Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas?

Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas? Lemony Snicket




Resenhas - Quem poderia ser a uma hora dessas?


52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


naniedias 17/11/2012

Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas?, de Lemony Snicket
Lemony Snicket já tem quase treze anos e acabou de se formar.
Agora é hora de ir para uma nova escola.

Só que ele deixa uma escada guardada no banheiro e decide partir em busca de uma aventura com a pior dentre cinquenta e dois tutores de uma misteriosa organização, embora ele pudesse ter coisa melhor (mas só com a pior tutora ele teria chances de continuar seus planos com sua aliada), para começar seu aprendizado.
Mas as coisas não saíram conforme planejado por ele e o menino acaba na cidade de Manchado-pelo-mar, onde terá que resolver o roubo de um objeto que nunca foi roubado.

Se pelo menos o garoto não ficasse fazendo todas as perguntas erradas...


O que eu achei do livro:
Eu AMEI o livro!
Sou super fã de Lemony Snicket e... peraí, como assim você nunca ouviu falar de Lemony Snicket?

Lemony Snicket é um heterônimo de Daniel Handler. Ele é o autor-personagem da série Desventuras em Série (que eu adoro!) e agora é o protagonista da nova série Só Perguntas Erradas.
Nessa série - que será composta por quatro livros - Snicket narra a história em primeira pessoa, como usual, mas dessa vez é uma aventura protagonizada por ele mesmo em sua adolescência (ou seja, antes dos acontecimentos de Desventuras em Série).

A escrita de Snicket é simples, dinâmica e super gostosa - a leitura é muito rápida e uma delícia!
O autor continua sarcástico, com aquelas tiradas que seus fãs gostam tanto.

Quem ainda não leu a história dos irmãos Baudelaire pode ler essa história sem o menor problema. Como as aventuras de Só Perguntas Erradas acontecem antes, acredito que em nenhum livro dessa série o leitor se depare com algo que possa ser considerado spoiler da outra (embora eu esteja ansiosamente esperando saber mais sobre a misteriosa organização nos próximos livros).

O autor preenche a história de mistérios e resolve apenas alguns, deixando muita coisa em aberto para os próximos volumes - o que ao mesmo tempo me deixa nervosa e ansiosa pelos próximos volumes, afinal de contas, ele conseguiu me deixar super curiosa sobre um monte de coisas.
Como o primeiro livro da série acaba de ser publicado (não apenas aqui no Brasil, mas lá fora também), o segundo deve sair no ano que vem (eu procurei, mas não consegui encontrar informações sobre o lançamento do segundo volume).

A edição da Seguinte ficou uma graça! Com a capa original (adaptada para o português) e recheada de ilustrações em três cores (branco, preto e azul), o livro é lindo. Achei muito bacana que ele tenha sido publicado aqui no Brasil assim que foi publicado lá fora - os fãs brasileiros não precisaram ficar esperando pela história.
As ilustrações de Seth dão um brilho a mais a obra e confesso que o que mais gostei foi sempre ver o jovem Snicket de costas (será que ele irá aparecer de frente em alguma ilustração?! Quem sabe no último livro da série...).

Ainda irreverente, irônico e divertido como sempre, Lemony Snicket nos conta as suas peripécias em sua nova série Só Perguntas Erradas.
Se eu recomendo o livro?! Só se você gostar de coisa boa... se não gostar de livros hilariantemente bons, talvez não seja uma boa ideia você ler "Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas" - porque o livro realmente é ótimo!


PS: Você já leu Desventuras em Série até o final?! Então provavelmente sabe qual é a organização para a qual Snicket entra nesse livro e como eu ficará ansioso por mais informações que provavelmente não serão reveladas.


Nota: 10


Leia mais resenhas em www.naniesworld.com
comentários(0)comente



Flavia 19/04/2013

Genial!
Lemony Snicket em "Quem poderia ser a uma hora dessas?", primeiro volume da série composta por 4 livros "Só Perguntas Erradas", é o protagonista de sua própria história, e narra os acontecimentos após ter se tornado aprendiz em uma organização secreta e misteriosa, cuja tutora escolhida por ele, S. Theodora Markson, é a pior entre os mais de 50 tutores disponíveis, com a pior e mais indomável cabeleira já vista na face da Terra. E a ideia de escolher a pior de todos, foi proposital, pois assim, Lemony poderia tratar de seus assuntos particulares em paz.
Snicket e S. Theodora (não pergunte o que o S. significa, é uma pergunta muito errada) acabaram sendo designados para investigarem o roubo da Fera Ressonante, uma estatueta que não foi roubada na cidade a beira-mar e decadente de Manchado-pelo-Mar, que já não está mais a beira-mar. A cidade sobrevivia da renda proveniente da tinta produzida pelos polvos, inclusive o jornal que funcionava no Farol que usava a tinta dos polvos em suas impressões, porém, o mar sumiu, escafedeu-se, foi drenado, ou sabe-se lá o quê, acabando com os polvos e com a localização da cidade. E é durante as investigações que Snicket irá se surpreender com as suas descobertas e revelações que eram muito maiores do que imaginava, sempre com seu toque de humor, fazendo suas perguntas inocentes e erradas na hora errada.

A facilidade que o autor tem pra escrever e descrever cenários geniais com tanta originalidade, e sendo narrado em primeira pessoa de forma hilária, ágil, fluída e dinâmica, de uma jeito que fica evidente que ele está contando algo proibido, o leitor consegue se aproximar e entender os motivos que levam Snicket a tomar certas atitudes e decisões, ou fazer suas ótimas perguntas, por mais erradas que sejam.
Somos apresentados a personagens interessantíssimos, como os irmãos taxistas que fazem suas corridas em troca de "dicas" em vez de dinheiro, Próspero Perdido, o dono do hotel da cidade super atencioso, a aspirante a jornalista mui misteriosa, dentre outros que são essenciais para o desenrolar da história.
Os capítulos contam com ilustrações que colaboram para que possamos imaginar os cenários e até termos noção de todo o mistério que envolve a trama, onde se destaca sombras e coisas do tipo.
É um livro bastante introdutório, que deixa várias perguntas no ar e um gancho bem bacana para a continuação, mas nem por isso deixa de ser uma ótima pedida.
A diagramação do livro é super caprichada, a capa é aveludada e sua parte interna com ilustrações dos polvos tem tudo a ver com a história, as páginas amareladas e o tamanho da fonte colaboram bastante pra uma leitura rápida e a revisão está impecável.
"Quem poderia ser a uma hora dessas?" é uma história que, por trás de toda a maluquice, tanto de personagens quanto dos cenários, nos mostra que muitas vezes os adultos se acham espertos só por serem adultos, mas mal vêem a verdade diante dos próprios olhos, e que as crianças, por mais inocentes que sejam, são puras e verdadeiras. Nem tudo que parece, é, e nem tudo que já foi, continuará sendo. Tudo está em constante mudança e ler essas pequenas lições nas entrelinhas em meio a uma narrativa tão bacana, foi divertidíssimo! Super recomendo!
comentários(0)comente



CooltureNews 27/12/2012

Publicada em www.CooltureNews.com.br
Olá! Quem é você? O que você está fazendo aqui, lendo essa resenha? E que horas sai o jantar? Aliás, por que eu comecei essa resenha fazendo Só Perguntas Erradas? Ah, é mesmo! Acabo de lembrar que hoje eu trago para vocês a resenha de Quem poderia ser a uma hora dessas?, o primeiro volume da nova série escrita por Lemony Snicket, autor das tão consagradas Desventuras em Série.

Antes de começar a resenha propriamente dita, devo confessar que, infelizmente, não tive ainda a oportunidade de ler qualquer livro da série Desventuras em Série (pleonasmo detectado?). Sendo assim, não poderei destacar quaisquer ligações interessantes entre as duas obras. Todavia, eu ao menos fiz a lição de casa. Então, para os fãs da série, creio que será interessante saber que Só Perguntas Erradas é uma prequela das Desventuras em Série.

Isso quer dizer que, nos quatro volumes de Só Perguntas Erradas, podemos acompanhar ninguém mais, ninguém menos, do que o próprio Lemony Snicket, em aventuras que se passam enquanto ele efetua seus treinamentos para uma tal “organização que ninguém conhece”. Para os desavisados, que estranharam o fato de o autor participar da obra, saibam que na verdade Lemony Snicket é apenas o pseudônimo usado por Daniel Handler. Com esse subterfúgio, o autor se introduz na história como um personagem-narrador.

Agora que as introduções estão findadas (“findadas” é uma palavra que, aqui, significa que eu me lembrei de parar de enrolar e começar logo a resenha). É... Qualquer pessoa que já estiver acostumada com os escritos de Lemony Snicket saberá que ele faz esse tipo de piada diversas vezes durante suas obras (mas garanto que ele o faz quarenta e duas vezes melhor do que eu).

Quem poderia ser a uma hora dessas? já inicia mostrando o afiado humor de Lemony Snicket. O personagem-narrador nos apresenta seu relato que não deveria ser publicado nesse livro que não deveria ser lido. Nesse quesito, somos quase que seus confidentes. Os pensamentos e interpretações de mundo desse garoto de doze anos nos são apresentados de maneira cômica e sincera. E isso me permitiu uma completa identificação com as desventuras do protagonista.

Nesse quesito, impressiona o carisma não só de Lemony Snicket, mas de todas as outras personagens. Desde a misteriosa Ellington Feint aos divertidíssimos irmãos taxistas, todas as personagens são bastante críveis e interessantes, cada qual com suas características, personalidades e segredos únicos.

Além das personagens, destaca-se também o espaço, pois a cidade de Manchado-pelo-mar é um lugar intrigante e cheio de mistérios. Tudo começa com a estranhíssima necessidade de vestir uma máscara ridícula, toda vez que um sino toca. Além disso, existem algumas estações que extraem tinta de polvos. Quaisquer semelhanças com a extração de petróleo não são mera coincidência.

Repararam também na quantidade de vezes que palavras como “mistério” apareceram na resenha? Isso se dá pelo clima noir que permeia toda a história de Quem poderia ser a uma hora dessa?. Seguindo o estilo e clima dos filmes policiais das décadas de 40 e 50, a obra vai nos ensinando pouco-a-pouco que não devemos confiar em quase ninguém, e que não se deve beber café.

As ilustrações de Seth, que permeiam toda a obra, ilustrando tanto os inícios de capítulos quanto as cenas mais memoráveis, corroboram imensamente para a construção desse tom noir. Isso ocorre não só pela vestimenta e ambientação vistos nas ilustrações, mas os personagens são sempre retratados de perfil, com uma sombra os envolvendo, acrescendo um toque a mais nesse ar já tão misterioso.

Enfim, Quem poderia ser a uma hora dessas? é um livro de literatura infanto-juvenil inteligente e divertido, como há muito tempo não se via. A edição da Editora Seguinte (selo da Companhia das Letras, responsável pela literatura infanto-juvenil) é impecável, pois, além de ser composto por um papel amarelado, o que facilita a leitura, traz uma capa meio aveludada, muito bonita.

No mais, agora passo a palavra à vocês. Há por aí algum leitor de Desventuras em Séries que está ansioso por alguma nova aventura de Lemony Snicket? Se eu continuar com isso, farei outra pergunta errada? Comentem! Vamos fazer dessa resenha um espaço para discussão.
comentários(0)comente



Livia 21/12/2012

Afinal, qual o significa o S?
Como uma boa voluntária de CSC, assim que fiquei sabendo que a primeira auto-biografia autorizada de Lemony Snicket seria lançada, fui comprar, afinal morro de curiosidade para saber a vida do autor antes da nossa querida e morta Beatrice.
Me surpreendi no começo ao ver que o livro era em primeira pessoa, mas Lemony soube usar o mesmo tipo de escrita de Desventuras nesse livro.
Quem Poderia Ser A Uma Hora Dessas? Conta a história da primeira missão de Lemony investigando o roubo de um objeto que não foi roubado em uma cidade a beira-mar que não está a beira-mar. Conhecemos personagens nunca citados em Desventuras e vemos o nome de alguns que já são conhecidos.
Me encantei com o livro e estou curiosa sobre os acontecimentos futuro, sinto que nos próximos três livros da série muitas perguntas serão solucionadas e muitas novas irão surgir.
Seja você um voluntário de CSC, um órfão ou somente uma pessoa que gosta de ler, recomendo Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas como uma leitura divertida e emocionante.
comentários(0)comente



Blog MDL 07/02/2016

Lemony Snicket é um jovem de treze anos de idade que mal acabou de terminar uma etapa em sua vida e já iniciou outra totalmente nova, pois após concluir sua educação especial, agora ele é aprendiz em uma misteriosa organização. Por ser inexperiente, ele precisa de uma tutora para poder participar das primeiras investigações, entretanto, ele está sob o comando da pior tutora que poderia existir! Além dela ser a última no ranking, Theodora é mais atrapalhada do que o próprio Snicket que só começara a trabalhar naquele momento em que chegou a cidade Manchado-pelo-Mar para desvendar um misterioso roubo.

Como não poderia deixar de ser, ele tem os seus motivos para escolher alguém tão ruim em seu trabalho, mas isso só é algo que será revelado após descobrir os mistérios que rondam a estátua de um monstro que faz parte do imaginário local e que todos chamam de Fera Ressonante. Snicket está se debatendo com perguntas a respeito não só do objeto, como também, do interesse que algo tão simplório poderia despertar em tantas pessoas. Mas ele só faz perguntas erradas e isso só poderia significar uma coisa: confusão! Agora, com uma tutora estabanada, pessoas que não são quem realmente dizem e uma biblioteca repleta de livros para ler, ele terá que sobreviver a uma série de infortúnios em uma cidade que esteve à beira-mar um dia, mas que não está mais.

Passei boa parte da minha adolescência desejando conhecer todas as desventuras vividas pelos irmãos Baudelaire, mas essa chance nunca veio. Quando finalmente tive oportunidade de ter contato com a escrita do autor Lemony Snicket (pseudônimo do autor Daniel Handler), não hesitei, mesmo que o meu primeiro contato tenha sido com a série "Só Perguntas Erradas" e não com a que ansiei durante tantos anos. E depois de ter concluido a leitura do primeiro livro, só posso dizer que foi uma escolha muito boa ter feito o meu début com o autor através desse enredo repleto de ação e tensão.

Pode parecer estranho em um primeiro momento, mas Lemony Snicket não só leva o nome na capa do livro, como também, é o protagonista da nossa história. Ele nos leva por uma série de acontecimentos que sempre acaba em uma pergunta errada e uma resposta que o faz ir mais fundo em um labirinto que parece não ter uma saída aparente. Sua personalidade é muito bem caracterizada de modo que nós vamos conhecendo pouco a pouco tudo o que o torna um narrador-personagem tão interessante. A escrita do autor é muito ágil e fluida, por trazer um vocabulário simples, é fácil sentar com esse livro e só sair do sofá após ter concluido a leitura.

