A Catastrófica História de Nós Dois

A Catastrófica História de Nós Dois Jess Rothenberg




Resenhas - A Catastrófica História de Nós Dois


18 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Luby 20/08/2012

Lindo!
É um livro extremamente bonito, bem escrito, e que te faz terminá-lo depois de dois dias. Eu li metade em apenas uma noite!

A história é sobre uma garota, a Brie, que morre,literalmente, de coração partido. Quando morre ela tem que passar por diversas fases para aceitar o fato, e o tempo todo ela tem a ajuda de Patrick. Patrick é um garoto dos anos 80, lindo (é claro) e adora zoar a Brie.

Os personagens são cativantes, a história é linda! Não da nem para contar muito sem estragar o final ou as parte surpreendentes do meio! Vale a pena cada página e me vi chorando no final.

Recomendo MUITO!
Cris Oliver 20/09/2012minha estante
você pode me dizer se o livro fala de reencarnação? obrigada :)


Claudia Becker 13/10/2012minha estante
amei esse livro...


Luby 08/11/2012minha estante
Prefiro não comentar para não arriscar spoilers , he he he :P




Yasmin 31/08/2012

Uau, simplesmente uau. Emocionante, surpreendente e belíssimo.

Sabe quando você olha para uma coisa e sabe que precisa tê-la porque lá no inconsciente a gente sente que vai ser perfeito? Foi assim com esse livro. A primeira vez que o vi soube que seria uma leitura deliciosa. A sinopse pode passar a impressão de algo meloso demais ou até mesmo religioso, com toda a história do além, mas antes mesmo de começar essa resenha eu preciso dizer: leiam! Jess Rothenberg conta uma história sensível e muito linda. E se você pensa que pode prever o que está por vir pode desistir. Surpreendente, belíssimo, tocante, criativo e com toda certeza um dos cinco melhores do ano.

Brie é uma garota comum, sonhadora, de quase 16 anos que tem três amigas inseparáveis, um cachorro fofo, um irmão mais novo que a idólatra e uma vida tranquila numa pequena cidade próxima a São Francisco. Participava da equipe de salto ornamental e tinha um namorado adorável, mas durante um jantar romântico seu coração simplesmente parte ao meio depois de ouvir de Jacob que ele não a amava. Triste, confusa e com um vazio imenso Brie acompanha seu funeral e pouco depois acorda em um ônibus vazio. Tem a impressão de que estava sonhando, mas o motorista não a ouve, não a deixa descer antes da parada final. Dias se passam e Brie estava afogando em memórias quando se dá conta da fome que está e encontra uma versão bizarra da sua pizzaria favorita. Lá se encontram uma garota gótica, um jogador de basquete, um garotinho de menos de 8 anos e outro rapaz vestido como se tivesse saído de um dos seus filmes favoritos dos anos 80. Atrás do balcão uma velha senhora fazendo palavras cruzadas lhe entrega uma pilha de papel para preencher. Ela quer ir para casa, mas a senhora desdenha dela. Logo após preencher a papelada o garoto anos 80 se apresenta a ela. Patrick é o seu nome e ele lhe passa um livrinho encardido. Com raiva dele e de todos Brie não quer saber, mas Patrick escreve em um velho guardanapo cinco palavras: negação, raiva, barganha, tristeza e aceitação. Seguindo único conselho que lhe parece agradável Brie parte com Patrick de volta a verdadeira terra, e nessa brincadeira Brie descobre e aprende muito mais do que imaginava.

Essa é a premissa do livro. Parece simples, bobo e até mesmo um pouco religioso, mas na verdade é absolutamente fantástico. A narrativa de Jess Rothenberg é delicada, sensível, leve, gostosa de ler e muito criativa. Brie é adorável, uma personagem que você gosta de cara e sente a raiva, a revolta que ela sente por morrer tão cedo. Consegue ficar irritado com ela, mas é por gostar dela e não porque ela é irritante. A história é linda e surpreendente. Não sonhava com o rumo que a história ia tomar. Achei que era só Brie vingando-se de Jacob, se apaixonando por Patrick e vivendo sua morte. Quando percebi o que estava acontecendo foi demais. A forma como somos conduzidos pelos cinco estágios do luto é muito criativa e não parecer forçado. Ficou muito natural, casando com cada situação em que Brie se encontrava. Estou apaixonada pelo desfecho, pelas descrições precisas da autora e pela narração em primeira pessoa de Brie. Uma análise de uma vida curta, das escolhas que fazemos e que podem mudar, afetar a vida de outras pessoas, um romance sensível e construtivo.

Além disso, todos os outros personagens são excelentes. Patrick é o companheiro perfeito para Brie, em todas as horas que ela precisou dele. Hamloaf o cachorrinho de Brie foi uma das coisas mais tristes e emocionantes do livro. Ri demais com algumas das situações, quase chorei em outras. Como no momento que Brie despeja tudo em Patrick. Foi um dos diálogos mais duros que já li. Mesmo com o pouco espaço alguns secundários ganharam destaque, chamaram minha atenção e fiquei curiosa para saber como eles morreram tão jovens. A parte final do livro é muito bonita, muito bem pensada e uau. Foi emocionante e não vi aquilo vindo. Desfecho perfeito para a história de Brie, que afinal de contas fazia parte de algo muito maior do que parece. Quem me dera saber quando encontrar algo parecido no campo sentimental como Brie encontrou. Acho que fiquei mole com esse livro, só pode...

Leitura rápida, impossível de largar por vários motivos, e com certeza vai ficar por muito tempo. Entrou para a lista de favoritos, uma ótima estreia a de Jess Rothenberg e espero outros livros dela ansiosa. A edição da Rocco está perfeita. Em cada começo de capítulo tem o trecho de uma música dos anos 80 e no final do livro a Rocco manteve o índice com o nome da música, cantor e filme que ela aparece. Porque Brie adora os anos 80, filmes e músicas, sem falar que a música do começo está sempre relacionada com a história do capítulo. Nem acreditei quando encontrei porque ele acabou de ser lançado, sem falar que estavam 25 reais sendo que o preço padrão é 54,50. Muita sorte porque o livro me conquistou. Adoraria ver a história no cinema, ainda mais se conseguirem manter toda a delicadeza, toda a emoção que o livro passa. Recomendado a todos. Principalmente para os românticos. Também para os que querem uma leitura leve e marcante. Leiam e se surpreendam, emocionem com a história de Brie. Até mais!

Comente e leia mais resenhas em: http://www.cultivandoaleitura.com/2012/08/resenha-catastrofica-historia-de-nos.html

comentários(0)comente



M. Wolf 16/02/2013

Li esse livro em quatro horas e me apaixonei profundamente. Sei que pode parecer besteira, mas ele realmente mudou a minha vida. Eu chorei desesperadamente ao ponto de ter que fechá-lo e parar um pouquinho, em partes que não era para chorar. Não, não é tpm, haha. É só que, com o passar do livro, eu percebi o quanto as vezes eu não dou valor às pessoas na minha vida e o quanto eu sou egoísta ao pensar que, as vezes, ninguém sentiria a minha falta se eu morresse. As fases da morte descritas nele - negação, raiva, barganha, tristeza e aceitação -, são aplicadas em várias situções da vida, também e fiquei surpresa ao me tocar que eu já passei por isso diversas vezes (sem mesmo saber). Eu adorei a narrativa simples, divertida, emocionate e clara de Rothenberg, qual construiu personagens marcantes e ainda colocou uma trilha sonora PERFEITA. Me identifiquei muito com a Brie, que é "A" adolescente-impulsiva-teimosa.. Perfeitamente humana e como muitas de nós. Quis mata-la, às vezes, por não enxergar as coisas ao redor dela, mas quis *me* matar quando percebi que eu também não enxergo. Esse livro é muito importante para mim, de verdade. Mesmo que seja ficção, é um das obras mais verdadeiras e sinceras que eu já li.
comentários(0)comente



Camila 08/09/2012

A Catastrófica História de Nós Dois
Pode alguém morrer por causa de um coração partido?? Se perguntarmos à Brie ela com certeza dirá que sim. Afinal foi exatamente essa a causa de sua morte. O coração de Brie literalmente se partiu e ela não tinha nem 16 anos... Brie deixou para trás uma família incrível, amigas sensacionais e um namorado maravilhoso, que disse a ela, com todas as letras, que não a amava! Opa, como assim? Pois é... E no momento que ele disse isso o coração de Brie rachou no meio e ela disse adeus à vida que tinha. E agora Brie está no céu, ou numa versão um tanto estranha dele. Acaba conhecendo Patrick, um garoto pouco mais velho que ela que a ajuda a passar por todas as fases da morte, começando pela negação!
A história é bem interessante e me fez pensar muito sobre várias coisas. Nem sempre aquilo que achamos que é perfeito realmente é. E muitas vezes as aparências enganam! Apesar disso, não encontrei nada que me deixasse apaixonada pelo livro e por isso classifico apenas como bom!

www.leitoracompulsiva.com.br
comentários(0)comente



S. Entre Amigas 14/10/2013

A Catastrófica História de Nós Dois
A CATASTRÓFICA HISTÓRIA DE NÓS DOIS é um dos raros livros que eu li pelo título e sinopse, e não pela capa. Até porque a capa desse livro não faz jus à maravilhosa história escondida nestas páginas.

Eu descobri esse livro meio por acaso, passeando pelo Google. Resolvi que iria ler algum dia. Esse dia chegou e, com ele, trouxe a ressaca literária mais forte que já tive em minha vida. Não estou falando de alguns dias sem conseguir ler, estou falando de ler o mesmo livro três vezes seguidas. Sim, eu fiz isso. E não me arrependo pois, à cada nova leitura novos, detalhes se faziam perceber, pequenas coisas que não tinha notado na leitura anterior.

Chega de minhas divagações sobre livros e ressaca e vamos ao que realmente interessa: a história e todos seus os pontos positivos e negativos.

A Catastrófica História de Nós Dois tem tudo o que um livro precisa para me conquistar: ironia e romance na medida certa. O livro acompanha a vida após a morte de Brie Eagan.

Com quase 16 anos, Brie tem tudo o que uma garota poderia querer: pais perfeitos, irmão perfeito, cachorro perfeito, amigas perfeitas e um namorado mais que perfeito. Mas tudo isso muda quando Jacob, seu namorado, diz aquelas terríveis quatro palavras durante um jantar romântico: EU NÃO TE AMO.

É nesse momento que nossa protagonista morre, literalmente, de coração partido. Mas a vida no além não é muito diferente do que Brie está acostumada, lá tem até a sua pizzaria preferida: Pedacinho do Céu! Entenderam a ironia?

E é justamente na Pedacinho do Céu que Brie conhece PATRICK, a alma perdida residente. Patrick tem 17 anos, ou pelo menos morreu com 17 anos, e faz o melhor estilo bad boy irresistível. Isto é, se Brie ainda não morresse de amores por Jacob e não achasse Patrick insuportavelmente irritante.

Patrick a ajuda a atravessar as 5 fases do luto, até que ela finalmente compreenda o sentido do amor, da vida e da morte.

Derramei muitas lágrimas durante a leitura desse livro. Acho que boa parte disso se deve à trilha sonora. Sim, temos até uma trilha sonora no livro. Cada capítulo recebe o nome de uma canção, em sua maioria, rock clássico. Já no primeiro capítulo temos Don't You (Forget About Me). Eu sou simplesmente louca por essa música e essa já era uma premissa de que eu iria me desmanchar durante a leitura.

A escrita da Jess é leve e divertida, de fácil compreensão e muito vívida. Era como se eu estivesse presenciando o desenrolar das cenas durante a leitura. Esse é um quesito que eu aprecio muito em um livro: o poder de me fazer viajar.

Já a diagramação é uma verdadeira obra prima. Com fontes personalizadas no título e tudo mais. Simplesmente encantadora.

O único ponto negativo que tenho a ressaltar sobre o livro é realmente a capa. Dou muito valor a capas bonitas na minha estante e essa definitivamente não é uma das melhores que tenho. Mas esse pequeno fato fica encoberto perante a história.

E, como sempre, vou finalizar minha gigantesca resenha com uma das minhas citações favoritas do livro. Espero que gostem, se interessem, leiam e se apaixonem assim como eu.

"Às vezes, lembrar dói demais.
Vendo meu pai daquela maneira — o quanto ele se importava comigo, o quanto me amava, independentemente dos erros que cometera —, não pude deixar de perdoá-lo. Perdoá-lo por não ser perfeito.
Porque, na verdade, quem é?"
comentários(0)comente



Sabbra 30/10/2013

Eu preciso dizer antes de começar....eu achei que seria mais um livro de romance bobinho.....mais ele me surpreendeu bastante

Eu Amei, fiquei super emocionada com essa historia.

Aqui nós conhecemos Brie ((sim sim, igual ao queijo)) kkkkk
Ela tem 15 anos e acabou de morrer, causa da Morte: Um coração partido.

Depois de toda dor sobre o conhecimento de que esta morta, sobre a dor de perder toda a sua vida, seus pais, seu irmão, seu namorado, Brie vai para o "pedacinho do céu" que não é nada mais do que a sua Pizzaria Favorita perto de casa, la é como um lugar para esperar.....esperar a gente nunca sabe oq né....rs

Entre outros garotos mortos, ela conhece Patrick, pense em Tom Cruise em Top Gan..........esse é Patrick, com direito a jaqueta de couro e tudo mais rs

A relação entre os dois vai crescendo no decorrer do livro, e ele a Ajuda a passar pelas 5 Fases: Negação, Raiva, Barganha, Tristeza, Aceitação.

Devo dizer que eu me emocionei mesmo com essa historia, a Brie mesmo sendo uma menina de 15 anos, e mesmo estando morta, ela aprendeu muito sobre a vida em si, fez descobertas muito dolorosas de uma vida que ela sempre achou que fosse perfeita, viu de perto a dor e sofrimento dos entes queridos e de suas melhores amigas com a sua morte inesperada.

Teve um momento que a Brie quase se perdeu na escuridão, reencontrou uma pessoa da sua vida que não teve a mesma sorte que ela nem na morte e quem estava la para ajuda-la? Patrick, sempre lindo.

Eu pensei em vários alternativas para oq aconteceria ou que exatamente Patrick fazia ali, ja que ele não era um garoto morto recentemente....e confesso que achei lindo o final deles.

Enfim, não vou me estender muito, senão conto tudo.

Acho que vale a pena ler sim.....é lindo ;)

comentários(0)comente



Eli @leituraentreamigas 28/10/2017

É uma catástrofe mesmo!
Sabe quando você fica com um livro no seu pensamento por anos e anos, coloca ele na lista de desejados, e diz para si mesmo que um dia ainda irá lê-lo? Pois então, A Catastrófica História de Nós Dóis é esse livro, mas finalmente ele foi lido! E apesar de saber que a história se referia a morte de uma adolescente e aos seus vários estágios, não imaginei em nenhum momento os caminhos que essa trama me levaria, me surpreendi com vários acontecimentos e até agora não consegui me desapegar da Brie.

Quando embarquei na leitura percebi que apesar da Brie está prestes a completar dezesseis anos, eu me identifiquei com ela, principalmente na época em que tive essa idade e até mesmo nos dias de hoje muita gente passa pelos mesmos problemas de relacionamento que ela passou. Imaginem conhecer um garoto incrível, lindo, aquele dos sonhos, se apaixonar, e começar a namorá-lo tendo momentos únicos e inesquecíveis entre vocês dois. Mas aí em um belo dia ele simplesmente diz com todas as letras ''Eu não te amo''. Sim, a Brie passou por esse pesadelo, mas isso não foi o pior de tudo, o pior foi literalmente ter morrido de coração partido na hora exata em que ele disse essas palavras.

''Eu tinha 15 anos quando morri de coração partido. Isso não nenhum mito ou lenda urbana, não. Estou falando a verdade. Não, eu não me matei. Não, não fiz grave de fome. Não peguei pneumonia vagando aos prantos pela ruas debaixo de chuva, ao estilo Razão e Sensibilidade, apesar de ser meio obcecada pela Kate Winslet. Não, fiz bem como antigamente, Meu coração, literalmente, SE PARTIU AO MEIO.'' Página 13

Então, temos uma Brie ou melhor o fantasma da Brie, para nos acompanhar nessa história. Sim, ela morreu, o seu pai que é um cardiologista renomado não pôde fazer nada para salvar a filha, que aparentemente sempre foi uma menina saudável, praticava esportes e tinha uma vida inteira pela frente e também três melhores amigas, todas elas inesperáveis. Por isso a morte de Brie foi bem triste e até inexplicável para todos da sua cidade. Brie depois de morta se encontra agora no seu ''Pedacinho do Céu'' que no caso é a sua cidade mesmo, mas de um jeito bem diferente da qual ela está acostumada, e quando eu digo diferente, quero dizer bem sinistra e com pessoas peculiares que assim como ela também estão mortas, mas uma coisa é certa, essa vida após a morte de Brie vai ser bem divertida, principalmente quando ela encontra Patrick, um garoto misterioso e alma perdida que será imprescindível nessa nova ''vida'' da nossa protagonista.

''Nossos olhos se encontraram por uma fração de segundo e senti um ligeiro estremecimento nos ombros, como se eu tivesse passado por uma nuvem de estática. Os olhos dele eram escuros - nem castanhos nem verdes -, como se ainda não tivessem decidido de que cor queriam ser. Ele era bronzeado, como bom californiano, um bronzeado que só se consegue depois de vários verões surfando. O cabelo era castanho-escuro e bem curtinho, um misto de corte militar e do corte daquele garoto do Crepúsculo (o lobisomem, não o vampiro).'' Página 49

Brie não aceita de jeito nenhum a sua morte, principalmente quando depois de visitar a terra percebe que algo de errado está acontecendo com a sua família, e também com as suas amigas. O que será que Sadie uma de suas melhores amigas escondia de Brie? E Jacob o seu namorado perfeito, qual teria sido o motivo para proferir essas palavras tão cruéis antes da morte de Brie? Ela precisará descobrir tudo isso antes de seguir o seu caminho, mas será que ela está preparada para o que estar por vir? Cinco estágios a aguarda nessa jornada de descobertas, autoconhecimento e aceitação.

Os capítulos são divididos em seis partes, e assim que comecei a narrativa fiquei totalmente envolvida, apesar ter ficado um pouco confusa, pois me senti como se estivesse dentro do seriado ''Além da Imaginação''. Entretanto o livro se tornou um divertimento sem igual, principalmente porque a autora criou uma personagem engraçada, cativante mas às vezes bem cabeça-dura, porém quem não seria na situação dela? O que mais me empolgou foram as referências a vários livros e filmes que a autora fez na história, e não posso esquecer também das músicas, não é à toa que cada capítulo começa com a letra de uma música, acho que cada página foi uma verdadeira trilha sonora para mim, pois me vi em vários momentos com o site do Youtube aberto pesquisando todas as músicas que apareciam na historia, pois é, sou dessas!

Jess Rothenberg poderia ter criado mais um clichê adolescente, mas em certo momento você vai perceber que a história é muito mais que isso, e não vai conseguir parar de ler até saber qual é o verdadeiro destino da Brie. A Catastrófica História de Nós Dois é sobre amor, aprendizado, e de como a busca pela felicidade pode seguir por caminhos tortuosos, mas que no final tudo se encaixa perfeitamente.

site: + resenhas: http://www.leituraentreamigas.com.br/
comentários(0)comente



Mandhz 06/09/2016

Não é uma simples história de amor
A Catastrófica História de Nós Dois não é um romance. É uma história sobre perdão, amor, aceitação e luto. É uma história de aceitar a sorte que lhe foi dada, nem sempre você terá uma segunda chance. Uma história de entrega. A lição que tirei deste livro foi sobre lealdade, principalmente. Ver os laços que Brie tinha om suas amigas era emocionante. Além disso, aprendi que às vezes sacrifícios são necessários e, se forem por amor, nem serão vistos como sacrifícios. Aprendi que as pessoas tem medo de apenas viverem e não serem lembradas, se tornem apenas um nome, uma fotografia antiga. E que ainda você tenha tudo, pode não ter o que realmente importa – amor.

site: https://livroseminhasfases.wordpress.com/2016/09/05/resenha-27-a-catastrofica-historia-de-nos-dois/#more-2501
Laís 13/09/2016minha estante
Gostou Mandhz??


Mandhz 19/09/2016minha estante
Muito! Adorei demais!




Daiane 30/01/2013

A catastrófica história de nós dois
Resenha publicada em meu blog No Universo da Literatura

"Morrer de coração partido é só o início...Bem-vindo à eternidade"


O livro A catastrófica história de nós dois, é escrito por Jess Rothenger, a qual passou parte da ultima década editando livros para crianças e adolescentes, atualmente mora em Nova York e passa o tempo escrevendo.
Dessa vez nossa protagonista é Brie, uma adolescente que faleceu aos 15 anos. Sua morte fora causada em um encontro romântico com Jacob, seu namorado, o qual lhe dera uma notícia que partiu seu coração - literalmente. Agora que está morta, ela pode sentir e rever sua vida e os acontecimentos que antecederam sua morte, percebendo então que o amor não é algo tão simples, mas que envolve uma profundidade de demais sentimentos.
Chegando ao "céu", não é bem um céu, mas é o lugar para onde algumas pessoas jovens, assim como ela, foram após perder suas vidas. Lá Brie conhece Patrick, o qual torna seu amigo e guia, ajudando-a, e mostrando que a morte pode ser um novo começo, mas para isso muitas coisas ainda devem se resolver.
Então Brie quando volta a sua cidade (como um fantasma) e percebe que tudo não está diferente de antes, sua família se desintegrou, sua melhor amiga esconde um terrível segredo sobre Jacob, e a verdade disso tudo pode partir seu coração novamente. Mas como será possível recomeçar uma pós-vida com a sensação de que seu coração está sendo quebrado novamente? E como ajudar quando tecnicamente não se pode mais?

"Eu estava caindo. Caindo no tempo e no espaço, nas estrelas e no céu, e em tudo que existe entre as coisas. Cai durante dias, semanas, e sentia como se fossem vidas e mais vidas. Cai até esquecer que estava caindo"

O livro é narrado em primeira pessoa por Brie, uma garota doce, com sentimentos puros, uma pessoa que acredito que todos gostariam de ter como amiga. Como toda adolescente ela tinha seus sonhos, amores, e de repente vê que sua vida acabou. A forma como a autora construiu a personagem e como ela narra a sua morte e ida para a pós-vida é emocionante, não é nada muito melancólico, mas nos toca. Mesmo narrado em primeira pessoa temos uma dimensão do impacto que a morte da jovem causou nas outras pessoas e como isso repercutiu em suas vidas.
Ao começar a história, vamos descobrindo aos poucos o que causou a morte de Brie, porque, e como há coisas muito além por trás daquilo que Jacob a disse. Mas como todo ser humano às vezes fazem julgamentos precipitamos, ou através de uma informação criamos ou pensamos saber toda uma história, com a personagem não foi diferente. Ela pensou uma coisa, e nos levou também a pensar aquilo, mas a autora nos surpreende, e muito.
É um livro doce, sensível, leve, muito bem construído que consegue interligar a estória dos personagens e os atos de uma forma que não deixa o leitor com dúvidas e ainda o surpreende. No início acreditei que o título da obra referia-se a um primeiro acontecimento, mas ao terminá-lo percebo que não, ele vai além.

"Na verdade, descobri que o inferno não é uma chama queimando, fogo e miséria. é muito, muito pior do que isso. O inferno é quando as pessoas que você mais ama alcançam a sua alma e a arrancam de você. E fazem isso porque podem"

A autora é experiente, e isso deve ser um dos fatores para o livro ser tão bom, e muito bem escrito. A estória consegue te envolver, de início pode parecer pesada, mas não é. O cenário, as cenas, foram muito bem montadas. Você se emociona, ri, é como se Brie nos levasse além das páginas, nos fizesse pensar também em nós, nossas relações familiares, amizades, e embora possa parecer clichê demais, nunca se esquecer de dizer a essas pessoas o quanto a amamos e são importantes para nós, pois não sabemos o dia de amanhã, nem a próxima hora, nem minuto...
A catastrófica história de nós dois se junta aos demais livros de literatura infanto-juvenil de ótima qualidade e de estórias originais, que tem algo a mais a mostrar ao leitor, além, muito além, de apenas um romance adolescente. O amor pode estar em cada detalhe, e talvez ele nunca acabe, mesmo quando nos vamos.
Cada capítulo tem como título uma música, ao final do livro há uma playlist com as músicas e os álbuns em que estão. O tratamento que a Editora Rocco deu ao livro, também não deixa a desejar, além do cuidado com a capa, vemos um cuidado ótimo com a tradução, revisão e a diagramação interna que está belíssima.
Livro recomendado para quem quer uma leitura leve e ao mesmo tempo emocionante, com certeza não o esquecerei.

Link da resenha em meu blog: http://www.nouniversodaliteratura.com/2013/01/resenha-catastrofica-historia-de-nos.html
comentários(0)comente



Eri Guimarães 29/04/2013

Amor Além da Vida... Literalmente!
Brie Eagan tem tudo o que uma garota poderia desejar. Ok, talvez nem todas queiram ter nome de queijo e apelidos envolvendo esse alimento, mas, mesmo assim, ela pode se considerar uma garota sortuda. Ter uma família feliz com um irmão mais novo que a idolatra, três amigas incríveis e inseparáveis, participar do grupo de salto ornamental do colégio e ter um namorado maravilhoso realmente é um privilégio. A vida vai indo muito bem, obrigada. Mas então, pouco antes de completar 16 anos, Brie recebe de cortesia do namorado outra coisa que as garotas não gostariam de ter: um coração partido. E morre. De coração partido, literalmente.
Chegando ao "céu", não é bem um céu, mas é o lugar para onde algumas pessoas jovens, assim como ela, foram após perder suas vidas. Lá Brie conhece Patrick - Alma Perdida Residente - o qual torna seu amigo e guia, ajudando-a, e mostrando que a morte pode ser um novo começo, mas para isso muitas coisas ainda devem se resolver.
Quando Brie volta à sua cidade (como um fantasma), percebe que tudo está diferente de antes, sua família se desintegrou, sua melhor amiga esconde um terrível segredo sobre Jacob, e a verdade disso tudo pode partir seu coração novamente. Mas como será possível recomeçar uma pós-vida com a sensação de que seu coração está sendo quebrado novamente? E como ajudar quando tecnicamente não se pode mais?
O livro é narrado em primeira pessoa por Brie, uma garota doce, com sentimentos puros, uma pessoa que acredito que todos gostariam de ter como amiga. Como toda adolescente ela tinha seus sonhos, amores, e de repente vê que sua vida acabou. A forma como a autora construiu a personagem e como ela narra a sua morte e ida para a pós-vida é emocionante, não é nada muito melancólico, mas nos toca. Mesmo narrado em primeira pessoa temos uma dimensão do impacto que a morte da jovem causou nas outras pessoas e como isso repercutiu em suas vidas.
No decorrer da história, vamos descobrindo aos poucos o que causou a morte de Brie, porque, e como há coisas muito além por trás daquilo que Jacob a disse. Mas como todo ser humano às vezes fazem julgamentos precipitamos, ou através de uma informação criamos ou pensamos saber toda uma história, com a personagem não foi diferente. Ela pensou uma coisa, e nos levou também a pensar aquilo, mas a autora nos surpreende, e muito.
É um livro doce, sensível, leve, muito bem construído que consegue interligar a história dos personagens e os atos de uma forma que não deixa o leitor com dúvidas e ainda o surpreende. No início acreditei que o título da obra referia-se a um primeiro acontecimento, mas ao terminá-lo percebo que não, ele vai além.
Outra coisa legal sobre o livro é que cada capítulo tem como título uma música, principalmente sucessos dos anos 80 e ao final do livro há uma playlist com as músicas e os álbuns em que estão.
A catastrófica história de nós dois se junta aos demais livros de literatura infanto-juvenil de ótima qualidade e de histórias originais, que tem algo a mais a mostrar ao leitor, além, muito além, de apenas um romance adolescente. O amor pode estar em cada detalhe, e talvez ele nunca acabe, mesmo quando nos vamos. Esse livro entrou pra minha lista de favoritos. É mais um que recomendo com segurança!

Critérios de Avaliação

a) Arte da Capa:
A capa é simples, Uma garota com vestido roxo e expressão serena (que logo no inicio no livro sabemos que é a Brie) flutuando entre as nuvens com uma ponte de cabeça pra baixo às suas costas. Com uma mistura de branco e azul bem claro passa a leveza da ‘paz eterna’ e o ‘caminho para a eternidade’.

b) Trama:
A trama é bem criativa, mostrando o que aconteceu no pós-morte da protagonista. Baseada nas cinco fases do luto, o desenvolvimento varia muito de intensidade conforme Brie vai passando por cada uma delas. E os toques cômicos dão uma leveza essencial pra um tema que por si só já é pesado.

c) Caracterização das Personagens:
A autora construiu bem o universo adolescente, seus personagens têm personalidades bem ativas e as emoções bem complexas. Mesmo os que pouco aparecem tem suas características bem marcadas e definidas, criando uma identidade única, mesmo para os coadjuvantes. E a evolução da Brie, o abrir de olhos que ela tem nessa trajetória, a transformação interior foi muito bem trabalhada.

d) Qualidade do Livro (papel, letra, erros, etc.):
O livro tem as folhas porosas em uma cor de creme bem clarinha. A diagramação é bem simples, gosto muito do tamanho da fonte que usaram, ajuda muito na leitura. Gosto muito das revisões da editora Rocco, são ótimas e nesse caso não é diferente.

e) Comparação com outras obras do gênero:
A história é o clichê de um romance adolescente com todo o mar de insegurança e o ar de descoberta da vida adulta de sempre. O inovador é que esse desabrochar acontece na morte. Tem seu lado cômico, mas ao mesmo tempo implica pra muitos valores profundos, como família, amizade e a aceitação de si mesmo.


Essa resenha pode ser vista e comentada no blog: http://edensaga.blogspot.com.br/2013/04/resenha-catastrofica-historia-de-nos.html
comentários(0)comente



Carolineadvfull 17/06/2013

Lindo
RESENHA também disponível no meu blog: www.blogandolinhas.blogspot.com.br


Esse livro é fofo demais. Eu tive contato com ele pela primeira vez no Skoob, fuçando os livros nas estantes dos usuários. Inicialmente a capa me chamou a atenção (eu adoro uma boa capa de livro! *-*), olhei a sinopse e me pareceu interessante. Mas somente muito tempo depois que vim a ler, comprei a versão digital dele que saiu recentemente.

"A catastrófica história de nós dois" tem uma narrativa simples, de fácil compreensão. Uma leitura leve. Ao ler a sinopse, você imagina sobre o que o livro vai tratar, mas você se depara com muito mais. A proporção que você vai lendo o livro e acredita que já descobriu tudo, espere; pois você vai continuar se surpreendendo.

O livro ao contrário do que se pensa, pelo menos pelo meu ponto de vista, não aborda o espiritismo propriamente, mas as fases do amadurecimento do ser também, importante para qualquer pessoa independente de sua religião; progredir emocionalmente. Mostra um pouco de como lidar com o amor, com as perdas, com a raiva, a a saudade, o desejo de vingança, etc.

Eu considerei esse livro fantástico, apesar de ser uma leitura infanto-juvenil, possui uma temática que se adequa ao público adulto.

A Bree era uma adolescente que estava prestes a completar 16 anos. Fazia parte da equipe de mergulho da sua escola "Hall Monn Bay" na Califórnia, uma equipe muito bem sucedida. Morava com o pai, a mãe, seu irmão-caçula e seu cachorro. Tinha uma vida comum como qualquer garota de sua idade. Na véspera de completar os seus 16 anos, seu namorado Jacob, estrela do time de atletismo, a convida para um jantar. E o que ela esperava, um jantar romântico a dois, não foi nada do que imaginou. A Bree literalmente morre por ter seu coração partido ao ouvir de seu namorado que ele não a ama.

Posteriormente a Bree se vê em um lugar estranho, depois de morta ela chega numa pizzaria, conhecido como o "pedacinho do céu" um lugar em que não conhece ninguém, longe da sua família e amigos. Neste lugar todos são crianças, ela fica sem entender nada. Lá ela conhece Patrick, um garoto aparentemente mais velho com os seus 17 anos, lindo de morrer, com seu estilo Tom Cruise do filme Top Gam, que a recepciona e a explica o por quê dela está ali e lhe entrega um manual M & E, Morto e Enterrado (um manual de sobrevivência no céu).

A Bree então percebe que se encontra numa espécie de "limbo", o local onde as almas vão por ter assuntos digamos inacabados, ligados a sua vida anteriormente humana.

A partir daí tudo começa, cada vez mais Patrick está a seu lado, sempre presente nos momentos mais difíceis, explicando tudo o que vai vivenciar e o por quê.
Ela aprende a lidar com a perda, a compreender que a vida que ela tinha acabou e que ela precisa seguir em frente e se libertar, mas a saudade de casa, de suas amigas e o sentimento de revolta passam a acompanhá-la de forma intensa, motivada pela vingança ela a todo o tempo arquiteta um plano para se vingar de Jacob, ela o responsabiliza pela sua morte.

O livro então passa a abordar a vida da Bree no limbo, o "crescimento" que ela tem ao passar pelas fases do luto: negação, raiva, barganha, tristeza e aceitação.
E durante todo o processo o Patrick está com ela, a ajudando e com isso ela vai amadurecendo, compreendendo tudo; e percebe, que o vinculo entra ela e Patrick é forte, como se estar com ele fosse fundamental para seu bem-estar. Nesse momento que você percebe que o que imaginava já saber do livro mal começou a ser esclarecido.

A autora construiu uma história bem interessante e comovente, me prendeu do inicio ao fim. Não entendi muito o título do livro, não considerei como catastrófica, é uma história de crescimento pessoal mas sobretudo de amor. Não vi o título original em inglês, mas as vezes fico decepcionada quando eles são traduzidos porque a tradução muitas vezes não tem nenhuma conexão com o sentido real do título original.
Enfim, eu estou tendo sorte com os livros que venho lendo, muito bons!

Leiam o livro, é encantador. E depois, compartilhem suas opiniões sobre ele.
Polyana Pinheiro 14/10/2013minha estante
Flor, o título original é "Catastrophic History of You and Me" ou seja, eles apenas traduziram e adaptaram (ao pé da letra ficaria mais ou menos isso: "História catastrófica de você e eu").
Eu achei catastrófica, não o coração partido, mas você sabe, O acidente de moto e tal..




Bruuh 09/08/2013

Uma pessoa pode morrer de coração partido?

Nesse livro conhecemos Brie Eagan, ela é uma adolescente de 15 anos e tem tudo o que uma garota pode ter: uma família linda e bem estruturada, três amigas super especiais e um namorado maravilhoso.

Ao sair para jantar com o seu namorado Jacob, por quem está perdidamente apaixonada, ela descobre que seu mundo perfeito está prestes a desmoronar ao escutar dele as piores palavras que ela já ouvira:

Eu não te amo.

Brie morre subitamente. Seu coração partiu-se ao meio, literalmente.
Em espírito, Brie assiste seu próprio enterro e como sua família e seus amigos estão lidando com sua morte.
Ela vai para um lugar — uma pizzaria com o nome de "Pedacinho do Céu" — e lá conhece outras almas.
Uma delas é Patrick.

Alma Penada Residente.

Ambos engatam uma amizade e ele mostra a Brie os cinco estágios do luto que ela passará para poder encontrar a paz:


Negação
Raiva
Barganha
Depressão
Aceitação

Como Patrick diz, Brie começa a passar por esses estágios, porém ela está muito apegada a terra e acaba retornando com Patrick para dar o troco em Jacob, pois ela o culpa por sua morte.
Acontece que nada é tão simples, Brie passa dos limites cada vez mais com suas ações, em consequência sua família, amigos e "namorado" sofrem ao extremo.

Será que Brie encontrará a paz?

Com uma narrativa leve e perspectivas diferentes entre limbo, céu e inferno, A catastrófica história de nós dois faz-nos refletir sobre perda, perdão, segundas chances e amor. Não é um livro religioso, entretanto sua leitura tocará o leitor profundamente pela história linda e cativante que nele contém. Serei franca aqui: chorei horrores com esse livro, mas não por tristeza em si, mas sim de tanto que essa leitura me fez bem.

Recomendo demais.

site: umminutoumlivro.blogspot.com.br
comentários(0)comente



simone 17/12/2019

O que fazer se você morre justamente quando sua vida parece estar perfeita? O que Brie descobriu foi que a vida não era perfeita e que não tinha "acabado" como ela pensava era tudo muito mais complicado, muito mais.......
comentários(0)comente



Joice (Jojo) 01/10/2013

Em "A Catastrófica História de Nós Dois", de Jess Rothenberg, conhecemos Brie, uma garota de quinze anos que morre de coração partido (!). Enquanto tenta aprender a ser apenas um espírito - com a ajuda da "alma penada residente" Patrick - Brie tem que se acostumar à ideia de se afastar de seus pais, irmão, melhores amigas e até de seu ex-namorado, Jacob. Este, aliás, aparentemente responsável por seu coração partido.

Após sua morte, porém, Brie descobre alguns segredos de seus amigos e parentes que ela preferiria ter ignorado e que vão levá-la a adotar uma postura nada amigável e bastante destrutiva. Esses "segredos", aliás, são os responsáveis por transformar a história de Brie em algo realmente interessante.

No início, pensei que "A Catastrófica História de Nós Dois" fosse ser um livro bem bobinho (mas ainda assim bonitinho) sobre amizades e tal, mas quando a raiva dentro de Brie cresce e a torna amarga, levando-a à companhia de Larkin, outra alma penada, a trama muda de tom. Logo, um enredo aparentemente previsível toma rumos inesperados. Não que a história de Brie assuma contornos muito sérios ou sombrios demais, mas certamente não remete apenas a dias ensolarados.

Como de costume nesse tipo de enredo, a relação de Brie e suas amigas é eclipsada pelas interações entre a garota e sua família, além de Jacob e Patrick. Aliás, a relação de Brie e Patrick é muito bonita, com referências a tragédias como Orfeu e até Romeu e Julieta.

"A Catastrófica História de Nós Dois" é um livro muito bonito, com enredo superior à média. Os personagens são doces, e certamente vão lhe fazer se sentir bem no final.

comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2