Luxúria

Luxúria Eve Berlin




Resenhas - Luxúria


94 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Debs 12/12/2012

Não é bem uma resenha...
O livro tem muito sexo, praticas fracas de sadomasoquismo e pouca ou diria quase nehunma historia.
Penso que a Eve poderia ter explorado mais os personagens, contando mais sobre seus respectivos passados para que pudessemos conhece-los melhor... porém se o objetivo do livro era somente mostrar o sexo selvagem e muito quente dos personagens, então por isso ele ganha 3 estrelas.
Espero que o segundo livro esclareça muitas duvidas e diversas curiosidades que surgiram em minha mente...
comentários(0)comente



Aline 10/12/2012

Não gostei
Eu achei o enredo fraco. Não penso em ler os outros da série... Cansei desse tema BDSM, não acho a dor excitante... Fora que é sempre o mesmo blábláblá... Sexo, sexo, sexo, traumas de infância... Coisa cansativa!
comentários(0)comente



Tass 08/12/2012

Bom, porém repetitivo
A narrativa é boa, porém a autora se repete demais, tornando, por vezes, o livro cansativo. Somente a partir do quarto ou quinto capítulo é que acontece , de fato, alguma ação interessante.
Há também uma espécie de...exagero no romantismo e a autora deixou a desejar no quesito erotismo/sadomasoquismo (proposta do livro).
Novamente, a narrativa é boa, a história dos personagens é bonita e emociona o leitor no final. Entretanto, o gênero do livro se aproxima mais de um romance moderno-adolescente (se comparando, talvez, à saga Crepúsculo - que li e gostei, do que ao gênero erótico)
Indico como um ótimo romance erótico, com fortes traços de sadomasoquismo e com um final surpreendente, o livro A história de O, escrito por Anne Desclos, sob o pseudônimo Pauline Réage. O melhor que já li do gênero ;)
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Shirlei Panzera 26/11/2012

Dylan e Alec
Um casal simpático e muito complicado.
Fiquei o livro inteiro torcendo por eles...
Não gostei que ele a levou ao clube, mesmo depois de sentir algo a mais por ela...achei exposição demais...
Tb achei que ela abriu mão de muitas coisas por ele...
E ele é o cara, sabe como lidar com uma mulher e ela foi muito feliz...

Abraço
comentários(0)comente



Cath´s 26/11/2012

Autor: Eve Berlin.
Editora: Lua de Papel.
Numero de páginas: 256.

O livro começou me encantando, afinal Dylan é uma escritora e Alex também, é um universo que a autora conhece, por isso não da para dizer que não sabia do que falava.
Também não contamos com aquele lenga-lenga para ela descobrir que ele é Dom, afinal ela já sabia e por isso se encontrou com ele, para escrever um livro erótico sobre o assunto.
Alec diz que para ela entender realmente tem que ser na prática e rapidamente (achei rápido de mais) Dylan aceita.
Ao longo do livro você descobre os problemas pessoais de cada um e por isso são dois solitários, mas o positivo é que em nenhum momento a autora culpa os problemas de serem a razão deles gostarem de sado, o que é algo diferente dos outros livros do gênero que parece ter tomado o mundo no momento.
Eu gostei do livro, pois ele parece real, sem muitos enfeites sabe? Cara conhece garota e vice versa e eles querem transa, coisa mais normal e é claro que vai ter romance, afinal é um livro, e são muitas poucas pessoas que consegue separarem as duas coisas num relacionamento que dura tempo e não só algumas horas.
O livro passa bem rápido e é intercalado sexo-problemas deles-sexo-romance deles, é uma leitura fácil, para quem gosta deste gênero.

Classificação: 08/10.

some-fantastic-books.com
comentários(0)comente



Maria Carolina 21/11/2012

Muito Fraco...
Quando vi pela primeira vez a Capa do livro pensei "QUE CAPA LINDA...Quero esse livro", e nem li a sinopse, e comprei na 1º ida a livraria.
Tá eu sei que está na "MODA" esse tipo de leitura, e eu também gosto, mais que LIVRINHO RUIM, pensei em largar ele em vários momentos.
O Começo do livro foi rápido, que eu literalmente fiquei boiando, não entendia a rapidez dos acontecimentos, e o Enredo? To esperando ele até agora, o enredo e bem pobre, eu adoro cenas hots, mais já tava me enjoando essa transa deles, pelo amor o povo não conversa, só faz sexo. Todas as páginas eles transaram, queria que a Autora se aprofundasse mais com as histórias dos personagens.
Olha como diz uma amiga minha, Filme Porno tem mais enredo e historia.
Marcelo 27/11/2012minha estante
Tô achando chato, cansativo. Quase abandonando na metade do livro. Depois que comprei soube isso ai que você falou, que tá na moda. É uma charopada que imaginei que por ser homem seria o motivo de não estar gostando, mas, pelo seu comentário, a história é ruim mesmo.


Maria Carolina 27/11/2012minha estante
E teria tudo para a história ser muito boa




Lidianyab 20/11/2012

Não gostei ... A História é fraca ... Os personagens não convensem ... Odiei :(
comentários(0)comente



Lia 20/11/2012

Mais uma história de amor que acontece sem querer durante um "relacionamento" BDSM. O interessante da história é a abordagem do sadomasoquismo mais aprofundada. A forma como acaba o livro dá a entender a história como encerrada. Não irei ler as continuações, apesar de ter gostado do primeiro.
Marcelo 27/11/2012minha estante
Apertei um "não gostei" sem querer. Me desculpe




vivi 19/11/2012

muito legal no inicio porem começa a ficar obviu e chato no final nem vou ler o segundo e o terceiro.
comentários(0)comente



Zilda Peixoto 18/11/2012

Luxúria
No embalo da febre literária dos últimos meses, a Cachola Literária apresenta mais uma resenha hot para os fãs do gênero. Já declarei diversas vezes que sou fã do gênero e por esse motivo, não perco a oportunidade de adquirir um livrinho hot. Sendo assim, hoje quero compartilhar a minha admiração pelo livro de Eve Berlin. Vamos lá?

Luxúria é o primeiro volume da trilogia erótica de Eve Berlin. Tive o desejo de ler o livro assim que vi sua capa pela primeira vez na net. Imediatamente comprei o livro e não perdi mais tempo. Li o livro em apenas 7 horas initerruptas. Só decidi largá-lo às 05:00 da manhã, ou seja, devorei as páginas desesperadamente. Luxúria até o momento é o melhor livro erótico de todos. Esse título era de Toda Sua, mas Eve Berlin ocupa o lugar de Sylvia Day merecidamente, porém com algumas ressalvas.

Luxúria narra à história da escritora erótica Dylan Ivory e do escritor Alec Walker. A trama se desenvolve a partir do momento em que Dylan decide escrever um novo livro e para compor a história com mais veracidade, ela decide procurar por Alec, frequentador assíduo do clube Pleasure Dome onde põe em prática suas habilidades sexuais .

Alec Walker é tido como referência por muitas mulheres por ser um dos praticantes mais dominadores da prática sadomasoquista. Por esse motivo, Dylan propõe que Alec tira algumas dúvidas a respeito do assunto. Em troca de conhecimento, Alec explica a Dylan que para ela escrever sobre o assunto ela tem que vivenciar aquilo para que seus leitores sintam-se mais próximos da narrativa. De cara, Dylan não aceita porque é muito controladora, autossuficiente e não admite ser dominada. E obviamente, isso não seria possível já que para participar e ter acesso àquela prática ela deveria ceder e assumir-se como uma mulher absolutamente dominada na relação sexual. Dylan acaba cedendo e concorda que Alec demonstre seus “dotes sadomasoquistas”.

Inevitavelmente Dylan sente-se atraída por Alec e vice-versa. Dylan não se contém perto do "maravilhoso homem dos dedos". Ah! Me desculpem mais eu tinha que frisar esse poder. Apesar de não aceitar a submissão a qual é imposta, Alec consegue convencê-la facilmente. De certa maneira isso não pode ser considerado uma fraqueza já que Dylan está fortemente atraída por esse homem.

Agora, vocês devem estar se perguntando: Ah! De novo essa história! Mais chicote, algemas e "pega-pa-cá-pa"! É com muita alegria que eu lhes respondo: _ “Não, meus queridos!” Isso não é mais uma Xerox barata a lá Grey! Luxúria não é um livro hot completo. Não se prende ao sexo como âncora. Não cai na mesmice dos livros do gênero.

Uma das coisas mais legais do livro é o enredo. A narrativa é consistente. Os personagens Alec e Dylan são personagens comuns com características fortes. Nada de homens super p*c@ e mulheres bobas, inseguras e infantilizadas. Em Luxúria os personagens possuem fraquezas e passam por situações que os tiram da zona de conforto, porém, isso é bem explorado e desenvolvido sem parecer piegas Como em outros livros eróticos, um trauma tem que ser superado, mas no caso de Luxúria ele é diferente e foge da mesmice.

A riqueza dos detalhes eróticos é outro ponto favorável. Com uma linguagem elegante e sensual, Eve Berlin descreve um relacionamento de tirar o fôlego. Sem recorrer ao palavreado chulo, a autora prende atenção do leitor pelo carisma dos personagens e pela maneira como conduziu a trama. Outro ponto favorável foi a maneira como a autora explicou a prática sadomasoquista. Até mesmo aqueles que não admiram sentem-se à vontade com a história. É possível entender ou aceitar facilmente o desejo dos praticantes.

São muitos os elogios que tenho a fazer, mas como nada na vida é perfeito a obra de Eve Berlin tem seus percalços. Um deles foi à escrita propriamente dita. No início tive certa dificuldade em me adaptar ao ritmo da narrativa. Inicialmente, os parágrafos são curtos. É como se a autora estivesse escrevendo o livro numa pista de corrida. A narrativa era meio ofegante. O uso da vírgula foi explorado ao extremo e dessa maneira, alguns períodos ficavam sem sentido. As ideias fragmentadas. Teve momentos que tive de retornar para compreender certas colocações. Depois, fui me identificando um pouco mais com a maneira como Eve Berlin escrevia.

Acredito que a tradução do livro colaborou muito para esse incômodo inicial. Algumas frases estavam sem sentido, mas como eu estava num embalo frenético da leitura fui ultrapassando esses pormenores e fui avançando na leitura. Eu espero que no próximo livro da trilogia Eve contenha esse arfar durante o processo de escrita.

Dou o crédito final para Even Berlin por escrever uma história tão diferente, completa, que trabalha o sadomasoquismo com clareza e muita convicção. Ela é capaz de envolver o leitor facilmente misturando romance e erotismo. Falar sobre submissão e sadomasoquismo sem clichês é para poucos. Indico a leitura a todos que queiram conhecer mais sobre esse gênero literário que vem encantando leitores por toda a parte. Luxúria é uma boa pedida e você corre o sério risco de gostar.
comentários(0)comente



Savina 15/11/2012

Simplificando o livro: puro plágio. E do pior tipo: o ruim...
comentários(0)comente



day 14/11/2012

mais ou menos...
comecei o livro pensando que seria a LEITURA!!
Mais já de inicio achei cansativo e chato.
A escritora Dylan que escreve romances eróticos conhece o dominador e escritor Alec,com a intenção de fazer uma pesquisa para seu novo livro.
Ele propõe que tenha uma relação de submissão para poder entender o universo BDSM.
Porém Dylan e Alec se apaixonam e tudo muda...
Bom achei o livro uma chatice,um desses livros que andam tentando imitar cinquenta tons de cinza.
Não gostei mesmo.
comentários(0)comente



Ana Luiza 14/11/2012

Resenha do blog Mademoiselle Love Books - http://mademoisellelovebooks.blogspot.com.br
Dylan Ivory é uma escritora de romances eróticos que, por causa da infância difícil, se tornou uma mulher solitária e controladora. Quando começa a pesquisar sobre sadomasoquismo para seu novo livro, Dylan acaba por conhecer Alec Walker, um escritor de livros de suspense que é mais conhecido por ser um dominador em ralações sadistas e sadomasoquistas.
“Alec Walker era um homem que devia vir acompanhado de um alerta de perigo.” (Pág. 10)
Dylan explica para Alec sobre sua pesquisa e mostra que está disposta a experimentar relações sadomasoquistas, mas apenas se for a dominadora. Entretanto, Alec insiste que ela seria melhor como submissa e propõe que ela experimente, com ele, uma relação como submissa. Dylan recusa em primeiro momento, insistindo que é ela seria melhor como dominadora, mas no final acaba aceitando, apenas para provar que ele estava errado.
“- Os melhores acordos são selados com um beijo.
Sua boca estava muito perto, lasciva, deliciosa. (...) Á espera do beijo. Ele se afastou, afundando-se na cadeira.
- Mas teremos de esperar até que esteja pronta para mim, Dylan. Terá de implorar por isso.” (Pág. 20)
Antes mesmo de começarem os jogos de poder, Alec e Dylan percebem o quanto estão atraídos um pelo o outro. Alec aos poucos vai mostrando a Dylan o mundo das relações sadomasoquistas e em pouco tempo ela se torna submissa. Eles ficam cada vez mais próximos, compartilhando não só prazer, mas também experiências de vida. Indo cada vez mais fundo em seu relacionamento, Alec e Dylan começam a se perguntar o que está acontecendo com eles. Seria só atração física mesmo ou haveria algo mais?
“No controle. Como sempre.Repetiu aquelas palavras para si mesmo, mais uma vez. E tentou ignorar o fato de que não acreditava nelas.” (Pág. 111)

Para quem, assim como eu (antes de ler esse livro), não sabe muito sobre sadismo, masoquismo e sadomasoquismo, eis a definição deles: o sadismo é a tendência em uma pessoa que busca sentir prazer em impor o sofrimento físico e moral a outra pessoa, o masoquismo é a tendência oposta ao sadismo, é a tendência em uma pessoa que busca sentir prazer em receber o sofrimento físico e moral de outra pessoa e sadomasoquismo seria meio que uma mistura dos dois em uma relação.
Luxúria é um típico romance erótico, mas não ele não se trata apenas de sexo. O livro possui uma trama desenvolvida, apesar de que a maioria dos acontecimentos e conflitos gira em torno da parte erótica. Esse foi o primeiro livro que li do gênero. Eu já tinha uma ideia do que esperar, mas é impossível não ficar meio assustado a primeira vista. Mas conforme o livro vai se desenvolvendo, me acostumei a narrativa e comecei a curtir a história.
Berlin tem uma escrita leve, o que ajuda a amenizar o conteúdo pesado. A autora é bem detalhista, muito detalhista na verdade. As cenas de sexo são bem descritas, mas lá pelo meio do livro elas acabaram por ficar cansativas e repetitivas. Por outro lado, Berlin soube criar uma trama que valesse a pena ser lida, um romance que foi além do sexo.
Os personagens são bem feitos e descritos. Eles têm uma história própria, características marcantes e papel na trama, até mesmo os secundários. Dylan é uma mulher independente e corajosa. Mesmo se tornando submissa a Alec durante as relações, perdendo um pouco sua mania por controle e amadurecendo ao longo da trama, ela continua sendo uma personagem forte e determinada. Alec é bem parecido com Dylan, bonito, independente e também meio controlador. Ele também amadurece ao longo da história, se tornando mais aberto e perdendo seu receio de relacionamentos sérios.
A editora fez um trabalho bom com o livro. A capa é simplesmente divina e combina com a história. Encontrei alguns errinhos e trechos confusos, mas nada muito gritante.
Enfim, Luxúria foi uma boa leitura, mas nada extraordinário. Por ser o primeiro livro do gênero erótico que leio, o livro me ajudou a desenvolver uma opinião sobre esse tipo de literatura. Apesar de ter gostado do livro, descobri que o gênero não me atrai muito. Prefiro livros que tenham mais história e menos cenas de sexo. Pode ser que a minha opinião mude futuramente, mas por enquanto não pretendo ler a continuação de Luxúria ou mesmo outros romances eróticos.
Apesar disso, recomendo Luxúria. Livros são conhecimento e cultura, e foi bastante interessante saber mais sobre sadismo, masoquismo e sadomasoquismo, temas que não são muito discutidos no dia a dia. Quem gosta de literatura erótica com certeza vai amar esse livro. Para quem quer ler o gênero pela primeira vez, acho que Luxúria é meio pesado, mas isso depende muito da pessoa. O importante é pegar o livro de mente aberta e sem preconceitos, ler com atenção e aí sim formar uma opinião, acho muito chato opinar sobre uma coisa que não conheço.

Autora da resenha: La Mademoiselle

Resenha do blog Mademoiselle Love Books - http://mademoisellelovebooks.blogspot.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



94 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7