A Tempestade

A Tempestade William Shakespeare




Resenhas - A Tempestade


67 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Samia 08/01/2021

Porque ler
* é uma peça que começa com vingança e termina com perdão
* há uma história de amor encantadora
* a ilha onde acontece boa parte da ação é cheia de seres mágicos
* Ariel, um espírito do ar, é também um personagem maravilhoso
* é a peça onde Shakespeare escreve que nós somos da matéria de que se fábrica os sonhos e nossa vida pequenina é cercada pelo sono. (bonito, não?)
* tb é daqui que Huxley tira o título de Admirável Mundo Novo
comentários(0)comente



daynnem 21/12/2020

Não recomendo
Só terminei a leitura porque comecei, sinceramente, achei bem chatinho.
comentários(0)comente



Nalu 18/12/2020

Sempre uma boa experiência
Obviamente, A tempestade não pode ser considerada mero entretenimento, mas até hoje não vi uma obra de Shakespeare que não valesse a pena.
comentários(0)comente



gabbiegoncalves 16/12/2020

Notas pessoais sobre minha leitura
A história é muito boa e a leitura é rápida, não tive muita dificuldade com a linguagem como achei que teria.
comentários(0)comente



Karollinesg 14/12/2020

Interessante
Um livro que tive uma certa dificuldade de entendimento, devido a linguagem, e por ser uma terrível confusão kkkk porém, quando entendido, tem uma mensagem muito boa.
comentários(0)comente



Leonardy 02/12/2020

Poder, Magia e Perdão
Esta obra de Shakespeare, sua última peça escrita, faz uma análise das possibilidades de intervenção quando somos detentores do poder e conseguimos, por nosso próprio esforço ou sorte, termos os nossos desafetos, inimigos ou adversários sobre o nosso julgo.
Calibã quer se vingar de Próspero, Próspero quer se vingar daqueles que lhe tiraram o ducado. E assim, com poderes fornecidos por Ariel, seu espírito juramentado, Próspero poderia ter dado cabo de seus desafetos, mas o perdão foi se avizinhando, talvez também causado e contaminado pelo amor da filha, mas veio e fez morada. Talvez tenha também sido considerado um certo arrependimento por parte de alguns anteriores desafetos, mas aí só Próspero poderia dizer.
Os relatos das práticas magísticas são muito interessantes. Quem não gostaria de ter um Ariel a atender aos seus caprichos? Bom, aqueles que pensam e entendem a Magia como compromisso e como caminho não gostariam, e desejariam libertar Ariel dos deveres e dos caprichos de Próspero. Assim me permito imaginar.
E quem teria a mesma capacidade de perdão de Próspero? Só aqueles com muita maturidade e iluminação, ainda mais nestes tempos sombrios. Mas mesmo assim, com sua capacidade de perdoar, a Calibã só sobra o lugar e o conceito de disforme, sem integração.
comentários(0)comente



Benício 01/12/2020

Magnífica...
Estou lendo todas as obras de Shakespeare com um livro suporte. E como já havia lido essa obra, - através do livro semente de bruxa da escritora Margareth Atwood, - resolvi reler novamente. Li ela em conto e também em tradução do original. Ou seja, já é a terceira vez que releio e me surpreendo sempre...

A tempestade nada mais é do que uma trama de vingança que no final nos surpreende com a reviravolta da história.
comentários(0)comente



Dutra 15/11/2020

Leve e mágico
Uma leitura de fácil entendimento, rápida, descontraída, verdadeiramente mágica que vai desde a comédia até o romance, com um bom drama familiar mas tendo como vencedor o perdão junto com a justiça.
comentários(0)comente



Alguma Resenha 22/10/2020

Próspero, um mago de grandes poderes e antigo duque de Milão, e sua filha Miranda, que vivem numa ilha desde quando Próspero foi obrigado a abandonar a cidade num ato de traição. O mago com a ajuda de Ariel, um espírito escravo, criam uma tempestade devastadora para levar a naufrágio o navio que leva a comitiva do rei de Nápoles – o navio leva também Antônio, o irmão de Próspero e atual duque de Milão, quem cometeu o ato de traição e levou o mago ao exílio e outros membros da aristocracia. Desnorteados e indefesos após o naufrágio, eles são uma presa fácil para o comandante da ilha.

Apesar de parecer uma história de vingança, Shakespeare seguiu um caminho contrário ao escrever esta peça: o do perdão, do reconcilaimento, da sobreposição da razão contra as emoções mais primitivas do ser humano. Desse modo, as reflexões sobre as ações de Próspero no quinto ato se encaixam perfeitamente vários problemas sociais dos nossos dias. O que prova a imortalidade da obra do bardo.

Ao se colocar na posição de Próspero e entender seus ressentimentos e mágoas, o leitor aceita e imagina uma possível vingança contra seus inimigos. Mas a reviravolta da trama, além de surpreender, chama a atenção para algo óbvio, mas que permanece esquecido: a capacidade de reconhecer a dor do outro e diante disso reduzir a fúria no sentido buscar um caminho mais sensato para curar feridas do passado.

Uma das últimas peças escrita por Shakespeare, A tempestade não enquadra como uma obra prima da carreira do bardo, mas proporciona uma rica leitura por misturar comédia, drama, além de análises significativas sobre o comportamento humano.

site: algumaresenha.wordpress.com
comentários(0)comente



sofialmeidah 19/10/2020

Qual o ponto dessa história toda?
É a primeira vez que eu não venho fazer um comentário positivo em uma peça de Shakespeare ou em uma peça de teatro qualquer. A história parecia se desviar várias vezes do seu ponto central e apresentava vários temas sem nexo. Dois pontos específicos que me deixaram bem entediada, para exemplificar, foram um total de 10 páginas (o que é uma quantia considerável em uma peça de menos de 100) de conversas entre amigos na qual o leitor não tem nenhuma proximidade ou conhecimento - é como se vc caísse de paraquedas numa roda de amigos e não fizesse a menor ideia do que eles tão falando. A história que é usada como base para esta nos é apresentada no início da peça, levando-nos a pensar que esta vai ser a trama principal, quando na verdade o que acontece é que A Tempestade se trata de uma espécie de "reparação" por conta dos danos causados ao, digamos que protagonista da peça, na história anterior. Não temos um desenvolvimento maior do que de 5 páginas nessa trama prévia (sim, menos que os comentários e conversas paralelas e desnecessárias). Me pareceu contada por uma pessoa que tinha em mãos uma ótima história, porém foi mal desenvolvida. Não digo em relação à escrita, de certo que não, porém a contação foi enrolada e fugiu completamente do que deveria ser a trama principal.
comentários(0)comente



Antonio.Junior 04/09/2020

Vinganças e romances.
Prospero tinha tudo em seu controle pra buscar sua vingança com o seu irmão Antônio, usupador de seu trono.

Uma história com traição, vingança, romance e magia.


É mais nobre o perdão que a vingança.
comentários(0)comente



Bea Laureano (booktuber) 28/08/2020

Spoiler
Eu achei essa leitura um pouco mais complexa para entender, talvez eu não estivesse no momento bom para ler e compreender!
No início temos a tempestade, feita por Próspero com auxílio de Ariel o espírito que é sudito e preso a Prospero, onde afunda o barco onde estava seu irmão (que pegou seu trono e o expulsou de Nápoles). A intenção era levar ele e os tripulantes para a ilha a qual Próspero virou dono, porém no final ele acaba desistindo de os fazer sofrer e tudo fica "bem".
Achei o livro um pouco raso.
comentários(0)comente



Karla 26/08/2020

Muito bom!!
Todos amam Hamlet, mas eu amo A Tempestade. Tão rápido e revigorante, com uma ótima história. Li e reli no mesmo dia de tanto que gostei.
comentários(0)comente



Lika 25/08/2020

É um estilo que não estou acostumada a ler.. a leitura é dificil, mas vale a pena
comentários(0)comente



Crush_literario_ 13/08/2020

Não é muito meu estilo, mas é interessante, gosto de experimentar coisas novas, e Shakespeare só conhecia frases
comentários(0)comente



67 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5