Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas?

Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas? Lemony Snicket




Resenhas - Quem poderia ser a uma hora dessas?


51 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4


Lane @juntodoslivros 21/05/2016

"Quem poderia ser a uma hora dessas?" de Lemony Snicket
Daniel Handler é um autor com escrita bem diferente. Seus personagens são excêntricos e divertidos. Com o pseudônimo de Lemony Snicket, ele se faz protagonista da própria história.
“Eu estava no vilarejo, fora contratado para investigar o roubo, e achava que a garota não tinha nada a ver com aquilo. Eu tinha quase treze anos e estava errado. Sobre tudo.” Página 13

Lemony Snicket é um detetive aprendiz de apenas 13 anos. Depois de sua educação incomum, Lemony escolhe uma tutora para ser seu aprendiz. Ele acaba por escolher a última pessoa de uma lista de cinquenta e dois tutores, a senhora S. Theodora Markson. Mas por que ele escolheria a pessoa menos qualificada dessa lista? Essa, com certeza, é uma pergunta certa.

O objetivo de Lemony era ir para a cidade grande junto com sua tutora, mas os planos acabam mudando e os dois vão para um vilarejo chamado Manchado-pelo-mar, que nem existe na maioria dos mapas. Os dois foram contratados pela senhora Murphy Sallis para recuperar uma peça bastante valiosa, a Fera Ressoante. A senhora Sallis sabe que seus vizinhos, a família Mallahan, roubaram. Ela deseja apenas que os dois recuperem a peça para ela. E o que era para ser uma investigação fácil, torna-se um emaranhado de pistas erradas, de perguntas erradas.

“– Colina dos lenços? – disse Juca, oferecendo-me um donut. – Não tem ninguém por lá, amigo.
– Vamos torcer para que você esteja errado. – eu disse.” Página 150

Em sua busca pela verdade sobre a Fera Ressoante, Lemony encontra alguns aliados e outros nem tanto. A busca por essa peça é mais perigosa do que ele imaginava. Um vilão está por trás de toda a confusão.

Quem poderia ser a uma hora dessas? é o primeiro livro de uma série de quatro livros denominada Só Perguntas Erradas. Esses contam os relatos de Lemony em sua estadia em Manchado-pelo-mar e todo o mistério envolvido com a Fera Ressoante. Esses livros estão cheios de mistérios e podem ser lidos por qualquer pessoa em qualquer faixa etária. Uma leitura leve e rápida.

Não posso deixar de comentar que fiquei bastante curiosa com a escolha de Lemony em ter S. Theodora Markson como tutora, já que ela não era assim tão qualificada como investigadora. Um mistério em cima de outro mistério.

Sobre a estrutura do livro só posso dizer que fiquei encantada com as cores e as imagens contidas nele. Uma edição muito caprichada! Selo Seguinte sempre deixando as edições de seus livros maravilhosas.


site: http://www.lostgirlygirl.com/2016/05/resenha-886-quem-poderia-ser-uma-hora.html
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 08/03/2016

Ele escreveu um relato sobre tudo o que se passou que não deveria ser publicado, em quatro volumes que não deveriam ser lidos. Este é o primeiro deles.O livro gira em torno de Lemony Snicket que acaba de se formar em alguma organização secreta e terá que desvendar seu primeiro caso (não fica claro que se é o primeiro) junto com uma tutora muito estranha chamada pelo nome de “S” (cabelos encaracolados e selvagens, senti um preconceito com as meninas de cabelos cacheados, tipo eu... ¬¬’) no qual eles foram contratados para recuperar uma estatueta que foi roubada.

É um livro infanto-juvenil, voltado acredito para crianças e pré-adolescentes 10 a 12. Mas recomendo o livro para qualquer adulto. Pois é uma estória cheia de mistério e reviravoltas. E também é livro bem divertido.

O livro é contado em primeira pessoa e temos a visão do próprio Lemony Snicket. É um livro de 235 paginas, no qual levei umas 4 horas para ler, ou seja, é um livro curto. As ilustrações são lindas, o livro inteiro e todo caprichado.

O que é demais desse autor é que os personagens principais são crianças. Só que essas crianças não brincam de carrinho ou bonecas. Elas são peculiares e quando quero utilizar a palavra peculiar quero dizer que elas possuem características admiráveis, únicas e fortes. e conseguem enxerga coisas que maioria dos adultos não quer ver.

A forma como Lemony fala é diferente e engraçada. Ele sempre coloca uma palavra difícil e explica o significado da mesma em relação à ação que esta ocorrendo momento. E esse seu jeito espertalhão deixa sua tutora louca, porque, diga-se de passagem, ela é bem maluquinha e um pouco tapada.

Outro ponto que eu gosto muito do personagem/autor/pseudônimo Lemony Snicket é que ele sempre cita sua relação com bibliotecas e como elas são legais, ou como é interessante ler um livro. Ou seja, é um bom incentivo para as crianças que possivelmente possam ler o livro.

Mais um ponto engraçado e um pouco irritante é que os adultos geralmente são tapados, não entendem mesmo quando a verdade está estampada, não escutam ou não acreditam no que as crianças dizem. Acredito que isso acontece porque é um pouco do que vivemos quando crianças, isso é real, nós adultos várias vezes não damos importância para que uma criança as vezes quer falar.

“Dá um liga” nessa frase – “Repreender alguém deve ser muito divertido, mas muito divertido.Se não fosse, crianças também poderiam fazê-lo.” pg 142
Fala sério, demais neh!

Por que ler este livro:

A escrita de Lemony Snicket(Daniel Handler)lembra-me muito o Tim Burton.Não pelo terror, mas pelo tipo de criatividade.As vezes ele fala sobre um objeto vamos supor a estatueta em questão que foi roubada, como se esta tivesse vida ou fosse uma pessoa entende?
Ele faz de coisas que parecem não ter ligação, pelo menos aparentemente, ter. Os personagens possuem características um tanto quando excêntricas e ele não precisa ficar descrevendo vinte paginas cada personagem para você adotá-los para si ou simplesmente odia-los.
E tudo isso descrito de uma maneira simples, divertida e gostosa de ler. Olha eu não sou escritora e nem li tantos livros.Mas percebo que não são todos os escritores que conseguem ter essa coisa, essa identidade.E eu sinto essa coisa quando leio qualquer coisa desse cara,(tive esse sentimento em desventuras em série também.)

O que aprendi com esse livro?

É bom olhar a simplicidade das coisas, como as crianças fazem. Elas não pensam, elas vivem saca?
Gostei muito desse trecho, um amigo disse-me a mesma coisa um dia anterior a leitura do livro:
“-Tem alguma coisa acontecendo que a gente não está conseguindo enxergar.
-Geralmente é esse o caso – eu disse. – O mapa não é o território.” Pg.109 - Quem poderia ser uma hora dessas?, Lemony Snicket.


site: http://paraisodasideas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Blog MDL 07/02/2016

Lemony Snicket é um jovem de treze anos de idade que mal acabou de terminar uma etapa em sua vida e já iniciou outra totalmente nova, pois após concluir sua educação especial, agora ele é aprendiz em uma misteriosa organização. Por ser inexperiente, ele precisa de uma tutora para poder participar das primeiras investigações, entretanto, ele está sob o comando da pior tutora que poderia existir! Além dela ser a última no ranking, Theodora é mais atrapalhada do que o próprio Snicket que só começara a trabalhar naquele momento em que chegou a cidade Manchado-pelo-Mar para desvendar um misterioso roubo.

Como não poderia deixar de ser, ele tem os seus motivos para escolher alguém tão ruim em seu trabalho, mas isso só é algo que será revelado após descobrir os mistérios que rondam a estátua de um monstro que faz parte do imaginário local e que todos chamam de Fera Ressonante. Snicket está se debatendo com perguntas a respeito não só do objeto, como também, do interesse que algo tão simplório poderia despertar em tantas pessoas. Mas ele só faz perguntas erradas e isso só poderia significar uma coisa: confusão! Agora, com uma tutora estabanada, pessoas que não são quem realmente dizem e uma biblioteca repleta de livros para ler, ele terá que sobreviver a uma série de infortúnios em uma cidade que esteve à beira-mar um dia, mas que não está mais.

