A Ideia

A Ideia Lucas Chagas




Resenhas - A Ideia


21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


luanjonathan 18/03/2015

Resenha: A Ideia - Lucas Chagas
Vamos a resenha:

"Eu sou uma vencedora, mas isso não faz da minha vida uma vitória."

Beatrice Dumont tem 23 anos, cursa faculdade de letras e está sempre muito envolvida com seus estudos, deixando sua vida pessoal um pouco de lado. Beatrice vive com sua tia, Vera, já que há muito tempo seus pais morreram, porém elas não possuem um bom relacionamento.

Beatrice se alto questiona muitas vezes, buscando entender aonde errou para sua vida está tão... triste. Beatrice, em busca de se diverti um pouco, resolve sair com seus amigos para irem ao cinema, mas acontece um contra tempo e eles resolvem esperar até a próxima sessão e é nesse meio tempo que Beatrice conhece Benjamin, o homem que a faria senti o que jamais sentiu por ninguém.

Comentários:

Desculpe, mas fiquei perplexo com o final desse livro, não darei spoilers, mas acredite em mim, vai ficar de boca aberta com o final desse livro, eu não acreditei nem um pouco nisso tudo. E ficou aquela pergunta: "Porque os escritores são assim com seus personagens?"

Bom, já havia um bom tempo que eu queria ler este livro e chegou o grande dia, então eu li, terminando em poucos dias e, acredite em mim, fiquei pasmo, sem acredita no que havia lido. O autor conseguiu me deixar zonzo, pasmo e perplexo com a leitura.

“[...] A que horas minha vida vai começar? Ela ainda não começou, e chegará um momento em que não poderá mais."

Percebi que o autor jogava bastante insinuações e começou logo no Prefácio e se você não souber captura essas informações aleatórias, você vai indo direto para a armadilha, claro que você não descobre o que as informações significa, mas você fica com uma pulga atrás da orelha e eu fiquei, mas não tive total exito na resposta, portanto, fui direto na armadilha...

A leitura é muito fluída e nós consome a cada pagina virada, fiquei ali, preso na leitura. O autor brinca bastante com nossa imaginação em algumas situações, deixando informações no ar, mas não se preocupe, pois tudo é resolvido com o decorrer da história.

"Estou cansada de sonhar com coisas inexistentes, simplesmente porque a vida não é um sonho, e para ela só presta o que se faz. E isso já diz tudo."

Os personagens foram bem criados, tendo cada um o carisma próprio. Umas das personagens que mais gostei foi a Beatrice, pois senti que ela era real, tendo seus conflitos internos(quem não os tem), o que a deixou mais interessante a história. Benjamin também foi um personagem que tem um carisma próprio, adorei o jeito dele, as atitudes principalmente. Não tenho nada a dizer sobre os cenários, foram de simples descrição e fácil imaginação.

A edição é simples, mas está linda. Bom, em cada inicio de capítulo possui uma frase e o número do mesmo. As páginas são amareladas e a diagramação está simples.

Uma história que prova que nem todos os finais são felizes.

site: http://lendoferozmente.blogspot.com.br/2015/03/resenha-ideia-lucas-chagas.html
comentários(0)comente



AmantesporLivro 11/07/2014

Beatrice é uma mulher que vive inerte em seus pensamentos. Universitária, passas seus dias entre as obrigações do seu curso e refletir sobre a vida. Ela tem amigos como a Brenda e o Jorge que tornam sua vida mais sociável, se divertindo em bares, shows e cinema. Em uma dessas saídas, ela avista um homem, que aos seus olhos, é incrivelmente bonito. Benjamim não consegue tirar os olhos de Beatrice e nem ela consegue escapar das olhadas. Nesse meio tempo, ambos se conhecem e se apaixonam de imediato. Infelizmente, as coisas não são tão simples assim. Em um cotidiano onde cada dia pode se tornar uma aventura, Beatrice vive em meio aos seus devaneios, onde cada passo dado pode representar uma mudança no futuro.

A premissa da história é bastante interessante. A sinopse já nos deixa com vontade de ler, e é nisso que o autor foca. A história não é nada de sobrenatural ou de coisas surpreendentes, apenas temos o cotidiano, sem grandes aventuras ou heroísmos. Isso chama a atenção de início, o que se lê em cada página, nada mais é, do que aquilo que vivenciamos no dia a dia, como por exemplo, "por que não falei aquilo que eu deveria falar?", "O que aconteceria se eu tivesse feito diferente?", ou seja, a história poderia retratar qualquer um, até mesmo o próprio leitor. Por este motivo, a escrita é bastante densa, nos colocando num verdadeiro espelho de nós mesmos. O livro retrata pessoas normais, com anseios normais, com uma vida normal, sendo um bom retrato dos dias de hoje.
E o que me torno? Uma alma que vaga na esfera da vida. Uma pessoa sem espírito. Uma projeção de estrela que já não existe mais, uma estrela que ainda se vê, mas que já se tornou passado.
Como na vida real cada pessoa apresenta características diferentes, a história pode ter diversas interpretações. Não digo isso por diferentes pontos de vistas ou ideia, mas simplesmente por achar, que o significado virá a partir do que o leitor estiver vivendo e seu estado de espírito. Beatrice é uma personagem complexa, um poço de divagações, é daquele tipo que você tem raiva e não compreende as ações dela. Apesar de ser uma mulher madura, com responsabilidades e uma vida social significativa, ela apresenta medos adolescentes que não acompanham seu perfil. Ela vive em um constante conflito interno, agindo de uma forma que cria uma situação diferente da imaginada por ela. A sua relação com a tia, que é a única família que ela possui, é bem vaga, mostrando um pouco das relações familiares que existem atualmente. Dentro da história, a presença dos amigos é mais forte e importante do que a família em si, destacando a Brenda, que é mais confidente e próxima da Beatrice e a Maga, colega de faculdade que é um ponto de apoio para a personagem principal. Outro ponto positivo é o desenvolvimento gradativo da personagem, revelando que cada dia em nossas vidas é uma nova lição aprendida.

A história não me marcou muito, esperei muito mais dela. Essa opinião é válida para mim, pois não estou na mesma vibe de Beatrice, que se apresenta muito melancólica, apesar que no decorrer do livro a sua mudança seja perceptível, não consegue transformar por completo a imagem que foi criada dela. Em muitas vezes eu ficava angustiado pela forma de ver a vida dela, sendo que acabei criando intersecções de suas reflexões com as minhas, isso para mim é um ponto positivo do livro, já que o sentimento está tão exposto que o leitor acaba se pegando nos mesmos questionamentos da personagem. O problema de Benjamin achei muito antiquado, mas não digo que não possa existir ainda hoje os mesmos impedimentos, principalmente, em uma época onde o preconceito está mais forte e muito mascarado.

Tenho medo, sim, tenho medo que minha alma, um dia, se mortifique, e, então, mais tarde, já com os meus cabelos brancos, não queria mais tentar. Terei perdido fome que me nutre. É difícil aceitar, falar que sou um morto-vivo.
Sobre a qualidade do livro destaco a impressão e a diagramação. Aliás, estes é um dos pontos que sempre considero positivamente para o selo Novos Talentos, porém, em contrapartida, chamo atenção novamente para alguns erros de repetição e grafia. Eu achei o número de páginas muito extenso para a história, sendo que se fosse uma quantidade menor, a história se tornasse mais fluída. Um dos grandes problemas que sempre encontro em livros de primeira pessoa é essa necessidade de relatar tudo e qualquer coisa do personagem, dando informações que não levam a nada. A capa também não foi um forte atrativo para mim, não conseguiu passar a verdadeira profundidade do livro.
O sentimento é como um fóton, que na verdade não existe, serve apenas para explicar fenômenos da natureza. O sentimento se passa no coração, e também não se materializa. Só passa a existir quando há interação entre alma e corpo.
Em resumo, eu gostei do livro mas no meu estado de espírito a história não casou muito com ele. Reforço isso porque o livro é bom, mas me levou a um nível de melancolia que eu não estava preparado, o que indica a profundidade retratada na história. Tenho certeza que o leitor que se identificar com estes sentimentos colocados na resenha, irá se encontrar no livro e achá-lo perfeito. A escrita do autor é inteligente e culta, suas várias referências e seu jeito fácil de descrever os sentimentos cria uma ótima atmosfera para a leitura. Destaco também, como um crítica negativa, a falta de fluidez do livro devido a sua grande quantidade de páginas, onde certa situações quebraram o andamento da história.

Agradeço ao autor Lucas Chagas pela parceria, você retratou muito bem o cotidianos das relações atuais. A história de amor contada por você, foi muito diferente como proposto na sinopse, não cheia de heroísmos, mas sim, com pessoas normais vivendo seus questionamentos e as dificuldades de se firmar no mundo com alguém que compartilhe dos mesmos desejos.
comentários(0)comente



Gi 23/04/2014

A IDEIA - Lucas Chagas
Oieeee!!
Tudo in riba?!

Essa semana li um livro que infelizmente não alcançou minhas expectativas. =(
Por esta razão serei breve em meu comentário.

No livro conhecemos Breatrice, uma jovem estudante de letras que busca uma aventura, um amor... Qualquer coisa que faça sua vida mais alegre.
Ela mora com sua tia, pois seus pais morreram quando ainda era criança. As duas só conversam para discutir e são como estranhas morando sob o mesmo teto.
Bia tem alguns amigos que a levam sempre a passeios e festas, mas nada emocionante acontece...
Em uma dessas saídas ela conhece Ben e se sente muito atraída pelo rapaz. Após muito tempo eles começam a namorar e a vida de Bia ganha alguma cor.
Como todo casal eles tem seus momentos de alegria e de brigas, mas com a ajuda dos amigos tudo sempre fica bem.

Bom, se eu contar mais vou chegar no final... Não porque o livro seja curto, pois ele tem 424 páginas, mas porque não há muito o que contar mesmo.

A maior parte do livro é sobre Beatrice e como sua vida é infeliz, mas não chega a ser um drama daqueles que nos enchem os olhos de lágrimas... Está mais para um episódio de novela adolescente, em que a mocinha sabe que jamais será feliz e que sua vida não tem sentido.
Mesmo após encontrar Ben sua vida não se torna mais emocionante! Eles não nos transmitem aquele amor, aquela paixão, aquele vuco vuco que todo inicio de namoro tem!

Pelo que me lembro, os pais de Ben queriam que ele namorasse alguém do mesmo nível social que eles. O autor poderia ter desenvolvido mais essa parte. Creio que grandes brigas sairiam dali!!!

Os amigos de Bia deram alguma cor a estória! Principalmente Brenda que é uma namoradeira e fala muito! Tem também o Rabudo, o cãozinho de Brenda que é uma fofura! ^^

Só no final temos umas páginas de emoção, mas ficou meio forçado e sem explicação...
Acho que não compreendi todos os pensamentos filosóficos e as reflexões que o autor tentou transmitir, mas insisti na leitura, pois A Ideia do amor sempre tem algo de bom a nos ensinar.

Acho que o sentido do título foi: Aproveite a vida hoje, pois o amanhã pode não existir para você!


Entoncis... Por hoje é só!
Beijokinhas da Gi!

site: aestranhaestantedagi.blogspot.com.br/2013/09/a-ideia-lucas-chagas.html
comentários(0)comente



Sofia 16/12/2013

A Ideia (Lucas Chagas)
Adiei e evitei demais esta resenha, que seria maldade não compartilhar a belíssima história que é A Ideia. Não sei dizer o quanto este livro me fisgou, porém sei que entrou para os favoritos.
Lucas Chagas usa de uma narrativa fluida e agradável, que conseguiu me prender e envolver do início ao fim; e talvez este meu envolvimento não tenha sido tão bom, pois ao final me choquei (tanto pelo fim quanto pelos fatos). Logo no Prefácio já sabemos o destino da história, e isto talvez tenha gerado mais expectativa.
Os personagens são agradáveis e divertidos (Jorge e Brenda ♡) e de fácil distinção. Porém, a própria protagonista foi meio que uma incógnita para mim.
A narrativa em primeira pessoa acaba por se tornar interessante, já que a alguns intervalos, a protagonista nos apresenta certas reflexões. Ainda que em alguns momentos eu não tenha conseguido associá-los à história.

"Eu sou uma vencedora, mas isso não

faz da minha vida uma vitória. Um
desgosto por cima do outro."

O romance existente em A Ideia é comum, porém belo. Como a própria sinopse diz, necessita de lutas quando o "universo conspira contra".
Aliás, confesso não ter entendido muito bem o título, espero que seja algo inteiramente pessoal.
Sem dúvidas, Lucas Chagas tem um talento enorme para escrever. E para transmitir emoções dos personagens também, aliás. A Ideia foi um romance que me cativou, e sem dúvidas funcionou para mim.

Resenha do blog Lendo de Tudo: www.so-soline.blogspot.com
http://so-soline.blogspot.com.br/2013/12/a-ideia-lucas-chagas.html
comentários(0)comente



Carla Brandão 05/11/2013

Beatrice é uma jovem de 23 anos, estudante de Letras e que desde cedo mora com sua tia, Vera. Divide-se entre as aulas da faculdade, o trabalho como monitora, as tarefas que realiza para Vera e saídas com os amigos. Em uma dessas saídas conhece Benjamin, por quem passa a nutrir um amor que acha ser platônico. Até aí, apenas uma história corriqueira e com situações comuns a muitas meninas da mesma idade. O que A Ideia tem de incomum é mostrado antes mesmo da trama se desenrolar: já no prefácio sabemos o que irá acontecer (mas não como) e somos avisados que a história será narrada por Benjamim, mas na voz de Beatrice.

Lucas escreve bem, sua narrativa é elaborada e o vocabulário rico. Mesmo assim o livro não me agradou muito. Isso se deve em grande parte a protagonista, que não me conquistou. Beatrice - através das palavras de Benjamim - faz reflexões sobre a vida, o amor e a felicidade entre um fato contado e outro. Essas reflexões, porém, são carregadas de melancolia, de desânimo. Quando está com seus amigos ela é uma menina alegre, capaz de se divertir. Mas em casa, Beatrice torna-se uma menina que reclama de tudo e dorme grande parte do tempo. E não ficou claro durante toda a história o motivo de tanto descontentamento. Ela passou por algo na infância que a levou a viver com a tia, mas isso é apenas citado, faltou aprofundar e isso dificultou bastante a conexão entre o acontecimento e o humor estranho de Beatrice. Esse tipo de pessoa me incomoda muito na vida real, não foi diferente na literatura. A menina também tem uma relação difícil com a tia, as duas convivem mas sem nenhuma afetividade aparente, o que também não foi explicado.

O livro é um pouco longo para a história que se quis contar e em alguns momentos a leitura torna-se cansativa. O final vem para dar uma movimentada na trama e deixar as pessoas sensíveis como eu de coração partido.

Lucas teve a preocupação de criar um enredo mais denso, reflexivo, que aparece nos pensamentos de Beatrice. Ao longo das páginas também podem ser encontradas muitas citações de músicas e poesias. Já li muitas resenhas positivas, então pode ser que o livro não tenha funcionado pra mim, mas claramente agradou a outras pessoas e pode vir a agradar futuros leitores.
comentários(0)comente



Juh 18/09/2013

Final emocionante...
A Ideia é a história de um homem que amou tanto uma mulher que resolveu eterniza-la em palavras. Essa jovem mulher é Beatrice Dumont, estudante de letras que adorava escrever poemas e ler. Órfã, foi criada pela tia, uma mulher meio amarga, seria demais. Beatrice achava que sua vida era uma página interminável em branco, em que nada acontecia. Isso até que o amor aconteceu. Quem já se apaixonou e amou, sabe que sentimos a vida ganhar todas as cores e significado naquele momento. Será que uma vida valeria por alguns momentos de extrema felicidade?

Continue lendo, clicando no link do blog

site: http://www.reticenciando.com/2013/07/resenha-ideia.html
comentários(0)comente



silvanasartori 13/08/2013

A obra se inicia contando sobre a personagem Beatrice, uma adolescente como qualquer outra que sempre teve sonhos e objetivos, mas que principalmente buscava encontrar sua felicidade. E era o tipo de pessoa que sempre era muito estudiosa e organizada, mas que apesar disso, sempre vivia o seu dia-a-dia sem dar muita importância com os acontecimentos, mas que às vezes percebia que não tinha tempo para usufruir das coisas boas que a vida lhe oferecia.

Morava com sua tia Vera que infelizmente não tinha um bom relacionamento e que também não tinha muito convívio, mesmo morando no mesmo apartamento, mas que apesar desses pequenos probleminhas, ela sempre tinha boa vontade de fazer as coisas e nunca se sentia só, pois ela também sempre estava muito ocupada com seus estudos e vivia rodeada de muitos amigos que a ajudavam, principalmente de sua melhor amiga Brenda que me encantou com sua maneira divertida e sincera, mostrando como a amizade entre duas pessoas é realmente valiosa quando se precisa.

Beatrice mesmo mostrando durante a estória seus sofrimentos e suas alegrias, apenas gostaria de encontrar sua felicidade no amor, mas não aquela felicidade passageira, mas sim algo que fosse duradouro.


‘’E me perguntam se sou feliz. Respondo-lhes: Sou. Mas por fora.
Sou feliz, mas sem momentos felizes. Como as virtudes e os defeitos em cada um de nós, que coexistem transpondo tanta discrepância. Não há nada perfeito no mundo. De tal modo, se vir algo perfeito, desconfie!’’


Então um dia ela conhece Benjamin que muda sua vida e que acaba sendo na verdade o seu primeiro e verdadeiro amor, mas como todos os amores, acontece muitas reviravoltas e por isso, os dois acabam se afastando e seguindo suas vidas rotineiras e independentes.

''Nunca mais veria aquele rosto novamente. Aquele olhar. Esqueceria para sempre. E já estava esquecendo. Algumas vezes tentava lembrar nitidamente, mas não conseguia. E eu estava com medo de esquecer para sempre. Se eu tivesse alguém para compartilhar esse sentimento. Alguém que realmente visse e ouvisse minha dor, que já estava gritando. Mas não havia como, eu sabia disso. Conformar-me foi o que eu mais tinha feito nessa vida.''


Mas logo o DESTINO faz o favor de coloca-los no mesmo caminho novamente, e assim começando uma aproximação e um romance envolvente e surpreendente de deixar o Leitor suspirando até o final da obra.

E se preparem para o final, porque é realmente surpreendente, até porque me deixou sem palavras e pensando por várias horas do porque isso e aquilo. Até depois da minha leitura, fui correndo no facebook conversar com o autor sobre o livro e questionar algumas coisas.

Enfim... Leiam que vocês irão entender (risos)


Minha opinião sobre a obra é que eu sinceramente não sabia como começar a escrever essa resenha, pois o livro me conquistou de uma tal maneira que acho que todos os leitores deveriam ter tempo de conferir esta estória MARAVILHOSA que o autor Lucas Chagas nos apresenta.
O livro me surpreendeu demais e acabou sendo uma leitura mais do que prazerosa e satisfatória em vários aspectos.
Me senti completamente envolvida a cada capítulo, principalmente pelos sentimentos que a personagem demonstrava, mas tenho que confessar que de inicio achei que a narrativa foi um pouco parada e pensei por várias vezes em desistir de ler, mas acabei sendo insistente, e com isso, descobri que no decorrer dos acontecimentos o romance de uma certa maneira acabou sendo mais do que eu esperava que fosse.

Foi um Romance completamente diferente de tudo que conhecemos em relação aos acontecimentos desenvolvidos pelo o autor.

Confesso...Me prendeu e me surpreendeu. Nem sei como descrever isso para vocês (risos)


E não vou deixar de citar aqui que os personagens secundários foram todos muito bem trabalhados, até porque, eu amei dois deles, Brenda e Jorge.
Também achei muito bacana a forma de como o autor mostrou a importância da amizade entre os seus personagens. Achei muito legal isso.

No demais, eu achei a diagramação do livro MARAVILHOSA e achei bem CRIATIVO o desenho da capa e da contra capa desse livro.


A fonte com as páginas amareladas também ficaram ótimas.
Mas o que realmente me incomodou bastante foi que a Editora deveria ter feito uma revisão melhor na parte da escrita, pois encontrei em diversos capítulos várias palavras invertidas e colocadas de maneira errada, mas nada que atrapalhasse o meu entendimento.


E para poder encerrar essa resenha, tenho que dizer que A IDEIA é vocês pegarem esse livro o mais rápido possível para ler, pois tenho certeza que vocês não irão se arrepender.

Livro mais do que FAVORITADO por mim e também mais do que INDICADO.
5 Corações e mais por essa OBRA que me deixou simplesmente apaixonada (risos)


site: http://lovereadmybooks.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Séfora 08/07/2013

Resenha do livro A IDEIA
Resenha do livro A IDEIA
Olá pessoal, estou muito feliz por estar trazendo para vocês mais uma resenha. Do meu querido parceiro Lucas chagas.

Resenha do livro A IDEIA



Titulo: A Ideia.
Editora: Novo século.
Paginas: 421.

O que falar quando o livro é muito bom, já não sei como explicar. Esse livro é literalmente ótimo. Estou tentando ser o mais sincera possível com vocês, acabei de ler o livro, e não pude deixar de vir aqui compartilhar esse sentimento maravilhoso com vocês.


O livro começa com um prefacio, explicando um pouco da historia, e logo quando ela se inicia vemos a historia de uma garota chamada Beatrice, ela foi criada por sua tia. Viva sem esperanças, para ela sua vida não significava nada. Até que conhece um jovem em um bar chamado Tapa Olho, o nome desse jovem era Benjamim. Ai já viu né? É amor na certa.
O livro me encantou de tal forma, que não sei explicar, nele sentimentos são muito bem expostos. É quase impossível não se emocionar. O autor tem o dom de falar sobre sentimentos, de escrever coisas encantadoramente emocionantes.
O romance do casal aparentemente parece ser perfeito, os dois se amam, se querem e se desejam, mas como nem tudo nessa vida é perfeito, a vida do casal vai enfrentar grandes dificuldades.
A historia é rodeada de emoção, carinho e também tem um final, lindo e ao mesmo tempo trágico. Todo o livro é cheio de quotes lindos e fantásticos, tem poesias e frases marcantes. O final do livro nos deixa marcas, muitas marcas. Eu terminei o livro e fiquei com aquela sensação maravilhosa de que valeu muito cada minuto que eu gastei lendo.
Este é um livro que eu recomendo a todos, principalmente a todos aqueles que gostam de ler, conhecer, e sentir os sentimentos dos personagens.


Vou deixar vocês com alguns quotes do livro, para que fiquem com vontade de ler, e vejam como é lindo. Só não posto aqui tudo o que gostei, porque se não eu teria que escrever todo o livro, e assim quebramos as pernas do autor. Mas é serio pessoal, confiram esse livro não percam. Ele possui uma linguagem formidável. O Lucas tem um jeitinho todo especial de escrever, como posso dizer... Singular.

"Estou cansada de sonhar com coisas inexistentes, simplesmente porque a vida não é um sonho, e para ela só presta o que se faz. E isso já diz tudo. "

Foi tristeza com muitos ganhos.
Foi felicidade com muitas perdas.
E no fim se anula, nem se equilibra.
Pois não há ganhos que anulem perdas.
Quando não há felicidades.

ABRAÇOS A TODOS.
ESPERO QUE GOSTEM DO LIVRO.

site: http://palavrapequenas.blogspot.com.br/2013/07/resenha-do-livro-ideia.html
comentários(0)comente



Mariana Mortani 17/06/2013

"O que esquecemos é que o destino pode ser ardiloso e nos guarda surpresas." - Pág. 117
Beatrice Dumont é estudante de Letras, tem 23 anos e está sempre muito envolvida com seus estudo. Beatrice vivia sempre lamentando sua vida, pois nada acontecia da forma como ela queria ou imaginava, e após enfrentar a perda de seu pai e sua mãe, foi criada por Vera, sua tia com quem tinha uma relação difícil, mesmo que ela demonstrasse cuidado. Mesmo com todos os problemas que tinha, Beatrice seguia em frente, cercada de amigos que não a deixavam sozinha. A verdade, é que Beatrice buscava a felicidade, mas não a felicidade momentânea, porém o destino lhe guardava surpresas, surpresas essas que a levarão a reencontrar Benjamin, um universitário de 24 anos que estava cursando medicina e vinha de uma família tradicional. Basta um encontro para que a vida dos dois mude. Benjamin e Beatrice se apaixonam e começam um relacionamento, que vai durar até que o destino resolva lhes surpreender mais uma vez. Só que dessa vez, não será por algo bom.

Embalada por trechos de músicas inesquecíveis e poemas tocantes, a narrativa nos envolve de uma forma especial, que nos faz pensar que estamos lendo os pensamentos de Benjamin, que é quem narra a história dele e principalmente a de sua amada. Acho que as únicas coisas que me incomodaram um pouco no livro foi a extensa rotina dos personagens -o que me deixou um pouco desanimada no inicio por começar a leitura cheia de expectativas - e a baixa estima de Beatrice, mas o autor acaba mostrando para o que veio e acabei sendo surpreendida com o desfecho do livro. Fiquei apreensiva, ansiosa, chocada, triste... o autor soube como criar momentos reflexivos e até filosóficos, muitas vezes.

O autor criou muito bem seus personagens e a narrativa em primeira pessoa. Já vi muitos autores dizerem que escrever um livro em primeira pessoa não é fácil, agora, escrever um livro em primeira pessoa, onde um personagem praticamente conta a história de outro, é algo novo para mim. Gostei bastante da ideia do autor e como isso tornou a história ainda mais interessante, já que ele nos passa toda a sensibilidade de Benjamin.

Algo que me atraiu muito na leitura são as citações de poemas de Mário Quintana, músicas de Renato Russo, Djavan, Rita Lee, Cazuza, Tracy Chapman, Cássia Eller. As lindas declarações e reflexões embalam a leitura de surpresas e muito amor. Agora, algo que me encantou desde o inicio foi a capa. A capa completa (imagem ao lado) é muito, muito bonita. Logo quando a vi fiquei imaginando milhões de coisas sobre a história. Sem dúvidas, nota 10 para a capa e o trabalho gráfico da Editora Novo Século.

A Ideia é um romance tocante, que traz a trajetória de um amor que se mostra forte, e sobrevive intensamente. O livro nos deixa uma lição, que deve ser refletida. Basta o inesperado, aquilo que foge do nosso controle, acontecer, para que fiquemos sem reação ou sem chão. Não fazemos ideia que as vezes a vida não segue o que planejamos, porém ela é perfeita como tem que ser. Nada é por acaso. E é por isso que eles viveram uma grande história. Recomendo!

RESENHA COMPLETA EM: http://www.magialiteraria.net/2013/04/resenha-ideia-luchas-chagas.html
comentários(0)comente



Danika 03/06/2013

"Eu quero sonhar Sonhar minha história não vivida..."
Sabe aquele momento de reflexão em que você percebe o quanto sua vida anda 'parada', o quanto você não tem aproveitado de fato sua juventude? Quando você se dá conta de que tenta mudar há tanto tempo, mas fica tão presa nesse querer que não se dá conta de que está sempre no mesmo local. Foi isso que ocorreu com Bia. Em um dia ela simplesmente resolveu aceitar o que a vida lhe oferecia. Os novos amigos, um amor, a paz, as adversidades e tudo o mais.

Bia é uma universitária. Cursa letras e vive com uma tia. Saía com amigos e se divertia. Mas se tratando de relacionamentos amorosos, aí era um problema. Até que conheceu Benjamin. Passou a nutrir um sentimento por ele, alguém que mal conhecia, que quase nunca via. Desde o momento em que se olharam, ela percebeu algo. Pensou que foi correspondida. Mas talvez fosse só engano.

"Algumas vezes não sabemos para onde estamos indo, mas ter consciência de que estamos em um bom caminho nos acalma."

O que vemos em A Ideia é um romance bem construído, cheio de frases de efeito e momentos reflexivos - digo até filosóficos - onde Bia divaga sobre a vida, sentimentos, desamores, passado, presente e futuro. Seus amigos, sua tia (que é sua família) e a faculdade é tudo o que ela tem. Seu mundo vive ao redor disso (e de livros e de sua cama), até ela conhecer o amor. Como o próprio autor diz na sinopse "Não é a história de um amor perfeito. [...] É uma história de luta pelo amor, quando tudo parece estar contra."

"Nem sempre temos o que desejamos no momento exato em que queremos. Isso é triste. Mas, se existir a oportunidade de tê-lo numa outra hora, precisamos estar preparados e espertos para o ver e conquistar."

Toda a historia, na verdade, é escrita por um médico. Isso mesmo. Um médico que faz uma declaração de amor, ao escrever sua história na voz de sua amada. Alguém que ele jamais irá esquecer. Por conhecê-la tão bem, ele se dá ao direito de 'falar' por ela. E o que vemos é uma história de amor muito verdadeira.

Eu gostei bastante do livro tirando os devaneios filosóficos de Bia. Alguns servem de inspiração e reflexão. Mas por muitas vezes achei sua conversa interna desnecessária. Me perdia por muitas vezes, sem saber realmente o que ela queria dizer. Ou o que ela estava sentindo. Mas nem por isso se perde o encantamento da história. Sim, eu recomendo. Apesar de o autor me surpreender no final do livro. Jamais imaginei. (aahh, seu Lucas! rsrs) Enfim, deixo a dica!
comentários(0)comente



Refúgio Literário 30/05/2013

Seria o livro “A Ideia” de Lucas Chagas mais um romance como todos os outros? Será que ele conseguiria mostrar a verdadeira face do amor? Foram essas e outras perguntas que me fiz ao iniciar a leitura desse livro.

Porém já no prefácio percebi o quanto o autor tinha outra visão do amor, porém aquela finalmente era a visão certa. Lucas Chagas demonstra o amor como verdadeiramente ele é, cheio de altos e baixos, não aquele “conto de fadas” antigo.

Beatrice é uma garota como qualquer outra, que luta pelos seus objetivos, ideias e sonha em encontrar o verdadeiro amor. A busca pelo seu grande amor chega ao fim quando ela conhece Benjamim e acaba se apaixonando por ele a primeira vista... Mas nem tudo são rosas e os dois terão que descobrir juntos o quanto as paixões podem nos pregar peças...

Na leitura do livro, além a estória propriamente dita, encontramos vários pensamentos da personagem principal que nos narra o enredo. Porém são pensamentos diríamos que “bipolares” já que mesmo feliz ela sente duvidas dos seus próprios sentimentos. Às vezes são textos alegres, outras vezes são textos que nos transmitem um pouco de melancolia. Mais isso não tira o encanto da historia, já que traz um tempero a mais para “A Ideia”.

O amor mostrado no livro é aquele que consegue superar obstáculos, mas que também tem seus momentos de querer desistir e parar. Mesmo com esses altos e baixos, Beatrice e Benjamim conseguem viver uma linda estória de amor.

Quando acho que já descobri o fim daquela estória, o autor me surpreende no final do livro com um desfecho totalmente inesperado e cheio de surpresas. Nunca esperei que a historia terminaria dessa forma, confesso que lagrimas rolaram no meu rosto a cada parágrafo do prólogo de “A Ideia”.

Amor à primeira vista, sonhos, desespero, tristeza, alegria e encantamento são alguns dos sentimentos que encontramos nesse fantástico livro.

Emoção, amores, surpresas e suspense, essas palavras resumem o livro encantador do autor Lucas Chagas. “A Ideia” é um livro para todos os gostos, todas as idades e para aqueles que sabem que o amor verdadeiro ainda existe.
comentários(0)comente



Simony 09/05/2013

A Ideia de Lucas Chaves
Beatrice era uma jovem aluna de faculdade que tinha seus dias cheios divididos entre os estudos, monitorias e trabalhos diversos para sua tia Vera, com a qual morava desde bem cedo, com a morte de seus pais. Apesar de seus dias corridos, Bia era inegavelmente uma jovem solitária, bem, não necessariamente solitária, pois tinha muitos amigos que a amavam, mas lhe faltava um amor, uma aventura que tornasse seus dias mais felizes.
Felicidade... Esta palavra que ela sabia o significado, mas ainda não tivera o prazer de experimentar, a verdade era que sua vida era vazia, não tinha o que pudesse dizer que realmente viveu. "Tanta coisa acontecia em minha vida, fazendo os dias passarem rápidos. Mas quando chegava o fim da semana, eu percebia que não havia acontecido nada de importante e que meus dias estavam indo embora, sem que eu notasse."

Até que em uma das saídas com seus amigos, conheceu o amor, aquele que mudou radicalmente sua vida, Benjamim, o responsável pela drástica mudança de sua existência. Os dois passaram em companhia de seus amigos dias inesquecíveis, Bia finalmente conseguia sentir verdadeiramente a felicidade, dias vividos de cada vez, mas que a marcariam intensamente por toda a sua vida. Sempre se perguntava "se", se não tivesse ido aquele bar "tentar" jogar sinuca, nunca teria encontrado Benjamin, ou se eles se encontrassem de outra forma, será que teriam se apaixonado como aconteceu? bem provavelmente não, mas nunca sabemos não é mesmo? simplesmente não nascemos sabendo de tudo, aprendemos de acordo com as experiências. Lindos dias, felizes em companhia de Ben, e os amigos que a faziam tão felizes, sua vida começou naquele mesmo momento, uma vida de encantos, incertezas, de altos e baixos, mas que finalmente acontecia.

Tinha a amiga Brenda, bem namoradeira praticava jiu-jitsu, era prima do Jorge que assim como Brenda não tinha tempo ruim, o bom humor estava sempre presente, tinha também a amiga Clara, a Maga e vários outros amigos. Em fim, a vida de Bia estava finalmente como ela sempre sonhara, e como ela merecia, pois sempre fora uma lutadora pela vida, nunca desistia. Um dia os pais da Brenda foram viajar, passar uns dias fora, e Bia foi passar uma noite de meninas, e o namorado o Ben, não estava convidado, na verdade seria o clube da luluzinha, nem se importou com as mensagens que o Eric, seu ex, mandou pra ela a convidando para uma festa, ela simplesmente não respondeu, ela queria passar algum tempo com a Brenda, sem dizer que algum tempo o Ben já tinha se zangado com Eric, então, preferiu nem responder.
Até que o inesperado aconteceu, algo que mudaria pra sempre a vida de todos. Nunca mais seriam os mesmos depois daquela noite. O que poderia ter acontecido no auge da felicidade e no início de sua vida? A única pergunta que faço é: Se Bia tivesse aceito ir á festa com Eric? ou se ela tivesse permitido que o Ben ficasse com elas? se os pais da Brenda não tivesse viajado? Se...

"A felicidade não em quando se chama, mas sim quando se facilita sua chegada."

Realmente um livro que cativou muito, desde o início, de uma escrita inteligente, singela e coerente, que fez com que me identificasse em alguns pontos, um livro sem muitas conversas é verdade, mas, simplesmente impossível deixar de ler, desde a primeira página achei muito interessante, adorei a forma como as idéias foram expostas, versos lindos e até uma carta pra terminar um namoro, imaginem, se este livro me tivesse sido apresentado alguns anos atrás certamente que eu iria copiá-la...rsrsr.
Adorei conhecer a Brenda, muito louca, mas quem não tem um amigo assim não é verdade? e o Jorge... Sei, bem que eu desconfiava.... rsrsr. E o Ben, muito romântico, que lindo! E seus pais?! Uns ditadores! Me impressionei muito com o último capítulo, nooooossa! Que emoção! foi chocante! Só depois que entendi de fato o Prefácio!

A Idéia está mais que recomendado, convido aos leitores que participem das minhas impressões, leia a história e dividam com o mundo que temos sim, ótimos escritores como o Lucas Chagas em nosso Brasil
comentários(0)comente



itsfepo 18/04/2013

Uma longa jornada começa sempre com uma simples ideia. Achei interessante começar a minha resenha com a dedicatória feita pelo autor para mim. Não porque ache que ela tenha um significado maior agora que terminei a leitura, mas por achá-la pertinente à indicação que farei de um livro nacional muito bem escrito.

Comentei no Twitter por esses dias que os livros nacionais atuais estavam me surpreendendo positivamente. Era uma referência clara a esse livro que, assim como alguns outros nacionais, fez-me crer que a nossa literatura anda caminhando pela direção certa. Não que não estivesse antes, mas, por favor, entendam-me. A Ideia possui uma história de amor incomum. Ele é um romance incomum que narra a vida de Beatriz. Para alguns apenas uma simples estudante de Letras, para outros a mulher mais incrível do mundo. Suas mazelas, seus medos, suas conquistas e a sua forma de ver o mundo são expostas descaradamente nesse livro, alternadas por pensamentos profundos que atingem sua cabeça e a de uma pessoa importante para sua vida. Esqueçam a ideia de que é preciso tudo ser perfeito para que haja uma linda história de amor. Ao contrário disso, como é dito na sinopse, esse livro é um relato sobre a luta por um amor; um relato sobre a importância de certos instantes que parecem banais, mas que possuem um grande significado.

O livro é escrito em primeira pessoa, tanto nas partes em que Beatrice fala quanto no prefácio e posfácio, quando não é mais ela falando. A linguagem não é das mais simples, porém não é complexa demais a ponto de você precisar estar com um dicionário por perto. Acho que durante a leitura o que mais me chamou atenção é a forma quase poética que o autor se utiliza para descrever os fatos. As palavras pareciam possuir uma sensibilidade de outro mundo. Além daqueles pensamentos que citei logo acima que me fizeram, por diversas vezes durante a leitura, a questionar as minhas próprias ações e as minhas próprias vivências. Gosto quando um livro me faz ficar pensando sobre mim mesmo. Talvez, de alguma forma, isso me ajude a ser uma pessoa melhor.

Bem, o livro é incrível. Eu achei, pelo menos. Houveram coisas que não me agradaram também, como por exemplo a descrição completa das características dos personagens assim que eles apareciam. Acho que se eles fossem descritos ao longo da história seria melhor, mas isso não muda muita coisa. Vale lembrar e ressaltar as referências à poemas e músicas feitas durante todo o livro. Isso aproxima demais quem lê com a história. Comigo foi assim, principalmente, quando conhecia as referências.

Fica aqui a minha indicação de uma trama triste, tocante, reflexiva e rica. Um livro que vale a pena ser lido. Um enredo que vale a pena conhecer. Uma história a ser sentida. Gostei bastante de A Ideia e espero que, quem se dispor a lê-lo também, possa apreciar como apreciei. Foram 424 páginas muito proveitosas.
comentários(0)comente



Rebeca 13/03/2013

http://leituraaocubo.blogspot.com.br/2013/03/a-ideia.html
Nossa... O livro acabou t.t

Um livro cheio de cultura ! Uma história linda e emocionante e triste. Uma olhada, uma realidade para todo sempre.
O livro está repleto de pequenos trechos de músicas algumas frases como de Clarice Lispector.
Pensamentos, momentos lindos... tão igualável aos pensamentos que podemos sentir.
Quem nunca sentiu como se sua vida tivesse uma folha em branco para ser completada ? ou pior ainda, um livro todo. Quando você sabe que você encontrou o amor da sua vida, e não tem ele , ou quando você tem, e não pode ter. Ou quando tudo diz ''não''. Vocês dizem ''sim''. Esse livro não tem final feliz. Mas tem um meio feliz...
Bia, Benjamim e Brenda. Bia e Benjamim como os principais e Brenda como secundário junto com os demais amigos. Como já diz a sinopse então não é nenhum spoiller, ''um homem '' conta essa linda história, inicialmente narrada por Bia, que conta como sua vida tá e assim por diante, até que ela encontra esse '' homem ''. Aí ela narra as dificuldades de tê-lo, e de ficar com ele.
Após finalmente ficarem juntos, de toda aquela emoção nas páginas e frases de músicas e poemas que enriquecem a narração o autor começa a contar como foi eles juntos do inicio ao fim, de certa forma, o livro estava Muito bom até eles se encontrarem, ai eu pego e olho, poxa ! ainda falta a metade do livro o que mais ele tem a escrever sobre a história, então ele conta todos os momentos e pensamentos da Bia junto com esse homem, algumas coisas como piquenique a viagem, são muito legais, porém a gente fica '' cadê a parte emocionante? quando vai chegar '' . Eu não queria ter feito essa pergunta. Porque tem um fim triste. E é por isso, que esse livro se torna uns dos melhores escrito por autor brasileiro que eu já li. Porque não se trata de algo que poderia ser fictício , e mostra que nem tudo é um mar de rosas e tem histórias felizes . É o primeiro livro com final triste que me deixa triste mas me deixa fascinada pela capacidade de enfrentar o comum, e dizer '' NÃO, NÃO TEM UM FINAL FELIZ, NEM TODO MUNDO NA VIDA REAL TEM UM FINAL FELIZ '' , e é com todo o prazer que eu tenho de lhes dizer que apesar que, depois que eles se conhecem ser um pouco arrastado, deu sentido ao fim, e que este livro recebe a pontuação máxima de 5 estrelas.
Obrigada Lucas, por trazer essa história ao mundo, por nos fazer refletir a cada trecho cultural ali introduzido, e por certa forma, acrescentar a parte brasileira nisso, e dar realidade como um todo.
Parabéns pela grande história.
comentários(0)comente



Samy Rabelo 03/03/2013

Resenha no blog http://livroscomresenhas.blogspot.com.br/2013/03/resenha-ideia.html
Não sou de ler sinopses antes de começar minha leitura com livro algum. Esse caso foi bem diferente, não sei se foi pelo título ou pela capa, mas fui direto ler a sinopse para saber mais ou menos o que viria pela frente.
Em A Ideia conhecemos Beatrice, mais conhecida como Bia. Uma jovem com 23 anos que mora com a tia por falta de opção já que perdeu seus pais logo cedo. Bia é uma garota bem introvertida e melancólica, digamos até que chata. Num dia, por acaso, conhece Benjamin, um rapaz inteligente e muito agradável. Juntos eles levam um relacionamento tranquilo e rodeado pelos amigos.

"Alguém que tenha conhecido tamanha felicidade não conseguirá aceitar a tristeza com humildade. É da natureza humana. "

Bia no decorrer do livro, pensa muito na vida, na transformação, no controle de tudo. Como ela mesma diz: "Meu problema é pensar demais. Sempre penso naquilo que poderia acontecer. E que não acontece. E fico triste com o que poderia ter acontecido. É ruim pensar demais.(...) É ruim pensar demais não deixar as coisas fluírem normalmente, com surpresas.(...)
Lucas Chagas no apresenta uma narrativa bem filosófica, que para mim, agradou bastante. Digo que quem não gosta das leituras de Paulo Coelho (eu adoro), não irá se dar muito bem com essa leitura também, porque em diversas vezes me vi lendo uma obra de Paulo Coelho com A Ideia.
Achei muito interessante o modo de pensar do autor. Nota-se que o autor expôs todo o seu modo de pensar com essa obra. Por diversas vezes, na maioria das vezes na verdade, me senti a autora desse livro, pois concordo com muita coisa que li.

"Algumas vezes não sabemos para onde estamos indo, mas ter consciência de que estamos em um bom caminho nos acalma".

Bom, devo dizer que essa foi uma leitura de altos e baixos. Como disse, a narrativa é bem filosófica, onde me agradou bastante, já nas atitudes, nos acontecimentos com os personagens, não me agradou muito. Achei tudo muito monótono. Os personagens não tinham cenas que me chamassem a atenção. Fazendo com que eu não me prendesse na leitura.

"Estou cansada de sonhar com coisas inexistentes, simplesmente porque a vida não é um sonho, e para ela só presta o que se faz. E isso já diz tudo".

Já o desfecho me deixou de boca aberta. O autor conseguiu me impressionar com as cenas dos personagens. Cheguei até me emocionar com Benjamin, imaginei claramente o autor passando pela situação toda. Ele conseguiu passar todo um sentimento nas páginas.
Recomendo a leitura desse livro mais para quem gosta de uma boa filosofia e reflexão de transformação da vida.
Agradeço ao Lucas Chagas pela oportunidade de conhecer sua obra.Mesmo com alguns pontos negativos, passei momentos agradáveis com a leitura.

No decorrer da leitura gostei de muitos quotes e quero compartilhar com vocês :)


"Eu sou uma vencedora, mas isso não faz da minha vida uma vitória. Um desgosto por cima do outro. A vida não me ama, sou despedaçada por ela. Entretanto, mesmo em pedaços, dou-me por inteira. E é isso o que significa amar."

"Não sei como conseguimos amar pessoas com quem convivemos tão pouco ou então que não nos fazem bem. Quando brigamos com alguém, por exemplo, sabemos o que essa pessoa precisa fazer para nos ter de volta. Mas não dizemos, porque a pessoa precisa descobrir por si mesma."

"Com certeza eu não possuo toda a razão, mas sei que quem está errada aqui não sou eu."

"Para quem está bem, nada pode ter mais importância do que si mesmo."

"O que esquecemos é que o destino pode ser ardiloso e nos guardar surpresas. Na maioria das vezes, nos esquecemos disso. Não culpo ao destino, culpo a nós, que acreditamos ter o controle de nossas vidas nas mãos."

"Os nossos sentimentos se alteram sem que percebamos, e com isso nós mudamos."

"Não devemos procurar a felicidade. É escorregadia. Devemos aceitar o que temos e correr atrás do que queremos. Podemos nos descobrir felizes numa tarde e nos sentir um nada durante a noite. A felicidade não vem quando se chama, mas sim quando se facilita sua chegada."

"Acredito que nós somos como esses cachorros de rua, às vezes. Ninguém nos conhece, ninguém fala nossa língua, nem sabe o que queremos, e andamos muito rápido nas ruas da vida, sem saber aonde chegamos quando dobramos a próxima esquina."

"Somos como frascos de perfume que quando são esvaziados permanecem com o mesmo cheiro durante muito tempo. Até que chegue outra fragrância mais fortee nos embalsame em sua essência."

"O que o amor conecta nada consegue separar. O sentimento vira matéria, apesar da distância, e só se materializa quando há interação. É simples, é outro modelo de interpretação da realidade. Como um reencontro de vidas passadas."


Espero que tenham gostado da resenha pessoal! Comentem o que acharam.
Beijos
comentários(0)comente



21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2