Retrato do Meu Coração

Retrato do Meu Coração Meg Cabot




Resenhas - Retrato do Meu Coração


79 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Lu 14/08/2012

Há anos que eu esperava o lançamento de "Retrato do Meu Coração", sequência do ótimo "A Rosa do Inverno". Eu tinha lido uma parte dele via ebook, mas nunca consegui terminá-lo. Acho tão desestimulante ler pelo computador. Mas valeu a pena esperar.

"Retrato" segue o bom nível do 'Rosa do Inverno". A narrativa da Patricia é direta e agradável. A história é simples, sem grandes complicações ou dramas devastadores. Os personagens se enrolam praticamente sozinhos, em uma série mal entendidos e um caso gravíssimo de falta de comunicação. Somando-se a isso as convenções sociais da época e diálogos divertidos (destaque para a melhor amiga de Maggie), e pronto! Tem-se um ótimo romance de época. Sério, não tem como perder. E a Patricia Cabot sabe bem disso.

O que me agrada nos livros dela são os pequenos detalhes que pontuam a história, como o trabalho feminino na nobreza, a questão da maternidade, o preconceito aos estrangeiros e suas religiões. Claro, nada muito aprofundado. Mas acho legal que isso tenha sido abordado.

Maggie é uma ótima mocinha. Ingênua e teimosa, mas de uma coragem enorme por seguir seu caminho, apesar de todas as resistências. E o mesmo posso dizer de Jeremy, de quem não gostei muito nos primeiros capítulos, mas que cresceu muito ao longo da história. Juntos, formam um ótimo casal. Torci muito por eles.

Foi legal ver pinceladas da família de Pegeen e Edward. Queria ter visto mais interação entre os dois casais, mas entendo que a autora quisesse concentrar a história no romance de Maggie e Edward e, do jeito que os dois são, seria meio impossível com um monte de gente em volta.

Enfim, se o que você procura é uma leitura leve, agradável e com altas doses de cenas hot, este é o livro certo para você!

Recomendo!
Aline Memória 25/02/2013minha estante
Tô doida pra ler, Lu! Tomei um susto quando vi que tinha sido lançado nas minhas idas às livrarias *-*


Lu 25/02/2013minha estante
Pois, é! Tbm tinha tomado um susto com o lançamento. Eu tinha quase desistido de ver esse livro publicado aqui. Infelizmente, as editoras demoram um tempão pra publicar as sequências. "O Chá do Amor" tem continuação e até agora, nada de dar as caras por aqui. =/ Obrigada pelo comentário!


Priscila 09/04/2013minha estante
Vai ter mais algum livro desta maravilhosa família????


Lu 16/04/2013minha estante
Não que eu saiba, Priscila. Acho que a Meg nem escreve mais como Patricia Cabot.




@conversas_literarias 02/09/2020

Um amor que resiste ao tempo
Maggie é uma personagem incrível. Ela luta pelos seus sonhos de artista, mesmo que a família não aprove. Praticamente deserdada, Maggie pinta seus quadros e tenta sobreviver em Londres. No começo do livro, Jeremy se mostra um rapaz bem infantil e mimado que, apesar de não querer o título de duque, acaba se aproveitando dele. Ao voltar do exército, ele não é mais mimado, mas ainda assim é um conde que ama quebrar as regras.

Encontramos os personagens em dois momentos da vida, quando se reencontram após tantos anos longe e apaixonam-se, e quando Jeremy volta da Índia. O enredo me cativou e deixou-me muito motivada para continuar a leitura. Além do romance dos protagonistas, outras questões eram discutidas, como a mulher trabalhando fora de casa, o relacionamento de Maggie com a família e uma princesa que veio da Índia atrás de Jeremy.

Amo a escrita de Cabot, é divertida, cheia de acontecimentos e possui persongens muito carismáticos. Apenas um aspecto não me agradou tanto: o amor entre eles parece ser instantâneo. Na verdade não é, porque já se conhecem desde a infância, mas como a autora apenas conta esse fato, fiquei com a sensação de que faltava algo. Tirando isso, é um livro maravilhoso, cheio de acontecimentos e de amor.
comentários(0)comente



Dani A. 19/10/2020

2º livro da série Rawlings
Eu amei esse livro, geralmente não curto quando o romance têm um veia mais humorística, mas aqui a autora foi super, hiper, megaaa feliz em balancear o humor com as características mais descontraídas dos personagens, sem ficar pastelão...me peguei com as tiradas sarcásticas do mocinho, ele com certeza é um dos melhores mocinhos que li esse ano, pois é mega determinado, apaixonado, intenso e brincalhão, enfim, foge um pouco do esteriótipo 'frio + traumatizado', e acaba sendo uma lufada de ar fresco nos romances que leio. Confesso que de início pensei que não fosse curtir, pois estava achando o envolvimento dos dois muito acelerado, tanto é que mesmo anos sem se verem, logo no início o mocinho já chega agarrando a Mag kkkk fiquei bem chocada com o descaramento dele, e pensei que o livro iria ficar nessa pegada sem ter o romance trabalhado...Mas me enganei redondamente, o casal é tão apaixonado que a autora não precisou se esforçar muito para deixar o romance fluir, amei o casal, cenas sensuais no ponto, diálogos cheio de humor, personagens secundários muito carismáticos (acho que nunca vou me esquecer da princesa que venho com o Jerry do exterior, só de lembrar do desfecho eu dou risada sozinha kkk), e mocinha forte e indepente!
Uma das coisas que mais chamou a atenção foram os esforços que o Jerry fez para ser merecedor do amor da Maggie, ele também foi super considerado em ajudá-la em tudo que a fazia se sentir triste (a questão da família dela, achei bem sensível da parte dele ter se pedisposto em tentar reuní-los), um mocinho perfeito, na verdade um casal perfeito!

O livro, na minha opinião poderia ser um tiquinho mais curto, porém mesmo assim as quase 400 páginas foram bem gastas e em nenhum momento o livro ficou maçante.
Com certeza um dos melhores romances históricos divertidos que li.
comentários(0)comente



Lizzy 14/06/2012

Divertido e sensual
Essa é minha segunda leitura desse livrinho e reafirmo que a continuação de A Rosa do Inverno supera o anterior com louvor.
Para contar a história de Mags e Jerry, a excelente narrativa da autora, logo no início, mergulha o leitor nos conflitos comuns da adolecência, destacando a preocupação própria dessa fase em que queremos fazer apenas o que almejamos e gostamos.
Mags queria ser pintora. Jerry, por outro lado, era um playboy egocêntrico e irresponsável, que pensava que o mundo girava ao redor do seu título de duque. Mas tudo muda quando os rivais de infância se apaixonam e por decisão de Mags, eles se separam. Ela se transforma em um pintora a contragosto de sua família e Jerry ingressa no exército passando cinco anos na Índia.
Mas os anos passados não foram suficientes para apagar a insana obsessão de Jerry em possuir Mags. Com o reencontro, uma competente e eficaz comédia é introduzida no texto, tornando-o muito divertido e agradável de ler. Mags não aceita facilmente a paixão de Jerry e esse não a deixa em paz enquanto não obtém com ela o tão almejado sexo, o que garante cenas bem sensuais. Além disso, há uma confusão enorme em torno da Estrela de Japuir, sendo esta uma parte do livro que seria dispensável, mas nada que atrapalhe essa encantadora leitura. Adorei. Recomendadíssimo!
Semiramis 14/06/2012minha estante
Poxa Lizzy, esse livro é tão fofo, né?
Ai, ai (suspiros) deu até saudade,kkkk


Lizzy 14/06/2012minha estante
Oi Semi, eu também gostei bastante, havia lido em ebook, mas adorei ter o livrinho! Bjs


Gisele Melo 24/06/2012minha estante
Chegou meu livrinho!! já vou ler :)




Aninha 10/06/2012

Retrato do meu Coração é escrito pela diva linda maravilhosa Meg Cabot sob o pseudônimo de Patricia Cabot, por motivos óbvios. É a continuação (mais ou menos, na minha opinião) de A Rosa do Inverno. É dito continuação porque os personagens principais são a Maggie não lembro dela no primeiro livro, hm e o Jeremy lembram do pequeno pentelho Jerry que chorou porque matou uma raposa? É, esse Jerry. E ele cresceu. É. Cresceu. Uhum. fora as aparições super fofas do Edward e da Peggen. O Alistair aparece bem pouco *carinha de decepção*, mas nas poucas vezes que ele aparece a gente pode desfrutar da personalidade dele intacta. Enfim, o meu ponto aqui é que li o livro por causa da autora e, como sempre, a Meg Cabot não me decepcionou. mas enfim. A questão é que todos os livros dela, T-O-D-O-S, os quais eu li, jamais me decepcionei. Eu não sei o que Meg faz, mas ela faz muito bem. Você sabe quando o livro é dela só pelo jeito irreverente e pela leitura rápida e gostosa com o qual Meg Cabot escreve. Meu Deus, acho que se um dia eu conhecer ela eu vou ficar meio sorrindo feito uma idiota na frente dela e vou engasgar e daí vou falar alguma coisa super mega ultra constrangedora como sempre acontece quando eu fico nervosa.
Enfim, vamos deixar de lado minha adoração apaixonada pela autora e vamos voltar a resenha.
Ao invés da pequena Yorkshire, do cenário campestre de Park Lane, temos dessa vez a mansão Rawlings em Londres. Mudando um pouco os ares, mudamos também a forma da mulher do século XIX. Maggie não é uma fina e recatada moça do interior da Inglaterra, mas sim uma espirituosa garota que corre atrás dos seus sonhos e é capaz de deixar para trás a família e teimosia dos mesmos para perseguir seu grande sonho de ser pintora isso ganhou meu coração de cara porque eu amo desenhar, então né e mesmo que isso signifique ser taxada de "fumadora de ópio", inconsequente e depravada. E o Jerry... Bem, digamos que ele aprendeu direitinho com o tio Edward como conquistar suas garotas. De qualquer modo, mesmo sendo mulherengo (mais do que o Edward e isso é MUITO mais), Jerry consegue ser diferente em personalidade, sendo bem mais explosivo e estando disposto a quebrar quantos narizes forem necessários para ter o que quer. E quando é dito que ele faz o que é preciso pra conseguir o que ele quer, é literalmente. Jerry é capaz de tudo. Apesar disso parecer frio e cruel no começo, ele vai mostrando um lado muito mais gentil no decorrer da história. Aí você vai me dizer "blé, mas isso é tãaaao típico". Está aí. Não nego. Mas Meg Cabot desenvolve a história tão bem que até o último instante você fica torcendo pra que tudo realmente dê certo.
Com vestidos de renda e botas de montaria, não é nada difícil se perder na antiga Londres, nos bailes dos burgueses e na encantadora vida dos personagens que ambientam a história. E não tem nem como eu decidir se esse é ou não é o melhor livro da Meg Cabot. Pra mim, todos eles tem seu encanto e todos eles são de algum modo bons. Não há o melhor, nem o pior, há apenas livros. Ou o meu fanatismo, mas isso não vem ao caso agora (y)



"- Jerry? - ela chamou.
- O quê? - ele perguntou.
- Aonde você vai?
O jovem a olhou com um sorriso ligeiramente torcido.
- Eu não sei. Ao Inferno, eu acho.
- Oh, - respondeu a garota. - Bem, dê lembranças ao diabo para mim.
O sorriso desapareceu.
- Eu darei.
E depois desapareceu."




"A jovem se calou, observando suas mãos entrelaçadas.
- E o que houve com sua promessa? - perguntou.
Jeremy seguiu a direção de seus olhos, mas só viu sua enorme mão entrelaçando uma outra, pequena e branca.
- Que promessa?
- A de manter as mãos nos bolsos, canalha miserável.
Jeremy a olhou com frieza.
-Tem idéia de como é extraordinariamente difícil - perguntou, apertando os dentes - declarar-se a uma mulher que acaba de lhe chamar de canalha miserável?"
Bruuh 04/07/2012minha estante
Amo os livros da Meg!
Ela é diva! HAHA
Amei sua resenha :D


Aninha 12/07/2012minha estante
Obrigada eu gostei muito desse livro um livro super divertido eu amo romance historico


Bruuh 20/08/2012minha estante
Put's Romances históricos são a minha paixão *--*
Quando descobri que a Meg escrevia tbm pulei de alegria rs


Aninha 25/08/2012minha estante
eu tbm amo Romances Históricos principalmente da meg ela escreve super bem mais tbm amo os livros da judith mcnaught


Bruuh 26/08/2012minha estante
Eu leio tantos rs
Mas já devo ter lido dela si *-*
Adoro estar em outra época rs


Aninha 26/08/2012minha estante
Eu tbm pra mim os romances hitóricos são
os melhores


Romane 26/01/2016minha estante
Eita que essas passagens ai me chamaram a atenção. Acredito que vou rir muito ;)




Marcella 20/05/2020

Sabe aquele livro para vocês shippar horrores e ainda se apaixonar pelo mocinho? Então, estamos falando dele. Adorei a história e todo desenrolar dela.
comentários(0)comente



Duda 27/04/2020

Ai, amei a história!! A Meg Cabot é maravilhosa, e essa série Rawlings em particular é adorável! Um dos melhores romances de época que já li!
comentários(0)comente



Eu_Romanceando 15/09/2020

Sinceramente o amor súbito desse casal não me convenceu, não senti em nenhum momento conexão entre eles e mesmo depois dos 05 anos em que ele esteve na cavalaria sendo um herói e retornou das Índias decidido a se casar com Maggie, também não senti nada. E fala sério que mocinha mais CHATA, gente ela passou o livro todo na mesma ladainha, fora que teve uma traição e não sou a favor, muito menos nesse caso.
Já li outros livros da autora e esse sem dúvidas foi o pior, a leitura é fluida, tem muita sensualidade como já de costume em seus livros, porém definitivamente não rolou para mim. Uma pena.
comentários(0)comente



Lilian 27/03/2020

Adorei.
Sabe aquele livro que está na sua estante a tempo, só esperando.... Pois então era esse o caso.
Adorei o livro, bem escrito, personagens interessantes ( uma mocinha cabeça dura) e um final feliz . Aí fico pensando por que esperei tanto? Mas como acredito que cada livro tem sua hora, ele teve de esperar.
comentários(0)comente



Strecht 06/05/2013

Livro mt bem escrito, segue na perfeição as linhas do primeiro romance. Muito centrado nas personagens, muito rápido nos acontecimentos, diálogos com humor, com picardia e inteligência. Não é de todo um livro cerebral, mas envolve e estimula, graças às personalidades cativantes q autora incute aos personagens. Nunca pensei que aquele jeremy travesso e mimado do 1 livro se tornasse neste homem sensual e cheio de força. Apesar de 5 anos na India me parecer extremo, percebo a ideia da autora...ela compensa qd eles se voltam a reencontrar. Gostei de puder voltar a ver a Pegeen e o Edward, achei a Anne completamente fora de contexto e o Alistar... mt passivo...Em relação à história, temos um Jeremy já adulto e irresponsável que se apaixona pela Megan a irmã mais nova da Anne. Ao ver que supostamente a Megan não retribuiu os sentimentos e acreditando q o motivo é que nunca fez nada na vida, resolve alistar-se na guarda montada e ir para a India, onde fica a aguardar que a Megan se sinta preparada e resolva aceita-lo. 5 anos depois recebe uma carta q dá conta que Megan vai casar....é então que Jeremy decide voltar e conquistar aquilo q entende q sempre foi seu.
Um livro sobre um amor paciente, que n esquece, que é obcessivo e ciumento. Um livro que nos mostra que o medo e a imaturidade nos podem fazer perder as preciosidades da vida. Um romance sobre a perseverança de um homem e a luta pela aceitação de uma mulher. Adorei o lado mt "carnal" da Megan...resulta em cenas de paixão mt credíveis e envolventes....recomendo
comentários(0)comente



Biah Oliveira 08/10/2020

Meu primeiro romance de época!!
Margareth Herbert, por sua estatura, sempre se destacou entre as crianças de sua idade. Magricela e desengonçada, a única atenção que recebia dos meninos, em especial o futuro duque de Rawlings, se resumia a provocações e brigas.
Mas não há nada que o tempo não mude, e com Maggie não foi diferente. Passados cinco anos, a Srta. Herbert cresceu, e os vestidos que antes ficavam largos e desajeitados agora são perfeitamente preenchidos por suas belas curvas. Ela não se dá conta disso, ao contrário dos homens a sua volta, inclusive o décimo sétimo duque de Rawlings, o conquistador Jeremy Rawlings, que, ao retornar da universidade, descobre que a implicante amiga de infância tornou-se uma bela mulher.
E qual não é na surpresa de Maggie ao perceber nas transformações no moleque que ela esfregava o rosto na terra quando criança. E para Jeremy ao perceber que a menina que o aterrorizava quando criança se tornou essa beldade.
Em meio a noivados, princesas indianas, carreira de artista, família preconceituosa e etc., será que o amor sobreviverá?
comentários(0)comente



Paula Juliana 10/10/2013

Resenha: Retrato do meu coração - Patricia Cabot
Resenha: Retrato do meu coração - Patricia Cabot
Classificação: 5/5 ♥ Favorito

Sinopse - Retrato do Meu Coração - -- Portrait of My Heart --
Rawlings 2 - Patricia Cabot
No passado, a desengonçada Maggie Herbert vivia às turras com os meninos, entre os quais o futuro duque de Rawlings, mas tudo se resumia a provocações e brigas. Agora adultos, eles se reencontram. Porém tudo parece conspirar contra a paixão recém-descoberta. Será que os jovens conseguirão vencer preconceitos - dos outros e os próprios - em nome do amor?

''...''Solte minha mão'' - Repetiu Jeremy, imitando-a - '' Saia de cima de mim.'' - Isso é o jeito de saudar uma velho amigo que não vê há meia década?''

Realmente sou uma apaixonada por romances históricos e isso juntamente com sua Autora preferida é uma receita para levar qualquer uma as alturas e foi o que aconteceu comigo ao ler Retrato do meu coração de Meg Cabot, sob o pseudônimo de Patricia Cabot.

''Jeremy quase caiu na gargalhada. Ela era mesmo incrível, sua Maggie. Aonde exatamente pensava que ia? Não havia lugar algum sobre a terra onde Maggie pudesse fugir dele. Ele a seguiria até o inferno se precisasse.''

A história super sensual e envolvente da artista Mags e o duque-cavalheiro Jeremy é de tirar o folego é ousado e sexy, com passagens de tempo e uma paixão avassaladora que prende o leitor do começo ao fim .
Um romance leve e engraçado, com personagens ricos e muitos bons, não tem como não gostar.

Dividido em duas partes uma em 1871 e outra cinco anos depois 1876, o livro conta um romance que nem o tempo nem ninguém conseguem separar.
Retrato do meu coração é recomendado para quem como eu ama se apaixonar e viver essas histórias mais que maravilhosas.


''- Jerry? - Chamou ela.
Ele olhou para ela.
- Sim?
- Para onde vai?
Jeremy sorriu, um pouco de lado.
- Não sei. Para o diabo eu suponho.
- Ah - Disse Meggie - Dê a ele meus comprimentos...''

Os trechos dispensam comentários, eles falam por si mesmos e Jeremy entrou para minha lista de mocinhos preferidos. Então se deliciem com essa linda história!!

'' - Porque está olhando para minha boca?
Jeremy sorriu e com a mão que estava pendurada sobre seu ombro esquerdo, apertou Maggie contra si.
- Por que vou beijá-la. Mags - Respondeu numa voz suave como uma carícia - Você não quer?''

site: http://overdoselite.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Vanessa Meiser 01/08/2012

http://balaiodelivros.blogspot.com/
Maggie é uma linda e rebelde jovem que possui o dom da pintura, consegue reproduzir nas telas com perfeição qualquer imagem, pessoa ou bicho. Seu talento é reconhecido pelas mulheres mais influentes de Yorkshire, local onde mora desde que nasceu. Porém, sua família não compartilha desta admiração, para horror de sua irmã e pai que pensam que artista não é visto com bons olhos, principalmente em 1871 que é quando começa esta história.
Maggie foi criada com Jeremy Rawlings que apesar de ser alguns anos mais velho que ela, brigavam na infância como cão e gato e ao mesmo tempo entendiam-se como irmãos. Jeremy é o sobrinho do Duque de Yorkshire e está sendo criado para ser o próximo duque, porém, Jeremy não quer suceder seu tio e se rebela contra as regras impostas.
Depois de 5 anos sem se verem, Jeremy volta ao povoado sem nem lembrar que Maggie existe, mas fica muito admirado quando a encontra pois, a menina alta e desengonçada da infância tornou-se uma jovem de 17 anos linda e desejada por todos os homens que põem os olhos nela.
O encontro entre os dois é conflituoso, Maggie cai de cima de uma árvore bem em cima de Jerry quando ele está chegando na casa dos tios, na queda o corpo de Maggie se revela deixando Jerry de queixo caído e completamente hipnotizado, o clima entre os dois muda pois percebem que não são mais crianças e que as ações que praticavam na infância não cabem mais hoje em dia com os dois já crescidos. Mais tarde no mesmo dia, os dois encontram-se sozinhos nos estábulos e sem conseguirem mais segurar a atração rendem-se à explosão de sentimentos que toma conta dos dois e acabam beijando-se até que são interrompidos pelo tio de Jerry que fica horrorizado com a cena.
Jerry percebe que está apaixonado por Maggie e que precisa conquistá-la de qualquer maneira. Depois de uma discussão séria com seu tio pelo ocorrido, ele decide se alistar no exército e seguir carreira militar na Índia afim de amadurecer e voltar pronto para se casar com sua amada.
Mais 5 anos se passam e Maggie vai para Paris estudar artes enquanto Jerry torna-se muito respeitado em sua carreira militar. Ela está noiva de um dono de uma galeria de arte que conheceu na França e ele, por ter sido um bravo guerreiro despertou a paixão da bela princesa da Índia - a Estrela de Jaipur - que veio para a Inglaterra atrás de seu amor e disposta a casar com ele.
Quando Maggie e Jerry novamente encontram-se depois de tanto tempo, descobrem que a paixão que nasceu há cinco anos atrás está bem mais forte do que já era e fica impossível negarem que se amam e que precisam um do outro, mas muita coisa está em jogo, a carreira de Maggie como um pintora respeitada, a noiva prometida de Jerry que parece estar certa de que ele irá casar com ela, o noivo de Maggie que não sabe nada do amor de juventude de sua noiva, a família de Jerry que não o considera bom o suficiente para a doce e desprotegida Maggie...será que estes fatores serão fortes o suficiente para impedir Maggie e Jerry vivam este romance?
Bom, eu definitivamente prefiro os livros com teor adulto da diva Meg Cabot, este é o segundo no gênero que leio e com certeza estes foram os melhores dela que li até hoje. Retrato do meu Coração é hot, hot, hot do início ao fim, com cenas picantes e descritas minuciosamente além do belo romance histórico criado, o único ponto que em minha opinião deixou um pouco a desejar foram os últimos capítulos que parece que a autora deu uma acelerada para desenrolar logo a história, mas não é nada que comprometa a trama que sem dúvida foi bem elaborada e feita para encantar a leitora mais exigente e que não resiste a um belo romance histórico.
comentários(0)comente



Sandra 19/01/2014

Um romance com um toque picante
Nunca tinha lido os livros da Meg Cabot com o pseudônimo Patricia Cabot. Acabei começando por esse e apesar do livro ter demorado um pouco pra ficar bom, do meio para o final eu já estava completamente envolvida pela história de Maggie Herbert e Jeremy, o duque de Rawlings.
Eu não esperava pelas cenas picantes, mas admito que gostei e teve momentos que eu precisei me abanar...rs
comentários(0)comente



Ruuh Vergara 02/03/2020

Mais uma vez Cabot arrasando na escrita e na história ??
comentários(0)comente



79 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6