Amada Imortal

Amada Imortal Cate Tiernan




Resenhas - Amada Imortal


117 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Daiane 22/06/2020

Eu ja tinha lido a tempos essa série, e decidi relembrar. Eu adoro a Nas, apesar de sentir ódio por ela as vezes.
Me diz UMA pessoa que não se apaixona por Reyn?????
Eu amo a história e tem uma boa escrita e tudo de bom
comentários(0)comente



Sthe 09/06/2020

Amei
Quando comprei esse livro já estava empolgada polgada para ler, mas estava sempre esperando o momento certo pq estava com medo de gostar tanto dele e saber que iria acabar.
Foi um livro muito gostoso de ler, a leitura e fluida te prende. O universo da história e maravilhoso e os personagens também. Quando terminei eu fiquei sem chão, pq queria mais e mais dele.
Foi uma ótima leitura, não vejo a hora de ler a continuação.
comentários(0)comente



Rafa Paes 01/06/2020

A melhor coisa do livro é o universo criado.
A personagem principal é divertida mas beem infantil para uma pessoa com mais de 400 anos que passou por tantas experiências. Não gostei muito do romance, não houve muito diálogo entre eles, apenas ela atacando-o com palavras e ele fugindo. Ela estava meio obcecada pelo principal, achei q era pq já tinham uma história, mas depois q tudo é revelado tal conduta se mostra ainda mais estranha.
Ele, apesar de muito atraente, é um pouco raso durante boa parte do livro, também não gosto do descontrole dele em alguns momentos, sendo que passou tanto tempo se autoconhecendo e buscando o lado do bem.
Os personagens, no geral, não foram muito bem desenvolvidos com excessão da principal.
Gostei muito de toda a mitologia do livro, é original, quanto aos ensinamentos são um pouco batidos mas válidos.
Boa sorte na leitura ; )
comentários(0)comente



Alice Santos 31/05/2020

Esse livro é muito bom, leitura leve e fluida, mas ao mesmo tempo é empolgante. Percebemos a evolução da personagem principal em sua busca por ser alguém melhor. Amei!
Amy 01/06/2020minha estante
Eu adoro esse trilogia ?




Joyce Adrielle 18/05/2020

Magia, bruxas, coisas afins
A história é confusa no início é apenas uma mulher que esconde um segredo e não está satisfeita com sua vida imortal. Então, ela parte em busca de um local - torcendo para a anfitriã ainda ser dona.

Ela desenvolve uma paixão aguda por um dos imortais que vivem nesse lugar ... E por conta disso cria um inimigo.

Eu não sei, é como se a autora quisesse criar um universo bacana para a história e depois tivesse decidido só juntar imortalidade mais poder. Falta algo. Falta um enredo.

Enfim, estou com os outros dois livros para ler e vou ler. Mas antes vou enrolar um pouquinho.
comentários(0)comente



Leh - @umminutodeliteratura 30/03/2020

Boa surpresa
Ganhei este livro de alguém muito especial, mas como sempre fiquei com pé atrás "será que vou gostar?". Meus gostos são complexos kkkk, mas foi uma leitura muito leve e gostosa. Mal posso esperar pelo segundo livro da trilogia ?
comentários(0)comente



Capricho Literário 21/01/2020

É bom, mas...
Peguei esse livro com expectativa alta demais. O livro é bom, a leitura flui legal, mas perdi as contas da quantidade de vezes que quis socar a Nasty. Errar é comum, tomar decisões erradas também, mas achei a protagonista meio enjoadinha, muita idade na caixa e pouco conhecimento, levando em conta a quantidade de experiências que teve. O romance chove e não molha. Não senti vontade de continuar, porém todo livro merece uma chance, assim como alguns leitores curtiram muito esse e outros não, recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Kath 05/07/2019

Deveria ser Irritante Imortal
Em parte, esse livro é tudo que aquela maldita série Imortais devia ter sido e não foi. Acompanhamos Natasya (que eu vou chamas de Nas porque facilita) uma imortal com passado sombrio que, há séculos, anda com um grupo de quatro outros imortais vivendo de festas, desperdício e despreocupação. Boz, Innocencio, Caty e a outra guria que esqueci o nome, são parte tão comum da vida de Nas que ela não para mais para pensar aonde eles vão ou o que fazem, apenas "segue o fluxo" e isso já tem muito tempo. Ela não se importa, não tem mais nada a perder.

Pelo menos até aquela noite.

Bêbados e vivendo na cidade de Londres, eles estavam em um táxi a caminho de uma boate quando os amigos decidem provocar o motorista que, irado, tira todos eles do carro sem muita gentileza o que desperta a fúria de Incy (Innocencio) provocando-o a usar magick (e não mágica, pelo que entendi, é toda uma tal ciência específica que não deve ser confundida com a mágica instantânea que conhecemos) para paralisá-lo. Furiosa com a atitude do melhor amigo, Nas manda ele desfazer o feitiço, mas aquilo só provoca o garoto ainda mais e ele quebra a coluna do homem sem qualquer espécie de piedade para horror de Nas.

Isso faz com que ela acorde e comece a se questionar desde quando ela parou de notar a mudança no comportamento dos amigos, desde quando ela começou a se tornar indiferente ao que faziam. Então se vê com medo, especialmente de Incy. Esse medo a leva a fugir, ela se lembra de River, uma mulher que conheceu há vários anos e lhe ofereceu uma nova vida, longe de Incy e do modo desregrado e sem propósito que ela vivia, na época, Nas recusou dizendo que ela não sabia nada sobre a vida dela, mas agora percebia quão tola fora.

Escondido de todo mundo, ela junta peças de roupa em uma mala e parte para os EUA com um passaporte falso que os amigos não conheciam. Desde que descobrira do que a magick era capaz e o que fazia com a vida em volta, Nas decidira que nunca faria uso do seu poder, sempre que o acessava era para feitiços simples que causavam pouco dano e, mesmo assim, sempre se sentia muito mal quando o utilizava. Juntara-se aquele grupo porque acreditou que eles tivessem o mesmo propósito, não utilizar a magick, mas pelo visto estava errada.

No seu caminho para encontrar River's Edge, a residência indicada por River anos antes, ela acaba se perdendo e topando com um belo homem de ascendência nórdica taciturno e antipático, mas que ela decide de cara que é exatamente o seu tipo. Ele lhe indica, meio a contragosto, o caminho até a mansão e Nas segue até lá sendo recebida calorosamente por River, conhece os demais moradores, descobrindo que o lugar é uma espécie de escola para imortais que desejam reabilitação.

Logo de cara Nas vê que aquele não é o seu lugar. Acostumada com luxo e uma vida de facilidades, ela tem certeza que nunca vai se acostumar com aquele lugar cheio de tarefas e regras rígidas, aulas e responsabilidades. Não parece com ela. E quando Reyn, o imortal antipático, manda ela ir embora para não atrapalhar a vida na casa, parece a gota d'água. Assim ela decide ir embora para outro canto nos EUA, onde reencontra algumas amigas e pede, com mentiras, que não contem a Incy e os outros que ela esteve ali, já planejando uma rota de fuga e sentindo um gelo na espinha ao descobrir que os amigos a estavam procurando ainda sem sucesso. Quando presencia uma das amigas usar magick de uma maneira horrenda, Nas percebe que nenhum dos imortais que já conheceu se encaixam com ela, em especial depois de conhecer uma vida como a que River lhe mostrou, por isso ela decide voltar.

Porém, não apenas a convivência problemática com Reyn se torna seu problema, sua natureza rebelde e a implicância de Nell (uma verdadeira fake ass bitch!) que é apaixonada por Reyn e se sente ameaçada pela química que parece explodir entre os dois. Não bastasse tudo isso, alguém dentro da casa está tentando matá-la, ela descobre que seu passado esconde muito mais segredos do que imaginava e que os amigos que ela achava conhecer são mais perigosos do que podiam imaginar e tinham um propósito sombrio para sua presença ao lado deles.

Confesso que achei a protagonista insuportável. Gente, como assim essa mulher tem fucking 450 anos, mas age como uma adolescente de 17? Ela não aprendeu nada esse tempo todo?! Tinha atitudes dela que não podiam ser consideradas nada além de infantis e o modo como a autora escolheu fazer a narração só deixava isso ainda mais claro. Não que eu me oponha a certos vícios de linguagem e expressões quando isso combina com a personagem, mas o negócio é que aqui ficou destoada, eu não acho que ela tinha que falar como alguém de 1551, mas sei lá, mesmo que ela estivesse "vestindo o personagem de uma época" isso não me convenceu mesmo.

O livro não é ruim, de modo algum, a história é até certo ponto interessante, há alguns mistérios que deixam a gente preso até o final, mas não são fortes o bastante para competir com a chatice irritante dessa protagonista. A escolha do clímax do livro foi, no mínimo, decepcionante. Okay que primeiros livros de trilogia são para apresentar personagens, mas usar a biscoiteira nojenta de clímax foi quase apelativo e me deixou com aquela sensação de final sem sal. Quer dizer, final não, né? O livro dá abertura para a continuação, mas eu fiquei sentindo um espaço não compensado na conclusão desse primeiro arco.

As personagens, no geral, são boas embora não possa dizer muita coisa sobre elas uma vez que todas são vista pela ótica da Nastasya e isso não nos dá muito espaço para julgá-las por si mesmas. Também não comprei essa de que ela não percebia que os amigos sociopatas dela eram encrenca, eu acho mais que ela não queria notar, não queria se importar. Logo nas primeiras páginas eu via que aquele povo era problema. O livro flerta com o terror, embora sempre volte para aquela cara de ficção adolescente, não fiquei lá muito empolgada para ler a continuação quando lembro que é narrado por essa mulher irritante.
Taís 19/07/2019minha estante
Mas vc ta brava?


Kath 19/07/2019minha estante
Hahaha, não exatamente, mas eu xinguei essa praga de personagem umas boas vinte e tantas vezes durante a leitura. Ela me tirava do sério kkkkk.




Edilene.Faria 08/05/2019

Interessante, mas...
O livro tem uma temática muito diferente, principalmente em termos de seres sobrenaturais, se é que podemos chamá-los assim. Gostei, porém acho que faltou emoção e, principalmente, romance. Com personagens tão potenciais, poderia haver mais ápice na história.
Esperando agora o término da leitura da sequência, para ver se me empolgo mais...

Por outro lado, a filosofia do simples e do mindfulness (para mim aquilo tudo é mindfulness) é algo inspirador e necessário nos dias de hoje.

Se você quer romance, uns amassos, talvez se decepcione. Mas se quer reflexões sobre aprender a viver, mergulhe fundo.
comentários(0)comente



Lorena Miyuki 12/02/2019

Surpreendeu
4,5/5

Eu gostei muito mais do que achei que gostaria.
Não tinha muita referência, só peguei porque está no Unlimited mesmo.
O começo é bem aleatório e arrastado - a gente não sabe do que se trata, o que é "ser imortal", e os acontecimentos são meio jogados... Mas depois do "divisor de águas", digamos, a história fica MUITO interessante. A escrita da autora e a tradução ficaram ÓTIMAS!
Tem muito clichê, mas foi bem escrito e te dá aquele gás de curiosidade a cada final de capítulo! Os flashbacks intercalados com a atualidade são muito bem feitos, fora que é um prato cheio pra quem gosta de ficção histórica/paranormal/fantasia/fantasia urbana.
Recomendadíssimo.
comentários(0)comente



Roberta.Lima 24/04/2018

Amada Imortal
Primeiro livro da bem-sucedida trilogia, mistura fantasia sobre imortais a uma história moderna de jovem em busca de si mesma e de redenção.
comentários(0)comente



50livros 24/01/2018

Livro bom para curar a ressaca literária
Está procurando aquele livro leve, despretencioso, mas que entrega o que promete? Então se joga em Amada Imortal. Com uma trama bem fofa, o livro tem um ritmo bacana, nem arrastado nem super veloz, simplesmente na medida certa.

O enredo é meio simples demais, mas não decepciona. Com fantasia urbana na medida, sem ser nada muito impossível, com elementos cabíveis nessa linha de fantasia. Os personagens poderiam ter sido mais explorados, como por exemplo a própria protagonista. Mas, em compensação, a personagem River é um deleite, cheia de mistério e magia.

Se você está esperando um romance, esquece, já saiba de agora que é um elemento secundário na trama. O principal é a história de vida de Nastasya e suas raízes familiares, além de seu passado e presente com a magia. Vai ter par romântico? Vai sim, mas também não espere sentimentos profundos.

A única coisa meio chata do livro é o final. Não que ele seja ruim, mas não termina exatamente fechado, fica tudo meio no ar demais. Sei que é uma trilogia, então muita coisa ainda vai ser explicada, só que parece que o final foi muito corrido e, mesmo assim, não conseguiu definir muita coisa.

Amada Imortal é um ótimo livro para curar aquela ressaca literária, já que é um livro tranquilo de ler e com uma história refrescante.

site: https://www.50livros.com/single-post/2017/12/20/Resenha-de-Amada-Imortal-de-Cate-Tiernan---Fantastona2017
comentários(0)comente



Mayhara 27/10/2017

Antes de qualquer coisa...QUE CAPA INCRÍVEL! Muito linda mesmo, li por meio eletrônico, mas, estou super afim da versão impressa por causa dessa capa!!!

Como já descrito na sinopse, trata-se de uma fantasia sobre imortais. E esse imortais são meio que feiticeiros também. Enfim, por ser uma fantasia, me chateei um pouco por não ter clímax. Não teve nem um momento de suspense ou de guerras.

Porém, o livro não deixa a desejar (pelo menos pra mim), Nastasya descreve muito sobre a vida dela, ou "vidas" dela...fato que eu amei. Me lembrou muito do final da saga Fallen, a diferença é que Nastasya nunca morreu. =D

Achei Nastasya incrível, tem uma personalidade super bacana, inclusive no fato de assumir que não está indo bem e tentar mudar, é uma virtude admirável.

River também é incrível, aquela senhorinha que todo mundo precisa ter na vida pra te aconselhar.

Não tenho muito o que dizer sobre Reyn, ele foi pouco participativo na história, onde o foco não é o romance, e sim a redenção de Nastasya. Espero que no segundo livro seja desenvolvido melhor isso aí.

No geral gostei muito, só espero que na continuação haja mais emoção, muito mais emoção.
comentários(0)comente



117 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |