Os Mistérios da Coroa

Os Mistérios da Coroa Nancy Bilyeau




Resenhas - Os Mistérios da Coroa


19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


naniedias 14/09/2012

Os Mistérios da Coroa, de Nancy Bilyeau
Joanna Stafford nasceu numa família rica - uma família nobre -, mas era uma época bastante turbulenta: o reinado de Henrique VIII Tudor.
A família Stafford perdeu todo o prestígio que tinha e Joanna se tornou uma noviça dominicana no priorado de Dartford.

Quando ouve que uma prima, de quem foi muito próxima durante a infância, seria queimada por alta traição ao rei (por ter defendido o catolicismo fervorosamente), Joanna desrespeita a lei de clausura do priorado e vai até o local onde a prima seria executada.

Nesse momento, as coisas começam a dar errado e ela vai presa, passando por momentos difíceis. A noviça se vê em perigo e envolvida com um homem poderoso: o bispo de Winchester. Para poder sair da prisão e manter vivo seu estimado pai, ela terá que voltar ao priorado e procurar por uma misteriosa coroa.

Qual seria o verdadeiro poder dessa coroa? Ela estaria realmente escondida em Dartford? O que o bispo Winchester faria quando tivesse a coroa em seu poder?


O que eu achei do livro:
Vou começar essa resenha com um aviso muito importante: não leia a sinopse oficial do livro ou estará correndo risco de pegar spoilers.
Não é a primeira vez que um livro da editora Arqueiro trás uma sinopse tão reveladora assim. Aliás, acho que já estou até me acostumando - não leio sinopses dos livros da Arqueiro além do primeiro parágrafo porque gosto de surpresas em minhas leituras.

Os Mistérios da Coroa é o romance de estreia de Nancy Bilyeau e a autora tem um futuro bastante promissor! Se a informação não estivesse escrita na orelha do livro, não acharia que esse livro se trata de uma estreia - tão bem escrito e envolvente que é!
A escrita de Nancy é muito boa, sedutora e dinâmica, mas sem deixar de ser bastante detalhista. Romances históricos sempre pedem uma descrição mais minuciosa - além de citação de fatos históricos. A autora conseguiu fazer isso de forma fabulosa - em momento algum o livro fica entediante ou lento.

Acho que não serei a primeira a comparar a autora com Dan Brown - é um livro policial com envolvimento de artefatos religiosos. O inesperado seria não compará-la com o famoso escritor, mesmo que os livros dele sejam contemporâneos e ela tenha escrito um histórico.
O problema de Dan Bown no meu ponto de vista é que ele recria a mesma história - é a mesma base com uma maquiagem diferente - em praticamente todos os seus livros. Eles são bons, divertidos, mas infelizmente iguais demais. Espero que Nancy não faça isso - porque a história dela é fantástica e eu adoraria ler mais livros da autora.

Uma coisa maravilhosa em históricos é a curiosidade que a narrativa desperta. Eu desafio os leitores a não procurarem saber nada sobre Henrique VIII, suas seis mulheres e os Tudors de maneira geral. Acho que isso beira o impossível.
Para mim foi imperativo fazer uma pesquisa mais detalhada sobre esse famoso monarca, seus predecessores e sucessores diretos. Principalmente pela notoriedade de Elizabeth I - filha de Henrique VIII e a mais famosa das rainhas da Inglaterra.
Nunca havia estudado esse período e foi realmente uma delícia aprender um pouco mais sobre a família Tudor - tão importante para a história. Não que eu aprove as loucuras cometidas por Henrique VIII para obter um herdeiro ao trono ou, melhor dizendo, para obter aprovação para suas esposas, mas é muito interessante conhecê-las.
Todo o fundo histórico para o livro foi muito bem pesquisado e belamente retratado. O período de transformação da Ingletarra - quando o rei Henrique VIII rompeu com Roma para poder se divorciar de sua primeira esposa e em seguida começou a perseguir católicos - é muito bem mostrado durante a trama.
Claramente vê-se o árduo trabalho da autora em costurar sua história fictícia à história real do Reino Unido de meados do século XVI (quando ainda nem era o Reino Unido).

Joanna, a protagonista da história, é uma noviça, mas nem de longe é uma mulher submissa. Ela é forte, determinada, muito inteligente e não tem medo de assumir riscos em prol do que acha certo. Eu realmente gostei muito dela e mais ainda de acompanhar suas aventuras em busca da coroa. Joanna é uma detetive bastante diferente do usual. Ponto positivo para o livro que a autora a utilizou para ir buscando as informações em conjunto com o leitor, ou seja, ela está tão no escuro quanto nós e o que havia ouvido falar da tal coroa antes é praticamente nulo - vamos descobrindo tudo aos poucos.
Joanna é inteligente, mas ainda é uma mulher do século XVI e, como tal, não pensa exatamente como nós pensamos. E eu achei simplesmente perfeito ver isso no livro - a clareza com que a autora a caracteriza como uma noviça e como uma pessoa do século em que vive.

A autora foi feliz não apenas na construção de sua protagonista, mas de todos os personagens que aparecem na trama. Todos são muito bem caracterizados e seu envolvimento na história é muito bem delineado. Gosto quando os personagens parecem verdadeiramente envolvidos no enredo e não apenas utilizados em momentos propícios. Você pode, facilmente, como eu se encantar pelo irmão Edmund - mesmo ele sendo um frade.

O final do livro mostra a resolução de todos os mistérios (que vão sendo solucionados ao longo da trama), mas ainda deixa algumas perguntas em aberto e, principalmente, deixa em aberto o futuro dos personagens. Ok, não ficou ruim, eu gostei muito do final. Mas confesso que gostaria de uma finalização diferente para Joanna e também para o irmão Edmund (embora talvez não tão distante do que a autora mostrou na conclusão de sua história - quem ler provavelmente entenderá do que estou falando - e eu que eu gostaria pode até ter acontecido em um futuro não narrado, gosto de pensar assim).

Os Mistérios da Coroa é um livro delicioso - para ser lido, devorado e apreciado sem moderação! E, leitor, não se contente em ler o livro - pesquise mais sobre a época: certamente irá enriquecer a leitura e aprender coisas muito interessantes (clique aqui e acesse um site excelente - em inglês - sobre a dinastia Tudor - http://www.tudorhistory.org/).


Nota: 10
Dificuldade de Leitura: 7


Leia mais em www.naniesworld.com
Alynne 18/09/2012minha estante
Se vc curtiu esse livro e a história dos Tudors, procure uma autora (gosto muito e talvez vc já conheça): Philippa Gregory. Gostei muito da sua resenha e me interessei pelo livro. Com certeza irei lê-lo.


naniedias 19/09/2012minha estante
Alynne, eu já vi os livros da Philippa Gregory e sempre tive vontade de lê-los. Depois de ler O Mistério da Coroa eu fiquei ainda mais instigada a conhecê-los!
Obrigada MESMO pela indicação =D


Luly 20/09/2012minha estante
Além da Philippa Gregory, se vocês gostam do período medieval da Inglaterra (antes dos Tudor), eu indico a Saga Plantageneta, da escritora Jean Plaidy. A saga é composta por 14 livros, mas está sendo relançada aos poucos pela Editora Record no formato bolso. Até agora foram relançados os 8 primeiros livros e o 9° é p/ sair em outubro. Por serem edições de bolso, custam só R$ 19,90, a linguagem é fácil e a Jean Plaidy é bem detalhista, embora cuidadosa com os fatos de maior violência. Eu sou apaixonada por esta saga e pela história da Inglaterra e recomendo se vocês também tiverem interesse!


naniedias 21/09/2012minha estante
Luciana, dessa eu nunca tinha ouvido falar O.o Vou procurar aqui no Skoob e depois, com certeza, vou tentar adquirir - porque eu AMO históricos!
Muito obrigada pela recomendação :)




Claire Scorzi 25/07/2013

Romance híbrido de respeito
Uma ótima surpresa, Os Mistérios da Coroa conseguiu: contar uma história ambientada no séc. XVI tendo como heroína uma noviça sem evitar as passagens 'religiosas' do dia a dia da protagonista e sem tratar com descaso essas passagens; criar uma heroína cujo centro de vida, cujo interesse maior, está em algo além de um homem; mesclar sentimento religioso, suspense, ironia, análise psicológica, romance histórico num todo coeso, equilibrado.
A trama é muito boa, os caracteres bem desenvolvidos, em especial a protagonista, e o romance até poderia terminar onde termina - mas eu já soube que tem uma sequência. Uma ficção que faz frequentes referências à fé cristã sem doutrinação e sem desrespeito. Proeza.
Os únicos senões estão em uma ou duas gírias que aparecem ao longo do texto - se erro da autora ou da tradutora, ignoro.
Silvia 17/03/2014minha estante
Estou lendo e gostando muito...


Elaine Cris 13/05/2014minha estante
Oi, Claire Scorzi...

Estou lendo e gostaria de saber se vc fez video desse livro. Estou completamente envolvida por romances históricos.


Aninha 19/02/2016minha estante
Eu li i livro em 1 dia e fiquei fascinada. Se tiver a continuação eu vou querer pq quero saber o desfecho, pois aquele final me deixou com um gostinho de quero mais


LER ETERNO PRAZER 06/07/2018minha estante
Boa noite Claire Scorzi!
Já há um tempinho estou com esse livro em minha estante para ler e sempre adiava sua leitura! Comecei a fazer uma pequena pesquisa aqui no Skoob e me deparei com o seu comentaria, uma grata surpresa, pois, tenho um enorme respeito por seus comentários e criticas a respeito de obras literárias. Vendo que você classificou com 4 estrelas "Os mistérios da coroa", com certeza não irei me arrepender da leitura! Obrigado Claire Scorzi.




Saleitura 13/11/2012

Os Mistérios da Coroa por Marcelo Daltro
Na Inglaterra dos anos 1530, os dissidentes religiosos e os condenados por traição eram brutalmente torturados e executados. Quis o destino que Lady Margaret Bulmer tivesse o mesmo fim. Uma das líderes das rebeliões do norte do país contra o rompimento do rei Henrique VIII com a Igreja Católica, a nobre foi queimada em praça pública.

Ao saber que sua prima enfrentaria a morte na fogueira, a noviça Joanna Stafford desafia a rígida regra da clausura e foge do Priorado de Dartford para assistir à execução e reivindicar o corpo, a fim de lhe dar um enterro digno.
Para sua surpresa, Joanna reencontra o pai, que tinha ido até lá no intuito de ver Margaret. Mas pai e filha são acusados de interferir na justiça do rei e acabam presos e levados à Torre de Londres, local notório por seus episódios sangrentos.

Após dois meses sendo interrogada, a noviça recebe a visita do bispo de Winchester, que a chantageia. Para salvar o pai, ela aceita ser sua espiã e procurar no priorado por uma antiga relíquia – a poderosa coroa de um rei saxão.

Em meio à dissolução dos mosteiros ordenada pelo rei, a busca de Joanna se transforma numa perigosa jornada, que leva a jovem a se questionar até onde estaria disposta a ir para defender os antigos costumes que tanto valoriza e que dão sentido à sua vida.

Eu sempre gosto de iniciar uma resenha colocando o resumo que a editora utiliza como divulgação, mas às vezes o resumo conta quase toda a história do livro, como é o caso deste. Ficamos com a mesma sensação de assistir a um trailer, que conta tudo sobre o filme. E ao assistirmos ao filme, podemos perceber que contaram (ou mostraram) as melhores cenas no trailer. E ficará ao cargo do leitor descobrir se isto foi ou não realizado. Entretanto a base de uma resenha é a análise crítica do leitor / resenhista, E como diz a música dos Ramones: Hey ho, let’s go!

Ao ler o resumo, o leitor poderá se sentir atraído pelo tema, mas ficará sempre com aquela pergunta na mente, será que o livro é bom? Bem, se você gosta de romance que utiliza fontes históricas, tramas conspiratórias, relíquias sagradas e mistérios eclesiásticos, com um clima de O Nome da Rosa de Umberto Ecco e A Conspiração Franciscana de John Sack, com certeza você irá gostar! Senão, mesmo assim poderá dar uma chance a Nancy Bilyeau, em seu livro de estréia, que não irá se decepcionar.

Joanna é uma personagem intrigante e enquanto vamos lendo suas desventuras e descobertas, vamos aos poucos nos envolvendo na teia de intrigas que ela se encontra, e torcendo pela personagem que possui todas as qualidades de uma heroína romântica moderna. O que não compromete a fidelidade histórica, já que entre as poucas mulheres do período que poderiam ter acesso à educação, encontravam-se na nobreza e no clero, e Joanna pertence às duas.

A linguagem do livro é bem acessível e não torna a leitura um texto acadêmico como algumas obras com a mesma temática. Apesar de Henrique VIII ser um personagem emblemático na história mundial, o seu período pode não ser de total conhecimento do leitor, e uma pesquisada no período, não é algo obrigatório para o entendimento do livro, mas ressalta a qualidade da pesquisa histórica do período feita pela autora.

No fim, são revelados os mistérios principais e algumas surpresas são apresentadas que explicam a atitude de certos personagens, o que fornece uma coesão no texto.
Um bom livro, mesmo com o trailer mostrando as principais cenas você ainda pode surpreender-se com o final.

Link postagem na Saleta de Leitura

comentários(0)comente



Lu 16/05/2014

Fascinante!
Eu descobri este 'Mistérios da Coroa" quase que por acaso, passeando preguiçosamente por entre as prateleiras de uma livraria. Por causa das Crônicas de Gelo e Fogo, ando numa fase de querer ler histórias sobre intrigas palacianas, jogos de poder e uma trama bem elaborada. E foi exatamente isso o que eu encontrei aqui.

Que linda esta estreia de Nancy Bilyeau na Literatura! Foi uma leitura que me capturou desde as primeiras páginas. A narrativa é suave, mas detalhada o bastante para que o leitor visualize a Inglaterra governada por Henrique VIII. Mas o grande destaque é, sem dúvida, a irmã Joanna.

Se tivesse nascido cerca de 300 anos depois, Joanna teria gostado de conhecer Jane Eyre, pois ambas tem o mesmo tipo de força gentil. A mesma alma rebelde e impetuosa. É sensacional acompanhar esse processo com a protagonista. Ver seu idealismo, a maneira como luta pelas pessoas que ama e por seu estilo de vida. Personagens assim geralmente são destinados à grandeza ( a não ser que seja um personagem criado pelo George R.R. Martin, é claro). Tenho orgulho de considerá-la uma personagem favorita!

Eu confesso que estava com um pouco com o pé atrás quanto à parte religiosa. Achei que o livro poderia se tornar maçante. Mas este medo se mostrou infundado, porque ele se insere no contexto dos personagens e da época. E há passagens muito bonitas.

Quanto à trama, confesso que consegui desvendar um dos mistérios, mas isso não prejudicou, para mim, o resultado final. Achei a trama bastante inteligente, com boas reviravoltas e surpresas. E, sim, um livro bastante triste.

Foi realmente uma surpresa maravilhosa. Parece que ele é o primeiro de uma trilogia e, sinceramente, mal posso esperar para ver que outras cartas a Nancy tem na manga.

Super recomendado!
comentários(0)comente



Swan 26/12/2012

http://bempramente.blogspot.com.br/2012/12/resenha-bpm-os-misterios-da-coroa-nancy.html
Minha opinião? Uma leitura que começou um tanto quanto morna, mas que acabou mostrando-se bastante cativante e surpreendente. Cheia de intrincados mistérios e nebulosos segredos, a narrativa em primeira pessoa nos permite viajar pela Inglaterra com a irmã Joanna, conhecendo desde luxuosos castelos e sublimes centros religiosos até subúrbios, prisões e cômodos secretos em busca da misteriosa relíquia sagrada.
Realmente gostei da protagonista, uma mulher inteligente, forte e determinada que, apesar de sua origem nobre, não se deixa envaidecer e resigna-se com as dificuldades do estilo de vida que escolheu para si.
Ao todo, são 52 capítulos, distribuídos em 4 partes, com diagramação simples, parágrafos e letra num tamanho ideal, em páginas amarelas. A capa é bem chamativa e desperta a curiosidade. Não lembro ter encontrado erros. A linguagem é simples e direta proporcionando uma leitura fluida e rápida. Super recomendo!
comentários(0)comente



Carissinha 15/05/2013

No século XVI Joanna Staford – uma jovem que família nobre que perdeu todo o prestígio – é uma noviça que depois de sair do seu convento para assistir a execução de sua prima Margareth, se vê envolvida em uma trama cheia de conspirações, traições e mentiras, tudo para achar uma relíquia sagrada que poderia mudar o rumo da história da Inglaterra.

Este é o livro de estréia de Nancy Bilyeau, e ela começou muito bem. A história começa morna, mas depois de alguns capítulos o livro fica viciante. Você fica preso, tentando descobrir quem está sendo sincero, quem está do lado da nossa protagonista, quem irá ajudá-la, ou não.

Como a narração é em primeira pessoa, nós temos a perspectiva da história através da visão de Joana, então as informações vão sendo dadas com o tempo.

A parte histórica do livro também é muito interessante. Não conhecia a situação das igrejas católicas na época que se passa o livro, nem como o rei lidou com a situação. Conheço um pouco a história dos Bolena e o que aconteceu depois; além disso, não muito.

É um livro muito interessante, bem escrito e que prende o leitor. Pelo menos minha atenção ficou presa à história. Os personagens são bem construídos, interessantes e com variadas nuances.

O final me deixou curiosa, alguns pontos ficam em aberto. Isso significa que mais uma série entra para a minha lista, porque terá uma sequência lançada agora em 2013. Espero que a arqueiro lance logo.

Mais resenhas em http://www.carissavieira.com

comentários(0)comente



Ivan Leite 28/07/2020

Os Mistérios da Coroa Nancy Bilyeau
Estive na Inglaterra no século XVI e vivi monumentos turbulentos. Entre os conflitos de Henrique VIII com o Vaticano, acompanhei Joanna Stafford, que armada com determinação e coragem confronta os traumas do próprio passado enquanto tenta concluir sua missão...
Foi preciso ter coragem para acompanhar Joanna.

Boa viagem... boa leitura...
@biblioteca.giratoria
comentários(0)comente



Ana Luiza 07/12/2012

Resenha do blog Mademoiselle Love Books - http://mademoisellelovebooks.blogspot.com.br
Em 1527, Henrique VIII pediu ao Papa a anulação de seu casamento com Catarina de Aragão, viúva de seu irmão Arthur. A Rainha não conseguia dar luz a filhos homens, o que somado a paixão do rei por Ana Bolena, dama-de-honra da Rainha Catarina, fez com que o divórcio fosse desejado. Entretanto, o Papa recusou o pedido porque temia a ira do sobrinho de Catarina, Carlos V, Imperador do Sacro Império Romano-Germânico.
Não satisfeito com a negação do Papa, Henrique VIII, aliado ao Primeiro-Ministro da época, Thomas Cromwell, deu continuidade a uma série de eventos que mais tarde ficariam conhecidos como a Reforma Inglesa ou Reforma anglicana. A reforma não foi causada por Henrique VIII, mas seu envolvimento foi decisivo para o movimento.

“Muitas vidas tinham sido destruídas pela busca de poder absoluto do rei: poder sobre suas esposas, sobre o seu povo, tantos nobres quanto plebeus, e agora sobre a Igreja. (...) A fila de mártires de Henrique VIII era bem comprida.” (Pág. 268)

Henrique rompeu com a autoridade do Papa e a Igreja Católica Romana e se nomeou Chefe Supremo da Igreja da Inglaterra, onde todos os participantes deviam ser fieis a autoridade dele e não de Roma. Com o rompimento, o rei conseguiu o divórcio e casou-se com Ana Bolena.
Mas a reforma teve consequências e inimigos. Monastérios foram fechados e saqueados, a população teve que abandonar parte de suas antigas crenças e se declarar fiel ao rei e não ao papa. Entretanto, muitas pessoas não desistiram sem lutar e, no universo de Os Mistérios da Coroa, uma delas foi Lady Margareth Bulmer, uma prima querida da noviça dominicana Joanna Stafford.

“- É a coroa ou a cruz – disse Geoffrey Scovill, com a voz baixa (...).
- Como disse?
- Todos nós temos de escolher o que vem primeiro, a quem devemos nossa maior lealdade – disse ele. – Os rebeldes do norte escolheram a cruz. (...) A senhorita viu como isso termina.” (Pág. 33)

Ao saber que sua prima seria queimada por “alta traição”, Joanna foge em segredo priorado onde vive com a missão de dar um enterro digno ao corpo de Margareth. Entretanto, na hora da execução, o pai de Joanna aparece e causa grande confusão, o que gera a prisão dos dois.
Joanna não vê mais o pai quando é encaminhada para a Torre de Londres, local onde permanece presa por mais alguns meses antes de receber a visita do bispo de Winchester. O bispo, após interrogar Joanna, dá uma perigosa missão a garota: ela teria que encontrar uma coroa antiga e dona de poderes misteriosos, ou seu pai sofreria as consequências.
Sem escolha, Joanna volta ao priorado onde vivia, lugar onde, supostamente, a coroa estaria escondida. Entretanto, a busca se mostra tão difícil quanto a garota imaginava. Sem qualquer pista sobre onde estaria a coroa, ou qual o seu poder, Joanna começa a maior aventura de sua vida que colocará em risco não só a vida de seu pai e a sua, mas também o trono da Inglaterra, já que a garota não é a única que está a procura da coroa.

“ Tudo me parecia irreal. Eu sabia que nosso priorado era baseado em regras (...). E as casas religiosas dependiam de estrita obediência a essas regras. Mas nós vivíamos em uma época em que seguir as regras não seria capaz de nos salvar da destruição.” (Pág. 228/229)

“Os Mistérios da Coroa” é um romance envolvente e fácil de ler. A mistura de fatos reais com a trama fictícia foi tão bem feita que não foi difícil imaginar a história do livro como uma história real. Billyeau soube construir uma trama coerente, além de envolvente, o livro me conquistou do inicio ao fim. A narração em primeira pessoa ficou perfeita, além de leve, ela fluiu com naturalidade.
Os personagens são tão envolventes quanto a trama, me vi torcendo pelos mocinhos diversas vezes. Joanna é uma protagonista cativante. Sua personalidade perspicaz e sua coragem e fé encantam o leitor e nem de longe lembra aquelas mocinhas bobinhas (mas que adoramos) de outros romances históricos. Determinada e inteligente, ela faz de tudo pela família. Entretanto, a autora também nos mostrou um lado mais real da personagem. Suas dúvidas quanto as suas próprias crenças e desejos são válidas, mas de maneira alguma a personagem se corrompe ou abandona aquilo que acredita, o que me fez gostar mais ainda dela.
A editora fez um trabalho incrível com “Os Mistérios da Coroa”. Não encontrei nenhum erro, tanto a tradução e a diagramação estão boas. As folhas amareladas e o tamanho e fonte das letras deixaram o livro confortável de ler. A capa é simplesmente divina e combina perfeitamente com a história.
“Os Mistérios da Coroa” é um romance histórico de primeira que recomendo para aqueles que, como eu, não perdem a oportunidade de ler o gênero. Ao ler esse livro, não pude deixar de me lembrar de “Anjos Das Sombras” (Karleen Koen), um romance histórico que, como “Os Mistérios da Coroa”, é cercado de mistérios e conflitos políticos que são desvendados por uma protagonista corajosa e inteligente.

“Ouvi dizer que as pessoas de fora acreditam que fizemos votos porque destemamos os homens e temos medo de ter filhos. Gostaria que fosse possível fazer os outros entenderem. Torna-se freira não tem nada a ver com medo ou com ódio. É justamente o contrário. Pensei nas palavras de Santa Catarina de Siena: “Tudo vem do amor”. Amor a Deus, amor ao próximo e devoção aos que nos precedem.” (Pág. 149)

Autora da resenha: La Mademoiselle

Resenha do blog Mademoiselle Love Books - http://mademoisellelovebooks.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Samantha @degraudeletras 29/09/2012

Samantha M. - Word in my bag - http://wordinmybag.blogspot.com
Um suspense arrebatador!
Rico em detalhes caprichados que relatam bem a época em que se passou a estória, revelando a incrível habilidade da autora mesmo em seu livro de estréia. Ao longo das páginas o leitor pode se deleitar em uma narrativa dinâmica, envolvente e recheado de informações históricas sobre a Inglaterra do século XVI.


Bem divertido a visão dos fatos históricos como se estivessem sendo vividos concomitantemente à vida de uma freira que na tentativa de dar uma vida digna ao pai, é obrigada a entrar numa série de pesquisas e investigações sobre o passado daquilo que nunca havia despertado interesse nela, a política e suas cenas históricas. Impossível não ler Os Mistérios da Coroa e não lembrar daquelas aulas de história e tentar colocar todo o seu conhecimento sobre o assunto em check durante a leitura...e ainda mais, certas curiosidades a respeito da época até instigam o leitor a se interessar ainda mais por essas presepadas do reino inglês.

Com personagens bem marcantes, Nancy nos envolve num emaranhado histórico tão perfeito que faz o leitor se perguntar se a protagonista existiu realmente. Podemos notar nessa obra a cultura da época sendo retratada com fidedignidade, enriquecendo, assim, a obra. As pessoas que não têm costume de ler livros que façam uso de termos temporais, sentirá um pouco de dificuldade na leitura desse livro, mas nada monstruoso.


Já vi algumas pessoas comparando a escrita da autora com Dan Brown, mas não vejo muita semelhança entre os dois. Os únicos pontos em comum são a escrita envolvente e o fato de ambos tratar de assuntos históricos; mas, diferem-se por um ponto crucial, a obra de Nancy vive naquele período, enquanto que Dan recria todos esses fatos históricos para dar suporte aos seus suspenses contemporâneos.


O livro Os Mistérios Da Coroa está mais do que indicado para os apaixonados por romances históricos.
comentários(0)comente



Fabiane Ribeiro 23/10/2012

Resenha - Os Mistérios da Coroa
Os Mistérios da Coroa, da estreante Nancy Bilyeau, está claramente entre os melhores livros que já li. Assumidamente apaixonada por romances históricos, confesso que a qualidade dessa narrativa me surpreendeu em vários momentos.
O livro já começa forte, com a protagonista, Joanna Stafford, fugindo do priorado onde vive como noviça para assistir à morte de sua querida prima Margaret, condenada à fogueira por participar de rebeliões no norte contra o rei.
Desde o triste e envolvente início com a execução de Margaret até as linhas finais, o romance aborda de forma consistente as divergências entre a coroa e a igreja, existentes na época (por volta de 1530), e os temores daqueles que se voltavam contra o rei, arriscando suas vidas em nome da fé. De forma menos acentuada temos também a exploração das Cruzadas e do Protestantismo, que ilustram o retrato da época (muito bem construída por Bilyeau).
A autora também acerta ao retratar a vida de Joanna no priorado e no suspense gerado quando uma morte acontece no mesmo. Esse ponto torna-se fundamental para a narrativa, não apenas por gerar um suspense sobre como alguém cometeria um crime dentro de um priorado fechado, mas também pelo medo que as irmãs passam a enfrentar de terem sua casa religiosa fechada pelo rei, que já não precisava de muitas desculpas para esse ciclo que vinha realizando por todo o país.
Com suspense, aventura e fé, a narrativa é conduzida de forma linda, poética e viciante ao longo das páginas.
Após assistir à morte da prima, Joanna é presa na Torre de Londres e, dentre maus momentos vividos no local, é chantageada pelo Bispo de Winchester a voltar ao seu priorado em busca de uma relíquia sagrada: a coroa de Athelstane.

“– Irmã Joanna, você nunca ouviu falar nada sobre o que existe em Dartford e tem grande valor, algo que foi confiado ao priorado na época de sua fundação por Eduardo III?” (Pág. 94).

Falando em Eduardo III, não apenas ele, mas vários monarcas e nomes históricos são retratados no romance, fazendo parte fundamental da narrativa que envolve a coroa de Athelstane desde seus primórdios – com direito a muitas surpresas!

“– A coroa de Athelstane é mais importante do que o lugar que ocupa na história – disse ele por fim. – Lembre-se do que disse Catarina de Aragão.
– ‘A lenda é verdade’ – sussurrei. – Quer dizer que existe uma lenda relacionada à coroa?
O semblante do bispo empalideceu.
– Sim. E uma profecia também. Uma profecia de grande recompensa, mas não sem um grande risco. É ao mesmo tempo uma bênção e uma maldição. A coroa, irmã Joanna, tem um poder que nunca foi liberado, pois, se fosse, mudaria a vida de todos os homens, mulheres e crianças da Inglaterra... e mais além.
Fiquei arrepiada de medo” (Pág. 107).

Assim que Joanna volta ao priorado para buscar a coroa, outros personagens ganham destaque na narrativa, trazendo ainda profundidade e mistério à trama.
Comparações com Dan Brown são inegáveis, sobretudo com seu maior sucesso, O Código Da Vinci. Entretanto, apesar da semelhança em alguns pontos do tema abordado, a forma de narrativa, o desenrolar da trama e as escolhas feita pelos autores de como trabalhar o mistério são completamente diferentes, além dos personagens, cenários e outros aspectos.
Os Mistérios da Coroa é um livro impecável em muitos quesitos, mas é indicado principalmente para quem gosta de romances históricos, visto que o principal fator do romance está justamente em trabalhar a História, moldando-a à fictícia vida de Joanna Stafford, e trazendo resultados impressionantes para a trama, que, de audaciosa, prova-se competente e grandiosa.

“Ao me aproximar do círculo externo de pedras, eu estava tremendo. Tive a convicção de que tudo o que jamais fizera na vida, todas as decisões, cada palavra que eu pronunciara haviam me conduzido àquela colina, naquela manhã. Alguns monges e frades começaram a rodear as pedras. De joelhos, alguns rezavam; outros, em pé no meio do círculo, tinham as mãos espalmadas erguidas para o céu. Vi irmão Edmund girar sobre o próprio eixo, devagar, examinando as rochas” (Pág. 297).
comentários(0)comente



Renata 10/10/2012



Minha Opinião

Joanna Stafford é uma jovem de família nobre que se tornou uma noviça dominicana que vive em clausura no priorado de Dartford, ao saber da condenação de sua prima Lady Margaret, que foi acusada de alta traição á coroa e de ser uma das líderes das rebeliões contra o rompimento do Rei com a igreja católica, Joanna foge do claustro para poder acompanhar a morte de sua prima que foi condenada à fogueira, rompendo assim o compromisso de se manter reclusa, porém com o intuito de dar um enterro digno ao corpo queimado de sua parenta.

