Sirensong

Sirensong Jenna Black




Resenhas - Sirensong: O Perigoso Chamado da Rainha


41 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


spoiler visualizar
Salomao.Cardoso 30/03/2021minha estante
Psee, acho que poderia ser mais bem explorado nesse livro farie como um todo




Marí Amo 30/12/2020

Surpreendente
Não esperava sentir tanto nesse último livro. O encaixe de novos personagens, a reviravolta. Amei tudo no final. Simples. Sucinto. Mágico.
comentários(0)comente



Aninha 03/09/2012

Jenna Black não mostrou tudo que tinha para mostrar.
Esperei por muito tempo este livro, desta série que ganhou o meu amor e ansiedade com o 2º livro, Shadowspell, que me fez ficar vibrando pelo final de Dana Hathaway. Vi muitas pessoas que não gostaram de Glimmerglass, mas insisti para que dessem uma chance ao segundo livro, já que achava que Sirensong prometia muito, apesar de ainda não entender como a autora desenrolaria um final, que na minha mente, precisava ser extenso, em um só livro!

Em Sirensong, Dana recebe um chamado cortês de Titânia, rainha da Corte Seelie, para visitá-la em Farie, mas cai em um jogo traiçoeiro de brigas por poder (principalmente pelo seu), em que é perseguida, já que, injustamente é acusada de um ataque à sobrinha da rainha, que é atingida por uma bomba, coisa que só uma fariewalker poderia levar para Farie.

O livro começa calmo, assim como os outros da série, e ganha um pouco mais de ação ao decorrer, mas não tanta quanto eu esperava. Dana ainda tem problemas com a mãe e nesse livro está mais chata do que antes, seu romance está a decolar, mas ainda não consegue me convencer da sua veracidade.

"Eu estava tão irada que queria bater em alguma coisa. As lágrimas queimavam os meus olhos. Por que ela não enxergava o quanto a bebida dela me atingia? Eu podia não ser perfeita nem nada parecido com isso, mas eu me considerava uma filha até que decente."

Esse livro me decepcionou, sinceramente, a série tinha um bom enredo e uma estória com tudo para "decolar", mas no que era para ser um gran finale, a autora fez uma estória simples e se esqueceu de mostrar o principal (pelo menos o que eu muito ansiava), a força do poder de Dana como uma fariewalker. O que era para ser grande no livro, já que intitula a série, foi simplesmente jogado de lado. Fiquei triste e com aquela sensação de que Jenna Black tinha muito mais a mostrar, mas não mostrou.

"Fiquei presa ao seu olhar por um momento, surpresa com sua demonstração de humanidade. Ele era um assassino implacável, um manipulador habilidoso e, ainda que não fosse um mentiroso, era pelo menos enganador. No entanto, era o que eu tinha de mais próximo a um amigo naquele instante, e isso não era uma situação perigosa?"

Personagens como o Erlking, que pareciam tão fortes e me conquistaram no segundo livro, simplesmente mudaram de personalidade rápido, e quase tudo no livro foi feito para deixar o caminho de Dana fácil, o que me pareceu preguiça da autora em terminar a estória. Além disso, vários momentos pelo qual eu ansiava, foram simplesmente citados no livro, ao invés de descritos, como mereciam.

Apesar de tudo, do livro não alcançar minhas expectativas, o fechamento da série responde as perguntas deixadas pelos outros dois livros, e vale a pena ler para "matar" a curiosidade que Shadowspell deixou em seus leitores. Mas não espere um grande desfecho, o livro apenas finaliza a série.
comentários(0)comente



Psychobooks 21/07/2012

Ao final de Shadowspell fiquei bem apreensiva com o acordo feito entre a Dana e o Erlking e disse que a resolução poderia ser um desastre, mas a autora soube resolver esse drama de uma forma bem satisfatória.

Ao participar de um jantar político tedioso, Dana e seu pai, recebem o convite do filho da rainha Titânia para visitá-la em Faire e ser apresentada à corte Seelie. Dana não gostou nada do convite, mas ele é irrecusável e seu pai lhe garantiu que por ser convidada da rainha ela estaria protegida. Ainda que não queira colocar seus amigos em perigo, Dana é acompanhada de Ethan, Kimber e Keane além de seu pai e seu guarda-costas inseparável, Finn.

A descrição de Faire não é muito detalhada, mas é suficiente para o leitor imaginar o cenário sem ficar entediado. Em Sirensong, vemos mais o uso da magia que nos livros anteriores e novas criaturas são introduzidas à trama. Dana que tinha me desagradado no livro anterior, recuperou minha simpatia com sua determinação e independência.

Elrking ainda está na trama e é importante no desfecho da trilogia, mas eu gostaria que ele tivesse aparecido ainda mais. A tensão entre Keane e Ethan dita o ritmo da leitura, os dois garotos se odeiam e não podem se olhar que soltam faísca. O romance vem em pequenas doses, no momento certo e com cenas condizentes com o enredo. O humor é outro ponto positivo, a autora consegue arrancar risadas do leitor mesmo nos momentos mais tensos

No desenvolvimento do enredo temos brigas, caçadas, magia, lutas, injunções, política, romance e ainda o alcoolismo da mãe de Danna. A narrativa em primeira pessoa sob o ponto de vista da Dana tem boa fluidez, dando ritmo acelerado à leitura.

O final foi satisfatório, a autora fechou bem a trama e amarrou todas as pontas. É claro que eu gostaria que Dana tivesse um final um pouco diferente, mas a autora finalizou bem o destino de todos os personagens. Recomendo a leitura da trilogia Faeriewalker, não é a melhor sobre fadas que já li, mas proporcionou-me momentos de tensão e diversão.

Para quem gostou da trilogia, há um conto - 29 páginas - sob o ponto de vista da Kimber disponível apenas em e-book (inglês).

Visite: www.psychobooks.com.br
comentários(0)comente



Belle 17/06/2021

Amei
Confesso que sou suspeita para falar desse livro, porque sou muito cadelinha dessa trilogia ?Fariewalker?, mas devo reforçar que esse livro é simplesmente magnífico! Indico demais a leitura.
comentários(0)comente



Bia 22/04/2020

Sirensong
Neste último livro Dana é convidada para visitar e conhecer a rainha Seelie que por um caso quer vê-la morta. Apartir dessa viagem a Farie novos perigos serão enfrentados.
A série é narrada em um fluxo bem dinâmico, sempre está acontecendo algo por isso é bem difícil de larga a leitura. Os capítulos são grandes porém a leitura é rápida. Não é uma série muito bem elaborada, é bem fácil de entender, mas você não vai achar muitas coisas diferentes de outras histórias ou seja não tem muita novidade. Essa série foi a primeira que eu li em um mundo somente feérico e eu gostei bastante.
O relacionamento da Dana com a mãe é muito conturbado do começo ao fim da série e eu gostei do fim que a autora deu para está personagem, pois não é um final felizes para sempre. O que é justo pois alcoólatras, assim como outras pessoas que tem vícios, enfrentam uma luta diária que muitas vezes não são vencidas. Gostei bastante de como a relação dela com o pai vai evoluindo ao longo dos três livros. O jeito que ela vê o pai no começo vai mudando e de insensível ele passa para um pai responsável e bastante comum, então a Dana vai se acostumando a ser a filha e não a responsável o tempo todo.
Eu não gostei da relação dela com seu par romântico. Eu achei ele bem difícil de engolir, ele vai mudando ao longo da série entretanto essa mudança não é muito bem construída. No final da série eu deixei de odiá-lo todavia ainda tinha uns sentimentos negativos com relação a ele. A impressão que eu tive é que todo personagem masculino que aparecia na historia era melhor que ele e daria um par melhor.
O final da série deixou um pouco a desejar, teve alguns personagens que não tiveram o final mencionado, eu achei bem corrido a resolução da trama, mas no geral não decepcionou tanto porque a trama era bem simples. Resumindo é uma série água com açúcar que as vezes é necessária ser lida para descontração depois de um livro pesado.
comentários(0)comente



Alana 18/07/2020

Difícil de ler
Difícil de ler e difícil de resenhar também. Na minha opinião, foi o pior dos três livros. Um final sem graça, igual o livro todo. Mas o importante é que se eu cheguei até o último livro, foi porque alguma coisa valeu a pena. E essa coisa é o único personagem interessante: o Erlking. E é isso.
comentários(0)comente



Camille 12/10/2012

http://revistainnovative.com/sirensong
O terceiro e último livro da série criada por Jenna Black traz Dana indo visitar a rainha da corte Seelie, um convite que ela encarregou seu filho de fazer. O problema se inicia logo nas primeiras páginas do livro, Jenna deixa claro que o filho da rainha Titânia não é muito fã do pai de Dana.

O livro, como já é esperado pelo próprio subtítulo, é quase todo baseado no convite da rainha. Dana acaba indo de Avalon para Faerie com o filho de Titânia, seus empregados, além de seu fiel protetor Finn. Estão incluídos, claro, Ethan e seus dois melhores amigos.

Em uma narrativa envolvente, que supera os dois livros superiores, Jenna, nessa série, consegue desenvolver a história de forma a manter seus personagens com características interessantes e fiéis ao mesmo tempo que transforma um livro melhor do que o livro anterior.

Sirensong é mais completo, mais prazerosamente de ler e mais contagiante. Uma leitura extremamente agradável, para praticamente qualquer momento do dia a dia, nos transportando para um universo diferente, um tanto quanto mágico, mas ainda assim que beira o realístico, sendo comparável e não tão distante das personalidades.

Encerrando a trilogia com chave de ouro, Jenna dá boas soluções para os problemas criados ao longo da série. Atenção para fato histórico citado ao longo do livro (adorei, achei realmente muito legal citar Elizabeth!). Trilogia recomendada.
comentários(0)comente



Mim 13/06/2012

Sirensong da Jenna Black.
Faeriewalker foi uma das poucas trilogias em que me surpreende tanto, e pela primeira vez queria que o “vilão” ficasse com a mocinha. Sirensong foi ao mesmo tempo incrível e um pouco frustrante, o livro foi bom só que não conseguiu superar o segundo dessa trilogia: Shadowspell.

Cada dia que Dana vive em Avalon tem que superar cada vez mais problemas, e mesmo com uma lista bem grandes de inimigos parece que só poucos realmente querem apenas o seu bem sem ter nenhum proveito próprio. Porém, mesmo não fazendo parte de nenhuma corte de Farie, não poderá recusar um convite tão ilustre.

Vivendo isolada de todos para que possa ficar em segurança, seu pai insiste para que ela o acompanhe em uma festa – para se tornar cônsul mais facilmente. Algo que é muito entediante se transforma em um chamado mortal... Príncipe Henry entrega o convite de sua mãe, a rainha da Corte Seelie, Titânia quer conhecer Dana, essa nova faeriewalker.
“- Não há muito o que possamos fazer a respeito. Estou certo de que entendeu que, mais do que um convite, aquilo foi uma intimação.”
Sendo obrigada a aceitar esse convite, Dana, Kimber, Ethan, Keane, Seamus e Finn vão para uma aventura que coloca a vida de todos em perigo. Em um território totalmente desconhecido por ela, pessoas que querem matá-la de qualquer forma e um segredo que pode mudar toda a situação ao qual foi metida contra a sua própria vontade, ela e seus amigos terão que se unir para se protegerem.

Brigas, caçadas, injunções, poderes e ainda mais mistérios. Dana acabou de entrar em um território ao qual não pertence e se quiser permanecer viva e conseguir sair de lá em segurança vai ter que tomar muito cuidado, já que seu novo inimigo pode ser quem ela menos espera daquela grande comitiva que está indo em direção à corte.
“- Portanto, se não foi Titânia nem Mab...
- Então você tem outro inimigo. Um que está disposto a arriscar a ira da rainha ao desafiar o protocolo.”
Quando terminei de ler Sirensong não sabia muito bem o que escrever na resenha, já que Faeriewalker foi uma das trilogias mais diferentes que já li esses anos, pois além da mistura de criaturas mágicas e a transformação das nossas tão queridas fadinhas em algo um pouco mais sombrio, foi à primeira trilogia que realmente torcia para que a mocinha terminasse com o “vilão”.

Siresong é incrível, gostei da história, dos novos mistérios – que são um dois maiores pontos positivos da trilogia, pois a cada livro a escritora inova cada vez mais – e da forma que a Jenna Black soube encerrar a história de um modo interessante, no entanto não me agradou muito.

Siresong é um livro surpreendente, apresentando terras mágicas com criaturas mais estranhas do que as já temidas nos outros livros a história fica mais rica em relação aos outros dois. Com uma leitura gostosa e muito leve você acaba ficando preso à trama e quando menos espera já terminou a história e fica pensando sobre os acontecimentos.

Dana ainda continua muito previsível, não muda muito. Um pouquinho mais esperta que nos outros livros acaba descobrindo a emboscada em qual se meteu, e para poder salvar a todos aqueles que ama vai ter que dar um jeito de provar tudo para Titânia, ou sua família será apenas parte do seu passado.

Ethan amadureceu um pouco, porém ainda continua muito bobo em relação ao alguns assuntos e vai ter que se controlar um pouco mais, já que é um unseelie em território seelie. Kimber como sempre é muito pacífica em relação a quase tudo, vai ficar um pouco brava com Dana, mas nada que uma verdadeira amizade não possa curar rapidamente.

Keane está um pouco mais contido nesse livro, embora ainda goste muito dela vai controlar os seus nervos para não ter nenhum problema com a corte. Seu pai, Seamus, está muito mais carinhoso e tem uns surtos de preocupação que mostra como ele realmente se importa com o bem estar de sua filha.

Erlking, meu personagem favorito não aparece muito na trama, porém seus momentos são épicos, já que um vilão que está disposto a arriscar sua vida e seu acordo com as cortes para poder salvar a vida de Dana, o que deixa tudo mais divertido. Afinal, eles têm um acordo que poderia significar a libertação dele...
“- Nos encontramos novamente, Faeriewalker – o Erlking disse, com o olhar reluzindo de divertimento à minha custa.
Eu estava completamente perdida.”
O livro é bom, me surpreendia a cada página. O final foi bom e encerrou a trilogia de uma forma bem legal, sem nenhuma dúvida, porém não gostei do parceiro que foi escolhido para que a Dana ficasse junto, preferiria o Erlking.

Gostei da história, da trama e do modo como tudo terminou. É complicado indicar para alguém específico, então vou indicar para todos que gostam de um bom livro e que curte bastante mitologia fantástica, acho que você vai gostar dessa trilogia.

Adendo: A trilogia ainda tem um bônus sem previsão de lançamento aqui no Brasil. A história terá como protagonista a Kimber.

Resenha no blog: http://lerimaginar.blogspot.com.br/2012/06/sirensong-da-jenna-black.html
Mais resenhas: http://lerimaginar.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Ana.fernandes 25/03/2020

Ótimo final
Não tinha como ter um final melhor, esse livro realmente encerra a trilogia e sinceramente foi o meu favorito dos 3, muito bom
Suuh Steff 14/04/2020minha estante
Por favor me da um spoiller com quem ela fica??? Kkkk tudo que te peço


Ana.fernandes 16/04/2020minha estante
Posso dar, mas jamais por aqui, no privado kkkk




Cia do Leitor 30/09/2012

SIRENSONG: O Perigoso Chamado da Rainha
Sabia que ia amar, sim, tinha 99% de certeza que este livro daria continuidade a saga sem deixar a "peteca" cair.(Desculpem a linguagem popular) ^^
Sirensong é o terceiro e ultimo livro da saga Faeriewalker, é daqueles livros que te deixa se contorcendo pela agitação que ele proporciona, com uma linguagem fácil e direta, é narrado pela protagonista Dana, que por ser uma jovem rebelde e apaixonada, torna a narração ainda mais divertida, com as frases irônicas e cheia de menção de personagens da nossa ficção, são hilárias.
Desde o primeiro livro, sabemos que a personagem principal, Dana, iria passar por maus lençóis, visto que, seu poder de Faeriewalker é temido por todos e cobiçado por outros.

Dessa vez Dana é surpreendida ao receber o convite diretamente do Príncipe Henry, filho de Titânia a rainha de Seelie, para visitá-la em Faerie, a fim de apresentá-la a corte. O que deixou Dana muito desconfiada, já que, a rainha desejava sua morte! Porém, em sua atual condição, se recusasse o convite, poderia ser presa e claro, seria bem pior.
Dana segue sua jornada em direção a Faerie acompanhada por seu pai, Finn, Ethan, Kimber, Keane e claro, Príncipe Henry e a caravana com seus cavalheiros.
É fato que a viagem não seria nada segura e tranquila. Emboscadas, lutas, desentendimentos, muita magia, monstros e traições, faz desse volume o mais agitado, engraçado e tenso.
E quando chega ao seu destino e pensamos que tudo passaria de uma viajem turbulenta, "a casa cai" (no sentido figurado..rsrs).

Em Shadowspell, Dana encerra o livro fazendo um acordo com Erlking e nos deixando curiosos como ela iria se safar do "problemão" que se meteu, nessa sequencia, começamos a ler o livro ainda com essa pergunta no ar. Só que as aparições de Erlking são bem menores, o que me deixou muito contrariada, já que amei o personagem e somente no final somos surpreendidos com a solução para o dilema de Dana. Erlking pode não ter aparecido tanto quanto desejei, mas foi o bastante pra admirar e suspirar por ele, e como sempre rouba a cena, encerrou sua participação na história conquistando o "terror..Ops!" respeito alheio, esbanjando sensualidade, distribuindo sarcasmos e deixando saudades.

Se em Shadowspell achei que Dana havia amadurecido, neste ultimo livro eu afirmo, ela amadureceu definitivamente e toma as mais importantes decisões que influenciará na vida de todos.
O romance com Ethan é mais forte, porém menos presente, como disse antes, há um amadurecimento e decisões a ser tomadas que mudam algumas coisas e fortalecem outras.
A parte cômica e/ou tensa, deixo por conta da dupla Ethan e Keane, algumas vezes eles são hilários, se superam de tanta infantilidade e outras são como inimigos quase mortais ( não se espante, faz parte do contexto) estão sempre de pavio curto, esperando o outro escorregar pra começar a briga..

Novos e interessantes personagens surgem ao longo da história pra dar mais harmonia aos acontecimentos, como tudo em Faerie seres mágicos, encantadores ou assustadores se destacam com suas aparições, A Dama Verde é um exemplo do que falo, muda de forma, ora é uma humanoide de vestido verde de folhas, ora é a própria vegetação, ela protege a natureza e os monumentos megalíticos que dão passagens para outros lugares de Faerie, como portais.
Devo também destacar a personagem Elizabeth não darei detalhes, mas fique de olho nela, ela é tão importante quanto Dana nesse ultimo livro. E novos relacionamentos surgem ao decorrer da história.

Não posso deixar de mencionar que além da batalha pra salvar a própria vida, Dana trava também uma batalha pra salvar a vida de sua mãe, o relacionamento delas é cada vez mais frustrante e cheio de mágoas por conta de sua mãe, que não assume ser alcoólatra e com isso não se permite ser ajudada e nem abre mão da bebida. Quando Dana sai em sua jornada, deixa um ultimato pra sua mãe e ficamos todo esse tempo pensando o que encontraríamos na volta de sua viajem.
Essa é a parte que sai a magia e nos aproxima mais da nossa realidade. Como diz Erlking: "Uma das lições mais difíceis a se aprender na vida é que não se pode salvar todos."

Este livro está mais bem estruturado. As pendencias que ficaram para trás nos dois livros anteriores, encontraram seu destino e nada ficou sem uma resolução, bem, claro que algum coisa a autora deixaria vago pra quem sabe, dá continuação a outro livro, caso deseje fazê-lo. E as perdas foram inevitáveis o que fortaleceu e amadureceu a série.

Foram 341 páginas de pura adrenalina e emoção, uma diagramação simples, mas perfeita, uma linguagem de fácil entendimento fazendo a história fluir naturalmente e as páginas em papel pólen facilita na leitura já que não força a vista.
Editora Universo dos Livros está de parabéns por nos apresentar uma série de fadas tão bem escrita e elaborada. Não é um livro comum, mas nele você vive a realidade e a magia de uma forma diferente e divertida. Recomendo a leitura da trilogia Faeriewalker para todos.

Indicadíssimo!
comentários(0)comente



Adriano 21/01/2017

Final morno
Faltou desenvolvimento da história, carece de detalhes e outras situações que Dana pudesse ter com os amigos ou com seu pai.
No segundo livro teve aquele alarde todo, um clímax que não me deixou satisfeito ela poderia ter sido treinada mais batalhado mais, ficou no meio a meio. Confesso que esperava mais.
Chegou no terceiro ficou do mesmo jeito só indo pra Titania e mostrando a humildade e lealdade, é só, sem final feliz, apenas cumpriu o seu dever.
comentários(0)comente



Carol 05/09/2016

Sirensong - Opinião
Que final lindo e surpreendente!
Faltou um pouquinho mais de romance, no meu ponto de vista de super romântica e alguns detalhes sobre os outros personagens, até porque a autora nos livros anteriores envolveu todos na trama porém, adorei a abordagem que ela trouxe, que foi bem filosófica além de realista e justa com o enredo desde o começo da vinda da Dana a Avalon, ela bateu na tecla de valores de proteção e falta de confiança.
Acredito que se ela tivesse feito tudo perfeito ficaria clichê e sem graça, da forma que desenrolou tudo foi muito bom.
Eu fiquei tão apreensiva com o meio pra frente que me deu até EnjOo! Sério mesmo!
A Jenna arrasou na narrativa de todo o suspense e apreensão da Dana.
E oque foi esse Elking? Personagem confuso e apaixonante, você ama e depois odeia aí volta a amar....e assim vai rs.
Enfim eu gostei do final, só acho que os outros personagens mereciam um esclarecimento melhor, por exemplo, o Finn não foi citado e ele foi muito bom nos dois primeiros livros e ainda teve toda a questão política que foi o propulsor do início. Espero que tenha um spin off com a continuação da história.

Eu gostar tanto do Elking me faz uma pessoa ruim rs? Espero que não, por que eu sou #teamarwnoElking
comentários(0)comente



Sa 04/08/2012

AMEI!!!
O fim de uma trilogia muito bem escrita, criada, editada e lida. Eu recomendo A saga Faeriewalker para todo mundo sem pestanejar. A Universo dos Livros trouxe uma série muito leve, romântica e que não te deixa desgrudar de suas páginas até que você chegue a última. O problema é que quando você chega ao final do livro dá uma tristeza... o que eu rebloguei hoje no facebook chamado Ressaca Literária. Simplesmente eu fiquei louca para voltar e reviver as aventuras com a Dana de novo e saber que a saga tinha acabado não amenizou o sentimento. Eu voltei e li, pelo menos, algumas cenas que achei mais fofas e interessantes do livro.

Nessa aventura, existe o "perigoso chamado da rainha" - como diz o subtítulo - da Corte Seelie. Lembrando que os feéricos são divididos em duas cortes: Seelies e Unseelies e possuem uma hierarquia de classes muito bem delimitada e rígida. OS dois reinos viveram em guerra por um grande tempo, mas agora mantém a paz. O que não quer dizer que Dana indo a Faerie não é perigoso. O fato de ela ser uma faeriewalker - individuo capaz de transitar entre humanos e feéricos e transportar coisas de cada um dos mundos a outro - piora a sua situação, já que todos se sentem ameaçados por ela. Como não pode negar o convite para ser apresentada formalmente a Rainha, ela se dirige a Faerie a fim de viver as maiores aventuras desde que chegou a Avalon (e isso quer dizer muito, já que ela não teve sossego, vide os outros dois livros anteriores!). Contudo, ela não vai sozinha. Com ela irá seu pai Seamus, seu guarda-costa e cavaleiro Finn, o namorado Ethan, sua melhor amiga Kimber e o filho de Finn e seu instrutor de defesa pessoal, Keane.

Eu sou uma pessoa romântica demais (todo mundo já percebeu isso) e eu me ligo muito nos romances... E o Ethan me encantou a primeira lida com seu jeito meio cafajeste e extremamente sedutor e fofo. No segundo livro, sua personagem só cresceu e amadureceu e se tornou ainda mais perfeito por todas as suas ações e a ascensão só continua em Sirensong. É impressionante como eu consegui suspirar muito a cada ceninha entre Ethan e Dana, mesmo que esse não tenha sido o foco da trama. Foi inevitável! Sou uma shipper incontrolável... rsrs

Voltando ao livro, a ação te faz prender o fôlego e as personagens são cativantes!!! Todos, incluindo a protagonista - fato raro se comparando a Bella Swan e outras adolescentes. Incluindo o Elrking que apesar de considerado vilão é apaixonante também com suas ações dúbias. E tudo leva a um final que responde as suas maiores dúvidas contraídas nos outros livros. Como Dana iria se safar do pacto com Arawn? Ela se safaria? Como ela terminaria? Morta? Viva? No mundo humano comum ou ali mesmo em Avalon com os feéricos? Jenna não decepciona em nenhum momento!

Um parágrafo a parte para a capa! Todas elas foram lindíssimas com detalhes brilhantes... Confesso que depois de Shadowspell, que foi a capa mais linda que eu já vi, eu me decepcionei um pouco com a de Sirensong. Porém, lendo a história percebi que tinha de ser mais clean mesmo. E por isso não perdeu a beleza e nem o padrão! http://mundo-sa.blogspot.com
comentários(0)comente



Marla 09/05/2015

Sirensong: O Perigoso Chamado da Rainha - Jenna Black // Faeriewalker # 03
Se você não leu os livros anteriores essa resenha pode conter Spoilers.

Sirensong é o último livro da série Faeriewalker da autora Jenna Black, lançado pela editora Universo do Livros. A série e protagonizada por Dana Hathaway uma adolescente de dezesseis anos, que vive em Avalon na companhia do pai e da mãe que é alcoólatra.

A primeira vista ela é apenas uma adolescente normal, mas Dana é uma Faeriewalker, alguém metade fae e metade humano e como tal, tem capacidade de transitar entre Fae e o mundo mortal. Ela queria ter apenas uma vida normal, mas por ser uma Faeriewalker, acabou envolvida em tramas políticas, sofreu tentativas de assassinato e seqüestro, e acabou precisando fazer um acordo com Erlking, o líder dos Caçadores Bárbaros, alguém muito poderoso, perigoso e encantador.

Como as coisa podem sempre piorar, Dana acaba sendo convocada pela rainha Titânia da corte Seelie, para comparecer ao seu palácio. Sem escolha ela parte na comitiva do príncipe Henry, alguém que inspira desconfiança, na companhia do pai, Finn (seu guarda – costas) e seus amigos Ethan, Keane e Kimber.

Durante sua viagem para o palácio Sunne, a comitiva e atacada e para piorar, Dana e os outros acabam caindo em uma armadilha, quando uma bomba, que só poderia ter sido levada para Faerie, por uma Faeriewalker explode durante um jantar, deixado gravemente ferida a princesa Elaine, a neta da rainha Titânia.

"Toda vez que eu olhava para ele, era como se eu levasse um soco no estômago. Provavelmente ele era a pessoa mais assustadora e perigosa que já conheci, mas também era a mais linda. Mesmo para um feérico, o que significa bastante."

Obrigada pelo pai, Dana e os amigos fogem, deixado ele e Finn para trás. Porém a situação deles e bastante complicada, já que além de se esconderem dos cavalheiros da rainha eles também precisam fugir de Erlking, que também estar caçando-os. Agora Dana precisa encontrar uma maneira de provar sua inocência e assim salvar a sua vida e daqueles a quem ama.

Após três anos lendo a série Faeriewalker, finalmente conseguir finalizá-la. Confesso que eu esperava um algo mais nesse último volume, mas levando em consideração, toda a trajetória da série posso dizer, que a autora conseguiu finalizá-la de uma maneira digna.

Em Sirensong somos levados ao novo cenário que é Faerie, lugar esse que eu tinha muita curiosidade de conhecer. A autora conseguiu criar um cenário interessante e mágico ao mesmo tempo.

Dana a nossa protagonista se mostra bastante corajosa nesse volume, confesso que gostei de vê-la em ação, mas também me irritei algumas vezes com seus momentos de indecisão. Com relação à parte amorosa de Dana, não tive nenhuma surpresa, com a escolha dela, já que seu escolhido e alguém que domina seus sonhos e seu coração desde o primeiro volume.

"Havia uma parte de mim que antecipava que minha transição de Avalon para Faerie fosse dramática e espalhafatosa, que acreditava que seria como passar através do espelho para entrar em um mundo completamente estranho e desconhecido. Isso apesar de que com minha visão de faeriewalker já tive inúmeros vislumbres de Faerie e sabia que não era um mundo de cogumelos e pés de feijão gigantescos."

Sentir falta de Finn, já que ele tem pouca participação nesse livro, mas em compensação gostei de acompanhar a evolução do relacionamento entre Dana e o pai, já que mesmo com toda a situação de ser uma faeriewalker ela sabe que não estar mais sozinha e que pode contar sempre com o pai, já que o mesmo não pode se dizer da mãe.

Os irmãos Ethan e Kimber, Keane (filho de Finn) , assim como Erlking tiveram seus momentos de destaque durante a trama e eles de maneira direta e indiretamente ajudaram Dana a encontrar seu caminho. Com relação aos novos personagens, posso dizer que a autora conseguiu criá-los de modo a diferenciá-los dos habitantes de Avalon, com toda a polpa e o frufus de seus trajes formais da corte, sem falar que um deles se sobressai por ser o vilão da trama.

Sirensong que é narrado por Dana, tem seus pontos altos e baixos, mas ainda assim possui uma boa trama, com bons personagens, aventura, ação e algumas revelações. Concluído gostei do livro, e dos momentos passados na companhia dos personagens, então sim eu recomendo a série, mas leiam sem grandes expectativas.


Série Faeriewalker
Glimmerglass # 01
Remedial Magic # 1.5
Shadowspell # 02
Sirensong #03

Resenha Postada no blog Louca por Romances no dia 17/09/2014

site: http://loucaporromances.blogspot.com.br/2014/09/resenha-sirensong-o-perigoso-chamado-da.html
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR