Mrs. Dalloway

Mrs. Dalloway Virginia Woolf




Resenhas - Mrs. Dalloway


305 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Antônio 20/10/2020

O livro da minha vida.

Reler uma obra que me marcou muito sempre é uma grande surpresa, pois quanto mais eu penso que conheço a história, mais ela me surpreende, mostrando-me que não conheço realmente. Pelo menos não na visão que eu tenho hoje, 04 anos depois desde a primeira vez que li Mrs Dalloway. Acho que essa é uma das coisas que mais me fascina na mágica da literatura.
Mrs Dalloway é o meu livro preferido de toda a vida. O seu preceito é relativamente simples: um dia na vida de Clarissa Dalloway, que vai dar uma festa. No entanto, Virginia Woolf vai além do que poderia ser simples. Através da técnica do fluxo de consciência, aprofundando-se na mente, memórias e contradições dos diversos personagens que compõem o livro, somos apresentados aos limites sutis entre a vida, a morte, a sanidade e a insanidade. Além disso, Virginia não mede esforços para tecer críticas ao patriarcado inerente à sociedade inglesa do início do século XX e ao colonialismo promovido pelo império.
Sobre a obra, gosto das próprias definições da Virginia: "Mrs Dalloway expandiu-se para um livro, e entrevejo aqui um estudo da insanidade e do suicídio, o mundo visto pelo são e pelo insano, lado a lado" e "Nesse livro tenho ideias até em demasia. Quero apresentar a vida e a morte, a sanidade e a insanidade, quero criticar o sistema social, e mostrá-lo em funcionamento, em seu mais intenso grau".
Não esperem personagens simples. Eles são complexos, contraditórios, fáceis de amar e de odiar. É o meu livro preferido da vida.
comentários(0)comente



Elaine cris 11/10/2020

História que se passa em um dia, que li em trinta dias.
Ao iniciar já identifiquei porque a Clarisse Lispector era fã da Virginia Woolf, a forma da narrativa são identificas.
Li com calma para compreender e degustar cada página.
A história central ocorre em um único dia, que Clarissa a personagem principal está organizando uma festa, porém a autora vai incluindo e descrevendo personagens com uma sutileza e riqueza de detalhes únicos.
Esta edição em especial da editora Antofágica, tem explicações importantes nas páginas para compreender melhor o texto, no final um bônus praticamente uma aula sobre o livro e sobre a autora.
comentários(0)comente



oraflocs 08/10/2020

Experiência incrível.
"Ultimamente, a experiência do mundo havia feito brotar em todos, homens e mulheres, uma fonte de lágrimas. Lágrimas e sofrimentos; coragem e resistência; uma postura perfeitamente aprumada e estoica".

Se existisse um gráfico para representar a minha relação com a obra, certamente a tendência seria crescente. As primeiras páginas foram desafiadoras obviamente por conta da narrativa de Woolf, mas, uma vez que eu peguei o jeito, fluiu e me trouxe reflexões que apenas uma releitura me permitirá amadurecer. Que obra edificante! Simples, observado o seu plot, mas ainda assim, complexa do ponto de vista literário.

Que livro, minha gente! Que livro! Inesquecível. Quero ler tudo o que essa mulher produziu!
comentários(0)comente



Aninha 07/10/2020

? Pois tinha se convencido de que havia apenas uma coisa que valia a pena dizer ? aquilo que a sentia. A inteligência era uma tolice. O que se precisava era dizer simplesmente o que se sentia. ?

- 5/5 ?

O livro de hoje é Mrs Dalloway, escrito pela autora Virginia Woolf na década de 1920.

Baseando-se em dois contos, a história trata de um dia de vida da protagonista Clarissa Dalloway, que, preparando-se para dar uma festa para reunir amigos, percorre as ruas de uma Londres pós Primeira Guerra, observando tudo ao seu redor.

Algo curioso, que me chamou a atenção desdenho início, é o estilo da narrativa. O chamado Fluxo de Consciência permite que a autora nos mostre um pouco dos pensamentos de cada personagem com quem Clarissa se encontra, ou personagens que, de alguma forma, estão envolvidos em sua história.

Assim, oscilamos entre o passado da protagonista, por sua própria visão e por pontos de vista secundários, e o presente do dia da festividade, e vamos entendendo, aos poucos, vários acontecimentos que contribuíram para o ? clima ? que paira sobre os personagens. É possível sentir certo saudosismo, o arrependimento, o peso de sentimentos que não tiveram voz.

Toda a escrita, lindamente floreada, contribui para uma leitura reflexiva, tratando de temas como o significado e a beleza da vida, a curiosidade sobre a morte, propósitos, paixões e muito mais.

Mesmo sendo um livro curto ( minha edição tem apenas 235 páginas ) a história carrega experiências e sentimentos tão fortes que precisei de tempo para processar. Felizmente, a maestria de Virginia Woolf tornou o enredo envolvente e fluido, com um humor sútil perfeito para amenizar certas situações.

Por fim, me parece uma história real, sobre dores, esperanças, rancores, injustiças, amores e conformações. Nunca imaginei que ler sobre a vida podia ser tão lindo.
comentários(0)comente



Mari_amaral 07/10/2020

Como definir "um dia"?
Esse é ,sem dúvida,um dos melhores livros que eu já li. A experiência de acompanhar os caminhos,entre os anseios e sentimentos da consciência humana, e se encontrar e se perder dentro de si mesmo com Virgínia Woolf é indescritivelmente maravilhosa. Uma escritora que é mestre em plantar a semente da provocação questionadora no leitor e despertar perguntas,as quais mudam nossa percepção sobre o existencial. Pois como definir "um único dia"? É possível dizer que existe algo divisível na multiplicidade de anseios e conexões que fazemos em uma unidade de nossas realidades? Quem nós somos hoje ,de algum modo ,também não é o que fomos ontem? É possível anular algum acontecimento do passado sem interferir no presente?
Na minha opinião,ler Mrs. Dalloway é entender que não se sabe definir o existir,por mais que encontremos o impulso de querer obter respostas. Pois o que há de tão substancial na vida para fazer dela tão especial ou até mesmo maior do que a morte? Talvez textos brilhantes como esse já possam ser um começo.
comentários(0)comente



Thaís | @analiseliteraria 05/10/2020

Mrs. Dalloway...
Virginia Woolf é aquela autora que pelo menos uma vez na vida você quis ler mas teve receio, ou até mesmo desistiu. Mrs. Dalloway foi publicado em 1925 e narra um único dia da vida de Clarissa Dalloway, uma senhora aristocrata que vive em Londres, no início do século XX. Usando o fluxo de consciência, que salta de personagem para personagem, Virginia escreveu esse livro magistralmente. Que escrita profunda! Marcante! Poética! ⁣
Acompanhamos Clarissa, uma "perfeita anfitriã", no dia em que dará uma festa. Mrs. Dalloway recebe a visita inesperada de Peter, um pretendente do passado. Muitos conflitos acontecem internamente em cada personagem, acompanhamos esse desenrolar dentro de suas próprias cabeças. Peter, ao meu ver, é o personagem mais blé, se acha um socialista, mas é mais conservador do que aparenta. Me incomoda como ele a todo momento tenta diminuir Clarissa. E o que é ele com aquela fixação com o canivete, Freud explica? Irritante. Passemos para Septimus, meu personagem favorito, um veterano de guerra que sofre de estresse pós-traumático. Que sensação acompanhar sua consciência, seus pensamentos são marcantes, através dele, respeitando o distanciamento histórico, temos o vislumbre de como a saúde e a doença eram qualificadas nesse contexto. Quanto sofrimento desse homem... ⁣
São vários os conflitos presentes na trama, alguns refletem a própria vida de Virginia, como o casamento por conveniência, a homossexualidade, o suicídio e etc. Clarissa e Septimus formam duas faces diferentes de Virginia Woolf, a luz e a sombra, respectivamente. Sem dúvidas, Mrs. Dalloway se tornou um dos meus livros favoritos. Quem não está acostumado com o fluxo de consciência pode sentir maior dificuldade para ler esse livro, mas leia, não desanime. Leia sem pressa, é um livro denso, mas fantástico. ⁣
Por fim, se você gosta ou é da área de psicologia, não deixe de ler esse livro, você terá um ótimo material de análise em mãos.

site: @analiseliteraria
Débora 07/10/2020minha estante
Adorei sua resenha!


Thaís | @analiseliteraria 08/10/2020minha estante
Ah, fico feliz por isso! :)




Razuki 05/10/2020

Não só um dia...
Sempre ouvi que esse livro era a narrativa de um dia na vida de Mrs Dolloway, mas não é só isso, é um dia que ela lembra de várias situações de sua vida, não só de Clarissa, mas de outros personagens também, e são lembranças e pensamentos que se misturam, se completam e claro no começo, nos confundem muitooooo, mas depois que conhecemos um pouco os personagens fica mais fácil a leitura, fica até prazerosa. Foi uma experiência super válida p/ conhecer a es escrita de Virgínia Woof.

"E ela experimentava continuamente a sensação de suas existências."
comentários(0)comente



eduarrdalima 01/10/2020

Mrs. Dalloway
Mrs. Dalloway é um romance histórico de Virginia Woolf publicado em 14 de maio de 1925 que narra um dia na vida de Clarissa Dalloway, uma socialite ficcional que vive na Inglaterra pós-Primeira Guerra Mundial.
Woolf conta aqui a história de um dia na vida de Clarissa, em que ela se prepara para dar uma festa. A autora usa a técnica de fluxo de consciência que passa de Clarissa para outros personagens ao longo da narrativa. Assim conhecemos Peter Walsh, antigo relacionamento de Clarissa, Richard, seu atual marido, sua amiga de longa data Sally, Septimus e outros.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🌹As relações entre os personagens e a transição entre os pensamentos de cada um sem que isso se torne confuso ou enfadonho foi o que mais me deixou encantada com a escrita e técnica de Woolf.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🌹Mrs Dalloway com certeza entrou para os favoritos da vida. E espero que vocês tenham a oportunidade de lê-lo!
@quimeraliteraria

site: https://www.instagram.com/p/CEaEfk-jzl1/
comentários(0)comente



Dani Carrara 29/09/2020

Primeiro livro que li da Virgínia Wolf e amei. Adorei a forma de escrita e o fluxo contínuo de pensamentos de uma personagem à outra.

"A natureza humana é impiedosa".
comentários(0)comente



Valquiria.Beltramini 27/09/2020

Fluxo de consciência
Um dia na vida de Mrs. Dalloway, explorando a consciência de diversos personagens, com diversas formas de pensar .
comentários(0)comente



anoca 24/09/2020

tão bom que DÓI
Definitivamente é uma obra que exige releituras. Eu mesma tive que ler diversas partes muitas vezes pq a autora permeia o livro com fluxos de pensamentos que se arrastam nos eventos de um único dia porém ao mesmo tempo conhecemos a história dos personagens em ritmo frenético. Muito sendo apresentado e com uma sensibilidade assustadora. Ótimo primeiro contato c a Virginia, quero ler tudo que ela já escreveu.
Maria 24/09/2020minha estante
Preciso reler. Definitivamente.


Maria 24/09/2020minha estante
Que tal "Passeio ao farol"? Ainda não li, mas é considerado uma verdadeira obra-prima :P Bora?


anoca 26/09/2020minha estante
Mariaaa, vamos ler sim, quando vc pretendia começar?


Maria 26/09/2020minha estante
Estou lendo outros livros, mas não me incomodaria em iniciar Passeio ao Farol.


anoca 26/09/2020minha estante
Infelizmente eu só consigo daqui 1 mês mais ou menos :( mas caso queira começar antes, vou amar acompanhar teus históricos de leitura




Bibi 23/09/2020

Perfeito!
A sensação que tive com este livro, é que estava lendo sobre minha própria vida, parece que falava de mim! E quantas pessoas também se sentiram assim lendo ele? Tantas, com certeza.

Mrs Dalloway é perfeito, imersivo, esplendoroso de se ler e sentir. Assim que ela sai pra comprar as rosas, o mundo de Londres e a sociedade da época se abre para nós, junto com suas crenças, seus pensamentos e costumes, num instante estamos na cabeça de um personagem, ora nos devaneios de outro.
Paulo.Nunes 23/09/2020minha estante
Que bom que tu amou e esse favorito aí já tá na minha lista ?




Sara.Lupion 16/09/2020

Virginia nos conduz em um passeio suave por várias mentes
É incrível! Em Mrs. Dalloway, Virginia Woolf nos conduz pela mente de diversos personagens e mexe com os nossos sentimentos, embora o contexto seja ?simples?. A história toda se passa em um único dia e gira em torno da festa que Clarissa Dalloway dará em sua casa. A escrita da autora é poética, e todas as coisas são apresentadas com certa profundidade sentimental que eu, particularmente, amo. Se você gosta de Clarice Lispector provavelmente amará também essa autora!
comentários(0)comente



Karina 10/09/2020

Inicialmente, achei a leitura bem complexa, em cada página que lia eu precisava procurar por palavras no google (deve ser uma questão cultural, já que havia lido alguns livros de linguagem mais simples). No decorrer do livro a leitura vai fluindo mais facilmente e a história é encantadora! Toda a obra mostra um único dia na vida da socialite Mrs. Dalloway, e possui muito tempo psicológico. Entramos na mente da protagonista, sabemos tudo o que ela sente, o que ela pensa, do que se lembra, suas angústias e frustrações. É uma obra muito rica e me agregou bastante.
comentários(0)comente



Camila 07/09/2020

Um mergulho à mente do ser humano
Mrs. Dalloway não é uma leitura fácil, é o que todo mundo tem que saber antes de ler. Por esse motivo, muitos desistem de insistir nessa obra-prima que, a partir do momento em que é compreendida, torna-se mágica. Virginia Woolf foi inspiração para Clarice Lispector em vários aspectos, e um deles foi a forma excepcional com que ela cria o fluxo de consciência dos personagens, fazendo-nos mergulhar na cabeça de cada um. A nossa mente não é simples: uma hora estamos pensando numa coisa, outra hora em outra... Estou andando pela rua enquanto analiso, na minha mente, as pessoas ao meu redor, de repente me vem o que deixei de fazer em casa e ah, aquela vergonha que passei há cinco anos. Bem, essa confusão é reproduzida em Mrs. Dalloway perfeitamente, fazendo-nos refletir sobre o fato de que as pessoas são muito mais do que parecem ser, carregando vários universos dentro de si.
comentários(0)comente



305 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |