Cuco

Cuco Julia Crouch




Resenhas - Cuco


158 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Leandro | @obibliofilo_ 28/09/2012

http://www.leandro-de-lira.com/
O livro que começou bem e que eu acreditei erroneamente que iria ser ótimo. A capa é interessante, a sinopse mais ainda, mas quando se trata da história... Deixou a desejar... E muito! Eu não esperava que fosse me decepcionar tanto com esse livro, como me decepcionei.

[SINOPSE] Polly é a mais antiga amiga de Rose. Então quando ela liga para dar a notícia que seu marido morreu, Rose não pensa duas vezes ao convidá-la para ficar em sua casa. Ela faria qualquer coisa pela amiga; sempre foi assim. Polly sempre foi singular uma das qualidades que Rose mais admirava nela e desde o momento em que ela e seus dois filhos chegaram na porta de Rose, fica óbvio que ela não é uma típica viúva. Mas quanto mais Polly fica na casa, mais Rose pensa o quanto a conhece. Ela não consegue parar de pensar, também, se sua presença tem algo a ver com o fato de Rose estar perdendo o controle de sua família e sua casa. Enquanto o mundo de Rose é meticulosamente destruído, uma coisa fica clara: tirar Polly da casa está cada vez mais difícil.

Rose tinha uma vida tranquila, ao lado do seu marido Gareth e de suas duas filhas: Anna e Flossie. Até que ela recebe uma ligação de sua amiga Poly, dizendo que o seu marido morreu. Rose não hesita e convida sua amiga e seus dois filhos para morarem em sua casa. Não questiona o seu marido a respeito se devia ou não convidar; apenas manda que ela venha com seus filhos.

Porém, tudo começa a desmoronar na vida de Rose; Flossie quase morre, seu marido não é mais o mesmo, sua amiga não é quem ela pensava... Enfim, ela fica sem saber o que fazer.

Esse livro tinha tudo para ser ótimo. Mas a autora foi tão incoerente, que acabou estragando tudo. Eu estava bem curioso para conhecer a história e esperava gostar muito do livro. Mas não sei o que aconteceu com a autora para que ela fizesse com que o livro fosse piorando gradativamente.

Os personagens foram bem construídos, mas eu não senti carisma por nenhum deles. A protagonista por si só conseguiu sugar toda a minha paciência. Como uma esposa convida uma amiga para morar em sua casa, sabendo que seu marido não concorda?! Só por isso, você já deve imaginar como a protagonista me irritou.

A Polly não me enganou em momento algum. Até porque só a sinopse do livro já sugere que ela não é uma boa pessoa. Ela é uma louca que, mesmo sem intenção, demonstra claramente que não é uma pessoa normal. Mas sua "querida amiga" Rose insiste em acreditar no contrário. Enfim, você precisa ter bastante paciência quando for começar a leitura desse livro. E sim, isso é um conselho.

Ela era uma mulher em choque. Não qualquer mulher, mas Polly. Sua Polly. E ela decidiu-se ali e naquele momento que iria fazer tudo que estava ao seu alcance para trazê-la de volta à vida. Polly precisava de sua ajuda
Pág.: 66

E o final?! Eu ainda estou tentando aceitar aquele fim. A autora não explicou algumas coisas que eu esperava que fossem explicadas e simplesmente quis finalizar a história. Ou seja, a história terminou sem graça e deixando alguns acontecimentos em aberto; sem explicação.

Contudo, ficou bem claro que eu não gostei do livro. A narrativa oscila em alguns momentos; ora ela flui bastante, ora torna-se cansativa. O único ponto positivo do livro foram os personagens bem construídos. No mais, se você tem curiosidade de conhecer a história, leia e tire suas conclusões.

Fica a dica!
Silvia 13/11/2012minha estante
Ai! eu comprei este livro e ainda não li, mas tomara que eu goste do livro; assim que eu ler venho aqui e exponho a minha opinião.


Leandro | @obibliofilo_ 17/11/2012minha estante
Venha sim!
Quero saber sua opinião. (:
Abraço!


Jéssica R. 27/11/2012minha estante
Sou da mesma opinião que você, quando fechei o livro senti que perdi tempo.


Leandro | @obibliofilo_ 27/11/2012minha estante
Oi Jéssica!
Pois é! Fiquei muito decepcionado com esse livro. E o pior é que o livro tinha tudo para ser ótimo, mas infelizmente não foi.
Obrigado por ter lido e comentado! (:
Abraço!


JennyMNZ 14/01/2013minha estante
Gostaria de ter lido essa resenha ANTES de comprar o livro. Ainda estou com raiva do que a autora fez no fim e com a sensação de desperdício de dinheiro.


Leandro | @obibliofilo_ 18/01/2013minha estante
Oi Jenny!
Sei bem como é esse sentimento. É horrível quando isso acontece mesmo.
Qualquer dúvida sobre algum livro que eu já tenha lido, é só perguntar. (:
Abraço!


maria valeria 10/02/2013minha estante
Estou com vc,achei este livro muito arrastado,a protagonista não cativa,enfim,esse livro foi um dos poucos que eu abandonei.


Leandro | @obibliofilo_ 02/03/2013minha estante
Oi Maria!
Pois é! Eu só senti frustração durante e após concluir a leitura.
Esperava muito mais.
Abraço!


Nanda 06/11/2013minha estante
Desanimei...
encontrei esse livro em uma livraria no aeroporto, prestes a fazer uma viagem. Pensei muito em levá-lo, mas acabei optando por outro título. Mesmo assim, anotei o título para compra-lo em outra ocasião. Já não arriscarei mais.


San 13/11/2013minha estante
Nossa..pensa numa pessoa NERVOSA..essa pessoa sou eu. Acabei de ler o livro e ñ me conformo com o final.


Naninha 06/05/2014minha estante
No meu caso, o suspense ficou por conta do "o que será que ela escreveu pra dar movimento a essa história?". Li todo o livro esperando que algo acontecesse, já que era tudo muito óbvio e muito parado. Muitas coisas importantes foram puladas, enquanto outras, desnecessárias, foram repetidas várias vezes. E que final, heim?? Faltou muito para ser o que eu esperava! Não recomendo.




Anônimo 15/10/2012

Uma automutilação
A sinopse do livro me deixou alucinado para lê-lo. È o tipo de suspense que mais me atrai, suspense doméstico. Porém, conforme a história foi se desenrolando, ou enrolando, percebi que o livro não chegaria a lugar nenhum. A trama lança diversos mistérios que ficam sem resposta, a protagonista toma algumas atitudes que me fizeram perder qualquer empatia por ela e o mais irritante, a autora parece evitar as cenas do conflito, como se não conseguisse escrevê-las. È enervante a frequência em que os personagens estão prestes a explodir e de uma hora para outra desviam sua atenção pra a arrumação da casa, ou para a paisagem ao redor. Julia conseguiu estragar sua própria obra de uma maneira revoltante, pois o livro tinha muito potencial. Ela mutilou sua própria obra.Não consigo nem expressar o quanto esse livro me tirou do sério. Essa autora entrou e minha lista negra.
Jéssica R. 27/11/2012minha estante
Você disse o que estava engasgado na minha garganta, peguei seu comentário e acrescentei a uma resenha que fiz no meu blog, claro que dei o crédito para você.


Anônimo 09/01/2013minha estante
Legal, Jéssica.


San 13/11/2013minha estante
Vc disse exatamente oq senti..fiquei frustradíssima...era um tal de fazer comida..arrumar a casa...tomar vinho e dormir..q apesar do suspense e das tramas o desenrolar ñ rolava..o final então..nem se fala.




Rose 29/11/2012

Rose e Gareth são casados e depois de um tempo de trabalho árduo, estão aproveitando para curtir a casa recém reformada. Ao lado de suas filhas, curtem o momento de paz. Paz esta que é quebrada quando o telefone toca e Polly (amiga de infância de Rose) diz que seu marido morreu. Mesmo contra a vontade de Gareth, Rose convida Polly a passar alguns dias com seus filhos em sua casa, até que as coisas se resolvam para eles.
Ela não esperava que Polly e seus dois filhos fossem virar sua vida de pernas para o ar. Aos poucos, o mundo que Rose construiu para si começa a ruir. Suas loucuras do passado voltam com a presença de Polly e ela perde o rumo... Insegura e com muitos problemas, ela não sabe o que fazer para tirar Polly de sua casa. Ciente dos problemas e do perigo que corre, não só ela, como sua família, Rose vai fazer de tudo para não ser destruída.
A sinopse do livro conta bem sua história e apesar de gosta do gênero, não gostei foi dos personagens. Gareth é omisso, fraco e descarado. Polly é tão destrutiva que nem seus filhos fazem questão de sua companhia. Aliás, só os homens com muita testosterona e pouco cérebro querem ficar ao seu lado. Agora amigos, a minha xará se superou... Vai ser tapada, idiota e irresponsável lá longe... Como ela me irritava! Não adianta colocar a culpa de tudo apenas na Polly, pois a Rose teve tanta ou mais culpa na minha opinião.
Cada vez que eu lia que ela ia tomar uma taça de champagne, um cálice de vinho ou um simples cigarro (este bem pouco na verdade) e ainda assim amamentar, eu queria arrancar os cabelos.
O jeito que ela descrevia a Polly, não entrava na minha cabeça como uma mulher pálida, esquelética, cheia de hematomas e cicatrizes poderia ser irresistível. Pelo menos não no meu conceito de beleza.
Como eu disse, a história até é boa, mas os personagens só a Anna que escapou. Um doce de criança em todos os sentidos.
Jessie 01/12/2012minha estante
nOSSA parece ser muito legal esse livro lokaa por ele


Yassui 01/12/2012minha estante
Este livro é bem louco.... Eu espero não perder os cabelos lendo o livro....rsrsrsrsr Mas tem personagem que pelamor viu!


Sabrina Piano 02/12/2012minha estante
Eu não fiquei muito interessada pelo livro, mas gostei bastante da resenha, e eu leria sim esse livro!


Dany 03/12/2012minha estante
Eu pretendo ler o livro. Gostei muito da história que se passa.
Gosto de livros que tenham um suspense.
Bjos...


Escuta Essa 04/12/2012minha estante
Gostei muito da sua resenha,estou querendo ler esse livro desde o lançamento. Ele está na minha lista de livros desejados.
Beijinhos
Renata
http://escutaessa.blogspot.com.br
http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
@blogescutaessa


Danny 05/12/2012minha estante
achei o livro até que legal
espero conseguir ler bjs


Maristela 08/12/2012minha estante
Cuco me chamou bastante atenção quando vi a capa e quando li a resenha fiquei com mais vontade ainda de ler o livro. Amigas tipo a Polly existem por aí, mas são um sério problema. Vai ser interessante ler para saber como a Rose vai se livrar da Polly. Bjs.


Paty 27/12/2012minha estante
Já não ai com a cara do livro, agora que num leio mesmo !


Silvia 27/12/2012minha estante
Também amei a Anna ela é uma fofa. Eu li o livro e amei, fiquei impressionada com a Rose, e achei que ela foi vítima dela mesma, convenhamos santa ela não foi, aquela do cunhado, ops...falei de mais, mas o livro me deixou de cabelo em pé.


Virgínia 29/12/2012minha estante
Estou muito interessada em ler esse livro mas é uma pena que os personagens não tenha lhe agradado.


Nátila 30/12/2012minha estante
Gostei muito da sua resenha, estou mega curiosa para ler.


AndressaPalmaS 31/12/2012minha estante
Oiii *-* A capa chama muito atenção, chamou a minha, e eu fiquei muito curiosa pra ler o livro, mas ai eu li a sua resenha, e, curiosidade diminuiu um pouco, como disse no blog, espero não me decepcionar tanto, né.


AndressaPalmaS 31/12/2012minha estante
Oiii *-* A capa chama muito atenção, chamou a minha, e eu fiquei muito curiosa pra ler o livro, mas ai eu li a sua resenha, e, curiosidade diminuiu um pouco, como disse no blog, espero não me decepcionar tanto, né.


Thicy 31/12/2012minha estante
Eu não fiquei muito interessada no livro, na verdade ainda não sei se ele me agradaria.


San 13/11/2013minha estante
Justamente..bebida, remédios e gente louca cuidando de crianças..amamentando...afff..a Rose me irritou demais...detestei o final.




Jesi 21/02/2020

Cuco
Queria que tivesse mais.
Alcione 21/02/2020minha estante
Achei o final fraco.




San... 11/11/2012

Decididamente o livro não correspondeu às minhas expectativas. Do começo ao fim, a protagonista se mostrou volúvel, fraca e bastante obtusa. Seus segredos foram distribuidos de forma aleatória, se fazendo imensos antes de revelados para posteriormente serem mal construidos. A vilã se faz de forma nebulosa, não se dá a conhecer a extensão de suas atitudes e o marido da protagonista se mostra ainda mais voluvel. Não sei se eu perdi alguma coisa, mas para mim o livro se mostrou bastante aquém de sua própria resenha. Eu não gostei.
comentários(0)comente



Livia 25/11/2012

Assim que comecei Cuco pensei que seria uma leitura totalmente diferente do que estava pensando. E foi muito melhor.
Cuco conta a história de Rose que vive com suas duas filhas e seu marido no campo, tudo está normal até que o marido de sua amiga Polly morre e ela vem com seus dois filhos viver na casa da amiga.
Quanto mais você vai descobrindo sobre a vida de Rose, mais você começa a sentir raiva ou curiosidade dos outros personagens. Você vê planos sendo formados em frente ao seu nariz, as pessoas crescendo ou mudando de personalidade.
Recomendo Cuco pois é um ótimo livro. Contém os personagens certos, uma narrativa boa e uma história melhor ainda
Ainda me pergunto que teria feito no lugar de Rose, acho que teria ficado louca.
comentários(0)comente



Ronaldo 24/07/2014

Uma automutilação
A sinopse do livro me deixou alucinado para lê-lo. É o tipo de suspense que mais me atrai, suspense doméstico. Porém, conforme a história foi se desenrolando, ou enrolando, percebi que o livro não chegaria a lugar nenhum. A trama lança diversos mistérios que ficam sem resposta, a protagonista toma algumas atitudes que me fizeram perder qualquer empatia por ela e o mais irritante, a autora parece evitar as cenas do conflito, como se não conseguisse escrevê-las. É enervante a frequência em que os personagens estão prestes a explodir e de uma hora para outra desviam sua atenção pra a arrumação da casa, ou para a paisagem ao redor. Julia conseguiu estragar sua própria obra de uma maneira revoltante, pois o livro tinha muito potencial. Não consigo nem expressar o quanto esse livro me tirou do sério. Essa autora entrou para minha lista negra.
Taylyne 06/02/2015minha estante
Peguei nojo da protagonista, Ronaldo. Super concordo com você. E o final... Detestei.


Yara Benevides 01/03/2015minha estante
Nossa, você falou tudo! Concordo com cada palavra. A leitura foi torturante.


Janine 15/03/2015minha estante
Eu concordo com cada palavra sua sobre esse livro. Esse livro tinha uma premissa muito boa e a autora não soube aproveitar em nenhum momento isso.




Yasmin 26/10/2012

Interessante, mas podia ter terminado melhor

Desde que a Novo Conceito anunciou o lançamento desse livro fiquei intrigada afinal faz alguns anos que tenho forte interesse em psicopatas e sociopatas. Embora a sinopse não deixe claro que esse era o caso é questão de lógica associar um personagem meigo, porém destrutivo com psicopatas. Julia Crouch construiu uma trama psicológica digna de filme de suspense, repleta de reveses e com um final tenso que se não surpreender o leitor, no mínimo vai emocionar.

Rose é uma mulher que sempre sonhou com a família perfeita, é casada com Gareth, um artista que desde que começaram a reformar a casa que compraram não teve tempo de pintar e anda rabugento com a chegada inesperada da segunda filha. Rose sabe que o bebê pode atrapalhar o casamento, mas faz de tudo para equilibrar a vida e dar espaço para Gareth. Quando Polly liga avisando que seu marido morreu Rose sabe que convidá-la para ficar com eles não foi a atitude mais correta. Deveria colocar sua família acima de tudo, mas Polly é sua melhor amiga desde que eram pequenas e seu marido era como um irmão para Gareth. Assim a rotina do casal é alterada pela presença de Polly e seus dois filhos. Rose acaba assumindo tudo sozinha já que Polly está mais desleixada e não parece se importar nem um pouco para os filhos. Quando situações estranhas começam a acontecer Rose se nega a acreditar que Polly tenha a ver com elas. E quando situações graves ameaçam destruir sua família Rose precisa agir antes que seja tarde demais para todos eles.

Essa é a premissa do livro. Uma amiga mais dissimulada do que folgada e que pouco a pouco revela uma face sombria que Rose passou a vida inteira negando. Mas que agora com toda sua família em risco ela não pode mais negar. Polly é psicopata, se você generalizar o termo. Ela é a santa, boa amiga, agradável, sempre falando o que os outros querem ouvir, mas que invariavelmente destrói a vida da maioria das pessoas com que se relaciona. E faz isso com gosto, sempre transformando o alvo, no caso Rose em vilão perante os demais. Uma vez ouvi dizer que quando as pessoas começam a dizer que você está louco nada do que você possa fazer ou falar vai mudar essa opinião. É assim com a maioria das coisas. É um mal que não pode ser desfeito. Polly pouco a pouco vai tomando conta da vida de Rose. Com seu charme e lábia irresistível o que ela fala é lei e nada do que Rose faça ou deixe de fazer vai adiantar. Ela está impotente na rede de Polly.

E é isso que um psicopata faz. Quem aqui não já teve aquela amiga dissimulada, que sempre era o centro da amizade, irritadiça, de humor instável e que sempre faz você sentir-se péssima de algum modo? Há sempre uma dessas sanguessugas por perto. Polly cresceu manipulando não só Rose como todos ao seu redor e é isso que a faz mais perigosa ainda. Além de não ter escrúpulos sabe de coisas que ninguém mais sabe sobre Rose. Segredos confiados a uma "amiga" e que agora serve como mais um acessório para o personagem que Polly mostra a Gareth e todos os amigos, familiares dela.

A narrativa apresenta um ritmo bastante acertado no início da trama, mas que em certo momento diminui aumentando a tensão e por vezes irritando o leitor. Afinal sabemos o que Polly está fazendo, até a filha pequena de Rose percebe melhor a situação do que ela. A personalidade de Rose muda drasticamente na presença de Polly. É bastante crível se você pensar pelo lado psicológico. A autora foi feliz ao criar essa dissonância. Rose sempre foi a submissa da relação. Agora para os mais impacientes que não se interessam na pesquisa por trás da história isso pode ser um problema. Porque até eu que gosto de tudo isso achei um pouco prolongado demais essa passividade de Rose. Não precisava ser tão parecido com a realidade. Falando dos personagens o mais enojante é o marido de Rose. Gareth é um fraco desde o início. Fraco de caráter, de força de vontade, de sentimento, estragado em todos os sentidos. O que facilitou mais ainda os planos de Polly e acabou culminando naquele final. Foi um tanto surpreendente e não acreditei quando vi a cena final. Tanta tragédia, tanta tensão e no fim as coisas aconteceram muito rápido. Não foi o esperado, mas conclui bem a história.

Leitura rápida e extremamente instigante. Todo o mistério e a tensão em torno das tragédias que se seguem na vida da protagonista tornam a leitura impossível de largar. Julia Crouch tem uma escrita direta e elaborada que construiu uma trama forte. A edição da (...)

Termine o último parágrafo em: http://www.cultivandoaleitura.com/2012/10/resenha-cuco.html

comentários(0)comente



Leonardo 04/02/2013

Vamos lá, acho que esse foi um dos livros que mais prendeu a minha atenção. Há algumas semanas, minha tia comprou um livro e dentro veio um papel com o primeiro capítulo do Cuco, então, a partir daquele dia me interessei muito pela história e fiquei muito curioso para saber o desfecho. O livro conta a história de Rose e Polly, duas melhores amigas de infância e já no primeiro capítulo Polly telefona para Rose dizendo que seu marido morreu em um acidente de carro. Rose então convida Polly e seus filhos para se hospedar em sua casa por um tempo, até ela decidir o que fazer. Mas o que ela não sabe é que Polly é um "Cuco" e Cuco é um pássaro que destrói outros ninhos. O suspense do livro é muito bom, principalmente para quem gosta desse gênero, e vai direto ao ponto sem enrolação. A trama se desenrola daquele jeito que você só consegue parar de ler quando é obrigado a parar. O final do livro é inesperado e acho que a autora poderia ter investido um pouco mais de sua criatividade.

"Ali, com a caligrafia enérgica e clara de Kate, havia cinco palavras:
Mande-a embora da sua casa.
Rose dobrou o pedaço de papel e guardou-o na gaveta de seu criado-mudo. Era uma boa prescrição, mas achou que deveria guardá-la para si, por enquanto."
comentários(0)comente



Mi Hummel 02/05/2013

Através das aparências...
Outro livro da série: "preciso relaxar."

Foi uma leitura rápida. Mesmo. Eu me envolvi rapidamente na trama e fiquei em dúvida em como qualificar o livro por aqui.
À certa altura eu fiquei um pouco incomodada com a leniência da protagonista e, realmente, comecei a suspeitar de que a verdadeira vilã poderia não ser bem quem parecia ser.

Isso tornou a trama um pouco confusa...Entre a "suposta" passividade de Rose e seus fantasmas do passado. Fantasmas estes que envolvem a amiga de infância, Polly. O que se agrava com a falta de respostas claras ao longo da trama.

A questão não é descobrir quem é Polly. Mas sim, quem de fato é, Rose. A modelo de proficiência e dona de casa esmerada.
O final não é bem o que eu esperava.

Tampouco, Rose.

E, sim, existe uma falta de coerência em alguns pontos...Como o completo e total esquecimento das crianças e seus sentimentos diante de tudo.
O final foi brusco e, pois é, levanta ainda mais questões.

No fundo, Rose e Polly são realmente feitas uma para outra.


comentários(0)comente



Helo 13/09/2020

Maravilhoso
O livro nos prende do começo ao fim. Os personagens são muito bem detalhados e passamos a tomar o lado da história e sentir todas as emoções.
comentários(0)comente



Jaque - Achei o Livro 28/03/2017

Que ódio desse livro!
Ódio do livro e de mim mesma por ter perdido meu tempo com ele!
Eu passei esse na frente por causa da empolgação de uma outra leitora tão fã desse gênero como eu. Peguei pra ler sem nem mesmo olhar as outras avaliações e se se eu tivesse feito isso talvez nem teria lido.
Essa sinopse me enganou completamente! Esperava encontrar outro "Até você ser minha" que foi um livro que entrou pra minha lista de favoritos, mas esse é totalmente o oposto.

Polly ficou viúva e veio passar um tempo na casa da sua amiga de infância, Rose.
Apesar de não se verem há anos, a amizade entre elas é muito grande e mesmo contra a vontade do marido, Rose aceita que a amiga se hospede em sua casa com seus dois meninos.
À partir daí começa então uma nova rotina na casa deles e eu fiquei ansiosa por momentos de psicopatia por parte da hóspede.
Só que as coisas que acontecem podem até serem estranhas, mas nada que você fique vidrada na estória ou querendo mais.
São muitas páginas de enrolação, encheção de linguiça, blá blá blá em capítulos e mais capítulos até o momento que comecei a xingar a autora por não me dar nada. Pô, 400 páginas e ela não consegue me fazer roer uma unha sequer?
Quando eu achava que algo ia acontecer, Rose simplesmente ignorava o mundo, sentava na sua mesa e escrevia uma listinha de mercado... A autora nos 'brinda' com os itens dessa lista.
E não é só isso: Detalhes da fralda da criança, sujeira de cachorro na calçada, itens da casa... é sério isso?
Que vontade de catar essa Rose e falar: Filha, pára de limpar essa cozinha e acorda pra vida!
Nem mesmo quando algo muito sério acontece ela toma uma atitude.
Mulher alienada, mosca morta e pior de tudo é beber álcool sem parar enquanto amamenta seu bebê. Ela e a amiga Polly são farinhas do mesmo saco.
Nunca vi um desfecho tão grotesco e ruim como esse. Muita coisa sem explicação, personagens esquecidos, situações mal explicadas e outras nem explicadas foram. E quando eu pensava que no final tudo ia ser revelado, tive uma decepção ainda maior que o livro.
Que pena! A autora tinha uma super ideia, tantos ingredientes para causar nesse livro e ela simplesmente se perdeu.
Eu não recomendo mas também ninguém me convence que esse livro é bom.


site: http://acheiolivroperdiosono.blogspot.com.br/2017/03/cuco-julia-crouch.html
Eder Ribeiro 28/03/2017minha estante
Isso acontece Jaque, o último que li foi a mesma coisa, e olha que eu gosto do autor: James Patterson.


Jaque - Achei o Livro 28/03/2017minha estante
Faz parte rsrs
Do James Patterson só li Assassinos do Cartão Postal e gostei.


Tatids 28/03/2017minha estante
Bom saber!!!


Romildo 07/05/2019minha estante
Concordo totalmente com sua resenha! Também esperava mais!


Rafaela 07/04/2020minha estante
Acabei a leitura nesse minuto e estou indignada! Me forcei pra não abandonar esse livro na esperança de um desfecho digno, mas bem .. nunca vi um final com tantas pontas soltas e incoerências. Arrependidissima de ter perdido tempo num livro longo, mas pura encheçao de linguiça, fraco nos acontecimentos e final passo. Não recomendo.


Jaque - Achei o Livro 08/04/2020minha estante
Pois é Rafaela, esse livro é tosco! O final conseguiu ser ainda pior...




Paty 01/11/2013

Final estúpido...
O começo do livro eh chato, o meio eh interessante e bom, o final eh podre...depois q terminei fiquei tipo 'WTF???' ...tem partes q nao entendi mto bem. A história poderia ser melhor, mas acho q a autora enrola muito...nao necessitava +400 paginas pra terminar assim...
comentários(0)comente



Priscilla 11/10/2012

Blog Entre Fatos e Livros- http://fatoselivros.blogspot.com.br
Rose é uma mulher de vida pacata, mãe de duas meninas, esposa dedicada. Mas nem sempre sua vida foi tranquila, ao contrário, ela foi negligenciada desde muito jovem e a única pessoa que esteve a seu lado foi a amiga de infância, Polly. Rose se sente muito grata por essa amizade, que a amparou em momentos difíceis.

Por isso, apesar da oposição do marido, Gareth, assim que Rose descobre que Polly ficou viúva na Grécia, a convida para passar um tempo em sua casa, com seus filhos. Ao contrário da anfitriã, Polly é como um furacão. Uma ex- rockstar com alma de artista, sensível, sensual, intensa e vingativa.

À medida que os dias passam, a hóspede se torna cada vez mais enigmática, observadora e arredia com todos, enquanto seus filhos se integram perfeitamente a rotina da casa. Não tarda até que coisas estranhas e perigosas comecem a acontecer. Será paranóia ou há alguma verdade, que se verifique a influência de Polly em cada problema, desde sua bebezinha enjerir tranquilizantes e ficar à beira da morte, até desacordos conjugais com Gareth? É possível que alguém tão querido haja deliberadamente para prejudicar sua vida?

Quem acompanha o blog sabe que esse é o tipo de livro que me desperta interesse. Bastou ler a sinopse para eu me convencer de que PRECISAVA ler imediatamente cada uma das 464 páginas. E, para felicidade geral da nação, não me arrependo.

"Cuco" pode enganar os desavisados, em suas primeiras páginas, quando a história narra mais a rotina tranquila da vida de Rose. Mas não se engane, as coisas esquentam muito à medida que as folhas passam e o livro se revela um irresistível triller visceral.

Uma das coisas mais interessantes de se observar foi como a autora transformou um tema que em geral é tratado de forma tão terna, para um assunto obscuro. Eu amei ler sobre amizade sob um prisma diferente.

O único ponto fraco da narrativa foi o enfoque, muitas vezes desnecessário, do cotidiano das personagens. Mas não chega a ser um defeito, pois quando as coisas esquentam tudo vira material para o leitor refletir sobre a história.

Com esse livro eu experimentei uma sensação diferente: Quando estava chegando no final, eu fiquei com medo, muito medo de virar a página e ler o que viria em seguida. Eu não tive medo do livro acabar, meu medo foi pela história realmente. Ponto para Julia Crouch, por conseguir despertar emoções inéditas em mim, mesmo depois de tantos e tantos livros lidos.

Eu recomendo o livro para os fortes. Àqueles que gostem de histórias intensas, que absorvem a energia do leitor e não nos deixa descansar até que a cheguemos ao último ponto final.

http://fatoselivros.blogspot.com.br/2012/09/cuco-de-julia-crouch.html
comentários(0)comente



158 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |