A Arte da Imperfeição

A Arte da Imperfeição Brené Brown




Resenhas - A Arte da Imperfeição


96 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Brenda 13/06/2012

Brené Brown é Ph.D., pesquisadora, escritora e professora na Universidade de Houston, especialista em vergonha, autenticidade e pertencimento e agora apresenta em seu livro "A Arte da Imperfeição" algumas dicas para se viver uma vida mais plena.

Quem é sonhador de plantão aqui no blog Sonhos em Tinta, sabe que não sou muito de ler livros ao estilo auto-ajuda, mas A Arte da Imperfeição me conquistou! Brené escreve com delicadeza e expõe seus pontos de vista e como foi sua análise da vida de outras pessoas que sentiam que viviam em plenitude. Cada dica é completamente aplicável e super interessantes.

"Coragem parece um sentimento ótimo, mas precisamos falar de como ela exige que nós deixemos de nos importar com o que os outros pensam e, para a maioria de nós, isso é assustador."

O volume tem páginas amarelas e uma ótima diagramação, com detalhes em cada início de capítulo. Com experiências de vida e citações incríveis, Brené dá uma nova definição ao conceito de vida plena, dando ótimos conselhos de como aproveitar o nosso D.I.A. todos os dias. Durante a leitura percebi que o modo com que a autora apresenta sua pesquisa combina completamente com o título original da obra "Os Dons da Imperfeição" (tradução livre), porque pra ser perfeito você não precisa ser melhor que os outros, mais ser o melhor de você em tudo o que puder.

"Praticar coragem, compaixão e conexão é olhar a vida e as pessoas à nossa volta e dizer: 'Estou nessa. Totalmente'."

Seja quem esteja precisando de alguns conselhos, alguém que queira melhorar sua vida, seus conceitos e seu modo de agir ou apenas ter uma leitura leve e prazerosa, A Arte da Imperfeição é o livro certo pra você. Altamente recomendado.

Postado originalmente em: http://sonhosemtinta.blogspot.com.br/2012/06/diario-de-leitura-arte-da-imperfeicao.html
Caique 23/06/2012minha estante
Pelo que li na sua resenha o livro parece ser muito gostoso de ler, uma leitura rápida, onde podemos aprender novas coisas. Enfim, pensei que esse livro fosse chato, gosto de auto-ajuda, mas não é meu gênero preferido, gosto de ler livros bons dessa linha, assim como esse parece ser. Vou ler logo.

Abraços
Caíque Fortunato


Leandro Souza 30/06/2012minha estante
Gostei da sua resenha. Dá pra perceber que é uma leitura bem saudável e oroveitosa. Tô bem curioso sobre ele. E a resenha só aumentou essa curiosidade.


Vanessa Sueroz 01/07/2012minha estante
Adorei sua resenha!!


MandyGSA 16/07/2012minha estante
Gostei bastante da resenha. Você tem uma ótima escrita. Como já tinha dito, gosto muito de livros de auto-ajuda. Eles nos fazem refletir, mudam nossa forma de pensar e de agir. Esse livro "A arte da imperfeição" é super interesssante e recomendo para quem não gosta desse gênero.
Beijos.


Bacil 17/07/2012minha estante
O livro me pareceu ser ótimo. Mas "auto-ajuda" não é muito minha praia não :~


Ju 24/08/2012minha estante
Achei bem interessante. Principalmente essa citação que você colocou sobre a coragem. Eu felizmente já consegui parar de me importar com que os outros pensam sobre mim faz tempo, pois considero que esse problema é deles, e não meu. Acho que vou gostar bastante da leitura!


Elaine Miranda 04/03/2020minha estante
Brenda, você leu " A coragem de ser imperfeito"!? Se sim, são muito parecidos!? Obgda!




Fabi 14/09/2020

Segundo livro da autora. Li primeiro ?a coragem de ser imperfeito? e gostei tanto que procurei outros livros dela para ler. Tenho a sensação de ter aprendido muito mais sobre eu mesma após finalizada a leitura. Recomendo :)
comentários(0)comente



clebersan 05/10/2020

Esperava um pouco mais
Um livro rápido de ler. Esperava algo um pouco mais profundo, talvez pela grande autoridade da autora.
comentários(0)comente



Leandro | @obibliofilo_ 29/05/2012

http://www.leandro-de-lira.com/
Eu detesto livros autoajuda. E sinceramente, não estava entusiasmado para ler "A arte da imperfeição". Então, como eu recebi de cortesia, da grande Novo Conceito, resolvi lê-lo logo, para não atrasar muito a leitura. E agora, posso resumir o livro em apenas uma palavra: Surpreendente. Foi uma surpresa maravilhosa, ler este livro.

"Este importante livro é sobre a jornada de uma vida, deixando de se preocupar com "O que os outros vão pensar?" e acreditando que "Eu sou suficiente". A habilidade ímpar da autora em misturar pesquisa original com relatos faz com que a leitura de A Arte da Imperfeição pareça uma longa e animadora conversa com uma amiga muito sábia que oferece compaixão, sabedoria e ótimos conselhos. A cada dia nos deparamos com uma enxurrada de imagens e mensagens da sociedade e da mídia nos dizendo quem, o que e como devemos ser. Somos levados a acreditar que, se pudéssemos ter um olhar perfeito e levar uma vida perfeita, já não nos sentiríamos inadequados. E se eu não posso manter todas essas bolas no ar? Por que não é todo mundo que trabalha duro e vive às minhas expectativas? O que as pessoas vão pensar se eu falhar ou desistir? Quando posso parar de provar a mim mesmo? Em A Arte da Imperfeição, Brené Brown, Ph.D, é uma especialista em vergonha, autenticidade e compartilha a coragem que aprendeu em uma década de pesquisas sobre o poder de viver sinceramente."


Se você é como eu e detesta livros autoajuda, deixe seu preconceito de lado e leia "A arte da imperfeição". O livro é completamente interessante e revelador. A autora esclarece determinados assuntos, de uma maneira tão clara e objetiva, que é impossível não gostar do livro. Em determinados momentos, é como se ela conversasse com o leitor, de uma maneira tão gostosa, que eu fiquei impressionado.


"... Um sentimento profundo de amor e pertencimento é uma necessidade irredutível de todos os homens, mulheres e crianças, Nós somos biológica, cognitiva, física e espiritualmente programados para amar, ser amados e pertencer. Quando essas necessidades não são atendidas, não funcionamos como deveríamos. Entramos em colapso. Entorpecemos. Sofremos. Machucamos os outros. Adoecemos. Certamente existem outras causas para doenças, entorpecimento e mágoa, mas a ausência de amor e pertencimento sempre levará ao sofrimento."

Um dos pontos que mais me chamou a atenção no livro foi o Perfeccionismo. Eu sou uma pessoa completamente perfeccionista. E quando a autora descreveu como uma pessoa perfeccionista age, eu me senti completamente vulnerável. Porque ela realmente conseguiu descrever corretamente — pelo menos eu ajo daquela forma — os comportamentos de um perfeccionista. E eu percebi que preciso mudar, por que ser assim é horrível. Só quem sabe e entende, é quem sofre com este mesmo problema.

A autora também aborda outros assuntos. Porque tudo que ela explica no livro, foi coletado de uma pesquisa que fez, com várias pessoas. E em alguns momentos, ela descreve situações que aconteceram consigo mesma e que serve para analisarmos melhor o que está sendo explicado.

"É fácil atacar ou criticar alguém quando essa pessoa está assumindo riscos, expressando uma opinião impopular, ou compartilhando uma nova criação com o mundo, ou tentando algo novo que ela ainda não dominou. Crueldade é barata, fácil e abundante. E também não vale nada, especialmente quando se ataca e critica anonimamente, o que a tecnologia permite que tanta gente faça em nossos dias."

Há uma parte do livro, em que a autora diz que todo ano ler pelo menos uma vez o livro "O Alquimista", do Paulo Coelho. Eu achei bem interessante ela ter citado o livro. E ela sempre ressalta que o intuito de ela ter escrito o livro, é para que todos que o leem, possam viver plenamente e intensamente.

Concluindo, eu recomendo com toda certeza o livro. É um livro completamente diferente. E a autora sempre mostra soluções para encarar alguns dos problemas citados durante a leitura. Soluções para o seu dia-a-dia. Leia sem medo e busque viver plenamente e intensamente.

Recomendo!
comentários(0)comente



RUDY 24/06/2012

RESUMO SINÓPTICO:
"Em A Arte da Imperfeição, Brené Brown ensina o leitor a lidar com a vergonha, aceitar seus defeitos e ser autêntico quando o assunto é viver bem e ser feliz.”


Relato de como as pesquisas feitas pela autora, ‘abriram seus olhos’ para uma vida plena e feliz, e, de como pode perceber quem era realmente. Ela foi em busca de crescimento espiritual, pois não estava ‘vivendo e amando’ com todo seu coração.

Para ler a resenha completa e avaliação, visite e comente no blog:
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2012/06/resenha-35-arte-da-imperfeicao-bene.html
soniacarmo 28/07/2012minha estante
Queremos sempre nos apresentar como os outros(sociedade) querem. Lógico, temos que respeitar as regras de convívio comum, mas nem sempre temos que ser as pessoas perfeitas que os outros querem.
Adoro livros de auto-ajuda, eles nos fazem refletir como podemos ser mais felizes. Agora, colocar em prática considero bem difícil, mas é uma questão de crescimento pessoal. Se soubermos aproveitar as leituras, e selecionarmos o que nos serve podemos aplicar em nossas vidas.
soniacarmo
retalhosnomundo.blogspot.com.br


Jeniffer Viana 13/08/2012minha estante
Cara, não sei porque, mas esse livro vai me surpreender. Espero lê-lo em breve. Achei a capa tão bonitinha! E, de uma forma humorística, o título combina comigo, que costumo dizer que sou imperfeita. Aí que vem a parte do "arte". Hahahaha. :B


Maristela 03/11/2012minha estante
Como eu disse na resenha no blog, eu não me preocupo muito com o que os outros pensam ou falam de mim. Vivo dentro dos limites que julgo certo, não transgredindo leis nem tirando a liberdade dos outros. O livro é de auto-ajuda e para quem precisa é perfeito. Gostei da resenha. Está ótima.


NESSA 25/11/2012minha estante
Muito interessante a o livro realmente,mas o importante é sermos nós mesmos, e não querer ser como os outros ou a mídia querem.
Devemos viver de acordo com o que achamos certo,e não ficar vivendo a vida dos outros,esquecendo da nossa essência,vontades,personalidade,escolhas,vidas...
Não devemos ter medo de amar,arriscar,buscar nossa felicidade...
Muito bom o livro da Brené Brown assim aprenderemos a lidar com a vergonha, aceitar nossos defeitos e sermos autêntico quando o assunto é viver bem e ser feliz.


carli 26/11/2012minha estante
FIQUEI APAIXONADA POR ESSE LIVRO DESDE A PRIMEIRA RESENHA Q LI DELE,A Q VC POSTOU NO BLOG É SIMPLESMENTE MARAVILHOSA.VC DETALHOU BM A ESSENCIA DO LIVRO!QRO MUITO LE-LO.




Carine Campos 01/04/2020

Um livro sobre a vulnerabilidade e como isso afeta as conexões humanas.
O livro fala sobre a vulnerabilidade, sobre os sentimentos que mais nos fazem vulneráveis e como eles estão envolvidos nas conexões humanas. Como o medo e a vergonha estão ligados às nossas vidas, como todos nós temos esses sentimentos, mas como há muita diferença quando decidimos olhar para esses sentimentos e assumir o risco de ser imperfeito.

Brené Brown é formada em Assistência Social, é escritora, professora e pesquisadora; passou 10 anos de sua vida coletando informações através das histórias e experiências das pessoas com relação a como elas lidavam com os problemas, os sentimentos, com a vida. A partir disso ela nota os padrões e faz suas suposições sobre o assunto.

O que eu mais gostei do livro é que falar sobre sentimentos e sobre a fragilidade
humana é algo que me interessa muito, mas é algo que eu vejo muitas vezes como algo muito intrínseco e abstrato. Contudo, a Brené conseguiu colocar em palavras de maneira clara muitos desses sentimentos que estão presentes ao longo das nossas vidas.

Amei esse livro em vários aspectos, mas ainda assim tem algumas falhas ao meu ver. Alguns assuntos foram pouco trabalhados e de maneira otimista demais (não que precise ser pessimista, mas gosto da parte realista), porém é só uma opinião pessoal. Também senti falta da autora falar da importância do processo terapêutico para lidar com essas questões, ainda que ela cite que fez terapia para lidar com suas questões, achei que poderia ter enfatizado como isso faz diferença.

Enfim, indico muito o livro porque tem uma linguagem bem fácil e nos faz pensar um pouco sobre como ser vulnerável nos faz conectar com outras pessoas, afinal todos temos fraquezas e todos buscamos nos identificar com o mundo a nossa volta já que somos seres sociais. Ser vulnerável é se permitir sentir e ser transparente com quem você é, não só consigo, mas com os outros.

Achei difícil selecionar alguns dos destaques que eu fiz porque eles dependem muito do contexto para serem entendidos, mas escolhi esses:

"coragem comum diz respeito a arriscar nossa vulnerabilidade. No mundo em que vivemos isso é extraordinário. Quando prestamos
atenção, vemos coragem todo dia. Nós a vemos quando alguém pede ajuda... Eu a vejo na sala de aula quando uma aluna levanta a mão
e diz: estou completamente perdida. Não tenho ideia do que você está falando."

"Foi só recentemente que aprendi que minimizar as coisas emocionantes não diminui a dor quando elas não acontecem, mas diminui
a alegria quando elas efetivamente acontecem."

"aceitação é o cerne da compaixão. Quanto melhores formos em nos aceitar e aceitar aos outros, mas compassivos nos tornamos."

"A maioria de nós gosta de segurança, certeza e clareza. Vergonha e amor estão apoiados em vulnerabilidade e fragilidade."

"Nós só conseguimos amar os outros o tanto que amamos a nós mesmos."
comentários(0)comente



Paloma Viricio 10/06/2012

Como adaptar-se A Arte da Imperfeição?
Você é feliz? Deseja ter uma vida plena, tranquila e repleta de realizações? No mundo conturbado de hoje, esse querer parece ser quase impossível, não é mesmo? Mas, do que você realmente precisa para sentir-se contente, de bem com a vida? No livro A arte da imperfeição, Brené Brown, mostra que sentir-se realizada é algo simples. Muitas vezes o manual para o bem-estar encontra-se nas imperfeições da vida. Você sabe quais são as suas?

A pesquisadora, professora e especialista em vergonha, criou uma lista básica com 10 passos de orientação para lidarmos com questões que podem nos tronar cansados e infelizes. O mais interessante é que o livro é prático e repleto de exemplo de vida da própria autora. Ela diz que a pesquisa sobre vida plena, foi mais que simples análise de dados e conclusões... Ela foi capaz de mudar atitudes incomodas da própria Brown. “Já se passaram quatro anos desde aquele dia, em 2006, quando minha própria pesquisa virou minha vida de cabeça para baixo. Foram os melhores quatro anos da minha vida, e eu não mudaria nada”, revela a autora. (p.170)

O livro irá lhe auxiliar a ver a vida de outra maneira, aprender a encarar as tempestades com força e garra. E além do mais a leitura é leve...flutuante. A diagramação é perfeita e as folhas e letras tranquilizam a visão. Sem contar, na capa que simboliza um paraíso de paz. A forma como a pesquisadora escreve é muito gostosa e ao virar as folhas do livro você frequentemente notará um sorriso no canto da boca.

Muitas pessoas acham livros de autoajuda um martírio, mas esse é mais, pois não fica toda hora te ordenando a fazer isso e aquilo. A própria Brené comenta o fato. “Acredito que a maioria de nós já desenvolveu sensores de bobagem bastante apurados quando se trata de ler livros de autoajuda. Acho que isso é bom. Existem muitos livros que fazem promessas que não conseguem cumprir ou que fazem parecer que mudar é muito mais fácil do que realmente é”, explica Brown. (p. 169)

E ela ainda cometa mais sobre o assunto. “Não sei em que prateleira ou bancada este livro estava exposta na livraria em que você o comprou, mas não tenho certeza de que este trabalho se trata de autoajuda. Penso nele como um convite para participar da revolução da vida plena,” finaliza a escritora. (p.170)

O trabalho Como adaptar-se A Arte da Imperfeição? de Paloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.
http://palomaviricio.blogspot.com.br
Mari Scotti 18/06/2012minha estante
Se eu visse ele livro eu confesso que não iria ler, mas sua resenha me deixou um pouquinho interessada. Prefiro estórias mesmo. beijooo


Paloma Viricio 18/06/2012minha estante
Esse livro achei muito especial! ^^ A diferença dele para os tradicionais livros de auto-ajuda é que ela aborda os temas dando exemplos da vida dela e muita toda a concepção do tradicional e massante auto ajuda!^^ Espero que curta!


Lana 26/06/2012minha estante
E um livro de auto ajuda, tenho que dizer que se vise o livro somente pelo titulo não iria ler, mais gostei muito da resenha e me chamou a atenção, adorei!


Matheus' 08/07/2012minha estante
Muitos vem aki e comenta sem ler, eu li todos e estou vendo cada detalhe perfeito esse parece ser ótimo
parece um livro para refletir Bastante


Paloma Viricio 08/07/2012minha estante
Realmente, Matheus...muitos vem aqui comentam sem ler a resenha, ou só passam o olho por metade ou partes dela. Mas, ler é uma forma essencial de saber se iremos gostar do livro ou não! Obrigada pelos seus comentários.


Paulo 23/07/2012minha estante
Ganhei em uma promoção e estou esperando. Não sei se vou gostar, mas parece uma boa pedida para relaxar.


Paloma Viricio 23/07/2012minha estante
È bem diferente dos tradicionais livros de auto ajuda. Eu adorei...espero que curta tbm.




Kamila.Rodrigues 16/09/2020

O livro é ótimo para quem se vê enfrentando conflitos internos. Com uma linguagem clara, a autora define a vergonha, a vulnerabilidade, a coragem e nos aponta caminhos para lidar com a autocobrança, com ideia de que precisamos ser perfeitos a todo momento.
comentários(0)comente



Dryh 09/05/2013

A arte da imperfeição
Você já imaginou quantas vezes sentiu vergonha?
Você sabe quem você realmente é? Ou é apenas quem as pessoas querem que seja?
Nesse livro, o leitor vai refletir sobre vários assuntos: vergonha, compaixão, amor, saúde mental e espiritual, perfeição, valor, descanso, paz, critica, fé, entre outros.
Quando eu comecei esse livro, pensei “por que estou lendo esse livro?” mas continuei lendo assim mesmo.
Me surpreendi, nunca pensei que alguém pudesse ter tanta razão em relação a um assunto.
Brené Brown é uma excelente escritora, ela até já apareceu no programa da Oprah *O*
Muitas vezes as pessoas são criticadas, e acabam achando que não são boas o suficientes, que são inúteis, que não tem o direito de ser feliz, mas a critica muitas vezes pode abrir os olhos, você percebe que apesar de estar sendo criticado, também está sendo elogiado.

“ Escrever nossa própria história pode ser difícil, mas não é tão duro quanto passar a vida fugindo dela.Aceitar nossas vulnerabilidades é arriscado, mas não é tão perigoso quanto desistir do amor, do pertencimento e da alegria, que por outro lado, são as experiências que nos deixam mais vulneráveis.Somente quando tivermos coragem suficientes para explorar a escuridão, descobriremos o poder infinito da nossa luz”
Página 25

Com palavras inteligentes e de efeitos muito grandes, Brené explica como muitas pessoas, e também como ela, conseguiram lidar com problemas sociais, e como ninguém, nunca poderá ser perfeito, jamais houvera alguém perfeito. A perfeição é impossível, todos nós erramos, pois somos humanos, para ser perfeito, não se pode errar. Nós todos precisamos aprender a viver sem nos importar com o que os outros dizem e pensam.
Precisamos pensar positivo:

[...]“Não importa o que eu faça ou deixe de fazer, eu sou suficiente.”
Página 19
Depois de anos estudando sentimentos e emoções, Brené percebeu que os nossos sentimentos são na maioria das vezes influenciados pela opinião das pessoas.
Brené explica que felicidade e alegria são diferentes, sermos felizes e alegres, demonstrarmos gratidão, ajuda nossa espiritualidade e também a alma.

“Dance como se ninguém estivesse vendo. Cante como se ninguém estivesse ouvindo. Ame como se você jamais tivesse se magoado e viva como se o céu fosse a Terra”
Página 159

Precisamos parar de agir como se fossemos inferiores ás outras pessoas. Precisamos confiar em nossos extintos e emoções.Precisamos pensar que somos suficiente bons.Precisamos ser a Arte da Imperfeição
comentários(0)comente



Yasmin 15/06/2012

É

Não vou ser hipócrita. Não vou fazer média. Quando vi que a Novo Conceito ia lançar "A Arte da Imperfeição" e enviar para os parceiros fiquei em uma situação confusa. Não é o tipo de livro que leio e não sabia o que esperar. Muito menos como resenhar. Já li um ou dois livros de autoajuda e crescimento pessoal, mas faz muito tempo. Brené Brown fala do perfeccionismo, da autocrítica e do estado psicológico que muitas de nossas ações nos levam. Teria sido interessante se a autora usasse menos termos técnicos.

Para começo de conversa sou uma pessoa extremamente perfeccionista, crítica e rigorosa. Sou chamada de insuportável e não suporto as coisas fora do lugar. E sendo sincera estou bem feliz assim. Talvez por esse motivo tenha sido complicado ler um livro que me diz que "não tem problema fazer as coisas errado". Confesso que posso exagerar, às vezes, cobrando demais das pessoas, mas daí a falar que esse comportamento perfeccionista é o "meu eu" querendo agradar ao mundo já é um pouco demais. Sou assim, sempre fui e vou morrer assim. É cansativo em alguns casos, mas se eu deixar de qualquer jeito, aquilo vai me atormentar até eu corrigir tudo. Por exemplo, aqui no blog é a mesma coisa. Gasto mais de quatro horas fazendo as postagens para que saia tudo do jeito exato e quando aconteceu de ficar diferente não sosseguei enquanto não refiz tudo.

A autora é pesquisadora e professora há dez anos e discorre sobre métodos de pesquisa, vida plena, harmonia, cobranças excessivas e o que fazer para relaxar. Como se livrar das cobranças, dos limites que impomos a nós mesmos e da tensão. Alguns exercícios que ela cita e recomenda são interessantes de fazer. Podem ser úteis nos dias de extremo cansaço e tensão. Uma parte interessante e que gostei de ler foi onde a autora fala das consequências dos atos de uma pessoa exigente e perfeccionista sobre outra pessoa. O problema maior não foi o tema e sim a escrita da autora. Termos técnicos demais e frases bonitinhas demais. Muitas passagens soaram artificiais. A parte que ela fala de onde e depois do que surgiu a ideia do livro ficou um pouco piegas. É um livro de duas medidas. Pode interessar-te durante algumas partes e te incomodar em todo o resto.

A edição da Novo Conceito é ótima, fonte agradável que facilita a leitura. O ritmo depende do seu interesse pelo assunto desenvolvido. Alguns capítulos foram rápidos, outros lentos e difíceis. É um assunto que recomendo para aqueles que vivem tentando agradar, tentando acertar e fazendo de tudo para corresponder ao que outra pessoa espera. E ainda para aqueles que já se pegaram fazendo algo só para atender ao desejo do outro, a expectativa alheia. Como ir a uma festa só para fulano ver, ou estudando a madrugada inteira só para esse e aquele saber. Para essas pessoas o livro pode ser muito útil. É isso. Não é exatamente a resenha mais brilhante, mas eu tentei e fui sincera. Não acreditei em algumas resenhas que li por ai, mas isso não vem ao caso. Até mais!

Leia outras resenhas em: http://cultivandoaleitura.blogspot.com/

comentários(0)comente



Thaís Cavalcante 11/07/2012

Resenha: A Arte da Imperfeição | Brené Brown
Ao receber este livro, fiquei um pouco receosa do que viria, pois como comentei na postagem anterior, não costumo ler livros de auto-ajuda. Não costumo porque simplesmente achava que este tipo de livro não tem nenhuma relação comigo. Mero engano...

Brené Brown é Ph.D., pesquisadora, escritora e professora universitária. Ela passou a última década estudando e pesquisando sobre vulnerabilidade, coragem, dignidade e vergonha. E são estes fatores e muitos outros que são citados em seu livro, não como um manual de "como ser feliz", ditando regras, mas explicando e esclarecendo-os de forma praticamente didática, que quando mal desenvolvidos e aplicados atrapalham a alegria, as conexões e principalmente, a Vida Plena.

O que é ter coragem? Compaixão? Sintonia? Autenticidade? Pertencimento? Autocompaixão? Ao observarmos estas palavras, parecem ser definições fáceis que encontramos em qualquer dicionário, mas para uma vida prática e plena a "coisa" é muito diferente do que parece ser. Como um pequeno exemplo, coragem é definida segundo Brené da seguinte forma: "nós a vemos quando alguém pede ajuda"; "na sala de aula, quando uma aluna levanta a mão e diz: 'Estou totalmente perdida. Não tenho ideia do que vocês estão falando'"; "Também enxergo coragem em mim mesma quando aceito o risco de ficar vulnerável e me desapontar.". Incrível, não é?

"Como essas histórias ilustram, coragem tem um efeito multiplicador. Toda vez que escolhemos a coragem, tornamos todos ao nosso redor um pouco melhores e o mundo um pouco mais corajoso. E bem que o mundo poderia se beneficiar de um pouco mais de gentileza e coragem."


Eu sinceramente consegui retirar diversos ensinamentos e consegui compreender coisas que faço diariamente que não contribuem para que eu seja uma pessoa melhor. Além disso, "A Arte da Imperfeição" contribuiu de forma significante para melhor compreensão em relação a acontecimentos na minha área de atuação, sendo uma profissional da educação. Às vezes é difícil relacionar-se com outra pessoa completamente diferente de você, mas existem fatores, como a compaixão e a sintonia, que vão contribuir para um relacionamento melhor, tanto consigo quanto com o outro.

Veja mais em: http://pronomeinterrogativo.blogspot.com.br/2012/07/resenha-arte-da-imperfeicao-brene-brown.html
comentários(0)comente



Ana Lara 22/09/2020

Livro muito importante pra quem busca formas melhores de viver e se relacionar, consigo mesmo e com o mundo. De forma profunda, sincera e didática a autora dá dicas e explicações de como viver uma vida plena.
comentários(0)comente



Míriam 12/06/2020

Um dia melhores livros da minha vida
Iniciei esse livro três vezes até dar conta de ler ele inteiro, porque às ideias que a Brené apresenta mexeram muito comigo, realmente mudaram minha vida.
Parece bem clichê, mas eu coloquei em prática o que ela fala e eu realmente comecei a ver minha vida mudar em termos de conexão com as pessoas!
Maravilhoso!
comentários(0)comente



Laísa 12/10/2020

Esclarecedor
"Escolher a autenticidade e o valor pessoal é um ato de absoluta resistência..." Breno Brown
comentários(0)comente



96 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7