O Clã dos Magos

O Clã dos Magos Trudi Canavan




Resenhas - O Clã dos Magos


269 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Fernanda 03/01/2013

Resenha: O Clã dos Magos - Trudi Canavan
Confira a resenha aqui: http://segredosemlivros.blogspot.com.br/2013/01/resenha-o-cla-dos-magos-trudi-canavan.html


Sempre tive muita vontade de ler esse livro, e posso dizer que a leitura foi surpreendentemente encantadora. A história é tão fantástica que nos faz querer conhecer mais acerca de cada assunto citado no livro. De inicio, fiquei meio confusa pela história em si, mas logo fui me habituando no contexto e não conseguia mais largar.

“O frio percorreu seu corpo ao lembrar-se de como concentrara toda a raiva e ódio na pedra, como acompanhara seu rastro com a mente e desejara que ela atravessasse a barreira. Algo nela se agitou, ávido para que ela repetisse aquelas ações.” Pg. 24

Sonea vive em Irmandin e mora com seus tios. Ela andava junto com uma gangue, porém foi obrigada a se afastar dos amigos para não se meter em maiores encrencas. O Clã dos magos tem por costume, purificar a cidade de ladrões, mendigos e outras pessoas de má influencia, e no dia de uma dessas purificações, a garota reencontra os amigos. Em um momento de revolta, ela consegue ultrapassar a barreira de segurança dos magos e acerta em cheio um deles com uma pedra. Apenas um dos magos – Rothen - viu quem jogou a pedra.

“Uma coisa era certa: a vida ia ficar bastante interessante quando ela fosse encontrada” Pg. 141

Agora todo o clã está atrás de Sonea, e Rothen com seu aliado Dannyl, também querem encontrá-la para ajudar no reconhecimento dos seus poderes, que podem, ou não, a machucar. Nem todos querem que a menina entre para o clã, já que ela tem origem de uma favela. O problema é que, mesmo com toda a ajuda, seus poderes podem passar dos limites e ia ela não terá mais controle sobre si mesma.

“Era óbvio que estivera errada ao pensar que tinha de manter dentro de si um estoque de raiva ao qual recorrer quando quisesse usar magia. Ela agora admirava os magos pelo controle que tinham, mas saber que eram seres sem sentimentos não lhe dava qualquer motivo a mais para gostar deles.” Pg. 228

O livro se divide em duas partes, e particularmente achei a primeira parte meio parada, mas já na segunda, vemos uma narrativa mais intensa e forte. É nessa parte que conhecemos mais a fundo o clã e tudo que o cerca, revelando um mundo misterioso, fantasioso e repleto de magia. O que pude perceber é que esse volume nos revela uma aula de aprendido, paciência, busca e principalmente controle. A história tem seus pontos positivos e negativos, mas por si só, tem um jeito muito envolvente de encantar o leitor e fazer com que leia até o final. Estou ansiosa para ler A Aprendiz.

Confira a resenha aqui: http://segredosemlivros.blogspot.com.br/2013/01/resenha-o-cla-dos-magos-trudi-canavan.html
comentários(0)comente



Caique 08/06/2012

O Clã dos Magos - A Trilogia do Mago Negro
O Clã dos Magos é o primeiro livro da Trilogia do Mago Negro e foi lançado este ano no Brasil pela editora Novo Conceito. O livro é do gênero ficção/magia e foi escrito por uma das maiores escritoras do gênero, Trudi Canavan.
A muito tempo, uma montanha explodiu ao norte da cidade de Irmandin, como consequência a fuligem encheu o céu e bloqueou um pouco da passagem de luz do sol, logo depois um longo período de frio muito forte atingiu a cidade. Por toda a Kyralia e Elyne (povos de terras aliadas) as colheitas foram suspendidas e o gado morreu. Com isso, muitas pessoas tiveram que deixar suas terras para procurar abrigo, moradia e alimento na cidade.
A cidade ficou povoada de uma hora para outra, não tinha espaço para todos, o Rei começou a distribuir alimentos e providenciou abrigos para os que passavam fome, para outros mandou voltar para suas casas dando alimento suficiente para o próximo verão. Porém, essas medidas não foram eficazes para acabar com os problemas de todas as pessoas.
Com o frio, muitas pessoas começaram a pensar que o mundo estava acabando, dispensaram toda a decadência e aproveitaram-se dos outros na crença de que ninguém ficaria vivo para puní-las. Sendo assim, gangues começaram a se formar e ficou perigoso andar nas ruas. Quando esse perigo ficou eminente, o rei ordenou que o Clã dos Magos fizesse uma purificação, expulsando essas gangues da cidade, e assim foi feito a cada inverno, virando uma verdadeira tradição.
Após mais de 30 anos desse primeiro incidente, uma jovem favelada chamada Sonea, revoltada com a purificação que estava acontecendo e com as atitudes do Clã decide atirar uma pedra contra o escudo protetor dos magos, como muitos outros jovens faziam, porém para a surpresa de todos que estavam ali a pedra da garota atravessou esse escudo e atingiu um mago, Lorde Fergun, deixando-o inconsciente.
Era a primeira vez que isso acontecia, e o maior medo do Clã se tornou realidade, havia uma garota muito poderosa, com os poderes a soltos em Irmandin, e o pior é que ela ainda não conseguia ter poder sobre seus poderes, o que poderia destruí-la e por em risco toda a cidade. Resta agora aos magos encontrá-la para ensina-la a ter controle sobre seus próprios poderes.
Mas isso não agrada a todos os magos, que não querem que uma favelada se associe ao Clã e nem mesmo a Sonea que tem um ódio natural pelos magos. Desesperada, a garota busca proteção dos Ladrões e de seu amigo Cery para escondê-la das buscas que o Clã está realizando pelas favelas.
Após um longo período de fuga, fica cada vez mais difícil para Sonea controlar seus poderes. Com isso, o líder dos ladrões conta o paradeiro da garota para os Magos acreditando ser a melhor opção no momento. A captura é feita com dificuldades, se Sonea continuasse a usar seus poderes, ela poderia destruir a si mesmo e tudo que estivesse a sua volta.
Agora no Clã, resta a garota a tentar acreditar nos magos. O Lorde Rothen passa a ensinar Sonea a ter auto-controle e mostra tudo que a magia pode lhe proporcionar, além de mostrar que o Clã não é tão ruim como ela acredita. Porém, os problemas de Sonea estão apenas começando.

O livro é narrado muito bem em terceira pessoa, a autora consegue descrever muito bem todos os cenários, o contexto histórico da narrativa que foi muito bem elaborado. Os personagens foram bem descritos, assim podemos ter uma maior aproximação com eles e entender melhor o porque e a situação social de cada um, que é explicito através dos costumes e falas. A leitura flui rapidamente e conseguimos ler o livro sem grandes dificuldades. No entanto, o que chega a incomodar um pouco é a enrolação dos acontecimentos que se desenvolvem na primeira parte, (o livro é dividido em duas partes contendo vários capítulos cada) mas isso logo passa e a autora consegue engatar a narrativa de modo que se torna praticamente impossível deixar de ler o livro.
O Clã dos magos é um livro de magia que vale a pena ser lido, ao final da obra, ficamos com dúvida e curiosidade em relação ao destino dos personagens e do que está por vir.

Série: A Trilogia do Mago Negro:
1 - O Clã dos Magos
2 - A Aprendiz - Sem data definida de lançamento
3 - O Lorde Supremo - Sem data definida de lançamento

Blog Entre Páginas de Livros
Rosa 09/06/2012minha estante
Parabéns pela sua resenha, ficou ótima. Apesar de não gostar muito de magia/ficção, esta resenha instigou a minha curiosidade para saber o destino de Sonea e de saber o que acontece no final, pois se você disse que os problemas da garota estão apenas começando, deve vir muitas coisas interessantes pela frente. Vou tentar comprar o livro e saciar minha curiosidade.

Abraços


Camila Ribeiro 11/06/2012minha estante
Amei a resenha!Muito bem feita, deu até vontade de ler esse livro =)


Lucas Bispo 17/06/2012minha estante
Olá Caíque...
Gostei da resenha e estou louco para ler... Estou com ele aqui na estante me chamando! Que bom que a autora engatou na história, pois tem várias que se perde e não se acha mais! Acho que gostarei da leitura!

Abraços, Lucas
http://skoob.com.br/usuario/394663


Suellen-san 17/06/2012minha estante
Olha eu queria esse livro pela capa e depois pela sinopse, mas agora o quero pela sua resenha que foi bem escrita e me deixou cm ma vontade de ir a livraria mais próxima e comprar o meu. Muito boa1


William Duarte 17/06/2012minha estante
Estou super ansioso para ler esse livro!
Além de amos o estilo esse parece ser dos melhores. Espero poder ler O Clã dos Magos logo.
Ótima resenha! ;)


StephMunford 17/06/2012minha estante
Amo livro de magia e fiquei curiosa em relação a esse. Pelo que você escreveu o livro parece ser super bem escrito e eu gostei muito da sua descrição da história. Essa trilogia de magos parece ser muito boa! Parabéns pela resenha! Bjos


Brenda 18/06/2012minha estante
Eu adoro livros nesse estilo! E estou muito ansiosa pelo meu exemplar. Quanto mais magia e aventura melhor a vida é... rsrs... Parabéns pela resenha, gostei bastante! Abraço :D


Tigas 11/05/2013minha estante
Comprei o livro e estou esperando chegar!!!! Dia 23.05 não demore muito.




Albarus Andreos 13/12/2012

Muito papel para pouca história
O Clã dos Magos (Editora Novo Conceito, 2012) me pareceu uma leitura bem juvenil. Algo que inadvertidamente já suspeitava, mas como não tem nenhuma "advertência" quanto a isso nas capas ou orelhas resolvi apostar no livro e ver o que a Novo Conceito anda aprontando por aí e é estranho que "juvenil", aqui, soe como uma insinuação de que livros juvenis são pouco relevantes ou superficiais, mas vamos adiante para que você entenda este meu preconceito velado (e se tornando explícito: apenas acho que "livros juvenis" não deveriam ser sinônimo de "livros para pessoas pouco exigentes").

Definitivamente, o livro da escritora Trudi Canavan não me agradou. Temos o evento que desencadeia toda a trama: Sonea [uma garota (e nunca fica muito evidente se garota aqui é uma menina ou uma moçinha) da cidade de Imardin, atira uma pedra num mago e acaba acertando, coisa que não deveria acontecer, já que os magos são capazes de projetar um "escudo protetor" feito de magia, que deveria ser capaz de deter objetos atirados. Ou seja: Sonea é capaz de fazer sua própria magia (e iria além: ela não é só capaz de criar a própria magia, mas de superar a magia de gente muito mais treinada, já que o escudo protetor é criado pelos magos!), coisa extremamente incomum, no contexto da trama] e depois disso, gastamos todas as duzentas e tantas páginas seguintes (metade do livro) com Sonea se escondendo cada hora num lugar, com a ajuda do amido Cery.

A trama é bem fraca já que não praticamente suspense, reviravoltas ou inserções deixadas no ar que capturem a atenção com a promessa de um desenlace futuro. Não há uma boa caracterização dos personagens, física ou psicológica [com exceção de uma ligeira (ligeiríssima!) descrição de Sonea, a autora não perde uma linha que seja descrevendo ou detalhando suas criações, o que para mim é uma tremenda falha!]. Os locais também são um completo borrão branco em suas páginas já que sabemos apenas que eles estão se escondendo nas favelas, mas isso é o quê? Será que são favelas como no Brasil? Como são as casas e as ruas? Que cheiro têm? Como se vestem as pessoas? É barulhento? Tem funk rolando? Tem "gatos" de TV a cabo nos postes?

Não sabemos muito bem em que tempo se passa a coisa toda, já que a capa do livro e o termo "magos" nos remete a uma fantasia medieval, mas será que é mesmo? Há pouquíssimos elementos que nos levam a dizer que sim. Há uma citação a espadas quando Fergus diz que não queria ser mago, mas espadachim, mas não há armaduras, cavalos, lama... Em vez de tabernas, há a inserção bem-vinda de neologismos como "boleria", uma espécie de taberna onde se bebe bol (acho que é algo como cerveja). Esta indefinição (ou pelo menos uma definição bem fraca) não determina o panorama em que se desenrola a trama, o que é péssimo.

Outra coisa é a pseudo-guilda conhecida como Ladrões... Pela boa educação que um desses ladrões, Gorin, dá ao mago Danyl (sem saber que ele é quem é: um dos magos do Clã, uma espécie de "polícia especial do rei", que realiza a limpeza da cidade), parece que são muito pouco congruentes com o arquétipo de um ladrão como o conhecemos. Será que "Ladrão", no livro, é ladrão? Ficou muito ruim!

Fergus, o vilão da vez, é muuuuito ruim! As consequências devido a descoberta de seus planos e a própria motivação deles é tremendamente fraca! De uma desproporcionalidade ímpar! Medíocre! Nem merece mais comentários.

Enfim, há muitas páginas, pouca história, uma miríade de fantasmas (os personagens são apenas esboços de gente de verdade) e locais escuros (não vemos os detalhes e não conseguimos, como leitores que somos, esboçar ideias que nos localize física e geograficamente, na narrativa).

Parece-me ser uma necessidade inquestionável o bom projeto de um livro, antes dele virar um objeto físico, de papel e tinta. A trama deve ser bem planejada, os fatos bem urdidos, os personagens desenvolvidos de acordo com sua importância e participação no andamento narrativo, etc. A autora ignora tudo isso e vai escrevendo sem se dar conta de que as partes pouco importantes devem ser menos longas que as partes mais importantes (para falar a verdade, não deu para ver onde a autora quer chegar em mais de 400 páginas). Não se deve perder tempo com o que não agrega conteúdo e se deve ater ao que gera interesse (Seguindo este raciocínio, o livro não deveria ter mais de 60 ou 80 páginas, por aí...). Sonea está se escondendo, Sonea está tentando controlar seu poderes, Sonea está treinando no Clã). Resumindo o livro, foi só isso! Nem pensar ler os outros que vem por aí (ao que parece, uma trilogia).
Immer 20/10/2015minha estante
Achei o livro bem fraco também... apesar de o enredo em si ser interessante e te prender em algumas partes, tem várias lacunas na história. A tradução é definitivamente uma das piores que já vi, bem como a edição do livro, que parece ter sido feita as pressas... Há vários erros de concordância. palavras escritas erradas...


Andrea 25/05/2017minha estante
Concordo com tudo que você disse! Estava discutindo esse livro mais cedo com o meu marido e usei quase as mesmas palavras que você. Também acredito que parte do problema seja a tradução, mas isso ainda não desculpa os graves erros cometidos pela autora. Mesmo assim eu pretendo continuar a trilogia, gosto de fazer uma certa crítica mental e entender porque algo é bom ou ruim.




Doufe 27/03/2014

Estava baratinho num sebo...
... e só levei pois, pelas primeiras páginas, a autora parecia ter uma boa narração.

De fato, ela narra bem. Só o restante dos quesitos que tem deixado a desejar até o momento:

Ela escolheu um super clichê - por favor, todo mundo escreve sobre magos - sem trazer nada de muito diferente. As personagens também não são lá muito carismáticas.

O gancho para o enredo foi Ok, uma menina que, "sem querer querendo", fura a cabeça de um mago.

Até onde eu li, as cenas são pra lá de chatas, cheias de informações dispensáveis. Também não há muito o que imaginar do cenário.

O ponto positivo que me fez continuar lendo - em ritmo de lesma, claro - foi ela ter um olhar aparentemente sensível às causas sociais. Apesar de não ser uma novidade tampouco (vide o anime "Magi - labirinto de mágica" para uma abordagem interessante de problemas sociais dentro de um universo de fantasia).
comentários(0)comente



Kelvin 12/01/2013

O Clã dos Magos, da Trudi Canavan
Quando gosto de um livro de uma série, eu fico intrigado pra ler o restante. E foi isso que eu senti ao ler o primeiro livro da “Trilogia do Mago Negro”.
E eu acredito que isso é um comentário pra dizer da maior parte dos livros que eu li. Que, ao terminar um livro, eu estou ansioso para ler o resto.
Naturalmente, isso é exatamente o que aconteceu com Trudi Canavan em ‘’O Clã dos Magos’’. Mas mais do que apenas mais um livro de uma série, este livro me proporcionou vários sentimentos. Fiquei ansioso pra saber qual seria o destino de Sonea.
A história gira em torno de Sonea, uma jovem que, ao ficar irritada com a expulsão da sua família do local onde eles moram, através da Purificação, pega uma pedra e concentra todas as suas forças desejando que a pedra ultrapasse o campo de força que a separa dos magos. E surpreendemente atravessa.
Trudi Canavan escreve com uma simplicidade que puxa o leitor a um prazer suscetível. Fiquei imensamente satisfeito por cada página, com a minha incapacidade de prever tudo o que iria acontecer. Canavan não tenta esconder a história, mas simplesmente revela o que é necessário, como é necessário, e qualquer outra coisa que o leitor é capaz de deduzir ou seja para seu benefício.
Se você está procurando um livro divertido e rápido de ler, ou mesmo procurando introduzir os jovens adolescentes para o mundo da fantasia com uma boa escrita, Trudi Canavan é definitivamente o caminho a percorrer. Uma vencedora. O Clã dos Magos é um romance pra quem procura uma história de fantasia muito bem escrita.
comentários(0)comente



Matheus Braga 23/06/2012

O Clã dos Magos
Hey pessoal, tudo bem com todos vocês?

Quando recebi este livro para resenhar, estava com outra imagem da história. Contudo, mesmo não correspondendo às minhas prévias expectativas, ele conseguiu cativar e me deixar ansiosos para o lançamento do próximo volume.

O livro conta a história de Sonea, uma selvagem (termo dado aos magos que não possuem controle de seus poderes) que durante a purificação atira uma pedra em um mago e, não sabendo que possuía poderes, acaba por atravessar seu escudo mágico e deixa-o inconsciente. Após o ocorrido, todos os magos do Clã começam a caçá-la, já que é contra as leis do reino existir um mago fora do Clã. Sonea começa então a fugir, indo dos mais altos lugares até os esgotos para escapar de seu destino, dando inicio então à nossa aventura.

"Sua boca estava seca e parecia cheia de poeira. Engolindo com dificuldade, ela lutou contra o terror crescente. As batidas de seu coração pareciam ruidosas o bastante para traí-la. Será que ele conseguia escutá-la? Ou conseguia escutar o som de sua respiração?"
Pág. 67

Como havia dito acima, eu esperava outro tipo de história neste primeiro livro. Imaginava que Sonea seria capturada logo no começo e começaria seu treinamento para ser uma maga o mais rápido possível, mas, o que realmente acontece, é que os magos passam mais da metade do livro tentando encontrá-la e somente mais tarde que ela começa a aprender a controlar-se. Contudo, esse treinamento não é nada demais, apenas uma espécie de yôga onde ela precisa relaxar e evitar colocar fogo nas coisas sem querer. SÓ. Nada de bolas de fogo, treino de feitiços, etc. NADA.

"O cheiro de queimado chegou ao seu nariz. Sonea virou-se para ver uma figura estendida com a cara para baixo na calçada a alguns passos de distância. Embora as chamas comessem avidamente suas roupas, a figura parecia imóvel. Em seguida, viu a confusão escurecida que antes era um braço, e sentiu o estômago contorcer-se de náusea"
Pág. 25

Mesmo o livro estando focado apenas no que foi dito anteriormente, ele conseguiu me proporcionar uma ótima leitura. A escrita de Trudi é diferente e fluida. Seus diálogos são dinâmicos, mas infelizmente continham algo que me deixou extremamente irritado. É a terrível mania que os tradutores possuem de colocar palavras típicas da fala, no texto escrito. Isso tira qualquer um do sério, além de deixar o texto feio e pobre. Um exemplo do que estou falando é este trecho: "Com quem cê tá?". Juro que quando li isso desejei com todas as minhas forças que o livro entrasse em combustão espontânea. Sério produção, parem de fazer isso. É feio e ninguém gosta. ¬¬. Os personagens são muito cativantes, principalmente Cery, cuja lealdade que tem por Sonea é inabalável.

Outra coisa que gostei bastante no livro foi a narrativa em terceira pessoa. Estava com saudades desse tipo de leitura, já que sempre leio algo em primeira, fazendo com que os fato sempre sigam as linhas de raciocínio de uma só pessoa.

Pelo que pude ver ao final do livro, no próximo volume Sonea finalmente ingressa no Clã como um aprendiz e começa finalmente seu treinamento mágico. Teremos também muitas intrigas políticas e jogos de poder, literalmente. Não me estou aguentando de curiosidade para saber todos os mistérios envolvendo o Lorde Supremo. XD

Matheus Braga
http://www.vidadeleitor.blogspot.com.br/
Rafaela 28/06/2012minha estante
Foi exatamente assim que me senti ao ler o livro (principalmente sobre a tradução), e achei extremamente massante toda a fuga dela, mas gostei muito do livro, só espero que o segundo livro tenha mais ação.


Calidoni 01/02/2014minha estante
Boa resenha, concordo com grande parte. Só vou discordar quanto ao seu "apenas uma espécie de yôga", pois Sonea ainda não era uma aprendiz, na época, não faria sentido para Rothen [e isso foi dito no livro] ensiná-la a fazer feitiços se Sonea escolhesse voltar a ser uma favelada e ter seus poderes bloqueados. Também achei mais crível a fuga e perseguição dela, do que a garota ser simplesmente apanhada e forçada a aprender magia.

Enfim, espero que eu não seja levada a mal. Principalmente porque quase dois anos já se passaram desde essa resenha.




Mauro 03/12/2015

Sonea ou soneca?
Imagina só se você, do nada, descobre que tem poderes. Imaginou? Ok. Agora imagina um bando de magos te caçando por tudo quanto é canto. Parece interessante, né? Agora finge que você é uma protagonista sem personalidade e forçada. E aí, piorou bastante ou pouco? Se piorou pouco, combina essa protagonista com personagens superficiais e uma história enrolada. Pronto, você tem O Clã dos Magos!

O grande ponto fraco da história, pra mim, é a Sonea. E se você espera que eu elogie essa personagem em alguma parte dessa resenha, pode desistir, amigão. Ela é uma daquelas protagonistas que a autora tem que ficar descrevendo o que significa aquilo que ela está fazendo (sério, tem um capítulo chamado A determinação de Sonea). Além de uma personalidade fraca, todas as tentativas de emplacar a garota como forte e corajosa são um fracasso.

O livro é dividido em duas partes: na primeira, ela foge. Na segunda, a história acontece. O que me deixou muito infeliz com essa história foi exatamente sua primeira metade, que é demasiadamente cansativa e repetitiva. Além de toda a falta de caráter da protagonista, a autora nos presenteia com a mesma coisa por umas 200 páginas, e eu realmente não via como ou quando terminaria esse livro.

Aí, veio a outra metade. Me decepcionou também em alguns aspectos, mas fez valer a pena enfrentar todas as fugas da principal e lidar com os diversos personagens sem aprofundamento algum. Até a tentativa de romance é mais desenvolvida para o final do livro, e só mostra como Sonea não serve nem pra ser uma garotinha apaixonada.

A magia em si, assunto que sempre me atraiu muito em livros, é tosca. É mais do mesmo, sabe? O diferencial mesmo fica por parte da mente de um mago, que prefiro não falar muito sobre para não dar spoilers. O Clã dos Magos não é um livro excelente, mas também não é péssimo. Não é original nem marcante. É um livro na média, mas que desanima após um início enrolado.

Ainda assim, mesmo com tanta falta de personalidade na história, acredito que qualquer um possa dizer que essa é uma obra sobre preconceito social. E tenha certeza que ele está em todas as linhas dessa narrativa, seja quando um mago se pronuncia ou quando um próprio morador das favelas se refere a sua situação. É uma questão bem interessante para ser retratada em uma trilogia caso a autora saiba abordá-la. Nesse caso, Canavan foi certeira ao incluir certos tratamentos grosseiros e pensamentos maldosos. É um grande trunfo para se desenvolver nos próximos livros e, se feito da maneira correta, pode mudar bruscamente minha opinião sobre a série.

E sim, embora não tenha gostado muito do que li, já possuo as duas sequências em mãos e pretendo terminar o que dizem ser a obra prima de Trudi Canavan. O final de O Clã dos Magos deu esperança não só a mim como também aos que residem nas favelas de Imardin, em Kyralia. Pretendo voltar a visitar tais terras em breve.
Lucas 03/12/2015minha estante
desceu a madeira, mt boa resenha!




Roberta Oliveira 31/01/2015

Decepcionante!
Este, sem dúvida, é um dos piores livros que já li! Fui atraída pela sinopse da obra, que parecia bastante emocionante, mas foi uma verdadeira decepção! Primeiramente, a leitura é muito maçante e arrastada. A autora enche a narrativa de detalhes que não levam a lugar nenhum. Mais de 70% do livro descreve a fuga de Sonea, personagem principal, da perseguição dos magos do temido Clã. Em segundo lugar, o clímax do livro é alcançado praticamente no último capítulo, tornando todo o restante da história uma verdadeira encheção de linguiça. Comprei toda a coletânea em uma Black Friday da vida, mas não sei se vou ter paciência para ler os volumes restantes.
Grando 11/02/2015minha estante
Roberta, estou lendo, não estou nem na metade e já estou de saco cheio dessa fuja sem fim, nada acontece e pela sua resenha, só no último capítulo acontece.. Não sei se aguento.


gabi.gil.9 19/02/2015minha estante
concordo com vc Roberta...livro maçante..praticamente o livro inteiro é a fuga de Sonea, to quase abandonando...




Yasmin 25/08/2012

Criativo e diferente.

Desde que o lançamento foi anunciado fiquei ansiosa para ler porque tive a impressão do livro ser parecido com "Estudos Sobre Veneno", que está entre os meus favoritos. Não estava enganada, a história narrada por Trudi Canavan é muito boa e a forma como ela construiu seu universo é bem criativa. Uma magia madura, uma trama a primeira vista simples que ao longo do livro ganhou complexidade e promete bastante nos próximos volumes. Um livro que só não entrou para a lista de favoritos por causa de um pequeno e irritante detalhe.

Imardin é uma cidade dentro de muralhas. Nos círculos centrais encontra-se o palácio do rei, casas reais e o Clã dos Magos. Nos círculos da borda as pequenas casas de comerciantes e pensões. As pessoas que moram nessa parte da cidade não são ricas, mas vivem bem. Há mais de 200 anos após um terrível inverno que varreu as áreas rurais o antigo rei ordenou que os magos promovessem uma purificação para limpar a cidade. Milhares de pessoas que haviam vindo do campo foram despejadas e assim nasceram as favelas. Os anos passaram, mas rei após rei a cerimônia de Purificação continuou. Sonea e os tios mudaram das favelas para a cidade anos atrás. Com os serviços que sua tia fazia conseguiam viver em uma pensão. Tudo ia bem até que a família dela foi uma das expulsas da cidade. Milhares de famílias se aglomeravam rumo às favelas. Sonea estava irritada com os Magos por participar desse horror, fora os milhares de boatos que conhecia sobre eles. Ela não imaginou que a pedra atravessaria o escudo, como também não imaginou que usaria magia. Sonea estava atônita e só teve tempo de fugir. O Clã inteiro estava atrás dela e ela não ia ser pega assim tão facilmente.

Essa é a premissa do enredo e a partir da fuga de Sonea o universo vai se construindo pouco a pouco. A história serve como uma apresentação muito bem elaborada de personagens, de contexto e do mundo onde se passa a história. A narrativa é muito boa, consegue ser leve, informativa e com detalhes dosados de acordo com a parte. Uma coisa que nem todo mundo vai gostar é o ritmo que a autora escolheu para entregar detalhes da história daquele mundo e da magia. Grande parte do livro é dividida entre o lado de Sonea sendo caçada e o dos Magos nessa caçada. Nesse meio tempo pouco da história do Clã, da magia e do reino é contada. Só recebemos algumas informações a partir do momento que Sonea é capturada.

O porém da narração fica por conta das abreviações e gírias que a autora optou por usar para diferenciar os moradores das favelas. No começo achei que seria algo mais sutil, nada contra um "cê" aqui e outro ali, mas a quantidade e variedade aumentou muito, tornando alguns diálogos ruins de ler. Chegou um ponto que estava lendo sem elas, visto que muitas eram dispensáveis na frase. A sorte é que isso foi compensado com bons personagens e uma boa história. Os personagens centrais são todos interessantes. Sonea é uma garota inteligente e arisca, que aposto tem segredos no passado importante para a trama central. Aliás, o final foi inesperado. Nem estava lembrando me daquela cena e a autora surpreendeu ao dar seu sentido justo no final.

A leitura é rápida, prende até o fim com uma história mais voltada para a apresentação. Uma mistura de suspense, ação e com magia de plano de fundo. A autora retratou de maneira crível o elitismo, as diferenças sociais e conseguiu dar uma face nova a magia. Não foram muitas informações, mas o suficiente para eu ficar curiosa em descobrir mais sobre como ela funciona nesse mundo. Lembrando que esse livro é de 2001, bem antes da chuva de livros de magia. A edição (...)

Termine o último parágrafo em: http://www.cultivandoaleitura.com/2012/07/resenha-o-cla-dos-magos.html

comentários(0)comente



Lucas 24/05/2012

O clã dos Magos - Trudi Canavan
Link para resenha no Blog: (http://ondeviveafantasia.blogspot.com/2012/05/resenha-o-cla-dos-magos-trudi-canavan.html)

Quando vi na internet o livro pela primeira vez, a principio, não tinha me interessado muito. Talvez a capa não seja uma das melhores que se tem. Mas quando vi ele na livraria, foi uma espécie de amor a primeira vista, apesar daquele friozinho na barriga. Será que é bom? Para mim, o tema magia e seus afluentes é um dos meus gêneros favoritos, porém não se dava para entender muito da história, só pela sinopse da contracapa. Acabei ganhando da mãe.

O clã dos Magos é o primeiro volume da trilogia do Mago Negro, da australiana Trudi Canavan. É seguido de A aprendiz e O lorde Supremo. Caso você não tenha lido o livro ainda, aconselho a não ler a resenha, pois ela contém spoilers. Caso contrário, fique a vontade.

No mundo de Trudi Canavan, há a cidade de Imardin. Nela, o governo está nas mãos do rei, e de alguns conselheiros. Além disso, quem ajuda a cuidar do bom andamento da cidade é o Clã de Magos, que anualmente fazem a Purificação, uma espécie de procissão pelas ruas da cidade com o objetivo de expulsar vagabundos, pedintes e ladrões das ruas, para transformar Imardin numa cidade segura e sem nenhum perigo.

Sonea, uma moradora da favela, não agüenta mais essa situação. Mora com seus tios, já que havia sido expulsa de casa, e guarda ressentimento pelo que os Magos fizeram a ela no passado. Além disso passava pelas avenidas no dia da Purificação. Indignada com o tratamento que os magos davam aquele que para eles não eram de boa índole decide fazer algo para confronta-los. Com toda a raiva que ela possui, atira uma pedra na direção dos magos, e deseja que pudesse passar pela proteção. Porém, a pedra ACABA PASSANDO! Surpresa tanto para ela, quanto para os magos, já que achavam que aquilo nunca poderia acontecer.

Sonea baixou a cabeça e olhou para as mãos. Funcionou. Quebrei a barreira, mas não é possível. A menos que...
A menos que eu tenha usado mágica...

Para os magos, Sonea era um perigo, uma ameaça. Afinal, onde ela treinara? Com quem? E, além disso, se resolvesse se unir à favela contra o governo, poderia ocorrer uma grande revolta.
Porém, para Sonea se torna uma grande descoberta, pois ela não fazia a mínima idéia. A partir dali se vê totalmente diferente, mas também com medo, já que não tinha a mínima vontade de se tornar uma maga.
A partir desse ponto, o livro se torna um jogo de gato e rato. O clã passa a querer Sonea de qualquer jeito, quer queira, quer não. Sonea, por outro lado, foge juntamente com Cery, seu amigo, e se une aos ladrões, como forma de se proteger. Lá conhecem Faren, um ladrão com um caráter um tanto duvidoso.

Já no Clã, há a figura do Lorde Supremo, Akkarin que coordena todos os outros magos (o chefão!). Além dele, os que mais se destacam durante o livro são Rothen, Dannyl e Fergun. Confesso que este último, me dava uma raiva em algumas cenas, enquanto eu lia o livro. Manipulador, frio e maquiavélico, Fergun fez e aprontou de tudo no livro. Mas felizmente ele teve seu final merecido (a cena final é tudo de bom!). Outro personagem muito importante e que aparece bastante durante o livro é o Administrador Lorlen que supervisiona as atividades dos magos, para que ocorra tudo da melhor maneira o possível. O mago mais gente boa e companheiro, na minha opinião era Rothen. Além disso, não podemos deixar de fora o clima que rolou entre ele e Sonea enquanto ela ficou no poder do Clã.

No Clã, os magos podem se comunicar através da mente (tudo de bom, né?), e tem a chance de desenvolver o método da Cura, mas também podem ser Guerreiros. Lá, eles, quando são aprendizes, são obrigados a controlar seus poderes.

“Pense em tudo o que aprendeu sobre magia e controle. Seus poderes desenvolveram-se naturalmente, mas, para a maioria de nós, precisamos ter nossas habilidades despertadas por outro mago. Assim que é feito, ficamos atados pelas exigências de nossos poderes pelo resto de nossas vidas. Temos de aprender a controla-los, e temos de manter esse controle. Se não o fizermos, nossa magia irá eventualmente nos destruir. – Ele fez uma pausa. – Para todos nós, no momento de nossa morte, o controle que temos sobre o poder termina, e a magia que resta dentro de nós é libertada. Somos, literalmente, consumidos por ela.”

Eu gostei bastante do livro. Uma história tranqüila de se ler, sem grandes dificuldades. Sinceramente não sei o porque, mas quando iniciei, ele me lembrou um pouco a Guerra dos Tronos. Apesar de os nomes dos magos serem um tanto diferentes, a história em si é bem contada. Adorei viajar pelo mundo dos magos, o funcionamento para se tornar um mago. Um mundo totalmente novo pronto para ser descoberto. Além do mais, o que não falta no livro é romance e uma pitada de mistério.
Um dos pontos que Trudi levanta no livro é a questão da desigualdade social. Afinal, qual é a necessidade da Purificação? Qual a serventia, se mais da metade da população vive na miséria, enquanto alguns vivem na riqueza, rodeados de luxo e mordomia? Há um trecho no livro, de uma conversa de Sonea e Rothen, muito interessante que expressa a insatisfação dela para com os magos:

“-Você fica dizendo que alguns ajudariam se pudessem, mas a verdade é que, se os magos realmente se importassem, estariam agora nas ruas. Não existe lei que os impeça, então por que não vão? Vou te dizer por que. As favelas são malcheirosas e desagradáveis, e cês preferem fingir que elas não existem. Aqui estão bem mais confortáveis....”

Depois de conhecer tantos mundos, como Panem, Hogwarts, Forks, Monte Olimpo, Nárnia, Imardin foi uma visita fascinante. O livro deixou uma série de questões para serem respondidas no próximo livro da série, A aprendiz, sem previsão de lançamento.

O que o futuro reserva a Sonea, Rothen e Dannyl? Depois da reviravolta no final do livro, só se pode esperar e aguardar ansiosamente.
Nath @biscoito.esperto 08/06/2012minha estante
Resenha fantástica, adorei!
Traduziu o livro muito bem, partilho 100% de sua opinião!


Naila 23/07/2012minha estante
Exatamente o que eu achei =]




Sil 12/03/2017

Me senti vitoriosa por conseguir terminar.
Olá pessoal,

Recentemente tive o desprazer de ler o livro o Clã dos magos, da trilogia o Mago negro, vamos aos fatos:
Sonea é uma garota pobre e comum, que vive os reflexos de uma sociedade injusta. Ao menos ela achava que era comum, até que consegue fazer uma pedra ultrapassar uma barreira mágica só com a força do pensamento.
Todos os anos, os magos que protegem a cidade dos ladrões e dos miseráveis vão às ruas para o expurgo - tarefa criada pelo rei, para livrar as ruas dos indigentes. O problema é que dentre os mal feitores também existem os necessitados, aqueles que estão na rua por não ter onde ficar, que só querem um prato de comida, uma casa e um emprego. Mas não existe exceção! Todos são expulsos! Sonea e seus tios recentemente tiveram que sair de sua casa e procurar abrigo nas favelas, e por uma infeliz coincidência, ela está presente na praça central no dia do expurgo. Todos os indigentes atiram pedras contra os magos, como forma de protesto, porém devido ás barreiras mágicas destes, eles não se machucam. Sonea resolve protestar também e atira uma pedra contra os magos: reúne toda a sua raiva e indignação, e faz a pedra acertar um mago. É claro que não bastou apenas desejar, Sonea também possui poderes mágicos, e descobre isso naquele momento. E os magos também. Um mago não controlado, não deixa o rei nenhum pouco feliz, por isso inicia-se uma caça á Sonea. A garota obviamente acredita que eles querem matá-la, mas na verdade eles querem que ela se junte ao clã, para aprender a controlar seus poderes. Ela conta com a ajuda de alguns amigos para fugir.
Fugir...
Fugir...
Fugir...
E olha, mais um capítulo de fuga!
Temos então cerca de 200 páginas de fuga! Isso mesmo, a autora conseguiu a proeza de fazer a personagem fugir durante 200 páginas, onde nada mais acontece, á não ser as fugas. Depois disso, temos alguns acontecimentos (que seu contar vira spoiler) e fim.

O livro todo estava muito interessante no início, a autora estava apresentando o cenário muito bem, sinalizando uma história mais madura e diferente. Mas então vieram as tais 200 páginas, que me fizeram desanimar totalmente com a leitura (levei 15 dias pra ler ele, e com isso minhas demais leituras atrasaram). Talvez se o resto da história tivesse valido a pena eu teria me empolgado com a série, mas a coisa ficou tão previsível e infantil, que desisti com gosto dela.
Frustrou-me o fato de que a autora quis dar um ar mais adulto pra série logo no início, mas depois parece que mudou de ideia. Ela também finalizou o livro muito rápido, sem muitos detalhes ou explicações. Acredite você que temos 200 páginas de fuga detalhada, e depois do nada: fim! (Parece que a própria autora tinha cansado de escrever o livro, e ficou com pressa pra terminar ele).

Persisti na leitura, única e exclusivamente para ter certeza de que estava tomando a atitude correta, e para ter certeza de que o livro não melhoraria mesmo, pois às vezes podemos nos enganar ou surpreender (em 2015 li Eugênia Grandet, do Balzac. As primeiras 80 páginas foram um tormento, quis muito desistir do livro. Mas depois de todos os i’s com seus devidos pingos, a leitura se tornou incrível, e o livro ganhou 4 estrelas. Final feliz). Para alguns não é grande coisa – abandonar uma série - mas é a primeira vez que faço isso, então pra mim foi uma grande decisão, e a tomei sem peso na consciência.
Acho que quando temos 100 livros parados na estante para ler (que é o meu caso), não precisamos perder tempo com livro que não casou ne? Até bolei um versinho pra esse caso:
Livro que não agrada, da minha estante não faz morada.
Sim, já troquei eles no sebo (pelo livro O mundo de Sofia do Jostein Gaarder e pelo Passarinho da Crystal Chan) \o/.

