Tudo ou Nada

Tudo ou Nada Luiz Eduardo Soares




Resenhas - Tudo ou Nada


11 encontrados | exibindo 1 a 11


allanpatrick 03/06/2012

Faltou um pouco de objetividade
Sou um admirador de Luiz Eduardo Soares. Na minha opinião, Meu Casaco de General é um livro brilhante, obrigatório para quem deseja estudar ou apenas entender a Segurança Pública no Brasil. Seus livros mais recentes, misto de ficção e realidade, também são do meu agrado, pois trazem a tona realidades que estão, como um iceberg, mais ou menos visíveis a todos, mas que ao mesmo tempo escondem boa parte do seu conteúdo do público.

Gosto desse mix de realidade e ficção e da objetivididade quase jornalística do autor.

Mas, aparentemente, à medida em que se sentem mais à vontade com a escrita, Luiz Eduardo Soares tem adotado recursos estilísticos que tem tornado sua leitura mais chata. O auge dessa situação eu testemunhei na leitura desta obra, uma dissecação de um tema relevante das sociedades contemporâneas pela história de um de seus personagens, mas que peca pelos devaneios e desvios do narrador, que frequentemente abusa de sua prerrogativa de contextualizar o leitor.

Se pudesse um dia conversar com o autor, lhe diria: volte a ser dar um pouco mais de objetividade à sua prosa, você é um brilhante contador de histórias, mas apenas um bom literato.
Cris Aragão 08/10/2013minha estante
Não li os outros livross dele mas também achei esse bem parcial.


Lucas 24/08/2014minha estante
exatamente puts eu to lendo so por cima quando percebo que a coisa cai nesse ponto dele excesso de metaforas e nada objetivo


Juliana 07/02/2015minha estante
Na verdade gostei dos recursos estilísticos... achei que deixou o livro menos técnico. E uma das coisas de que eu mais gostei foi quando ele, apesar de contar a história do ponto de vista do personagem, mostra o sofrimento que ele causou à família, em especial aos filhos. No entanto, como também me interesso pela parte técnica, senti falta dela (gostaria de mais do que as análises do final do livro). Meu Casaco de General é fantástico.




Carol Minardi 06/02/2014

A história é muito interessante, mas a escrita é arrastaaaaaada....
Lucas 24/08/2014minha estante
verdade




ricardo_22 16/07/2012

Resenha para o blog OverShock
Tudo ou Nada, Luiz Eduardo Soares, 1ª edição, Rio de Janeiro-RJ: Nova Fronteira (Grupo Ediouro), 2012, 359 páginas

Professor, antropólogo e escritor, o carioca Luiz Eduardo Soares é considerado um dos maiores especialistas em segurança pública no Brasil e é co-autor dos sucessos Elite da Tropa e Elite da Tropa 2. Em Tudo ou Nada, seu mais recente livro, Soares narra uma história real em um thriller totalmente diferente.
Antes de falar sobre Tudo ou Nada, é necessário falar sobre o brasileiro Ronald Soares, que no ano de 1999 foi preso em Londres por fazer parte de uma quadrilha ligada ao tráfico internacional de drogas. Ele permaneceu preso na Inglaterra, antes de ser transferido para o Brasil e só então ser liberado, depois de acertar contas com a justiça. Atualmente leva uma vida pacata no Rio de Janeiro, bem diferente do que era antes e durante sua ligação ao tráfico.
Neste thriller psicológico, o autor narra em terceira pessoa a fascinante história de Lukas Mello, personagem inspirado em Ronald Soares. Ao longo de mais de 300 páginas, encontramos situações vividas por Lukas e que culminaram na sua entrada ao tráfico e também como foi sua reação e sua vida após ser preso em um país totalmente diferente ao nosso.
Em um dos melhores acontecimentos do livro, percebemos o plano elaborado para levar a droga que saía da Colômbia em direção à Europa, e também a diferença entre o sistema judiciários e carcerário inglês e brasileiro. Apenas nisso notamos, entre outras coisas, como são tratadas as pessoas que têm ligação com drogas em países desenvolvidos e subdesenvolvidos.
Mas, ao contrário do que se pode pensar, Tudo ou Nada é muito mais do que apenas os relatos de uma vida ligada ao tráfico. O livro também mostra o lado humano de Lukas Mello, que trocou o estilo hippie pelo yuppie, bem como seus sentimentos e angústias, e as vitórias e derrotas de um personagem que não sabemos se está do lado do bem ou do mal.

“Assim atravessava madrugadas inteiras, cochilando como quem soluça. A manhã não trazia luz nem trégua. O tempo lhe fora roubado. A noite penetrava no dia com suas agulhas; o dia infeccionava a noite com suas tenazes. (pág. 72)”.

Sendo o primeiro thriller psicológico lido, Tudo ou Nada mostrou um estilo diferente de se escrever este gênero tão fascinante e que não demorou a se tornar um dos favoritos. Mas, ao contrário dos criminais, por exemplo, este thriller é narrado com muitas descrições, poucos diálogos e parágrafos e períodos longos. Com isso, a obra chega a se tornar cansativa em determinamos momentos, principalmente por esperar uma agilidade maior, tão comum em todos os thrillers.
Essa agilidade não só é inexistente, como nos deparamos também com a exposição de situações, dados e opiniões do autor, o que em muitas vezes são dispensáveis na história em si. Ao mesmo tempo em que esses detalhes mostram ao leitor um lado diferente do que geralmente sabemos sobre a movimentação monetária com o tráfico de drogas, eles deixam a narrativa um pouco cansativa e surge então a dúvida: isso deve ser considerado um ponto positivo ou negativo? Como esperava algo mais ágil, diria que é negativo e que poderiam ser expostos de uma maneira diferente – como na já existentes Notas do Autor -, e não na narrativa, como acontece
O que não muda nesta obra é a vontade do leitor em conhecer o desfecho do personagem principal. Aquilo que Lukas Mello vive através do tráfico não é suficiente para que se torne o antagonista da trama, enquanto que seus romances e sua relação com a família e amigos também não são suficientes para classificá-lo como protagonista. Como em nenhum momento sabemos o lado em que Lukas está, torcemos por ele e os sentimentos são despertados ao longo das páginas. Ele é sem dúvida um personagem marcante, que usou de sua inteligência e especialidade para elaborar a logísticas capaz de render milhões de libras. Lukas conquista o leitor por seu modo de pensar e por sua história, sobretudo quando se trata de relações pessoais – mãe e filhos, por exemplo –, profissionais e com as drogas, que também estão em sua vida através do consumo – o que necessitou de certo preparo para largar o vício.

Mais em: http://overshock.blogspot.com.br/2012/07/resenha-95-tudo-ou-nada.html
Carol Minardi 23/01/2014minha estante
Excelente resenha. Ganhei o livro e agora estou com muita vontade de lê-lo!




Leila 24/07/2012

Questionar o sistema
Ninguém nasce criminoso; o crime é uma conseqüência de diversos fatores, como uma bola de neve que vai aumentando e quando se vê já não se pode mais sair dela. Com Ronald Soares, denominado no livro como Lukas, tudo começou com uma decepção que o levou a buscar seus sonhos libertários, viver no mar e fumar maconha; porém, a busca pelo sonho também trouxe o vício, o tráfico e a prisão.

"Qualquer descuido podia ser fatal. Quanto maior o controle policial e mais duras as leis, mais competentes têm que ser os que vivem da transgressão e mais atraentes se tornam os negócios ilícitos, porque a vigilância, ao mesmo tempo que dificulta as transações ilegais, e justamente por dificultá-las, eleva os preços, valoriza os produtos e estimula as práticas proibidas". (Pg 26)

“Tudo ou Nada” vai te fazer questionar o tráfico de drogas e a política de guerra às drogas que só tem beneficiado o próprio tráfico. Lukas conhecia os riscos do envolvimento com esse mundo, mas o dinheiro o encantou e a prisão fez ele conhecer o outro lado da busca por essa paixão.

Leia mais em: http://followthebookleaves.blogspot.com.br/2012/07/resenha-tudo-ou-nada.html
comentários(0)comente



Lelê 01/11/2012

Resenha: Tudo ou Nada
Recebi este livro para análise da editora. Eu esperava ler um livro que falasse sobre drogas e segurança pública, porém mais uma vez fui surpreendida.

O livro conta a história de Lukas Mello, um homem muito inteligente, mas que viu no tráfico uma maneira de exercer seu trabalho e ser reconhecido pela perfeição administrativa.
Ele se tornou um traficante dos grandes. Na verdade, ele cuidava mais da parte executiva do tráfico, como a logística desta empresa milionária.
Lukas tinha esposa e uma filha, sempre foi um bom marido e pai presente, mas a vontade de viver "bem", andar de barco, comer nos melhores restaurantes, e tudo que essa vida excêntrica pode proporcionar o levou a este caminho quase sem volta. Ele usava drogas, "curtia" muito e não enxergava o que era errado.
Seu trabalho incluía a distribuição da droga na Europa e é lá que ele conhece o pesadelo.


"Esse é o problema de sua resposta e é
por isso que ela está errada: a polícia
vai procurar justamente quem se confunde
com a multidão, quem parece tranquilo,
quem não chama a atenção."
Pag. 36


É um thriller psicológico escrito em terceira pessoa. Acompanhamos a história do personagem, suas lembranças, seu julgamento e prisão.


"Lukas sabia que estava ficando velho para
brincar de polícia e bandido. Era sua chance
de mudar de vida. Queria que aquela fosse
a última viagem de negócios."
Pag. 28


A leitura por vezes se tornou cansativa, pois o autor (que além de escritor, também é professor e antropólogo) várias vezes desvia o assunto. Eu acabava tendo que ler a página novamente porquê havia abstraído, me perdia nos meus pensamentos sem conseguir me concentrar.
contudo tenho que ressaltar que a história é muito boa.

Recomendo para quem gosta de livros políciais e thriller psicológico com pitadas de suspense.
comentários(0)comente



Erika 19/03/2013

Muito ruim!
Livro cansativo e muito subjetivo. A história não é linear e nem foca no mais importante: o tráfico internacional de drogas. Não recomendo!
comentários(0)comente



Brunov 25/02/2017

Tudo & Nada
Eu já havia começado a ler este livro a muito tempo e parei antes da metade. Ele é sem dúvidas um dos melhores livros da literatura nacional recente. O mesmo autor de Elite da Tropa e Meu Casaco de General traz aqui uma versão romanceada baseada na história de um personagem real; um jovem inteligente e sensível, com instrução e erudição, ousado e organizado, que entra no mundo das drogas, mais que isso, se torna um elo na rede de tráfico internacional e acaba preso em Londres.

A narração é excelente, um pouco depois da metade o autor ousa fazer um corte duro na sequência de eventos e em tudo que toca consegue superar o óbvio com riqueza e sofisticação, sem perder o ritmo fluídico nos diversos tons que a composição exigem. Cortam cenários reais com penetração aguda e forte presença da bagagem conceitual do autor, que tem opiniões incisivas sobre a efetividade da guerra às drogas e do sistema penal.

Seu protagonista é ambíguo e tem sempre dois mundos diante de si e opta por uma vida de emoções intensas, liberdade e desafios justificando sua vida através deles, no entanto tem que encarar a subhumanização de diferentes modos, o domínio das contingências e o niilismo da vontade.

E, que coisa não é ler mais de um livro ao mesmo tempo? Eu lia também Alves Companhia de Eça de Queiroz, quando me dei conta desse componente psicossocial, no qual aqueles que traem os pactos sociais fundamentais, ainda que firmados sem consentimento, devam ser agressivamente desumanizados como compensador. Imunologização do antropos, Sloterdijk diria, só que inábil.

Isso de alguém que sem habilidade para lidar com aqueles que concordam automaticamente com seus princípios apela para a agressão física, psicológica e moral, invés de entender os fundamentos dessa dissociação honestamente: vejo muitos!
comentários(0)comente



Aldimir 05/03/2014

Estrutura do trafico internacional de drogas
A historia de um brasileiro que foi preso em Londres por associação ao trafico de drogas. Ótima obra que narra em uma fantástica historia a estrutura de como funciona o trafico internacional de drogas e ao longo da obra podemos ver também como a Policia investiga esses casos.
comentários(0)comente



Juninho 03/09/2017

Policial
legal desse brasileiro preso em Londrs
comentários(0)comente



Lais 11/12/2012

Pausei
Ôpa ôpa ôpa, dei uma pausa. Comecei a ler cinquenta tons de cinza.
comentários(0)comente



Naty 21/05/2014

Luiz Eduardo Soares, autor de Elite da Tropa I e II, lança o livro Tudo ou Nada com uma história eletrizante sobre um brasileiro preso em Londres, por associação ao tráfico de drogas. Lá, ele permanece preso, até ser transferido para seu país de origem, após acerto com a justiça.

O livro relata sobre a vida do paulista Ronald Soares, criado no Rio, estudante de Economia na UFRJ, em que o autor usa o personagem Lukas Mello para contar detalhes da trama. Além de traficante, Lukas é um viciado em drogas que tenta se desprender.

Mais do que relatos sobre o trajeto da vida de Lukas, seus passos em falso, sua visão distorcida, sua ambição e o tráfico, o livro aborda questões emocionais. O lado humano de Lukas é colocado em evidência e o que era tratado como projeto notório de culpa, no decorrer das páginas, sofre alterações e dificulta distinguir se o personagem é um cúmplice ou apenas uma vítima do vício.

Em sua juventude, Lukas casou-se com uma das moças mais desejadas. Mesmo com uma decepção amorosa, ele passa por cima dos obstáculos e volta ao seu antigo desejo: comprar um veleiro e passar os demais anos em alto mar, com a companhia da maconha e da cocaína.

No decorrer da trama, é apresentado ao leitor um dos melhores amigos de Lukas. Mesmo com a sensação de traidor e envergonhado por isso, Lukas aceita a ajuda do amigo para tentar se reabilitar do vício e é aí que a história passa a ter um desfecho emocionante e que faz toda a diferença.
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11