O Prisioneiro do Céu

O Prisioneiro do Céu Zafón




Resenhas - O Prisioneiro do Céu


318 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Cissa 29/05/2012

Formidável

Comprei o livro O Prisioneiro do Céu no sábado dia 26/05/2012 na Livraria Cultura. Estava "quentinho" ainda, recém saído da Editora Suma de Letras e o devorei em dois dias.

Quando li A Sombra do Vento, achei que Zafón havia escrito o romance perfeito e que não precisaria de nenhum segundo volume. Quando saiu O Jogo do Anjo, confesso que li mas esperava mais pois comparando com o anterior ele falhava em algum ponto que eu não conseguia identificar.

Depois de dois anos, eis que chega ao Brasil o terceiro volume da série e para surpresa minha, me encantei com ele. Vi uma costura perfeita entre os romances anteriores e ele. Agora sim, não ficaram pontas soltas e nem obscurecidas para mim.

O estilo de Zafón é inconfundível e único. Um perfeito contador de histórias que consegue a cada capítulo prender a atenção do leitor a ponto de não se conseguir parar até chegar o final e quando chega fica aquele gosto de "quero mais" ou "que pena, acabou".

O romance nos conta sobre Firmín, Daniel, a Livraria Sempere e o Cemitério dos Livros Esquecidos. Nos revela histórias que deveriam ficar escondidas e outras que necessitavam ser reveladas. Constrói um período difícil e sofrido de uma Espanha em guerra civil sob o comando de autoridades cruéis e intolerantes. Mas também fala de esperança, coragem, luta e amizade.

Se Zafón quiser, pode criar mais uma história envolvendo os personagens carismáticos desta trilogia e com toda certeza será tão bem-vindo e recebido com entusiasmo pelos seus fãs, dentre os quais me incluo.

Deveriam existir mais escritores apaixonados como Zafón. O mundo ficaria mais instruído, mais colorido, sonhador e feliz.

Parabéns Carlos Ruiz Zafón.
Luz 30/05/2012minha estante
.... Eu adoro Zafón, Cissinha. Li a Sombra e o Jogo e fiquei apaixonada literalmente pelo cemitério dos livros esquecidos. O escritor tem um jeitinho muito peculiar de abordar a trâmite que engloba os livros dele e é daí que nos instiga a irmos folheando e lendo vertiginosamente, como foi o seu caso. Gostei demais da sua resenha também, vou ver se consigo esse livro para mim ler, o mais rapidinho que eu possa.


Lima Neto 05/06/2012minha estante
eu sou suspeito ao falar de Zafón. já li seus três livros e adorei ambos. lógico que do segundo a gente espera mais, depois de ter gostado tanto do primeiro, que do terceiro a gente vai meio assim, esperando uma "concretização", saber se vai surpreender tanto quanto o primeiro ou "decepcionar" como o segundo... mas nossa vida de leitor é assim: esperando sempre mais e mais daqueles autores cujas primeiras leituras nos marcaram tanto.
o que mais chama a atenção em Zafón, em sua forma de escrita e cenário, é por que ele fala para apaixonados por livros e pela boa literatura.


Cissa 05/06/2012minha estante
Luz e Lima, obrigada pelos comentários.
Lima, o terceiro livro "O Prisioneiro do Céu" não poderia deixar de lado o escritor nem o livro como forma de expressão e de comunicação. Acredito que você irá gostar.


Carla 08/06/2012minha estante
Amei sua resenha Cissa!!!!! To morrendo de curiosidade para ler este livro!!!!!


Fabiana Brasil 10/06/2012minha estante
Eu precisoooooo! Estou esperando o meu chegar!!!
Sou fã do Záfon, é o Melhor para mim!!!!


Camile 12/06/2012minha estante
Adorei tua resenha, concordo com tudo!


Nathy 17/06/2012minha estante
Só aumentou ainda mais a minha vontade de ler o livro!!!


Dih Sousa 19/06/2012minha estante
um livro tão envolvente que terminei de ler em nove dias, até esqueci que estou em época de provas da faculdade rs


Nadia 09/07/2012minha estante
Amo Daniel Sempere por várias razões, espero muito que Zafón nos brinde com a continuação, que cabe com toda certeza!


ariana 22/07/2012minha estante
Hahaha... engraçado... pq tive o mesmo "feeling" sobre o livro.... e todos os outros comentários.... sempre igual...


Yud 25/07/2012minha estante
É preciso ler O Jogo Anjo antes de ler O Prisioneiro do Céu??


Cissa 25/07/2012minha estante
Yud, seria bom você ler A Sombra do Vento, depois O Jogo do Anjo já que O Prisioneiro do Céu encerra a trilogia. Os três romances são muito bem costurados. Aposto que você irá gostar.


Yud 25/07/2012minha estante
Ah tá, é que eu achei que O Jogo do Anjo nem tivesse relação com A Sombra do Vento, livro que adorei... Mas tudo bem então, obrigado, porque senão eu ia ler O Prisioneiro do Céu direto! :)


Raissa 04/08/2012minha estante
Eu li A sombra do vento e agora iria ler esse, mas n li e nem tenho como ler O jogo do anjo ainda. Vc acha que vai ter algum problema? Que n vai dar p entender alguma coisa?


Cissa 04/08/2012minha estante
Raissa, acho que vc pode ler O Prisioneiro do Vento sem ler O Jogo do Anjo, mas como é uma trilogia sempre haverá alguma referência à história anterior. Experimente ler e acredito que não haja neste caso um comprometimento grande da história. Aproveite bem a leitura que sempre vale a pena.


Fawkes 10/08/2012minha estante
Não esqueçam de Marina!
São 4 livros do Zafon.


Cissa 10/08/2012minha estante
Amigos, Fawkes tem razão. Não esqueçam Mariana do mesmo autor que embora não pertença a essa trilogia, é uma história muito boa tb. Já li e fiz resenha aqui no Skoob.
Boa leitura a todos!


Emanuele Spies 10/08/2012minha estante
na verdade eh uma tetralogia, o ultimo deve ser lançado em 2 anos.
comecei a ler agora e estou encantada :)


Eduardo 17/08/2012minha estante
Infelizmente eu achei muito fraco, principalmente em relação ao Sombra do Vento e Jogo do Anjo, ficou parecendo capitulo de novela onde no final você fica com "cenas do próximo capitulo", ficou um livro incompleto. Acho que seria mais interessante ter guardado este texto para o próximo livro que teria uma história mais completa do que este.


Cissa 17/08/2012minha estante
Eduardo,
Há quem goste do azul e há quem goste do amarelo. Que bom que temos opiniões e gostos diferentes pois é assim que o mundo da literatura mexe conosco e com nosso conhecimento.


Cissa 17/10/2012minha estante
Etges, A Sombra do Vento é uma declaração de amor aos livros e na minha humilde opinião o melhor do autor. Gosto muito do estilo de Zafón escrever. Depois você me diz o que achou da trilogia dele.
Beijo.


J. Paes 30/10/2012minha estante
O melhor de O prisioneiro do céu, além das revelações e as amarrações perfeitas com os outros dois livros, é a certeza de que um quarto volume será lançado em breve!
E Marina vale a pena ler, é cativante, doce, puro!


Cissa 30/10/2012minha estante
Verdade J. Paes. Agora vamos aguardar o quarto volume, se é que o escritor irá dar continuidade à saga de Daniel Sempere e Firmin.


Isabela Xavier 13/12/2012minha estante
Adorei sua resenha!
Sou apaixonada por esse livro e por Zafón, que é uma das minhas inspirações para escrever. Desejo muito que ele escreva o próximo livro com os mesmos personagens que adoro. Fermín é demais, depois de O Prisioneiro do Céu fiquei ainda mais encantada por ele!
Todo mundo deveria ler esse livro.


Cissa 13/12/2012minha estante
Oi Isabela! Obrigada por seu comentário. Eu tb amo Zafón e seu estilo ao contar histórias. Espero, como você, que ele nos presenteie em breve com mais aventuras de Firmín, Daniel e O Cemitério dos Livros Esquecidos.
Todos deveriam ler mesmo a trilogia, pois vale cada página.


NILTON 20/12/2012minha estante
Olá Cissa,
Boa a sua resenha.
Zafón é um ótimo contador de histórias, sem dúvida alguma. Mas, o que mais me impressionou no presente livro e em "A Sombra do Vento" foi o personagem Fermín Romero de Torre. Após a leitura dos livros, o referido personagem passou a fazer parte da galeria daqueles que considero inesquecíveis.
Vamos aguardar a continuação, pois, nas palavras do personagem Daniel Sempere, no atual livro, a história está apenas começando!


Cissa 20/12/2012minha estante
Agradeço sua opinião sobre minha resenha e concordo plenamente com você, Nilton. Firmin veio crescendo através das histórias e se tornou uma grande e fundamental personagem. Tomara que Zafón não desista e nem demore demais a nos presentear com mais histórias desses personagens e do Cemitério de Livros Esquecidos.


Juévani 13/03/2013minha estante
Oi Cissa, tudo bem?? Acabei de ler O Jogo do Anjo. Apaixonei-me por Zafon em A Sombra do Vento. Li depois O Príncipe da Névoa e agora O Jogo do Anjo. Assim como você e até mais talvez, estou perdida. No Jogo do Anjo sinto que Zafon se perdeu totalmente em uma história que vinha perfeita. Vários pontos não foram explicados e para mim ficou a dúvida se Martín era louco ou se tudo aconteceu mesmo de verdade. Infelizmente fiquei decepcionada, cheguei até a voltar em algumas páginas e reler para tentar dar uma coesão e sentido a alguns fatos não explicados. Se você entendeu melhor que eu, se possível me responda!
Mesmo assim, continuarei a ler os livros de Zafon, como O Prisioneiro do Céu. Fiquei animada a adquirir este após ler seu comentário a respeito.


Juévani 13/03/2013minha estante
Oi Cissa, tudo bem?? Acabei de ler O Jogo do Anjo. Apaixonei-me por Zafon em A Sombra do Vento. Li depois O Príncipe da Névoa e agora O Jogo do Anjo. Assim como você e até mais talvez, estou perdida. No Jogo do Anjo sinto que Zafon se perdeu totalmente em uma história que vinha perfeita. Vários pontos não foram explicados e para mim ficou a dúvida se David era louco ou se tudo aconteceu mesmo de verdade. Infelizmente fiquei decepcionada, cheguei até a voltar em algumas páginas e reler para tentar dar uma coesão e sentido a alguns fatos não explicados. Se você entendeu melhor que eu, se possível me responda!
Mesmo assim, continuarei a ler os livros de Zafon, como O Prisioneiro do Céu. Fiquei animada a adquirir este após ler seu comentário a respeito.


figuinho 02/04/2013minha estante
Realmente é impressionante a qualidade deste livro. Me deixou com um gostinho de quero mais!
Mas ficou faltando explicar Pq o cara da livraria queria que a Bea se encontrasse com seu antigo amor.... não me lembro disso ter sido resolvido.


Cissa 02/04/2013minha estante
Olá Figuinho. Faz tanto tempo que li esse livro e já se passaram tantos pelo meu cérebro que eu não me lembro desse detalhe. Vou procurar o livro e dar uma pesquisada pois agora fiquei curiosa.


Char 02/05/2013minha estante
Adoro o Zafón! Quando começamos a ler, é difícil conseguir parar. O primeiro livro que li foi Marina, curtinho, mas muito bom. Depois fui atras da trilogia (que provavelmente dever ser uma tetralogia ou mais, pq não?). Tudo se encaixa. O que fica solto em um, é explicado noutro. Lamentei muito "O Prisioneiro do Céu" ter tido apenas 246 paginas, um pouco mais que a metade em relação aos livros anteriores e espero ansiosamente que Zafón dê continuidade a história, pois como o Figuinho comentou, por que o Valls estava tão interessado em que Cascos entrasse em contato com Bea? E o que houve para que ele de repente sumisse na mídia sem deixar rastros? E claro, não poderia deixar de relatar como serão os dias do Fermín no Cemitérios dos Livros Esquecidos. Adoro todos os personagens do Zafón, mas o Fernín é sem igual. E Carax, será que ele aparece ainda? Afinal de contas, tudo começou com o mistério dele..


Cissa 02/05/2013minha estante
Char, concordo com tudo que vc disse. Acredito que ficaram muitos pontos ainda a serem esclarecidos o que dá a chance de mais livro. Tomara que ele escreva mesmo pois ele é mestre nisso.
Li que agora ele escreve roteiros para filmes, mas quem sabe ele sinta saudades da literatura e nos presenteie com mais segredos de Firmin, Daniel e o Cemitério dos Livros Esquecidos. Vamos torcer muito.


Talita 09/05/2013minha estante
Adorei, Cissa!! ME senti perdida em O Jogo do Anjo. Arrisco dizer que até meio decepcionada..rs Mas O Prisioneiro do céu é ótimo! Muito bem narrado, por sinal. Aguardo ansiosa uma continuação.


Neide 22/05/2013minha estante
Achei o livro maravilhoso, assim como seus antecessores... formidável... espero uma continuação.


Paty Schenferd 10/01/2014minha estante
Acabei de comprar o terceiro livro. Estou ansiosa para saber o que acontece. Juro que arrepiei no final do segundo livro quando ele narra a carta de Isabela falando o nome de seu filho - Daniel Sampere, vi que as peças começariam a se encaixar.


Sid 15/07/2014minha estante
Me tirem algumas dúvidas:
1) O livro Jogo do Anjo já existia e quando lemos ele em nenhum momento remete a David estar na prisão ou eu tô errada?
2) Valls morreu ou não?
3) Daniel vai se vingar, caso Valls esteja vivo?
4) Me lembro que a carta de Isabella chega até David e ele ler, mas não tem nada dizendo que ele tá preso.

Alguém me ajude!


Cissa 15/07/2014minha estante
Sid,
O livro O Jogo do Anjo não se refere ao Cemitério dos Livros Esquecidos como o próprio autor disse. São obras que podem ser lidas separadamente. Já a morte de Valls fica na interpretação de cada um e Daniel não demonstrou desejo de vingança.
Acredito que o autor tenha deixado "gancho" para um próximo livro que acabou bem escrevendo.
O importante para ele é a história de Firmin que apareceu do nada e nada sabíamos sobre ele.
Essas dúvidas não devem tirar a beleza do conjunto da obra, não acha Sid?
Quem sabe alguem tenha uma visão diferente e opine prá esclarecer mais prá vc.


Gleyse 24/07/2014minha estante
Faço minhas as suas palavras. Tive o mesmo sentimento quando acabei de ler O Prisioneiro do céu. Zafón é um gênio da literauta. Ler o que ele escreve é um deleite. Parabéns pela resenha!


Gleyse 27/12/2014minha estante
Eu já lí todos os livros do Zafón e não vejo a hora de sair o próximo para eu devorá-lo. E você tem toda razão ao dizer que ele é "um perfeito contador de histórias que consegue a cada capítulo prender a atenção do leitor a ponto de não se conseguir parar até chegar o final e quando chega fica aquele gosto de "quero mais" ou "que pena, acabou"." Enfim, sou muito apaixonada pela narrativa dele.


Mônica 02/01/2015minha estante
Eu li a Sombra do Vento e me apaixonei pelo estilo de Zafón,misterioso...Gostei muito de O Jogo do Anjo e estou curiosa para conhecer O Prisioneiro do Céu...Espero encontrar um exemplar ainda hoje ou amannã,pois quero colocá-lo na minha mala de viagem para estas férias de verão!


joyce.silva.106 29/01/2017minha estante
Acabei de descobrir a continuação dessa trilogia. É o labirinto dos espiritos recém lançado.


Carla 06/01/2021minha estante
Acho A Sombra do Vento imbatível!!


Cissa 07/01/2021minha estante
Carla. essa quadrilogia é imbatível e está ao lado da quadrilogia A Amiga Genial (Série Naopolitana) de Elena Ferrante. Amo demais !!!


Carla 07/01/2021minha estante
Vou anotar a indicação! Eu gosto muito da trilogia O Século do Ken Follet


Cissa 08/01/2021minha estante
Ken Follet também está entre os meus escritores favoritos. Tudo o que ele escreve é bom demais!




Aryana 11/11/2020

Zafón e sua escrita primorosa.
"Há épocas e lugares em que ser ninguém é muito mais digno do que ser alguém"

Em O prisioneiro do céu temos destaque para a história de um dos personagens mais marcantes de A Sombra do Vento: Fermín Romero de Torres ?
O livro traz algumas respostas e lança novos mistérios.
Tudo encaminhado para um final grandioso. Estou ansiosa para saber o desfecho que Zafón dará a série, e ao mesmo tempo com o coração pesando em saber que será o último livro da saga.

"Sempre soube que um dia voltaria a estas ruas para contar a história do homem que perdeu a alma e o nome entre as sombras de uma Barcelona submersa no sono medroso de um tempo de cinzas e silêncio. São páginas escritas com fogo sob a proteção da cidade dos malditos, palavras gravadas na memória daquele que retornou de entre os mortos com uma promessa cravada no coração e pagando o preço de uma maldição"
Flayra 11/11/2020minha estante
zafón faz tudo


Aryana 11/11/2020minha estante
P.S.: Eu tirei 0,5 estrela pq ficou faltando esclarecer pra onde Bea foi no dia 21 de janeiro ? Espero que no próximo ele esclareça, faltou uma treta de casal nesse livro ? #soudessas


Adriano F. Zwierzykowski 11/11/2020minha estante
Eu considero esse livro quase que um alívio cômico pra o leitor se preparar pro último livro kkkk


Aryana 11/11/2020minha estante
Adriano, eu tô na dúvida se mergulho de vez no último livro ou dou um tempo, fiquei emocionada com o final desse livro e tenho a impressão que o último será glorioso. Tenho certeza que em breve vou revisitar o cemitério dos livros esquecidos ?


Punyama 11/11/2020minha estante
Ler seus comentários de Zafón me deixa curioso e empolgado pra ler os livros dele logo kkk


Adriano F. Zwierzykowski 11/11/2020minha estante
Eu acho que vc deveria ler já, vai ter uma experiência muito melhor ?? mas isso é só minha opinião ? quanto antes vc terminar e ter a bad pós "cemitério dos livros esquecidos" antes vc se cura dela ???




Guilherme.Maia 25/04/2021

Um livro chave na série: O cemitério dos livros esquecidos.
Zafón tem uma escrita mágica, foi meu terceiro livro do autor, e o terceiro da série: O cemitério dos livros esquecidos.

Achei que o livro tem muitas conexões nos outros livros da série, por mais que os livros podem ser lidos sem uma ordem correta, O prisioneiro do céu é o livro que na minha opinião tem mais ligações com todo universo da série.

O livro é mágico, é muito perfeito sentir como os personagens são bem construídos e ao mesmo tempo como são cativantes, o leitor se sente como parte do universo de Zafón.

O livro é emocionante, da pra sentir emoção a cada página lida !!!
Aryana 25/04/2021minha estante
Toca pro Labirinto dos espíritos ??


Guilherme.Maia 25/04/2021minha estante
Isso mesmo ????


Cris 25/04/2021minha estante
Gui, eu estava aguardando ansiosamente pela sua resenha, pois pretendo iniciar um projeto de leitura do Zafón no segundo semestre. E pelo visto esse escritor é incrível mesmo!! Só vejo elogios. P.S.: Adorei a sua resenha e estou empolgado para adentrar no universo de Zafón ?




Joel.Martins 07/05/2021

Amizade verdadeira
É tão bom ler os livros da série Cemitério dos livros esquecidos!!!
Aqui temos muitas revelações que tornam os personagens ainda mais interessantes.
E a maldade humana tá presente. Contudo, também temos superação e amizades verdadeiras - que são capazes de modificar o destino.
A dupla dinâmica Daniel Sempere e Fermín está em ação novamente, com mistério e diversão garantida ??
Pra variar, Fermín se mantém na lista dos melhores personagens da literatura. ??
Fabi 08/05/2021minha estante
AMO ZAFÓN




Otávio - @vendavaldelivros 29/08/2021

?Sempre achei que quem se apega muito ao rebanho tem alguma coisa de ovelha ou cordeiro?

Ter o talento de escrever e deixar seus leitores completamente imersos é algo raro. Uma capacidade que Zafón dominava com a maestria de quem torna tudo simples, claro e inesquecível. Perder Zafón no último ano foi um baque grande para a literatura mundial e, talvez, só tenhamos plena consciência disso muitos anos depois de tudo que estamos vivendo terminar.

Publicado em 2011, O Prisioneiro do Céu é o terceiro da quadrilogia chamada Cemitério dos Livros Esquecidos, saga que se ambienta em uma Barcelona entre os anos 20 e 60 e narra a história de personagens que vão entrelaçando suas vidas com os livros, com a sociedade e com o lugar misterioso e secreto que dá nome à saga.

Se O Jogo do Anjo foi o livro mais místico e sombrio da série, O Prisioneiro do Céu é até aqui, sem dúvidas, o mais político. Narrando passagens da vida de Fermin (que é um dos melhores personagens da série), Zafón descreve as torturas e crueldades feitas na prisão de Montjuic e que refletiam o comportamento da ditadura Franquista, que controlou a Espanha até 1975 e deixou centenas de milhares de mortos no país.

Mesmo mantendo toda a estrutura das outras obras e contando com o alerta do próprio autor sobre ser possível entrar nas histórias do Cemitério dos Livros Esquecidos por qualquer ?janela?, o terceiro livro funciona claramente como um prelúdio ao quarto livro, ou mesmo como uma cola, que une as histórias do primeiro e segundo e preparam para a resolução de tudo em O Labirinto dos Espíritos.

Ainda assim, é impossível não devorar O Prisioneiro do Céu em pouco tempo. Contando com a personalidade espetacular de Fermín, o livro é bem construído e bem finalizado e monta um retrato nítido da Barcelona dos anos 40 e 50. Mais uma prova do quanto perdemos com a morte de Zafón e sua genialidade. Leitura necessária para quem, como eu, se encantou com o universo criado pelo espanhol.
comentários(0)comente



Mateus 31/08/2012

Considero o autor Carlos Ruiz Zafón um dos meus favoritos da atualidade, e é sempre um enorme prazer acompanhar suas histórias através da Barcelona das décadas passadas. Ele possui uma narrativa única e uma maneira bela e sem igual de criar personagens e acontecimentos, o que fez com que todos os seus livros que li se tornassem uma das melhores leituras da minha vida.

O Prisioneiro do Céu é exatamente a ligação que estava faltando entre A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo. Mesclando personagens e histórias das duas obras, temos de volta a livraria Sempere e Filhos, Daniel, Fermín, David, dentre vários outros personagens marcantes dos quais já nos tornamos íntimos em outras épocas e outros lugares, apresentando sempre o Cemitério dos Livros Esquecidos como local marcante.

A história acompanha a vida de Daniel e Fermín, tendo o primeiro se casado há poucos anos com Bea, e o segundo com os preparativos prontos para o casamento com Bernarda. No momento em que um estranho de ar sinistro surge na livraria Sempere, acompanhado de grandes segredos do passado de Fermín, a história parece pronta a focar apenas nesse personagem. Mas não é o que acontece. Os segredos de Fermín não dizem respeito apenas a ele, mas também ao passado e futuro de Daniel, que serão melhor abordados em uma obra futura. Pois como é relatado no livro, a história de Daniel está apenas começando.

A linguagem de O Prisioneiro do Céu segue o estilo típico do autor, com palavras belas e poéticas, embora suas outras obras tenham alcançado esses pontos mais a fundo. O que me incomodou durante a narrativa foi o fato dos capítulos do livro se mostrarem extremamente pequenos (com quatro, três ou até duas míseras páginas), acompanhados de muitos espaços em branco, algo bem diferente da grandiosidade dos capítulos de A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo. Mas não foi algo que atrapalhou a leitura, apenas tornou-a mais simples e singela, assim como foi o caso de Marina.

Achei a observação do autor no começo do livro um tanto ilusória. Zafón diz que as obras da série do Cemitério dos Livros Esquecidos podem ser lidas em qualquer ordem e separadamente, mas não considero adequada a leitura de O Prisioneiro do Céu antes dos outros. Fazer tal coisa será como pegar uma história pela metade, o que não irá tornar a leitura muito satisfatória. Melhor ler antes as surpreendentes e admiráveis obras anteriores, para depois passar para este livro e esperar o desfecho desse ciclo que ainda promete uma conclusão digna da genialidade do autor.
Milena Karla - Mika 31/08/2012minha estante
Mais livros vão para a minha sessão de "desejados" por sua causa! Nem preciso dizer que você escreve maravilhosamente bem né?


Lu 31/08/2012minha estante
Que resenha linda, Mateus! Parabéns!


patita 03/09/2012minha estante
Excelente resenha como sempre! Também acredito que os livros devem ser lidos em ordem. Não gostei muito de O JOgo do Anjo. Fermín é personagem deste livro? Não me lembro dele. Já estou louca pra ler esse livro. O Cemitério dos Livros Esquecidos... ah, que paraíso!


Samir 03/09/2012minha estante
Obrigado pela dica!!!!


Gabi 11/09/2012minha estante
Preciso demais desse livro! E agora ainda mais. Parabéns!


Fe Sartori 17/09/2012minha estante
Sempre escrevendo bem Mateus!
Está perfeita sua resenha e concordo com a ordem a ser lida.
Um beijo.


Ana Maria 07/10/2012minha estante
Não conheço o mínimo sobre o autor e suas obras, mas sua bela resenha me deixou curiosa!


Letícia 11/11/2013minha estante
Neste estão explicados os outros, por isso não seria muito legal ler primeiro.




Victória Lays 12/06/2021

Ótima continuação
Continuo adorando a escrita do autor e sua criatividade em dar rumo a historia. Nesse livro mais curto porém cheio de informações importantes, entendemos o passado tão misterioso de Fermín, acompanhamos a vida de Daniel depois do que aconteceu no primeiro livro e descobrimos outros mistérios que rondam a história.
O autor sempre termina o livro nos deixando com um gostinho de quero mais e dando indícios de que a história ainda não acabou, o que será que vem por ai? ?
comentários(0)comente



Jow 18/06/2012

O descortinar da verdade.


“Nothing will be forever gone
Memories will stay and find their way
What goes around will come around
Don't deny your fears
So let them go and fade into light
Give up the fight here” Chasing the Dragon - Epica

Memória é uma evocação do passado, é a capacidade humana para reter e guardar o tempo que se foi, salvando-o da perda total, do esquecimento. A memória possibilita que guardemos o tempo que se foi, mas também permite que projetemos o futuro, já que sem ela não poderíamos ter consciência do tempo, muito menos da nossa identidade, e daquilo que construímos para ser o nosso “Eu.”

O ''Eu" é mais do que a lembrança, ele é a consciência superficial e profunda do que somos, pois, quando nós pensamos, reunimos lembranças do passado e projeções para o futuro, de forma que somos sempre o que passou e o que ainda virá.

A memoria é a garantia de nossa própria identidade e podemos dizer "Eu" reunindo tudo o que fomos e fazemos; É lá que guardamos as nossas vivências, repousando tudo o que a nossa mente foi entregue, que o esquecimento ainda não absorveu, nem sepultou. O grande poder da memória assusta como já dizia Santo Agostinho. Temos medo de esquecer o que de mal vivemos, mas igualmente temos medo de não lembrar a felicidade vivida. Somos essa misteriosa mistura de passado, presente e futuro. E é nessa máxima, que o genial Carlos Ruiz Zafón constrói o seu mais novo livro.

“O Prisioneiro do Céu” é a continuação do aclamado "A Sombra do Vento", mas me enganei ao pensar que outro dos seus livros, "O Jogo do Anjo", não possuiria uma influência tão direta neste volume quanto o seu antecessor - ele possui, e muita. É como se a narrativa dos dois tomassem caminhos separados, porém paralelos, culminando nos acontecimentos relatados neste livro.

Grande parte da leitura consiste em uma retrospectiva ao passado para que possamos conhecer aspectos importantes que não haviam sido abordados nos livros anteriores, mas que são de suma importância para nos fazer entender tudo o que está por vir. Conhecemos mais a fundo o passado do grande Fermín Romero de Torres, para finalmente tomar conhecimento sobre tudo o que aconteceu com ele durante os seus dias mais obscuros.

Nesta viagem ao passado, iremos mergulhar no dia a dia de uma prisão maldita, localizada num castelo acima da cidade onde aqueles que eram contrários ao regime militar espanhol eram relegados ao esquecimento para uma morte certa. As coisas assim funcionavam, até um grupo peculiar encontrar-se encarcerado ao mesmo tempo naquele lugar de misérias e mudar para sempre o rumo da história de cada um dos envolvidos. Na luz dos diálogos entre os prisioneiros, a trama criada por Zafón começa a tomar forma e os segredos escondidos na mente de Fermím darão ao leitor revelações surpreendentes e trarão a tona respostas avassaladoras para as pontas soltas presentes nos dois volumes predecessores.

Só um autor com extremo domínio de escrita conseguiria passear por tantas épocas distintas no tempo, e separá-las de forma tão inteligente em diferentes livros de uma série, que não importa a ordem lida, será igualmente entendida em todas elas. Cada uma dessas histórias quando reunidas contarão apenas uma só: a de personagens inesquecíveis, mergulhados em uma vida de mistérios e segredos familiares; o relato único de pessoas que se defrontaram com uma vida de escolhas e tiveram que carregar para sempre o peso das mesmas, cujas marcas assombrariam e mudariam o rumo das gerações seguintes.

A narrativa poética e dramática de Zafón adquire contornos eletrizantes rumo a um grand finale que tem tudo para ser épico. Difícil vai ser dizer adeus no próximo (e último) volume para alguns dos personagens mais marcantes que eu já conheci em toda a minha vida literária. Felizmente eles estarão sempre por perto, para qualquer leitor que queira se aventurar pelos corredores fantasmagóricos do maravilhoso Cemitério dos Livros Esquecidos.
Alan Ventura 20/06/2012minha estante
Resenha que me deixou ainda mais curioso para ler o livro, talvez eu não espere tanto quanto achava que deveria. Difícil vai ser dizer adeus a qualquer coisa que o Zafón escrever...


Fran Kotipelto 22/06/2012minha estante
Só não gostei de você ter dito que o próximo livro será o último da saga do Cemitério dos Livros Esquecidos. Isso partiu meu coração, no mais... resenha incrível de uma pessoa incrível sobre um livro incrível de autor incrível. Beijos. PS:Vou correr para ler meu exemplar. rs rs


Alana Homrich 06/07/2012minha estante
Bah, parabéns pela resenha! Ainda não li esse livro, mas já li A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo. Ambos são ótimos, e pela sua resenha, vejo que essa continuação também não deixa a desejar. Zafón é o cara!


Alana Homrich 06/07/2012minha estante
Bah, parabéns pela resenha! Ainda não li esse livro, mas já li A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo. Ambos são ótimos, e pela sua resenha, vejo que essa continuação também não deixa a desejar. Zafón é o cara!


bardo 21/07/2012minha estante
Caramba..vc já leu Jow???? Assim não dá rss




Luisa Jordana 19/03/2021

O Prisioneiro do Céu
Nessa história intermediária entre a narrativa de David Martín, no livro O Jogo do Anjo, e dos Sempere, após os acontecimentos de A Sombra do Vento, finalmente nos é apresentada a incrível história de Fermín Romero de Torres, um homem cheio de segredos, calejado de sofrimentos, mas que não perdeu seu espírito e seu bom humor, conquistando assim a amizade e a afeição incondicional de Daniel Sempere.
Os fatos narrados neste livro ocorrem logo após os acontecimentos do livro A Sombra do Vento e explicam muitos dos questionamentos levantados em O Jogo do Anjo. Aqui conhecemos o passado de Fermín Romero de Torres, um personagem que surgiu no primeiro livro da série e que ganhou espaço e importância devido ao seu enorme carisma e seus muitos segredos. O enredo se inicia quando alguém do passado de Fermín surge na livraria dos Sempere. Após ser pressionado por Daniel, Fermin decide revelar seu trágico e chocante passado e no decorrer de seu relato, o rapaz descobre que seu misterioso amigo não surgiu em sua vida totalmente ao acaso, como costumava pensar.
Depois desta leitura, passei a admirar Fermín ainda mais, porque descobrimos que além de espirituoso e engraçado, ele é um personagem muito forte e dono de um enorme coração, do qual nem ele mesmo tem consciência de ser o possuidor. Vale mencionar que o autor se inspirou na obra O Conde de Monte Cristo em boa parte do enredo, o que foi uma grata coincidência, pois li a obra de Alexandre Dumas em paralelo ao O Prisioneiro do Céu, dando um toque especial à ambas as leituras.
comentários(0)comente



Giu Ventura 04/07/2020

Os loucos sempre acham que os loucos são os outros
Mas um livro incrivelmente escrito pelo meu mais novo autor preferido. Fiquei tão feliz de poder voltar a narrativa de Daniel e Fermín e poder conhecer um pouco mais do passado e história de vida de ambos. Esse livro me fez rir, chorar, criar novas teorias e me apaixonar ainda mais por esse universo do Cemitério dos livros esquecidos.
comentários(0)comente



Caio 23/05/2020

"Há épocas e lugares que ser ninguém é muito mais digno do que ser alguém."
"A Sombra do Vento" ficou na minha estante, sem me chamar a atenção, durante alguns vários anos e na falta de um livro novo para ler, ele estava lá. Um dia, faço uma resenha só sobre essa obra. Começo a resenha falando dele porque me apresentou aquele que, talvez, seja uma das minhas personagens favoritas na literatura: Fermín Romero de Torres.

Quando soube que um dos livros da tetralogia era dedicado à história dessa figuraça, não pensei duas vezes e comprei. Trata-se do terceiro livro da saga que, segundo o autor, não segue uma sequência e podem ser lidos em qualquer ordem. Embora eu tenha começado pelo primeiro (e recomendo porque "A Sombra do Vento" é sensacional), isso foi confirmado. Ainda não li o segundo livro e pulei direto para o terceiro. Realmente, não senti que precisava ter seguido a ordem para acompanhar a trama.

O Prisioneiro do Céu é um livro que mistura fatos históricos com mistério, suspense, comédia e personagens cativantes. Num "vai e vem" entre o presente momento da história (década de 50) e as memórias dos tempos em que Fermín esteve no cárcere (fim da década de 1930), o livro é uma viagem por uma Barcelona sombria, devastada pela guerra civil e pelos horrores da ditadura franquista. O autor tem o poder de manter nossos olhos grudados nas páginas para saber quais serão os próximos passos detetivescos de Daniel e Férmin.

Uma leitura leve e gostosa que te deixa apreensivo e faz rir, que inquieta e faz refletir.
Paula 23/05/2020minha estante
A tetralogia é maravilhosa! Minha série favorita! Tbm gosto muito de Fermin, um dos personagens chaves pra história!


Mel 23/05/2020minha estante
Li A Sombra do Vento há muitos anos e também O Jogo do Anjo. Fiquei com vontade de ler tudo de novo e adicionar esse e o último hahaha. Obrigada pela resenha!


Paula 23/05/2020minha estante
Vale muito a pena, viu!




Eduardo.Silva 21/05/2021

Curto e profundo
Uma vez me disseram que na série do Cemitério dos Livros Esquecidos poderia ser lida em qualquer ordem. Hoje após ler o terceiro volume vou contra isso, se alguém ler “O Prisioneiro do Céu” sem ter lido “A Sombra do Vento” e “O Jogo do Anjo”, ficara completamente pedido.

Nesse volume vamos conhecer mais da história Fermín Romero de Torres, personagem que rouba a cena em “A Sombra do Vento”, e vamos descobrir que muita coisa que parecia coincidência no primeiro volume não era coincidência. E além disso vamos ver que o primeiro e o segundo volume estão muito mais conectados do que imaginávamos. E ainda da um gancho para o quarto volume. Um livro de transição em sua essência.

Zafón novamente mostra sua escrita maravilhosa e conectando as histórias de forma magistral. A cada livro me apaixono mais ainda pelos personagens e me apego a família Sempere. Ansioso para ler o próximo, mas com dor no coração de saber que é o último.
Ana Lívia Mourão 21/05/2021minha estante
Zafón era rei demais!!!?? Toda a coleção é maravilhosaaa e os livros dele, escritos antes da série Cemitério dos Livros Esquecidos tbem são muito bons! Meu autor favorito da vida!!!!! Concordo contigo que não da pra ler fora de ordem, você perde muitos detalhes


TaynA.Coutinho 21/05/2021minha estante
Amo todos os livros dele.?


Eduardo.Silva 26/05/2021minha estante
De fato, perfeição define essa série ?? quero ele os outros dele também




Joade 09/05/2021

Excelente
Segundo da série que leio. O primeiro foi o cemitério dos esquecidos. Que série! Muito bom, não consigo parar de ler...
Mattson 09/05/2021minha estante
Gosto muito de Zafon também, foi uma série que li há uns anos quando morava em Natal e fiquei impressionado, pena que ano passado ele nos deixou.




Mateus Matos 16/04/2021

Um livro de conexões
Quem diria que menor livro da série iria conter tanta história?

De volta a Barcelona, e aos Sempere e Fermín, nos aprofundamos nas histórias histórias desses personagens, e em especial na de Fermín Romero de Torres (o melhor de todos criados por Zafón).

Com capítulos curtos e um ritmo veloz, Zafón narra anos de sofrimentos em poucas palavras e faz o encontro de " A Sombra do Vento" e " O Jogo do Anjo" ser tão perfeito e encaixando as nos mínimos detalhes, que a palavra que me sobra para descrever é perfeição.

Respondendo milhares de perguntas e jogando milhares novas, O Prisioneiro do Céu é um livro que cumpre sua função em meio a essa série, além de trazer explicações deixadas em aberto no volume anterior.

Partindo para o último livro, sigo com o pesar de encarar o último livro de uma série que já sei que será difícil me despedir!

Zafón realmente é um mestre!
comentários(0)comente



318 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR