A Casa das Marés

A Casa das Marés Jojo Moyes
Jojo Moyes




Resenhas - A Casa das Marés


46 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Edna @bagagem.literaria 08/06/2014

A simplicidade deve ser conquistada
Para entender a mensagem de Jojo Moyes em Casa das Marés é simples qualquer que seja sua trajetória voce deve primeiro conquistar a simplicidade e trilhar o melhor caminho e muitas vezes o melhor nem sempre será o mais feliz é muita realidade junto, ser feliz as vezes pode significar fazer outros felizes.
marciamoresco 08/02/2017minha estante
Você tem esse livro para vender?


Edna @bagagem.literaria 08/02/2017minha estante
Bom dia. ..Não tenho mais


marciamoresco 08/02/2017minha estante
Se souber de alguém que tenha o livro, faça o favor de me avisar. Obrigada.


Edna @bagagem.literaria 08/02/2017minha estante
Tenho vários da autora aqui no Sebo mas esse não ok se quiser visitar nosso Ig @bagagemlevesebo


marciamoresco 08/02/2017minha estante
Obrigada. Vou olhar.


Edna @bagagem.literaria 08/02/2017minha estante
Postei os disponíveis pra vc lá agora ???


marciamoresco 08/02/2017minha estante
Ok




Bit 28/02/2011

Neste livro, numa história que tem início após a Segunda Guerra Mundial e chega até os dias de hoje, a autora cria uma saga emocionante na qual passado e presente estão firmemente entrelaçados. Na década de 1950, uma cidade litorânea chamada Merham é dominada por uma série de regras sócias austeras. Lottie Swift, acolhida durante a guerra e criada pela respeitável família Holden, ama viver ali naquela cidade, mas Célia, a filha legítima do casal, não vê a hora de ultrapassar os limites de Merham. Quando um excêntrico grupo de artistas se muda para Arcádia, a velha mansão art déco construída de frente para o mar, as meninas não resistem à tentação de se aproximarem deles. Mas o choque para os moradores de Marham é inevitável e acaba por desencadear uma série de acontecimentos que terão conseqüências trágicas e duradouras para todos. Quase cinqüenta anos depois, no início do século 21, Arcádia começa a ser restaurada, voltando à vida e mais uma vez trazendo à tona intensas emoções. E a magia que permeia a mansão faz com que os personagens confrontem suas lembranças e se perguntem - 'É possível deixar nosso passado para trás?'
marciamoresco 08/02/2017minha estante
Você tem esse livro para vender?




spoiler visualizar
marciamoresco 08/02/2017minha estante
Você tem esse livro para vender?


marciamoresco 08/02/2017minha estante
Você tem esse livro para vender?


Claudia 08/02/2017minha estante
Não, já foi.... ninguém está trocando? Tente www.estantevirtual.com.br, lá vendem


marciamoresco 08/02/2017minha estante
Se souber de alguém que tenha o livro, faça o favor de me avisar. Obrigada.


Flávia 11/10/2017minha estante
undefined


Lilde.Silva 22/05/2018minha estante
Pois é,quando ela viu ele pela primeira vez na estação de trem,eu voltei algumas páginas pra ver se tinha perdido alguma coisa,achei sem noção aquilo,fiquei pensando"que mulher louca",meio embaraçoso,demorei a ler a primeira parte,e concordo que o que salvou foi a parte da Daisy,devia ter um desfecho melhor para o casal Daisy e Jones ?


marciamoresco 22/05/2018minha estante
Concordo com vocês.




spoiler visualizar
marciamoresco 08/02/2017minha estante
Você tem esse livro para vender?


Erika 08/02/2017minha estante
Não


marciamoresco 08/02/2017minha estante
Se souber de alguém que tenha o livro, faça o favor de me avisar. Obrigada.


marciamoresco 08/02/2017minha estante
undefined




Thamires Souza 29/01/2016

"Finalmente, muito tempo depois, ela decidiu que precisava continuar viva e, para continuar viva, precisava sentir menos, sofrer menos. Não podia morrer, por mais que quisesse, porque talvez, em algum lugar, ele ainda estivesse vivo. E ela sabia que, se o destino quisesse, eles se encontrariam novamente."
marciamoresco 08/02/2017minha estante
Você tem esse livro para vender?


Thamires Souza 14/02/2017minha estante
Poxa, não tenho :/


marciamoresco 14/02/2017minha estante
Obrigada. Consegui o livro.




Aione 01/09/2015

A Casa das Marés é o segundo romance de Jojo Moyes, publicado originalmente em 2003 e trazido ao Brasil pela editora Bertrand Brasil em 2007, sendo, agora, republicado com uma nova capa.

O livro é dividido em três partes. Na primeira, que corresponde aproximadamente às primeiras 200 páginas, a história se passa em meados dos anos 50 na cidade de Merham, na qual imperam rígidas regras sociais. Aqui somos apresentados à Lottie e Celia, jovens que cresceram juntas após a família da segunda ter, de certa forma, adotado Lottie durante a Segunda Guerra Mundial. Quando uma excêntrica família de artistas se muda para Arcádia, mansão de Merham, as duas garotas criam uma proximidade com os recém chegados capaz de desencadear uma série de acontecimentos para suas vidas. Na segunda e terceira partes da obra, somos transportados ao início do século 21, no qual Daisy, uma decoradora de interiores londrina, após ser abandonada pelo marido, é contratada para restaurar Arcádia, retornando, assim, ao cenário original da trama.

A narrativa de A Casa das Marés se dá sempre em terceira pessoa, porém alternando a visão dos fatos de acordo com diversos personagens que vão surgindo ao longo do enredo. Assim, é possível tanto ter uma visão mais ampla dos acontecimentos da história quanto pode-se compreender melhor as emoções e pensamentos de muitas das figuras que aparecem nela.

Como em Em busca de abrigo, minha leitura mais recente de um dos trabalhos de Jojo Moyes, demorei um pouco a me envolver, de fato, com o livro. Contudo, após ultrapassar as 100 primeiras páginas, mergulhei no cenário descrito e imergi por completo em todos os acontecimentos, ansiando por seus desenrolares. Dessa maneira, consegui me envolver muito mais com os personagens e situações aqui do que com o primeiro livro da autora. É inegável a habilidade de Moyes ao realizar as descrições contidas na trama, possibilitando ao leitor não apenas enxergar as cenas narradas como também compreender as emoções e atitudes dos personagens apresentados.

Ainda, o fato da história se iniciar no passado e, depois, ser transportada ao presente, além de instigar a curiosidade, nascida da necessidade de compreender o desenrolar dos fatos gerados na década de 50, possibilitou, igualmente, que outros eventos, de outras personagens, também fossem narrados, tornando a obra em si mais completa.

Dessa maneira, A Casa das Marés, ao falar de amores, perdas, encontros e desencontros, traz um retrato sobre o que é a vida e os sabores e dissabores de vivê-la. A ação do tempo no enredo foi seu perfeito ingrediente: ao mesmo tempo em que é capaz de intensificar emoções, permite que ações e escolhas sejam reavaliadas, e ressalta o que realmente vale a pena em nossas jornadas. Uma leitura deliciosa e recomendada aos românticos de plantão!

site: http://minhavidaliteraria.com.br/2015/09/01/resenha-a-casa-das-mares-jojo-moyes/
marciamoresco 08/02/2017minha estante
Você tem esse livro para vender?


Fabiana 14/06/2018minha estante
Aione, estou começando a segunda parte do livro e estou com dificuldade para me apegar a leitura. Achei Em busca de abrigo mais fácil de me envolver.
Minha filha e eu acompanhamos seu canal e somo fãs do seu trabalho.
OBS Somos do Rio de Janeiro




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Juliana 08/04/2018

A história não é ruim, mas não é o melhor livro da Jojo.
Sempre leio livros da Jojo Moyes e adoro o fato de que são escritos em dois tempos. A Casa das Marés, entretanto, eu achei confuso e a leitura não fluiu bem. A primeira parte da história, que trata de Lottie e Celia, foi mais demorada e difícil de entender. Acho que foram muitos personagens, além de mal descritos, que deixou a leitura confusa. A segunda parte, nos tempos atuais e quando Daisy vai para a Arcádia, a história fica melhor e o ritmo de leitura também.
No geral a história não é ruim, mas não é o melhor livro da Jojo.
Lilde.Silva 22/05/2018minha estante
Eu tbem senti isso,demorei pra ler esse livro,já li muitos livros da Jojo,mais esse deixou a desejar.




Tha 10/02/2018

É estranho
Descreveria como um livro confuso.Você só consegue compreender a história na metade do livro. É interessante, porém, cansativo. Achei que poderia ter tido um final melhor.
Marcia livros.e.musicas 20/03/2018minha estante
Estou levando uma eternidade para ler esse livro.


Juliana 20/03/2018minha estante
Exatamente isso. Demorei 2 meses para ler pq só no meio consegui pegar um ritmo para ler.


Tha 22/03/2018minha estante
É bem complicado. Eu li 5 x para compreender!




Sandra 04/02/2018

Fevereiro 2018 bom
Romance light, sem muitas espectativas. O começo é meio confuso mas depois melhora. Os personagens e seus conflitos são interessantes. Bom
comentários(0)comente



Luma.Lage 25/09/2019

Na década de 1950, uma cidade litorânea chamada Merham é dominada por uma série de regras sócias austeras. Lottie Swift, acolhida durante a guerra e criada pela respeitável família Holden, ama viver ali naquela cidade, mas Célia, a filha legítima do casal, não vê a hora de ultrapassar os limites de Merham.
O livro é dividido em três partes. Na primeira, a história se passa em meados dos anos 50 na cidade de Merham, na qual imperam rígidas regras sociais. Aqui somos apresentados à Lottie e Celia, jovens que cresceram juntas após a família da segunda ter adotado Lottie durante a Segunda Guerra Mundial. Quando uma excêntrica família de artistas se muda para Arcádia, mansão de Merham, as duas garotas criam uma proximidade com os novos moradores, capaz de desencadear uma série de acontecimentos para suas vidas. Na segunda e terceira partes da obra, somos transportados ao início do século 21, no qual Daisy, uma decoradora de interiores londrina, após ser abandonada pelo marido, é contratada para restaurar a antiga mansão, retornando ao cenário original da trama.
A narrativa de A Casa das Marés se dá sempre em terceira pessoa, porém alternando a visão dos fatos de acordo com os personagens que vão surgindo ao longo do enredo. Nos dando uma visão mais ampla dos acontecimentos da história e dos sentimentos dos personagens envolvidos.
Confesso que demorei um pouco a me envolver com o livro e de me afeiçoar aos personagens em si. Contudo na segunda parte da história as coisas começaram a fluir, me fazendo mergulhar no cenário descrito e imergir por completo na história, ansiando entender mais sobre os personagens em questão. É inegável a habilidade da Jojo ao realizar as descrições contidas na trama, possibilitando ao leitor não apenas enxergar as cenas narradas como também compreender as emoções e atitudes dos personagens apresentados. Dessa maneira, A Casa das Marés, ao falar de amores, perdas, encontros e desencontros, traz um retrato sobre o que é a vida.
Eu já li praticamente todos os livros da Jojo lançados no Brasil, e apesar de ser uma das minhas autoras favoritas, não tenho conseguido me conectar com os personagens da mesma forma que nos primeiros livros lidos, o livro é bom, porém não foi um dos meus favoritos.
comentários(0)comente



Ilma 23/06/2019

Cativante
Uma leitura leve, e cheia de significados. A autora nos leva a Merham uma cidadezinha costeira da Inglaterra, muito tradicional e fechada a novos costumes. ela nos apresenta vários personagens cativantes e únicos, e o cenário principal do enredo: a casa arcádia, que mesmo com o passar dos anos não perde a simpatia e charme, atraindo pessoas e revelando segredos ao longo das gerações.
Os personagens estão em busca do autoconhecimento e nos revela que muitas vezes a melhor escolha não é a que nos faz mais feliz e sim a que nos faz verdadeiramente bem.
Indico, boa leitura!
comentários(0)comente



Augusto 18/03/2018

A Casa Das Marés
A Casa das Marés nos conta duas histórias diferentes, separadas por cinquenta anos, mas unidas pelo mesmo cenário: a Casa Arcádia, na pacata cidade de Merham, no litoral da Inglaterra.

A primeira história se passa na década de 1950. Lottie Swift e Celia Holden são duas jovens moradoras da pacata cidade de Merham, onde os moradores são tradicionais e obcecados pelas aparências e estão sempre cuidando uns das vidas dos outros. As duas foram criadas juntas, mas os Holden não deixam Lottie esquecer que mora ali de favor e que em breve terá que seguir com sua vida! Já Celia é uma garota sonhadora e mimada, que não vê a hora de se mudar para Londres e viver como as garotas das revistas!!

Quando um grupo de artistas boêmios se muda para a Casa Arcádia, os moradores da cidade logo ficam preocupados que eles possam denegrir a imagem de Merham. Celia, no entanto, vê a chance de conhecer gente moderna e glamurosa. Arrastando Lottie junto consigo, Celia decide visitar a casa e as garotas acabam criando uma amizade com as pessoas ali.

Quem não fica nada contente é a Sra. Holden, que decide mandar a filha para estudar em Londres e depois de algum tempo ela surpreende a todos com a notícia que encontrou o amor de sua vida! O que ninguém podia imaginar é que essa história fosse ter um desfecho tão drástico.

Cinquenta anos depois, a Casa Arcádia é comprada por um investidor, que decide montar um ali um hotel exclusivo e luxuoso. A responsável pelo projeto é a arquiteta Daisy Parsons, que, sem ter para onde ir depois que o marido a abandonou com uma bebê recém-nascida, se muda para a Casa Arcádia para acompanhar as obras de perto.

Lá chegando, Daisy é recebida pela Sra. Bernard, antiga proprietária da casa e que parece ser a única moradora da cidade que está feliz com a construção do hotel. A Mesmo após 50 anos, os moradores de Merham continuam sendo tradicionais e moralistas. E como se Daisy já não tivesse problemas demais com a obra, ainda terá que encarar uma turma de moradores do contra!

Mas a obra não provoca só a ira daqueles que não querem ver a cidade tomada por turistas, provoca também um doloroso encontro com o passado, trazendo à tona segredos que ficaram muito tempo escondidos nas paredes da Casa Arcádia!!

?Aquela casa exercia sempre o mesmo efeito sobre ela. Sentia-se atraída, embalada pela aragem dos acordes menores que a brisa do mar soprava, provocante, em sua direção. Sussurravam os seus segredos, sugeriam lugares inéditos, novas maneiras de ser. Você precisa aprender a sonhar, Adeline lhe dissera.?

?Não é o sofrimento de hoje que não posso suportar, pensou ela, enterrando o rosto nas mãos. É a ideia de todos os dias que ainda estão por vir: a repetição interminável do sofrimento, os choques de descobertas indesejadas (?). Vou ter de observá-lo esquecer que um dia fomos próximos, que ele foi meu. E eu vou definhar e morrer dia após dia. O que era uma morte comparada com milhares??
comentários(0)comente



Mari 14/08/2019

Muito confuso
No começo não entendia nada,depois a protagonista ficou uma chatisse só e a segunda parte foi a gosta d'água. Decepção com a Jojo infelizmente...
comentários(0)comente



Diane 22/08/2019

Decepcionante!
Na década de 50, em uma pequena cidade do litoral, um grupo de artistas estrangeiros se muda para a Casa Arcadia, uma bela residência à beira-mar. Por serem conservadores, os moradores começam a ver os artistas com maus olhos, com medo de que eles possam manchar a boa reputação da cidade. Mas as amigas Lottie e Cellia, se interessam pelos novos habitantes e não se preocupam com as consequências, que acabam abalando até mesmo a amizade entre elas.

Alguns anos mais tarde, a Casa Arcadia volta a ser assunto na pequena cidade, já que um empresário decide transformá-la em uma hospedagem de luxo. Daisy é a responsável por arquitetar a reforma da casa, chegando a pequena cidade não só para reconstruí-la, mas para refazer a sua própria vida. A notícia da reforma se espalha revoltando os moradores conservadores, que fazem de tudo para impedir que a Arcadia funcione novamente.

Nunca pensei que fosse me decepcionar tanto com um livro da Jojo Moyes. Que livro maçante! Uma história totalmente confusa, sem graça, chata mesmo! Não dá pra se conectar com os personagens, a narrativa é detalhista demais e não agrada. Dividido em três partes, somente na última delas é que comecei a sentir uma conexão com a história, mas ai já estava cansada da leitura, que não tinha mais como me agradar.
comentários(0)comente



46 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4