Entre a Nobreza e o Crime

Entre a Nobreza e o Crime Jane Herman




Resenhas - Entre a Nobreza e o Crime


14 encontrados | exibindo 1 a 14


Glaucia 10/08/2012

Esse é um livro FANTÁSTICO que deixa o leitor com gosto de Quero MUITO MAIS
Ao começar a minha resenha, tenho que avisar que esse é um livro muito difícil de ser resenhado sem soltar spoiler. O livro tem quase 700 páginas e muitos acontecimentos no decorrer da leitura. Fica complicado para o leitor escrever sobre ele, sem contar alguns fatos.

Entre a nobreza e o crime é o tipo de livro que causa uma imensidade de sentimentos contraditórios nos leitores. Em determinados momentos você suspira com os protagonistas, em outros sente ódio mortal por suas atitudes, ao passar para outros capítulos sente pena, amor, medo e sofre com eles. A autora criou uma atmosfera tão complexa, plausível e palpável, enredando os seus leitores em sua trama, que é impossível não mergulhar de cabeça nela. O único fato inegável em tudo isso, é que mesmo com as personalidades forte e às vezes perversa dos protagonistas, o leitor acaba torcendo por eles. A coisa é tão bem feita, que deixa a impossibilidade de torcer contra o casal, mesmo a relação sendo perigosa, imoral e adultera.

A história foi postada na net como Fanfic, cativando muitos leitores nesse enredo tão fascinante. Muitos autores têm surgido nessa safra de fanfiqueiros e Jane fez um brilhante trabalho, postando seus capítulos periodicamente no Nyah, sem ajuda de uma beta, coisa que considero muito difícil.

Além da trama ser muito bem feita, com detalhes minuciosos nas cenas, a autora usa uma linguagem requintada e perfeccionista. Jane Herman conseguiu superar todas as minhas perspectivas e o livro entrou para a lista dos meus favoritos, antes mesmo de eu chegar à metade da leitura. Só para terem uma ideia do que falo, comecei a ler em uma sexta feira a noite e terminei na segunda. Fiquei três dias sem dormir, com dor de cabeça e exausta, mas ao chegar ao último capítulo, eu me senti triste e desesperada por mais. Se a autora fizesse um livro com 1500 páginas, eu não me importaria. Naquele momento, só queria que não acabasse e já me sentia em desespero pela possibilidade de esperar um segundo lançamento. Não é qualquer autor que consegue esse tipo de façanha depois de seiscentas e poucas páginas. Então tenho que dar salva de palmas para Jane e toda a sua perspicácia.

Irene Hargensen é a filha mais velha de um barão linha dura, autoritário, frio e ambicioso. Durante toda a sua vida viveu sobre o julgo do pai, sem amor nem mesmo da mãe e tendo como consolo o irmão Heinrich. Ao perder o irmão, brutalmente assassinado, Irene vê seu mundo desabando. O noivo Leonard e sua amiga Susan, tentam consolá-la nesse momento difícil, mas em seu coração existe uma grande dor pela perda e consciência pesada.

Tomada de ira, decide fazer justiça com as próprias mãos. Em sua busca pela vingança, Irene vai à procura de um mafioso, Viktor Morgan, para pedir ajuda. Sua intenção é encontrar e matar o assassino do irmão.

Viktor recebe aquela mulher altiva, de nariz empinado, tom arrogante e aparência ultrajada pela impaciência, propondo-lhe um trato: Ele a ajuda a matar o assassino do irmão e ela passa uma noite com ele.


A partir daí a trama toma um rumo delicioso. Irene nunca foi mulher de temer desafios e voltar atrás na palavra. Ela aceita o acordo com o mafioso e começa a trabalhar com ele, aprendendo o manuseio de armas, a fim de assassinar o algoz do seu amado irmão.

As coisas saem como planejado e Irene consegue o que deseja, mas é confrontada por uma terrível verdade na frente do mafioso, que descobre que a relação entre irmãos ia muito além do amor fraternal. Viktor fica furioso e se sentindo usado por ela. Decide então lhe dar a maior lição de sua vida.

A noite dos dois começa com toque de sedução e um prazeroso requinte de crueldade. Mas Viktor acaba cedendo àquela mulher encantadoramente devassa e altiva, desfrutando com ela a noite de sexo mais incrível do mundo.

A relação dos dois, que deveria acabar nesse encontro, avança por investidas dele, fazendo a intimidade entre os dois crescer pouco a pouco. E Irene, mesmo com sua arrogância e humor negro, acaba cedendo aos encantos do mafioso e desfrutando de momentos deliciosos em sua cama. Já Viktor, deixa os negócios, a esposa Daria e a amante Raven em segundo plano, para ter o prazer de desfrutar de mais momentos apaixonantes com sua Irina.

Na relação dos dois existe um jogo de poder sensual. Ele deixa claro quem manda, mas ela o desafia, usando sua máscara de crueldade e sarcasmo. Mesmo assim Viktor consegue, na maioria das vezes, dominar nesse jogo de sedução. Mas as coisas começam a mudar quando o noivo Leonard volta da África e Irene deixa claro que ele é sua prioridade e que Viktor não significa nada. Os dois acabam rompendo a relação e sofrendo muito com isso, mesmo que não deem o braço a torcer, fica claro que existe uma ligação forte.

Quando são confrontados novamente, Irene percebe seus verdadeiros sentimentos por ele e decide romper o noivado. Para acabar com a relação com Leonard, por quem sente gratidão e respeito, mais uma vez precisa usar sua velha máscara de crueldade e feri-lo sem seu intimo.
Ela também precisa enfrentar o pai Bernard, que necessita do apoio o seu sogro para chegar a primeiro ministro da Inglaterra. O pai que sempre usou a filha, acha que ela cederá mais uma vez, deixando ser um joguete nesse jogo de poder. Porém Irene se mostra obstinada e rompe com a família.

Depois de uma breve viagem com seus amigos Jesse e Susan, para avaliar os sentimentos, Irene percebe que não pode mais viver longe de Viktor e vai direto ao seu encontro. Ele coloca suas condições e ela aceita. A partir daí, passa a ser oficialmente amante do maior criminoso do país, sendo alvo dos comentários da sociedade e investigada pela polícia.

Viktor dá para Irene uma enorme e luxuosa casa, cerca-a de seguranças e deixa claro, inclusive para sua esposa e para o sogro - chefe da organização, que ela é sua amante e que pretende mantê-la.

A relação entre Viktor e Irene é apaixonada, apaixonante e deliciosa. Somente ela consegue tirá-lo do sério, com palavras ácidas e maldosas quando quer algo ou está com raiva, usando um humor negro que é único. Ele tenta mostrar quem manda, mas no final acaba cedendo aos seus desejos. Os dois são perfeitos juntos e de certa forma cuidam um do outro. A autora mostra em várias passagens que nos momentos mais difíceis e delicados para Viktor, é Irene quem o consola e o ajuda a superar a dor, frustração e a raiva. Ele tem um cuidado ao extremo com ela, temendo pela sua vida, sua saúde e o bem estar. Temos cenas tão fofas que chegam a deixar o coração apertado e emocionado.

Ao mesmo tempo em que Irene é a salvação de Viktor, também é a sua perdição. Por causa dela ele desafia o sofro e retira os investimentos para apoiar a candidatura do seu pai. No final das contas, mesmo ele sendo o dominante, ela consegue o que quer dele quando o tem em sua cama.

Quero deixar claro que Viktor é um herói e ao mesmo tempo um anti-herói da história. Ele é um assassino, mafioso, adultero, cafetão e tudo o que um bandido pode ser. Às vezes fiquei com raiva de suas atitudes e até com um pouco de medo. Senti raiva pela forma como tratou Irene nos momentos de ciúmes e a humilhou com palavras depreciativas. O seu temperamento explosivo o leva a algumas atitudes extremas. Mas quando digo que ele é o herói é porque apesar de seus defeitos, Viktor é leal, na medida do possível, com quem é leal com ele. Cuida da família, dos empregados, de Irene e sempre diz que tem a consciência tranquila por não ter derramado sangue inocente. Ao ler sobre sua personalidade e atos, o leitor fica entre o amor e o ódio, tropeçando na corda bamba. Mas ao final dela, mesmo com os defeitos, torna-se impossível não amar e torcer por ele.

Irene é arrogante ao extremo, debochada, irritante, altiva, prepotente e suas palavras têm o poder de ferir. Ao longo do livro somos apresentados a sua vida, desde a infância, e conseguimos entender sua personalidade e os seus defeitos. No decorrer da leitura Irene muda bastante e torna-se menos egoísta. Por mais que ela tenha aprendido a ser dura com a vida, Viktor mostra as coisas de outra perspectiva. Assim ela passa a respeita mais as pessoas, principalmente os empregados, demonstrando que não é tão dura quanto parece ser. E em sua relação com Viktor, percebemos o cuidado e a sua preocupação com ele. Você já ouviu que cada um tem a sua tampa da panela? Essa é uma expressão muito velha, mas eu diria que se encaixa perfeitamente com Viktor e Irene. Eles são perfeitos e se completam. Um acaba compensando o déficit do outro em alguma coisa, balanceando a relação e o temperamento de ambos.

Também quero destacar que a narrativa é super sensual, sem ser vulgar. A autora consegue criar cenas hots no limite certo para a história, deixando-a ainda mais interessante e intrigante. Mas ela não usa de artifícios eróticos e vulgares de alguns livros hots. As cenas são ponderadas na medida certa, deixando o leitor satisfeito com o resultado final.

Entre a nobreza e o Crime é um livro cheio de facetas que o leitor simplesmente acaba se entregando a leitura. Esse foi o melhor livro que li esse ano, sem dúvida. Olha que já li muitos livros, mas continuo com gosto de quero mais e mesmo parecendo uma bíblia, de tão grosso. Às vezes pego e leio alguma passagem dele. Então posso dizer que é simplesmente INCRÍVEL e que é uma leitura SUPER recomendada.

Esperarei, roendo as unhas, até o lançamento do segundo livro. E espero, sinceramente, que a autora não demore. Já estou ansiosa demais nesse momento.

Espero realmente que goste! Em agosto teremos sorteio aqui no Mix.

Bjs no core
Semiramis 14/08/2012minha estante
Moça, sua resenha me transportou novamente para essa história maravilhosa.
E tb estou com vc, roendo as unhas enquanto o volume novo não chega,kkkk
bjo


Glaucia 14/08/2012minha estante
Semiramis Esse livro foi o melhor que li esse ano. Ainda estou me roendo de curiosidade por mais. Espero que o segundo não demore para sair.
bjs no core


Andreia 05/01/2013minha estante
Adorei sua resenha e fiquei louca para ler o livro.


Andreia 05/01/2013minha estante
Adorei sua resenha e fiquei louca para ler o livro.


wcatia 04/12/2017minha estante
A segunda temporada saiu? pois "procuro" na net e não aparece nada.




Fernanda 27/05/2014

Cansaço mental e enriquecimento linguístico .
Acho tão difícil posicionar-me com um livro que me deixa IMPACTADA em vários sentidos .E ainda mais , quando a autora do mesmo é uma iniciante, por sinal ótima autora. Tenho medo de falar demais e magoar, ou não saber extravasar minhas impressões. Mas vamos lá.
ENTRE A NOBREZA E O CRIME.
Eu fiquei dividida, e acho que esse é aquele tipo de livro que ou você ama ou odeia. Não existe meio termo.
A historia é muito bacana, e esse é aquele tipo de trama que esta cheia de argumentos, não tem nada de vazio.
Mas encontrei alguns pontos que poderiam ser melhorados. Como por exemplo, erros de edição, coisas simples, mas que desconcentra quem esta lendo( erros na adaptação de nomes como a da madrasta de Dália, ausência de letras maiúsculas). Achei as letras do texto pequenas e as folhas fininhas, algumas acabaram amassadas sem querer; e de MODO ALGUM ISSO É CULPA DA AUTORA e sim da editora Lio.
A trama é bem pesada.
Irene; ressentida com a morte do irmão, busca vingança através do mafioso Victor,oferecendo seu corpo como pagamento.
Na primeira cena intima do casal, quando o mafioso desliza o cano de uma taurus(arma) na intimidade da garota, eu fiquei CHOCADA e demorei a processar..eu sou bobinha assim mesmo..kkkkkkkkk
E outro aspecto que me espantou foi o lance do incesto. Seu eu tivesse encontrado essa pista na sinopse, talvez não tivesse comprado o livro. Nada contra, más acho sinistro.
E por fim, cenas gráficas com muita violência, estrupo assassinato com descrição explicita. Eu uso um livro como método de lazer e descanso , e esse me proporcionou cansaço .Por que eu lia e ficava em estado de alerta, arrepiava-me toda.
Eu gosto de livro bem dosado,equilibrado.E assim como na vida real, existem pessoas boas, outras nem tanto. Algumas são sacanas ,bandidas e outras vivem para fazer o bem..Num livro eu espero algo assim ou parecido, e nesse parece que só o mal prevalece.
O romance não parece bem um romance, por que o amor, carinho e afeto estão ausentes. Achei mecânico, programado ..
Da parte do mafioso Viktor eu compreendi como obsessão, capricho e luxuria para estabelecer a milady do seu lado chocando a sociedade ..E Irene, essa nem sei se nutri sentimentos exceto pelo seu gatinho de estimação, seu pai e o falecido irmão, uma vez que ela nem demostra amor para com a própria mãe..Com o senhor Morgan, eu penso que ela alimenta a esperança de manter-se longe do planos do proprio pai, e manter sua paixão carnal bem abastecida. Mas não acredito que exista amor entre o casal.
Gostaria também de FORNCER OS PONTOS POSITIVOS.
A autora é bastante inteligente, muito bem dotada e isso é visível na primeira linha.
O vocabulário é rico em palavras, acredito que esse é um grande aspecto para nós leitores. É um livro rico em informações e cultura, aristocracia, mundo da máfia, também aquela coisa de politica e métodos que usam laranjas para maquiar situações que beneficiam a prole corrupta. Essa parte a autora mandou muito bem. Escreveu e descreveu com maestria.
Entre a nobreza e o crime, tem estilo próprio e tem muito a oferecer para pessoas que buscam algo mais forte .
Deixo uma dica para que tenham uma leitura mais ampla, seria interessante um dicionário do lado. Pois muitas palavras são difíceis e pouco comuns. E por fim, disponham de tempo porque o livro é bemmmmmmmm grande.
Até hoje essa foi à resenha que mais encontrei dificuldade para descrever. Não cai de amores pelo livro, mas tenho de reconhecer que a autora sabe muito bem o que faz. E tem vocação para a escrita. Embora, eu penso que sua praia seja historias de domínio policial, suspense investigativo e politico ao invés de romance como esse foi sugerido .
Tícia 28/05/2014minha estante
Sério? "Letras do texto pequenas e as folhas fininhas" sendo que o livro tem 3 palmos de espessura? Então, vou terminar de ler em 2019!
Realmente não tenho nem ideia se vou gostar ou não desta história, embora eu tenha a impressão que vou ficar no grupo "não gostei e tenho dito" pq tb uso os livros como lazer e diversão. E livro tenso, me deixa com nervos escangalhados.
Mas só lendo pra saber, né?

Muito boa a resenha, bem elucidativa. ;)


Tícia 28/05/2014minha estante
Sério? "Letras do texto pequenas e as folhas fininhas" sendo que o livro tem 3 palmos de espessura? Então, vou terminar de ler em 2019!
Realmente não tenho nem ideia se vou gostar ou não desta história, embora eu tenha a impressão que vou ficar no grupo "não gostei e tenho dito" pq tb uso os livros como lazer e diversão. E livro tenso, me deixa com nervos escangalhados.
Mas só lendo pra saber, né?

Muito boa a resenha, bem elucidativa. ;)


Fernanda 28/05/2014minha estante
Obrigada Ticia,um elogio vindo de vc , é muito bom.

Acho que esse tipo de leitura não é pra qualquer pessoa,e infelizmente ele não se enquadra no meu estilo.
E como vc disse,folhas fininhas e letras pequenas tornam a leitura uma viagem lonnnnnnnnnnnnnnnnnnga

Não quis colocar no corpo da resenha, justamente para não oferecer spoiler.mas a parte que me fez desanimar com esse livro,foi logo no inicio quando dois personagens fumam maconha na folha da Bíblia da sagrada. Eu sei que é ficção, mas acho no mínimo uma falta de respeito.


Fernanda 02/06/2014minha estante
E acabo de descobrir que a AUTORA NÃO VAI MAIS PUBLICAR A SEGUNDA TEMPORADA,como assim?
não se faz isso com os leitores?Falta de respeito e compromisso.
Agora sim desgostei com o resto


Sueli 02/06/2014minha estante
Ih, Fernanda, mas pelo menos o livro tem um final, ou é daquele tipo que a história do casal ainda fica em aberto?
Eu comprei esse livro, mas se não houver continuidade, nem vou começar a ler...
Bjks


Fernanda 02/06/2014minha estante
A historia não teve fim,na primeira temporada e ao que tudo indica, não saberemos o desfecho entre a Milady e o mafioso.A autora desistiu
Irresponsabilidade.




Semiramis 21/07/2012

Fico me coçando querendo saber o que Viktor vai aprontar mais pra frente,rsrs
Sim meus queridos, acreditem, depois de mais de 600 páginas ainda tem muita coisa pra contar!
Algums mistérios precisam ser solucionados e pontas solta precisam ser atadas, e fico me perguntando como será o desenrolar dos fatos.
Amei essa história, não é um livro "romântico" ao estilo que estamos acostumadas, mas o amor está lá. Mesmo que muitas vezes de forma vil e cruel. Penso que foi um livro muito bem explorado no foco das fraquezas humanas e no lado torpe e escuro que habita em algum grau a todos nós.

Super recomendado!!!
Flaveth 21/07/2012minha estante
Meus books do céu!

Esse livro é o meu queridinho!! Depois que li ele fiquei com problema em traí-lo. Explico: Nenhum outro livro me preencheu tanto, me deu tanto amor e foi pro top dos queridos tão rapido quanto esse, daí estou com serias dificuldades em ler outros que eu ache tão bom assim!!!!
5 estrelas é pouco.
Que venha EANEOC II !


Karol 24/12/2012minha estante
Vcs sabem qdo saira o II?




Juliana Vicente 29/08/2012

http://asmeninasqueleemlivros.blogspot.com.br/2012/08/entre-nobreza-e-o-crime-jane-herman.html
Entre a nobreza e o Crime é um romance diferente, aqui não temos mocinhos e bandidos ou o bem lutando contra o mal. Nesse livro encontramos personagens reais que carregam uma bagagem gigante de coisas boas e ruins, sendo que para alguns a bagagem de maldades é enorme.

Irene é filha de nobres ingleses, é a melhor amiga da neta da Rainha da Inglaterra. Foi preparada desde o berço para ocupar sua posição na sociedade, ela é esnobe, irritante, mandona, e não mede limites para conseguir o que deseja. Sua relação famíliar é conturbada e cheia de segredos, a única pessoa a quem ama de verdade e mantém uma relação longe de ser saudável é com seu irmão mais novo, Heinrich, que é a razão de Irene entrar no obscuro mundo da Máfia Russa através de seu relacionamento com Viktor Morgan. Durante a leitura eu não consegui me identificar em nada com Irene, a personagem é tão pedante que é impossível gostar dela, suas atitudes para com os outros me fizeram detesta-lá, mas felizmente a autora consegue nos prender e mostrar os motivos por trás do comportamento de Irene e quase ao final do livro, consegui sentir um pouco de simpatia por ela, ainda que continue não sendo minha personagem favorita.

Viktor é o oposto do que se espera de um mocinho, na verdade ele não poderia estar mais distante de ser bom. É casado com a única filha do chefe da máfia Russa e comanda toda a operação da organização na Inglaterra, é responsável por tudo que envolve o negócio, desde de distribuir drogas até traficar pessoas. Agora você me fala como um livro que possui personagens como esses pode dar certo?, e eu te digo que dá certo de verdade. Jane Herman, a autora, criou personagens tão reais e descrições tão exatas do estilo de vida de ambos que dá para pensar que ela vivenciou algo parecido. Ainda que eu não tenha me identificado com Irene, não posso dizer o mesmo a respeito de Viktor, que é cativante e envolvente, mesmo que em alguns momentos seja assustador vê-lo em seu papel de mafioso. Ele se entrega ao relacionamento muito antes que Irene e acompanhar a derrocada dele em direção ao amor é um prazer.

O livro é composto de muito mais que a relação de Irene e Viktor, os dramas familiares de ambos são parte constante da história, ainda que Irene seja bem mais problemática que Viktor. As cenas hots são abundantes durante o decorrer da história, mais um ponto positivo para nos manter envolvido, nada de falsos pudores e modéstia em nenhum momento.

Acredito que a continuação será ainda melhor que esse primeiro volume. Irene está começando a perceber que o passado pode ficar para trás e sua personalidade está bem diferente de quando a conheci (olha a intimidade), e Viktor tem planos que espero que se concretize em breve.

Um livro muito bem escrito, com personagens longe de serem perfeitos, mas que acabam cativando e nos tornando prisioneiros de seus dramas. Não sei se o estilo irá agradar a todos, não é todo mundo que gosta de ver o lado escuro da força, se é que posso falar assim.

Eu gostei muito de alguns personagens secundários, outros eu dispensaria sem dó nenhuma. Susan, melhor amiga de Irene, está entre os meus favoritos, me diverti muito com ela e seu amor por compras. Os pais de Viktor também são adoráveis, diferente dos pais de Irene, se amam de verdade.

Mais um livro brasileiro bem escrito, tenho o maior orgulho de dizer isso, que merece ser lido e divulgado.
comentários(0)comente



LuUH 14/06/2013

Peso no peito
Repugnante!!! Todos (98%) personagens são extremamente maldosos do tipo asqueroso, sem escrúpulos...acho q a moral da história deve ser que não importa de que classe você pertença (rico ou pobre, da nobreza ou da máfia) todos podem agir como animais para alcançar seus objetivos, e no meio disso tudo, inacreditavelmente, acontece um romance entre pessoas de classes diferentes (previsível? Sim. Só não vi um motivo real, simplesmente acontece.Bum!). Como se o amor pudesse acontecer no meio de tanta maldade...só no começo da história, dois personagens fumam maconha na folha da Bíblia '-' (sem necessidade, né? não precisa nem dizer...)Eu só li pois era uma fanfic de crepúsculo, mas da pág. 180 eu não continuo a ler =/ Me sinto mal lendo isso...
Fernanda 27/05/2014minha estante
faço minhas as suas palavras




LUA 11/03/2013

Caústico.
Desafio super desafiante - Livro Nacional.
Irene Hargensen é uma típica "patricinha" inglesa.Criada em uma família e uma sociedade vil ,com onde o pai é um barão com aspirações politícas sem escrúpulos e ardiloso. Irene é rude, prepotente e eesnobe Seu único ato de generosidade é tentar "ajudar" o irmão Heinrich a se livrar dos problemas em que vive se metendo.
Viktor Morgan é o 02 da máfia russa que comanda toda a distribuição de drogas, armas e prostituição da Inglaterra. É genro de Ivanov, o grande chefão. Viktor é impedioso, mau, dominador, adúltero.
Suas vidas se entrelaçam quando Henrich é encontrado morto. Sendo a única pessoa por quem Irene tem algum tipo de afeto, Ela decide se vingar de quem cometeu o crime e vai a procura de Morgan oferecendo o que ele quiser em troca do nome do assassino, Viktor concorda mas exige que ela passe uma noite com ele em troca.Será que apenas uma noite será suficiente?

Minhas impressões:
O ínício é um pouco arrastado,mas depois do "encontro", a leitura toma fõlego e é impossível não ficar esperando as surpresas que o livro reserva.

A história foge do estereótipo romancenzinho, mocinha água de xuxu, mocinho mandão como estamos vendo por aí tão em voga.(sim, é uma crítica a 50 tons e afins).

É uma história densa que em muitas partes choca. Não há mocinhos porque na verdade nenhum dos dois é "gente boa", mas no decorrer do livro me vi torcendo pelos dois e até "entendendo" mas não concordando com as razões deles. Na verdade "Irina" e o Sr Morgan são dois dominadores e a luta para ver quem tem mais poder sobre o outro dita o curso do livro,tendo como pano de fundo a prostituição, pedofilia, incesto e tudo aquilo relacionado ao submundo do crime.

Tem cenas "hot" muito bem escritas, onde a mensagem subliminar consegue passar a emoção sem a necessidade de termos xulos.

O livro tem uma linguagem primorosa, com um uso correto do português tão bonito que nós temos e muito diferente dessas traduções grotescas que temos lido por aí. Não concordo com quem achou que o linguajar está difícil, é muito mais poético usar ósculo do que beijo, o livro é nacional e as palavras estão muito bem empregadas.

Com relação a autora, com toda a trama que Jane Herman criou, ela não deve nada as "divas" Diana Palmer,Judith Mcnaught, Kathleen E. Woodiwiss entre outras que criam "mocinhos" que detestamos amar. O diferencial de Jane Herman é que a história que ela criou te envolve, mexe com seus sentidos e em nenhum momento a escrita decaí, apesar do livro ter quase 700 páginas, todo capítulo é um desenrolar da trama, um fato novo. É um orgulho te-la no rol de autoras nacionais contemporâneas.

Sobre a edição, eu achei primorosa, o único senão foram duas falhas de revisão e o logo tipo da editora em tamanho garrafal na capa do livro, quase tão grande quanto o nome da autora. Fora isso, a capa é linda. as páginas são amareladas com uma fonte de bom tamanho.Um belo trabalho para uma editora "pequena".
No balanço geral, eu amei o livro e aguardo ansiosa sua continuação. Espero que a autora tenha muito sucesso e que logo possamos ver Entre a Nobreza e o Crime nas prateleiras das principais livrarias nacionais e quicá até internacionais.Quem sabe poderia ser filme, já que está na "moda" filmarem livros.
P.s: Dizem por aí que o livro começou como uma "fanfic" de Crepúsculo. Esqueçam! o livro não tem nada a ver com aqueles personagens.

Livro lido pelo grupo "livros viajantes do Skoob". Cortesia da própria Jane Herman, com moderação da Rô Bernas.
Flávia 15/03/2013minha estante
Um livro sem mocinhos deve ser ótimo! Mas, já não sei se um linguajar o tempo todo tão rebuscado consegue transmitir empatia e identificação com o leitor.

Beijos


LUA 15/03/2013minha estante
Flávia,
o linguajar não é o tempo todo rebuscado, mas em determinados pontos, ela lança um ósculo, um vilipendiar, uma palavra ou outra mais rebuscada,mas é assim que se enriquece um vocabulário não? ler também não é aprender?


Flávia 15/03/2013minha estante
Ah, sim! Com certeza!! Achei que fosse o tempo todo...


soniacarmo 10/04/2013minha estante
É muito bom quando temos um livro nacional equivalente a autores estrangeiros. Não conhecia a estória.


Hannah 30/05/2013minha estante
Olá Lua!

Adorei a resenha!! Não sabia q tinha começado como uma fanfic de Crecuspulo.... bem,se começou a autora deu uma guinada e ficou ótimo! Nada a ver com os vampiros brilhantes, kkkk

Flávia, pode tomar folego e ler. O livro é muito bem escrito e o linguajar rebuscado não atrapalha não. É como a Lua falou dá uma certa fluidez e embeleza o texto :)



Belle 07/10/2015minha estante
Eu acompanhei a fanfic desde o início. Tenho o livro desde a publicação mas ainda não o li pq queria me "despoluir" da fanfic. Espero ler até o fim desse ano. E ainda espero pela continuação, mas, a Jane parou de escrever até a fanfic... Ela disse que não seu bem como autora publicada, rs.


LUA 26/05/2016minha estante
Belle uma pena, eu queria tanto a continuação desse livro. A história tinha tanto potencial.
não que o fim desse seja ruim, mas eu queria mais.
bjs




Leninha Sempre Romântica 20/08/2012

Nesse momento único da literatura nacional e no frisson de livros eróticos bombando pela blogosfera literária, posso afirmar que pela primeira vez, li um livro realmente ERÓTICO, na dose certa e escrito sob medida.
Foi complicado começar essa resenha até por que EANEOC é um livro difícil de classificar. Ao adentrar em suas páginas eu não estava preparada para nada do que me foi apresentado, numa leitura que nos remete em um mar de emoções contraditórias, onde amor e ódio compartilham uma linha tênue.

Viktor Morgan é um mocinho nada convencional, para começo de conversa ele é um mafioso, o número 2 na máfia Russa, casado, traficante de drogas e chefe de uma rede de prostituição. Isso mesmo, nosso mocinho não passa de um bandidão perigoso e temido, porém não tem como não se apaixonar por ele e sua Taurus...

Irene também não é nenhum anjo. Filha de um barão e integrante de uma das mais respeitadas famílias da Inglaterra, ela é mimada, imperiosa, intocável, mas acima de tudo se acha superior a todo e qualquer indivíduo. Um personagem que a princípio nos choca com sua arrogância e um passado que não é nenhum conto de fadas.

Então o que esperar da leitura de um livro onde esses dois personagens distintos se encontram?!
- Fogo, paixão, sexo, perversões, traição e muito, mas muito mais.

Irene conhece Viktor quando vai procurá-lo para pedir um favor, mas notem, não é um favor qualquer, ela quer encontrar o assassino de seu irmão para se vingar. Ela acredita que Viktor não só pode ajudá-la como também conseguir que ela se vingue sem deixar pistas, e assim acontece. Mas Viktor vai cobrar um preço alto para realizar os desejos da aristocrata, e de uma coisa ele tem certeza, irá desfrutar cada minuto de sua recompensa.
Começa aí um relacionamento perigoso entre dois personagens marcantes e únicos, num jogo de interesses que perdura durante toda a leitura.

Irene vai aos poucos conhecendo Viktor como nenhuma outra pessoa jamais conheceu, mas ela continua sendo um mistério para ele, com uma vida repleta de segredos mascarados por trás de uma imagem social impecável.

No livro nos deparamos com a guerra entre a máfia, prostituição, pedofilia, adultério, tráfico de mulheres e drogas, personagens nebulosos e que causam repulsa, mas descritos com charme e maestria numa escrita primorosa e sucinta.

Não esperem um romance com floreios e declarações de amor, Irene e Viktor são fogo e paixão arrebatadores, eles se maltratam ao mesmo tempo em que se devoram... Sexo, fetiches, traições, sofrimento e muito mais num livro que encanta e ao mesmo tempo choca o leitor.

Uma das coisas que mais gostei na escrita da autora é que ela consegue escrever uma trama repleta de subtemas coerentes ao longo da narrativa, sem perder em nenhum momento o fio condutor. Vale salientar que ela os desenvolve rapidamente, sem enrolações, tornando a leitura dinâmica, rápida e que apesar do número de páginas, prende do início ao fim.
Encontrei alguns errinhos durante a leitura, mas acredito que eles são insignificantes em se contando o tamanho do livro.

Jane Herman me laçou e me prendeu com sua escrita e já me tornei sua fã. Minha vontade era de ter em mãos a sequência de EANEOC, para desvendar os mistérios não solucionados e que ficaram em aberto. Com certeza o segundo livro da série promete grandes surpresas e novamente fortes emoções.

Um universo de glamour, jogos de poder, mocinhos nada convencionais, bandidos apaixonantes... Não tem como não se apaixonar e por vezes se arrepiar com cenas para lá de picantes e calientes.
Prepare seu coração, não se assuste com o número de páginas (672), entre com a mente aberta na leitura e deixe-se levar por esse livro incrível que com certeza merece ser lido e apreciado em pequenas doses.

Super recomendo!
comentários(0)comente



Flaveth 09/01/2013

LEITURA IMPERDIVÉL PRA QUEM QUER SAIR DO NICHO ‘AGUA COM AÇUCAR’
Snifff acabou!!! E, agora, fica o vazio... pois, por 4 dias Viktor e Irene se fizeram presente nos meus sonhos, nos meus pensamentos, nas minhas jantas e até no banho. Uma leitura, por vezes, incomoda pela verdade crua que nos é apresentada, mas por vezes também deliciosa, quando nos é descrito de forma tão apaixonada, o nascimento e amadurecimento de um amor improvável. O livro não é perfeito, claro, entretanto, alguns erros gráficos (poucos se levarmos em consideração o tamanho do livro) e, às vezes, a impressão de que o texto está incompleto (ou era eu que estava lenta?), de maneira nenhuma tiraram o brilhantismo do livro ou me fizeram deixar de lado a viciante historia e narrativa desta jovem autora nacional.

Sabe o que é engraçado? É que não foi uma surpresa pra mim, não sei explicar como isso aconteceu..... só que ACONTECEU. É como se fosse paixão à primeira vista, sabe? Uma paixão que se transformou em amor, conforme a leitura fora fluindo exatamente como a Historia de amor do casal....Um livro inesquecível....daqueles que te fazem pensar, meditar, sonhar, um livro para ler e reler .... Ainda bem que não é um adeus e sim, um até breve, pois o segundo já esta sendo escrito e será lançado em 2013." Nota: 5
Tícia 09/01/2013minha estante
Flá!
como eu te disse, é um livro tenso que eu, normalmente, evitaria.
Mas vc realmente abriu minha cabeça e me convenceu.
E pelo visto, se eu não tiver um ataque agora lendo esse, terei lendo a continuação! kkkkkkk
Ótima resenha!
Que venham mais um monte!!!!!!!!!


Flaveth 09/01/2013minha estante
Tícia, sua linda

Como vc, uma amante da literatura, poderia deixar de fora um livrão desse? NUNCA!

Ja to ate vendo eu rindo da sua resenha, de tão caricata que tu és!

Sabe que sou tua fã neh?

bj


Tícia 09/01/2013minha estante
Depois desse seu resenhão aí, eu virei fiote! kkkkk

Mas é como sempre te digo: vc é uma escritora nata que não quer ser escritora. Resolvo isso é na dentada!!!!

PoiZé, mas agora que eu ganhei ele de presente (ham-ham), eu vou ler.
E provavelmente vou escrever uma besteirada danada mesmo! kkkkkkkkkk

Que venha Entre a nobreza e o crime!




Jaqueline 10/07/2013

Eu pensei muito antes de escrever essa resenha. Confesso que cheguei ao final da leitura de “Entre a Nobreza e o Crime” sem uma conclusão clara sobre o livro, ainda que ele tenha seus méritos. (Muitos) meses atrás, recebi o livro como parte do Projeto Estante Brasileira. Comecei a ler, cheguei à página 101 e acabei parando porque simplesmente não conseguia mais acompanhar a história e seus personagens. Retomei a leitura e não me arrependi, ainda que minha jornada com esse livro tenha tido muitos altos e baixos.

“Entre a Nobreza e o Crime” é o primeiro volume de uma série escrita por uma autora brasileira que assina com o pseudônimo Jane Herman. Irene Hargensen, a protagonista da história, é filha de um barão inglês. Criada em berço de ouro, sua história de “pobre menina rica” gira em torno de um drama que envolve seu irmão Heinrich, a única pessoa que ela realmente amou na vida. Dominadora e mesquinha, ela exala luxo, poder e riqueza, ignorando reprimendas e manipulando a vontade dos outros a seu bel-prazer.

Em busca de vingança, ela procura Viktor Morgan, um mafioso sedutor e de conduta duvidosa que não mede esforços para conquistar tudo o que deseja. Genro do grande chefão da Máfia russa, ele age como se os fins justificassem quaisquer meios, deixando escrúpulos e pudores pelo caminho. O preço da ajuda de Viktor entra em choque com a nobre criação de Irene, mas funciona como porta de entrada para uma história de paixão, crime e vingança que não deixa de ser muito envolvente.

Se depois de ler o meu pequeno resumo do livro você está pensando em romances eróticos do calibre de “Toda Sua” ou “50 Tons de Cinza”, pare já com isso! EANEOC é uma obra que chama a atenção do leitor mais pelas controvérsias que traz em sua trama que por suas cenas de sexo. Incesto, estupro, drogas, violência, jogos de poder, assassinatos e muitos crimes recheiam as páginas do livro, e por isso deixo aqui o aviso de que esta não é uma leitura para qualquer pessoa.

Sobre os personagens do livro, eu primeiramente gostaria de dizer que ainda não consigo entender como existe gente que considera sexy um personagem como Viktor Morgan. Envolvido com tráfico internacional de mulheres e armas, lavagem de dinheiro e mais uma enorme lista de crimes, ele age como se suas ações não afetassem a vida de mais ninguém; como se pessoas não fossem mais do que meros objetos. Ainda que ele seja um criminoso “carismático”, agindo com benevolência com certas pessoas, eu não consegui superar a forma como ele ignora (ou simplesmente não se importa com) as consequências dos seus atos. Adúltero, bruto e de temperamento explosivo, ele tenta o tempo todo mostrar a Irene quem é que manda no relacionamento dos dois, levando-o a protagonizar cenas de profunda humilhação tanto para sua amante como para sua esposa.

Irene e Viktor são insensíveis e egocêntricos - até mesmo por isso, eles se merecem. Deu-me certa pena perceber como Irene realmente acredita ser melhor e mais altiva que o resto do mundo, mas acredito que a impressão final dos protagonistas passa mais pelo ódio do que pela pena.

As cenas sensuais do livro me pareceram extremamente frias e assépticas, sem envolvimento emocional ou aquele “clima” de sedução que nos deixa com a respiração alterada. A verdade é Irene e Viktor vivem isolados em bolhas pessoais, não conseguindo enxergar nada além de suas próprias vontades e desejos.

Não posso negar que a história criada por Jane Herman (originalmente criada como uma fanfic da série “Crepúsculo” – tremei!) é bem amarrada e tem um bom desenvolvimento. A narrativa em terceira pessoa funciona muito bem, ainda que a autora escorregue no pedantismo com o uso de palavras extremamente formais e antiquadas em diversos momentos. Não quero que vejam nessa crítica uma defesa da informalidade ou uma punhalada na escrita formal, que isso fique BEM CLARO, mas não posso ignorar o quão maçante foi encarar termos como “ósculos”, “apologético”, “imiscuir” e “orbes” em um livro de quase 700 páginas com uma trama contemporânea. Eu NÃO VEJO a eloquência linguística ou cultural como algo negativo em um livro, tanto que gostei bastante das referências a autores das áreas de Psicologia, Filosofia e Política. Porém, a meu ver, o uso de termos tão rebuscados não funcionou aqui, tirando um bocado do meu prazer com a leitura.

Abordando temas polêmicos e incômodos de forma bastante crua, a trama contém doses de suspense que cativam o leitor. “Entre a Nobreza e o Crime” é um livro que passa longe de estilo “água com açúcar” e, ainda que não tenha me agradado plenamente, é uma leitura positivamente surpreendente para quem ainda tem preconceito com autores nacionais. Leia já e forme sua própria opinião sobre este controverso romance.

Até a próxima!


>>Resenha publicada no site www.up-brasil.com
Deny 26/07/2013minha estante
Nossa! Eu já estava ficando preocupada com a quantidade de 5 estrelas que alguns deram para este livro. O livro é perturbador, admito, tem o sua trama bem amarada, mas não consegui me identificar com nenhum personagem. É violento, os personagens são egoístas, sem escrúpulos... Entendo a necessidade de vingança da personagem, mas tudo tem um custo, e este livro me deu aquela maldita sensação de que as coisas vis e erradas podem ser "interessantes" dentro de um livro! A fala sério!!!


Fernanda 27/05/2014minha estante
Jaqueline,eu encontrei muito do que vc disse nesse livro.E honestamente não compreendo o por que de 5 estrelas.Espero que a autora não fique chateada com a minha resenha




Sol 12/01/2013

Por que ler EANEOC?
Surpreendente, este seria o termo mais indicado, ao se falar de Entre a Nobreza e o Crime.

Jane, mostra os bastidores da vida aristocrática e criminosa por meio de seus personagens principais. Os dramas, muitas vezes psicológicos, assim como as atitudes de poder e dominação.

Irene Hargensen é uma personagem que foge de todas as características tipicas dos protagonistas, assim como Viktor Morgan. O romance entre ambos, por vezes, toma atitudes brutais. O que não retira do leitor a vontade de "devorar" rapidamente as páginas ( o que acontece, muito rapidamente).

No entanto, EANEOC não seria o livro mais indicado a garotinhas totalmente puritanas ou a pessoas que prezem totalmente alguns conceitos sociais (fortemente pregados). Temas como incesto, sexo e até mesmo utilização de substâncias ilícitas permeiam o contexto no qual a história se desenrola.

Jane Herman, consegue entre as novas autoras brasileiras (sim, brasileira!) se destacar com um romance surpreendente. Fazendo com isso que sua fanfiction (doeu muito apagar seu tópico na TF, okay?) se torne um livro espetacular.

E cabe somente dizer: Que venha a Segunda Temporada e seu Mafioso.



comentários(0)comente



Letícia Marques 30/12/2012

Mais que 5 estrelas!!!
comentários(0)comente



Naty 04/10/2012

www.meninadabahia.com.br


– Você é minha – Viktor reafirmou.
– Ninguém é mais minha no mundo inteiro que você, “Irina” Hargensen,
não importa para quem você abra as pernas depois de mim.
Mas que merda, tudo no mundo pode se espatifar, você vai continuar sendo minha!
Pág. 456


Irene Hargensen (Irina, para Viktor) é uma socialite, faz parte de uma nobre família inglesa. Seu pai é um homem conhecido e poderoso; provavelmente será o próximo Primeiro Ministro britânico. Irina é esnobe, voluntariosa, arredia, nariz empinado... Ela é rica, bonita, tem consciência do poder que exerce nas pessoas e faz uso disso para conseguir as coisas ao seu modo e, como tal, é cheia de segredos obscuros.

Viktor é genro do chefe da máfia russa, e segundo no comando. Ele domina a máfia em Londres. Ele não presta, é perigoso e cruel, já perdeu a conta de quantas vezes matou, assassinou, corrompeu, roubou e explorou.

Irene e Viktor não frequentam os mesmos locais, provavelmente nunca se encontrariam. Mas o destino (sempre ele) faz com que isso se torne possível. O irmão de Irene, Heinrich, é assassinado e ela quer vingança. O jovem nobre era usuário de droga e lhe disseram que Viktor poderia ajudá-la a encontrar o assassino. Ela queria encontrar o desgraçado e matar, ela mesma, a sangue frio.

Quando a conhece, Viktor fica estupefato, ele jamais imaginaria que uma dama da sociedade fosse procurá-lo, ainda mais para um servicinho ‘sujo’. Fascinado por aquela mulher tão diferente das que lida em seu cotidiano, ele se propõe a ajudar Irene, mas ela terá que pagar um preço: uma noite de sexo sem limites.

Uma noite bastará?

A relação entre Irene e Viktor é conturbada. Ela está acostumada a fazer suas vontades, Viktor também; ninguém quer ceder. Ele é cruel e a trata como uma qualquer. Ele é como vício, ela não consegue largá-lo.

Viktor, apesar de ser casado, tem várias amantes. Ele humilha Irina, a faz ir pra cama junto com a amante, a faz almoçar em sua casa (humilhando a esposa, também). Ele é um poço de contradições. Ao mesmo tempo em que pode ser doce, também pode ser bruto e rude. Sua palavra é lei e ele tem vontade de matar quem ousar desobedecê-lo. Ele é possessivo e quer 'Irina'.

Mas, por incrível que pareça, Viktor consegue ser uma pessoa melhor que Irene; ela aprende muito com ele, ele a humaniza. Porém, não pense que estamos falando de ‘mocinhos’, ninguém nessa história é inocente. Há somente vilões, antagonistas, e isso nos faz lembrar que ninguém é totalmente bom ou mau.

A escrita de Jane Herman é primorosa, delicada e totalmente embasada por uma ampla pesquisa dos costumes dos nobres e mafiosos. Irene é culta e poliglota, sua fala é fluente e até austera, está sempre citando autores consagrados e personagens da mitologia.

Vou confessar, no início estava achando chato e parado demais. Até comentei com uma amiga que leu e ela disse: O início é devagar, mas não pare, Jane fará valer a pena. E... realmente, Jane fez as quase 700 páginas de Entre a Nobreza e o Crime (Editora Lio, 672 páginas, R$ 44,90) valerem a pena!!!! Preciso ler a continuação para tirar umas duvidazinhas e saber se o que penso realmente acontecerá, rs. Curiosidade define. Recomendo.

Gostei da foto da capa e da fonte, mas avalio que a editora pecou no tamanho da logomarca, está muito grande, chegando a comprometer a visão geral da capa. Espero que na capa do próximo volume essa distorção seja corrigida. Logomarca discreta, por favor!


Série:

1 - Entre a Nobreza e o Crime: Primeira Temporada
2 - Entre a Nobreza e o Crime: Segunda Temporada
comentários(0)comente



Gíh Santos 28/01/2013

Resenha do Blog Livros Lovers
Entre a Nobreza e o Crime é o primeiro volume de uma serie escrita pela autora sobe o pseudônimo Jane Herman, autora que se consagrou como autora virtual, em sites de fanfiction, especificamente fanfics de Crepúsculo.
Atualmente os livros gerados através de fics da saga vampiresca causam certo pré-conceito, pois remetem a Cinquenta Tons de Cinza. Para os temerosos digo, o livro vai muito além deste estereotipo, a autora soube surpreender com sua escrita requintada, seus personagens incomuns, um enredo diferente.
Irene Hargensen é uma aristocrata acostumada a esconder sua verdadeira face, a viver de acordo como a sociedade exige. Sendo membro da alta nobreza ela esta acostumada à elegância e aos bons costumes. Seguindo a moral da sociedade, ela vive frustrada em seu intimo por suas relações familiares. Sua razão de seguir em frente é o amado irmão Heinrich, um eterno problemático, que apesar de tudo é seu porto seguro. Sua vida é afetada quando Heinrich é brutalmente assassinado. Em busca de vingança ela chegara a Viktor Morgan.
Viktor Morgan o celebre mafioso, o numero “dois” na máfia russa. Viktor está acostumado a obter tudo o que deseja. Amante do poder, a máfia compõe sua personalidade forte, cruel, ambiciosa. Sua vida dá uma guinada quando Irene Hargensen entra por seu escritório de modo desafiador, a postura arrogante da linda mulher logo lhe chama a atenção. Uma proposta indecente é feita, e prontamente aceita.

"Irene sentia-se insultada. Quem aquele marginal pensava que era para fazê-la esperar por um tempo além da etiqueta? Abafou impropérios que, com certeza não ficariam bem na boca de alguém como ela. (…)"

A convivência deveria acabar com a finalização do acordo, mas Viktor está disposto a ter aquela mulher, ainda mais. Inicia-se uma vivencia de adultério, sim Viktor é casado com ninguém menos que a filha de seu superior o “numero um” da máfia russa. Uma relação de adultério, uma busca pelo poder, afinal os dois possuem personalidades fortes, acostumados a mandar e serem obedecidos. Viktor conseguirá fazer de Irene uma submissa?

CONTINUE LENDO>>>http://livroslovers.blogspot.com.br/2013/01/resenha-entre-nobreza-e-o-crime.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



14 encontrados | exibindo 1 a 14