Mas algumas coisas acontecem e no meio da multidão que acompanha a execução de Lady Margaret Joanna encontra o seu pai que tenta aliviar o sofrimento da condenada e é apanhado pelos guardas assim como Joanna que também são levadas para o castelo sob a acusação de interferirem na execução de um traidor! Eles são separados e alguns meses depois Joana é interroga pelo bispo de Winchester o qual lhe oferece a oportunidade de voltar o sei priorado contanto que Joanna aceite espionar as freiras a fim de descobrir onde se encontra um misterioso tesouro que segundo ele pode ser tanto uma bênção quanto uma maldição!
A noviça retorna então ao sei priorado acompanhado dois freis que são designados pelo Bispo para acompanhá-la. Só que quando Joanna retorna, muita coisa está mudada e outras muito estranhas começam a acontecer!

O livro é divido em quatro partes, e tem uma carga histórica bem interessante. Os primeiros capítulos são um pouco maçantes até porque são apresentados vários personagens, muitos nomes, as coisas acontecem bem lentamente, mas no momento da volta de Joanna para o priorado tudo começa a fluir de uma forma bem interessante e envolvente de forma que prende a nossa atenção!

Existem muitos personagens secundários na história e que tem papéis bem importantes para o desenvolvimento da trama que traz muitas cenas chocantes e detalhes sobre as formas de tortura dos traidores e as execuções! O contexto histórico é um dos pontos fortes do livro gosto muito de livros que tratam de fatos históricos juntamente com a ficção, è o caso de Os Mistérios da Coroa!

A linguagem utilizada pela Nacny no livro é bem atual, nada de rebuscado ou complicado, alguns termos usados eu tive que buscar o significado por que realmente eu não sabia e até procurei algumas imagens para me familiarizar melhor com a história, vão aí dois exemplos:
Catre, a cama do priorado.
Vihuela, instrumento tocado por Irma Joanna em umas das passagens do livro.
O livro é muito bem indicado para quem gosta de fatos históricos com ficção, mistérios, sem muito romance e com uma leve pitada de comédia! O romance até está presente, mas de uma forma bem sutil e por vezes até velada, por se tratarem em sua maioria de freiras e freis, aparece mais nos personagens secundários da história, mas muito superficialmente!

Gostei bastante do livro e por se tratar de um livro de estréia da autora acho que ela se saiu muito bem, foi muito ousada, mas no meu ponto de vista atingiu o objetivo.Uma impressão que tive enquanto lia o livro é que ele seria um ótimo filme! Confesso me surpreendeu o final da história, mas gostei do mesmo jeito!!!

"Tornar-se freira nada tem a ver com medo ou com ódio. é justamente o contrário. Pensei nas famosas palavras de Santa Catarina de Siena:"tudo vem do amor". Amor a Deus, amor ao próximo e devoção aos que nos precederam." (p. 149).

Beijos ♥♥♥

Read more at http://redequinha.blogspot.com.br/2012/10/resenha-os-misterios-da-coroa-nancy.html#TciuFTKfz0homAuL.99
comentários(0)comente



Milla 18/12/2012

www.amorporclassico.com
Os mistérios da Coroa é o livro de estreia da autora norte americana Nancy Bilyeau, ambientado no século XVI, época em que Henrique VIII, segundo monarca da dinastia Tudor reinava a Inglaterra e sua nova igreja, a Anglicana, originada no rompimento com a igreja Católica, vinha para abalar estruturas sociais e morais.

É neste contexto que conhecemos Joanna Stafford, uma jovem noviça dominicana pertencente a uma família que já foi importante na nobreza, quando ela recebe a notícia que sua prima considerada como uma irmã está prestes a ser executada em público acusada de alta traição. E ela decide desrespeitar a clausura e partir para Londres a fim de assistir a acusação.
No momento em que sua prima está sendo executada, ela topa com seu pai e no meio de uma confusão, ambos são levados para a Torre de Londres e separados. Depois de ser insistentemente interrogada, Joanna consegue permissão para voltar ao seu priorado com a condição de encontrar uma relíquia sagrada supostamente lá escondida para o Bispo Gardiner, um homem traiçoeiro mas que garante estar disposto a impedir o fechamento de mais monastérios.


Confesso que o livro começou num ritmo lento e até determinado momento foi bem difícil compreender qual seria o foco principal da trama. Com o avançar da leitura, vi que Nancy Bilyeau foi bem em seu primeiro livro.

A autora transmite com muita segurança toda a situação político-religiosa da Inglaterra no século XVI e sobre a vida tensa nos monastérios prestes a serem fechados por Cromwell e sua equipe de nobres hereges.

Tramas paralelas são inseridas para aumentar o mistério acerca de uma relíquia sagrada que é capaz de gerar poder ou destruição dependendo das mãos que a tocam. Os personagens foram bem elaborados e é impossível não torcer pela Joanna ou não se contagiar com sua fé.
Todo enredo está envolto numa nebulosa busca por um objeto que ninguém sabe o que é, de onde veio e onde está guardado e estranhamente tudo parece estar conspirando contra a noviça. Ela não sabe quem são seus aliados ou em quem pode confiar. Paralelamente, ela precisa dedicar-se a sua vida religiosa, já que a mais nova prioresa não está nada feliz com seu comportamento.

As pesquisas que Joanna faz são inseridas de uma forma quase imperceptível, deixando o livro mais informativo sem ser cansativo. E é claro que eu fui conferir o que foi real e o que é invenção e esse é mais um tipo "aula de história", que são os livros que você aprende sem perceber.

Mas, chegando no final, eu senti falta de umas coisinhas e procurando mais informações descobri que esta é uma série. E o segundo tem previsão de lançamento para 2013. Agora é só aguardar!
comentários(0)comente



Juliana 27/12/2012

Recomendo!
Adorei este livro, a Nancy escreve muito bem, criou uma atmosfera de tensão do começo ao fim do livro, alem dos fatos históricos muito bem trabalhados. Definitivamente recomendo!"
comentários(0)comente



Blog Vida de Le 13/01/2013

O livro se passa em 1537, período em que o rei inglês, Henrique VIII, iniciara a Reforma Protestante na Inglaterra, nomeando-se autoridade absoluta tanto de ordem política quanto de ordem religiosa e tirando completamente a força, riqueza e influência da Igreja Católica no país. Além disso algumas abadias estavam sendo fechadas e os religiosos que lá viviam foram expulsos. É nesse cenário que conheceremos a jovem noviça Joanna Stafford, filha de uma importante família da nobreza inglesa cujo poder havia sido tomado anos atrás por terem ligação com a primeira mulher de Henrique VIII, a rainha Catarina de Aragão.

A história começa com Joanna fugindo do Priorado de Dartford, onde vivia, para assistir a execução de sua prima, Margaret Bulmer, acusada de alta traição contra a coroa. Joanna pretendia dar um pouco de alento a sua prima que sofreria uma morte horrível na fogueira, mas ela não contava com a presença de seu pai na praça de execução e nem com a confusão que se seguiu fazendo com que os dois fossem presos e levados para Torre de Londres. Após meses encarcerada e sabendo que seu pai estava sendo torturado na prisão, Joanna não tem escolha a não ser aceitar a proposta da bispo de Winchester; ela teria que voltar ao Priorado de Dartford, e, em segredo, procuraria por uma antiga coroa que pertencera a um dos primeiros reis britânicos e que muitos acreditavam ter algum tipo de poder. Joanna volta ao Priorado acompanhada de dois monges e uma vez lá se verá envolvida em vários mistérios que cercam tanto a história da coroa como a de muitos dos habitantes de Dartford.

Eu demorei um pouco para finalizar esse livro, não porque a história não fosse boa, bem pelo contrário, a trama é muito bem amarrada e o embasamento histórico parece estar perfeito fazendo com que realmente nos sentíssemos dentro daquela época histórica. Mas a história demora um pouco para engrenar e o fato de ter muitas informações para explicar o contexto faz com que a leitura precise de certas pausas para assimilar todo esse conteúdo.

A autora não menciona se essa tal coroa e o rei que a possuiu eram reais ou foram criados para a trama, não cheguei a pesquisar sobre isso, mas as informações passadas no livro e as ligações com personalidades históricas posteriores parecem bem convincentes. A noviça Joanna, também é muito rica como personagem, uma mulher inteligente, esperta e que aparenta ser frágil mas que possui uma grande determinação e nobreza interior. Me vi torcendo por ela em todos os momentos do livro e da metade para o final da história não conseguia mais larga-lo querendo saber o final que a autora havia reservado para ela.

O único ponto negativo do livro, para mim, foi a diagramação. Não existe divisão de capítulos e o espaçamento não é dos melhores fazendo com que a leitura aparente não sair do lugar. Não sei se a diagramação original da obra é nesses moldes mas isso me cansou um pouco na leitura. De qualquer forma recomendo muito para aqueles que curtem tramas mais elaboradas, bem escritas e cheias de mistério.
comentários(0)comente



ANA 28/01/2013

COMO ACONTECE EM MUITOS ROMANCES DE SUSPENSE HISTÓRICO, A AUTORA DESTE SE PERDE UM POUCO NOS DETALHES FICTÍCIOS DA ESTÓRIA E ACABA TORNANDO A MESMA UM POUCO ENFADONHA ATÉ A METADE DO ROMANCE. NO ENTANTO, A NARRAÇÃO GANHA FORÇA DEPOIS E NOS PRENDE BASTANTE, FINALIZANDO COM UM DESFECHO BEM SÓLIDO. O INTERESSANTE DA ESTÓRIA É PUDER IMAGINAR COMO AS QUESTÕES DO CASAMENTO DO REI HENRIQUE VIII OCASIONARAM O ROMPIMENTO COM A IGREJA CATÓLICA NO SEU REINADO E COMO ISSO DETERMINOU O FECHAMENTO DE MUITOS PRIORADOS.
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2