Abraços

site: www.revelandosentimentos.com.br
Romullo 06/03/2018minha estante
Descreveu tudo que queria falar do livro, até a parte de atrasar outras leituras. Sempre ficava com peso na consciência de começar outro livro sem ter terminado esse, mas acabou acontecendo de eu começar e terminar uns 12 livros ai pelo meio. Foram quase 8 meses entre a primeira página e a última e quase 3 infelizes meses sem leituras tentando me dedicar só a ele. Felizmente desencanei, o que me fez até ler mais dele intercalando bons livros entre um capítulo e outro dele rsrs




House of Chick 17/11/2012

Confesso que quando peguei esse livro pela primeira vez, não sabia muito bem o que esperar, nem o que pensar. Foi só quando comecei a ler a história e descobrindo esse novo mundo, que fui admirando ele cada vez mais.

Em “O Clã dos Magos” conhecemos o reino de Imardin, um local que há mais de duzentos anos teve a sua área rural devastada pelo inverno, ocasionando consideravelmente no aumento do número de famintos, mendigos e de crimes, fazendo com que o rei tomasse uma providência boa apenas para a classe um pouco mais alta chamada purificação.

Para que seu reino fosse limpo, purificado de tudo que ele considerava ruim, o rei chamou os magos para fazer uma limpeza na cidade tirando todas as pessoas que não tivessem dinheiro suficiente para viver lá, desabrigando inúmeras pessoas e fazendo, assim, com que fossem criadas as favelas. Mesmo com o tempo se passando e com as mudanças dos reis, todos eles mantiveram a tradição da cerimônia de purificação.

O livro conta a história de Sonea, uma menina simples que perdeu a mãe muito cedo e foi abandonada pelo pai, fazendo com que ela fosse criada pelos seus tios, Jonna e Ranet, na favela. Quando o trabalho de sua tia conseguiu sustentar uma pensão dentro dos muros da cidade, eles se mudam da favela para Imardin, porém após uma cerimônia de purificação, eles são novamente expulsos pelos magos, fazendo com que voltem para seu local de origem, a favela.

Nas favelas a fome é a companheira devido à imensa pobreza e as pessoas não tem nem o direito de ir ver um mago que tem poderes de cura (um curador) quando estão doentes. São as pessoas esquecidas e largadas, que foram jogadas em um canto.

Na cerimônia da purificação, os magos se reúnem na praça e são protegidos por um campo de força. Em um momento de muita raiava, Soena acaba por se juntar a um grupo de pessoas que estavam protestando ao invés de ir encontrar os seus tios e, junto deles, atira uma pedra em direção aos magos com toda sua raiva e frustração por toda injustiça e pelo tratamento das autoridades com os mais pobres. O que ela não poderia imaginar é que a pedra que ela havia tacado quebraria o escudo feito pelos magos e acabaria atingindo um deles, que ficou inconsciente.

Continuação: http://www.houseofchick.com/2012/11/o-cla-dos-magos-trudi-canavan.html
Vanilda 17/11/2012minha estante
Quando li pela primeira vez a sinopse de "O clã dos magos" eu quis muito o livro. Todos esses ingredientes me atraem muito: magia, mistério, aventura e um mundo diferente, com um povo diferente. Pois eu tenho o livro e ainda não li. Fui lendo outros na frente e ainda não conheço a história dos habitantes de Imardin. Eu acho que, além da história "mágica", digamos assim, também tem um lado social, que comenta sobre essa diferença entre as classes e a discriminação de uns em favor de outros. É uma pena que alguns pontos tenham ficado vagos e mal esclarecidos porque podem fazer alguns leitores desistirem da história. Já foi lançado o segundo volume, A Aprendiz, e talvez tenhamos a resposta para alguns desses pontos nesse segundo volume.

vanildarm@hotmail.com
@VanildaP


Khrys Anjos 17/11/2012minha estante
Também pensava outra coisa ao ver a capa. Gostei de saber que te surpreendeu pois também estou esperando o meu chegar para me aventurar pelo reino de Imardin. Gosto de livros que unam magia, ação, aventura e mistério. Pelo jeito é mais um que irei gostar.

Um leve bater de asas para todos!!!!!!!!!!

khrysanjos@yahoo.com.br


Maya 17/11/2012minha estante
Own magia e aventura! É comigo mesma, adoro estes livros, e até agora não tive a oportunidade de ler o clã dos magos, mas já está na lista com toda certeza, pois espero me surpreender, já que livros assim tem quase um imã para me atrair :)

yarasp71@hotmail.com


Thai 17/11/2012minha estante
eu to esperando o segundo livro,pois me parece uma historia super bacana, gosto desse ar mistico e com essa coisa de magia, da um ar de ilusão e de poder quando leio :)
@thailadesouza
thailikasouza_candy@hotmail.com


Leila 17/11/2012minha estante
A resenha é muito boa. O tipo de livro não me atrai muito, mas, não está descartada a possibilidade de lê-lo.
leilaschmitz@yahoo.com.br


Bruna Costenaro 18/11/2012minha estante
Ahhhh como a Sonea é uma menininha chata hein? Mil vezes o Rothen =]

Resguardado os problemas já comentados no commet do blog, um mundo onde a magia existe de forma livre é um mundo onde vale a pena viver!! Logo um livro que vale a pena ser lido!

Miquilis: Bruna Costenaro- bruheadbanger@hotmail.com


Brunna 18/11/2012minha estante
Será que vai ser uma trilogia de "três"? KKKKK Eu gosto quando são! Ainda não li esse livro, mas não é que eu não tenha vontade, apenas ainda não tive oportunidade de comprá-lo, e também nunca tinha lido nada a respeito dele. Agora que conheço pelo menos uma opinião (e de cara ela é positiva), vou procurar conhecer mais um pouco a respeito dele...

brunna_plutao@hotmail.com
myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br


Jéssica R. 18/11/2012minha estante
Adoro estórias que tenha mistérios,magia.Sempre quando era criança gostava de brincar de magia,de que era uma bruxa,uma feiticeira e tão todo livro que vejo de magia eu gosto de ler, além que gosto de sobrenatural.
E também tem a questão de que as pessoas mais pobres,são jogadas de lado e, que só os ricos tem o direito de morar na cidade.Essa classe social que existe na vida real,de como muitas vezes, que mora na favela é excluído.Um mundo que ainda tem esse preconceito,mesmo ao passar do tempo.
Então , quero muito ler esse livro.

Jéssica Rodrigues
jeskinha_416@hotmail.com
http://leitorasempre.blogspot.com.br/


Nessa 19/11/2012minha estante
Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro mas sempre fui super curiosa.Todos falam muito bem dele e a história é bem diferente.
Essa mistura de mistério e aventura são os ingredientes certos para uma história envolvente que não te deixa largar até acabar.
Adoro trilogias, por mais que fique angustiada pela continuação.

A capa é linda.

Vanessa
https://twitter.com/nessa_002


Thais 20/11/2012minha estante
Adoro livros que envolvam Magia e mistérios, sem contar livros de ação. Clã doa Magos conseguiu reunir isso, uma narrativa interessante e divertida.
Eu amei ele e estou muito ansiosa para ler A Aprendiz.

Thais Vianna
@dathais


Joyce 21/11/2012minha estante
Ainda não conhecia esse livro mas pela resenha gostei bastante da história, parece ser bem interessante por misturar magia, aventura e mistério. Adorei, obrigada pela dica.
bjs

Joyce
joycegadiolli@ig.com.br
http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/




Tarcila Lima 05/12/2012

Resenha publicada no Baiana Literal
De todos os livros que li este ano, o Clã dos Magos está dentre aqueles que beiraram a mediocridade. E quando falo em mediocridade estou me restringindo ao sentido literal da palavra, que segundo o dicionário significa ser mediano.
Não me entendam mal, mas quando se recebe um livro com uma capa extraordinária e uma sinopse falando sobre magia, é quase impossível não criar certas expectativas.
Espera-se uma boa história, que de fato o Clã dos Magos tem, mas a dinâmica da narrativa e a má construção dos personagens deixaram muito a desejar.
Ora pois, o Clã dos magos é um livro demasiadamente lento, vagaroso e um tanto quanto entediante.
Dividido em dois, a primeira parte do livro nós mostra uma garota pobre e magricela que acabou de ser despejada de sua casa com seus tios para a favela.
Imardin, o lugar em questão, é uma cidade ferrenha governada por um rei e que sofre uma purificação anual, feita pelos magos. Seres poderosos, que atuam em três campos distintos (Cura, alquimia e guerra), mas são odiados pelo povo e principalmente pelos Ladrões, uma espécie de mafia russa do complexo do alemão rs.
Devo alertar que esta primeira parte se encontrou em pleno ponto de inércia, perdido em pontos pormenores e atrevo-me a dizer, muitos deles insignificantes. O que prejudicou bastante meu ritmo (e interesse) de leitura.
Tudo bem, sei que é uma parte introdutória, mas a autora se prendeu demais, discutindo sobre as inseguranças de Sonea, as suas lembranças, diálogos repetitivos, que só me deram a impressão da mesma está tentando apenas "encher linguiça".
Sonea não é uma protagonista carismática nos primeiros momentos . Não simpatizei com ela de cara e isso pesou para os outros personagens, que tinham a difícil missão de me prender até a última página.
Claro que isso foi suprido pelos magos como Annakin, Dannyl e principalmente Rothen, que me fez ver na segunda parte do livro, uma luz no fim do túnel.
Para concluir digo que O Clã dos Magos não é de todo ruim, pois estou até ansiosa pela continuação, mas ele tinha potencial para ser muito mais.
Se não foi, tudo bem. Fica no canto da prateleira recebendo poeira, como castigo :D

Visite http://tharcilalima.blogspot.com.br
Vanessa 12/12/2012minha estante
Fiquei com a mesma sensação. Achei a primeira parte do livro muito arrastada e cansativa. A 2ª achei um pouco melhor mas não me empolgou. Vou comprar o segundo livro na esperança que tenha uma narrativa melhor.


Fernando Aug. 12/01/2014minha estante
Eu também achei a autora mediana, tudo bem que é o primeiro livro, mas a história é muito pouco aprofundada, os personagens são muito simples, tanto em questão psicológicas como físicas. A trama não me prendeu em nada, coisas óbvias como sair da cidade ou ir para floresta poderiam ter sido feitas e não fizeram e não houve uma explicação plausível, os magos que deveriam ser inteligentes não tinham nada de especial. E no final pelo desenrolar da história parece aquelas ladainhas que qualquer história tem.
Pensei que iria ter um detalhamento melhor das magias, mas elas se revelaram bem simples.




RUDY 10/03/2013

RESUMO SINÓPTICO:
Sonea é uma 'favelada' de Kyrália, mas não é uma coitinha. Embora não aceite a magia que habita dentro dela, não é triste ou acomodada, ao contrário, revoltada por ter sido expulsa mais uma vez do lugar onde morava com os tios, acaba fazendo magia bem no dia em que os Magos fazem a 'limpeza' na cidade, retirando os pedintes, criminosos e vagabundos.
Ela acaba jogando uma pedra que penetra o escudo protetor da cidade e atinge um dos magos, o deixando inconsciente, ato inconcebível. O Clã fica assustado, porque uma maga não treinada, uma maga natural, está a solta nas ruas e esse é o maior medo do Clã. Começa a perseguição por Sonea...
Sonea foge com seu amigo Cery, apaixonado por ela, por toda Királia, nos mostrando um pouco da cidade e do poder dos magos. Sonea vai relatando o que eles fazem e como prejudicam os moradores, já que prestaram devoção a um Rei que não faz nada pela cidade.

PARA LER A AVALIAÇÃO COMPLETA, VISITE OS BLOGS:

BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM: http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2013/03/resenha-08-o-cla-dos-magos-livro-1.html

BLOG CRL: http://comunidaderesenhasliterarias.blogspot.com.br/2013/03/resenha-o-cla-dos-magos-livro-1-trudi.html
Thaís 06/04/2013minha estante
Parece muito interessante e gosto de livros de magia, mas ouvi falar que esse é o mais lentinho de todos, mas de qualquer forma quero ler (:


Fernanda @condutaliteraria 29/04/2013minha estante
Gosto do tema e sempre vejo críticas super positivas pela trilogia, gostaria muito de ler.
Achei interessante os nomes escolhidos para os personagens :)


30/05/2013minha estante
Adoro livros de ficção e este me pareceu muito interessante! Quero muito ler :))




karina.rutyele 05/08/2017

O último salvou.
O primeiro livro da série é bom mas em alguns momentos se torna entediante.
O segundo é cansativo e frustrante, senti falta de Cery que é um dos principais personagens.
O terceiro e último livro é melhor do que os anteriores juntos. Aconteceram coisas que me surpreenderam bastante, do início ao fim não consegui largar, quando chegou o final me decepcionei pois gosto de finais felizes :(
comentários(0)comente



269 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |