Tinta Perigosa

Tinta Perigosa Melissa Marr/ M.A. Marr




Resenhas - Tinta Perigosa


20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Desi Gusson 11/05/2012

Sombrio e Apaixonante
Vou começar dizendo porque Melissa Marr me levou a um novo nível de confusão mental, me deixou lá por alguns capítulos, me fez odiá-la por isso e depois me trouxe de volta, mais confusa ainda, EXPLICANDO porque toda aquela viagem fazia sentido. Faz sentindo?

Talvez, como a própria Leslie, eu não devesse ter gostado disso. Mas me peguei protelando ao máximo o final, simplesmente por não querer que a leitura acabasse!

Vale avisar também que Tinta Perigosa começa onde Terrível Encanto termina, mas quem quer mais de Aislinn, Keenan e Seth vai ter que esperar um pouco. Eles aparecem sim, mas não são o foco principal.

O começo do segundo volume foi meio diferente do primeiro, ele me irritou profundamente... tirando a parte de descobrirmos ainda mais sobre os seres encantados e suas cortes, o que é absolutamente demais (Demais, DEMAIS!), a relação Leslie-Niall-Irial estava um tanto quanto clichê. De cara pensei ‘Sério, outro triangulo amoroso, Melissa? Sério?’. Eu meio que pedi para pular tudo aquilo e chegar logo na parte em que Leslie descobriria que a melhor amiga era a Rainha do Verão e então poderiam juntas chutar alguns traseiros imortais!

Mas calma, Ash, como boa garota equilibrada que é, não ia simplesmente envolver a amiga nos assuntos encantados.

Então continuamos numa situação constrangedora.

Aquela coisa manjada de meio mundo se apaixonando/se afeiçoando/amando todo mundo de forma inexplicável, e instantânea me deixou com um cachorro de rua atrás da orelha. Isso me confundiu deveras porque era tão diferente da abordagem da autora no livro anterior, tão tonto pra ser obra da ótima Melissa Marr, que até demorei pra perceber que Leslie também estava achando aquela necessidade toda por Niall e Irial totalmente estranha.

Alguma coisa estava muito errada ali. Tudo o que ela queria era uma tatuagem para simbolizar uma vida nova, mas o que conseguiu foram visões de pessoas bizarras, mentiras de sua amiga e dois caras gatos sinistros na sua cola. E ela nem conseguia se preocupar com isso!

Niall e Irial, sim, o guarda-costas de Keenam e o Rei Sombrio são personagens muito ambíguos e apetitosos, acho que já escolhi um lado, mas como entre Keenan e Seth, também não estou muito firme na decisão. Niall pende entre o cara controlado e sua natureza... selvagem, enquanto Irial exala crueldade para esconder sentimentos pouco sombrios. No fundo eu acho que são os dois feitos do mesmo material. Tinta Perigosa ressaltou ainda mais um ponto de Terrível Encanto: as cortes em si não são boas ou ruins, elas só aumenta querem sobreviver. Mas há aqueles que buscam o equilíbrio e os que não. Ou seja, o conceito de Bem e Mal para os seres encantados é bem maleável. Ok, não só para os seres encantados.

Se você como eu ficou desanimado com o começo, por achar absurdo demais, por favor, POR FAVOR, continue a leitura. Tenho certeza de que não vai se arrepender e de quebra vai soltar um “Melissa, sua danadinha!”.

Para os que já leram e se incomodaram com o final, sem ofensas, mas pense pela lógica nesse caso. Nem tudo são flores e a magia é uma ilusão, distorcendo a realidade...

Estou oficialmente visitando todos os parques da cidade, tentando achar uma Garota do Verão ou mesmo um Hound pra matar o tempo até Fragile Eternity!

P.S.: Pra não perder o costume, a obsessão com significados de nomes continua:
[Todos com raízes irlandesas (irlandeses, seus lindos!)]
Leslie = Alegria
Niall = Campeão, no sentido medieval
Irial = Elfo
Sorcha (Absolutamente lindo esse nome) = Brilho

Para essa e outras resenhas na íntegra: www.desigusson.wordpress.com
comentários(0)comente



lala 12/04/2021

Eu gostei tanto do primeiro livro q fui toda cheia de expectativas nesse e me frustrei. Eu gostei da Leslie, a história/ traumas dela e como ela evolui tbm é bem interessante. Porém, teve muita coisa mal construída e jogada na história e senti q o livro ficou perdido em muitas partes. Muita coisa era difícil d imaginar, muito personagem desnecessário q eu ficava ?de onde tu veio ???. Achei o ?romance? mal construído tbm, muito jogado só pra ter uma ideia d ?falso triângulo amoroso? sla. Nem o final conseguiu me prender tbm. O livro é até curto de ler, a diagramação é boa, mas eu enrolei tanto pra ler, diferente do primeiro q li em uma semana. Não sei se vou continuar a ler a série, pq esse livro me deixou bem desmotivada.
comentários(0)comente



Jessica Sena 30/08/2020

tinta perigosa
Eu gostei mais desse segundo livro do que do primeiro, Leslie é uma garota que passou por coisas horríveis e apesar de ter algumas ideias e atitudes um pouco infantis no começo, se mostra muito forte por superar tudo. Niall é apaixonante em alguns momentos mas sinto que poderia ter sido melhor trabalhado, aí seria perfeito. Os personagens do primeiro livro que aparecem nesse são bem menos interessantes, exceto o Seth. Ainda senti falta de mais detalhes em alguns momentos e a menção de personagens e termos que não são explicados me incomoda um pouco, mas não atrapalhou a leitura.
comentários(0)comente



Jubs 16/05/2012

[Resenha] Tinta Perigosa (Wicked Lovely #2)
VIA :: http://diariodeleitoracompulsiva.blogspot.com.br/


Esse livro é o segundo volume da série Wicked Lovely, o primeiro volume, Terrível Encanto já foi resenhado. A leitura NÃO influencia a continuidade da série e portanto NÃO apresenta spoilers...

Absolutamente surpreendida. Finalizei agora a leitura e peço desculpas pelas minhas emoções confusas e às vezes incompreensíveis, mas essa obra me encantou de forma única que a muito não via em um livro que aborda seres encantados de modo tão sombrio.

Quem me conhece, sabe que sou grande admiradora de elementos góticos na literatura, e o uso de feéricos/seres encantados com aquele tom maléfico, simplesmente me inebriam. E isso acontece com a série Wicked Lovely, cujo primeiro volume, confesso, que não teve tanto apelo como Tinta Perigosa teve para mim.

O uso de tais elementos incrementa muito bem a trama que Melissa Marr nos apresenta em seus livros.




Leslie é uma garota normal e muito ferida. Suas cicatrizes são profundas e tocantes, que deixam o leitor com um gosto amargo na boca e desejando se aproximar para abraça-la e dizer-lhe que tudo se resolverá. Mas infelizmente nada disso acontece com ela. Tem que sobreviver cada dia com uma lembrança infeliz, e tentando esconder de tudo e todos sua vergonha e sua dor.

Pensou na vergonha que guardou para si em vez de procurar ajuda. Aquilo era quem ela era; aquelas eram partes dela. Eram todas escolhas. Não agir é também uma escolha.

Decidida a mudar essa situação e tomar controle de sua própria vida, de seu próprio corpo e de fazer suas próprias escolhas, ela resolve fazer uma tatuagem que será o símbolo da sua mudança. Ela então busca o estúdio de tatuagem do Rabbit (aparece no primeiro livro) e se sente atraída para um estranho e belíssimo desenho, mesmo que o tatuador a advirta de prováveis problemas ela decidida tatua o desenho em sua pele.

"Fazer uma tatuagem parecia o certo, como se fosse ajudá-la a colocar a vida em ordem, seguir adiante. Era o corpo dela, apesar das coisas que haviam sido feitas contra ele, e ela queria reclamá-lo para si, possuí-lo, provar isso a si mesma. (...) às vezes há poder na ação; às vezes há força nas palavras. Ela queria encontrar uma imagem que representasse essas coisas que sentia, gravar essas sensações em sua pele como uma prova tangível de sua decisão de mudar."


Mas o que Leslie não sabia era que a tatuagem de certa forma iria ligá-la de uma forma estranha e poderosa a um ser inescrupoloso, o Rei Sombrio Irial, um ser encantado líder da corte sombria. Temido e muito poderoso, Irial necessita dessa ligação com a tatuagem da garota para aumentar o controle e a força sobre seus súditos!

"As mãos perdidas do relógio do caos mudaram de curso novamente, e nada mais importava naquele momento, apenas a tinta na pele dela, o zumbido em suas veias, o vigor eufórico que fez com que ela sentisse a confiança que não experimentava havia tempo demais."

De uma forma tocante, Melissa Marr vai nos apresentando as emoções tão fortes de Leslie, e como isso é importante para a própria trama. Quando esperamos que algo se resolva de um jeito, a escritora nos leva a outra oportunidade, sem deixar de nos surpreender. Culminando em uma decisão final por parte da personagem que certamente deixará o leitor embasbacado, de uma forma boa.

Toda a história, com os seres encantados, a própria “Tinta Perigosa” leva o leitor a esperar mais do livro, mas o rumo que a escritora deu foi muito mais admirável e maravilhoso! Sim, estou emocionada com o livro, e sinto que não sei COMO eu cheguei a isso.

Teve momentos confusos (daqueles que você acha que a narrativa consumiu um alucinógeno potente), teve momentos que me peguei odiando um ou outro personagem, mas as escolhas da personagem principal, e o anseio por mudanças esteve muito mais no foco e por isso apagou todas as outras imperfeições que já tinha encontrado no volume anterior de Wicked Lovely...

“O que significam quando pesadelos sonham com paz? Quando sombras desejam luz?”

E dizendo tudo isso, não poderia dar nada mais, nada menos que a nota máxima para esse livro. Não que ele tenha sido meu preferido, mas é que realmente sua leitura foi muito prazerosa e foi P-E-R-F-E-I-T-A... Se você gosta da série Wicked Lovely, ou se realmente curte seres encantados com caráter bem questionável, então eu SUPER RECOMENDO Tinta Perigosa!!
comentários(0)comente



Quatro Amigas 21/10/2013

Resenha criada para o blog: www.quatroamigaseumlivroviajante.com
Consigo pensar em pelo menos umas dez coisas que me são mais fáceis de escrever do que resenhar "Terrível Encanto". Prometo que vou tentar ser o mais imparcial possível, mas vai ser bem difícil. Melissa Marr é uma das escritoras mais competentes e envolventes que eu li desde que me joguei neste universo de "YA/Fantasia/Romance".

Entrei no site da autora Melissa Marr, depois de muito ver seu nome circulando entre vários autores internacionais que sigo no Twitter, e fiquei encantada com a proposta da história, logo depois disso, quase que lendo meus pensamentos, vi que a série estava vindo para o Brasil.

O título do primeiro livro e que dá nome a série, "WICKED LOVELY", foi perfeitamente traduzido como "TERRÍVEL ENCANTO", e é Editada no Brasil sob o selo JOVENS LEITORES da EDITORA ROCCO. A Editora Rocco acertou em cheio na opção em manter as LINDAS capas da coleção, que como você poderá concluir neste post, são deslumbrantes!

Comprei o primeiro livro numa tarde de Sábado, e na Segunda-feira pela manhã não só já havia lido-o, como encomendei o resto da coleção na Book Depository. Li a coleção completa entre Setembro e Dezembro de 2011, e apesar de gosto ser algo muito pessoal, digo a vocês: Não tenho receio nenhum em afirmar que "Terrível Encanto" é uma das melhores coisas que eu já li, e sei que não sou a única!

A série completa conta com: Terrível Encanto (Wicked Lovely), Tinta Perigosa (Ink Exchange), Frágil Eternidade (Fragile Eternity), Sombras Radiantes (Radiant Shadows), e Darkest Mercy. Uma curiosidade interessante sobre a concepção dos livros, é que quando Melissa Marr começou a escrever "Terrível Encanto", ela acreditava que escreveria apenas um conto.

O primeiro livro é uma apresentação geral do universo de "FAERY", um mundo invisível governado por seres encantados, em sua maioria Fadas, e como este coexistente com o mundo real em que vivemos.

Lá, você será apresentado a AISLINN, a protagonista da história. Aislinn seria uma garota como outra qualquer, se não fosse pela total ciência da existência de FAERY e seus seres encantados, ou como ela crê, horripilantes, manipuladores e maldosos. Para que sua vida beire a normalidade, ela foi desde muito cedo instruída por sua avô a cumprir 3 simples regras:

1. Não desperte a atenção dos seres encantados
2. Não fale com os seres encantados
3. Não encare os seres encantados

Sob estas simples regras Aislinn consegue manter as coisas "quase" sob controle, mas isso muda totalmente com a chegada de KEENAN (personagem que você vai amar e odiar tantas vezes que perderá as contas), o Rei do Verão. Keenan foi amaldiçoado por sua mãe BEIRA e para se livrar de tal maldição ele precisa encontrar a sua Rainha - a qual vem procurando por nove séculos - caso não a encontre, sua mãe, a Rainha do Inverno, acabará de vez com a existência Verão.

O problema é que a provável candidata ao cargo de Rainha do Verão, nossa querida Aislinn, acabou de descobrir que está apaixonada por seu melhor amigo SETH, que por sua vez, corresponde profundamente a estes sentimentos. E acredite, eles não estão nem um pouco interessados em se separar!

Nem é um enredo tão envolvente assim, certo? Errado! Melissa Marr trata o universo YA com singular seriedade e realismo, fugindo do repetido modelo "garota indefesa/garoto bacana/garoto malvado", e apesar da pouca idade dos personagens, todos trazem uma bagagem de vida bem difícil o que dá a história contornos bastante maduros.

Apesar de se tratar de uma série, "Terrível Encanto", e todos os outros livros, têm começo, meio e fim, você não vai ficar parado no meio da frase sem saber se a mocinha "matou" ou "foi morta", ainda assim, você não será capaz de viver sem a seguinte resposta: "Mas o que aconteceu a AISLINN, KEENAN e SETH?

E o que acontece depois é algo que eu nunca tinha visto antes em uma série: Outra História.

TINTA PERIGOSA, o segundo livro da série, é na minha opinião, o livro que define o brilhantismo desta série.

LESLIE é uma garota que está perdida, seu lado aparentemente fútil e dissimulado, não é mais capaz de encobrir sua tristeza e seu medo. A precoce morte de sua mãe ruíram as estruturas familiares de Leslie, seu pai tornou-se alcoólatra e seu irmão traficante, quando não está na escola, trabalha duro para manter paga as contas da casa. Depois de viver experiências extremamente dolorosas, Leslie decidi fazer uma tatuagem, um desenho misterioso, escondido em uma pasta de ilustração no estúdio de tatuagem, dá a Leslie a estranha sensação de ter descoberto a respostas para toas as suas aflições, a preciosa chave para sua liberdade e rendição. O que ela nunca poderia imaginar, é que todo o seu desespero, dor, raive e vergonha, seria o combustível que a ligaria de maneira intrínseca através de sua tatuagem, a um universo obscuro e cruel, A CORTE ESCURA.

O Rei da Corte Escura, IRIAL, vê em LESLIE a possibilidade de sanar os atuais problemas de sua Corte: Mantê-los alimentos! uma jovem desesperada é o veículo perfeito para emanar todos os piores sentimentos vividos pelos humanos, negatividade suficiente para alimentar seu reino, seguidores e súditos. Munido de uma persuasão indescritível e seu charme devastador, vai fazer o que for possível e impossível, para atrair a atenção de Leslie. E tem também o Niall... Ah, o Niall!!!

Um texto tenso, gótico e envolvente. TINTA PERIGOSA é o livro que marca de maneira incisiva o sutil toque erótico que acompanhará os próximos livros da série. Personagem que apareceram de maneira banal no primeiro livro, ARIAL, LESLIE e NIALL, ganham vida e ocupam espaços inenarráveis na trama, é neste livro que você se dará conta que AISLINN, KEENAN e SETH, são apenas partes adicionais de um universo muito maior, impecavelmente bem escrito e arrebatadoramente apaixonante.

Recomendo ler TINTA PERIGOSA, com TERRÍVEL ENCANTO na mão. Algumas passagens "banais" do primeiro livro, como a primeira aparição de IRIAL (licença poética concedida a Blogger nesse momento: EU AMO ARIAL / NIALL!) no estúdio de Tatoo e Piercing, que em Tinta Perigosa, são contadas pela ótica de LESLIE, já foram descritas em Terrível Encanto pela ótica de Aislinn, sendo que ambas estão no mesmo momento conversando dentro do estudio de tatuagem. Este é aliás, um recurso bastante usado por Melissa Marr no decorrer da série. Agora me e diz: Isso é GENIAL, ou não é???

Em “Frágil Eternidade”, o terceiro livro da série, Aislinn, Keenan e Seth, estão de volta ao centro dos acontecimentos, mas não há como falar sobre o que está acontecendo a essas alturas da história, sem expor as surpresas e reviravoltas do caminho.

Então, vou aproveitar para fazer menção a minha querida Donia.

Pergunta: Você acha sua vida amorosa difícil?

E se você estivesse FADADO a viver ao lado do amor da sua vida, dia e noite, consumida por um frio ininterrupto, e sua tarefa fosse convencer VÁRIAS (eu disse várias!!!) outras mulheres a não confiar nele, mesmo sabendo que isso é impossível, já que ele irá cortejá-las e adorá-las por toda a eternidade, você continuaria achando sua vida amorosa difícil? Pois bem, lhes apresento DONIA. Personagem integrante desde a primeira página da série, ela irá conquistar seu coração mesmo em atitudes extremas.

Ao Final de “Frágil Eternidade”, Melissa Marr escreveu duas "Shorts Stories" vendidas apenas no formato e-book, sobre o que ocorreu com alguns dos personagens, até o lançamento do quarto livro Sombras Radiantes, elas são: "Stopping Time" e "Old Habits", ambas sobre Irial, Leslie e Niall.

Os últimos livros são Sombras Radiantes e Darkest Mercy, e entre eles, outra "Short Storie" Cotton Candy Skies.

Depois existem dois contos: O "Merely Mortal" que faz parte do livro Enthralled, que é uma compilações de vários escritores sobre temas sobrenaturais, e o "Family", que é um dos contos de "Faery Tales and Nightmares", o livro de contos escrito por Melissa Marr.

Bom, sou fã de Melissa Marr, admiro a maneira impecável com que trata tópicos delicados como homossexualismo, abuso sexual e relações passionais, com um toque de genial sutileza e elegância, créditos indispensáveis para quem quer escrever para jovens adultos.

Para quem quiser ler a série na sequência cronológica dos acontecimentos, a ordem é a seguinte:

Livro 1 - Terrível Encanto
Livro 2 - Tinta Perigosa
Livro 3 - Frágil Eternidade
Conto - Stopping Time
Conto - Old Habits
Livro 4 - Sombras Radiantes
Conto - Cotton Candy Skies
Livro 5 - Darkest Mercy
Conto - Merely Mortal
Conto - Family

Alessandra

site: http://www.quatroamigaseumlivroviajante.com/2013/10/resenha-serie-terrivel-encanto-melissa.html
comentários(0)comente



Tally 23/03/2021

Eu amei! Cem vezes melhor que o primeiro livro.
Antes mesmo de ter terminado a leitura de Tinta Perigosa, eu já tinha desfavoritado e diminuído um pouco a nota do primeiro livro dessa série, porque esse segundo é cem vezes, mil vezes, infinitas vezes melhor do que o primeito.

Cada livro dessa série, ao que parece pela sinopse do terceiro livro que eu li, vai trazer um personagem diferente, mas que é ligado a protagonista do primeiro livro, a Ashilinn. Neste, temos a Leslie como a protagonista, mas a história não pertence apenas a ela, também temos a história do Irial e do Naill e o plano de fundo dessa história é Corte Sombria.

Achei a construção e desenvolvimento dos personagens muito bons, no entanto, queria que a autora tivesse explorado muito mais esse mundo de sombras, essa Corte Sombria.

Não é um livro que tenha um vilão em si, diferente do prineiro, mas achei o ritmo bem melhor e mais rápido.

Por volta de uns cinquenta ou um pouco mais porcento do livro, eu me vi ficando com raiva da Ash. Entendo que ela não goste desse mundo das fadas, que acha( e com boa razão) perigoso e ter levemente medo, mas não acho certo ela agir como se todos no mundo pensassem a mesma coisa que ela. Tipo, algo ruim para ela pode ser muito bom para outra pessoa. Achei que a Ash deveria ter sido sincera com a Leslie desde o começo, além disso, a Ash nunca ajudou a Leslie com a "família" dela, mesmo sabendo o que irmão da Leslie fez com ela, mesmo tendo meios para encontrar as pessoas que machucaram a Leslie.

O Irial, logo assim...( vou dizer oportunidade) logo assim que teve a oportunidade foi atrás dessas pessoas, lidou com o irmão da Leslie. E ele ainda assim é tido como o vilão da história. Claro, ele fez coisas que não tem como passar pano, mas nesse sentido, sobre vingar a Leslie, não achei que o que ele fez foi errado, bem longe disso.

Aí a Ash fica irritada porque a Leslie não quer falar com ela, sendo que ela nunca foi sincera, nunca fez nada para realmente ajudar a Leslie.

Achei que a escrita fluiu muito bem, só demorei um pouco para ler porque eu estava racionando páginas para que o livro não acabasse muito rápido. Cheguei em um momento lendo que já não sabia com quem eu gostaria que a Leslie, Naill e Irial ficassem, o que nos leva para o final do livro.

Gostei do final, ultimamente todos os livros que eu tenho lido me fizeram querer um final clichê de "e todos viveram felizes para sempre", mas também me deixaram muito feliz por não ter sido e amando como tudo terminou. Realmente queria que os próximos livros focassem apenas nesses três. Achei eles perfeitos.

Recomendo muito a leitura desse livro e acho que você precisa ler o primeiro antes, mesmo tendo protagonistas diferentes, apenas para entender sobre esse mundo e não ficar tão perdide assim.

Simplesmente amei essa história!
comentários(0)comente



Made 18/08/2015

Perca-se nos encantos cruéis de Irial...
Estou inspirada em fazer resenha dos livros que li há um tempão... Li Tinta Perigosa, também em Espanhol em 2010 e em 2012 li a versão brasileira.

Tinta Perigosa inicia exatamente após os eventos do livro 1: a ascensão da Rainha e do Rei do Verão.

O livro 2 foca na Leslie, uma das melhores amigas de Aislinn, atual Rainha do Verão, na Corte Sombria e consequentemente em Irial, o Rei da Corte Sombria.

Após a morte de Beira (a antiga Rainha do Inverno) e Donia ter tomado seu lugar como rainha, as coisas andam calmas demais, portanto Irial está bolando um plano para conseguir manter sua Corte que precisa de emoções Sombrias (Luxúria, medo, pânico, etc) para continuar existindo. Acontece que o plano inclui Leslie, portanto as coisas ficarão feias quando Aislinn descobrir.

Irial é sarcástico, sombrio, cruel e perigosamente sensual. Leslie não tem a mínima chance de resistir.

Para completar o triangulo amoroso fadado ao desastre, temos Niall, um membro da corte do Verão, mas que há muitos séculos pertencia à Corte Sombria e abandonou Irial quando percebeu a crueldade do Rei.

Niall está muito interessado em Leslie, mas não pode se envolver emocionalmente com ela por ordens diretas da Rainha do Verão.

Há também em plano de fundo a relação Seth-Aislinn-Keenan, que estão lutando para se acostumarem uns com os outros, já que a rainha preferiu ficar com o Seth, o mortal, ao invés de ficar com Keenan, o Rei do Verão ... Enfim, as relações desse livro são extremamente complicadas, mas muito excitantes.

Dos 3 livros que li dessa série, esse com certeza é o mais complicado para se entender. A escrita dele é mais sombria que os demais e se não prestar atenção você fica perdido na estória, por se tratar dos sentimentos sombrios da Leslie que são canalizados para o Irial por meio da Tatuagem que ela faz nas costas com as lágrimas da Corte sombria e o sangue do próprio Irial (não que ela saiba disso quando está fazendo a Tatuagem... mas enfim.)

Adoro a série e amo o Irial pela difícil decisão que teve que tomar no final por causa dos sentimentos mortais que a Leslie desperta nele... por causa do amor que sente por ela.

É claro que também há toda a complicação da relação do Niall com o Irial... o Fato de Irial ter sido apaixonado por Niall por séculos (mais uma vez, não que isso é dito abertamente no livro, mas fica bastante óbvio quando você presta atenção nos dois).

O livro é maravilhoso e muito bom mesmo! Super recomendo! Lembrando que, mesmo que o livro 2 mude o foco para a Corte Sombria e o 3 volta para a Corte do Verão, é necessário ler os livros em ordem para entender os eventos do livro 3.

5 Estrelas!

Tá esperando o que para ler?
Yasmayfair 23/08/2015minha estante
Adorei sua resenha, mas não precisava de alguns spoilers, como o fato de Irial ter sido apaixonado por Niall, poxa. :(


Made 24/08/2015minha estante
Jun, Obrigada!

E desculpe! kkk

Na verdade não é tão spoiler assim... Irial e Niall têm uma relação de amor e ódio complicada e em nenhum momento é citado que Iral foi apaixonado por Niall. São apenas suposições... a autora te deixa com a pulga atrás da orelha. E em outro livro (acho que no Frágil Eternidade, não tenho certeza) o Keenan fala sobre isso e dá a entender que Irial tinha uma coisa pelo Niall. Enfim, Irial é complicado! kkk O Niall é chatinho neste livro, mas no livro 3 ele é incrível :) Adoro!




Miriam 08/12/2016

Não é minha, não é dele, mas de si mesma.
Comprei esse livro por acaso, sem saber que era o segundo volume da série chamada Wicked Lovely. Felizmente a leitura do primeiro livro não é obrigatória, - eu entendi a leitura perfeitamente, mas pretendo ler o primeiro e os próximos volumes - o que já me agradou bastante.
O livro em questão é um conto de fadas sombrio, sedutor. Enquadra bem o típico clichê romântico que conhecemos: garota "sem graça" com uma história trágica que acaba cativando os bad boy. Mas é aquele clichê tão bom de ler, principalmente quando estamos à toa, sem nada pra fazer, quando terminamos todas as tarefas, tomamos aquele banho e só queremos paz e descanso.

Leslie tem uma vida monótona e triste. Ela só quer o entorpecimento. Ela quer parar de sentir medo. Ela quer segurança. E, com uma renda baixa e uma família inútil que só causa problemas, a melhor forma de começar a mudança em sua vida é fazendo um desenho permanente em sua pele. Uma tatuagem é tudo o que ela precisa. É o primeiro passo para mudar a sua vida, para ser dona de si mesma.
Inconsciente dos seres encantados à sua volta, ela não faz ideia que essa tatuagem é um elo com a mais perigosa Corte do mundo mágico.
Uma tatuagem pode ser a mudança radical que fará sua vida dar um salto, ou pode ser o salto direto para um abismo repleto com um mundo de desejos, mortes e sombras.

Eu, amante dos romances de fantasia e dos 'vilões', não preciso declarar meu amor por Irial. O personagem mais bem construído do livro e sem sombra de dúvida o mais cativante. Com o bem e o mal formando um núcleo dentro de si e se firmando em equilíbrio, ele não é mocinho, ele não é vilão, ele é o personagem que é real através das páginas. Um rei verdadeiro que faz o necessário para ajudar os seus, mas que já está fatigado.
Não gosto de fazer resenha ou dar a minha opinião porque sempre acabo caindo nos clichês, mas Irial, assim como o Adair de Ladrão de Almas, merecia algumas palavrinhas a seu respeito.
Gostei dos outros personagens, mas perco a paciência com os melosos, vulgo Niall. É um personagem bem construído também, mas... meloso. Tirando esse defeito, ele é ótimo. Deixa o leitor curioso sobre a sua origem, sobre seus traumas e as perversidades que cometeu.

O livro em si é um encanto. Prende o leitor e deixa aquela curiosidade se vai ou não vai haver uma guerra sangrenta. Deixa as particularidades das Cortes e dos seres habitantes no ar, mas de uma forma positiva. Creio eu que os próximos três livros da série abordem esses pontos um pouco mais.
Cada ser busca a sua própria luz, seja ela meio falhada, em meia-fase, meio gótica. Ou seja ela um raio de sol.
O que me resta é esperar para conhecer a brancura da luz da Corte do Inverno.

A edição do livro é impecável. Capa de brochura, com um tom roxo muito lindo, relevo no título e nos detalhes dourados. Uma lindeza! E as folhas, a diagramação, os enfeites nos capítulos, tudo muito harmonioso e bonito. Eu comprei o livro pela capa, admito.

Esse não é um livro do gênero: PUTA MERDA, QUE LIVRO FODA!, mas é uma obra interessante e que proporciona bons momentos de lazer e de perdição no mundo das sombras e da sedução.
Um dos pontos mais positivos do livro é o fato que acima de tudo a Leslie não ficou submissa dos seus desejos. Submissão é uma bosta! Só por ela ter se tornado dona de si e ter mantido a sua personalidade saindo do relacionamento abusivo que foi colocada, já é uma personagem mais evoluída que a grande maioria.

"- Sou minha. Não sou de mais ninguém."
comentários(0)comente



Lumi Tie | @lumi.reads 11/02/2019

Esperava mais
Tinta perigosa é o segundo volume da série wicked lovely escrito pela Melissa Marr. A história será focada em Leslie, a melhor amiga de Aislinn, lidando com um trauma recente e a convivência conturbada dentro de casa com seu pai e seu irmão após terem sido abandonados pela mãe.

Apesar de inserir essa nova protagonista no mundo alternativo de cortes e seres encantados que conhecemos previamente em terrível encanto, eu fiquei confusa com tanta citações de seres míticos sem a devida explicação de o quê eles são ou de sequer acompanhar uma pequena descrição pra sabermos diferenciá-los dos demais.

Nesse livro me vi lendo alguns capítulos sem nenhum entusiasmo por parecer mais do mesmo, em outros momentos pensei que a história iria engatar numa reviravolta e uma solução simplesmente aparece do nada. Até os maiores conflitos parecem... passivos.

A impressão que tive no final da leitura é que não adicionou muito conteúdo à trama original, nada que justificasse ter de ler esse livro inteiro. O final se assemelha ao de seu predecessor - um novo monarca na área! Acontecimento relevante que só aparece no epílogo.
Parece que esses livros estão desenvolvendo e nos apresentando personagens pra serem reunidos futuramente e participarem de um grande conflito. (Talvez com a alta corte?) Como os filmes do universo Marvel, a diferença é que os heróis são bem construídos, nos cativam e participam de conflitos críveis em suas próprias histórias.
comentários(0)comente



Yasmayfair 05/12/2020

Melhor que a encomenda
Num mundo literário abarrotado por hypados e enjoados ACOTAR (que eu não li mas tomei ranço devido ao excesso de hype, mas um dia vou conferir pra ver se as suspeitas se confirmam), COMO é bom o mundo feérico da Melissa Marr, que veio muito antes e, aliás, é muito mais realista e condizente com a tradição dos celtas irlandeses, de onde vem a inspiração pro mundo que Marr criou.
Há cinco anos atrás acho, li Terrível Encanto. Gostei? Gostei. A ponto de comprar a continuação, e fiquei ainda mais animada vendo que se tratava de uma história diferente, com outras personagens do livro tendo o protagonismo dessa vez. E, pra minha grata surpresa, minha expectativa se cumpriu pois ele É muito melhor que Terrível Encanto. A história é mais séria, as personagens são mais interessantes e maduras, acho eu, e tem o triângulo amoroso mais interessante e criativo que eu já li em muito tempo. Porque não é de propósito e nem é cheio de indecisões fúteis ou enroladas por parte da Leslie, que, aliás, foi uma ótima protagonista aqui e teve uma evolução. Gostei do Niall mas queria ter gostado mais. Agora pelos deuses, o Irial... AI GABI, SÓ QUEM LEU SABE. Não consegui nem ficar com raiva.
Falando nisso, aqui é melhor ainda notar o cuidado da Melissa em demonstrar que os seres feéricos, assim como era acreditado pelos celtas, podem ser maus e traiçoeiros sob uma ótima humana, mas pra essas criaturas esses conceitos maniqueístas não existem. E se tem uma coisa que me irrita é ver um Mundo Encantado com fadinhas fofinhas cheias de glitter porque isso NÃO existe, eu digo inclusive de verdade. Como bruxas estudamos e aprendemos muito sobre isso (ao menos as bruxas responsáveis têm essa noção, né) e como se aplica até mesmo aos elementais.

Mas voltando ao livro, Leslie passa por situações extremas que, no fim, foram consequência de escolhas que fez pra tentar superar desgraças pelas quais passou antes de a história propriamente começar. Ela não tem culpa de nada ali mas Melissa soube conduzir as dores e os traumas dela com muita sensibilidade e uma escrita sempre maravilhosa e imersiva (chegando por vezes a causar agonia), demonstrando que havia uma vontade dela de se ver livre dos problemas e que, muitas vezes, mesmo procurando o melhor, as coisas nem sempre se desenrolam à altura das nossas melhores intenções para com a nossa própria vida. Ou sim, até certo ponto, e, quando você vai ver, se tornou apenas uma folha seca numa correnteza. Porém Leslie foi além e, notando onde estava, conseguiu se forçar a sair daquele lento afogamento.

E chego ao final, que foi satisfatório: esperado por um aspecto e surpreendente por outro. Tô MUITO ansiosa pra ler o próximo e saber do desenrolar das cortes, e estar com Irial, Leslie e Niall novamente, mas, olhando pra minha fila literária, acho que ainda demora um pouco... Bom que dá pra sentir mais saudades. Só desanima que esse terceiro volte o foco pro trio bocejo: Aislinn, Seth e Keenan.
comentários(0)comente



Thais 11/09/2012

Apaixonada pela Corte Sombria
O segundo volume da série Wicked Lovely (Terrível Encanto) conta a história de Leslie e de sua repentina relação com a Corte Sombria.
No primeiro livro da série, a narrativa girava em torno de Aislinn e as cortes do Verão e do Inverno, porém em Tinta Perigosa ela é deixada em ”segundo plano”, mudando o foco para a história de Leslie (que diga-se de passagem, na minha opinião, foi muito melhor que a história apresentada no primeiro livro).

Leslie queria porque queria fazer uma tatuagem. Aliás, ela precisava fazê-la, como uma forma de ‘tomar posse de seu próprio corpo de volta’, depois que um fato perturbador aconteceu com ela. Enfim, só que o que ela não estava sabendo era que seu tatuador - e amigo- estava ajudando o rei da Corte Sombria, Irial, num plano que fortaleceria sua corte através de uma troca nas tintas para fazer tatuagens por sangue dos Encantados. E por uma fatalidade do destino, Leslie escolhe a imagem correspondente ao Rei Sombrio como sua futura tatuagem.

Acho importante comentar em como Irial é um personagem forte, que se sobressai. Já que em quase todos os livros YA tem um bendito triângulo amoroso, nesse não podia ser diferente, sendo protagonizado por Leslie, Irial e Niall - braço direito do Rei da Corte do Verão, Keenan -, e eu acredito que apesar dos bons sentimentos de Niall com Leslie, Irial conseguia se sobressair. Sem contar que eu sempre prefiro os caras ”maus”. Não que Irial fosse um tipo de vilão, mas também não era nenhum mocinho.
Gabriel, o braço direito de Irial, também foi um personagem que me chamou muito a atenção, aquele tipo de personagem que aparece sempre como coadjuvante mas dá muita vontade de saber mais sobre ele. Aliás, a Corte Sombria em si é um enorme ponto a favor para o livro, cheia de figuras interessantes.

Confesso que toda vez que a Aislinn aparecia me fazia fechar a cara. Ela nunca foi minha personagem favorita em Terrível Encanto - Donia roubava toda a cena, na minha opinião, e ela nem apareceu em Tinta perigosa chorei -, e a sua obsessão em manter Leslie longe dos seres encantados enchia o saco, usando uma linguagem bem direta. Keenan nunca me arrancou suspiros, mas ele é um personagem bem construído, que eu espero que fique com a Donia.

Enfim, capa é uma das mais bonitas da série e a tatuagem é realmente muito bonita (deu até vontade de ter uma igual, mas sei lá né, melhor não arriscar, rs). Livros com temática de fadas sempre foram os meus favoritos, e levando em consideração o quanto a série melhorou do primeiro para o segundo livro, mal posso esperar pelo terceiro.
comentários(0)comente



AndyinhA 29/07/2012

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

A vida da Leslie já tinha sido contada por alto no livro anterior, não todos os detalhes, mas percebemos que a família dela não é lá grandes coisas e que a vida da menina é sofrida, por isso neste livro vemos a transformação da personagem e como ela vai se meter no mundo das fadas.

Conhecemos uma nova corte e como ela atua, afinal depois das cortes do Verão e Inverno percebemos que há outras cortes e que elas não parecem tão satisfeitas com o arranjo que está sendo feito. Achei mais interessante do que o que apresentou no livro anterior, há cenas dentro da corte Sombria, vemos as informações sobre o olhar do narrador da história (3ª pessoa) e isso tem grande importância para saber o que acontece em cada canto.

Aislinn e Keenan aparecem neste livro, mas são personagens secundários, não desmerecendo os dois personagens – que gosto muito por sinal – mas este livro não fala deles, sabemos um pouco do que acontece porque os arranjos entre eles anda incomodando os outros fairies.

Para saber mais, acesse: http://ow.ly/czNht
comentários(0)comente



Camila 06/06/2012

Tinta Perigosa
Depois de acompanhar a história de Keenan e Aislinn no primeiro livro e saber mais sobre a Corte do Verão e a Corte do Inverno, esse segundo livro da série Wicked Lovely nos traz a história de Leslie, a amiga de Aislinn e de como ela acaba envolvida com a Corte Sombria, depois de ser escolhida por Irial. Keenan, Aislinn e Seth acabam se tornando meros coadjuvantes nesse livro e personagens, que no primeiro livro foram rapidamente mencionados, ganham destaque. Entre eles está Niall, o "conselheiro" de Keenan. Niall tem uma natureza sombria, mas jurou lealdade ao Rei do Verão. O problema é que Niall acaba envolvido com Leslie e isso desperta nele sentimentos a muito esquecidos.
A história desse livro me surpreendeu, mas ainda não foi o suficiente para me deixar "maluca pela série" rs...

www.leitoracompulsiva.com.br
comentários(0)comente



Bennet 30/08/2012

Abandonei esta leitura!
Sobre este livro, não posso falar muito.

Na verdade, o que aconteceu foi que eu abandonei esta leitura, pois em minha lista vi livros mais interessantes.
Quando comecei a ler, vi que o foco nos personagens pricipais no primeiro volume foi mudado. Os personagens deste volume eram outros e isso cortou a conexão que eu tinha, dando mais oportunidade a outros livros que eu já tinha em mente.

Não pretendo continuar essa leitura.
Yasmayfair 05/12/2020minha estante
Deu mole, perdeu um ótimo livro por besteira.




20 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2