A Vilashi e os Dragões

A Vilashi e os Dragões Lhaisa Andria
Lhaisa Andria




Resenhas - Almakia I


39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Camila 17/12/2012

Incrível, bem escrito, viciante, envolvente e NACIONAL!
Almakia é simplesmente incrível! No início do livro eu estava tendo problemas em decorar os nomes, porque são um pouco complicados. E tenho certeza de que se tivesse que pronunciar algum deles em voz alta, eu pronunciaria errado. No entanto, depois das primeiras 30 páginas eu simplesmente não consegui mais largar o livro enquanto não alcancei a última página.

Almakia é um domínio onde vivem os almakins. Diferente dos outros povos os almakins tem a tendência a nascer com o poder dos Almakis. Os almakis são 7 elementos que os almakins controlam: fogo, metal, natureza, água, vento, raio e, o mais raro de todos, luz. Mas nascer como um almakin não significa ter o poder sobre algum almaki, muito pelo contrário, aqueles que têm esse poder são tão especiais que são a elite da sociedade.

Em Almakia também existem 7 famílias originárias, aqueles dos quais vieram os poderes almakis e consequentemente as mais influente em Almakia. Cada família possui um almaki em especial, e cada um tem um Segredo de Família, que é uma espécie de poder sobre o almaki tão forte, tão difícil e tão poderoso, que somente essas 7 famílias originárias possuem e controlam.

Dragão é título dado ao descendente de cada família que será o próximo a ocupar um papel importante no futuro de Almakia: governar. Os Dragões são também aqueles que guardam o Segredo de Família de seus elementos, e que mandam e desmandam no que bem querem no Instituto.

Claro que orientar os almakins que apresentam um poder almaki é essencial, e é por isso que existe o Instituto. Fundado pela Família do Fogo (a família mais poderosa e que governa Almakia), o Instituto é onde os almakins aprendem a desenvolver o seu poder e a controlá-lo.

Também existem os Vilashis, que são os povos estrangeiros, aqueles que vieram para Almakia em busca de uma vida melhor, mas que descendem de ancestrais sem qualquer relação com os almakins e, portanto, não têm poder almaki. Vilashis também são considerados a mais baixa classe social em Almakia, e por isso são completamente desprezados pelos almakins. No entanto, eis que nasceu Garo-lin, uma vilashi com o almaki do fogo.

Assim que Garo-lin sai de sua pobre vila vilashi e entra no Instituto ela percebe o quão desprezada é a sua cultura. Suas características únicas de vilashi (olhos amarelos e cabelos com mechas marrons) também não ajudam muito a garota a fazer amizades. Enquanto foge dos temíveis Dragões do Instituto, que fazem nada mais além de perturbar e mandar, a vilashi mal vê a hora de sair dali e voltar para sua vila. No entanto, o futuro decidiu algo diferente.

Após conhecer Kidari, uma estrangeira com sérios problemas com a língua de Almakia, Garo-lin pensa que finalmente encontrou uma amiga e que, enfim, conseguirá aguentar o Instituto um pouco mais. O problema é quando, dominada pelo seu instinto de justiça, Garo-lin desafia o Dragão de Fogo, e agora Garo-lin irá viajar com os Dragões para uma das super-casas da Família do Fogo, e estará em maus lençóis. Ou não...

Almakia me encantou! Não consegui desgrudar do livro um minuto. O Dragão de Fogo é muito irritante em alguns momentos, mas depois que nós percebemos seus verdadeiros sentimentos e intenções, e a dificuldade que ele tem em demonstrar isso, é impossível não se apaixonar por ele. Todos os personagens e cenários de Almakia foram desenvolvidos com extrema capacidade e talento. A brasileira Lhasia me deixou sem palavras, e mesmo depois de terminada a leitura eu não conseguia parar de pensar no livro. Sem mencionar, é claro, os outros Dragões, que cativaram esta leitora e me deixaram com um aperto no coração por não ter o segundo volume em mãos ainda. Vale a pena ler Almakia e se encantar com a leitura e com a narrativa criada por Lhasia Andria. É simplesmente um dos meus favoritos e uma das minhas melhores leituras deste ano!

"(...) Garo-lin Colinpis, a vilashi que pode mudar o rumo daquele que irá ditar o rumo de Almakia, prometa que irá zelar pelos dragões. (Página 229)"

"- A coloquei acima de todos os outros e você ser uma vilashi ou o que for não tem importância alguma! Gosto de você mesmo assim! (Página 269)"

http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/2012/12/almakia.html
Giulia Rocha 25/01/2013minha estante
Essa capa é uma das minhas favoritas! Não tinha entendido muito a sinopse mas, agora eu quero muito ler! Só fiquei meio confusa com o nome, quando vi pela primeira vez achei que fosse de um menino rsrsrs


Lari 25/01/2013minha estante
Nossa quero muito ler esse livro!


Fran 25/01/2013minha estante
Como já disse no blog, a sua resenha está um arraso! E este livro parece incrível, quero muito lê-lo :D


Mih Fraga 25/01/2013minha estante
Me congundi bastante lendo a sinopse desse livro, haha. E essa resenha complica um pouquinho mais com esse monte de nomes, HAUSHUAHSAS'
Mas você gostou, tenho tudo pra curtir tb.
Vale dar uma chance! :D


Carol 25/01/2013minha estante
com certeza vou ler! ainda mais por ter sido tao elogiado por vc! pelo visto nao dá pra deixar passa


Kelry 26/01/2013minha estante
Livros nacionais ?

A resenha é bem clara, vale a pena ler o livro.


Tielle Soares 26/01/2013minha estante
Desde que vi o lançamento fiquei curiosa com o livro, depois da sua resenha super positiva eu necessito lê-lo...
Adorei!


Maristela 26/01/2013minha estante
Gostei muito da capa desse livro e depois que algumas resenhas estou com muita vontade de ler. Sua resenha só fez aumentar minha vontade de ler.


Monique 26/01/2013minha estante
É sempre bom conhecer trabalhos nacionais. Ainda não tive a oportunidade de ler muitos livros assim.
Gostei muito da capa e a história parece ser bem interessante. Quero lê-lo logo!

A resenha está ótima!
Beijos (:


Clara 26/01/2013minha estante
Adorei, a capa me encantou e a sinopse me interessou. Amo histórias que envolvam dragões e adorei está história, mas um livro nacional que merece ser lido e ter seu devido valor!


Genilda Silva 27/01/2013minha estante
Percebi que os autores nacionais estão se superando e apaixonando leitores!


Domino 28/01/2013minha estante
é serioooooooooooooo com autores assim, histórias assim dá mais vontade de ler os nacionais! Parabénss pela resenha! ^^


Michelle Ladisl 28/01/2013minha estante
Nunca tinha ouvido falar desse livro .
Me interessei nele , mais pela capa . Mas depois da sua resenha fiquei encantada com o livro e doida pra ler =)


Aline Cristina 29/01/2013minha estante
Parece ser um ótimo livro, a historia é bem interessante....
quero muito lê-lo..
ótima resenha.. =)


Joaninha 31/01/2013minha estante
Adorei a capa e a história parece ser bem interessante, já entrou pra minha longa lista de desejados :)


Gabi @qualoproximolivro 01/02/2013minha estante
ótima resenha! O livro parece ser realmente muito bom. É também de uma editora que gosto muito então tenho boas expectativas \o/


ItaloDeck 02/02/2013minha estante
Capa linda e a sua resenha me deixou com "água na boca" rsrsrsr


Ritielly Gripa 04/02/2013minha estante
A capa é linda, o nome é diferente e a sua resenha.. puts, me fez querer ainda mais ter este livro. Parabéns. (Y)


Aline Coelho Cury 05/02/2013minha estante
Esse livro tem uma capa linda e uma história bem interessante. Parabéns pela resenha, fiquei muito curiosa!!!


Caroline 07/02/2013minha estante
Novos mundos de fantasia são sempre bem vindos


Gy 08/02/2013minha estante
Gostei muito da resenha, é bem completa e deixou aquele gostinho de quero mais, ler o livro vai ser maravilhoso, não vejo a hora...


Elileudo 09/02/2013minha estante
Gostei muito da resenha, vou le-lo muiiito ;D


Rosiclecia 12/02/2013minha estante
A cada dia mais sinto orgulho de ser brasileira e principalmente do Brasil esta inovando na literatura... Eu mesma nunca esperaria que tamanho talento viesse surgir aqui e não fosse divulgado como merece... Mas deixa para lá.. Nós podemos fazer isso!!!!!!!!!


DomDom 13/02/2013minha estante
Sou muito fã de literatura fantástica, e esse me parece ser um ótimo exemplar do gênero. Tem uma pegada de escola dos X-Men, com características da divisão de castas indianas que acabou me deixando bem curioso pra ler. Espero ter a oportunidade em breve.


Nâna 14/02/2013minha estante
òtimo descobrir novos autores nacionais.
Capa linda, história que parece que prende o leitor.
Já vai para a lista!


Adriane Rod 22/02/2013minha estante
Ameeiii a sua resenha que acabou de despertar meu interesse.

Acho importantíssimo apoiar os escritores nacionais e já coloquei em minha lista de desejado.

;)


Gabi l Vai um spoiler aí? 22/02/2013minha estante
Gostei muito da resenha. A estória é ótima


Thicy 24/02/2013minha estante
Apenas pela resenha, eu fiquei perdida em alguns pontos, mas gostei bastante do que li!! O melhor de tudo é que é um livro nacional!!
Fiquei com vontade de ler o livro!!


Ju 24/02/2013minha estante
Já li Almakia e gostei muito também! E realmente é impossível não se apaixonar pelo Dragão de Fogo... rs...

Acho a capa do livro muito linda, e com certeza vou querer ler os próximos livros da Lhaisa! =)

Bem legal o jeito que você situou o leitor na sua resenha, assim ninguém fica perdido ao ler.




Maria Fernanda 26/11/2012

Pode vê-la em: http://thebutterbeer.blogspot.com
Eu esperei MUITO para poder ler esse livro, e, quando ele finalmente chegou, não via a hora de devorá-lo. Mas, ao mesmo tempo, não queria que o livro acabasse. Meus deuses! O que a absoluta eu (entendedores de Almakia entenderão) pode falar sobre Almakia - A Vilashi e Os Dragões? Sabe quando você termina de ler um livro bom, mas tão bom, tão bom mesmo que não consegue começar outro de imediato? Foi assim que fiquei.


Sinopse: Em um mundo onde existem pessoas com capacidades extraordinárias vivendo em uma sociedade abastada e preconceituosa, desde pequena Garo-lin foi uma garota deslocada: uma vilashi frequentando o exclusivo Instituto de Almaki Dul’Maojin. Mesmo sendo tratada como uma simples e inevitável pedra no caminho dos orgulhosos almakins, engole todo o seu senso de justiça, tendo por único objetivo terminar sua educação e voltar para sua vila. Porém, devido a um incidente, ela se vê presa pelas circunstâncias e, dali por diante, todo o seu destino está nas mãos dos temidos Dragões de Almakia.



Nossa! É difícil eu me conectar tanto com um livro ao ponto de querer tirar os personagens de dentro dele e trazê-los para o mundo real. E isso aconteceu com Almakia. É uma estória tão gostosa de se ler, bem construída, divertida, com uma temática que me conquistou e prendeu do início ao fim. Vou me casar com esse livro. Tenho vontade de dormir agarrada à ele com medo de que suma no meio da noite. É sério, gente. Seríssimo.

"Mesmo dentro dos limites de Almakia, lugar de origem dos primeiros almakins, nem todos nascem com o dom de usar um dos Sete Poderes Elementares, a principal característica desses descendentes da antiguidade."

Garo-lin não é uma daquelas personagens do tipo água-com-açúcar. (Bella Swan, cof, cof, Cho Chang, cof, cof) Vou dar um exemplo: imaginem o Harry Potter dos primeiros livros, uma criança corajosa sem medo de enfrentar o perigo de frente, mas, ainda assim, uma criança. Eu vejo a Garo deste modo. Ela é uma adolescente muito corajosa, e também não tem medo do perigo, mas acho que irá madurecer mais nos próximos volumes da série (espero que sejam no mínimo 7, ouviu, Lhaisa?), assim com o Harry.

"Comparada as demais alunos, era pequena e mirrada, de cabelos pretos mesclados de marrons claros – como se estivessem sempre sujos de terra [...]. Seu olhos amarelos era o que mais se destacava em todo o contexto, já que era uma característica singular do povo vilashi ao qual decendia, e não havia mais ninguém assim no Instituto."

Ahhhhh, p.r.e.c.i.s.o falar sobre o meu crussssssssh. O Dragão de Fogo, o absoluto Krission Dul'Maojin
Karina.Gomes 27/09/2016minha estante
MANO CONCORDO PLENAMENTE COM VC!
sabe como vc fica tão entusiasmada com um livro que não consegue colocar em palavras o quão ele é maravilhoso? então, esse é o meu estado.
E eu a absoluta aqui amo o meu absoluto Krission (amo mesmoooooo)




GNT 12/05/2012

Uma jornada inacreditável!
O novo milênio trouxe uma boa safra de romancistas para a ficção brasileira. Nomes como Caldela, Dracon e Spohr despontaram nos seus respectivos nichos (fantasia épica, juvenil e sobrenatural) e levaram uma nova leva de autores nacionais para a lista dos mais vendidos, desbancando a concorrência estrangeira com uma literatura de qualidade inquestionável. Mas ainda faltava alguém para escrever um livro universal, com toda a carga de ação, romance, aventura, dramaticidade e alívio cômico necessários para gerar entretenimento para todos os gostos. Alguém com uma prosa leve o suficiente para ser compreendida por todas as faixas etárias e elaborada o suficiente para contar uma história estimulante e divertida. Capaz de escrever o desafiante brasileiro para as mais adoradas séries internacionais, o nosso próprio Harry Potter. Um desafio muito grande? Pois veio a nova década e botou a Lhaisa Andria no páreo.

Almakia é daqueles livros que te pregam um sorriso no rosto. Não importa a quantidade de adversidades enfrentadas por Garo-lin - e acreditem, são vários os momentos de tensão -, sua história é agradável ao leitor do início ao fim, uma virtude encontrada nos melhores do gênero (Rowling, Ende, Riordan). O que fazemos é torcer e vibrar com cada passagem, imaginando o colorido cenário tecido pela autora, e acompanhando a história da garota enquanto ela deixa de ser uma simples vilashi (denominação comum a um grupo de imigrantes e seus descendentes, componentes das camadas mais baixas da sociedade de Almakia) para desenvolver seu poder de manipulação de fogo, sendo inserida aos poucos no mundo daqueles que detém o domínio econômico-social e sobre os elementos, os almakins. Vou me furtar de resumir o restante do enredo, para não estragar a experiência de leitura de ninguém, mas aqueles que não seguirem a minha indicação - saindo correndo para ler o livro agora mesmo - saibam que em breve ouvirão falar muito na série, seja pela desde já muito aguardada continuação, seja pela inevitável repercussão nacional (e internacional!), ou seja pela adaptação cinematográfica tão logo este livro caia nas mãos de um cineasta esperto.
Lhaisa Andria 13/05/2012minha estante
Posso dizer que eu chorei lendo isso? (tenho testemunhas xD)




Ju 08/09/2012

Almakia: a Vilashi e os Dragões
O livro conta a história de Garo-lin Colinpis, uma vilashi de Godan, uma vila do Vale Interior. Ok, vamos por partes... rs... Almakia é um local em que vivem homens comuns e também os almakins, pessoas que possuem um poder especial. Esse poder consiste em controlar um almaki, ou seja, um dos sete poderes elementares. São poderes que têm relação com elementos como a água, o fogo, o raio, o vento, o metal, a natureza e a luz.

Dentro de Almakia, há uma região chamada de Vale Interior. Esta região, por ser castigada todos os anos com uma temporada de vento e neve que a isola do resto do mundo, nunca foi de interesse dos habitantes de Almakia. Era, portanto, desabitada, até que chegaram os vilashis (estrangeiros que até então tinham uma vida nômade) e a ocuparam. Descobriram que o local era bom para o cultivo, e começaram a produzir gêneros alimentícios não só para sua subsistência, mas para fornecer mantimentos para toda a Almakia. Os vilashis, por isso, passaram a ser considerados um mal necessário.

Garo-lin é uma vilashi de uma das mais insignificantes vilas: Godan. Teve uma infância feliz, cercada por pessoas amorosas e alegres. Cedo sua família notou que ela possuía um almaki - um almaki de fogo. A menina, ao espirrar, causava pequenos acidentes com esse elemento.

Aos 12 anos, Garo-lin é aceita no Instituto de Formação Almaki Dul´Maojin, na Capital de Fogo, e aí sua vida muda completamente. Ela passa a ser desprezada por todos na escola, que sempre fazem questão de lembrá-la que só foi aceita por caridade, que nem deveria estar ali (ela é a primeira vilashi a frequentar o Instituto). Mas a verdade é que a garota foi aceita para ser controlada, uma almakin sem treino e sem o dever de obedecer a alguém poderia acabar se tornando um perigo.

Sobre o restante do título, preciso confessar que ele me enganou... rs... Eu pensava que encontraria no livro histórias com dragões, aqueles seres gigantescos que voam e cospem fogo. Mas não é nada disso. Dragões são almakins poderosos, que guardam um Segredo de Família e que devem ser respeitados e temidos por todos.

Almakia é bem gostoso de ler (seria mais se não houvesse tantos erros no texto). Apesar de não ser nada do que eu esperava, me agradou. Não fiquei fascinada, sem conseguir largar o livro, mas me diverti com ele. Se eu o tivesse, até leria de novo, com mais calma. Mas ele foi embora antes de eu escrever a resenha! rs...

Eu amo a capa! Muito, muito linda!! O livro infelizmente tem um probleminha de acabamento... Ele meio que enruga no meio, como se as páginas estivessem coladas em excesso. Espero que o problema seja só no exemplar que esteve comigo, e não uma coisa generalizada.

A autora soube como envolver o leitor. É bem legal ver as personagens se revelarem aos poucos. E a história tem um vilão de quem eu nunca desconfiaria!

Se você gosta de aventura, de histórias que falam de amizade, de amor e, principalmente, da luta por um ideal, não deixe de ler!
Lua 05/03/2013minha estante
A história parece bem legal, como todo livro com tema de fantasia quem sabe não me conquista =D e a capa é muita linda sim.


Adriane Rod 01/04/2013minha estante
Adoro essa capa e eu estou doida para ler esse livro tem muito tempo. Uma hora eu consigo chegar nele.

;)

http://pseudonimoliterario.blogspot.com.br/


Thaís 13/04/2013minha estante
Adoro livros de fantasias, por isso tenho certeza que vou amar esse! Estou terminando de ler As cronicas de narnia (até hj) e posso falar q foi um dos melhores livros q eu ja li kkk essa resenha me encheu de curiosidade ja esta entre os desejados!


Baah 14/04/2013minha estante
ja li varias resenhas sobre ele e sempre despertou minha curiosidade, gostei muito, achei muito interessante


Dani 16/04/2013minha estante
Eu sou fã de histórias mágicas que tenham seu próprio reino, acho que no final das contas dou fã dos livros em geral rsrs




Paula 15/05/2012

Almakia - _O_ Livro!
Almakia não é só um grande livro... é o próximo best-seller! xD

Como eu acompanhei desde sempre todo o processo da criação de Garo-lin e Almakia, achei que não me surpreenderia ao ler o livro em minhas mãos. Doce engano! Almakia me fez, como da primeira vez, ler vorazmente cada página, ansiando pelo final(mesmo eu já o conhecendo!)!

Garo-lin é uma menina corajosa, que teve que engolir seu senso de justiça para viver em um mundo cheio de almakins preconceituosos e poderosos. Mas um evento faz com que ela vire alvo dos temíveis Dragões, e esse evento não mudará somente a vida de Garo-lin, mas de toda Almakia!

Todos os personagens, cuidadosamente construídos, e o mundo maravilhoso de Almakia só me fazem confirmar o que eu sempre soube: que a Lhaisa Andria é uma escritora fantástica, detentora de um poder supremo de deixar todo mundo louco por uma continuação! (e não se enganem, mesmo eu ainda não sei o final dessa história...)!

Misturando humor, suspense e ação, não deixem de ler esse livro mais que fantástico!

E um spoiler que posso dar a vocês é: continuem confiando em Garo-lin, pois ela é aquela que pode ditar o rumo daqueles que ditarão o futuro de Almakia...
comentários(0)comente



Way to Happines 11/03/2014

Almakia, A vilashi e os dragões - Lhaisa Andria (por Lígia Colares)
Garo-lin é uma vilashi que possui um almaki, ou seja, uma aldeã que não tem descendência poderosa, e que mesmo assim possui o dom de manipular o fogo. Quando entra no Instituto, percebe que está ali apenas para ser posta em seu lugar, de apenas uma insignificante aldeã com um insignificante poder. No oposto dela, estão os cinco dragões, descendentes de famílias poderosas que possuem o maior grau de poder de seus almakis, além de futuros governantes de suas cidades.
Sabendo disso, a única coisa que pode-se esperar é que eles nunca se falem, e o maior esforço de Garo-lin é de não ser notada e não fazer diferença, para que a deixem em paz até que seus estudos terminem. Tudo estava encaminhado a isso, se não fosse um incidente: Garo-lin, para defender uma nova amiga, enfrenta diretamente o Dragão de Fogo, Krission, o mais poderoso dentre eles. Como consequencia, Garo-lin é castigada, e por conta desse castigo convive alguns dias com esses despezíveis dragões.

Garo-lin se vê envolvida com esses dragões e percebe que eles não são tão maus assim, e que podem até ser boas pessoas. Logo depois disso, todos eles se veem envolvidos em uma história cheia de politicagem e manipulações, em que os dragões são as principais peças, e Garo-lin, apesar de todas as expectativas, acaba se tornando também uma peça chave! A história é envolvente a ponto de você precisar sentar de vez em quando, para poder respirar!

De início pensei que Lhaisa simplesmente tinha feito uma fusão de Harry Potter com aquele desenho Avatar, mas ela foi muito além disso! Ela criou um pais, com suas características financeiras e políticas, com sua história, seu povo rico e seu povo pobre, e também criou personagens fantásticos!

Eu sempre gostei de personagens secundários, e os dragões extrapolam todas as expectativas, ela conseguiu fundir defeitos com qualidade de forma tal que eles são muito humanos! Kris, o dragão de fogo, a gente descobre que é disléxico e as vezes usa as palavras erradas, então era quatro horas da manhã e eu estava gargalhando com as coisas que ele dizia! Hahaha! Outro dragão que eu amei foi o dragão do vento, que parecia completamente avoado e mesmo assim muito enigmático! E Kidari, a nova amiga de Garo-lin, é tão divertida e espontânea que é impossível não rir enquanto ela estava com o dragão do raio, tão impaciente!

Garo-lin é a única personagem que me incomoda! Ela está sempre com o pé atrás. Eu compreendo, cinco anos sendo ignorada e menosprezada, é de se imaginar o trauma... Mas enquanto todos os outros personagens estão sendo sinceros e espontâneos, ela está sempre arredia, sempre achando que há algum motivo maligno por trás... E isso do início ao fim! A única parte que eu vejo que ela deixa essa dúvida de lado é no final, mas né, nao vou explicar por que, leiam pra saber hahahaha!

Minha única crítica esta para alguns erros de português, escassos no início, e mais frequentes para o final do livro, porém não chega a ponto de incomodar! Mas como eu disse, devorei o livro!

Lhaisa escreve muito bem, a leitura flui tão fácil que é impossível perceber as páginas passando, e os personagens são tão bem feitos que você os vê, os imagina, e tem certeza que eles existem em algum lugar! A história é envolvente e sem clichês! E, para ser bem sincera, o último livro que me fez virar a madrugada foi Senhor dos Anéis, então sim, ele está na minha lista de preferidos, ele está na minha lista 5 estrelas (e eu sou bem exigente!), e eu estou aguardando ansiosamente pelo próximo volume! E com muitas expectativas, então Lhaisa, não me decepcione! Hahaha!
comentários(0)comente



Sâmmy 10/06/2014

Resenha original para o blog SammySacional

Os leitores mais assíduos e um pouco antigos - mas só um pouco, acho - já devem saber que eu nunca fui fã de fantasia, mas isso mudou quando eu conheci os livros da Karen Soarele. Foi a partir daí que comecei a dar chance de leitura para outros livros desse gênero e, inclusive, procurar indicações nessa base, muito embora, confesso, algumas das maiores indicações ainda fossem descartadas em meu subconsciente. Mas eis que uma promoção inesperada na Amazon me deu uma chance de mudar - novamente - a ideia à respeito de alguns desses casos. Um deles era Almakia - A Vilashi e os Dragões, que apesar de sempre ver resenhas positivas e sua nota alta no Skoob, não achei que pudesse me prender. Ainda bem que aproveitei a chance da Amazon - e da autora; obrigada! - e embarquei em mais esta aventura. E sabem de uma coisa? Eu me apaixonei por esse livro...

“Realmente não era um assunto que interessasse a maioria, mas ela gostava de saber sobre o passado. Talvez porque seu futuro sempre fora tão incerto e sua descendência tão desconsiderada.”

Neste primeiro volume da trilogia Almakia, escrita por Lhaisa Andria, A Vilashi e os Dragões, acompanhamos o universo de Almakia. Dividida entre grandes sociedades e pequenos vilarejos imigrantes, dentre os quais moram povos como os vilashis, esta é uma sociedade por muitos destacada como perfeita, mas que fora fruto de muitos anos de guerras entre poderosos dragões, donos de habilidades mágicas que subiram-lhe a cabeça pelo poder. Passando uma imagem que procura fugir das guerras e propõe uma sociedade mais unida, Almakia então nasceu, mas, aos poucos, sucumbi, sutilmente, ao desejo de poder. Os Cinco Dragões de Almakia, jovens de famílias poderosas e distintas do Domínio, estão em preparação para tornarem-se os ditadores do rumo da sociedade, e tudo transcorria bem até o momento em que, numa pequena vila distante do centro de Almakia, uma vilashi mostrou-se uma portadora de um dos Sete Poderes Elementais. Garo-lin Colinpis já sabia que teria muito preconceito a enfrentar na capital e no Instituto Dul'Maojin, afinal, era quase uma afronta uma simples vilashi ser uma manejadora de não menos que o fogo. Tudo o que ela queria, no fim das contas, era passar em branco por todos aqueles anos obrigatórios no instituto e poder retornar à sua vila normalmente, mas alguns incidentes irão mudar o seu rumo, e, ao que parece, o rumo de toda a Almakia também...

“- Todos nós somos um pedaço de Almakia! Mesmo que você diga que somos diferentes, vilashi, está errada. Todos nós nascemos nesse Domínio... E se olhar por esse lado, você não é diferente dos Dragões.”

Numa trama cheia de ligações e uma história por si só já dotada de aventura, Lhaisa Andria nos conduz por entre o universo de Almakia, com sua narrativa fluída e muito bem escrita, revelando-nos, a cada página, detalhes sobre a história dessa sociedade aparentemente tão perfeita, mas interiormente tão opressora. É com empolgação e por vezes tensão que acompanhamos a jornada de Garo-lin Colinpis desde que entrara no Instituto, até os momentos inusitados e intensos fora da fortaleza e as várias aventuras que transcorreram a partir daí, com as companhias mais ilustres e inacreditáveis. Sobre isso, gostaria, inclusive, de parabenizar a autora pela ótima desenvoltura dos personagens. Dotados de personalidades fortes e determinadas, alguns até intrigantes e misteriosos à seu modo, foi perceptível, durante toda a leitura, a distinção entre eles e mesmo a identificação com vários, o que só me deixou ainda mais conectada à leitura. De repente, era como eu estivesse dentro do livro, ao lado deles em sua jornada. Fosse me divertindo com a espontaneidade de Kidari, tendo um papo descontraído com Benar e Summerin, recebendo conselhos do Nu'lian ou dando um puxão de orelhas sutil no Vinshu.

“- A coloquei acima de todos os outros e você ser uma vilashi ou o que for não tem importância alguma. Gosto de você mesmo assim!”


Leia o resto da resenha em...

site: http://sammysacional.blogspot.com.br/2014/06/resenha-almakia-i-vilashi-e-os-dragoes.html
comentários(0)comente



Ann 17/12/2012

Moda e eu





Título: Almakia
Subtítulo: A vilashi e os dragões
Autora: Lhaisa Andria
ISBN: 978.85.65588.08-9
Capa: Marina Avila
Projeto Gráfico e ilutração: Josi Echeverria
Revisão: Vêronica Sobreiro
Linha Literária: Literatura Fantástica
Formato: 16 x 23 – 362 páginas
Compra
Em um mundo onde existem pessoas com capacidades extraordinárias, vivendo em uma sociedade abastada e preconceituosa. Desde pequena Garo-lin foi uma garota deslocada: uma vilashi frequentando o exclusivo Instituto de Almaki Dul’Maojin. Mesmo sendo tratada como uma simples e inevitável pedra no caminho dos orgulhosos almakins, engole todo o seu senso de justiça e tem por único objetivo terminar sua educação e voltar à sua vila. Porém, devido a um incidente ela se vê presa pelas circunstâncias, e dali em diante, todo o seu destino está nas mãos dos temidos Dragões de Almakia.

Garo-lin se revela uma improvável manejadora de almaki e acaba indo para o grandioso Instituto de Almaki Dul’Maojin. Sendo uma vilashi, ela não é exatamente bem vinda entre os alunos, e o choque cultural é agravado pelo preconceito que impera. Ainda, é preciso conviver com uma realidade que a deixa desnorteada: os Dragões de Almakia, herdeiros das poderosas Famílias, que têm liberdade para exercerem a influência de seus títulos, beirando uma ditadura. Dentro desse cenário, tudo o que Garo-lin deseja é voltar para a sua vila, e seguindo essa convicção ela sobrevive um dia de cada vez entre os almakins. Até que um fato fez seu temperamento justo prevalecer: para salvar alguém, ela se torna uma vítima permanente dos Dragões.
Contudo, a convivência forçada com os herdeiros e as desventuras que vivem, revelam que eles não são somente o título que carregam. Os Dragões são aqueles que têm o poder de decidir o rumo de Almakia, e Garo-lin se torna aquela que pode ditar o rumo dos Dragões.

Almakia, vou contar um segredo... Não gostei do livro nas primeiras paginas. Verdade...
Lia, lia e não saia do lugar, não entrava no clima do livro. Porém, eu com minha teimosia. Cheguei ao final.
E ME ARREPENDI, por não ter lido antes. TIPO ASSIM, não to puxando saco por causa de editora, autora, não teria motivos para acabar com o nome do meu blog com isso.
Meu, Lhaisa, soube transformar a estória em algo que eu fiquei tipo," quero mais, como assim acabou."
A estoría é maravilhosa Garo-lin uma menina que nasceu com dom de fogo, com isso ela foi permitida estudar no Instituto Almaki Dul' Maojin.
Lá haviam os dragões, filhos dos poderosos. E lá essa se mete em uma encrenca, que a faz sair com os dragões.
E lá, ela mudo a vida de todos, e o destino...

Gostei muito do livro e fico agradeci a chance de ter tido a oportunidade de ler-lo. A-M-E-I o livro, a ponto de deixar meus trabalhos de lado.

Ahhh, dragão do fogo lindo, Kris venimim. Lhaisa me manda ele de presente? *-*




comentários(0)comente



Tribo do Livro 15/05/2012

Sobre Almakia
Por Ver Sobreira
A literatura brasileira sempre careceu do principal: leitores. É verdade que temos grandes clássicos que hoje, não só hoje, a algum tempo são lidos lá fora. Isso é de suma importância. Porém, na literatura infanto-juvenil, essa que é responsável por formar novos leitores, sempre tivemos poucas opções. Óbvio que muitos de nós na infância, lemos os clássicos infantis, como por exemplo Reinações de Narizinho, mas mesma assim ao longo dos anos estudos perceberam que faltava muito coisa. Então o que aconteceu, nossos jovens leitores foram atraídos pela literatura estrangeira que sempre ofereceu mais atratativo do que a nossa.

O que fazer? De uns cinco anos para cá esta situação começou a mudar, porém algumas pessoas sempre "torcem o nariz" sobre isso. A mudança começou e continua, livros ótimos, bons, médios, ruins, mas a verdade é que a literatura infanto-juvenil deu um salto, e nossos pré-adolescentes começaram a ler com mais afinco. E o que é importante? Devemos apresentá-los bons títulos. Sejam eles de mistério, fantasia, romances, aventura, etc. não importa o importante é ler. E, é por isso que apresento a vocês com garantia Almakia - a vilashi e os dragões, uma fantasia deliciosa e que inspira valores como a amizade, o companheirismo e o amor. Tive a oportunidade de ler os originais deste livro e fiquei encantada. Não vou falar da autora porque neste link: http://www.tribodolivro.com/2012/03/entrevista-lhaisa-andria.html, vocês poderão descobrir um pouco sobre ela, mas digo, e ela não tem vergonha de afirmar que Tolkien e J.K. Rowlings foram inspirações, notem, inspirações e não uma copia mal-formulada. Até porque Almakia é um mundo único e diferente. Com influências sutis da cultura japonesa e de outras que vocês poderão identificar ao lê-lo.

Sobre a história

Sinopse

Garo-lin se revela uma improvável manejadora de almaki e acaba indo para o grandioso Instituto de Almaki Dul’Maojin. Sendo uma vilashi, ela não é exatamente bem vinda entre os alunos, e o choque cultural é agravado pelo preconceito que impera. Ainda, é preciso conviver com uma realidade que a deixa desnorteada: os Dragões de Almakia, herdeiros das poderosas Famílias, que têm liberdade para exercerem a influência de seus títulos, beirando uma ditadura. Dentro desse cenário, tudo o que Garo-lin deseja é voltar para a sua vila, e seguindo essa convicção ela sobrevive um dia de cada vez entre os almakins. Até que um fato fez seu temperamento justo prevalecer: para salvar alguém, ela se torna uma vítima permanente dos Dragões.
Contudo, a convivência forçada com os herdeiros e as desventuras que vivem, revelam que eles não são somente o título que carregam. Os Dragões são aqueles que têm o poder de decidir o rumo de Almakia, e Garo-lin se torna aquela que pode ditar o rumo dos Dragões.

Agora um pouquinho de alguns personagens:
Garon-lin Colinpis - Menina vilashi que aos cinco anos descobre que pode manejar o fogo.
Krission Dul’Maojin – Almakin, Dragão de Fogo, líder dos Dragões, uma autoridade dentro do Instituto. Será responsável pelo futuro de Almakia, rude e espinhento por fora, mas no fundo uma criança mal- amada;
Vinshu Zawhart –Almakin, Dragão de Raio, um gênio tão arrogante quanto inteligente está sempre de mal-humorado;
Kidari – A kodorin de Além-Mar;
Sumerin Grand’Otto-Almakin, Dragão de Metal, a única menina entre os cinco dragões é muito diferente do que aparenta ser;
Benar Sfairul – Almakin, Dragão de Vento, muito perspicaz e persuasivo;
Nu’lian Gillion, Almakin, Dragão de Água também chamado Dragão Real, aparenta ser indiferente ao mundo à sua volta, porém detêm um Segredo que põe em risco sua própria vida;
Kandara Dul’Maojin – Irmã do Dragão de Fogo, guarda segredos que podem mudar radicalmente o futuro de Almakia.

Esses são alguns personagens, entre outros...
Lhaisa Andria criou uma narrativa concisa, eficiente, dinâmica, expressiva e muito bem amarrada. A personagem principal é forte, reconheceremos em Garo-lin uma verdadeira heroína, uma menina que irá descobrir ao longo da história a força que tem; Krission é arrogante, prepotente, mas um personagem apaixonante e cativante.
"Po-por quê eu aprenderia um Segredo de Fogo?!
— Não é óbvio? – ele voltou para o assento do condutor – Você está acima de todos os outros. – e com um movimento rápido de rédeas fez com que a mombélula descesse velozmente para o chão."

Mentor e aprendiz que no começo tinham uma relação conturbada e praticamente impossível, acabaram por se reconhecer um ao outro como iguais. Tudo que acontecer, colocará o futuro de Almakia em jogo e eles terão que tomar suas decisões.

"Nunca havia pensado daquela maneira. Podia descender de um povo de fora de Almakia, mas seus pais, seus irmãos e ela nasceram dentro do Domínio e sua família vivia daquelas terras. As diferenças, quem as criavam e as mantinham, eram eles mesmos.
— A coloquei acima de todos os outros e você ser uma vilashi ou o que for não tem importância alguma! Gosto de você mesmo assim!
Garo-lin olhou e não pôde esconder sua expressão de surpresa.
— O-o quê?"
Livro de estreia pela Modo Editora, terá continuação. Aventuras, amizade, companheirismo, amor...ódio, injustiças, preconceitos, etc.Venha conhecer o mundo dos Domínios e os Segredos dos Dragões com Garo-lin Colinpis e Krission Dul’Maojin em – Almakia I – a vilashi e os dragões.
Leitura recomenda, vocês vibrarão com estes personagens e suas buscas.
comentários(0)comente



Tsuniga 09/05/2012

Almakia!
Confesso que comecei a escrever essa resenha inúmeras vezes antes de enfim acertar. Na verdade, não estou sequer certo se essa será a publicada, mas continuarei tentando. O maior problema que encontrei foi definir sobre o que escrever e como escrever. Não porque tem pouco, mas porque tem muito. No entanto, enquanto estava relendo Almakia, dei-me conta exatamente de como começar e peço perdão caso não consiga manter o foco ou até mesmo ser objetivo. Afinal, esse livro me prende de tal forma que é difícil organizar os pensamentos ao falar dele. E confesso que disse bem menos do que gostaria de ter dito. Bem, vamos lá:

Almakia é o tipo de livro que te faz odiar ter que dormir, comer, trabalhar, estudar e qualquer outra coisa diferente de viver de luz e de leitura. Prende e faz com que você queira acompanhar a história de Garo-Lin, uma Vilashi que indiscutivelmente não pertence ao domínio de Almakia, mas de todo jeito é engolida em uma trama onde ela nunca está no controle. Desde o principio percebemos isso, pois vemos que a protagonista está presa em um dilema entre continuar no instituto de maneira discreta e voltar para seu vilarejo e enfrentar aqueles que são chamados de Dragões de Almakia e libertar todo seu senso de justiça, enfrentando assim consequencias inimagináveis.

Lentamente nos deixamos levar por essa personagem com gênio forte, mas que tem que reprimir suas próprias vontades para não atrair problemas. E isso estava funcionando. Poucos anos restavam para que ela enfim se livrasse daquele mundo, mas algo aconteceu. Uma estrangeira chegou no Instituto e tornou-se sua única amiga lá dentro. Mesmo com poder e fortuna, essa estrangeira - chamada Kidari - era vista no mesmo nível que a garota Vilashi. Pouca importância era dada e sua existência era meramente uma visão incômoda para os outros.

E foi então que aconteceu.

Um episódio marcante na vida de Garo-Lin envolvendo três dos cinco Dragões, um felino muito estranho, uma estrangeira e um grito muito alto. Algo que trouxe a tona toda a força da personagem que, logo nos primeiros capítulos, aprendemos a admirar e a amar. Depois disso, ela torna-se visível aos dragões. Como um alvo, além de uma simples Vilashi. E, a partir desse ponto, não irei mais comentar sobre a história, pois a simples ideia de estragar a leitura de alguém com spoilers me deixa completamente aterrorizado, mesmo achando que, ao ler Almakia, o leitor estará tão envolvido na história que ele só vai se lembrar de algum spoiler quando o mesmo realmente acontecer.

O que posso dizer, contudo, é que Lhaisa nos leva à um mundo inteiramente novo através dos olhos dessa protagonista forte e independente. Nos faz perceber pontos de vistas e questões que muitas vezes nos pegam de surpresa. A cada capítulo nosso desejo por sua escrita se torna cada vez mais voraz, e lentamente qualquer outra coisa senão terminar aquela história seja algo doloroso. Confesso que me dói o coração ter que interromper a leitura para fazer outra coisa, e isso é algo muito impressionante.

Em Almakia, percebemos o quanto alguém que não inspirava expectativa alguma pode realmente crescer e se tornar uma pessoa inteiramente poderosa, e não no sentido de conseguir manejar seu Almaki de Fogo como nenhuma outra pessoa, mas sim em suas questões morais e sua própria justiça. No inicio, vemos uma personagem presa em suas próprias crenças. No final, já estamos acompanhando a força de uma protagonista que consegue lutar por tudo que acredita.

Consigo rir com o mal-amado do Krission (Dragão do Fogo) e me sentir completamente triste com acontecimentos trágicos onde Garo-Lin torna-se impotente ao deparar-se com algo que não pode controlar. Me perco no tempo enquanto estou lendo esse livro, e o leio de maneira feroz, sem me conter, enquanto espero que nunca chegue ao seu final. Almakia é mais do que a história de uma menina chamada Garo-Lin. É a história de um mundo onde uma pequena menina de quem nada se esperava torna-se aquela que pode ditar os rumos desse domínio. Esse livro me fez crescer, me fez evoluir como pessoa.

Obrigado, L, por esse livro maravilhoso.

E que venha os próximos!
Lhaisa Andria 10/05/2012minha estante
Nossa, conseguiu ser sem spoilers mesmo :D E adorei a parte do 'Um episódio marcante na vida de Garo-Lin envolvendo três dos cinco Dragões, um felino muito estranho, uma estrangeira e um grito muito alto. ', é o resumo perfeito xD
Obrigada, Thi \o/




Pamela Chris 07/12/2012

www.pamelachris.blogspot.com
Em uma palavra: Inacreditável

Antes mesmo da história começar nos é apresentado uma prévia do passado do livro, o que explica um pouco sobre o mundo em que ele é escrito e porque é da maneira que é agora: o orgulho almakin e sua soberania.
Mas... vou explicar um pouco sobre esse mundo, para que vocês possam entender a resenha:
O almakin está presente dentro das pessoas tanto quanto o ar que respira ou a sua própria alma. Ter um almakin quer dizer que o portador tem o poder de um dos sete elementos: água, vento, metal, fogo, natureza, luz e raio. Porém nem todos possuem almakin, e os portadores acreditam ser melhor do que todos por esse motivo. Até por que a tecnologia existente no mundo existe graças aos que eles podem fazer, tornando-os “necessários” e importantes.
Todos conhecem a história de Harry Potter, certo? (pergunta idiota, mas, continuando...). Então sabem que os bruxos, na história de Harry Potter, nascem de bruxos. Mas também pode acontecer de nascer um bruxo numa família completamente trouxa. Assim como (é raro), também pode acontecer de nascer um não-bruxo numa família pura.
Em almakia também é assim, só que alguém fora de uma família almakin nascer com almakin é muito, mas muito raro. Só que acontece, e justamente com uma vilashi (povo nômade que, há anos, se assentou ao redor da terra de Almakia, no Vale Interior) chamada Garo-lin, que com apenas um espirro pode evocar o fogo, rsrs. Só que, mesmo sendo desprezada pelos Almakins, era obrigada a estudar com eles no Instituto, a fim de aprender a controlar seus poderes.
Digamos que, por cinco anos, Garo-lin viveu o verdadeiro inferno lá dentro. De um lado era quase completamente ignorada. De outro ela tinha que aturar calada as injustiças dos Dragões, que por serem poderosos e aqueles que ditariam um dia o rumo de Almakia, se achavam no direito de fazerem o que quisessem. Ops, não expliquei sobre os Dragões...
Resumindo: Há três classes de poder almaki: primeira, segunda e terceira ordem. Dragão é um título, dado àquele que possuir almaki em Primeira Ordem e tem um Segredo de Família. Ou seja, mais poderosos que os próprios mestres do Instituto.
Voltando...
Garo-lin faz amizade com uma menina estrangeira que havia acabado de entrar no Instituto, já no quinto ano. Ela se vê em comum com aquela menina de fala pouco dominante, já que se era raro uma vilashi com poder almakin, mais ainda uma estrangeira. E é por causa dessa amizade que Garo-lin é obrigada a enfrentar os Dragões, o que muda para sempre a sua vida.
É, vocês viram pelo o meu pequeno resumo da história que eu adorei o livro, não?
Lhaisa criou um mundo fabuloso, diferente e complexo. Sabe, do tipo de várias terras, animais estranhos, conspirações, nomes bizarros e por aí vai. Eu falo dos nomes porque não é nada com o costumamos, ver, entendem? Sério, ainda estou tentando pronunciar alguns dos Dragões, depois de lembrar o nome deles...
Por falar nos Dragões... Sim, eu adoto o Krission (ou seria “adoro”?, huahua). Ele é o líder dos Dragões, manejador do fogo, e por isso arrogante como só ele. Às vezes troca algumas palavras (como exceção por execução), ordena coisas óbvias (e como ordena), nunca usa um tom humilde ou como se não tivesse razão do que estava fazendo. Eu ri muito com ele, por ele ser do tipo irritante e insuportável, mas de um jeito que eu não consegui deixar de gostar.
Quero dizer, porque ele é um personagem. Porque se eu encontrasse um cara como ele já teria dado um tiro há muito tempo...
A personagem principal também é uma grande querida. Ao mesmo tempo em que tenta ser invisível, para não se sentir pior do que já sente, se mostra uma jovem forte. Garo-lin foi aquela que desafiou os Dragões e que irá ditar o rumo deles. Se mostrou também poderosa e amiga quando precisaram dela. Gostei dela, mas eu gostaria que ela se decidisse sobre um determinado assunto... Quero dizer, dar uma chance... Não vou comentar mais, senão vira spoiler.
Agora... Kidari, a menina estrangeira. Sabe aquelas pessoas que não sabem o que é chorar e não param no lugar? Essa é Kidari. Eu ADOREI a menina, seu sorriso fácil e sua animação quase não importando a circunstância. Ela é manejadora do raio, por isso o seu mentor acaba sendo Vinshu, o Dragão de Raio. Só que ele é do tipo sério, completamente o inverso da garota. Dava para rolar de rir com o desespero dele para com ela, huahuahuahua.
Há tantas pessoas que amei na história, como o Dragão Real, Kandara, uma certa criança que está sempre tentando fugir escondida... Só que para falar deles eu teria que escrever um livro inteiro, então é melhor eu parar por aqui, hehe.
Por fim, o livro é daqueles que a gente não quer parar de ler. Uma história que te arrebata para dentro dela, onde você torce e distorce e por muitas vezes se surpreende junto com a personagem principal. E com aquele final em que você necessita no próximo volume... Puxa, agora me resta esperar para saber como toda essa confusão vai continuar e, principalmente, como pode acabar.
Para quem for ler, tenho certeza de que vocês irão gostar tanto quanto eu ;)
comentários(0)comente



Luck 02/05/2016

Almakia!
Primeiramente, devo dizer que já postei uma resenha para esse livro muito semelhante a essa em minha antiga conta no SKOOB (Sean), que acabei excluindo. Todavia, a resenha que se encontra abaixo apresenta algumas modificações.

***
Conheci Almakia - A Vilashi e os Dragões através de um blog literário em 2013, sendo imediatamente conquistado pela sua capa e sinopse; as palavras "vilashi" e "almaki" não paravam de circular pela minha cabeça, instigando minha curiosidade em ler. Então, após meses e meses de ansiedade finalmente adquiri o livro no início de 2014 e comecei a devorá-lo. Lhaisa Andria criou um universo simplesmente único e inovador, diferente de tudo o que eu já tinha lido até então.

Almakia é, dentre todos os outros, o único Domínio onde as pessoas nascem com a capacidade de manipular um dos Sete Poderes Elementares: Água, Fogo, Metal, Raio, Vento, Natureza e Luz, o mais raro. Tais poderes também são conhecidos como almaki, logo, quem possui almaki é um almakin. Almakins, porém, são pessoas extremamente orgulhosas e prepotentes, considerando-se soberanas pelo fato de possuírem almaki.
Em Almakia ainda vivem os vilashis, um povo simples de imigrantes que veio para o Domínio há muitas gerações, estabelecendo-se na região do Vale Interior. Vilashis não possuem almaki, sendo por isso desprezados pelo restante de Almakia e tendo como função servir aos arrogantes almakins.

No entanto, há uma extraordinária exceção: Garo-lin Colinpis é uma vilashi que nasceu com almaki, podendo manejar fogo! E mesmo não sendo uma almakin pura, ela teve a permissão de estudar no Instituto de Formação Almaki Dul'Maojin, maior e única escola de ensino almaki do Domínio, um lugar grandioso e ostensivo, o marco da Capital de Fogo, cidade mais poderosa de Almakia e metrópole dos almakins.

Durante cinco anos, Garo-lin viveu no Instituto sofrendo calada o desprezo dos outros estudantes, reprimindo todo o seu senso de justiça, mas sempre temendo os Dragões, cinco jovens herdeiros das maiores e mais poderosas famílias de Almakia e que futuramente seriam os líderes de sua nação. Os Dragões mandam e desmandam no Instituto, impondo um tipo de regime ditatorial: quem se atreve a ficar em seu caminho, é severamente punido.

Mas então, eis que surge Kidari, uma estrangeira vinda de Além-mar e manejadora de raio, sendo uma raridade ainda maior que Garo-lin, já que ela é oriunda de outro Domínio, Kodo. Kidari logo torna-se a única e melhor amiga de Garo no Instituto, e é um incidente envolvendo a kodorin que faz Garo-lin pôr pra fora todo o seu senso de justiça, contido durante anos desde que ela atravessou os Portões Negros, e enfrentar os temíveis Dragões. A partir daí a história começa, afinal o destino de Garo-lin agora está nas mãos dos Dragões de Almakia.

Mas a história vai muito, muito além disso.

Como eu disse, Lhaisa criou um mundo próprio, mágico, mas ao mesmo tempo abrangente e complexo. Aqui não temos adolescentes dotados de habilidades sobrenaturais lutando contra seres das trevas que querem despertar. Não que eu não goste de livros assim, pelo contrário, mas tem uma hora que se torna enjoativo, e é principalmente nesse sentido que Almakia se torna um livro revolucionário. Em Almakia temos uma forte trama política, com intrigas, conspirações e ambição desmedida pelo poder, ocultos pela pompa, status e prestígio da opulenta e poderosa Sociedade Almaki. Tudo isso está impregnado na história desde o início - e quase passa despercebido diante do convívio de Garo-Lin com os Dragões -, tendo algumas pistas no decorrer da leitura. Mas é só depois da metade em diante do livro que as coisas vão ficando claras para o leitor, e se pode ter uma noção do quão extensa e complexa é essa trama. Além disso, trata-se de um livro totalmente anti-clichê e imprevisível.

Os personagens são outro ponto forte. Todos extremamente bem construídos e desenvolvidos; é incrível ver a evolução deles ao longo do livro, em especial a do Dragão de Fogo. É algo absolutamente natural. Almakia é um dos poucos livros que li que apresenta personagens tão fascinantes e carismáticos, chegam a ser tangíveis. Mas para mim, uma personagem em particular se sobressaiu: Kidari Chanboni.

Me apaixonei por Kidari assim que ela surgiu. Mas, como não se apaixonar por uma pessoa de cabelos verdes que diz: "Olá! Kidari sou. Muito prazer conhecer... Não nome contar". Kidari é simplesmente apaixonante. Parece ter saído de um anime. Aliás, isso é outra coisa que me chamou a atenção muito positivamente: a ligeira característica de animes (que eu amo) que Almakia apresenta. Talvez por a autora também gostar desse universo e tudo o mais.

Enfim, Almakia é um livro absolutamente apaixonante. Mais do que isso, é viciante. Eu, por exemplo, nunca me apaixonara tanto por um livro desde que li Harry Potter. Sabe aquele livro que quando você termina quer ficar falando sobre ele com todo mundo, recomendando? Então, Almakia é desses.

Uma história de preconceito, injustiça, mas também de luta, amizade verdadeira e amor.

Definitivamente um dos meus livros preferidos, não só da atualidade, mas de toda a minha vida.
Isa Gama 31/10/2016minha estante
Quando comecei a ler a sua resenha, a história me lembrou de alguns animes também, principalmente Akatsuki no Yona e Re:Zero (não sei se realmente tem a ver, mas acho que vou ter que ler pra descobrir né?)


Luck 02/07/2017minha estante
Oi Isa! Primeiramente, desculpe a imensa demora em responder
Nossa, nunca ouvi falar desses animes, mas definitivamente você precisa ler Almakia *-*




Nina 03/06/2012

Garo-lin é uma simples vilashi que teve a ousadia de nascer com um poder almaki. Ao menos é assim que os almakins a veem e por conta disso, os anos no instituto Dull'Maojin tem sido um tormento para Garo-lin. Sendo ignorada, ela sempre precisou conter o senso de justiça e suas opiniões. Tudo o que Garo-lin queria era terminar seus estudos e voltar para a vila que tanto ama, tudo sem esbarrar com os temidos Dragões do instituto, que todos amam e Garo odeia.
Os Dragões são metidos,egocêntricos e abusivos.
O plano de Garo-lin de se manter "invisivel" ia bem, até que algo aocntece e seu senso de justiça explode. Por conta disso, ela se vê obrigada a conviver com os Dragões e todas as suas certezas sobre eles, caem por terra.

"É um pedaço de Almakia.- ele a corrigiu.-Todos nós somos um pedaço de Almakia! Mesmo que você diga que somos diferentes vilashi, esta errada. Todos nós nascemos nesse Dominio...E se olhar por esse lado, você não é diferente de um Dragão."

Almakia é fantastico! Lhaisa nos presenteou com um universo muito bem criado e personagens bem elaborados, que nos deixam com um gosto de quero mais a cada pagina. Quando você acha que pode prever o que está por vir,se depara com uma reviravolta e a historia toma um rumo inusitado.
A sociedade Almaki me lembrou muito a nossa ( sem todo o deslumbre dos poderes almakis né ). Com pessoas arrogantes que se acham o centro do universo só por ter o sobrenome que tem. Com pessoas humildes e felizes de forma simples e que sofrem a ira dos poderosos só por serem o que são. Com pessoas que carregam o peso do sobrenome e das obrigações que ele traz. Pessoas que aparentam ser uma coisas, mas que na verdade estão apenas escondendo quem são atrás a mascara de quem deveriam ser. Pessoas que colocam a amizade acima de tudo.
Dificilmente você não ira se encantar com Almakia. Eu ri,me surpreendi e sem duvida chorei.
A historia flui facil e gostosa desde o prologo.
Permita-se embarcar nessa historia e junto com Garo-lin descobrir que tudo é impossivel, até que aconteça.

Os Dragões ditaram o futuro de Almakia e a vilashi mudou o futuro dos Dragões.

Os laços que se formam por opção são mais fortes do que aqueles que se formam por imposição.

Parabéns a Lhaisa! Sem duvida estou ansiosa pela continuação.
comentários(0)comente



Tâni Falabello 05/01/2014

Com palavras de Garo-lin: inacreditável!
Fazia um bom tempo que eu estava querendo ler Almakia, e não tinha tido oportunidade. Mas confesso que não deveria ter demorado tanto! Que história fascinante!

No começo, posso dizer até que demorei a engrenar no ritmo da história, porém, quando percebi qual o ritmo ditado por Garo-lin e sua amiga Kidari, deixei-me levar! Conhecer os Dragões foi, de início, assustador, mas eles acabaram por demonstrar de que afinal eram feitos, em todos os sentidos!

Não vou entrar em muitos detalhes, pois qualquer coisa que eu fale pode vir acompanhado de spoilers, mas apenas vou citar meus personagens favoritos, além das duas já citadas: os herdeiros do Dragão de Fogo, Kandara e Krission Dul'Maojin! São fascinantes, cada qual ao seu jeito. E o jeitinho sábio e verdadeiro de Nu'lian Gillion achei uma gracinha!...

Enfim, sinto que ainda há muito a ser contado em Almakia, e que venha o livro 2, estou megamente curiosa, após um final sensacional deixado por Lhaisa.

Parabéns, amiga, ótima história! =) Vale muito a pena ler, se você gosta de histórias fantásticas e muito bem construídas!
comentários(0)comente



Ana Carolina 09/08/2013

Eu e a Ju conhecemos a Lhaisa Andria, que além de autora do livro também mora na mesma cidade que a gente, através de um trabalho de escola e o fato de termos um blog acabou surgindo e ela nos ofereceu uma parceria. Então ela nos deu um exemplar de seu livro para que resenhássemos e fizéssemos um sorteio pra vocês, que está rolando no Facebook!!!! Muito obrigada Lhaisa!!! (:

Agora, vamos a resenha. Garo-lin é uma vilashi que vive entre almakins no Instituto Dul’Maojin, onde todos estudos e aprendem a usar seus almakis. Você não deve ter entendido nada, então, de maneira breve, vou tentar explicar o universo criado pela autora.

A primeira coisa que você deve saber é que almakins são pessoas que vivem em Almakia e possuem um almaki, que seria um “poder”. Cada almakin tem um almaki diferente, que pode ser de fogo, natureza, água, raio, vento, luz e metal. Outra coisa importante são os vilashis, que são como “estrangeiros”, pessoas que vivem em Almakia, mas não são almakins, portanto não possuem almakis.

Agora, voltando a história, Garo-lin é uma vilashi, que possui almaki. Por isso ela vai ao Instituto Dul’Maojin, que seria uma escola, para aprender a usar seu almaki. O problema é que os almakins são meio/muito preconceituosos e ela acaba passando cinco anos lá sozinha, apenas observando os outros e se controlando ao ver as injustiças praticadas pelos Dragões, que são almakins muito poderosos que estudam no Instituto também. Até que um dia ela não se controla, o que causa sério problemas para ela.

Agora ela está nas mãos dos cruéis Dragões de Almakia, mas será que essa situação não pode mudar??

Pode parecer meio confuso assim, e é no início, mas ao longo do livro tudo vai sendo esclarecido e, particularmente, esse mundo novo me conquistou completamente. Os personagens são cativantes apesar de terem seu momentos ruins, e o cenário é incrível e apaixonante. Terminei o livro podendo dizer com toda a certeza do mundo que eu sou uma almakin de água. (:

O livro acaba de um jeito que faz você ficar com o coração apertado e com muita raiva de um dos personagens. Agora só me resta esperar pelo segundo livro, Almakia: Além dos Segredos.

site: http://aquelecheirodelivronovo.com/
comentários(0)comente



39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3