Cidade do Fogo Celestial

Cidade do Fogo Celestial Cassandra Clare




Resenhas - Cidade do Fogo Celestial


153 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Thaís 14/01/2017

"Cidade do Fogo Celestial - Cassandra Clare"
Para quem leu ou não minhas resenhas dos livros anteriores, preciso repetir o quanto adoro essa série de seis livros! Tenho muita vontade de ler tudo novamente! E com esse desfecho, só tenho que dizer o quanto Cassandra Clare soube nos surpreender e cativar com esses personagens e suas tramas.

“Toda vez – disse ele baixinho. – Toda vez que acho que falta um pedaço de mim, você me completa.”

Nesse volume, Sebastian continua com sua obsessão pela irmã, Clary, agora criando Crepusculares e colocando ainda mais medo em todos ao redor de Clary e Jace. Tudo está prestes a explodir, revira-voltas atingem e unem todos os personagens nesse livro.
Malec (Magnus e Alec) está passando por momentos difíceis juntos, os dois precisam lidar com suas ideias egoístas e do passado, que retornam atormentando a relação do casal, para os tornarem mais fortes. Isabelle e Simon é outro casal que nos faz surtar na leitura, com momentos super fofos e de partir o coração. Quem é team Sissy aí? *-* Coitado do Simon, só sofre nessa série... se preparem que não vem pouca coisa por aí não...

"— Somos namorados oficialmente? Existe algum ritual de Caçadores de Sombras? Devo mudar meu status do Facebook de “em um relacionamento complicado” para “em um relacionamento sério”?
Isabelle franziu o nariz de um jeito adorável.
— Humm, mudar status do Facebook? Facebook...? Você tem um livro que também é um rosto?"

E então voltamos ao Sebastian querendo destruir o que sobrou da Clave e do submundo. O pior é que conseguimos criar expectativas com Sebastian, as vezes conseguimos ver que ele ama a irmã de um jeito totalmente torto, mas ama. E isso realmente nos sensibiliza na leitura, ao mesmo tempo em que queremos odiá-lo por tudo dando errado. É aquele vilão por quem nos apaixonamos.
Também temos cenas de Jocelyn e Luke, uma mais especial, para o finalzinho, que nos traz mistérios sobre o passado de alguns Caçadores de Sombras conhecidos de outros livros de Cassandra. Sendo assim, o final do livro não é muito bem o final, pois nos apresenta novos personagens (Emma e Julian) que nos levam ao livro Dama da Meia Noite, aquele conhecido gostinho de quero mais!
O desfecho foi muito bem montado, para mim esse é o melhor livro da série e se prepare para estar com lencinhos em mãos (chorei muito!). A história de amor de Jace e Clary ainda permanecerá em nossa memória após o "fim".

“_ Existem cem trilhões de células no corpo humano – falou. – E cada uma das minhas células te ama. Nossas células morrem, e novas células nascem, e minhas células novam te amam mais que as antigas, e por isso te amo cada dia mais. É ciência. E quando eu morrer e cremarem meu corpo, e eu virar cinzas que se misturam ao ar, parte da terra, das árvores e das estrelas, todos que respirarem esse ar ou enxergarem as flores que crescerem do chão ou olharem para as estrelas vão se lembrar de você e amar você, por que esse é o quanto eu te amo.”

site: http://rascunhosaraujo.blogspot.com.br/2017/01/resenha-cidade-do-fogo-celestial.html#more
comentários(0)comente



Karina 21/12/2016

Resenha | Cidade do Fogo Celestial - Cassandra Clare - Livro 6

Enfim mais uma série concluída e devo admitir que "Cidade das Cinzas" era o meu favorito até ler "Cidade do Fogo Celestial". Na minha opinião, este é o melhor livro da série. Talvez pelo fato de estar familiarizada com os personagens isso tenha colaborado. E para quem pensa que este é o encerramento da série, saiba que fica nítido que há muitas possibilidades a serem exploradas no universo dos caçadores de sombras, que a autora claramente pensa em desenvolver.

Neste livro Sebastian está de volta, sendo a grande ameaça que atormenta o mundo das sombras. Enquanto Jace tenta lidar com o fogo celestial que agora domina seu corpo, seus amigos sentem-se a cada segundo mais encurralados com o caos que Sebastian tem causado ao criar Crepusculares (Caçadores de Sombras com alma demoníaca) com cálice maligno. Logo uma guerra se inicia, quando ele resolve matar seres do submundo e sequestrar os representantes da Clave.

Diria que o livro se divide em três partes: A Guerra, A Perda e O Amor.
Sebastian possuí estes três elementos na narrativa, ele cria a guerra com seus iguais e seres do submundo apenas pela obsessão que alimenta por sua irmã Clary, então mesmo tendo consciência de toda influencia que Valentim teve em sua vida, não há como dizer que o personagem também não fez isso por amor. Talvez uma forma estranha de amor, mesmo com todas suas atitudes ruins, ainda sim torci pela regeneração do personagem...mas Cassandra Clary soube o melhor final para Sebastian e admito que até me emocionei com seu desfecho.

Não há foco direcionado apenas a um personagem, pois todas as histórias em seus diferentes ângulos acabam se entrelaçando por conta do vilão. O romance e a dor assumem os relacionamentos, todos os casais parecem inseguros e ao mesmo tempo intensos no sentindo : "este pode ser nosso último momento juntos", isso faz com que se arrisquem e lutem pelos seus parceiros de forma intensa por acreditar que pode ser o fim a qualquer momento, o que achei muito forte, profundo e totalmente romântico (mesmo nos instantes tristes), gostei bastante.

Para fãs #Malec este realmente é o livro com mais reviravoltas para o casal. Magnus finalmente compreende que o passado não pode ficar aprisionado para sempre dentro de si, oferecendo a estabilidade que faltava para Alec. Alec por sua vez entende que uma vida sem Magnus equivale a nada e quebra seu orgulho entregando-se totalmente aos seus sentimentos.

"Prova de que quero dar a você algo que nunca dei a ninguém: meu passado, a verdade a meu respeito. Quero compartilhar minha vida com você, e isso significa hoje, o futuro e todo meu passado, se você quiser. Se me quiser." ( Magnus para Alec) Pág. 489

"- Mesmo que fossem apenas dias, eu ia querer passar todos com você. Isso significa alguma coisa?
- Sim - respondeu Magnus. - Significa que a partir de agora tornaremos todos os dias importantes." (Alec para Magnus) Pág. 519"

Outro casal em destaque em Cidade do Fogo Celestial é #Sizzy, sim finalmente depois de cinco longos livros termos um romance mega fofo entre Isabelle e Simon, e com isso cenas muito engraçadas de ciúme com Alec em relação a sua irmã.

Por mais redundante que isso possa parecer, este livro foi "Um fim para um novo começo" para os personagens conhecidos como: Clary, Jace, Alec, Magnus, Izzy, Jocelyn, Luke, Simon...(pausa dramática para Simon...pobre Simon, só quem leu sabe...) entre outros que foram incluídos a este universo e trarão muito mais como Emma e Julian. Sou mega fã dessa série e da escritora Cassandra Clare e super indico para todos que curtem histórias fantásticas. #Recomendo

site: http://paraisodoslivros1.blogspot.com.br/2016/12/resenha-cidade-do-fogo-celestial.html
comentários(0)comente



Paraíso dos Livros 21/12/2016

Resenha | Cidade do Fogo Celestial - Cassandra Clare - Livro 6

Enfim mais uma série concluída e devo admitir que "Cidade das Cinzas" era o meu favorito até ler "Cidade do Fogo Celestial". Na minha opinião, este é o melhor livro da série. Talvez pelo fato de estar familiarizada com os personagens isso tenha colaborado. E para quem pensa que este é o encerramento da série, saiba que fica nítido que há muitas possibilidades a serem exploradas no universo dos caçadores de sombras, que a autora claramente pensa em desenvolver.

Neste livro Sebastian está de volta, sendo a grande ameaça que atormenta o mundo das sombras. Enquanto Jace tenta lidar com o fogo celestial que agora domina seu corpo, seus amigos sentem-se a cada segundo mais encurralados com o caos que Sebastian tem causado ao criar Crepusculares (Caçadores de Sombras com alma demoníaca) com cálice maligno. Logo uma guerra se inicia, quando ele resolve matar seres do submundo e sequestrar os representantes da Clave.

Diria que o livro se divide em três partes: A Guerra, A Perda e O Amor.
Sebastian possuí estes três elementos na narrativa, ele cria a guerra com seus iguais e seres do submundo apenas pela obsessão que alimenta por sua irmã Clary, então mesmo tendo consciência de toda influencia que Valentim teve em sua vida, não há como dizer que o personagem também não fez isso por amor. Talvez uma forma estranha de amor, mesmo com todas suas atitudes ruins, ainda sim torci pela regeneração do personagem...mas Cassandra Clary soube o melhor final para Sebastian e admito que até me emocionei com seu desfecho.

Não há foco direcionado apenas a um personagem, pois todas as histórias em seus diferentes ângulos acabam se entrelaçando por conta do vilão. O romance e a dor assumem os relacionamentos, todos os casais parecem inseguros e ao mesmo tempo intensos no sentindo : "este pode ser nosso último momento juntos", isso faz com que se arrisquem e lutem pelos seus parceiros de forma intensa por acreditar que pode ser o fim a qualquer momento, o que achei muito forte, profundo e totalmente romântico (mesmo nos instantes tristes), gostei bastante.

Para fãs #Malec este realmente é o livro com mais reviravoltas para o casal. Magnus finalmente compreende que o passado não pode ficar aprisionado para sempre dentro de si, oferecendo a estabilidade que faltava para Alec. Alec por sua vez entende que uma vida sem Magnus equivale a nada e quebra seu orgulho entregando-se totalmente aos seus sentimentos.

"Prova de que quero dar a você algo que nunca dei a ninguém: meu passado, a verdade a meu respeito. Quero compartilhar minha vida com você, e isso significa hoje, o futuro e todo meu passado, se você quiser. Se me quiser." ( Magnus para Alec) Pág. 489

"- Mesmo que fossem apenas dias, eu ia querer passar todos com você. Isso significa alguma coisa?
- Sim - respondeu Magnus. - Significa que a partir de agora tornaremos todos os dias importantes." (Alec para Magnus) Pág. 519"

Outro casal em destaque em Cidade do Fogo Celestial é #Sizzy, sim finalmente depois de cinco longos livros termos um romance mega fofo entre Isabelle e Simon, e com isso cenas muito engraçadas de ciúme com Alec em relação a sua irmã.

Por mais redundante que isso possa parecer, este livro foi "Um fim para um novo começo" para os personagens conhecidos como: Clary, Jace, Alec, Magnus, Izzy, Jocelyn, Luke, Simon...(pausa dramática para Simon...pobre Simon, só quem leu sabe...) entre outros que foram incluídos a este universo e trarão muito mais como Emma e Julian. Sou mega fã dessa série e da escritora Cassandra Clare e super indico para todos que curtem histórias fantásticas. #Recomendo


site: http://paraisodoslivros1.blogspot.com.br/2016/12/resenha-cidade-do-fogo-celestial.html
Henrique Evangelista 21/12/2016minha estante
Gostei muito da resenha, mas para mim foi o pior livro da série. Prefiro As peças infernais. O romance entre o Jace e a Clare ficou massante. Sempre tem algo que impede o relacionamento dos dois. :)


Paraíso dos Livros 21/12/2016minha estante
Acredito que gostei mais do último por conta de Sebastian, o drama que o envolve me fascinou. Huumm fiquei curiosa para ler "As Peças Infernais" todos os leitores falam super bem dela. Já está na minha meta para 2017 com certeza.




Any 11/12/2016

Recomendo
O livro consegue impressionar o leitor. Traz a combinação de romance - chegando a linha adulta - com aventura, ação, magia, mistérios, segredos e amor. Além de se ficar vidrado em cada página que se encaixa com perfeição aos livros passados dando continuidade a história e aos segredos gradativamente revelados, ainda traz o amor acima de tudo, seja este o amor entre casais, como também o amor entre amigos e familiares. Laços que nasceram e se desenvolveram so longo de seis livros brilhantes. É difícil encontrar livros que transportam o leitor para um novo mundo sem que fique cansativo ou repetitivo. Este é, sim, um mundo incrível do qual se sente saudade ao terminar a leitura. A história de Jace e Clary com seus amigos teve um bom final e o início de uma nova jornada a ser conhecida em A Dama da Meia-Noite e sua sequência.
comentários(0)comente



Camila Silva *** Aster Verbatim 11/12/2016

resenha
ERCHOMAI, Sebastian disse. Estou chegando. Escuridão retorna ao mundo dos Caçadores de Sombras. Enquanto seu mundo se estilhaça, Clary, Jace, Simon e seus amigos devem se unir para lutar com o pior Nephilim que eles já encararam: o próprio irmão de Clary. Ninguém no mundo pode detê-lo — deve a jornada deles para outro mundo ser a resposta? Vidas serão perdidas, amor será sacrificado, e o mundo mudará no sexto e último capítulo da excitante saga Os Instrumentos Mortais.

Infelizmente chegou ao fim essa série (maravilhosa!!!). Tudo se desenrola para um desfecho da história de Jace e Clary, onde estão cada vez mais próximos, assim como outros personagens que ao longo dos acontecimentos se aproximam de forma mais madura. Clary, de uma forma inesperada, ajuda Jace com "seu" fogo celestial" e juntamente com seus amigos se preparam para uma guerra com Sebastiam. E a guerra em Idris não para com os Crespuculares e os integrantes da Corte de Seele. Novos personagens aprecem nesse livro, como Emma Carstairs e Julian Blackthorn. Ambos são sobreviventes do ataque ao Instituto de Los Angeles, junto com os irmãos menores de Julian, que vão ter papel importante na história. Jia Penhallow, a autoridade maior da Clave também tem papel mais importante neste, bem como o pai de Alec e Izzy. Quando terminarem o livro, ficarão pensando nas coisas que Magnus e Tessa disseram... é intrigante. Não deixem de terminar a série e, não vou dizer muita coisa para não estragar a surpresa.
Agora é só começar a ler o próximo As Peças Infernais...


site: asterverbatim2015@blogspot.com.br
comentários(0)comente



Raissa.Raninne 03/12/2016

Inexplicável
Confesso que achei o quarto, o quinto e o começo do sexto livro de Os Instrumentos Mortais super entediantes, mas, mesmo com essa impressão, a Cassandra Clare consegue me deixar de boca aberta.
Os personagens se desenvolveram muito bem ao longo dos livros e cada capítulo era uma surpresa nova.
Pude ver o crescimento dos meus sentimentos por cada um dos personagens...Passei a amar personagens que odiava (tudo bom, Simon?)
Super recomendo Os Instrumentos Mortais para qualquer um, porque aprendi que nem sempre precisamos nos mostrar fortes, entre outras coisas....
comentários(0)comente



Lulu 24/11/2016

Cidade do Fogo Celestia
Final impactante
comentários(0)comente



Taisa 22/11/2016

Antes de começar a falar sobre esse livro, preciso contextualizar essa resenha para que ela faça sentido e ajude a pessoa que está lendo avaliar de forma mais impessoal as minhas impressões sobre ele.

Comecei essa série a 5 nos atrás, os 3 primeiros livros devorei, posso dizer que essa foi uma das séries que abriu as portas para tantas outras que apareceram e talvez esse tenha sido o problema, ela foi ficando pra depois....... e depois....... e depois.

Uma destas séries que eu comecei a ler foi As Peças infernais, e resolvi intercalar os livros, mas acabei me apegando muito mais ao prequel do que à original. Quando estava nesse último livro percebi que iria pegar muitos spoilers de Princesa Mecânica e resolvi terminar ela antes para poder finalizar esse. E esse foi o problema. Eu AMEI As Peças Infernais.

Depois de Princesa Mecânica pouco me interessava Jace e seu fogo celestial, Clary e seus dramas adolescentes, Jocelyn e seu filho do mau, Alec com seu termina ou não com Magnus, Izzy que não come nem sai de cima do Simon. Nada mais daquilo me causava o reboliço de antes, tudo ficou desbotado.

Claro que reconheço a qualidade da autora e os dramas que ela criou, mas devo dizer que essa coisa dela criar um problema a principio IMPOSSÍVEL de realizar para chegar no final e tirar o coelho da cartola já estava batido. Foram no total 8 livros lidos dela e é sempre assim “não há saída para isso” “é impossível voltar atrás com aquilo” ”nunca mais para não sei o que”, aquele efeito de desespero já estava mais que saturado, então por mais que o negócio parecesse super ultra duper mega ultra tenebroso eu tinha certeza que ia ter um jeito no final.

No geral eu gostei muito da série, mas olhando para trás me pergunto mesmo se precisava de tantos livros, metade das coisas que ela fez depois desfez, algumas delas ainda fez de novo o que já tinha desfeito. Esse ultimo livro mesmo foi o rei do fazer o desfeito que já sido feito....kkkkkkkkkkkkkkkkk

Mas enfim, ela deixou ganchos muito interessantes para a próxima série e eu que não estava muito interessada já quero logo poder ler A Dama da Meia-Noite.

Sobre Cidade do Fogo Celestial (e Instrumentos Mortais como um todo) apesar de não achar que foi o melhor dela ainda é muito bom e eu indico, a série teve seus altos e baixos mas no fim tudo se fechou, não houveram pontas soltas ou coisas não ditas, ela cumpriu o prometido.

site: leiturasdataisa.blogspot.com.br
comentários(0)comente



KK 22/11/2016

Sobrenaturalmente humano
Sendo esse o último livro da saga, seria impossível escrever sobre ele sem me remeter a toda a história.

Instrumentos Mortais apresenta um mundo inexplorado de caçadores das sombras, vampiros, demônios, fadas e lobisomens. Mas muito mais do que o sobrenatural, a história retrata a natureza dos seres viventes.

E digo "seres viventes" porque não posso me referir a todos como "humanos", embora apresentem suas paixões, medos, desejos.

A autora retrata, por trás de um contexto sobrenatural, a vida exatente como ela é. E não estamos falando de um romance adolescente, mas de todas as esferas da existência.

Por trás da luta contra uma ditadura demoníaca arrasadora que tenta se instalar no mundo, vemos jogos políticos nos acordos e nas lideranças de cada espécie do submundo.

Também vemos como a questão do novo e diferente afeta várias pessoas. Relacionamentos entre caçadores das sombras e membros do submundo não são bem-vistos. Homossexualidade não é bem vista. Um vampiro diurno não é bem visto. Alianças entre vampiros e lobisomens não são bem-vistas. É o retrato de um mundo conservador tendo que lidar com situações que ele ignorava e fingia não existir. Cada um dos personagens principais da história carrega consigo uma história de fundo que toca forte em alguma questão.

Amor, ódio, incesto, casamento, divórcio, sexo, política, traição, ambição, morte. Todos esses momentos estão bem marcados e narrados em todas as páginas da saga. Personagens choram, sofrem, amam, morrem simplesmente porque isso é o que acontece na vida. E lidar com isso dentro de um contexto sobrenatural é quase uma abordagem lúdica por parte da autora. "Nós somos assim. Lidem com isso" foi a mensagem que ficou gravada em mim ao final destes seis livros.

Somos apenas mundanos, mas vivemos tão intensamente - ou até mais - que os membros do mundo das sombras. Afinal, a nós é reservado a arte e a incerteza do mundo.
comentários(0)comente



Camila 27/10/2016

Finalmente ...
Wow finalmente chega o final dessa maravilhosa série, Cassandra Clare arrazou, vale muito a pena ter sofrido tanto com Jace e a Clary...amei
comentários(0)comente



C. Aguiar 24/10/2016

Jace está tentando entender o que vai acontecer com ele daqui para frente, pois pelo visto nem a Clave sabe como reagir perante a sua situação. Jace está com fogo celestial dentro dele depois do que aconteceu no livro anterior e isso pode ser a salvação dos caçadores de sombras ou a morte de Jace.
Enquanto isso, Clary tenta fazer de tudo para arrumar um modo de destruir Sebastian, mas pelo visto as coisas não parecem muito a seu favor nesse momento.

Os caçadores de sombras se vêem cada vez mais acuados e começam a buscar refugio em Idris, mas pelo visto Sebastian e seu exército pretendem atacar todo e qualquer caçador de sombras que estiver vivo sobre a terra e nada mais conveniente do que aproveitar a oportunidade de atacar quando todos estiverem juntos.
Mas, para aumentar o seu exército ele está atacando vários institutos e transformando quantos caçadores de sombras ele puder e nesse momento que damos um pouco de visibilidade para Emma Carstairs e Julian Blackthorn (que serão personagens centrais na trilogia Os artifícios das trevas).

Sebastian quer Clary e para conseguir isso ele acaba sequestrando os membros do submundo que fazem parte do conselho para tentar oferecê-los como moeda de troca. Isso acaba colocando a Clave contra a parede, pois se ela não ceder estará mostrando que apenas a vida de caçadores das sombras importam. Enquanto a Clave vai discutir o que fazer, Clary e seus amigos vão colocar seu plano insano em prática e tentar acabar de vez com essa guerra.
Armados com suas habilidades, uma coragem enorme - ou estupidez - e um Jace que não sabe usar seu novo poder, eles vão juntos ao encontro de Sebastian.

O livro tem uma pegada rápida e cheia de mistério, pois apesar da conclusão épica e eletrizante, ainda temos um mistério que não foi resolvido, mas que terá uma trilogia para contar sua história.
A série terminou bem, a autora soube trabalhar bem na história, como também nos personagens principais e secundários.
A história é repleta de pequenas referências a trilogia As Peças Infernais e temos o vislumbre de alguns personagens tendo um novo final feliz.

Confesso que o final em alguns momentos me pegou desprevenida, mas não de uma forma negativa e sim de um jeito bastante positivo. Gostei do modo como tudo terminou e de como cada coisa encaixou-se na história, mesmo tendo sofrido em alguns momentos, no final tudo caminhou para algo melhor.

Gostei do crescimento dos personagens e com certeza foi uma série muito emocionante.
Não me recordo de ter achado qualquer erro durante a leitura, a capa segue o mesmo estilo das anteriores e a escrita da autora segue como sempre me emocionando bastante.

site: http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/
comentários(0)comente



Johny 16/10/2016

O fim.
Um livro extenso. Muito extenso. Do tipo, se você não prestar atenção, ele vai te embananar. Mas muito bom. Muito bom mesmo. Muitas perdas, muito sentimentalismo, uma mudança no comportamento do Alec, sem igual, uma aventura, achei que faltou algumas coisas, talvez Cassie não quis fechar as seiscentas páginas, mas mesmo assim, um livro bom de ser lido. Uma fantasia legal, só vai restar a saudade desses personagens tão queridos!
comentários(0)comente



Nena 08/10/2016

Lindo
Uma sega incrível, poderia ser resumida em três livros mas foi divino, teve momentos em que deteste a Cler, amei Simon, me apaixonei por Magnus.
comentários(0)comente



Silvio 22/09/2016

É até divertido como passatempo, mas é literatura comercial e barata.
É muito enrolado e meio forçado; cai no tradicional.
Um bandidão, extremamente poderoso, mais poderoso do que qualquer um, que quer dominar tudo a todos; somente no fim ele se dá mal - pura tradição.
O romance entre Jace e Clary é meloso demais, enche o saco, parece que nunca terá fim - e não tem mesmo. Só faltou o "e viveram felizes para sempre".

Há nephilim - meio-anjos - no mundo todo. Eles convivem bem com lobisomens, vampíros, fadas e feiticeiros, os chamados membros do submundo, desde que todos sigam as regras acordadas democraticamente em um conselho representado por todos. Aí algo, no mínimo, estranho: o submundo só tem representantes de New York. Será que não há submundo no restante do planeta, como há nephilim?
São todos imortais - tradição - com exceção dos meio-anjos. Estranho!

Sebastian quer destruir o mundo dos vivos e governar o mundo dos mortos... estranho.
Para fazer isso, teve muito trabalho, muita luta, muita pesquisa, teve até que morrer. Para governar os mortos e alguns demônios, não precisava destruir os vivos. O personagem é maluco ou a autora pisou na bola? Fica a pergunta.

Há diversos erros de português, alguns grosseiros, que irritam. Isso não é culpa da autora, e sim da tradutora.
comentários(0)comente



Lara Martins 21/09/2016

Só uma coisa a dizer: Simon Lewis, vou morrer de saudades! ?
comentários(0)comente



153 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |