Sempre Vai Haver  Uma Canção

Sempre Vai Haver Uma Canção Daiane Duarte




Resenhas - Sempre Vai Haver Canção


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Priscila 05/12/2014

cativante
Diana é uma garota solitária que não acredita nessa história de amor e finais felizes.
Muito bem resolvida com sua solidão e as músicas por companhia, ela nunca se apaixonou e sequer imaginava que isso era possível, até que a pedido de uma amiga de infância, que estava apaixonada por um lindo rapaz e que pede para ela ir sondá-lo, Diana ve sua vida e tudo o que acreditava virar de cabeça para baixo.
Verdades terão um outro significado para ela, e Diana terá a difícil tarefa entre escolher ser feliz, ou deixar que o sejam no lugar dela
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando comecei a ler "Sempre vai haver uma canção", eu não esperava ser envolvida por uma escrita e narrativa tão apaixonantes e uma personagem tão forte e carismática.
Sempre vai haver uma canção é uma daquelas histórias que te cativam e te puxam para dentro do livro.
comentários(0)comente



Agatha de Assis 24/02/2013

Sempre Vai Haver uma Canção
Informações Técnicas:

Autora: Daiane Duarte
Editora: Biblioteca 24 horas
Nº de páginas: 124
Tamanho: 14x23

Sinopse:

Desde criança Diana aprendeu a não acreditar no amor, ela foi criada num lar que a fez acreditar que não valia apena se apaixonar já que o amor não existia. Diana criou seu próprio mundo no qual acredita que existe uma música para cada momento na vida e ela passa seu tempo criando essas combinações. Apesar de ter Jessica como sua melhor amiga é a música sua melhor companhia e é por meio dela que tenta superar seus conflitos numa fase em que ela conhece alguém que será capaz de mudar seus conceitos sobre o amor e ao mesmo tempo colocar em risco sua relação com seus pais e com sua melhor amiga. E em meio a tantos conflitos ela terá que definir suas prioridades. SEMPRE VAI HAVER UMA CANÇÃO é tão envolvente que podemos ser transportados para dentro da história e nos perder nos transtornos de uma mente cercada por belas canções...


Resenha:



Assim como a escritora desse lindo romance adolescente. Este livro nos remete a pura sensibilidade do amor. Um amor mais puro e verdadeiro, que só o primeiro de muitos poderia trazer essa candura inebriante.
Um livro cheio de mensagens de esperança. Um livro que te faz sonhar quando não possuímos mais sonhos. Um livro que te inspira a voltar a acreditar no amor, que hoje em dia podemos ver que se esfriou, se esvaiu como folha seca jogada ao vento.
Nossa escritora tem esse dom, essa sensibilidade de tocar no mais profundo usando suas palavras. Daiane sem sombra de dúvidas nasceu para escrever e compor. Assim como sua personagem.

Voltando para o enredo do livro, a mocinha (Diana) não é daquelas que sempre vimos por aí. Capaz de ser especial em tudo. Não. Ela é diferente, melancólica, introvertida. Mesmo com uma amiga oposto de si mesma. Ela demora muito a se acostumar com o ambiente diferente da faculdade. Se sente um pouco perdida, até que encontra Talis. O amor de sua vida.
Talis é o mocinho que faz jus aos príncipes de contos de fada, mas que adora um rock... Ou seja, muito melhor.

Ele a ajuda em todas as fases difíceis que passa. Sua família é um pouco afastada, e seus pais muito problemático. Mas personagens entram na trama surpreendendo o leitor. Fazendo assim como a leitura siga seu ritmo frenético.

Eu sempre indiquei e indico novamente esse maravilhoso livro, dessa maravilhosa autora.


Boa leitura ;)
comentários(0)comente



Bruuh 19/10/2012

Sempre vai haver uma canção *--*

Na história conhecemos a Diana uma universitária super meiga, estilosa e antissocial. Ela ama ouvir músicas e adequá-las em diversas situações. Conhecemos também sua amiga Jéssica (que habitualmente passa na casa dela antes de ir para sua faculdade) .
Diana e Jéssica sempre estudaram juntas, mas se separam com a faculdade. Jéssica pede para que Diana "cheque" um cara,sabe? Tipo se ele namora, o que ele gosta de fazer etc.
Desse modo, antes mesmo de a Diana arrumar coragem, Talis vem falar com ela e eis que eles descobrem muitas coisas em comum.
Bem, é claro que já se percebe um quê de triângulo amoroso néh? :)
Diana diz não acreditar em amor, que é algo que nunca existiu principalmente se tratando dos seus pais, mas na realidade sempre existiu o amor, são havia uma falta de jeito em demonstrá-lo.
Algumas vezes a Diana conseguia atingir um nível muito alto de infantilidade,chegava a ser estressante.
Mesmo com esses percalços, o livro seguiu seu rumo, adorei, o final é digno de um filme.
Com uma narrativa leve e ao mesmo tempo intensa, Daiane Duarte nos transporta para um lugar onde sempre haverá uma canção. *-*
Super recomendo o livro, é meigo/ fofo e regado de muita música boa, fora que a capa é apaixonante (*_*).

Música que me acompanhou durante a leitura : The Beatles - I Wanna Hold Your Hand e All You Need Is Love \o/.

comentários(0)comente



Elaine 07/04/2013

romance teem
um livro fofo e com toques de realidade.

uma familia afastada. o pai sempre pensando no trabalho e com isso originando mts brigas de casal trazendo pra filha um trauma sobre o amor. Diana não quer conhecer esse sentimento de jeito nenhum até q sua melhor amiga lhe pede pra "limpar sua barra" com um cara da faculdade. e advinha o que acontece? pois é...e será que ela vai trair sua melhor amiga? ...alem da historia de Diana, protagonista do livro, a autora mostra os pais de Diana, que só se reconhecem como amantes após uma doença....será que essa familia vai ser reconstruida? será que foi necessário uma tragédia pra uni-los?

leitura mais que recomendada!!
comentários(0)comente



Simone 12/12/2016

Uma história encantadora!
Diana é uma jovem que está cursando o primeiro ano da faculdade. Ela é uma linda garota, porém vive reclusa em seu mundo, dentre canções e tantas outras coisas que gosta —, e desde cedo tornou-se uma pessoa descrente no amor, pois sempre presenciou o relacionamento difícil dos pais, que atualmente estão numa de suas piores crises: sua mãe acabara de deixar uma carta avisando que necessita de um tempo para espairecer. Desta forma vai embora, deixando Diana com o pai... E as coisas se complicam, pois ela tem um relacionamento difícil com ele.

"Nunca acreditei no amor, nunca imaginei que um dia pudesse me apaixonar. Sempre achei que essas coisas eram meras histórias de novelas ou apenas invenções de autores em decadência e na verdade eu nem precisei ir muito longe para tirar essas conclusões, pois as pessoas que faziam parte da minha vida só comprovavam que eu realmente estava certa". (Livro: Sempre vai haver uma canção, Pág.7)

Ela tem uma amiga de infância inseparável chamada Jéssica, e fica triste só de pensar que sua amiga está prestes a se mudar de cidade, pois pretende cursar faculdade em outro lugar. Jéssica, por sua vez, nutre um sentimento de afeto por um rapaz que a salvou de uma situação, e por isso fica à distância, apenas admirando-o. Desta forma pede para que a amiga — Diana — a ajude conquistar Talis, que também estuda na mesma faculdade, além de ser apaixonado por música, algo que acaba deixando Diana ainda mais envolvida e também aproximando-os. A amiga de infância precisa viajar às pressas, devido um problema familiar. E o que era pra ser uma ajuda, tornou-se um interesse avassalador: a aproximação entre Diana e Talis se faz presente, deixando-a transtornada por omitir tal sentimento, além dela quebrar uma promessa que fez para a amiga.

"Colocamos um filme, mas para minha infelicidade ele era sobre um amor proibido. Me identifiquei muito com Tristão, porque assim como ele eu não podia querer competir com alguém que eu tanto amava. E apesar de ficar com Talis não ser suficiente para causar uma guerra, trair Jéssica dessa forma seria imperdoável!" (Livro: Sempre vai haver uma canção, Pág.71)

P.S: Confira a resenha completa no link abaixo.

site: http://simonepesci.blogspot.com.br/2016/12/falando-em-sempre-vai-haver-uma-cancao.html
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5