Adeus à Humanidade

Adeus à Humanidade Marcia Rubim




Resenhas - Adeus à Humanidade


75 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


carlinha 16/08/2020

Adeus à humanidade
Esse livro tem uma escrita boa a leitura flui rápido , é um romance bem leve. Quem leu crepúsculo vai gostar.
comentários(0)comente



Jess 12/07/2020

Resolvi comprar este livro depois de a Mari Scotti me falar o quanto ele era bom, eu já o tinha visto uma vez, mas nunca realmente me interessei a parar e ver a resenha ou algo assim, todos que me conhecem sabem o quanto sou enjoada com livro nacional, ainda mais agora que você só precisa pagar a editora e eles publicam sem nem mesmo avaliar se vale a pena, se é realmente bom, bem escrito e criativo.

Depois de ter lido “Adeus à Humanidade” eu me pergunto como pude ter passado por ele tantas vezes e não ter comprado? Como sobrevivi por tanto tempo sem ter esse livro em mão? Sem saber essa linda e emocionante estória de amor?

Não tenho palavras o suficiente para dizer o quanto este livro é bom, tenho até medo de escrever esta resenha e não conseguir passar o amor suficiente que eu tive por esse enredo maravilhoso.

O enredo realmente tem seus toques originais mesmo que ele envolva vampiros, o que hoje em dia é tão comum e tão cansativamente idêntico. Por mais que eu ame esse mundo sobrenatural ainda sim essa febre de vampiros está ficando cansativo, porém “Adeus à humanidade” é tão bom que te faz querer mais é como um vicio que você não consegue largar de forma alguma. É tão viciante que logo nas primeiras páginas eu já desejava que a continuação saísse rápido.

Stephanie ama fotografar e é através disto que ganha um concurso que a leva para os EUA onde seu pai reside, claro que o homem poderia lhe dar a passagem, mas ela quer ter o orgulho de conquistar isto de mostrar que pode obter o que deseja. Não pensem que por os pais da Stephanie serem separados e o pai está com outra mulher que ele não dá bola para filha, o que acontece em muitos livros. Não, não, o homem é apaixonado pela filha dá céus e terras se assim a garota desejar.

Enfim, ao chegar lá, o pai lhe propõe que ela fique com ele por algum tempo para cursar enfermagem, afinal de contas, obter um diploma nos EUA daria muito mais prestigio do que no Brasil. E assim a garota seguiu, algum tempo se passou, mesmo com saudade de seu meio irmão Juninho e sua mãe ela segue com sua vida, uma vida a qual leva da mesma forma que era no Brasil; dentro de seu próprio mundo, apenas tendo uma melhor amiga e sem se envolver com ninguém, pois nenhum rapaz lhe despertava a paixão necessária, a tração para que ela quisesse ter um relacionamento ou até mesmo sair com ele.

Um dia seu pai tem de ir para Londres dá uma palestra (ele é um famoso hematologista) e deixa sua filha, porém ela fica um pouco preocupada por ele está estranha. Dias depois Stephanie recebe a noticia de que o marido de sua mãe foi assassinado, tenta então entrar em contato com seu pai para avisar que iria voltar para o Brasil e pedir também dinheiro para seu retorno, porém não consegue falar com ele, mas mesmo assim volta com o dinheiro que achar pela casa. Ao chegar tem que tomar conta de tudo, sua mãe estava em um estado lamentável de depressão e seu meio irmão tendo ataques de fúria.

A partir daí a vida de Stephanie muda completamente, principalmente ao saber que seu pai desaparecer, ninguém tinha noticias alguma dele, ele era sua única salvação para sustentar aquela família até que tudo se ajustasse, até que sua mãe reagisse. Como não havia mais qualquer opção ela vai trabalhar, mas o dinheiro que recebe no hospital do Rio de Janeiro não é o suficiente para sustentar a casa e acaba arranjando um emprego melhor em São Paulo e parte para lá, deixando uma mãe já trabalhando e seu irmão sendo tratado da forma que pode (ele tem um problema nos pés que faz com que tenha que usar botas).

Em São paulo o trabalho é bom, o salário razoável e as pessoas ao seu redor maravilhosas... Até ela conhecer Richard, ele é o melhor médico daquele hospital, todos os pacientes em suas mãos são milagrosamente curados, porém o homem é extremamente rude com as enfermeiras, ninguém consegue trabalhar com ele e Stephanie tem que justamente o auxiliar, isto é um martírio para ela, o médico pode ser lindo e inteligente, mas é extremamente grosso.

Porém mesmo com todas as grosserias ela acaba aos poucos se apaixonando por ele, com o tempo o homem começa a baixar sua barreira, mas mesmo assim Stephanie tenta não se deixar encantar por ele, principalmente quando descobre pelo pessoal do hospital que o homem tem uma linda namorada.

Aos poucos os mistérios começam a surgir e isto te prende cada vez mais, principalmente para descobrir o porque de Richard ser daquela forma, sem falar que o romance entre os dois é algo extremamente complicado.

Você agora deve está se perguntando onde está a parte sobrenatural a qual eu falei, que envolve vampiros... Bem, isso você vai ter que ler para descobrir, mas te garanto, ponho minha mão no fogo; esse livro é muito bom.
comentários(0)comente



Giane 07/05/2020

Surpresa total
Decidi ler 30 paginas por dia desse livro, uma maneira de desencalhar os meus físicos da estante. Nas primeiras duas noites (60 páginas) achei a leitura meio chata, não desenvolvia, só via aquela jovem adulta sofrendo como se fosse uma adolescente muito mais nova... achei enfadonho. Porém, na terceira noite tive uma grata surpresa: a leitura começou a fluir e acabei lendo durante toda a noite. Comecei a me apaixonar por Richard, sofrer com a Stephanie e torcer por esse casal tão lindo e apaixonado. Dei várias gargalhadas, quase fui as lágrimas umas quantas vezes e, para o desespero dos vizinhos, durante a madrugada, dei vários gritinhos de euforia a cada conquista que eles conseguiam! No final, acabei descobrindo que este livro tem continuação, mais três obras, e já as adquiri, inclusive já comecei a segunda leitura. Estou completamente apaixonada por esse casal e viciada na escrita da Marcia. Amei, amei, amei!
comentários(0)comente



Silvia.Souza 09/01/2018

Razoável...
O livro é bom, apesar da Sthefany ser bem chatinha, pelo menos até conhecer o Richard... Apenas achei que o tema "vampiro" foi meio banalizado a história... Ela aceitou muito rápido e depois faziam muitas piadinhas sobre o fato... Também achei o diálogo dos dois meio imaturo... Bom, vamos ver se melhora nos próximos livros....
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Dani | @aliteratar 06/07/2017

Me lembrou um pouco "Crepúsculo"...
Stephanie é filha de pais separados, seu pai mora nos EUA e ela, no RJ com sua mãe e seu irmão mais novo (fruto do novo casamento dela). Ela tem problemas para se relacionar com pessoas e sente-se sozinha constatemente, mesmo tendo Anne, sua melhor amiga. Após passar um tempo com seu pai nos EUA, cursando enfermagem, Stephanie muda-se novamente para o Brasil depois de ocorrer uma tragédia em sua família. Tendo agora que ajudar a sustentar a casa, ela encontra um trabalho em SP, em um hospital como enfermeira. Seu pai, após uma viagem de trabalho, desaparece sem dar notícias. Logo, a polícia local de Londres (onde seria o evento), da como encerrada as buscas e todos acreditam que ele está morto (mesmo não encontrando seu corpo). Agora Stephanie vive com a angústia do desconhecido sobre seu pai e a tristeza de sua mãe. Quando conhece o Dr. Richard, tudo muda! Ele, um médico extremamente charmoso, excelente profissional, sério e reservado vê seu mundo controlado e seguro, desmoronar com a chegada da nova enfermeira Stephanie. Os dois começam a nutrir um sentimento um pelo o outro. Mas será que apenas o amor é suficiente para uni-los? Richard não é o que aparenta ser. Qual é seu segredo obscuro? Por que seus olhos mudam de cores? Mas Stephanie possui uma doença rara (até então não descoberta), e para salvá-la, Richard faz o impossível para vê-la saudável novamente, mesmo que sua própria vida fique em risco. Agora, o que acontecerá com eles? O livro é interessante, para quem gosta de fantasia, indico!
comentários(0)comente



Rossana 07/06/2016

Bom história, mas falta compasso.
Como explicar a leitores diligentes e assíduos que uma história poderia ser boa com poucas mudanças e ótima se cronologicamente mais organizada. Essa foi a primeira sensação que o título de Marcia Rubim me deixou. Comecei a ler empolgada, já conseguia imaginar o que estava por vir (o que me deixou animada e ansiosa) e pouco depois quase desisto de ler porque o compasso da história é meio irritante: às vezes lento, às vezes rápido demais; às vezes explica demais e em outras joga centenas de fatos, que poderiam render um capítulo a parte, em poucos parágrafos.

O livro lembra muito a obra Crepúsculo de Stephanie Meyer quanto ao enredo principal, mas o entorno da história é pessimamente desenvolvido, em outras palavras: falta emoção. Os personagens são lindos (fofos), porém carecem de profundidade. Parece que a escritora estava com pressa parar terminar a história ou com medo de desenvolver os eventos e parecer chata. Faltou confiança para desenvolver a própria história. Nada que uma boa equipe editorial não dê conta, se ela tiver vontade de rever o texto e aprofundar algumas passagens.

Mesmo assim devo dizer que a história é legal porque os personagens são interessantes. Os diálogos são quase todos excelentes (apesar das falhas mencionadas na continuidade do texto), principalmente os dos protagonistas, quase sempre cômicos e divertidos, típico de pessoas bem humoradas e casais apaixonados. Melhor parte do livro, sem dúvida.

Gostei tanto dos personagens, que já estou lendo a continuação "Quando a Humanidade Prevalece" e torço para que as pequenas falhas da obra anterior, sejam superadas, a medida que a escritora ganha confiança na sua obra e nos seus personagens.
Luana 02/01/2017minha estante
Concordo com você, tive a sensação de estar lendo CREPÚSCULO na versão nacional.




Livros Encantos 01/03/2016

Com uma escrita leve e um amor verdadeiro o livro me conquistou.
Com uma escrita leve e um amor verdadeiro o livro me conquistou.

As almas se reconhecem quando o amor os une.

Stephanie é uma moça que tem uma estrutura familiar, mora com sua mãe e seu irmão caçula, seu pai separado e mesmo com uma profissão que o mantinha longe de casa, sempre deixou claro o quanto a ama.
Nunca se interessou de verdade por alguém, sentia um vazio em sua alma, que nada preenchia, mesmo seu amor por fotografia, se sentia diferente de todos, sua melhor amiga a incentiva a namorar, mas algo a impedia de seguir em frente.
Quando uma tragédia abala sua família ela se torna o alicerce e bom senso, e sua única solução é ir morar em São Paulo, trabalhar em um hospital, um dos médicos diretores implica demais com sua conduta,
Seu pai está sumido e não lhe resta outra saída além dessa mudança.

Dr Richard é lindo e muito competente em seu trabalho, sempre direto cobra muito de seus funcionários exigindo total dedicação.

Stephanie sente muita irritação com as injustiças a sua conduta profissional, em uma boate ela irá descobrir o motivo de Richard a tratar assim, e percebe que há muito mais que uma simples implicância por parte dele.
Ela reluta muito mas não consegue negar que ele consegue mexer com seu sentimentos como nenhum outro conseguiu, após tudo esclarecido e uma linda noite de amor, as promessas de um amor lindo vai ser ameaçado pelo destino.

O destino vai ser cruel com esse lindo casal e somente um milagre poderá os salvar.

Com um final lindo e emocionante, nossos protagonistas sentem a esperança renovada e um mundo novo irá ser explorado.

Eu amo livros com vampiros, e após ler tantos elogios a escrita da autora, não pude deixar de ler, com uma escrita leve e muito direta, Marcia consegue se destacar com a construção de uma linda história de amor e entrega a essa relação por ambos os protagonistas.

Nos emocionamos com o amor de ambos, sentimos em cada cena, o quanto se amam e se completam, aquele vazio de ambos foi completado com o amor .

Não vejo a hora de ler o próximo livro nessa nova fase dos protagonistas.

O casal de protagonistas me conquistou pela cumplicidade, afinidades, o diálogo entre eles é regado de bom humor, o que sempre acaba deixando o leitor com sorriso aberto, sentimos o carinho entre eles, aquele amor que cuida, que nos faz rir e acima de tudo nos completa.

A autora tem uma escrita muito direta, sem enrolação, gostei da maneira que conduziu toda história nos mostrando o poder do amor verdadeiro.
O final do livro nos deixa curiosos para saber como será a nova fase de nossos protagonistas e quais dificuldades irão enfrentar.


site: http://www.livrosencantos.com/2016/02/adeus-humanidade-marcia-rubim.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Raffafust 10/04/2015

Comprei o e-book na Amazon e imaginei somente um romance. Não li sinopse, não li resenhas, encarei o assim, queria que me surpreendesse, tantas amigas falando bem da escrita de Márcia Rubim que fui com grandes expectativas.
Devo concordar que ela escreve bem sim, tem aquele poder de contar uma história que por mais clichê que seja não vira mais do mesmo porque ela sabe como nos envolver, e quando o tema envolve vampiros, tenho tido dificuldade de não bocejar na metade do livro.
Mas fui fundo, conheci Stephanie, me imaginei de novo com 23 anos ... mas vi tantas diferenças que parei. Parei de me imaginar e comecei a entender. A vida da moça não é fácil, com os pais separados ela se vê dividida entre eles já que um mora no Brasil e outro nos Estados Unidos. Não sabe qual agradar mas fica feliz quando ganha um concurso e nele a passagem para visitar seu pai é o prêmio dos sonhos, normal que a mãe se sinta traída , que ache que ela devia ter contado a ela seus planos , mas a filha não imaginaria que poderia ganhar, certo?
Com o prêmio pronto para ser usado ela combina com o pai a ida para sua casa. Stephanie deixa para trás a mãe e o padrasto que ela adora ( gosta tanto que foi ele quem a incentivou na fotografia, o tal concurso era de fotos) .
A protagonista viaja para Florida e lá se encanta com tudo, porém uma ligação informando que seu padrastro faleceu a faz pegar o primeiro voo sem nem avisar ao pai para estar perto da mãe. O cenário no Brasil não é fácil. Sua mãe nunca trabalhou, seu pai do nada some e ela fica sem mesada. A solução é ela arrumar um emprego para ajudar em casa.
Acaba indo parar em SP ( ela mora no Rio, desculpe se esqueci de falar) trabalhar como enfermeira - ela estava cursando nos EUA - o que ela encontra não é somente um emprego, mas um homem charmoso chamado Richard, que o que tem de lindo tem de arrogante. Ele não facilita em nada a vida da moça, é um hematologista rico e ao mesmo tempo que sente atraído por ela parece querer fugir , - vamos entender o motivo no decorrer da leitura - daquele jeito que a gente fica com raiva e quer juntar os dois de qualquer jeito. A menina já sofreu tanto e ainda arruma um mala de chefe, o cara claramente faz isso para ela não gostar dele, o que para nossa alegria não dá muito certo.
Posso dizer que o livro melhora e muito quando os dois finalmente se entregam a paixão , o leitor passa a torcer pelo casal . Os dois que antes se sentiam sós se encaixam como "Legos" e a quem curte um bom romance vai entrar de cabeça no mundo de entrega total dos personagens em nome desse amor.

É uma história vampiresca sim, mas que merece atenção. Stephanie e Richard não se deixam levar pelo drama, eles vivem intensamente e com isso nos conquistam. Márcia é ótima sim, gostaria muito de ler livros dela com outras temáticas.

site: http://www.meninaquecompravalivros.com.br/2015/04/resenha-adeus-humanidade.html
comentários(0)comente



Fer - Mato Por Livros 06/04/2015

Com certeza eu gostei muito, essa foi uma história de fantasia que conseguiu me prender (afinal não é mais muito meu "forte" ler fantasia, salvo algumas exceções e essa foi uma delas).

A Márcia Rubim com certeza escreve muito bem, e sabe nos envolver na trama de forma extraordinária, e nos prepara grandes surpresas, algumas tão inesperadas que chegamos a falar - Nossa como assim?

Eu simplesmente amei os protagonistas. Stephanie não é o tipo de mocinha do time das "mimimi", ela cai, ergue a cabeça, enfrenta e segue em frente. Claro que ela tem os seus momentos: - Por que comigo meu Deus?.
Mas afinal quem não teria? E ainda mais com problemas como os dela.

Problemas esses de tirar o fôlego e realmente ficar matutando que tantos mistérios são esses que envolvem a vida de Stephanie e Richard.

Hummm Richard, nossa quem não gostaria de ficar doente só para ser tratada por um médico assim? Eu não ligaria de apanhar um resfriado rs.

Richard é o herói/vilão que sempre nos faz suspirar pelos cantos. Eu sabia o que esperar dele, mas não sabia como iria acontecer e a forma como aconteceu, uau, foi muito inesperada e intensa. Palmas para Marcia Rubim que me fez pensar que as coisas aconteceriam à la Crepúsculo. Com muita calma e paz. Que nada!

Falando em Crepúsculo, em alguns momentos senti alguns elementos da saga presentes na história, mas tudo de forma bem sutil! Quase imperceptível, mas não para mim, uma Crepuscólica rs. E não vejo mal algum nesse tipo de inspiração!

Mas Marcia Rubim, com certeza criou sua própria história, e com muito louvor. Gente o ponto alto da história quase me fez arrancar os cabelos. Que Volturi's o que? Em Adeus à Humanidade temos algo muito mais "humano" para assombrar esse lindo casal.

Bem só me resta dizer que estou muito, mas MUITO ansiosa pelos próximos livros, e aterrorizada também, não tenho nenhuma dúvida de que Marcia é daquelas escritoras que adoram, ver nós, reles leitores sofrendo de angústia e preocupação com seus queridos protagonistas, prova disso que já no primeiro livro ela já quase me fez ter um infarto.
Mas vida de leitor não é nada fácil!

Eu com certeza indico essa leitura claro, para quem adora uma fantasia romântica e com altas doses de mistério.
E se você não gosta, acho que deveria se aventurar, afinal as vezes é ótimo deixarmos nossa zona de conforto e nos aventurarmos por mundos obscuros que talvez existam e tentamos de todas as formas negar sua existência...


Um super beijo

site: www.matoporlivros.com.br
comentários(0)comente



Erika Daniela 19/03/2015

Legal
Stephanie é uma garota que sempre teve tudo, mas quando seu pai desaparece, seu padrasto é assassinado e sua mãe entra em colapso, ela se vê tendo que trabalhar. Mas como ela era formada em enfermagem e trabalhou muito tempo com seu pai, um renomado médico, consegue emprego fácil junto ao Dr. Richard, um médico excelente, mas de um humor péssimo. Nas primeiras 80 páginas a autora descreve o dia a dia da Stephanie e seu relacionamento com os pais. Quando parece que vai engrenar alguma ação, ela pula.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Yasmim 17/08/2014

A vida é mesmo uma coisa estranha ...
Até bem pouco tempo, acharia graça se alguém me dissesse que eu moraria em São Paulo numa pensão humilde, contando moedinhas para inteiras as contas do mês e juntando as sobras de comida do dia anterior para fazer um sanduíche com um aspecto esdrúxulo.

E, é assim que conhecemos Stephanie, uma carioca que se depara em uma situação que até mesmo o mais forte dos mortais duvidaria.
Após se mudar para os Estados Unidos para morar com seu pai, Stephanie decidi formar e se especializar em uma das melhores faculdades de Enfermagem. Mesmo se sentindo deslocada de tudo e de todos ela acredita - inocentemente - que sua profissão a faria ver o mundo com outros olhos. Mal sabia ela que estava se encrencando de uma vez.

Às vezes eu parecia um peixe fora d’agua. Sentia falta de ter um objetivo, de fazer planos para o futuro. Não fazia parte de lugar nenhum neste mundo.

Tudo andava nos conformes, até sua vida mudar drasticamente após o assassinato do atual marido de sua mãe e o misterioso sumiço de seu pai, um médico muito reconhecido na medicina. Resta a Stephanie voltar ao Brasil para tomar conta da família, já que sua mãe a muito tempo não trabalha e seu irmão mais novo precisa urgentemente de tratamento.
E para poder sustentar a casa, a unica solução será se mudar do Rio para São Paulo, e, é lá que as coisas mudam totalmente.
Não importa a eternidade que leve até que se encontre o verdadeiro amor, e sim a intensidade com que o sentimos quando ele se manifesta em nossas vidas.

Stephanie passou por tudo em sua vida, desde a dramática separação de seus pais, à ciúmes doentios de sua madrasta, e até a estranha sensação de que jamais se encaixaria no mundo. Mas em hipótese alguma se imaginou a passar pela humilhação que era trabalhar ao lado do Dr. Richard. Já não bastava trabalhar em um lugar onde seu grande diploma simplesmente não valia nada, Sthe teria que aguentar ao rancoroso e mal humorado Richard. Que amedrontava até seus próprios companheiros de profissão.

(...) Mas quando penso em quantas vidas já salvou ... recuo e acabo relevando. Ele é de uma competência extrema, chega a ser até demais! - Suspirou Dora. - É a verdadeira mola propulsora deste hospital. Nunca o vi deixar de curar quem quer que fosse (...) Os doentes que têm a sorte de tê-lo como médico (...)

Mas a arrogância de Richard seria relevante se ele simplesmente não atraísse tanta a atenção de Stephanie. E para quem nunca se sentiu atraída era estranho ser tão rejeitada e indesejada ... e logo na primeira vez.

Digno de 5 estrelas em minha estante no skoob! Pode parecer exagero, ou até romanticismo demais. Mas esse livro teve tudo do que eu precisava, tanto que simplesmente fiquei uma semana sem querer ler livro algum. Assim que terminei, minha vontade era em ler o livro novamente, e novamente, e novamente até decora-lo de trás pra frente. Gente, juro que não é exagero. A escrita é simples, mas não pobre. Nada de palavras requintadas, porém é rica no vocabulário. E eu simplesmente amei tudo isso. Tanto que o livro durou menos que um dia.

O livro é narrado por Sthephanie, e temos aqui uma personagem no qual todos os livros deveria ter. É rica, mas não é mimada. Tem problemas mas não reclama toda hora. É bonita mas não sai se esbanjando por ai. A história começa com Sthe aos 16 anos - senão me engano - e termina aos 23.
Ao começar a ler o livro eu simplesmente não esperava nada, só que tinha uma capa pra lá de bonita. Não li resenhas e até mesmo pulei a sinopse, e quando fui ver estava em um mundo vampiresco totalmente diferente do que já tinha lido.
A história só começa a mostrar algo sobrenatural já pra metade do livro. O romance criado entre o casal é gostoso de se ler. Talvez por estar tão rodeada de livros com pegadas mais quentes - até por demais - quando me deparei com um romance mais leve acabei que me apaixonando de primeira sem ao menos contestar. (Risos)

O livro teve tudo que se espera em um bom livro. Romance na medida certa. Drama na medida certa. Dificuldades na medida certa. E, é claro, comédia na medida certa.

- O que fez ontem à noite? Namorou demais e esqueceu de dormir? Revirei os olhos em ironia. - Muito pelo contrário. Briguei com o meu namorado a noite inteira. Qualquer dia lhe apresento. O nome dele é Travesseiro e o apelido, Desmilinguido.

Apesar de ter amado o livro do começo ao fim, a rápida aceitação da personagem foi uma coisa que me decepcionou. Esperava encontrar certas barreiras nesse quesito, ou até mesmo um grande drama (coisa que não ocorreu). E acabou ficando uma coisa que uma boa parte dos sobrenaturais tem, a fácil/rápida aceitação. Mesmo assim foi uma leitura ótima, da qual eu recomendo a todos sem nem ao menos pensar duas vezes. Fica a dica.

site: http://miiheomundoliterario.blogspot.com.br/2014/07/resenha-adeus-humanidade-marcia-rubim.html
comentários(0)comente



75 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5