O Código Da Vinci

O Código Da Vinci Dan Brown




Resenhas - O Código Da Vinci


904 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Thalita 11/10/2019

Interessante e enigmático
O livro é envolvente e traz enigmas e uma mistura de fatos com ficção, o que torna-o bem legal para quem gosta de História e teorias da conspiração, que é o meu caso. A leitura fluiu, a não ser em algumas poucas partes, as quais ficaram monótonas, mas há associações cissexistas no decorrer do livro que me incomodaram.
comentários(0)comente



Michelly | @oventodoleste 29/09/2019

Blog Vento do Leste
Robert Langdon é um famoso professor de simbologia americano e está na França para apresentar o seu trabalho em uma das universidades do país. Já passava da meia noite quando é acordado pelo recepcionista do hotel. A notícia não era boa. O curador do Louvre foi assassinato dentro do museu. O corpo foi encontrado na Grande Galeria, em uma posição que lembrava O Homem Vitruviano, um dos mais famosos trabalhos de Da Vinci. Junto, trazia uma mensagem enigmática que envolvia Robert Langdon. Curiosamente, há algumas semanas, a secretária do curador havia entrado em contato com Robert para marcar um encontro com ele durante a visita que ele faria a Paris. O encontro aconteceria exatamente naquela noite, mas Jacques Saunière não apareceu. Logo, Bezu Fache da DCPJ (o que pode ser considerado como o FBI da França) viu Robert como o principal suspeito e faria o que fosse necessário para que ele confessasse o crime.

Robert guardava um profundo respeito por Jacques Saunière. O curador do Louvre tinha um extenso conhecimento pela arte, principalmente pelas obras de Leonardo Da Vinci. Não poderia ser coincidência que mesmo em sua morte, Saunière tentasse reproduzir uma de suas obras mais conhecidas. Por que ele envolveria Robert nisso? Bezu Fache acreditava que a vítima conhecia o seu assassino, mas também esperava que Robert pudesse esclarecer os códigos e símbolos que estavam na cena do crime. Estava claro que Saunière tinha feito tudo depois de ter sido atingido por um tiro, mas não seria mais simples deixar apenas o nome do seu assassino? Nesse momento, Sophie Neveu, uma decifradora do Departamento de Criptologia, chega a Grande Galeria e diz ter encontrado a resposta para o código.

A partir desde ponto, a história começa a se desenrolar. Robert e Sophie viram fugitivos da polícia e precisam descobrir o que Jacques Saunière queria dizer a eles. Logo novos fatos são adicionados ao mistério e iremos descobrir mais sobre o Priorado de Sião, uma sociedade secreta ligada aos Cavaleiros Templários, seus grão-mestres e os segredos que eles protegem há séculos. Robert e Sophie saem em busca das pistas deixadas pelo curador. Como em um jogo de detetive, Jacques Saunière foi deixando pistas que sempre levavam a um mistério seguinte. O que estaria esperando por eles no final desse jogo era difícil saber, mas Langdon desconfiava que fosse a resposta para um dos maiores segredos da humanidade. E se estivesse certo, o que ele faria com o que estava prestes a descobrir?

Uma história cheia de mistérios, reviravoltas e enigmas. Em alguns momentos eu quis muito que o Robert Langdon tivesse um choque de realidade, porque por vezes eles se deixava iludir por coisas muito óbvias e que qualquer leitor desconfiaria logo de cara. Ainda assim, a inteligência e o conhecimento do personagem contagiam. É fácil torcer por ele. Assim como Sophie Neveu, que também é uma peça importante para a história. Ela também trás bastante conhecimento para o mistério que estão tentando desvendar. Sophie foi criada para entender as pistas de Saunière quando chegasse o momento.

O autor vai conduzindo o leitor para que ele enxergue apenas o que ele deseja e logo as primeiras páginas já apresentam algumas pistas do que irá acontecer no final do livro, mas se não forem percebidas da forma correta irão iludir o leitor até o último capítulo. Com uma escrita fluída, o autor conquistando o leitor e mostrando um pouco de um dos maiores gênios da história da humanidade: Leonardo Da Vinci. Assim como no livro Origem, O Código da Vinci traz duras críticas a Igreja e atitudes tomadas por ela ao longo de um importante período da história.

O final foi surpreendente e me deixou bastante satisfeita, condiz com o que foi apresentado desde o principio. Todos os personagens são muito bem construídos e são importantes para entender o desfecho da história. A edição da Editora Arqueiro é simples, mas muito bem feita. É um livro que traz mais do que um romance. O Código Da Vinci é uma ótima dica para quem adora um bom suspense, quebra-cabeças e história.

site: https://www.ventodoleste.com.br/2019/09/resenha-o-codigo-da-vinci-de-dan-brown.html
comentários(0)comente



Dri Kauã 28/09/2019

Resenha: O Código da Vinci (Dan Brown)
Para quem gosta de mistério e suspense, o livro mais renomado de Dan Brown é uma boa leitura que te prende e te obriga a buscar e entender cada vez mais sobre o assunto.
A história, em quase todo o seu trajeto, foca no assassinato do curador do museu de Louvre, Paris, chamado Jacques Saunière.
O livro se tornou polêmico e, em outras palavras, mais chamativo graças à brilhante idéia do autor ao usar mistérios e questionamentos sobre uma possível vida alternativa de Cristo. Vale ressaltar que o autor, Dan Brown, costuma dizer que suas obras estar repleta de realidade ou recursos que correspondem à realidade.
Podemos observar o elemento principal, o suspense, em toda a trajetória do livro/história. Onde o aclamado Professor Robert Langdon, professor de simbologia em Havard, tenta desvendar mistérios através do seu vasto conhecimento de "quase tudo". A história consegue criar uma ?nova interpretação? dos fatos reais que conhecemos e devido a isso, muitos leitores admiram de tal forma o escritor e suas obras, que acabam confundindo sua história fictícia com a realidade. Tenham cuidado, pois onde o Professor Robert Langdon mete o nariz, pode esperar que grandes aventuras irão acontecer. Símbolos, mistérios, mentiras, verdades, suspenses e uma pitada de romance.
comentários(0)comente



Daniel.Oliveira 20/09/2019

E Ai,Leitores do mundo todo!Mas um dos livros mais lidos que li,e sinceramente não gostei tanto quanto tinha gostado de "Anjos e Dêmonios".
Esse livro seguiu o mesmo molde do anterior,mas com menos suspense e aventura de "Anjos e Dêmonios",gostei das citações a obras reais como Harry Potter,A última Ceia,Mona Lisa e Etc.Mas no geral,gostei mais do anterior,faltou mais desafios e intrigas que não teve,e a descrição desse achei mais dificil de entender.
comentários(0)comente



Liliane França 11/09/2019

Confesso que me surpreendi com o desfecho dessa história extraordinária. Subestimei a capacidade do autor de criar reviravoltas tão inteligentes e bem acabadas, muito embora eu tenha achado a linguagem meio chatinha em alguns momentos, não a simbologia que ele busca explicar de modo descomplicado, mas alguns diálogos me pareceram repetitivos, gastos, no entanto, a história em si não deixa de ser instigante e intrigante, atiça e aguça a curiosidade. É aquele clichê da crítica menos aguçada, "é de tirar o fôlego". Quase um afogamento com ação e suspense. Entrecortada com acontecimentos históricos e evocando conhecimentos científicos e artísticos. Envolvente, adimito. O nível de detalhamento dos espaços me fez pensar que essa história foi feita pra ser adaptada pro cinema, mas creio que as telinhas não teriam tempo suficiente para manter com fidelidade mínima a forma inteligente como essa trama foi construída. No mais, quem não leu, leia. ;)
comentários(0)comente



Nick 09/09/2019

Aprendizado.
Nunca imaginei aprender tanto em um romance dito como ficção. É de uma profundidade de pesquisa que meu cérebro permitiu-se a confusão entre dados e criação. Incrível. Uma aula completa de simbolismo inesperada.
comentários(0)comente



Julli 03/09/2019

Vale muitíssimo a pena
Me prendeu desde o início até o final, cheio de reviravoltas e surpresas. Ele é recheado de fatos históricos que vale a pena conferir, gostei muito do livro, impecável ao meu ver.
comentários(0)comente



Juh 25/08/2019

Intrigante
Surpreendente,livro maravilhoso.O incrível é que quando nós pensamos que estamos ligando os pontos para desvendar o mistério do livro,do nada a história toma outro rumo.A única coisa que não gostei foi o final,poderia ter sido melhor.
comentários(0)comente



Matheus.Gomes 12/08/2019

O desfecho é forçado demais.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Babi (@multiverse_literary) 08/08/2019

Resenha @Multiverse_literary
Com uma história envolvente e um enredo muito bem criado, Dan Brown nos faz mergulhar em uma história eletrizante de ficção e fatos reais, na qual você não consegue parar de ler.
.
.
Robert langdon é um professor universitário de Harvard. Muito prestigiado no meio acadêmico por seus estudos referente ao simbolismo.
Ele está realizando palestras em Paris quando um dia após uma de suas palestra ele é abordado em seu quarto de hotel por um membro da polícia judiciária.
Jacques Saunière, é o respeitado curador do museu do Louvre, - a quem Robert não teve a chance de conhecer pessoalmente - ele foi encontrado assassinado dentro do Museu.
Bezu fache, o capitão da polícia judiciária, chamou Robert com o pretexto de precisar de ajuda para encontrar pistas no modo e posição bizarras que Jacques foi encontrado.
Sophie Neveu, criptografa da polícia judiciária - e neta de Jacques Saunière - chega ao museu e entrega uma mensagem a Robert, ele fica confuso mas segue as instruções da mensagem.
Sophie convence Robert a fugir, enquanto ele a ajuda a entender os segredos por trás do assassinato do avô.
Opus dei, é uma sociedade extremamente religiosa que segue rigorosamente a igreja católica e suas regras, ela busca encontrar a pedra chave, um segredo a muito tempo guardado pela seita do Priorado de Sião. Um segredo que pode mudar o curso da história, que compromete a igreja católica, e eles estão fazendo de tudo para encontrá-la.
Sophie Neveu e Robert Langdon encontram pistas deixadas por Jacques Sauiniére no local de seu assassinato, eles estão cada vez mais próximos de descobrir os segredos guardado pelo Priorado de Sião, com Bezu fache convicto que Robert é o culpado, e a Opus dei atrás deles também, ambos estão correndo perigo.

site: https://www.instagram.com/p/B0JsQpNhjqo/
comentários(0)comente



Anna Mendes 01/08/2019

Suspense e mistério do começo ao fim!
Em “O Código da Vinci”, um assassinato dentro do Museu do Louvre, em Paris, traz à tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo que foi protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus Cristo. A vítima é o respeitado curador do museu, Jacques Saunière, um dos líderes dessa antiga fraternidade, o Priorado de Sião, que já teve como membros Leonardo da Vinci, Victor Hugo e Isaac Newton.

Momentos antes de morrer, Saunière consegue deixar uma mensagem cifrada na cena do crime que apenas sua neta, a criptógrafa francesa Sophie Neveu, e Robert Langdon, um famoso professor de Simbologia de Harvard, podem desvendar.

Os dois transformam-se em suspeitos e em detetives enquanto percorrem as ruas de Paris e de Londres tentando decifrar um intricado quebra-cabeça que pode lhes revelar um segredo milenar que envolve a Igreja Católica.

Apenas alguns passos à frente das autoridades e do perigoso assassino, Sophie e Robert vão à procura de pistas ocultas nas obras de Da Vinci e se debruçam sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental – da natureza do sorriso da Mona Lisa ao significado do Santo Graal.

E a menos que decifrem esse complicado quebra-cabeça, os segredos do Priorado – e uma antiga verdade altamente perturbadora – estarão perdidos para sempre.

Esse não foi o meu primeiro contato com um livro escrito pelo Dan Brown. No ano passado eu li “Anjos e Demônios” e gostei muito da leitura. Por isso fiquei curiosa para ler as outras obras do autor. Eu estava com altas expectativas para ler “O Código da Vinci”, principalmente por ser o livro mais famoso do autor e, felizmente, eu não me decepcionei.

A escrita do autor é muito ágil e fluida, o que me proporcionou uma leitura muito envolvente. O livro é narrado em terceira pessoa, focando nas perspectivas de diversos personagens, principalmente nas de Langdon e Sophie, protagonistas da trama. Gostei muito da forma como o autor construiu essa narrativa, pois fez com que o suspense e o mistério estivessem presentes do começo ao fim da história.

Eu não fiz uma leitura muito rápida, pois o livro tem muitas informações e eu tinha que ler com atenção em alguns momentos para acompanhar as linhas de raciocínio dos personagens. Mas isso não foi um ponto negativo. Muito pelo contrário. Essa riqueza de informações deixou a leitura muito dinâmica e ainda mais envolvente.

O livro apresenta informações reais sobre obras de arte, documentos e rituais secretos. Eu achei isso muito empolgante. Em vários momentos ao longo da leitura eu terminava de ler um capítulo e ia pesquisar a imagem de alguma obra para tentar encontrar os elementos que os personagens haviam comentado no livro. Eu adorei essa experiência de leitura que “O Código da Vinci” me proporcionou.

No final, há um “plot twist” que me surpreendeu muito, porque eu realmente não esperava que aquilo fosse acontecer. Também há uma revelação que mudou a forma como eu havia visto alguns acontecimentos ao longo da história. O epílogo também traz um acontecimento surpreendente e eu gostei muito disso.

Em suma, “O Código da Vinci” foi um livro envolvente e repleto de suspense e mistério. Achei os personagens cativantes e bem construídos. A trama é complexa e possui muitas cenas de tirar o fôlego. Os acontecimentos finais me surpreenderam muito e eu gostei bastante desse livro. Foi uma leitura que valeu a pena.
comentários(0)comente



Shofan 17/07/2019

Quando o livro foi lançado, era comentado pelos quatro cantos, com suas teorias, elogios e manifestações de revolta ao autor Dan Brown. Suspeito de coisas que se tornam virais e modinhas, mas depois de muuuito tempo acabei me rendendo, e não me arrependo.

A morte misteriosa de Jacques Saunière, curador do Museu do Louvre, envolve o famoso simbologista Robert Langdon que é mencionado em um recado deixado pelo morto na cena do crime. Com a da neta do curador, Sophie, Robert mergulha em uma aventura em busca de desvendar os segredos que cercam a vida de Jacques, sociedades secretas e o Vaticano, decifrando mensagens e códigos envolvendo famosas obras de Leonardo da Vinci.

A leitura é agradável, consegue prender o leitor com conspirações, mistérios e aventura, sempre com revelações a serem encontradas no próximo capítulo (o formato de gancho amado por uns e odiados por outros), e claro, recheado de polêmicas!
comentários(0)comente



jhonny.okara 16/07/2019

Decepcionado
Não esperava esse final tão óbvio... uma trama excelente, surpreendente, magnetizante, personagens bem elaborados, mas achei o final decepcionante, muito clichê...
comentários(0)comente



Malu 11/07/2019

Nao é propriamente uma resenha e sim um comentario... Como todo livro do Brown. Um enigma que que só é completamente desvendado nas últimas linhas! Muito intrigante e ousado! Uma leitura dinâmica, muito envolvente! Repleta de referências a obras de arte e fatos históricos que marcaram a humanidade. Como salientou o próprio autor, independente do que se acredite, que continuemos em busca da nossa própria verdade! Sendo assim, apesar de tudo que a história destaca, continuo firme na minha fé e gostando do autor pela maneira como escreve. Todos os livros dele me surpreenderam, e este não foi diferente!
comentários(0)comente



904 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |