O Homem Mais Rico da Babilônia

O Homem Mais Rico da Babilônia George S. Clason...




Resenhas - O Homem Mais Rico da Babilônia


322 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Anna 26/05/2010

O homem mais rico da babilônia
Tenho certeza que o autor de “Pai Rico, Pai Pobre” foi buscar inspiração neste livro de George S. Clason, O homem mais rico da Babilônia. É um livro de educação financeira, escrito inicialmente em forma de panfleto em 1926. George conta várias histórias de sucessos e fracassos financeiros que teriam ocorrido na antiga Babilônia, uma das cidades mais ricas do mundo. Ele enfatiza o fato de, que na cidade mais rica do mundo, existem pobres e pessoas com dificuldades financeiras.
A história principal é de Arkad, o homem mais rico da Babilônia. Arkad era um homem pobre, escriba que trabalhava muito sobre tabuinhas de argila. Mesmo trabalhando muito, nada conseguia guardar. Não tinha perspectivas de ver sua sorte mudar. Até que um dia, conheceu Algamish, o “emprestador” de dinheiro da cidade e lhe perguntou o que poderia fazer para ser rico como ele. Algamish respondeu simplesmente que ele deveria separar 1/10 do ganhasse para si mesmo. E este simples gesto poderia mudar sua sorte.

O trecho da conversa entre Algamish e Arkad:

- Para ser igual a mim é muito simples - disse o homem mais rico da Babilônia. – Basta entender que um décimo do que você ganha é seu.

- Isto não faz sentido – respondeu o rapaz. – Tudo o que ganho é meu.

- Você não paga o alfaiate? Não paga o padeiro todos os dias? Você não pode viver um dia sequer sem gastar, e o seu dinheiro é de todo mundo, menos seu.

“A partir de agora, reserve um décimo do seu salário para pagar a você mesmo. Use este dinheiro em seu benefício; não esqueça que os caminhos da riqueza são mágicos e estranhos. Se você cuidar bem deste décimo, ele um dia recompensará todos os seus esforços.”

Esta constatação básica de Algamish nunca estivera consciente em minha mente. É óbvio. É simples. É claro. Mas poucos de nós somos conscientes de que nosso dinheiro é de todo mundo, menos nosso. A partir deste diálogo, comecei a acreditar no que George afirmava no início do livro, que os princípios que seriam apresentados são universais e imutáveis. São eles: pague a você primeiro, isto é, reserve uma parte do que ganha para si mesmo, multiplique seus rendimentos, proteja seu dinheiro contra perdas, assegure uma aposentadoria e faça do seu lar um investimento lucrativo.

Assim como o autor do Pai Rico, Pai Pobre, George confirma que para investir é preciso tempo e estudo. Devemos procurar as oportunidades, devemos estar de olhos abertos para identificar as várias formas de aumentar os ganhos que nos cercam e principalmente, aconselhar-se com pessoas que realmente entendem do negócio no qual se deseja investir.

Porém, ao contrário de Robert Kiyosaki, George apresenta um plano prático para poupar. Ele descreve o que devemos fazer para trilhar o caminho do acúmulo de riquezas, mesmo para os endividados. Segundo George, devemos viver com apenas 7/10 de tudo o que ganhamos. Já 2/10 seriam para pagar dívidas e empréstimos adquiridos no passado e o 1/10 restante deveria ser poupado.

O homem mais rico da Babilônica garante que após pagar suas dívidas, você estará acostumado a viver com 7/10 e poderá acumular ainda mais. Isto é, poderá somar mais dois décimos à sua poupança. Além disso, ele fala quais são as características que um homem deve ter para manter o ouro perto de si. O ouro escolhe os homens de acordo com seus hábitos.

Sendo um livro fácil, direto e muito barato, leitura recomendada. Porém, se você já leu vários livros de educação financeira, talvez não acrescente nada. Mas, aí vai um conselho: se você estiver em dúvida entre ler Pai Rico, Pai Pobre ou O homem mais rico da Babilônia, leia este último. Mais uma vez, me pergunto porquê não iniciei minha educação financeira mais cedo! Nós deveríamos aprender estes conceitos no colégio!
Muriel 13/07/2013minha estante
Gostei muito de ler esse livro, foi uns dos primeiros, e quando eu for pai, darei umas tabuinhas de argila e um saco de ouro para meus filhos se virarem, kkk, brincadeira, darei esse livro..


Neto 26/12/2020minha estante
Recebi esse livro da minha filha e adorei. Parabéns pela resenha!


Adriano.Santa 31/01/2021minha estante
Ótima resenha
Parabéns


Rafael 12/02/2021minha estante
Livro fantástico pra educação financeira, regras do ouro seguem as mesmas.

O enriquecimento vem do trabalho, poupar, investir em valor , esperar e não ter dívidas...2021 passou e as pessoas ainda continuam acreditando em ganhos fáceis, em trade, acertar o futuro, 5%ao mês , e acabam terminando sem nada .

I. O ouro vem de bom grado e numa quantidade crescente para todo homem que separa não
menos de um décimo de seus ganhos, a fim de criar um fundo para o seu futuro e o de sua
própria família.
II.0 ouro trabalha diligente e satisfatoriamente para o homem prudente que, possuindo-o,
encontra para ele um emprego lucrativo, multiplicando-o como os flocos de algodão no campo.
III. O ouro busca a proteção do proprietário cauteloso que o investe de acordo com os conselhos de homens mais experimentados em seu manuseio.

IV. O ouro foge do homem que o emprega em negócios ou propósitos com que não está
familiarizado ou que não contam com a aprovação daqueles que sabem poupá-lo.
V. O ouro escapa ao homem que o força a ganhos impossíveis ou que dá ouvidos aos
conselhos enganosos de trapaceiros e fraudadores ou que confia em sua própria inexperiência e
desejos românticos na hora de investi-lo.


Narla 08/04/2021minha estante
Só pela resenha já quero ler




@gregori.notes 25/02/2021

Há mais de 2500 anos, já tinha cursinho de finanças (haha)
Um livro que entra na lista daqueles para quem deseja adquirir o hábito da leitura. Livro leve, mas o texto não é nem simples e nem complexo, dá para muitas pessoas obterem conhecimentos sobre finanças e pouquinho sobre história.

Eu pessoalmente adorei toda a reflexão passada, mesmo já está meio "cansado" de ouvir/ler a mesmas coisas sobre finanças.

Eu fico impressionado como há mais de 2500 anos a galerinha da Babilônia já estavam aprendendo sobre finanças e ainda hoje se tem um problema enorme de pessoas não sabendo ministrar o próprio dinheiro.

Enfim, recomendo a leitura e colocar em prática os aprendizados caso você não já esteja colocando.

Abraçosss...
comentários(0)comente



Jainy.Maria 25/05/2021

Livro riquíssimo em detalhes, que fala aquilo que já sabemos e precisamos por em prática, só que em uma leitura muito leve e gostosa contando histórias. Diferente de muitos livros de educação financeira com uma linguagem complexa e cansativa.
comentários(0)comente



Bual 19/09/2020

Recomendo-o a todos que desejam o êxito
Essencial para a educação financeira de qualquer um. Todos deveriam aprender no mínimo um dos ensinamentos deste livro. Durante a leitura, desejei que diversos conhecidos, que passam por dificuldades financeiras, possam tirar proveito desta leitura como eu tirei.

O livro é coleção de contos sobre histórias de pessoas que prosperam na Babilônia. Não apenas os sucessos, mas os infortúnios também.

Admirável é quanto, mesmo depois de milhares de anos, os ensinamentos do livro podem ser aplicados atualmente. Eles são tão fundamentais que considero esse livro uma mina de ouro tão próspera quanto as riquezas contadas em suas páginas.

?Os éons do tempo cobriram de areia os altivos muros de seus templos, mas a sabedoria da Babilônia permanece?.
comentários(0)comente



Layla 05/09/2020

O livro nos mostra lições sobre a vida financeira de forma simplificada, utilizando a história dos babilônios, a linguagem é ótima, acredito que seria um bom livro para começar a se educar financeiramente, achei as lições válidas e importante, porém as histórias babilônicas ficaram cansativas e entediante. Para os leitores se situarem historicamente acharia que o último capítulo que faz um aporte histórico deveria ser o primeiro do livro. Esse livro éuma boa forma de ensinar para pessoas mais jovens.
Gilberto Alves 05/09/2020minha estante
Muito bem colocado!




Léo 12/01/2021

Deveria ser obrigatório
Se um dia me perguntassem qual livro eu indicaria para todas as pessoas no mundo, sem duvidas seria esse. Como gostaria de tê-lo lido muito antes, quando era mais novo, de preferência. Esse livro contém dicas valiosas para a vida, contém ensinamentos extremamente necessários e que podem evitar muita infelicidade, principalmente se tratando de finanças.
Pri 13/01/2021minha estante
Hehe coloquei na minha lista :D




Cris Peixoto 24/03/2021

O homem mais rico da Babilônia.

Resgate da dignidade e da família, excelência no trabalho, criatividade, viver dentro da realidade de sua renda, como poupar, como pagar dívidas e o que priorizar sempre. O livro é uma aula de vida.
comentários(0)comente



Mirian 02/12/2020

Leitura válida para quem quer saber mais sobre organização financeira.

Apesar de se passar na antiga babilônia, os preceitos podem ser aplicados na atualidade!
comentários(0)comente



Raine R. 10/07/2020

Excelente!
Excelente livro, leitura muito rápida e de fácil compreensão. O livro apesar dos anos e da história que se passa há muitos séculos atrás, nós trás ensinamentos valiosos para o dia de hoje, muitos dos livros atuais sobre finanças se baseia nós ensinamentos deste livro.
comentários(0)comente



Bacurau 13/04/2021

?Onde há determinação, o caminho pode ser encontrado?
Caramba, estou realmente impressionado positivamente com essa obra! Transmite muito conhecimento através de historinhas. Acho que todos deveriam ter a oportunidade de ler!
comentários(0)comente



Willian 13/10/2020

Para guardar dinheiro!
Apesar de ter sido escrito em 1926, todas as lições são muito atuais e o livro é um clássico de finanças pessoais. Vemo-nos ou vemos pessoas que conhecemos nos personagens. Livro essencial para quem deseja bem administrar o seu dinheiro.
comentários(0)comente



Lipe 18/02/2021

Clássico da literatura financeira.
Creio que para os que se interessam por essa área, deva ser uma leitura obrigatória. A linguagem é um tanto rebuscada, mas de fácil compreensão. Apresenta leis, mandamentos em relação ao dinheiro e como geri-lo da melhor forma. É um livro muito bem escrito e que no final apresenta um capítulo apenas para falar sobre a Babilônia e todas suas maravilhas que se perderam no tempo. Recomendo!
comentários(0)comente



Gracinha 23/04/2021

Riqueza em forma de livro
Comecei a leitura por indicação e não poderia ficar mais satisfeita. Em tempos tão difíceis, principalmente porque não temos uma educação financeira, aprender a controlar suas finanças é sabedoria. E George S. Clason ensina com mastria, pois traz ensinamentos em formas de histórias passadas na cidade mais rica da História, a Babilônia. A todos que interessarem, a leitura é extremamente válida.
comentários(0)comente



Yorran 06/02/2021

R$15,00 na Amazon é muito barato pelo rico conhecimento.
Que livro sensacional, gostaria muito de ter lido ele aos meus 13 anos de idade.

Um pouco do que aprendi:

1 - Buscar conhecimento
2 - Guardar 10% de tudo o que você ganha
3 - Não perca uma oportunidade
4 - Não empreste dinheiro a ninguém
5 - Sempre tenha algo guardado
6 - Trabalhe sempre dando o seu melhor

Sabedoria pura.
Paola 06/02/2021minha estante
Aí sim ???




Alvaro 10/01/2012

Um livro para solidificar a base
Este é um livro básico, mas no melhor significado que eesta palavra tem: ele forma a base para sua educação financeira.

Nele estão princípios basilares, contados numa linguagem prazeirosa, de contação de história.

É comum achar sem graça o óbvio; Achar o básico, o óbvio. E não dar importância a ele. Achar que já sabe. Algumas vezes a gente busca o revolucionário e criativo que, como num passe de mágica, mudará toda a sua situação...

Isto é um erro. Para obter resultados satisfatórios, o básico precisa ser praticado com técnica apurada. Como disse Buffet " Não é preciso fazer coisas extraordinárias para se obter resultados extraordinários".

Por isso, o livro é recomendadíssimo.
comentários(0)comente



322 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |