As Cavernas de Aço

As Cavernas de Aço Isaac Asimov




Resenhas - As Cavernas de Aço


258 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


50livros 06/07/2020

Livro bom para fãs extremos de sci-fi
Sabe quando você lê a sinopse, se empolga pensando que é uma coisa, mas no fundo é outra? Então, aconteceu exatamente isso comigo. Calma, não me decepcionei em nada com o livro, mas ele é vendido como um romance policial futurista, mas, na verdade, é só uma ficção científica com um crime no meio. É um sci-fi primoroso, com certeza, mas está longe de ser policial. Nessa leitura, meu primeiro contato com Azimov, mostrou porquê ele é referência no gênero. O mundo que ele constrói é extremamente original, com contornos muito reais, o que é um tanto chocante. Só que eu acho que ele só é excepcional na parte científica mesmo, porque, apesar dos personagens serem bons e bem construídos, não são nada cativantes. São bem chatos, para falar a verdade. O final é bem interessante, mas não me empolgou em nada para continuar a série. Com certeza foi uma boa leitura e com inúmeras qualidades, mas não sei se foi realmente a minha praia. Tenho quase certeza de que não continuarei a ler a série e pensarei duas vezes antes de ler outro livro do autor. Para lê-lo, com certeza precisarei estar inspirada para isso.

site: https://www.50livros.com/post/resenha-de-as-cavernas-de-a%C3%A7o-s%C3%A9rie-saga-dos-rob%C3%B4s-vol-01-de-isaac-azimov
Rodrigo 29/12/2020minha estante
"Asimov"


Ian 11/01/2021minha estante
Fiquei com a mesma impressão.


Paula 28/04/2021minha estante
Começando a ler hoje esse livro, confesso que tô achando chatinho. Mas adorei "O Fim da Eternidade" e toda a trilogia da Fundação


Grazi 28/06/2021minha estante
Na verdade esse livro o Asimov escrever pra provar que você conseguiria colocar scifi em qualquer outro tipo de gênero, então é um romance policial sim, tem investigação, detetive, parceiro, mistério, reviravolta, resolução. O pano de fundo que é a scifi mesmo. Digamos é um 50/50 MARAVILHOSO




Brujo 20/05/2021

Romance policial e ficção científica !
Li em algum lugar que este livro surgiu de uma provocação de um editor do Asimov, que dizia que não seria possível fazer uma história de investigação policial ambientada em um cenário de ficção científica. Asimov, gênio como só ele, foi lá e mostrou que é possível sim, missão cumprida ! Ele constrói aqui uma narrativa ambientada em um mundo futuro construído de forma riquíssima onde a Terra já possuí colônias muito bem estabelecidas fora do planeta, a ponto de humanos habitantes da Terra não mais se identificarem com os Siderais, humanos que vivem em uma destas colônias. E é o embaixador destes Siderais que acaba sendo assassinado dentro da própria embaixada, localizada em NY. O personagem principal, Elijah Baley, é designado para investigar esse crime ao lado do carismático robô R. Daneel Olivaw, enviado pelos Siderais para fazer parte das investigações. A parte investigativa do livro é bem interessante, mas o Elijah se mostra bem falho nas investigações ( como arrisca sem ter certeza esse cara... ), deslanchando apenas no final da história. O destaque aqui de fato nem acaba sendo a investigação em si. A dinâmica entre os investigadores, a tensão causada pelo crescimento da quantidade de robôs entre os chamados medievalistas ( grupo de pessoas que se posiciona radicalmente contra diversos aspectos do avanço tecnológico) e, principalmente, a habilidade de Asimov em construir um universo fantástico e crível ao mesmo tempo, são os aspectos mais legais dessa obra. Que venha O Sol Desvelado!!
Renan.Menchik 23/08/2021minha estante
Depois de "A Fundação" e essa resenha, vou colocar na minha lista ! Sensacional!


Brujo 23/08/2021minha estante
Obrigado Renan! Essa saga é maravilhosa mesmo, pena que a Aleph está com problemas para editar o quarto livro...




Talita 13/09/2020

O primeiro da trilogia dos robôs e meu primeiro contato com Asimov.

Posso dizer que foi uma experiência muito boa, o livro não parece que tem 300 págs pq a leitura voa. O fato de vc não precisar ficar voltando pra compreender os termos técnicos ajuda na fluidez.

Vamos aos próximos :)
comentários(0)comente



MarceloBighetti 19/08/2010

A primeira vez que li este livro foi em 1992 e terminei agora minha segunda leitura.

Da primeira vez não percebi o que Asimov estava realmente querendo dizer. Eu via apenas uma história policial em um mundo fantástico criado por este gênio, tendo como base as leis da robótica, mas hoje vejo que o conteúdo é muito... muito mais que isto.

Deixando de lado a trama principal da investigação de um assassinato percebemos algo interessante nesta sociedade terrestre do futuro onde a humanidade vive em cidades redomas e as pessoas não tem contato direto com a atmosfera. A simples idéia de uma exposição ao ar livre se transforma em uma fobia. Nesta época, além da Terra, há outros 50 planetas que foram colonizados séculos antes pelos terráqueos. Agora o povo da terra sente ódio dos espaciais (habitantes dos 50 mundos), talvez por inveja de seus mundos melhores ou pela ingratidão dos mesmos em não permite mais a imigração dos terrestres. Os espaciais por sua vez sentem nojo e repulsa pelo povo da Terra, tendo o argumento que estes são cheios de doenças e podem contaminar seus mundos, o que é verdade pois eles perderam a imunidade às doenças terrestres a muito tempo. Mas sua repulsa vem de sua superioridade, menosprezando os mais fracos e esquecendo suas origens.

Na época em que Asimov escreveu este livro (1957) a população mundial era de aproximadamente 2,5 bilhões. Na história de "Caça aos Robos", muitos séculos a frente de nosso tempo, Asimov estimava a população mundial em 8 bilhões. Atualmente somos 6,5 bilhões e os 8 bilhões imaginados por Asimov estimasse que será alcançado em 2025. Acho que estamos bem adiantados.

Com este breve panorama deste mundo Asimoviano tento traçar uma correlação com nossa sociedade atualmente. Será que vivemos em Cavernas de Aço como o título original em inglês sugestiona? É claro que não mas infelizmente vivemos em Cavernas Virtuais e possuímos um preconceito como o dos espaciais.

É com uma certa frequência que ouço muitas pessoas compartilharem com certo orgulho a quantidade de amigos que possuem no orkut, facebook e afins. Se gabam que conseguem "falar" com "tantas" pessoas ao mesmo tempo no MSN. Não estou aqui dizendo que estas ferramentas não são úteis, pelo contrário, as utilizo de forma a aumentar meu desempenho em algumas atividades. O que quero dizer é que as pessoas estão se isolando fisicamente com a falsa auto justificação que neste mundo globalizado precisamos ter contatos pelo mundo afora. Concordo, mas desde que isto não o isole. As redomas virtuais estão se tornando cavernas virtuais, onde a fobia pelo contato social começa a aumentar em proporções .

Nestes 4 dias de carnaval os jovens da minha Igreja foram acampar. Na terça-feira quando fui buscar minha filha e ao ver as sorridentes e cansadas jovens descerem do ônibus uma moça amiga minha responde a minha pergunta de como foi o acampamento desta forma: "Foi uma experiência interessante ficar 4 dias sem internet." Eu espera qualquer resposta, menos esta.

E para terminar, e tratando apenas de uma faceta, vejo o preconceito tecnológico. Quantos mega pixels tem sua máquina? Qual a geração do seu celular? Qual a velocidade da sua banda larga? Qual seu processador? De quanto é seu HD? Só isto... o meu é bem melhor...
ogilvieira 18/11/2013minha estante
Medievalista detected, concordo com tudo que disse.


Junio.Coelho 10/12/2019minha estante
Excelente texto. Parabéns!




Sianyar 14/08/2021

Foi minha primeira experiência com Asimov.
Leitura muito fluida! É um livro com roteiro simples, porém ao mesmo tempo, conseguiu me deixar curiosa e envolvida! Gostei bastante!
comentários(0)comente



Luna 02/12/2020

Um bom livro investigativo com pinceladas sobre preconceito.
Subistua os robôs por mulheres/não brancos/LGBTQI+ e você vai sentir-se em um dia normal de 2020.


Gostei de mais do paralelo entre os nomes e histórias do protagonista e sua esposa com a bíblia!
comentários(0)comente



Paula.Leite 12/09/2020

4 estrelas e meia!
✨Nesse futuro não tão longe, temos robôs, inteligências artificiais, ligações, conexões e outros planetas. Mas o que ninguém imaginava, era um futuro tão sombrio. O detetive Elijah deve agora resolver um caso, mas ao lado de um robô. Ele vai redescobrir tudo que imaginava, e nós junto com ele.
✨Esse foi o meu primeiro livro do Asimov e já to vendo que não vai ser o único!
✨Adorei a escrita, o futuro e o caso! O mistério foi muito bem construído, fui completamente iludida e errei feio, mas adorei o desenrolar.
✨Só senti que foi um pouco difícil de entender todo o futuro que estava sendo descrito, foi um pouco confuso. Mas foi maravilhoso ler um livro que leva em consideração que o futuro não é só norte americano.
✨Não consigo recomendar esse livro o suficiente, leiam!
comentários(0)comente



Campos 25/01/2021

Muito bom
Meu primeiro contato com o Asimov e tenho que dizer que gostei muito a trama lembra um pouco o filme Eu Robô do Will Smith, que também é inspirado nos livros do autor. Curioso pelas continuações que vou demorar para ler, por conta da lista de livros na frente
Giovana 25/01/2021minha estante
Pô, vê de ler o livro "eu, robô". Vc provavelmente vai curtir bastante (o eu robô foi o primeiro do asimov q eu li)


Campos 25/01/2021minha estante
Então eu vou atrás tô com Fundação aqui para ler ainda


Gilberto Alves 25/01/2021minha estante
Já leu "O fim da eternidade" dele? Achei bem legal!


Campos 25/01/2021minha estante
Então esse tenho a edição clássico, do clube do livro




Iza 17/10/2021

Assassinato e robótica
O Asimov entregou tudo! Uma narrativa extremamente fluida e uma investigação policial que durou menos de 72 horas.

Me cativei demais pelo carisma (apesar de não demonstrar sentimento) do Robô Daneel.

Com um enredo inteligentissimo, Isaac Asimov conseguiu criar relações a pautas sociais bastante atuais, como a superpopulação, o futuro da humanidade, a terraformação de outros planetas, o uso de robôs para a substituição de mão de obra e muito mais.

Já pude dar uma olhada em outros estudos a cerca desse livro e é possível fazer uma relação com o mito da caverna, de Platão. Há tanto tempo as pessoas moram em suas cavernas com medo do que há do lado de fora, e quando alguem sai e fala que lá existe um paraíso, essa pessoa é chamada de louca. É exatamente o que ocorre nesse livro.

Enfim, muita crítica política e social. Isaac Asimov foi um visionário!
_

"? Há um impulso humano conhecido como misericórdia, um ato humano conhecido como perdão.
? Não estou familiarizado com essas palavras, parceiro Elijah.
? Eu sei ? murmurou Baley. ? Eu sei."
comentários(0)comente



bawbara 04/07/2021

eu queria ter terminado esse livro antes porque ele é absolutamente perfeito! Eu geralmente não leio a introdução, mas esse vale a pena pois tem várias passagens interessantes sobre conhecimento.

sobre a história, ela tem muitas reviravoltas, não tem um segundo que o livro fica parado. os capítulos são pequenos ou médios, o que eu acho incrível. no começo é incomodo a forma que o Baley trata o Daneel, mas a forma como essa "relação" (?) vai se construindo. eu até sentia empatia pelo robô porque ele era muito mal tratado.

também é muito legal a forma como a Cidade interage com o meio ambiente.

~acho que essa resenha não está condizente com o qual maravilhoso esse livro é. pelo amor de Deus, só leiam e é isso~
comentários(0)comente



Gabriel.Chiquito 25/05/2021

Esse futuro imaginado por Asimov tem muitos elementos que eu não esperava, foi uma ambientação muito rica e a melhor parte do livro, realmente maravilhosa. Com relação à parte policial, deixou um pouco a desejar. No começo parece ótimo, tramas mirabolantes aparecem, mas então elas morrem e outras nascem no lugar, quase como se o detetive estivesse tentando resolver o caso por tentativa ou erro, atirando pra todos os lados. Mas no geral, é um bom livro.
comentários(0)comente



Manezera 02/08/2020

Ficção científica, que apresenta um futuro, onde um detetive precisa esclarecer um assassinato ocorrido em um local onde o crime seria "impossível", e para isso conta com a ajuda de um parceiro com alguns "segredos".
Primeiro livro das histórias robóticas de Asimov.
comentários(0)comente



Guilherme.Monteiro 20/07/2020

Quando a ficção científica encontra o romance policial
Esse foi o meu primeiro contato com a obra de Isaac Asimov e já me encantei pela escrita e narrativa do autor, fácil e acessível, o desenrolar da trama segue a clássica linha de investigação criminal (e que é bastante instigante e prende bem a atenção) em que Asimov foi brilhante ao acrescentar a ficção científica e casou perfeitamente esses dois grandes gêneros, pegando o melhor dos dois universos e fazendo uma excelente história.
E logo logo irei ler mais obras do autor, e também lerei as duas continuações desse livro.
comentários(0)comente



Wagner 21/01/2021

Parceiro Elijah e Daneel sem R.
Confesso que daria pra resumir essa história em 100 páginas. Mas para início de uma série, complementou bem no quesito apresentação.
A obra também dá boas pinceladas a respeito do preconceito, que poderia ser melhor abordado

A trama policial é muito fraca. Muito. Queria saber do assassinato, mas fica praticamente em segundo plano.
Me incomoda bastante quando a gente tem um policial respeitado que atira pra todo lado passando vergonha. Ok que seus erros o ajudaram, mas seria mais condizente com sua posição se mostrasse que estava a par de toda a situação desde o início

Falando no final, muito bom. Achei óbvio, mas naquele esquema que a gente deixa passar algo importante. E nesse caso, de real importância.

Me identifiquei muito com Daneel. Como pode um robô tão inexpressivo ser tão legal.
comentários(0)comente



Sabrina 04/08/2020

Asimov aparentemente não erra
Não sou fã de romances policiais e posso falar com toda a certeza de que esse livro não se resume a esse gênero. Personagens simples, mas com uma construção magnífica, Asimov consegue, de maneira sucinta, nos fazer mergulhar em seu mundo de robôs, futuros incertos e filosofia pura!
Wolf1 04/08/2020minha estante
É no mesmo universo da fundação?


Sabrina 04/08/2020minha estante
Não é não (pelo menos acredito que não. Fundação é o próximo da lista hehe)


Wolf1 04/08/2020minha estante
Vai fundo que é a melhor coisa dessa vida!


Wolf1 04/08/2020minha estante
Indico ler os três em seguência sem pausa, manter o feeling é a melhor coisa nesse série


Sabrina 06/08/2020minha estante
Aaaa então vou ler sim e te falo o que eu achei rs


Grazi 28/06/2021minha estante
É no mesmissimo universo da Fundação, todos os livros dele são, um acaba levando ao outro e quando você lê Fundação e Terra depois de ter lido a série de robôs fica MUITO MELHOR. Acreditem.




258 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR