Cristianismo Puro e Simples

Cristianismo Puro e Simples C. S. Lewis




Resenhas - Cristianismo Puro e Simples


93 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


nando.neves 16/04/2012

Por que não conheci esse livro antes?
Eu me pergunto porque os jovens cristãos de hoje não conhecem tais livros ao invés de ficarem quebrando a cabeça sozinhos ou lendo auto-ajuda.

Cristianismo puro e simples é um livro sensacional que abrange várias áreas da vida cristã de uma forma coerente, direta e sincera. Talvez o melhor livro do C. S. Lewis, que é autor de tantas outras obras primas.
comentários(0)comente



joc 16/12/2015

Repetidamente recomendada, inconscientemente citada, essa é para mim, a obra mais relevante de C. S. Lewis. Não sei ao certo porque não escrevi sobre ela antes, mas há tempo para tudo debaixo do sol. Esse livro teve e ainda tem muita importância para mim na maneira como hoje raciocínio a realidade por meio da fé.

Escrita no contexto da segunda gerra mundial, foi elaborada para ser transmitida via rádio a convite da BBC e depois convertida no volume como a conhecemos. Cristianismo Puro e Simples é com certeza uma das obras mais impactantes de um dos pensadores mais brilhantes do cristianismo que atravessou o mundo moderno e chegou a pós-modernidade sem perder em nada da sua relevância. À medida que o raciocínio e a decadência da moral humana avançam, Cristianismo Puro e Simples adquire fluorescência aos ateus questionadores sinceros, acredito que também especialmente aos agnósticos, e fortalece a fé dos cristãos que desejam ter um raciocínio mais consolidado. É um livro de apologética com linguagem acessível a todos os interessados.

Aviso: Os que leram as Crônicas de Narnia, mas não conhecem essa obra, não conhecem também o teor sólido por trás das Crônicas.

Lewis apresenta o cristianismo como o título do livro se propõe a fazer: de forma pura e simples. Sem tomar partido para qualquer denominação religiosa, ou fazer defesas de doutrinas particulares, de forma clara, concisa e brilhante, Lewis aborda os temas mais basilares da religião cristã; a começar pela própria defesa da existência de Deus como uma mente consciente e agente formulador da distinção entre certo e errado, por meio do que os teólogos chamam de "o Argumento Moral".

Enquanto lia, me sentia transportado pela argumentação bastante sincera de Lewis, que antes fora ateu convicto, e agora, rendido à necessidade de admitir a existência do Criador que se revelou por meio de Jesus, explica como sua mente apreendeu a realidade tal como o cristianismo a pode revelar a um ser pensante.

A obra é recheada de citações que circulam hoje pela internet. Além da existência de Deus, aborda também a moralidade cristã, a natureza divina, o pecado e sua fonte original na natureza humana, entre outros temas muitíssimo interessantes.

Destaco o capítulo que posso dizer ter marcado minha consciência como ser humano: "O Grande Pecado". Estava no ônibus enquanto lia. Se você estivesse lá para me observar, veria alguns sorrisos, e depois espantos, e algumas pausas para oração. "Meu Deus, eu sou terrível!", vinha à minha mente. "Meu Deus, esse sou eu". Foi uma experiência inesquecível da qual compartilho até hoje com meus amigos, de tão edificante que me foi entender a raiz de todas as minhas corrupções: o orgulho. De vez em quando você me verá falando ou escrevendo sobre ele, simplesmente porque para Lewis, todo pecado é orgulho manifestado em alguma de suas vertentes. Se você entender isso, vai entender também como orar de forma mais específica, e lutar pela transformação do seu caráter para ser mais semelhante a Cristo. Só por esse capítulo, para mim, a obra toda valeria à pena.

Depois de lê-lo, você deve obter uma visão muito mais ampla da vida cristã; um raciocínio mais mais claro para ter certeza do porquê o cristianismo faz mesmo todo o sentido, e terá argumentos muito mais sinceros para manter sua fé em Cristo. Outro benefício para mim, foi ter sido ajudado quanto ao preconceito com outros cristãos que pensam diferente de mim. Acho que esse livro me ajudou a procurar ouvir melhor, me colocar no lugar do outro pensante e tentar entender o porquê essa pessoa raciocina dessa forma.

Considero uma ótima dica de presente a amigos questionadores, descrentes ou curiosos. Pode render conversas muito mais profundas, apesar de não entrar em méritos doutrinários evitando esse tipo de conflito. Cristianismo Puro e Simples, porque vale à pena entender melhor os conceitos que fundamentam sua fé (ou a falta dela).

site: http://peregrinocristao.blogspot.com.br/2015/12/resenha-cristianismo-puro-e-simples-c-s.html
Nathaly Rodrigues 02/05/2017minha estante
A melhor e mais completa resenha! Obrigada..




Lari 07/09/2013

Sem Palavras...
Eu estou sem palavras.Esse é o melhor livro sem sombra de dúvidas depois da Bíblia.Você tem que ler para saber,por mais que eu tente explicar ou dar uma noção do quanto essa leitura mudará sua vida,eu sei que não conseguirei faze-lo.
Apenas leia (com atenção,pois os pensamentos são profundos)até o fim e se surpreenda.
"Cristianismo Puro e Simples" faz jus ao título pois realmente conseguiu transmitir a mensagem do que é o cristianismo verdadeiro.
comentários(0)comente



Cristoph 02/04/2012

Até a parte em que se traça a evolução na pessoa do ateísmo pra o teísmo, passando pelo agnosticismo, o livro satisfaz bem. Porém, quando se faz uma análise de como funciona a relação entre catolicismo e as dezenas de milhares de 'igrejas' protestantes, Lewis cai no ecumenismo ilógico daquele crente que quer 'unir' todos os credos cristãos numa só fé. É ilógico pelo fato de que se só há uma fé e um só batismo, não há a possibilidade das crenças protestantes, que sempre variam tanto entre si e contra a Igreja Católica, fazerem parte de uma mesma 'casa' com vários quartos.
Bruna 22/04/2014minha estante
Concordo com você, o próprio autor acaba falando de algumas coisas que não são comuns entre todas as igrejas cristãs, talvez por causa da época e geografia de onde o livro foi escrito, mas isso não tira o brilhantismo do livro, ele cumpre o seu propósito de falar sobre o cristianismo de maneira pura e simples, se prendendo a matérias importantes, sem ser "chato" ou "água com açúcar". Eu recomendo com certeza!!


Marcus Martins 16/11/2016minha estante
Discordo, ele apresenta um "ecumenismo" baseado nos princípios cristãos. Existe realmente uma só fé, a fé cristã, a fé em Cristo, a fé compartilhada por todos aqueles que creem em espírito e em verdade, essa fé compartilhada por todos os cristãos verdadeiros independe de doutrinas. João 3:16 "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que Deus seu Filho unigênito, para que TODO AQUELE QUE CRÊ não pereça, mas tenha a vida eterna."
Todo aquele que crê em Cristo e não todo aquele que crê em doutrina "X" ou "Y".




Rahfahh 16/08/2014

Belo, simples e profundo!
Que fantástico!!!! Dá vontade de bater palmas!!! Agora compreendo um pouco mais da admiração pelo Lewis que encontro por aí. Realmente é um autor que apontou pra Deus através de sua obra, um autêntico cristão.Ainda assim esta obra trata o Cristianismo de uma forma didática, simples, sem querer convencer o leitor na marra. Indicado para não-cristãos, novos cristãos e cristãos maduros.

O conteúdo deste livro está bem explicado em seu título! Isso chega assustar hoje em dia, pois cada vez mais os títulos tentam ser mirabolantes e criativos como tentativa de fisgar o leitor.

Cristianismo é o assunto desse livro e simples é o substantivo no português que traduz melhor a forma que foi explanado. Mas qual a razão de ser puro? Exatamente o significado que ele traz, sem adição de nada, na sua forma autêntica.

O livro é divido em 4 partes, foi construído a partir de programas de rádio que o Lewis participou durante a II Guerra Mundial. O Livro I trata sobre a identificação de uma Lei Moral comum a todos os seres humanos. Uma construção de pensamento muito interessante. Destaque também para o prefácio e a introdução do livro.

O livro II fala das crenças básicas do Cristianismo! No livro III Lewis fala sobre a conduta cristã e vários aspectos dela, como: moralidade, casamento, perdão, orgulho, caridade, esperança e fé. Já o livro IV fala sobre a trindade, o relacionamento do homem com Deus, como também suas características, ajustando com muita cautela e sabedoria, a posição do homem e de Deus neste relacionamento.

Belo e profundo! Com certeza um bom livro para indicar a não crentes a fim de conhecer o Cristianismo de forma simples e inteligente.
comentários(0)comente



Mari 10/03/2010

O título já diz tudo
Este livro, originalmente divulgado na forma de programa de rádio, é pra quem quer conhecer mais sobre o cristianismo, puro e simples, não ligado a denominações, doutrinas e interpretações. É sobre Cristo, seus motivos e conseqüências, e ponto.
O autor utiliza uma base lógica e explica o cristianismo de acordo com a razão, convencendo o leitor da veracidade acerca dos ensinamentos cristãos, passando desde os conceitos mais básicos (questão do certo x errado) até os mais complexos, explicando-os de forma coerente e sóbria.
Para o objetivo a que o autor se propõe (explicar o cristianismo a quem ainda está "no salão de entrada de uma casa que possui várias portas que levam a diferentes doutrinas") ele é bem sucedido. No prefácio encontramos a informação de que líderes de diversas denominações revisaram o material, a fim de que o seu conteúdo fosse o mais puro possível, imparcial.
Durante um tempo o critiquei por não citar versículos ou se basear explicitamente na Bíblia, mas finalmente entendi seu propósito. Não é um livro sobre doutrinas, é um livro sobre o cristianismo.
Também não é um livro apenas para quem quer conhecer o cristianismo, mas também para aqueles que já o conhecem (ou pensam conhecer). É uma lição de tolerância que bate de frente com o orgulho que muitos cristãos tem por aí, e que impedem que muitas pessoas, de fato, conheçam o cristianismo de verdade.

Enfim, C. S. Lewis mostra o básico, o puro e o simples do cristianismo usando de muita lógica. Apesar de eu não concordar com ele em alguns pontos, considero uma leitura obrigatória.
Toni 27/04/2011minha estante
Fiquei até tentado em adquiri-lo, mas "As Crônicas de Narnia" - na sua opinião - poderia fazer parte deste "Cristianismo puro e simples"? E o fato de um autor cristão escrever um livro cristão sobre o cristianismo e não doutrinas, não significa que o mesmo deva esquecer "explicitamente" da Bíblia.




marrcandré 05/12/2012

Indispensável!
Eu já li muitos livros, então está afirmação é bem forte. Eu acredito que, depois da Bíblia, nenhum livro tenha me marcado tanto quanto este. É difícil eu passar uma semana sem citá-lo ou lembrar de algo que li nele. Já li e reli muitas vezes diversas partes dele e pretendo fazer uma leitura completa novamente muito em breve. Todo cristão precisa lê-lo. Assim como o ateu, o agnóstico, budista, ou quem quer seja.
comentários(0)comente



José Guilherme Skobar 14/11/2017

Todo cristão deveria ler!
"Cristianismo puro e simples" ao lado de "O evangelho maltrapilho" (Brennan Manning) foram, não só os melhores livros que li este ano, como os melhores que já li na vida!

C.S. Lewis levanta questões e argumentos muito bem fundamentados segundo a fé Cristã. Questões sobre ateísmo, o que difere a fé cristã de outras religiões, lei da natureza humana, moralidade, conduta cristã, pecado, graça, fé, perdão, santidade, casamento, sexualidade, psicanálise, caridade, trindade, sentido do universo, física quântica e tantas outras questões de extrema relevância, são abordadas de forma simples e eficaz!

Um livro ATEMPORAL e de riquíssimo conteúdo! Todo cristão deveria ler!
comentários(0)comente



Cristiano 01/11/2012

Marcante!
Confesso que sou fã de C.S Lewis, e este livro, sem dúvidas, é um dos melhores.

Em cada página, você se aprofunda na mente deste grande pensador. São analogias desconcertantes, que o faz pensar quão grande talento Deus deu para este homem.

O título do livro diz tudo: "O Cristianismo puro e simples". É um manual sobre a base de toda fé cristã. Sem dúvidas, não há parcialidade nem tendência congregacional neste livro. Lewis aborda todos os temas de forma humano-cristã, e de maneira didática.

Mais do que recomendado para todo cristão.
comentários(0)comente



HL Castro 01/02/2016

Catapultou a minha consciência a outro nível
Este fantástico livro dividiu a minha consciência cristã em dois períodos: Antes e depois de "Cristianismo Puro e Simples".

A lógica extremamente lúcida que ele te faz percorrer te faz alcançar conclusões marcantes, que certamente farão parte de sua vida, pois a sua consciência de quem é Cristo atinge um novo patamar.

Recomendo a todos que eu conheço!
comentários(0)comente



Lucio 31/01/2018

Filosofia Moral e Existencial de uma Perspectiva Cristã
UMA AVALIAÇÃO GERAL
Este é um livro sobre filosofia moral e existencial da perspectiva cristã. Os temas levantados giram, basicamente, em torno disso. E a própria apologia ao cristianismo toma esses dois grandes temas por base. A partir de um argumento moral, justificado introspectivamente, Lewis nota a necessidade da redenção em Cristo. E do mesmo ponto introspectivo, Lewis lida com o encontro de si na entrega da vida a Cristo.
Tudo isso é trabalhado em termos mais filosóficos do que teológicos. Mas o fato de ser filosófico não implica em linguagem truncada. Lewis, como escritor de literatura, tem habilidades retóricas muito agradáveis, aprazíveis. Sempre busca alguma ilustração e geralmente consegue elucidar muito bem os temas.
Lewis, embora não mencione, está sempre em diálogo com filósofos clássicos. As influências de filósofos clássicos da cristandade também é notável. Agostinho pode ser visto em várias páginas, por exemplo. Mas disputas com Hume, Freud (que é mencionado), Russell e Nietzsche estão presente em várias porções.

CRÍTICA
O livro trabalha excessivamente com teses libertárias (em termos teológicos, não econômicos). Para Lewis, a chave para a solução de uma série de problemas está no 'livre-arbítrio' humano. Parece-nos, no entanto, que o conceito está envolto de problemas. Principalmente no que concerne aos desdobramentos teológicos, tal como quando Lewis diz ser impossível a Deus fazer qualquer coisa se não permitirmos. Isso leva Lewis a várias contradições que empobrecem a obra.
Lewis, também, principalmente no livro IV, comete uma série de deslizes teológicos grosseiros e até perigosos. Demonstrou que deveria ter ouvido o conselho de não tocar em pontos teológicos. Não por serem dispensáveis, mas por não ser da alçada deste grande pensador. Ao falar demais sobre temas não dominados, acabou falando muita besteira.
Suas noções a respeito da obra de Cristo, i. e., suas noções concernentes à justificação, são muito ruins. Tanto é que, embora haja um pequeno capítulo tratando de conversão, a maior parte de sua ênfase está em um conceito mais próximo à 'infusão de graça' da Igreja Católica.
Lewis, também, faz concessões perigosas a Freud, embora note muito bem seus distanciamentos para com a fé cristã. Lewis busca resgatar a psicanálise como ferramenta e distanciá-la do envólucro materialista que Freud coloca. Pelo menos é a tentativa.
O autor, também, é muito confuso em sua concepção sobre a Trindade. Outra parte aterrorizante é a sua perspectiva sobre salvação fora de Cristo, até mesmo em outras religiões.

RESUMO GERAL
O livro tem como fundamento filosófico das teses metafísicas as descrições dos fenômenos introspectivos. A partir daí, Lewis nota dever haver um legislador moral. Então, trabalha as perspectivas possíveis para lidar com os fatos e destaca a superioridade do cristianismo para explicar os fatos. Da inevitável culpa moral, pois, surge a necessidade de expiação. Da expiação, temos, pois, a conversão ao cristianismo pela fé na obra de Cristo e, na sequência, a própria vida cristã em seus aspetos morais, bem como os aspectos estritamente doutrinais.
[Para mais detalhes dos equívocos, confiram o histórico de leitura que contém análise de capítulo por capítulo]

RESUMO DOS LIVROS
No Livro I, Lewis trata de mostrar que a moralidade é a chave para se pensar a realidade que transcende o materialismo. Trabalha com a tese de que temos, em nós mesmos, o testemunho de que os valores objetivos existem, e que, sendo o caso, não são meras construções humanas e que demandam um legislador por trás. Ou seja, é basicamente uma defesa do teísmo. Todavia, há um desdobramento para a própria lida humana e sua responsabilidade para com essa lei moral, o que nos levará ao teísmo cristão.
No Livro II, Lewis começará refinando o teísmo, mostrando as incongruências das alternativas metafísicas. Objeções,como o problema do mal ou a ideia de que o teísmo cristão é muito complicado, são trabalhadas. No refinamento do teísmo para teísmo cristão, Lewis acaba por repousar numa discussão critológica, discutindo aspectos da natureza e da obra de Cristo à luz da chave metafísica moral desenvolvida no primeiro livro, e mostrando a pertinência de Jesus para esses problemas filosóficos.
O Livro III é o livro em que Lewis se dirigirá a questões da moralidade cristã, da vida cristã em geral, abrangendo, pois, vários temas com alguma independência.
No Livro IV, finalmente, Lewis resolve se voltar estritamente para questões teológicas para, finalmente, terminar em seus desdobramentos diretos para a vida cristã. Temas sobre Deus, Trindade e Antropologia Teológica voltam à baila de forma estritamente dirigida.

RECOMENDAÇÃO
O livro, mesmo com todos os defeitos, é um clássico. Um cristão reformado terá problemas. Sentir-se-á numa montanha russa, i. e., haverá capítulos maravilhosos, e outros horríveis. Mas, independente da orientação teológica, é um livro obrigatório para todo estudante de filosofia moral. Mesmo que não concordemos com Lewis, o projeto, num todo, que liga cada parte do livro é muito interessante e bem bolado.
Gustavo Lima 31/01/2018minha estante
Parabéns pela sua resenha!


Lucio 01/02/2018minha estante
Obrigado, Gustavo. :)


Sunkey 01/02/2018minha estante
Explica tudo em termos de livre-arbítrio -'


Lucio 02/02/2018minha estante
Eh... =/




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vitor Louredo 09/07/2011

Grande apologética.
De um modo simples, lógico e prático C.S. Lewis tenta explicar o essencial do cristianismo. O livro é um ícone da apologética cristã. O autor detêm-se nas questões básicas, sem dar muita atenção às matérias secundárias da religião. Tanto se prende ao essencial que o livro se torna bem aceito desde o catolicismo até a mais variada denominação evangélica de sua época.

Lewis responde perguntas relevantes e frequentes baseado em argumentos bem fundamentados na lógica e pouco, ou nada, em citações bíblicas.

O livro é uma adaptação de uma série de rádio gravada pelo próprio autor e transmitida pela BBC entre 1941 e 1942. Tal série serviu de conforto para muitos londrinos durante a segunda guerra mundial.
comentários(0)comente



Rodrigo 17/03/2013

Primeira vez que li, simplesmente me arrebatou pela forma como o cristianismo é passado,sem distinção...sem denominações.
As analogias que nos deixam de queixo caído,a escrita fabulosa...enfim.
Sem dúvida,um dos livros que mais me marcou.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Talita Frezzarim 14/07/2019minha estante
Estou indo para o capítulo 3 do livro. Amei sua análise!! ???




93 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7