção.
A agente do FBI Clarice Sterling não tem a mesma sorte: ela sobrevive a um tiroteio mas é suspensa por comportamento policial truculento. É quando ela recebe uma carta de Lecter.
Quando Mason Verger era um adolescente que sequestrava e estuprava crianças, sua enorme fortuna o salvava sempre da cadeia. Tudo o que ele precisava era de sessões de psicoterapia... com o Dr. Hannibal Lecter.
Graças ao tratamento,Verger encontra-se, no momento, ligado a aparelhos respiratórios, paralizado quase que integralmente. Só lhe resta movimento numa única mão. Sua obssessão é lançar Lecter para seus animaizinhos de estimação o comerem vivo. E ele pagará qualquer coisa a qualquer um, para trazer Lecter vivo.
O conflito apresentado é entre dois monstros: um atraente (Lecter) e outro odioso (Verger), numa das mais irônicas tramas de Harris.
O policial que confronta Hannibal é um italiano chamado Pazzi, que está querendo receber a recomensa pela captura de Lecter. O que acontece quando o policial italiano, se vê sozinho com Lecter?
Como é que a relação de Clarice com Lecter, se torna cada vez pior?
Se você pensa que os fatos são terrivelmente macabros, você está certo – mas os horrores são descritos com bom gosto.
Descobrimos que o que o monstro quer é ordem, e não, o caos – Hannibal pode ser louco, mas aos olhos dos leitores, também é uma espécie de herói.
O livro é repleto de fatos interessantes sobre medicina, história, ciência forense, zoologia, literatura medieval, arte, gastronomia, música clássica, enologia, sobre a cidade de Florença e a lingua italiana – tudo apresentado com o toque de elegância de Thomas Harris.
A loucura de Hannibal começa a ter explicações – o que torna sua história menos misteriosa.
E depois de descobrirmos as razões do canibalismo de Lecter, quase nos sentimos próximos a ele, numa empatia por este homem descrito por todos como monstruoso. O trauma na infância de Lecter explica a preferência dele por carne humana.
O final do livro é controverso e surpreendente. É chocante e inesperado. Nem todos os leitores irão gostar. Mas todos irão pensar nele por muito, muito tempo – eu gostei de cada linha do texto...
Todos os personagens do livro podem ser definidos como da cor cinza – tanto maus quanto bons. Isso não te faz pensar em que cor você pode ser descrito?
Também, não podemos nos esquecer que autor Thomas Harris não precisava ter escrito este livro. Ele estava no auge de sua popularidade com o sucesso do filme “O silêncio dos inocentes”. Já tinha escrito 3 best-sellers sobre o personagem – todos adaptados para o cinema. E estava vivendo no bem-bom na Itália, sem nenhum problema financeiro por todo o resto de sua vida.
Este livro foi, portanto, um presente de Thomas Harris para seus leitores fiéis em todo o mundo.
Um presente que eu gostei muito de ganhar, diga-se de passagem...
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8