Asgard

Asgard Leandro R. S. Filho




Resenhas - Asgard


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Fernanda 11/11/2013

Resenha: Asgard
Resenha: “Asgard: O poder esquecido” narra uma história com personagens e ambientes conhecidos sob uma perspectiva criativa, densa e muito envolvente. Impossível não se questionar com as decisões e atos impostos nas cenas e fazer uma avaliação crível, levando em consideração cada perspectiva e relevância dos acontecimentos narrados.

Claro que eu fiquei empolgada com esta leitura. E pensei: como não li esse livro antes. Confesso que o li depois que assisti o filme Thor 2 e o mundo sombrio (ao qual eu gostei muito – MUITO mesmo). Então, já estava no clima e de acordo com as intenções propostas. O caso é que ainda estou muito motivada com o enredo de ambas atuações (filme e livro) e nenhum dos dois me decepcionou.

LEIA A RESENHA COMPLETA NO BLOG:

site: http://www.segredosemlivros.com/2013/11/resenha-asgard-o-poder-esquecido.html
comentários(0)comente



Samantha 10/07/2012

Esse livro tem uma coisa diferente: a maioria dos livros conta a história dos mocinhos em alguma missão, mas esse livro narra o plano dos vilões para derrotar o poderoso Odin.
A aventura e os cenários são bem legais, principalmente a hora em que eles atravessam Bifrost (a passagem de Midgard a Asgard).
O que eu gostei nesse livro foram as diversas criaturas mágicas, mesmo sendo do mal. Gosto muito desse tipo de mitologia, a nórdica.
Só não dou "5 estrelas" pois a conduta do Ariel no final da história deixou a desejar, achei que ele tomou uma atitude desnecessária de vingança.
Mas a cada página tem uma aventura, e se você é apaixonado por mitologia e aventura como eu, deve ler!

Leia resenha completa: http://sopramenores.blogspot.com.br/2012/07/asgard-o-poder-esquecido.html
comentários(0)comente



Blog da Poli 31/05/2012

Asgard - O Poder esquecido.
Se você gostou muito do filme Thor, e, se adorou os vingadores, não pode deixar de ler esse livro.
Por que você irá entrar mais uma vez no mundo de Asgard.
Nessa nova aventura o escritor Leandro nos mostrará outra realidade da história do povo de Asgard, decidir se você é contra ou a favor será escolha sua.
Tudo se inicia quando vários lideres se unem para uma reunião ( o começo é emocionate), afim de dar um fim a guerra, mas Loki como sempre se intromete nas coisas e mostra um novo caminho para o fim da batalha, matar seu pai, Odin, e para isso precisarão da ajuda de um humano, Ariel.
Uma jovem é escolhida para ir a Terra e trazer Ariel para Asgard,ela o seduz e lhe conta sua parte da história, onde ele é o único capaz de pegar uma arma poderosa, para se vingar de Odin.
O ingenuo Ariel, cai nesse plano e seu destino é um grande misterio para todos!
Todos os personagens da história se mostram capazes de lutar e Ariel se mostra um verdadeiro guerreiro, cheio de bravura,coragem e humildade.
Mas mal ele sabe que tudo ao seu redor não acabará da maneira que começou.


O autor nos traz vários personagens, como Thor, mas também elfos, gigantes e bruxas, uma grande história e um grande mistério, solucionado no final, que irá te surpreender.
Como te disse, se você gosta desse tipo de livro, irá gostar muito desse livro.
Parabéns ao autor por trazer uma história maravilhosa como esta.

Blog Território das garotas
Beijos*-*
Poliana Araújo
comentários(0)comente



Moonlight Books 19/08/2012

Asgard
Os dois maiores reinos estão em guerra, Asgard a terra dos deuses Aesir e Vanaheim o lar dos Vanir, lutam pelo controle dos nove reinos. Quando a esperança de vitória deixa Vanaheim e some da mente de seus aliados, eis que uma mente astuta cria um plano que pode dar um fim definitivo a esta guerra que de tempos em tempos se inicia outra vez. Para tal empreitada é necessário a busca por um humano em Midgard, o reino do meio, pois apenas através deste a vitória poderia estar nas mãos dos Vanir. Um jovem, Ariel, forte e com coragem de superar seus limites foi o escolhido, apesar de capaz este é tolo e ignorante em relação as coisas do mundo dos deuses, e tem de ser instruído com cautela para que possa ter a chance de completar sua missão. Uma arma com poder inimaginável, descoberta por um deus, conquistada por um homem o qual não pode ter medo de seguir o destino que se mostra perante seus olhos. Será Ariel forte o bastante para seguir seus próprios pensamentos rumo a um futuro incerto e desconhecido? Ou será ele corrompido pelos astutos deuses?

Na visão dos deuses, nós humanos somos criaturas inferiores e desprezíveis, indignos de sua atenção. Para estes seres cheios de uma arrogância infinita, um humano é uma vergonha imensa, porém, as terras de Asgard estão mergulhadas em uma guerra sangrenta, uma disputa entre os reis Njord e Odin, e para vencer esta guerra, os deuses irão precisar da ajuda de um humano. Eles precisarão de uma arma muito poderosa para lutar, e tal arma está escondida em um local onde nenhum deles pode pisar, somente alguém sem magia, ou seja, um humano.
Fica decidido então, que a deusa Freya irá até Midgard (o nosso mundo), buscar o tal humano. Contando com sua beleza e charme, ela pretende conquistar o escolhido e fazer com que ele a siga até Asgard.
Seu alvo chama - se Ariel, um jovem criado pela avó, e... aqui temos o elemento surpresa, vigiado pelos deuses durante toda a sua vida.
Por que Ariel foi o escolhido?
Por que o jovem sempre foi vigiado pelos deuses?

São perguntas que nem a deusa Freya sabe responder, o jovem foi indicado pelo rei Njord (pai de Freya), que não explica o motivo para ninguém.
A deusa em sua missão contará com a ajuda de Loki, um ser nada confiável, dono de imensos poderes, que deseja a todo custo ajudar Njord em sua luta contra Odin. Digo nada confiável, pois Odin é pai de Loki, e por mais justificativas que Loki apresente, lutar contra o próprio pai soa muito estranho.

Bem, como vocês podem notar a história vai girar em torno de convencer Ariel a lutar e vencer esta guerra. A maior parte do livro é narrada, o escritor foca bem nos detalhes, tanto do cenário, quanto dos personagens e suas emoções, os diálogos não são predominantes no livro.
As batalhas são travadas depois da metade do livro, e têm participações de muitas criaturas fantásticas, como elfos, gigantes, bruxas, os próprios deuses e até mesmo o grande Thor.
Apesar de Odin ser colocado como o vilão da trama, eu o vejo como o verdadeiro rei dos deuses, pois suas atitudes, na minha opinião são muito mais plausíveis do que as de Njord.
Odin, ao meu ver mostra muito mais coerência em seus atos, do que qualquer outro na história.
Freya, para conquistar Ariel precisa tornar - se humana, em alguns momentos ela parece deixar de lado a arrogância dos deuses, mas no decorrer da trama, suas verdadeiras razões para isso aparecem.
Será amor, ódio ou algo mais?
Ariel começa como um jovem inocente, mas amadurece em sua jornada e irá surpreender a todos, podem esperar por isso.
Loki é com certeza o personagem mais divertido deste livro, com seu humor negro e seus segredos dá um toque especial a toda a história.
Asgard tem um final que nos leva a aguardar uma grande continuação, pois indica que todas as aventuras até agora, foram uma preparação para algo bem maior.
comentários(0)comente



Wender Monteiro 08/12/2012

Asgard - O Poder Esquecido
Desbravando o universo da mitologia nórdica, o jovem Leandro R.S. Filho nos apresenta a uma historia especialmente única, fãs do gênero irão se surpreender com o que se passa no decorrer das 248 páginas.
Logo de inicio somos apresentados a situação que encontra-se Vanaheim e Aesir, os dois reinos que estão em confronto, e Loki entra em cena como mocinho com uma informação que pode ajudar os Vanir a vencer a batalha, Vainque, o poder há muito esquecido. Devo dizer que assim como os deuses, também fiquei meio receoso em acreditar em Loki, mas fica a critério de cada leitor definir se ele é bem ou mal. Njord, o deus líder dos Vanir aceita a proposta de Loki e concede a Freya, sua única filha a missão de trazer o humano escolhido para Asgard e assim recuperar Vainque e por fim, vencer a batalha.
Freya se mostra arrogante de inicio com a decisão de Njord, seu pai. Para ir a Midgard ela tem que abrir mão de seus poderes e se tornar uma mera mortal, mas nem mesmo a repulsa que sente pelos humanos faz com que Njord ceda a seus apelos, e assim a única escolha dela é o êxito da missão.
Sem mais delongas é importante mencionar a peculiaridade com que o autor desenvolve cada personagem os tornando cativantes, eu particularmente me apaixonei por Freya. Se você procura uma história repleta de magia e mistérios, não perca a oportunidade de ler Asgard e também descobrir O Poder Esquecido, essa pode ser a sua chance de conhecer esse novo mundo, Bifrost nunca esteve tão vulnerável.
comentários(0)comente



Maria Fernanda 08/08/2012

Pode vê-la em: http://thebutterbeer.blogspot.com
Asgard - O Poder Esquecido é mais um livro nacional no qual resolvi apostar este ano. Apesar da capa não ser muito chamativa, o título já é atraente o bastante. Eu amo Mitologia Nórdica. E foi por esta razão que busquei parceria com o autor Leandro R. S. Filho; queria ver o que ele tinha a me oferecer quanto ao assunto, que necessita de muita pesquisa para ser escrito com precisão.


Sinopse: Os dois maiores reinos estão em guerra: Asgard, a terra dos deuses Aesir, e Vanaheim, o lar dos Vanir, lutam pelo controle total. Quando a esperança de vitória deixa Vanaheim, eis que uma mente astuta cria um plano que pode dar fim a guerra. Para tal empreitada é necessário a busca por um humano em Midgard. Um jovem, Ariel, forte e com coragem foi o escolhido. Uma arma com poder inimaginável, conquistada por um homem o qual não pode ter medo de seguir o destino que se mostra perante seus olhos. Será Ariel forte o bastante para seguir seus próprios pensamentos rumo a um futuro incerto? Ou será ele corrompido pelos astutos deuses?

Ao contrário da maioria dos livros, que mostram o lado do mocinho, Leandro nos apresenta uma estória na qual os vilões são os protagonistas. Diferente, com certeza. Desta forma nos proporciona entender os objetivos e planos do "lado do mal", e também seus motivos para tal. Um dos focos do enredo é Loki (Fernanda fangirl vomita arco-íris e se joga na loucura), deus mitológico do fogo, da trapaça e da travessura.

"De repente ouve-se uma alta risada, vinda da escuridão próxima à porta da sala. Uma risada incontrolável, que aos poucos vai interrompendo as discussões e resolvendo o tumulto."

Não posso dizer que adorei esse livro, estaria mentindo se o fizesse. Asgard - O Poder do Esquecido é bem legal, mas tem algumas coisas que me fizeram ficar "Dafuq?". Por exemplo: Ariel convive com Freya por pouquíssimos dias e já se apaixona perdidamente por ela. Quando a danada diz que é de outro mundo e blá, blá, blá, ele não questiona e nem pede explicações; só o que importa é saber se Freya o ama e acabou. PLMDDS.

"Essas palavras deixaram Ariel atordoado, não está pronto para uma batalha, mal sabe segurar a espada, muito menos usá-la contra alguém."

A diagramação é bem feita e tudo e tal, mas, pelos cabelos brancos de Odin, nunca vi tanto erro de ortografia junto na minha vida. Novo Século, vamos começar a caprichar mais na revisão, né? Cara, tinha vírgula onde não precisava e não tinha onde era de suma importância. Sem falar na falta de acentuação. O livro é bom? É. Mas a escrita deixa a desejar (falou a Martha Medeiros), e não estou me referindo aos erros.

Nota do livro: ★ ★ ★
comentários(0)comente



SahRosa 18/10/2013

Asgard e Vanaheim estão novamente em guerra, os acordos de paz sempre são rompidos. Os Vanir querem o fim dessa batalha e para isso não pouparam esforços para consegui-la. Em meio às discussões entre os povos de Vanheim afim decidir como seguirão nesta luta, eis que um novo aliado surge. Loki não se importa em lutar com o próprio pai, desde possa ter seu trono e eis que propõe se aliar aos Vanir, dizendo qual a única maneira de vencer essa guerra que dura há anos.

Ninguém consegue acreditar nas palavras do deus, muitos cogitam ser uma armadilha, um plano de Odin para com eles, mas Loki vai além, provando ser um aliado digno de confiança, ele revela o nome da arma que tem o poder de matar Odin: Vainque.

O poder de Vainque era poderoso e eis que Odin a esconde, em um lugar para que nenhum ser mágico pudesse encontrá-la ou usá-la, no entanto Loki é astuto, propondo fazer uma aliança aos Vanir, ele diz que o único capaz de tomar para si Vainque é um humano de Midgard, a raça até então desprezada pelos deuses. O plano do deus parecia louco, mas Njord concorda e coloca sua filha Freya com a missão de trazer um humano até eles.

Por mais que tente convencer o pai, Freya se vê derrota quando Njord não cede a seus apelos. Afinal o humano já foi escolhido, e como sua filha, Freya não tem o poder de escolha e cabe apenas a ela ter sucesso em sua missão. Para sua jornada a deusa precisa se tornar humana, para que assim se aproxime do humano escolhido, algo difícil, mas que deve valer a pena para a guerra finalmente ter fim.

Ariel é o jovem escolhido pelos deuses, que vive uma vida tranqüila ao lado de sua avó Helga, ele nem imagina que durante toda sua vida, Odin esteve a observá-lo, afinal ele era diferente e Njord ao descobrir tal informação tem certeza de que Ariel é a salvação para os Vanir. Só que existem muitos caminhos e desafios há qual Ariel terá que enfrentar, antes que possa concluir sua missão e em sua jornada, dúvidas estarão em conflito com seu coração que bate pela doce Freya.

***

Asgard – O Poder Esquecido, é narrado em terceira pessoa, fazendo com que o leitor tenha assim um conhecimento a mais sobre cada personagem. A narrativa de Leandro é boa, e seu enredo possui alguns segredos que fazem o leitor ficar atento para descobrir cada detalhe. O autor cria perguntas na mente daqueles que lê e apenas em seu final, toda a verdade é revelada, é ela é surpreendente, assim como a escolha difícil que Ariel tende a tomar. No entanto, devo re-saltar, que apesar do enredo bem construído e personagens carismáticos, há pontos a melhorar na estória, como a repetição de palavras, além de muitas vírgulas quando uma pausa maior seria mais apropriada, mas nada disso impede que o leitor aproveite dos segredos de Asgard.

Afinal, como não ficar eufórica com a presença de Thor, que surge em certos momentos do livro, além é claro das risadas que teremos com Loki, que apesar de um ego muito grande, é um dos personagens que mais gostei e vou sentir saudade. E falando nos personagens, Leandro os construiu de uma maneira ótima, principalmente Ariel, que mostra crescer ao longo dos capítulos.

Para aqueles que desejam algo novo, uma estória com magia e mistérios, Asgard é uma boa opção, que mostra que o autor tem sim potencial e mesmo com pequenas falhas, é um livro que vale a pena ser lido.

site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/
comentários(0)comente



Gi 23/04/2014

ASGARD – O PODER ESQUECIDO - Leandro R. S. Filho
** Veja as imagens no link que está no final da resenha **

Olá Docinhos Mágicos! *-*
Mais uma vez peço mil desculpas pela minha terrível ausência!
Prometo que o mês que vem vou melhorar! *palavra de escoteira*

Beeem...
Para compensar minha ausência, vou revelar um segredo. *tadãããã*
Lara Laranja na verdade é uma Princesa Duende que salvei de se afogar na tigela de água do meu cachorro (o Baicon). *todos com cara de espanto*

Depois que ela se recuperou, agradeceu a ajuda e contou como foi parar ali.
Ela disse que estava fugindo de uma guerra, e quando foi fazer a magia de teletransporte, errou um pouquinho nos cálculos de aterrisagem e acabou dentro de um pote de água babado.


Comecei a rir, pois uma guerra de duendes deve ser um tanto engraçada! O que será que eles usam como granada? Cogumelos!?

Foi então que ela apertou meu nariz (doeu taanto!!!) e disse para eu parar de rir, pois aquela guerra era muito séria e talvez até o mundo dos humanos seria envolvido nela!



What!? Como assim?! E o que temos a ver com essa guerra?
Ela disse que ao invés de me contar, iria me mostrar. Disse umas palavras engraçadas e eu notei que tudo a minha volta de repente ficou enorme! Ou melhor... EU fiquei menor do que tudo a minha volta!

Lara me pegou pelos braços e entramos num buraquinho de minhoca. *Puf!*
A viagem durou apenas alguns segundos, mas foi assustadora! Imagine se déssemos de cara com algum inseto mal humorado?!!?!? #TRÁGICO

Bem... Saindo do “buraco de minhoca mágico”, chegamos em um lugar muito bonito, com vários castelos, e diversas criaturas mágicas: Giagantes, elfos, duendes, magos eeee... Deuses!

"-- OMG! Estamos no monte Olimpo!? – Perguntei."
"-- Nããão... Entamos em Vanaheim, terra dos Vanir! Mas fique em silencio para não nos notarem!"

Atravessamos um grande portão de ouro e adentramos junto com as criaturas no maior castelo que havia lá.
Acompanhamos todos até uma enorme sala com uma mesa muuuito comprida.
Todos se sentaram e nós duas pousamos no chapéu de um dos gigantes, de onde assistimos uma reunião que discutia a seguinte questão:

O povo de Asgard estava tomando todos os reinos e era preciso fazer algo.
O líder da reunião é um deus chamado Njord, que tentava criar vínculos com as outras raças, mas os reis que estavam presentes resistiam, pois já haviam perdido muitos guerreiros nesta batalha que parecia não ter fim. Após muita discussão, ouvimos uma risada irônica que vinha do fundo da sala. Todos se viraram para descobrir quem estava escondido ali. Seria um espião asgardiano?! Não... Era Loki, um deus muito poderoso e nada confiável. A reunião virou uma bagunça! O gigante que nos servia de arquibancada se agitou tanto que quase caímos de seu chapéu...
O alvoroço só acabou quando Loki revelou algo que interessou a todos: Uma maneira de derrotar o poderoso Odin, deus de Asgard e pai de todos os deuses. Ele é o ser mais poderoso de todos os mundos e nada, nem ninguém o pode machucar. Pelo menos não até agora.
Loki revela que no lar das Nornas existe uma arma capaz de matar o poderoso Odin, mas que só um humano pode tocá-la e utilizá-la.
Foi aquele bafafá! Não queriam contato nenhum com essa raça covarde!
Após controlar os nervos daquele pessoal estressado, Loki explicou que como os humanos não tem poder nenhum, Odin não se preocupou em bloqueá-los com alguma magia pois tinha certeza de que nunca nenhum humano chegaria vivo até o esconderijo da poderosa arma!
Depois de muita discussão sobre como trariam um humano para Vanaheim, Njord anunciou que sua filha Freya desceria a Midgard (mundo dos humanos) para seduzir o escolhido e traze-lo para matar Odin!
Mas para isso, Freya perderia seus poderes. E o Pior! Só teria 01 mês para conhecê-lo, conquistá-lo e convencê-lo a matar o deus.
No inicio Freya fica apreensiva, pois não quer perder seus poderes de deusa, mas após longa conversa com seu pai, decidiu que para o bem de todos iria enfrentar todas as dificuldades com força e esperança.
Na mesma noite Nahlam, um feiticeiro muito poderoso fez com que Freya entrasse em Midgard através de magia.

Pobre Freya! Quando se deu conta, já estava no mundo dos humanos. Nua em uma estrada de terra deserta, escura e fria.
Por sorte (ou azar) Loki também fora para Midgard para ajudar Freya, já que estava sem poderes e totalmente a mercê de estranhos mal intencionados.
Lhe deu um roupão e a levou para uma espécie de pequeno restaurante, onde encontrou Helga, uma senhora bondosa que prometeu ajudar a menina (agora chamada Victoria) no que fosse possível.

Helga levou Victoria (Freya) para sua casa e acomodou num quarto muito aconchegante!
Freya, agora sem poderes, sentia coisas que jamais havia sentido como cansaço e preguiça... Coisas de humanos....
Mesmo com muito sono, Freya notou um movimento no andar de baixo e mesmo muito assustada (coisa que nunca sentira antes) foi verificar o que era.
Encontrou um rapaz muito bonito que estava dormindo no sofá, que se assustou com a presença da moça e deu um grito que acordou Helga.

Depois das apresentações e reclamações, Helga convenceu o neto Ariel a deixar a moça dormir em seu quarto, pois era somente por aquela noite. E o fez prometer que acompanharia “Victória” num “tour” pela cidadezinha no outro dia.

Ariel mostrou tudo a Victória! Desde o centro super movimentado na hora do almoço, até os lugares mais secretos e gelados do bosque que fica no fim da cidade.
Ela ficou encantada com tantas coisas novas! E admirando o belo rapaz, tentava descobrir o motivo de aquele simples humano ser tão especial para ter sido escolhido para tão difícil missão.

No fim do dia, Freya voltou para a casa que Loki havia construído com seus poderes. E após uma pequena reunião com o deus e dois de seus “capangas”, Freya descobre que não tem 01 mês para conquistar o rapaz como havia sido dito por seu pai, mas sim uma semana (e olhe lá). Deviam agir rapidamente. Foi então que Loki teve a idéia de revelar tudo a Ariel. Mas como fazer isso sem conseguir apenas uma gargalhada?! Pois uma história sobre deuses e armas perdidas seria um tanto difícil de engolir... Loki resolveu que se transformaria num Elfo e mataria Helga na frente de Ariel, assim, Freya poderia lhe contar “toda a verdade” sobre sua repentina aparição na vida do moço e dizer que aquele Elfo foi enviado por Odin para matá-los! Então com raiva e confuso, Ariel não resistiria quando fosse incumbido da missão de destruir quem acabara com sua única família e que agora iria caçá-lo até os confins do mundo.

Plano combinado. Todos em seus postos. Freya foi acompanhar Ariel no caminho até a casa de Helga e Loki já transformado num Elfo se prepara para matar a velha bem na hora em que seu neto abrir a porta.
Mas algo inesperado aconteceu! Ao que Loki tocou o ombro de Helga, uma força descomunal tomou conta da indefesa senhora, que arremessou o deus para muito longe lhe causando muita dor.
Quando Loki se recupera do susto nota que Helga está flutuando e que uma luz azul está em volta de seu corpo.

!?!?!??!!??!?!!?!?!?!?!?!?!?!?!?!??!!??!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!??!?!

O que é isso?
Quem é Helga realmente?
Qual o motivo de Ariel ser tão especial a ponto de ser o único a conseguir destruir o poderoso Odin, pai de todos os deuses?
Loki conseguirá ir até o fim com seu plano?

Asgard está em guerra e precisa de toda a ajuda que conseguir!
Quem ai vai entrar nessa luta e de quebra conhecer um lugar que poucos humanos tiveram a sorte de caminhar!?

Vamos andar pela floresta de árvores gigantes de Bifrost. Mas tomem muito cuidado com o Javali de Ouro! Ele é perigoso!
Precisa de um conselho?
Visite a casa das Nornas, mas elas só lhe atenderão ser você realmente for puro de alma e valente de coração!

Deixa eu parar por aqui, pois já contei d+! E pelo que sei essa é só a primeira parte de uma fantástica trilogia.
Beijokas mágicas e até a próxima aventura!


site: http://aestranhaestantedagi.blogspot.com.br/2012/06/resenha-asgard-o-poder-esquecido.html
comentários(0)comente



Khrys Anjos 08/12/2015

Um Tsunami na alma
Nesta história somos levados até Asgard onde podemos conhecer os deuses nórdicos que estão em guerra e precisam de um reles humano para vencê-la (os deuses nos consideram uma espécie tão inferior que nem para animais de estimação serviríamos kkkkkkkk).

A deusa Freya é enviada à Midgard – nossa dimensão – por seu pai Njord com o intuito de seduzir o jovem Ariel.

Como para esta missão ela fica sem seus poderes de deusa é auxiliada pelo deus Loki.

Eles partem rumo a missão e se unem aos guerreiros Lulsar e Oldien para completá-la.

A história é narrada numa versão completamente diferente do que estamos acostumados: Em vez de ser contada pela perspectiva dos “mocinhos” ela é descrita na visão dos antagonistas.

Loki é o irmão perverso do grande herói Thor – acredito que todos conheçam esta história imortal – e se torna o protagonista desta história. Ele com suas tiradas sarcásticas acaba conquistando o leitor.

Achei este fato bem interessante pois mostra que nem tudo o que parece ser verdade é verdadeiro.

Ariel precisa aprender a enxergar com os olhos de espírito e não com os olhos terrenos. Tem que ver além das aparências e dos sentimentos para finalmente se descobrir.

Esta é a principal mensagem que o Ariel nos passa pois quando ele aprende a dominar esta capacidade de ver os dois lados de uma situação pode dominar também o Vainque, que contêm o poder esquecido.

Assim ele faz a passagem de menino do começo da história para o homem, o guerreiro que foi capaz de vencer a si mesmo.

O autor narra de uma forma tsunami: O começo da história é calmo. O meio já começa a dar a forma da grande onda e culmina numa enorme onda que varre tudo a sua frente não deixando nada no lugar.


O desfecho da história é surpreendente. E nos deixa na expectativa de uma próxima aventura.



***

Vou deixar aqui algumas curiosidades sobre a Mitologia Nórdica (ou mitologia anglo-saxônica) para que vocês possam entender um pouco deste mundo fantástico.


Principais características:

- Não acreditavam em nenhuma verdade transmitida pelas divindades aos mortais;
- Os mitos e lendas eram transmitidos, principalmente, de forma oral de geração para geração;
- O mundo é representado como um disco plano;
- Os deuses nórdicos habitavam Asgard (espécie de cidade sagrada cercada por muros);
- Os deuses deram aos homens habilidades e sentidos.


Principais criaturas:

- Deuses e deusas: deidades superiores.
- Valquírias: deidades menores, servas de Odin.
- Heróis: criaturas que realizavam grandes feitos, pois possuíam poderes especiais.
- Anões: possuíam inteligência superior e muitos tinham a capacidade de prever o futuro.
- Jotuns: gigantes com poderes especiais que quase sempre aparecem em oposição aos deuses.
- Bestas: seres sobrenaturais como, por exemplo, Fenrir (lobo gigante) e Jörmundgander (serpente marinha gigante).
- Nornas: deusas que tinham funções específicas relacionadas ao controle do presente, passado, futuro, sorte, azar e providência.
- Elfos: viviam nas florestas, fontes e bosques. Eram imortais, jovens e tinham poderes mágicos.

Os principais deuses:
- Odin: deus, rei de todos os deuses.
- Thor: deus dos raios e dos trovões. Filho mais velho de Odin.
- Balder: deus da justiça e da sabedoria.
- Loki: deus do fogo
- Frigga: deusa da fertilidade e do amor.
- Bragi: deus da sabedoria e da poesia.
- Dag: deus do dia.
- Njord: deus dos ventos e da fertilidade.
- Frey: deus da fertilidade e do tempo.
- Ran: deus dos mares.
- Gerda: deusa das almas perdidas.
- Freia: deusa do sexo, do amor, da beleza e da fertilidade.

Os principais heróis:

- Beowulf: guerreiro que venceu o dragão e o grande monstro Grendel.
- Siegfried: personagem épico na saga dos Volsungos.
- Grendel: monstro que foi derrotado por Beowulf.
- Volsung: personagem rei.
- Erik, o vermelho: descobridor da Groelândia.

As Valquírias:

- Brünhild
- Gunnr
- Skuld
- Hilkdr


site: http://minhamontanharussadeemocoes.blogspot.com.br/2013/09/resenha-asgard-o-poder-esquecido.html
comentários(0)comente



10 encontrados | exibindo 1 a 10