Em determinados momentos senti como se tivesse lendo uma trama policial da Agatha Christie voltada para um público infantojuvenil, já que além das muitas reviravoltas no caso, nem sempre o culpado é quem acreditamos que fosse. Mas é claro que devo salientar que por ser uma história mais direcionada para crianças, os mais crescidos devem se deixar levar pela simplicidade de "Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas?" sem muitas hesitações para poderem sentir o poder dessa narrativa. Digo isso, pois por muitas vezes ler essa história como um adulto leria, senti falta de algo que alguém mais jovem certamente não sentiria.

Em suma, posso dizer que comecei com o pé direito as minhas leituras dos livros do Lemony Snicket. Pois mesmo que tenha tido alguns "poréns" durante a minha jornada com a história, sem sombra de dúvidas pude entender o porquê dos enredos do autor serem referência no gênero, já que não são poucas as brincadeiras textuais que ele fez não só para compor a narração, como também, a caracterização dos personagens. Por fim, digo que estou "ensandecida" para ler os demais livros da série "Só Perguntas Erradas", palavra que nesse contexto significa muito muito animada!

site: http://www.mundodoslivros.com/2016/01/resenha-quem-poderia-ser-uma-hora.html
comentários(0)comente



03/12/2012

Sempre fazendo as perguntas erradas Snicket.
O livro "Quem poderia ser a uma hora dessas?" é o primeiro dos quatros livros da série 'Só perguntas erradas' escrita pelo famoso escritor Lemony Snicket, que escreveu a série 'Desventuras em Série' .

O livro conta a história narrada em primeira pessoa sobre o primeiro mistério que Lemony Snicket (isso mesmo, o escritor deu ao nome de seu personagem o seu próprio nome), um garoto de 13 anos tem que resolver. Um mistério muito curioso devo dizer, em que as pistas de repente não são mais pistas e vítimas de uma hora para outra podem virar os culpados. É, pelo visto Theodora estava certa quando disse que Lemony não sabia de nada.

O garoto deve de deixar um outro plano que tinha em mente de lado para embarcar em uma aventura junto com sua tutora, na 'cidade' Manchado-pelo-mar, praticamente um vilarejo, muito curioso, que um dia fora habitada e que agora estava abandonada, que antigamente tinha um jornal funcionando e que agora só tinha uma jornalista e que impressionantemente tinha uma floresta de algas.
Lá, ele tem que descobrir o que realmente tinha acontecido com a estatueta, quem eram os culpados, quem era aquela menina misteriosa e por que ele vivia fazendo perguntas erradas.
Acontece que, como já falei para vocês com outras palavras, o mistério é muito maior e muito mais complicado do que ele achava. E por isso mesmo conhecendo várias pessoas e pensando muito, ainda há muitas perguntas (erradas) a se fazer e poucas respostas.

Achei um ótimo livro, um tanto quanto confuso mas muito bom. Afinal, quem já leu 'Desventuras em Série' sabe como Lemony escreve não é mesmo? Recomendo para quem gosta de um bom livro de mistérios e perguntas sem respostas... falando nisso..

O que significa o S?
comentários(0)comente



Camila Márcia 03/08/2014

Incrivelmente louco e divertido!
Quem poderia ser a uma horas dessas? É uma história confusa e louca e indescritível, mas isso eu já esperava, a novidade é que conhecemos como Lemony se tornou um agente e, portanto, tudo começa quando ele vai com sua tutora S. Theodora Markson para uma cidade completamente falida chamada Manchado – a cidade tinha como fonte de renda a tinta extraída dos polvos, mas com a decadência da tinta a cidade faliu e quase toda a população abandonou a cidade – se encontrar com uma mulher que afirma que um de seus objetos, a estatueta da Fera Ressonante, foi roubada.
Todos os personagens, suspeitos e envolvidos na história insistem em dizer que a estatueta não tem valor nenhum, entretanto, há muitas pessoas atrás dela para que Snicket caia na história. Em meio a muitas perguntas erradas, ações bizarras e personagens estranhos – do tipo que aparecem sem serem chamados e nos momentos mais inesperados possíveis – a narrativa vai se desenrolando e os mistérios sendo decodificados, entretanto, muita coisa fica nos questionando no final do livro e, se depender de Snicket, a série vai nos deixar cheios de questionamentos e não vão ser respondidos com tanta facilidade.
O exótico, a linearidade podem ser jogados na cara do leitor e trocados por algo que não faz nenhum sentido, mas no final o leitor será chocado com o sentido das coisas. Complicado? Bem isso, o que se espera de um livro escrito por Snicket, ele é um escritor cheio de sagacidade e uma palavra pode nos levar a uma outra coisa, ele é capaz de fazer referências a outros de seus livros ou pessoas e celebridades de uma forma tão sutil que muitas vezes pode até passar desapercebido.
Em Quem poderia ser a uma horas dessas? Temos personagens interessantíssimos e o mais interessante além de Snicket, claro, é a tutora S. Theodora Markson que se passa por uma agente muito inteligente e famosa, mas que na verdade está na última colocação no ranking de melhores agente. Outros personagens são muito interessantes e uma em particular que virá a ser de grande importância provavelmente para o próximo livro.
O final desse livro foi incrivelmente incrível e faz com que o leitor tenha vontade de se apegar ao próximo exemplar, portanto, fica a dica: mantenha o segundo volume (Quando você a viu pela última vez?) bem próximo, pois é quase impossível não pegá-lo logo após a leitura de Quem poderia ser a uma horas dessas?.
Camila Márcia

site: http://www.delivroemlivro.com.br/
comentários(0)comente



tiagoodesouza 11/10/2013

Quem poderia ser a uma hora dessas? | @blogocapitulo
Olá, pessoal! Vocês já ouviram falar sobre Lemony Snicket? Não, talvez essa seja uma pergunta errada. Hum... vocês já leram algum livro do Lemony Snicket? Ele é o mesmo autor de, entre outros livros, Desventuras em Série, que foi lançada pela Cia. das Letras de 2001 a 2006. Mas Lemony Snicket não existe de verdade, eu acho. Ele é um pseudônimo de Daniel Handler, autor de Por isso a gente acabou. Pelo menos, é o que dizem por aí.

"(...) Eu tinha imaginado trabalhar como aprendiz na cidade grande, onde eu poderia executar alguma tarefa importante, com alguém em quem eu poderia confiar inteiramente. Mas o mundo não baita com a imagem na minha cabeça, então, em vez disso, eu estava com essa pessoa esquisita e despenteada, diante de um mar sem água e uma floresta sem árvores."
Página 39.

Lemony Snicket se torna aprendiz de S. Theodora Markson, a tutora não tão bem colocada numa lista de tutores mas que se acha a cereja do bolo, em uma missão para recuperar um artefato roubado que talvez não tenha sido realmente roubado. Com poucos personagens, Lemony nos leva a desbravar essa pequena cidade à beira-mar que explora a tinta dos polvos, possui dois irmãos que dirigem um táxi e cobram a viagem de uma forma bem curiosa e que antigamente possuía uma famosa atriz.

Esse é o primeiro livro de uma quadrilogia. O segundo livro, Quando você a viu pela última vez?, chega às livraria no dia 15 de outubro. Quem assim como eu não leu Desventuras em Série, pode se jogar na leitura dessa nova série sem problema algum.

A narrativa ocorre em primeira pessoa pelo ponto de vista de Lemony Snicket. O humor é presente em boa parte da história e há pequenas referência a outros livros conhecidos. É preciso ficar bem atento para pescar essas referências. A Editora Seguinte teve muito capricho nos detalhes. Você verá isso, por exemplo, nas figuras que abrem os capítulos em que as palavras também foram traduzidas. Tem várias figuras, criança feliz aqui que gosta de livros com ilustrações! O papel é pólen e a capa, quem tem vários elementos importantes para a história, é soft touch.

Eu estava com um pouco de receio de ler esse livro por conta da minha experiência com o livro do Daniel Handler, Por isso a gente acabou. Mas a personalidade e a escrita de Lemony são muito diferentes das personalidade e escrita de Daniel. Você vai sentar no sofá e simplesmente vai devorar o livro e não verá o tempo passar.

"- Não gosto de sua reticência - disse Theodora, quebrando meu silêncio amargo. - Reticência é uma palavra que quer dizer que você não está falando o suficiente. Diga alguma coisa, Snicket."
Página 29.

site: http://www.ocapitulodolivro.blogspot.com.br/2013/10/resenha-quem-poderia-ser-uma-hora-dessas_11.html
Beth 21/10/2013minha estante
A história parece ser bem legal e fiquei interessada. Vou procurar por ele assim que puder.Beijos.


Jess 03/11/2013minha estante
Acho o livro muito bom, pelo enredo o livro parecer ser bem leve e rapidinho de se ler, vi no google que a diagramação dele é linda. Espero poder lelo em breve.


xx




Ana Caroline 20/02/2014

Madrugada perfeita.
Sabe quando tu ama muito um escritor e tem certo medo de que ele te decepcione? Então, estava sentindo isso quando fiquei sabendo desse novo livro do Daniel/Lemony. Eu sou apaixonada por Desventuras em série e pensei que talvez fosse me decepcionar com esse livro. Engano meu. O livro é maravilhoso. A escrita é maravilhosa. A história é divertida, engraçada, sem forçar, tudo flui. Daniel sabe escrever de tudo, de todas as formas e, sinceramente, acho isso maravilhoso. Ainda não li a sequencia desse livro, mas, já quero! Recomendo, é um livro mega rapido, que te prende do começo ao fim e te deixa decepcionada quando acaba, porque tu quer que tenha mais paginas e que não acabe nunca!
comentários(0)comente



Jadna 16/07/2014

Quem poderia ser a uma hora dessas? - Lemony Snicket

Me desculpem por isso que eu vou dizer mas terminei Desventuras em Série pedindo pra morrer.
Percebi que o mesmo que muita gente gosta no Lemony Skinet é simplesmente o que eu detesto.
Personagens e situações em que só acontece desgraça e injustiça,onde o protagonista geralmente imponente vai sendo jogado pra lá e pra cá sem poder fazer quase nada. E o tom do Lemony é sempre de deboche,como se ele sempre tivesse dizendo: a vida é assim mesmo,só acontece coisas ruins e se tá achando ruim simplesmente vá ler outro livro.

Pra muitos isso pode ser uma ótima sacada e muito inteligente da parte dele,mas também não faz com que seja menos torturante ler os seus livros.

Só tentei com mais esse porque achei que o problema era com Desventuras em Série,que a quantidade de livros fez com que a história ficasse massante,repetitiva e etc,mas não,o meu problema é com o Lemony mesmo,embora pelo visto só eu não goste desse estilo dele.

site: https://twitter.com/Jadna_Rocha
comentários(0)comente



Júlia 07/04/2015

As aventuras de Lemony Snicket
Bem, acho que eu sou meio suspeita pra falar dessa série, como uma grande fã dos livros de Daniel Handler (ops, Lemony), e tendo um blog cheio de referências a Desventuras em Série espalhadas por toda parte (toda parte mesmo), mas mesmo assim, posso afirmar com absoluta certeza que Só Perguntas Erradas é uma das séries de livros mais empolgantes que eu já li.

Pra começar, Só Perguntas Erradas se passa no mesmo universo de Desventuras em Série, mas isso não significa que é preciso ler uma série para entender a outra, apesar de que, quem já leu Desventuras em Série, pode identificar diversas referências, citações ou até mesmo aparições de personagens queridos (nada de citar nomes, porque seria spoiler), que mesmo curtas, são bem marcantes, além do tradicional formato da história em treze capítulos, marca registrada dos livros de Lemony.

Mas se você, por um infeliz acaso, ainda não leu Desventuras em Série (e deveria), e gosta de um bom mistério, saiba que o primeiro livro, "Quem poderia ser a uma hora dessas?", está repleto deles. A história acompanha nosso amado Lemony Snicket, já adulto em Desventuras em Série, mas aqui com quase treze anos, como membro de uma misteriosa organização. Como parte de seu aprendizado, Lemony é encaminhado para um tutor para ajudá-lo a solucionar crimes. Então, ao lado de sua ilustre tutora S. Theodora Markson (o que o S quer dizer?), o menino vai para a misteriosa cidade de Manchado-pelo-mar (que por acaso, não fica à beira-mar) para solucionar o roubo de um objeto desaparecido. Mas, durante a sua estadia nessa estranha cidade, Lemony acaba percebendo que há muito mais mistérios envolvidos nesse roubo do que ele imaginava.

Narrado em primeira pessoa pelo próprio Lemony Snicket, o livro também apresenta outra marca registrada de Daniel Handler (quer dizer, Lemony), que são os personagens muito bem desenvolvidos. É claro que toda história que se preze tem bons personagens, mas no caso dos livros dele, todos os personagens são essenciais. E quando eu digo todos, eu quero dizer todos mesmo. Desde o protagonista até os personagens secundários, cada um tem uma personalidade marcante e bem definida. Ninguém aparece por acaso, e todos eles são bem introduzidos na história. A jornalista aventureira Moxie Mallahan, a misteriosa Ellington Feint, os fofos irmãos Belerofonte, e até mesmo os divertidos policiais Mitchum. É impossível não amar cada um deles.

E é claro, Lemony Snicket, que é absolutamente um excelente protagonista. Lemony não é o típico personagem que se recusa a aceitar o seu fardo, ou que demora milhares de anos para encontrar respostas, ou que trata os seus assuntos com uma lerdeza irritante (sim, Percy, essa foi pra você), mas ele é sim um garoto esperto e sagaz, sempre pronto para enfrentar o próximo perigo, mesmo que não queira realmente enfrentá-lo. “Fique assustado depois” é o que ele sempre diz (apesar de que, com tantos perigos um atrás do outro, acaba não sobrando muito tempo para ficar assustado mesmo). Mas Lemony sempre consegue contornar seus obstáculos com sua ironia e seu sarcasmo usuais, que o tornam um personagem super divertido e amável.

Os mistérios são realmente empolgantes, e sempre levam a conclusões inimagináveis. Cada vez que você pensa que finalmente desvendou um mistério, mais fatos misteriosos ocorrem, desencadeando ainda mais situações misteriosas, e conduzindo a mais mistérios que você nunca teria esperado antes, levando a uma conclusão totalmente inesperada e surpreendente. A história ainda é acompanhada de incríveis ilustrações, que conseguem transmitir bem o ar misterioso que permeia a narrativa. Ah, eu já falei que tem muitos mistérios?

A cidade de Manchado-pelo-mar é o cenário perfeito para essa história. Repleta de lugares perigosos, habitantes suspeitos, e sempre rodeada com um clima de suspense apavorante. Muitos perigos aguardam o nosso destemido protagonista, que mesmo um aprendiz, consegue se virar muito bem em uma cidadezinha como essa. Já a sua tutora Theodora? Bem, digamos que nem tanto. Talvez o maior mistério de toda a história seja a própria tutora, com sua cabeleira indomável e seu vocabulário complicadíssimo. Mas por que cargas d’água Lemony Snicket escolheria essa mulher para ser sua tutora? Esse também é um outro mistério, que remete a uma outra cidade, um museu e uma aliada possivelmente em apuros.

Então, no final da história, alguns mistérios ainda ficam em aberto para as próximas sequências, deixando aquele irresistível gostinho de quero mais, que te faz sair correndo para ler o próximo livro. O único defeito (se é que se pode chamar assim) que é possível encontrar em “Quem poderia ser a uma hora dessas?” é que ele é muito pequeno. Você termina rapidinho e já fica com saudade. Mas, felizmente, essa é uma série de quatro livros, e a sequência “Quando você a viu pela última vez?” já aguarda ansiosamente a sua leitura.

Bem, e aqui eu termino a resenha desse livro extraordinário, e eu espero que tenha gostado. Muitos mistérios te aguardam com Lemony Snicket em Manchado-pelo-mar.


Resenha do blog Mundo Sereno ;)

site: www.serenomundo.com
comentários(0)comente



Raffafust 25/01/2013

Surpreendentemente bom!
Quando recebi "Quem poderia ser a uma hora dessas? " da editora Seguinte, imaginei que seria um livro bobo para um público infantil com ilustrações bonitas. Ledo engano, me encantei tanto com esse livro que não poderia dar menos do que "Ötimo" em uma avaliação dele.
Já deveria ter desconfiado que o autor conhecido pelo excelente "Desventuras em série"conseguiria mais uma vez fazer um livro para todas as idades onde nos remete ao que víamos ou líamos na infância. Me lembrou muito as história que amo de Scooby Doo e de Tim Tim, porque a temática de desvendar mistérios é a mesma.
Lemony Snicket ( sim, o mesmo nome do autor) é um garoto de quase 13 anos que já começa avisando que durante toda a história só fez perguntas erradas. Ele é um detetive que tem uma tutora muito rabugenta chamada Theodora, talvez o personagem mais chatinho do livro no meio de tantos personagens engraçadíssimos. Ela é tão mala que quando ela não está ao lado de Snicket são as melhores partes desse livro.
Snicket entra no esportivo ( leia-se carro) de sua tutora e vão em busca de sua primeira missão em um lugar que ficava a beira-mar mas não fica mais e chama-se Manchado pelo mar. Contratados pela Sra. Sallis eles tem que achar quem roubou uma estatueta bem feiosa conhecida como Fera Ressonante que lembra um cavalo- marinho assustador.
Na busca pela tal peça, Snicket vai nos divertir com suas perguntas erradas, com suas amizades duvidosas e vai conhecer Moxie uma menina que sonha ser jornalista mas escreve para o jornal que nem existe mais. Mesmo sendo da família que deve ter roubado a tal Fera Ressonante, Moxie vai virar amiga de Snicket para desvendar essa história e juntos vão enfrentar alguns vilões bem estranhos.
Vão descobrir que nada é o que parece e que não podem confiar em ninguém a não ser neles mesmos.
Uma parte que adorei é da biblioteca pública onde Snicket manda recados como se fossem nomes de livros e autores, além de uma forma inteligente e bem-humorada percebemos como uma história que poderia ser infantil tem como agradar e prender mesmo a todas as idades.
O final também é ótimo, a altura do que já vimos do autor e com uma vontadezinha de que também vire filme, o livro é fantástico, uma grata surpresa !
brunabenne 25/04/2013minha estante
Pensei a mesmíssima coisa com relação a lembrar ScoobyDoo e Tintin! Ótima leitura.




Hanmi 02/05/2013

Amei
Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas? - eita, títulozinho grande - é o primeiro de quatro livros da série Só Perguntas Erradas e conta a história de um Lemony Snicket de 13 anos que é levado por sua tutora, S. Teodora Markson (O que S quer dizer? Vai saber. Lemony Snicket é o mestre em não nos deixar saber das coisas) à Manchado-Pelo-Mar, uma cidadezinha à beira-mar que não está mais à beira-mar. Sim, e lá vem Snicket para nos confudir outra vez.

Lá, Lemony e S. Theodora Markson tem que resolver o mistério de um objeto roubado que não foi realmente roubado (nem pergunte) e Lemony ainda tem que se comunicar com sua misteriosa aliada, que pretendia encontrar no dia em que Theodora meio que "raptou" Lemony na Casa de Chá e Papelaria Cicuta (creio que é esse o nome do lugar).

"Eu tenho que ler Desventuras em Série antes de ler QPSAUHD?" Não é obrigatório, assim como Os Heróis do Olimpo em relação a Percy Jackson & Os Olimpianos. Mas, assim como Os Heróis do Olimpo, seria muito mais interessante - faria muito mais sentido - se você lesse Desventuras em Série também, já que o livro contém pequenas passagens e personagens a respeito de DeS.

Daniel Handler, vulgo Lemony Snicket é, sem dúvida, um dos melhores escritores de quem eu já li. Sua narrativa te prende e é engraçada. Apesar de parecer confusa, não é, o que ele consegue fazer de maneira surpreendente. A história também é bem desenvolvida - bem é pouco! Handler/Snicket pensa em cada detalhe! Assim como em DeS, Quem Poderia Ser A Uma Hora Dessas? é cheio de mistério, confusões e passagens cômicas.

Os personagens também são super bem desenvolvidos, como Snicket têm essa capacidade incrível de fazer. Não há um personagem criado por ele que não tenha sua qualidade especial. Se tratando de Snicket, todos os personagens são pessoas interessantes/esquisitas/marcantes.

Uma das coisas que eu mais gostei neste livro é que Snicket conta como se nós já soubéssemos exatamente quem ele é, o que faz ali, qual a sua meta, et cetera. E só nas últimas páginas do livro você começa a entender o que diabos estava acontecendo por ali.

Esse é o tipo de livro que você não pode dizer muito senão estraga a história inteira. Então vou parar por aqui. Mas, juro, esse livro é mesmo muito bom. Não me arrependo, e estou esperando ansiosamente pelo segundo volume da série, When Did You See Her At Last?, traduzido literalmente como Quando Você a Viu Pela Última Vez?, pergunta que suponho que se refira a certa garota traidora (quem já leu, entende esta). Mas, conhecendo Snicket, não garanto nada.
Lais 04/07/2013minha estante
Você sabe aonde pode baixar esse livro?




Página&Projetor 03/02/2014

Visto pela primeira vez na compilação de acontecimentos denominada “Desventuras em Série”, que narra a história dos Irmãos Baudelaire, Lemony Snicket (pseudônimo do autor Daniel Handler) volta a se apresentar aos leitores. Porém, desta vez conhecemos o sagaz investigador no início de sua carreira, ainda criança, trabalhando como aprendiz na resolução de mistérios em uma cidadezinha pitoresca chamada Manchado-pelo-mar [...] Leia a resenha completa no blog (link abaixo)

site: http://paginaeprojetor.wordpress.com/2014/01/14/resenha-quem-poderia-ser-a-uma-hora-dessas/
comentários(0)comente



Mateussf 30/12/2012

O início da carreira de Lemony Snicket
Lemony Snicket voltou com mais uma série de livros situada no universo de Desventuras em Série. Mas em "Quem Poderia Ser A Uma Hora Dessas?", ao invés de órfãos sem lugar para ficar e incendiários fugitivos, o protagonista é o próprio Lemony Snicket, que nos conta como foi sua infância e suas primeiras missões.
Depois de sua formatura, Lemony escolhe a pior tutora da lista, na esperança de poder ir para a cidade grande, e ter tempo livre o suficiente para trabalhar em seus projetos paralelos com uma aliada misteriosa. Porém, ele acaba na miserável cidade de Manchado-Pelo-Mar, onde terá sua primeira missão: roubar uma pequena estatueta no formato de uma criatura mística do folclore da região, a Fera Ressonante, e devolvê-la ao seu legítimo dono. Porém, descobrir quem é o verdadeiro dono é o verdadeiro desafio, pois muitas pessoas estão atrás dessa estatueta, apesar de ela aparentar ser apenas uma quinquilharia sem valor algum.
No caminho, Lemony se aventura em cabines abandonadas, mansões abandonadas, cafeterias abandonadas e bibliotecas semi-abandonadas. Ao longo desses lugares, o protagonista conhece várias pessoas, como irmãos taxistas que fazem viagens por "dicas" (uma tradução do inglês, onde "tip" pode significar tanto gorjeta quanto dica), uma aspirante a jornalista que escreve tudo o que acontece em sua máquina de escrever portátil, um irritante moleque mimado pelos pais e uma misteriosa garota que está em busca do seu pai. Agora, quais delas são amigas e quais são inimigas, o pequeno garoto Snicket terá que descobrir por si próprio.
Essa autobiografia autorizada, que é apenas a primeira de quatro, é ilustrada por Seth Little e apresenta uma outra face do autor do Dossiê Baudelaire e ajuda a entender (ou confundir) um pouco mais os (muitos) mistérios que não foram explicados em Desventuras em Série. Apesar do foco diferente, o estilo de escrita é bem parecido, e a leitura agrada tanto os voluntários que já são fãs do autor quanto os que (ainda) não sabem nada sobre CSC.
comentários(0)comente



52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4