Amante Renascido

Amante Renascido J. R. Ward




Resenhas - Amante Renascido


66 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Jéssica 05/01/2013

Amante Renascido ~ J. R. Ward
“Comparações são facilmente feitas, uma vez que você já provou o gosto da perfeição.“

Sim, eu estou citando uma frase de uma música pop numa resenha sobre a Irmandade da Adaga Negra, por mais diferente do ambiente dos irmãos que Katy Perry possa soar, ao final do livro essa letra pareceu se encaixar como uma maldita luva. Mude os pronomes do masculino para o feminino em algumas partes e pronto, você tem a trilha perfeita para a estória de Tohr. Sim, perturbador, mas não menos verdadeiro por isso, na minha concepção.

Muita expectativa rodou em torno desse livro, sim, é claro, porque quem é fã da Irmandade como eu sou, se lembra daquele momento... daquele trágico momento onde um mundo de um irmão foi destruído pelas mãos e pela arma de um lesser/redutor/fdp lá nos meados do terceiro livro.

Eu senti a dor no peito e o mal pressentimento junto com o Tohr enquanto lia aquela cena em que ele ligava várias vezes para casa, para sua shellan, e, ao mesmo tempo em que eu torcia junto com ele para que no próximo toque ela atendesse, eu também sabia que à partir daquela parte do livro nada nunca mais seria o mesmo para aquele irmão.

“Você disse: ‘siga em frente’. Para onde eu vou?”

E agora 7 livros e alguns anos depois, houve pessoas que acharam que era cedo demais para o livro do Tohr (eu fui uma delas).

Por que ficou claro, desde o primeiro livro, que um macho vinculado respira ao ritmo do batimento cardíaco de sua shellan. O que levou a todos presumir que sem sua shellan, um macho vinculado parava de respirar. Certo?

Certo?

Não. Errado. E para J.R.Ward tentar conseguir nos convencer do contrário ao que ela vem dizendo desde o primeiro livro, levou muito Sangue, Suor e Lágrimas, como Lassiter mesmo apontou que levaria para Tohr seguir frente após a perda do amor de sua vida.

“Eu suponho que a ‘segunda melhor’ é tudo o que eu conhecerei.”

As diferenças entre as personagens femininas na estória foram frisadas e refrisadas para garantir explicitamente que uma não se parecia nenhum pouco com a outra, a diferença maior estava no modo como elas morreram:

Wellsie estava grávida quando teve sua vida tirada violentamente.

No’One tinha acabado de ter uma filha quando tirou sua própria vida.

Dois opostos que começavam e terminavam no mesmo ponto de convergência: Tohr.

“Como eu fico melhor, uma vez que já tive a melhor?”

Ao contrário do que se esperava no inicio do livro, o pensamento e sentimento de que a No’One não é boa o bastante para o Tohr, que ela não chega aos pés da Wellsie, não esta apenas na mente do leitor, mas sim inserido nas situações do livro e nos próprios personagens.

A começar pelo nome (No’One = Ninguém) e continuar pela maneira servil que ela age até a maneira como ela se veste.

Como poderia uma personagem como ela ser aquela que tiraria Tohr de sua miséria?

Só por um motivo: Porque o pouco que ela tem, ela tem de sobra.

E isso seria o amor incondicional que ela se permite sentir por ele. Não retribuído em tantos aspectos, doentio em outros. Ela se entrega nessa relação com Tohr doando tudo de si e exigindo muito pouco em troca.

Como não admirar a coragem dela a partir daí?

Pois amar alguém é um ato indubitavelmente corajoso e no que concerne o passado dela, por tudo o que ela já passou, a coragem é em dobro.

Houve pontos em que eu torci para que ela não ficasse com o Tohr, não porque ela não o merecia, mas sim porque ele era aquele que não merecia ela.

“Quando eu estou com ela, eu estou pensando em você.”

Esse livro não vai entrar como meu favorito, porque ao final a tentativa da JRW não conseguiu me convencer. E eu ainda não estava completamente certa de que o caminho que a Warden escolheu para o Tohr com a No’One era certo. E não porque a No'One não era boa o bastante, mas por outra razão...

Eu ainda fiquei com aquela sensação de que se ela trouxe tantos outros personagens de volta, inclusive a No’One, porque não a Wellsie? Porque não o filhinho deles? Porque fazê-lo passar por todo aquele sofrimento?

Não pareceu justo, não pareceu ter um significado maior, não pareceu acrescentar nada importante a estória, mas essa é a minha opinião e não muda nada. Na Irmandade da Adaga Negra é ela quem escreve certo por linhas tortas e tudo o que podemos fazer é aceitar e confiar.

Considerei o livro bom pela estória principal, mas a estrela extra vai pelos personagens secundários que ainda prometem muito e pelo qual só nos resta esperar ansiosamente.

~~~~~~

Para mais resenhas, acesse:
http://www.everylittlebook.com.br/

(resenha originalmente postada na página do livro em inglês)
Priscila Nonato 27/06/2014minha estante
Qual é o último livro da série ?


Izzy Ferrer 23/09/2015minha estante
Criei coragem pra ler o livro agora e mesmo depois de 10 livroa ainda não me conformo com o que aconteceu. Também não me convenci sobre a No'one, me pareceu que a Ward quis nos enfiar goela a baixo e foi broxante.




spoiler visualizar
Cris Paiva 04/07/2012minha estante
Do jeito que eu sou uma manteiga derretida, to vendo que vou chorar mais que velha carpideira em velorio encomendado!


Camila 30/08/2012minha estante
Eu sofrendo antecipadamente por saber da perda da Welsie :S Não acredito que li esse Spoiler, rs mas já li... Acabei de ler Amante Sombrio, querendo loucamente o Eterno, não quero ler o Desperto antes do Eterno, quero 'seguir os padrões' rs Mas poxa, nem vou terminar de ler sua resenha, apesar de ter gostado.
Fiquei chateada! :S


Ju 13/04/2013minha estante
Eu comecei a chorar quando li o dedicado a você... e meio que empaquei,por que sei que vou chorar horrores com ele!!!


Ilanna 08/06/2013minha estante
Chorei horrores com o livro! O Tohr sabe ser um babaca, realmente...


Priscila Nonato 27/06/2014minha estante
Qual é o último livro da série ?




Cris Paiva 26/12/2012

Não entendo o que aconteceu... os irmãos eram tão educadinhos, bonitinhos e incapazes de usar linguagem grosseira e de repente ficaram tudo boca suja, falando um palavrão atrás do outro, e cada um mais cabeludo que o anterior. Se bobear até o Fritz fala um. Choquei! Kkkkkkkk

Mas voltemos a história do Tohr. Como já era imaginado, a historia dele não foi fácil. Ele perdeu o seu grande amor e simplesmente não pode aceitar continuar vivendo sem a Wellsie. A dor dentro dele é profunda e destrutiva, e não está acabando só com ele, aparentemente também está impedindo a sua falecida esposa de entrar no Fade, e com isso vai acabar destruindo não só ela, mas também ao anjo de estimação do Tohr, o Lassiter.

Eu achei interessante a forma como a Ward desconstruiu um personagem nesse livro, matando a sua esposa e filho, e o reconstruindo novamente, lhe dando uma nova história e perspectivas. É claro que eu não gostei da morte dela, acho que ninguém gostou, mas entendi que se a autora não tivesse feito isso, ela não teria como escrever uma história para esse personagem, afinal ele tinha uma vida perfeita e não havia motivo para escrever sobre isso, o Tohr ia acabar sendo o eterno figurante nas historias dos irmãos. Então, por conta disso, eu aplaudi e entendi os seus motivos, mas mesmo assim chorei baldes e baldes durante a leitura.

Mas agora, cá entre nós, que mulherzinha sonsa ela foi arrumar pra ele! Por mim aquela “Ninguém” tinha ficado embaixo da macieira onde o Tohr colocou ela desde o outro livro e não tinha saído de lá. Só fui simpatizar com a personagem lá pelo finalzinho, depois do chega pra lá que ela levou, fiquei com dó da bichinha, mas ela soube dar a volta por cima, e a partir daí eu comecei a ver algum valor nela, mas infelizmente o livro já estava acabando e nem deu pra aproveitar a minha simpatia recém adquirida

Outra coisa que eu gostei foi da titia Ward ter dado uma pontinha para cada um dos irmãos, cada um fez a sua gracinha e deixou o meu dia mais feliz. O Lassiter se revelou um ótimo ladrão de cenas, e o Blay e o Quinn deixaram um gostinho de “quero mais” para o livro deles. Que chegue Março logo para o livro deles ser lançado nos EUA e que não demore muito a sair no Brasil.
Cristine 04/01/2013minha estante
balde!! eu chorei uma piscina inteira com esse livro...até o meio do livro ainda tinha esperança que ele conseguisse recuperar a esposa e o filhinho, no final tive que deixar ela ir tbm, e até que aceitei a "ninguém" tbm...


Ari Utida 27/01/2013minha estante
A história foi legal, capaz de tocar bastante 'a alma do leitor. O que estragou um pouco, na minha opinião, foi o linguajar. Sujo, grosso, estúpido... Eles não eram assim. >.<


Adriana 11/02/2013minha estante
O que aconteceu com os irmãos é que a Universo dos Livros, atendendo a pedidos dos inúmeros fãs, parou de alterar a escrita a Ward e deixou de "suavizar" a tradução, deixando o texto como é no original!!! Vamos todos nos unir e orar para que eles continuem assim, pois se é pra ler algo que não foi do jeito que a Ward escreveu, não quero mais as edições brasileiras!


Paulinha 27/08/2015minha estante
já tinham me avisado desde o inicio dessas suavizadas que a editora dava na tradução, entao li todos com traduções de outras fontes (pelo pc) e garanto que desde o primeiro livro o linguajar é esse que a maioria dos fãs tão achando novidade! Fico Feliz de saber que a partir do decimo livro vou poder começar a ler o livro fisico rs




Aline Mendes 20/05/2013

Tohr sofreu demais que fiquei morrendo de dó dele.Mas amei que ele pode amar novamente. Gostei de tudo no livro, é muito bom!
comentários(0)comente



Bianca Soares 09/08/2013

MEU GUERREIRO PREFERIDO!
Eu chorei, sorri, xinguei com o livro.O Tohr e No'One, são perfeitos apesar de também adorava a Wellsie. Minha curiosidade ficou em torno de Qhuinn e Blay, não vejo a hora de ler o livro deles.

FRASE INESQUECIVEL:

"Enquanto Blay começava a se endireitar como se tivesse recebido a mensagem, Quinn pensou: É isso aí, colega. Nosso futuro chegou."

Página 699
Mone Mackenzie 04/10/2013minha estante
Eu adorei os dois, é um dos melhores da série!




Marcia 03/01/2013

Amante Renascido
Vocês vão me desculpar pela sinceridade, mas eu acho que o auge dessa série já passou...
A impressão que eu tenho é que a autora, querendo aproveitar o sucesso dos primeiros livros, está esticando demais essa história.
Não gostei muito desse livro, principalmente porque desde o início, a autora reforçava que a vinculação dos Irmãos com suas shellans era muito forte. Então, como ela criou um romance para o Tohr, menos de dois anos depois da morte da Wellsie? A desculpa que ela não tinha conseguido entrar no Fade foi muito fraquinha...
Esse livro mais pareceu um gancho para introduzir novos enredos. Quem sabe não vem por aí a história do Lassiter, Layla, Virgem Escriba, XCor e afins?
O livro só ganhou três estrelinhas pelo fato de apresentar o cotidiano dos demais Irmãos, senão poderia muito bem ter passado em branco.
comentários(0)comente



ALEXIS KINROSS 26/12/2012

O Tohr é um dos personagens mais queridos da Irmandade da Adaga Negra. E confesso que quando foi anunciado o lançamento do livro dele eu simplesmente surtei. Sou naturalmente muito ansiosa, e dizer que tive azia de tanta ansiedade é dizer pouco. E para o meu total deleite, o ebook caiu na rede, rs... e veio parar em minhas mãos \o/.

Resisti bravamente a tortura de ler no pc... tudo pelo Tohr!
E me dediquei a manter a mente aberta desde o inicio da leitura. Li muitos comentários negativos sobre o livro, sobre a falta do aroma da vinculação, sobre a situação da Ward ter entrado em contradição, afinal, um macho vampiro só possui uma shellan... como assim, o Tohr ter outra?

Enfim, foram muitas questões, sem contar com os meus próprios sentimentos de rejeição em relação à condução da trama. Eu sofri e chorei horrores com a morte da Wellsie e não me conformava com isto. Pior ainda, não queria de jeito nenhum outra shellan para o Tohr, muito menos a No'One!!!

Sempre tive um carinho muito grande pelo Tohr e o relacionamento dele com a Wellsie era muito bonito de se ver. Como a Ward menciona no Guia da Irmandade, realmente foi muita coragem da parte dela matar um dos personagens principais da trama. E por mais que eu tente entender que ela tinha planos a serem conduzidos a partir dali, não paro de pensar no calvário a que ela submeteu o herói em questão.

Por que estou falando tudo isso? Bem gente, eu tive de me preparar MESMO para ler o livro. Abri minha mente e coração e fui disposta a não achar absolutamente nada! E talvez, sair da companhia dele decepcionada!

Mas realmente, eu tive uma grata surpresa, porque EU gostei do livro! Eu chorei litros e litros nesse livro, com o Torh, com o John, com a No'One. Wrath e Butch me levaram as lágrimas!!!

Seguindo a dinâmica e contextualização do relacionamento dos vampiros com suas amadas, conforme exposto pela Ward nos volumes anteriores da série; Thor está vivo, de pé, porem, destruído por dentro. Ele não nada mais pelo que viver além de caçar e matar os redutores. Isto é o que norteia sua vida, o que lhe dar forças para enfrentar um novo dia.

Thor é o tipo de herói que nos conquista desde o primeiro momento em que aparece na saga, em Amante Sombrio. Integro, idôneo, todo coragem e gentileza. Me revoltei muito com todo o sofrimento que ele tem passado desde Amante Desperto!!! Relendo o livro, eu sentia a agonia dele enquanto aguardava a Wellsie atender ao telefone e quando Wrath e a Irmandade chegam para dar a fatídica noticia, nossa chorei mais uma vez. A gente sente um embrulho no estomago, uma dor incomoda. Ficamos tão envolvidos pelo universo das histórias que, como a Ward, passamos a vê-los como reais e o sofrimento dele é como se fosse o de um amigo ou familiar. Nessa questão de agonia, sofrimento, não aceitação/aceitação, a Ward descreve exatamente as nossas reações em situações similares.



Ler superficialmente todo trauma e sofrimento do Thor foi muito difícil nos outros livros.Mas em Amante Renascido acompanhamos em primeira mão o que vai em sua mente, em seu coração. É muito sofrido o processo de aceitação do irreversível: a morte de sua amada. A revolta por não desfrutar das graças da Virgem "Vagaba" Escriba, como Mary, Jane e No’One que tiveram suas vidas concedidas.



Durante toda a leitura tentei assimilar Thor e No’One como casal. Em primeira mão, minha reação ao saber que ela seria a companheira dele eu ODIEI!! Na verdade queria que a Ward trouxesse a Wellsie de volta de alguma forma. No’One não agradou a muitas pessoas como escolha para shellan do Thor, tampouco agradou a minha pessoa. O processo de leitura foi para mim uma busca ...tentava descobrir as reações que ela evocava em mim... tentava não julgá-la duramente... mas realmente dar uma chance para que ela se mostrasse para mim.

E porque digo isso?
Acho que me acostumei com shellans de personalidade mais marcante desde o inicio e, ver a No’One, com sua subserviência e agindo como um capacho... me pareceu que era fraca em termos de shellan para o Thor. Mesmo levando-se em conta seu passado de rapto, abuso e agressão, sem sequer ter sido beijada... ela foi apenas um receptáculo da luxuria do sympath que a raptou.

No decorrer da trama ela vai crescendo, adotando uma postura mais firme.Gostei disso... da ousadia de enfrentar seus demônios e se propor a tentar ajudar o Thor com a alimentação. Apesar de viver seu inferno particular, ela busca forças para ajudar aquele que lhe estendeu a mão no passado. A sua gentileza, e força suave era o que o Thor necessitava para se re-conectar com o mundo

Os personagens vem com uma grande “bagagem”. Thor vem de um feliz emparelhamento de 200 anos e da tragédia de perder a shellan amada e o filhinho por nascer, de forma brutal. A No’One vem de um rapto, abuso, estupros sucessivos, culminando com tirar a própria vida após o nascimento do bebe. A carga de emoções deles não permitiria um primeiro olhar e vir a tona o tão apreciado MOMENTO MINHA!!



Para ele é impensável sentir atração por outra fêmea, embora seu corpo reaja de modo diferente!!

Aquele delirante MOMENTO MINHA não assim de forma tãããããããããão explicita. Mas o rosnado do Thor e sua ânsia territorial na sala de jantar é um equivalente para o fato.

Para mim, foi um dos livros mais emocionantes da série. Não digo isso comparando Amante Renascido com este ou aquele, pois encaro cada livro, cada guerreiro como algo único, cada um com suas peculiaridades e o que me deixa completamente louca, quando me pedem para eleger o favorito, rs. Não consigo. Tem aqueles que me chegam muito mais perto do coração, mas amo a todos.

Sobre Thor na pag. 151:"Seu pênis era a proporção do resto dele_ O que queria dizer que era longo, grosso e pesado. E capaz de seguir por horas.”



Santa perikita afogueada e flamejante, Batman!!!!


Aff, eu sempre soube que o Thor seria assim, kk. Enqto mtos o viam mais como um paizão eu sempre vi o macho selvagem e ardente nele.




Ama-se mais de uma vez na vida. Cada vez, embora intenso é diferente e especial!!

Tanta gente meteu o 'pau" no bom sentido, claro no Thor!! Eu fui de peito aberto, decidida a dar uma chance pra ele. Afinal eu adoro esse macho desde a primeira vez que li algo da IAN. Eu entendi o sofrimento dele, chorei com ele... e decididamente compreendi que para recomeços, temos de iniciar a cicatrização das feridas e isso leva tempo. O Thor não tava preparado pra recomeçar... aos poucos ele foi cicatrizando seu valente coração de guerreiro!!

“A vida é curta, não importa quantos dias a você foram concedidos. E as pessoas eram preciosas, cada uma, não importa quantas você teve sorte suficiente de ter em sua vida. E amor... amor, valia apena morrer por ele.
Vale apena viver por ele também.” Pag. 436 Tohrment



Uma das coisas que achei bem interessantes em Amante Renascido foi a relação do John com a Xhex. Olha eu digo que não há nada melhor do que voce mesma ler um livro para tirar suas próprias conclusões. Li muito sobre a piração do JM e como ele era muito infantil com o seu interminável mi-mi-mi. Claro que eu me senti ofendida. Eu adoro o John. Ele ser meu nallum!!!

E lá vou eu lendo o livro e me deparo com a fatídica cena. Vou tentar não dar com os dedos no mouse, mas sinceramente, eu achei a piração dele fundamentada, rs.

Gente, quase capoto da cadeira lendo!!! Imagina um macho vinculado vivendo a cena que ele viveu? Tadinho do meu nallum!!! E bem, isto é o que acontece quando um guerreiro fortão está vinculado a uma fêmea destemida, lutadora e que não fica esperando o cavaleiro no cavalo branco vir resgatá-la. Ela faz as coisas acontecerem. Mas confesso que bater um DR na frente dos outros Irmãos não deve ter sido muito agradável. Os guerreiros da Adaga Negra são um tanto fofoqueiros, concordam? Alias essa tendência gera cenas cômicas... embora eles também sejam solidários aos seus irmãos quando eles estão, como eles mesmo dizem, na merda.
Relacionamentos são complicados, delicados. Acho legal a Ward mostrar o depois... afinal a vida segue e não é como se tivesse um...E viveram felizes para sempre e a história se encerra! Para mim, o John é um personagem muito verossímil Ele conquista o amor de sua shellan, acerta, erra, faz burradas, mas não é assim também na vida real? Que a Xhex se mostra mais "macho" do que ele em algumas situações... eu digo: e dai? quem disse que ele tem de ser o fortão o tempo todo? Cada guerreiro é único e tem suas fragilidades embora não aparente tanto. A Xhex e ele se completam.
E dá-lhe JM do contra... contra a porta, contra a mesa.. nossa!!!

Sobre o John: ”Macho.Sim. Real material de garanhão.” (Pag143)... Acho que vou ter um siricutico jájá,kkkk.



Nem preciso dizer que o Wrath roubou a cena inúmeras vezes. Cada nova aparição ele simplesmente deixava meu coração molinho igualin mashmallow.

Definição de Lassiter de si mesmo, para No’One e seus pensamentos sobre as formas de sofrimento que presenciou e em sua experiência pessoal... me deixaram muito, muito, muito curiosa. Louca pra que saia logo o livro dele!!

Não bastasse Xcor e seu Grupo de Bastardos, ainda vem um tal de Assail... mais totozões a vista. Aliás, meu lado saliente já se agitou todo pelo Assail, afinal, como resistir a um "macho pecaminosamente bonito, cabelo viciosamente negro e pele bronzeada.” ?




Coragem do Qhuinn. Nossa!! Estupenda atuação!! Ele cresce muito desde Amante Meu. E sim, eu senti muita peninha dele, com aquela solitária lágrima correndo pelo rosto.... e nem mortinha conto o porque. Se você não leu, vai ter d eler para saber. #LeximáLeximá.

E qual é a Saxton mesmo? Eu quis bater nele algumas vezes. Em outras, eu quis chutar o Blay, kk. Tá é meio ação-reação. O Qhuinn não se assume, ele partiu pra ser feliz, mas o coitado ta comendo o pão que o capiroto amassou agora. Ô Blay, dá uma xanxinha pra ele!!

Descrição mental que o Blay faz do Qhuinn mexeu com meu coração: "Qhuinn era ciumento e possessivo como o inferno...nunca era discreto sobre nada. Era uma banda marcial, um coquetel molotov, um touro em uma loja de cristais que não ligava para que tipo de bagunça ele fazia em seu despertar.” Pag272.
Mim amar esse cabra da peste!!! Esse touro bandido na loja de cristais!!!!



Arrepiei com o pensamento do Qhuinn no final do livro! Ui!! Gente, preparem os corações para a chegada de Lover At Last, que pelos trechos que a Ward posta no face, promete....
Ain meu core saliente!

Série Black Dagger Brotherhood (Irmandade da Adaga Negra)

1. Dark Lover - Amante Sombrio
2. Lover Eternal - Amante Eterno
3. Lover Awakened - Amante Desperto
4. Lover Revealed - Amante Revelado
5. Lover Unbound - Amante Liberto
6. Lover Enshrined - Amante Consagrado
7. Lover Avenged - Amante Vingado
8. Lover Mine - Amante Meu
9. Lover Unleashed (2011)- Amante Libertada
10. Lover Reborn (2012)- Amante Renascido





P.S.: Não poderia deixar de falar desta nossa capa nacional, protagonizada pelo Hulk Azul e a Odalisca do Fade. Gente PELAMOR, que desgrameira foi essa que a UDN fez? Sem falar na primeira capa que eles expuseram com o nome errado : Amante Renascida

Pela madrugada!!!! E foi uma revolução só, porque o livro é e SEMPRE foi sobre os Irmãos no caso em questão, o Tohr. E foi um bafafá na fanpage da Universo dos Livros(olha o fuá que foi) , reclamamos no Twitter. Embora o termo usado pela Ward REBORN se aplique tanto ao masculino como ao feminino, ela esclareceu que o livro era SOBRE o Tohr, que renasce para a vida e para o amor. Depois de tantas reclamações, eles finalmente acertaram o nome do livro.... Mas...O Hulk Azul continuou ali. E deram uma desculpa que, sinceramente não me convenceu. Se estavam com dúvidas, porque não solicitaram maiores esclarecimentos a autora? E eu vou ser sincera, só comprei o livro pelo amor ao Tohr e a IAN, senão, o Hulk Azul não vinha pra minha casinha nem morto!!!!!! Acho até que vou arranjar uma capa maneira e colocar nele.

http://alexis-meustesourospreferidos.blogspot.com.br/2012/12/amante-renascido-jr-ward_19.html

Sthéfani 06/01/2013minha estante
Só um comentário pelo "Amante Renascida": Pode ser que a tradução esteja errada, que o livro é focado nos irmãos, mas... Eu achei que o desenvolver dos personagens caberia mais o título "Amante Renascida". O Tohr ele não renasceu, ele superou uma fase. Já a Autumn renasceu.




Erika Oliveira 11/06/2013

Amo Tohr, e amei do John e Xhex ter relação com o casal Tohr e Autumm... Cofesso que matou muita minha curiosidade.
comentários(0)comente



Barbara Sant 27/12/2012

Terça Sobrenatural (na Quinta!) #45 – J.R. Ward – Amante Renascido – @UnivDosLivros
OOOOOOOOOOOOIIIIIIIIII GGGEEEEEEENNNNNNTTTTEEEEEE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Eu sei, eu sei, vocês vieram aqui esperando um Banca de Quinta, né?
E estão se perguntando se a blogueira surtou depois do Natal e está achando que o segundo dia útil da semana é obrigatoriamente a Terça, o que provaria que ela é completamente pirada da silva sauro, etc, etc, mas o problema é que eu me dei de Natal o livro do Thor, Amante Renascido, e depois que ele chegou não consegui ler mais nada.
Gente, o que é aquele livro? Não estou falando do conteúdo maravilhoso, criado pela Ward. Estou falando da tradução M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A feita pela Universo dos Livros!
Vocês sabem que eu reclamei nas outras dez resenhas dessa série por eles terem retirados os palavrões, certo? Que eu disse que deixava os Irmãos com cara de frutinhas, falando todos àqueles ‘droga’, ‘caramba’ e todas aquelas porcarias suavizadas altamente desnecessárias em um livro adulto, certo?
Então depois de muitas preces (pedidos, humilhações, xingamentos e tudo entre isso) eles finalmente deixaram todos, TODOS, T-O-D-I-N-H-O-S os palavrões lá!!
*pausa para a música de aleluia*
Ficou perfeito! Combinaram com as personalidades dos Irmãos, com o clima do livro, com o drama, a raiva, a frustração e o sexo que tem na história.
Deixou ele com cara de livro da Irmandade, cheio de guerreiros, machos fortes e poderosos que tem bem mais raça do que finesse, exatamente como deveria ter sido desde o primeiro. Os lindos tradutores, Luis Protásio e Maurício Tamboni, assim como o resto da equipe (Guilherme, Mariane, Paula, Bóris, Raíça, Raquel, Márcia e Luis) estão de parabéns e tem meus eternos agradecimentos (prometo dar casa, comida e roupa lavada se eles continuarem assim).
Certo, tem alguns pequenos problemas na revisão, mas depois de todas aquelas palavras baixas, sujas e maravilhosas, quem estava reparando neles?????
Agora falando do livro do Thor…
Meeeeuuu Thorrr lindddoo, como você é burro!
Sério, gente, algumas das cenas do Thor me causaram desejos extremos de assassinatos. Queria esganar, fazer picadinho, pizza e pastel dele!
Como ele foi tapado! E como ele diz aquelas coisas horríveis?
Nossa, queria pular para dentro das páginas e defender aquela fofa desse macho malvado! u.u”
Não posso contar os detalhes, mas vou dizer que dessa vez tem de tudo. Casais novos, casais velhos, brigas, reconciliações, confusões, assassinatos, conspirações, violência, sexo, sexo, sexo e muita coisa mudando nos costumes da raça.
Também tem personagens fazendo as maiores burradas de todos os tempos, sendo intolerantes, estúpidos, babacas, românticos, magnânimos, incríveis, etc, etc, etc.
Preciso dizer mais alguma coisa para deixar claro o quanto eu adorei o livro?
Então agora me expliquem como é que eu vou aguentar todos esses longos meses até que ‘Lover At Last’ seja publicado? #aBloueiraSurtaMuito
Preciso ainda dizer que eu realmente, realmente, realmente recomendo a leitura dessa versão?
Corram já e leiam!
Beijos!
Cris Paiva 27/12/2012minha estante
Choquei com os palavrões! Me deu vontade de lavar a boca deles com sabão e passar o pito: - É com essa boca suja que você beija a sua Mahmen? KKKkk




bertilha 11/06/2012

Foi um livro beeem dificil de ler...por conta de razões pessoais,não encaro muito bem isso de deixar ir...Talvez por isso,não tenha amado a No'One...
Mas,senti na pele a dor do Thor, e foi f***.
Mas,deuses,estou amando o Xcor...e claro,odiando a Layla com todas as minhas forças...
O Lassiter só prova neste livro que é O cara!...Ou anjo!
E,sim,Qhuinn...tirando os assuntos com a Layla,a melhor coisa do livro...Meu herói!
:o)
comentários(0)comente



Talita 04/07/2013

Amante Renascido
A irmandade da adaga negra, AMANTE RENASCIDO, só encontro no momento uma palavra para descrever tudo o que senti lendo esse livro e é AMOR.
Todas as vezes que temino de ler um livro dessa série me sinto um pouco de luto, pois é como se cada personagem fosse uma parte de mim e que houvessem partido para longe, pois por alguns dias eu vivo com eles, sofro com eles, luto com eles e amo com eles.
Esse livro é lindo, mostra uma história de sofrimento, desejo, amor, união e superação. A autora retrata tudo de forma tão real que a cada momento você se vê sentindo com os personagens toda a dor, revolta, amor, desejo e etc...
Nesse livro em particular teve 2 momentos que literalmente chorei junto com Tohrment, chorei por sua dor, por sua perda, por tudo o que ele teve de passar e no segundo momento me emocionei com o amor demonstrado por todos da Irmandade, aquele amor que vai além da amizade, aquele amor fraternal e divino, foi lindo e mais uma vez terminei esse livro feliz, por ter tido a oportunidade de ter lido uma obra bem escrita, com uma leitura viciante e emocionante, que difícilmente irtei me esquecer.

Aconcelho de olhos fechados!!!
comentários(0)comente



karine 28/05/2013

Menos sexo, menos sangue. Um outro lado de J.R Ward.
Se você espera uma história de amor possessiva e excitante como os outros livros, nem comece Amante Renascido. Tohr é um homem estragado, assim como N'One. Personagens muito mais complexos e reais. Essa história não é centrada no casal principal, mas sim em jornadas pessoais tortuosas de superação. Um livro mais triste, mais complexo, mais humano, mais cru e visceral. Não espere hellrens possessivos, sangue e sexo. J.R Ward soube que, embora pudesse decepcionar muitos fãs - assim como me decepcionou - a história de Tohr era outra. Tragédia. Ward soube captar a essência de Tohr e de sua história trágica, e com isso, partiu milhares de corações. Acho que não é um livro pra se saborear como os outros, mas um livro para se sofrer junto. Não é nada do que eu sempre esperei e tive de IAN, mas eu não posso deixar de dar cinco estrelas. Triste em sua excelência, trágica ao convergir para esse personagem tão sofrido da Irmandade. E com as cinco estrelas, todo o meu respeito.
E para J.R Ward: obrigada mais uma vez, leelan.
Emi 04/06/2015minha estante
Expressou exatamente o meu sentimento quando terminei de ler esse livro. Tocante, triste e profundamente verdadeiro ao relatar a superação de cada personagem.




Robertha 08/10/2013

Thorment?
A pergunta que ficou para mim ao final da leitura foi: Quanto sofrimento um ser humano pode suportar? Uma pessoa comum não conseguiria suportar o que Thorment passou. Não acredito. Aí alguém fala assim:" Conheço alguém que..."...
Não é nada disso. Esses amores da ficção são descritos de uma maneira que vc quase toca, quase sente dentro de vc, como se ele fosse seu!
Foi doloroso demais para mim,angustiante mesmo.Chegando ao final é que se respira um pouco mas quando eu fechei o livro, senti uma sensação estranha, como se estivesse faltando alguma coisa.Fiquei deprimida e só melhorei quando peguei o Quinn. É isso.
comentários(0)comente



Carla Martins 12/12/2014

Começou morno, mas depois viciei!
Mais em: http://leituramaisqueobrigatoria.blogspot.com.br/

Amante Renascido é o 10º livro da série Irmandade da Adaga Negra. Com 700 páginas, dá agonia no começo de ver que a história está meio sem graça e arrastada, porque ficava pensando: "será que serão as 700 páginas desse jeito?". Depois da páginas 150, o romance meio estranho entre Tohr, que ama Wellsie mas está meio atraído/apaixonado por No´One dá um up na história. Só lá pela página 400 que eu começo a me identificar mesmo com a história, exatamente quando o romance começa a engrenar. Tohr e No´One são personagens sofridos e fechados, o que dificulta, talvez, minha sintonia com eles.

Do meio para o fim comecei a ficar viciada, como aconteceu com quase todos os livros desta série. Adorei a sacada do que Tohr precisava fazer para libertar sua amada do limbo. Adorei també o personagem do anjo, super divertido e informal. Só não consegui montar uma imagem dele, talvez tenham faltado detalhes na descrição.

Adorei o final do livro! E o gostinho pro livro de Blay e Quinn me fez começar logo em seguida o Amante Finalmente.
Emi 04/06/2015minha estante
Verdade. Do início até a metade a história segue em uma linha reta e quase depressiva por causa de Tohr e toda sua carga trágica. Mas depois, o indicador sobe até o pico e fica impossível parar de ler. Xcor rouba a cena como vilão, Xhex, John e Lassiter ganham o Oscar como melhores coadjuvantes em cena. Aliás o anjo "metaleiro" é DEMAIS. Adorei.




Bruna 25/01/2016

Para evitar spoilers, essa resenha será dividida em duas partes. Na primeira, falarei mais sobre minhas impressões sobre o livro. A segunda parte contém spoilers da série, mas não do livro, e recomendo que seja lida apenas por quem leu o livro até o oitavo livro. Beleza?

Vamos lá.

Parte 1 - Sem spoilers

Amante Renascido narra a história do guerreiro da Irmandade da Adaga Negra, Tohr, o mais antigo Irmão da composição atual. Tohr está na irmandade a mais de trezentos anos, desde a época do antigo rei dos vampiros, pai do atual. Ele é um homem forte, corajoso e implacável na luta contra os inimigos da raça. Porém, uma terrível perda o tornou quase um morto-vivo, alguém que não vive de verdade, apenas existe em meio a dor e sofrimento, o que não o impede de continuar sendo um tremendo guerreiro.

Esse livro trouxe algumas mudanças importantes na série. A entrada de um novo grupo de guerreiros vampiros questionando o poder e competência do Rei inciam um processo de revolução e insurreição. Desta forma, Amante Renascido foi um livro que trouxe vários focos, mas não se perdeu, pois tudo estava relacionado e afetaram diretamente a estrutura da sociedade vampira. Mas não pensem que por isso deixamos de ter nosso casal principal lá, firme e forte, levando um relacionamento a trancos e barrancos.

Como já é comum a série, livro está recheado de ação e cenas de lutas. Porém, também foi um livro mais político, ao mostrar as engrenagens político-sociais e os jogos de poder se movimentando, e isso foi demais! Sério, me apaixonei ainda mais pela série, com essas mudanças que estão acontecendo. Além da ação, aventura e luta, o livro tem revelações, romance, cenas hots (super hots mesmo!), e palavrão adoidado. Quem já leu Ward, sabe como é o esquema, *-*. E houve alguns acontecimentos muito importantes, envolvendo Qhuinn, já preparando para o próximo livro, que será protagonizado por ele.

Só um parênteses, agora. Lembram que eu critiquei um erro de continuidade de cronologia na última resenha da série, do livro 9, Amante Libertada? Bom, esse erro se torna mais evidente aqui, porque Amante Renascido (10º livro da série) é continuação direta e praticamente imediata de Amante Meu (8º livro), o que torna o nono livro algo quase perdido no espaço, kkkk.

A diagramação da Universo dos Livros está muito bem feita, o livro conta com páginas amareladas e letra de um tamanho confortável para leitura, o que é importante, uma vez que tem mais de 600 páginas. Porém, não gostei dessa capa, além de achar feia, os modelos não combinaram com os protagonistas.

Enfim, esse foi um ótimo livro, perfeito na parte geral e política da sociedade. Perfeito nas partes que envolviam o Rei e a irmandade como uma unidade. Mas que perdeu uma estrelinha por causa de uma trama específica, e por um ponto da condução do casal principal, que abordarei abaixo, na parte para Leitores da série.


Parte 2 - Contém spoilers da série
Apenas para quem leu até o 8º livro da série







Quase dois anos se passaram desde a morte de Welsie, a amada companheira de Tohr, que estava grávida do primeiro filho do casal, e ele não se recuperou nem um pouco. Se recusando a se alimentar de sangue (os vampiros da série precisam se alimentar do sangue de outros vampiros do sexo oposto), ele está cada vez mais magro e fraco, e apesar de lutar todas as noites, não consegue realmente viver. Quase três séculos atrás, ele ajudou no resgate de uma dama da aristocracia vampira, que volta a sua vida agora, mas atendendo pelo nome de No'One. Logo fica óbvio que os dois formaram um casal, mas a forma como isso aconteceu me incomodou um pouco.

A autora criou uma situação em que para salvar a alma de sua falecida esposa, Tohr deveria aprender a seguir enfrente, e isso implicava um novo relacionamento. Acho que o livro foi quase perfeito, e a forma como mostrou a dor e o sofrimento de Tohr foi sensacional. Sério, sofri demais com ele, acho que seu processo de luto foi perfeito! E esse é o livro que tem a maior passagem de tempo da série, retratando um período de um ano. As cenas finais do foram de partir o coração e arrancar lágrimas dos leitores. Perfeito mesmo! Porém, e aqui temos um grande Porém, eu queria que ele tivesse "seguido em frente" de forma mais natural, e menos como uma imposição. A forma como ele foi “obrigado” a se envolver com No'One não foi legal, para nenhum dos dois, até porque, eles se sentiam atraídos um pelo outro, e creio que teriam se envolvido naturalmente, se fosse dado tempo ao tempo.

Bom, eu não gostei muito de algumas coisas na condução do relacionamento de Tohr e No'One, porém isso não me faria tirar uma estrela do livro. O que fez isso foi a trama paralela envolvendo John Mathew e Xhex. Tipo, os dois protagonizaram o livro 8, ou seja, dois livros atrás! Tiveram seu 'felizes para sempre', e agora, duas semanas após (sim, passaram apenas 2 semanas entre o final do 8 e início do 10), eles tem uma big crise no relacionamento por pura e simples palhaçada e infantilidade do John! Eu já disse e repito agora, que uma mulher forte e fodona como a Xhex merecia um homem mais maduro que o JM, que em muitos ângulos é pouco mais que um adolescente metido a grande macho. Fazer o que? Só sofrer.

Bom, pessoal, é isso!


site: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2015/12/resenha-amante-renascido-ian10-jr-ward.html
comentários(0)comente



66 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5