Passei boa parte da minha adolescência desejando conhecer todas as desventuras vividas pelos irmãos Baudelaire, mas essa chance nunca veio. Quando finalmente tive oportunidade de ter contato com a escrita do autor Lemony Snicket (pseudônimo do autor Daniel Handler), não hesitei, mesmo que o meu primeiro contato tenha sido com a série "Só Perguntas Erradas" e não com a que ansiei durante tantos anos. E depois de ter concluido a leitura do primeiro livro, só posso dizer que foi uma escolha muito boa ter feito o meu début com o autor através desse enredo repleto de ação e tensão.

Pode parecer estranho em um primeiro momento, mas Lemony Snicket não só leva o nome na capa do livro, como também, é o protagonista da nossa história. Ele nos leva por uma série de acontecimentos que sempre acaba em uma pergunta errada e uma resposta que o faz ir mais fundo em um labirinto que parece não ter uma saída aparente. Sua personalidade é muito bem caracterizada de modo que nós vamos conhecendo pouco a pouco tudo o que o torna um narrador-personagem tão interessante. A escrita do autor é muito ágil e fluida, por trazer um vocabulário simples, é fácil sentar com esse livro e só sair do sofá após ter concluido a leitura.

Em determinados momentos senti como se tivesse lendo uma trama policial da Agatha Christie voltada para um público infantojuvenil, já que além das muitas reviravoltas no caso, nem sempre o culpado é quem acreditamos que fosse. Mas é claro que devo salientar que por ser uma história mais direcionada para crianças, os mais crescidos devem se deixar levar pela simplicidade de "Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas?" sem muitas hesitações para poderem sentir o poder dessa narrativa. Digo isso, pois por muitas vezes ler essa história como um adulto leria, senti falta de algo que alguém mais jovem certamente não sentiria.

Em suma, posso dizer que comecei com o pé direito as minhas leituras dos livros do Lemony Snicket. Pois mesmo que tenha tido alguns "poréns" durante a minha jornada com a história, sem sombra de dúvidas pude entender o porquê dos enredos do autor serem referência no gênero, já que não são poucas as brincadeiras textuais que ele fez não só para compor a narração, como também, a caracterização dos personagens. Por fim, digo que estou "ensandecida" para ler os demais livros da série "Só Perguntas Erradas", palavra que nesse contexto significa muito muito animada!

site: http://www.mundodoslivros.com/2016/01/resenha-quem-poderia-ser-uma-hora.html
comentários(0)comente



Júlia 07/04/2015

As aventuras de Lemony Snicket
Bem, acho que eu sou meio suspeita pra falar dessa série, como uma grande fã dos livros de Daniel Handler (ops, Lemony), e tendo um blog cheio de referências a Desventuras em Série espalhadas por toda parte (toda parte mesmo), mas mesmo assim, posso afirmar com absoluta certeza que Só Perguntas Erradas é uma das séries de livros mais empolgantes que eu já li.

Pra começar, Só Perguntas Erradas se passa no mesmo universo de Desventuras em Série, mas isso não significa que é preciso ler uma série para entender a outra, apesar de que, quem já leu Desventuras em Série, pode identificar diversas referências, citações ou até mesmo aparições de personagens queridos (nada de citar nomes, porque seria spoiler), que mesmo curtas, são bem marcantes, além do tradicional formato da história em treze capítulos, marca registrada dos livros de Lemony.

Mas se você, por um infeliz acaso, ainda não leu Desventuras em Série (e deveria), e gosta de um bom mistério, saiba que o primeiro livro, "Quem poderia ser a uma hora dessas?", está repleto deles. A história acompanha nosso amado Lemony Snicket, já adulto em Desventuras em Série, mas aqui com quase treze anos, como membro de uma misteriosa organização. Como parte de seu aprendizado, Lemony é encaminhado para um tutor para ajudá-lo a solucionar crimes. Então, ao lado de sua ilustre tutora S. Theodora Markson (o que o S quer dizer?), o menino vai para a misteriosa cidade de Manchado-pelo-mar (que por acaso, não fica à beira-mar) para solucionar o roubo de um objeto desaparecido. Mas, durante a sua estadia nessa estranha cidade, Lemony acaba percebendo que há muito mais mistérios envolvidos nesse roubo do que ele imaginava.

Narrado em primeira pessoa pelo próprio Lemony Snicket, o livro também apresenta outra marca registrada de Daniel Handler (quer dizer, Lemony), que são os personagens muito bem desenvolvidos. É claro que toda história que se preze tem bons personagens, mas no caso dos livros dele, todos os personagens são essenciais. E quando eu digo todos, eu quero dizer todos mesmo. Desde o protagonista até os personagens secundários, cada um tem uma personalidade marcante e bem definida. Ninguém aparece por acaso, e todos eles são bem introduzidos na história. A jornalista aventureira Moxie Mallahan, a misteriosa Ellington Feint, os fofos irmãos Belerofonte, e até mesmo os divertidos policiais Mitchum. É impossível não amar cada um deles.

E é claro, Lemony Snicket, que é absolutamente um excelente protagonista. Lemony não é o típico personagem que se recusa a aceitar o seu fardo, ou que demora milhares de anos para encontrar respostas, ou que trata os seus assuntos com uma lerdeza irritante (sim, Percy, essa foi pra você), mas ele é sim um garoto esperto e sagaz, sempre pronto para enfrentar o próximo perigo, mesmo que não queira realmente enfrentá-lo. “Fique assustado depois” é o que ele sempre diz (apesar de que, com tantos perigos um atrás do outro, acaba não sobrando muito tempo para ficar assustado mesmo). Mas Lemony sempre consegue contornar seus obstáculos com sua ironia e seu sarcasmo usuais, que o tornam um personagem super divertido e amável.

Os mistérios são realmente empolgantes, e sempre levam a conclusões inimagináveis. Cada vez que você pensa que finalmente desvendou um mistério, mais fatos misteriosos ocorrem, desencadeando ainda mais situações misteriosas, e conduzindo a mais mistérios que você nunca teria esperado antes, levando a uma conclusão totalmente inesperada e surpreendente. A história ainda é acompanhada de incríveis ilustrações, que conseguem transmitir bem o ar misterioso que permeia a narrativa. Ah, eu já falei que tem muitos mistérios?

A cidade de Manchado-pelo-mar é o cenário perfeito para essa história. Repleta de lugares perigosos, habitantes suspeitos, e sempre rodeada com um clima de suspense apavorante. Muitos perigos aguardam o nosso destemido protagonista, que mesmo um aprendiz, consegue se virar muito bem em uma cidadezinha como essa. Já a sua tutora Theodora? Bem, digamos que nem tanto. Talvez o maior mistério de toda a história seja a própria tutora, com sua cabeleira indomável e seu vocabulário complicadíssimo. Mas por que cargas d’água Lemony Snicket escolheria essa mulher para ser sua tutora? Esse também é um outro mistério, que remete a uma outra cidade, um museu e uma aliada possivelmente em apuros.

Então, no final da história, alguns mistérios ainda ficam em aberto para as próximas sequências, deixando aquele irresistível gostinho de quero mais, que te faz sair correndo para ler o próximo livro. O único defeito (se é que se pode chamar assim) que é possível encontrar em “Quem poderia ser a uma hora dessas?” é que ele é muito pequeno. Você termina rapidinho e já fica com saudade. Mas, felizmente, essa é uma série de quatro livros, e a sequência “Quando você a viu pela última vez?” já aguarda ansiosamente a sua leitura.

Bem, e aqui eu termino a resenha desse livro extraordinário, e eu espero que tenha gostado. Muitos mistérios te aguardam com Lemony Snicket em Manchado-pelo-mar.


Resenha do blog Mundo Sereno ;)

site: www.serenomundo.com
comentários(0)comente



Dani Moraes 08/10/2014

Misterio, muito misterio!!!!
Esse livro é muito legal e cheio de mistérios!!!
Se você quiser saber um pouco mais sobre ele clique no link abaixo:

site: http://www.asverdadesqueopinoquioconta.blogspot.com.br/2014/10/quem-poderia-ser-uma-hora-dessas.html
comentários(0)comente



Karina 25/09/2014

Adorei o Lemony Snicket, ele é incrível, muito esperto e adora uma aventura.
O mais interessante é sua lealdade com suas promessas.
A tutora é muito chata, mas senão fosse assim o Lemony não seria tão legal.
Fiquei curiosa para saber o que aconteceu depois.
comentários(0)comente



Gabriela 21/08/2014

RESENHANDO: QUEM PODERIA SER A UMA HORA DESSAS
ESSA RESENHA TAMBÉM ESTÁ NO BLOG 'É O ÚLTIMO, JURO!' E NO CANAL DO YOUTUBE!

NOTA: 5/5

PONTOS FORTES: O livro é bem leve e descontraído, é voltado para o público juvenil, mas acredito que qualquer adulto irá gostar. O livro é muito leve e o ritmo é ótimo. Os personagens são engraçados, principalmente o próprio Lemony que brilha no livro. É um livro bem humorado e sem enrolação.

PONTOS FRACOS: A história não tem muita profundidade, é um livro breve e acho que o que se sobressai são os personagens, mesmo. Você fica com mais curiosidade de saber o que vai acontecer com Snicket do que como o mistério vai acabar.

O QUE MAIS GOSTEI: O que mais gostei foram os personagens, o autor consegue te deixar simpático com alguns personagens e com raiva de outros. Eu acho que, quando conseguimos não gostar ou gostar muito de personagens é porque o trabalho do autor foi bem feito.
Gostei muito da ambientação também, a cidade que ele cria é diferente e bem legal, gostei da forma como ele trabalhou com um lugar inesperado e completamente improvável, é uma investigação com um pé na fantasia, gostei demais disso.
Gostei também da forma como a narrativa é levada. É em primeira pessoa e isso deixa o livro mais engraçado ainda, com as passagens de Lemony e suas observações.

O QUE MAIS: O livro é bem lindo, o trabalho editorial está impecável. Ele é todo ilustrado, a capa é bem linda e a formatação ótima. É um livro bem fácil de se achar por aí e acho que em português tem até o segundo.

Acompanhem minhas resenhas pela minha página no facebook, blog e canal no youtube!

site: https://www.youtube.com/user/oultimojuro http://oultimojuro.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Camila Márcia 03/08/2014

Incrivelmente louco e divertido!
Quem poderia ser a uma horas dessas? É uma história confusa e louca e indescritível, mas isso eu já esperava, a novidade é que conhecemos como Lemony se tornou um agente e, portanto, tudo começa quando ele vai com sua tutora S. Theodora Markson para uma cidade completamente falida chamada Manchado – a cidade tinha como fonte de renda a tinta extraída dos polvos, mas com a decadência da tinta a cidade faliu e quase toda a população abandonou a cidade – se encontrar com uma mulher que afirma que um de seus objetos, a estatueta da Fera Ressonante, foi roubada.
Todos os personagens, suspeitos e envolvidos na história insistem em dizer que a estatueta não tem valor nenhum, entretanto, há muitas pessoas atrás dela para que Snicket caia na história. Em meio a muitas perguntas erradas, ações bizarras e personagens estranhos – do tipo que aparecem sem serem chamados e nos momentos mais inesperados possíveis – a narrativa vai se desenrolando e os mistérios sendo decodificados, entretanto, muita coisa fica nos questionando no final do livro e, se depender de Snicket, a série vai nos deixar cheios de questionamentos e não vão ser respondidos com tanta facilidade.
O exótico, a linearidade podem ser jogados na cara do leitor e trocados por algo que não faz nenhum sentido, mas no final o leitor será chocado com o sentido das coisas. Complicado? Bem isso, o que se espera de um livro escrito por Snicket, ele é um escritor cheio de sagacidade e uma palavra pode nos levar a uma outra coisa, ele é capaz de fazer referências a outros de seus livros ou pessoas e celebridades de uma forma tão sutil que muitas vezes pode até passar desapercebido.
Em Quem poderia ser a uma horas dessas? Temos personagens interessantíssimos e o mais interessante além de Snicket, claro, é a tutora S. Theodora Markson que se passa por uma agente muito inteligente e famosa, mas que na verdade está na última colocação no ranking de melhores agente. Outros personagens são muito interessantes e uma em particular que virá a ser de grande importância provavelmente para o próximo livro.
O final desse livro foi incrivelmente incrível e faz com que o leitor tenha vontade de se apegar ao próximo exemplar, portanto, fica a dica: mantenha o segundo volume (Quando você a viu pela última vez?) bem próximo, pois é quase impossível não pegá-lo logo após a leitura de Quem poderia ser a uma horas dessas?.
Camila Márcia

site: http://www.delivroemlivro.com.br/
comentários(0)comente



tracie 26/07/2014

Quem poderia ser a uma hora dessas? - Lemony Snicket
Cheguei a esse livro da mesma forma que muitos dos que o leram: por causa de Desventuras em Série.
Desventuras em Série foi uma série (cê jura) que me marcou muito lá pelos meus 12-14 anos. Eu adorava os livros, lia um atrás do outro. Até hoje é o meu xodó, ainda quero ter na estante só para olhar para eles e lembrar do quanto gostei de lê-los.
Por já conhecer esse trabalho do autor, comecei "Quem poderia ser a uma hora dessas?" esperando algo similar, uma historinha divertida para passar o tempo, nada que me fizesse refletir demais. E o livro cumpriu totalmente seu papel. Foi divertido e eu gostei.
Mesmo agora, com 17 anos (uau que adulta. Ok eu sei), ainda consigo me divertir com livros mais infantis. Não sei ao certo a qual faixa etária esse livro é indicado, mas acredito que encaixe-se em Middle Grade, ou seja, a mesma faixa etária do próprio "Desventuras em Série" e também do famoso "Percy Jackson e os Olimpianos", de Rick Riordan (que eu também adoro).
Lemony Snicket para mim é que nem Lewis Carroll e C.S. Lewis, não tem idade para aproveitar a leitura.
É leve e divertido. Recomendo.
comentários(0)comente



Jadna 16/07/2014

Quem poderia ser a uma hora dessas? - Lemony Snicket

Me desculpem por isso que eu vou dizer mas terminei Desventuras em Série pedindo pra morrer.
Percebi que o mesmo que muita gente gosta no Lemony Skinet é simplesmente o que eu detesto.
Personagens e situações em que só acontece desgraça e injustiça,onde o protagonista geralmente imponente vai sendo jogado pra lá e pra cá sem poder fazer quase nada. E o tom do Lemony é sempre de deboche,como se ele sempre tivesse dizendo: a vida é assim mesmo,só acontece coisas ruins e se tá achando ruim simplesmente vá ler outro livro.

Pra muitos isso pode ser uma ótima sacada e muito inteligente da parte dele,mas também não faz com que seja menos torturante ler os seus livros.

Só tentei com mais esse porque achei que o problema era com Desventuras em Série,que a quantidade de livros fez com que a história ficasse massante,repetitiva e etc,mas não,o meu problema é com o Lemony mesmo,embora pelo visto só eu não goste desse estilo dele.

site: https://twitter.com/Jadna_Rocha
comentários(0)comente



15/06/2014

Depois de pagar menos de R$10,00, eu finalmente estaria realizando o sonho de ler um livro do famoso autor Lemony Snicket. Então, não demorou muito para que eu pegasse Quem poderia ser a uma hora dessas? para ler, afinal, estava mais do que curiosa para conferir o que o autor de Desventuras em Série tinha para mim em uma outra série.
Eu já tinha uma leve noção de que as histórias de Snicket poderiam ser um pouco...surtadas, mas nada havia me preparado para o que eu encontraria nesse livro. Para começar, o nome do personagem: Lemony Snicket. Droga, ele mesmo? Prosseguindo, trata-se de uma história onde ele, jovem, é recrutado para resolver mistérios. Tendo se formado, Lemony tinha uma lista de mentores com os quais trabalhar e ele acabou escolhendo justo o último nome da lista, caindo com uma mulher peculiar e muito rabugenta.
Como se já não fosse bastante louco até aí, vamos além, para uma cidade que costumava ser coberta pelo mar, mas que, agora, fabrica tinta retirada de polvos, como se, na verdade, estivesse extraindo petróleo; além disso, temos uma floresta de algas marinhas onde não há mais água do mar! E toda essa cidade tem um ar bizarro de vilarejo pequeno, onde todo mundo se conhece e a força policial não poderia ser mais inútil, com um casal de policiais casado e com um filho terrível que parece um anjo aos olhos dos pais.
Dá para perceber que o livro de Snicket nada mais é do que uma típica leitura para crianças e jovens, já que temos o jovem autor no centro dessa história maluca, cercado de adultos abobalhados e irritantes, restando a ele resolver o mistério do sumiço da estatueta de uma espécie de cavalo marinho, que é símbolo dessa estranha cidade. São muitas perguntas feitas ao longo das páginas que, aos olhos da bizarra mentora de Lemony, são todas erradas, mas que só resta ao menino encontrar as respostas, totalmente sozinho.
Cercado de mistérios e intrigas, não sabemos exatamente em quem confiar, afinal, tirando os adultos atrapalhados, restam poucas crianças e, dessas, não se sabe qual delas será de grande ajuda ou só servirá para atrapalhar.
A verdade é que, ao longo do enredo, vamos descobrindo que há muito mais perguntas do que respostas. Embora sejam descobertas informações importantes para tentarmos entender, mesmo que minimamente, o que se passa em Manchado-pelo-mar (sim, esse é o nome da cidade), logo percebemos que tem muito mais coisas nesse livro do que seríamos capaz de descobrir em um único volume. E, portanto, acabamos a rápida leitura com muitas questões em aberto.
Quem poderia ser a uma hora dessas? é um livro extremamente louco e bizarro. Não vou mentir. Fiquei com uma cara de hein? praticamente a leitura toda e, não fosse a rápida fluidez, as letras grandes e as ilustrações nos mesmos tons da capa que permeiam o livro, eu o teria largado imediatamente. Mas que bom que eu não abandonei, pois, no final das contas, acabei ficando muito curiosa com o que mais teria para acontecer nos próximos livros. É verdade que é uma história sem pé nem cabeça; é verdade que chega a dar raiva Lemony Snicket ter de lidar com adultos tão bobos e ele acabar salvando o dia.
Pode não parecer nada demais, afinal, não faz muito sentido e você acaba por se perguntar se perdeu alguma coisa ou o enredo é tresloucado assim mesmo. Mas o que realmente nos ganha nesse livro é o apelo visual. Temos uma capa em tons de azul lindíssima, com um toque aveludado e com cada ilustração tendo um significado para a história. Depois, ao folhear o livro, nos deparamos com uma leitura ágil e muito confortável, além de encontrarmos diversas ilustrações muito legais e nos mesmos tons de azul da capa.
Quero dizer, esse livro te ganha pelos olhos porque, se depender do conteúdo...você fica louco tentando entender!
No final das contas, até mesmo minha conclusão a respeito do livro ficou confusa. Eu gostei e não gostei dele. Gostei porque foi algo extremamente diferente, uma leitura rápida e bem dinâmica; não gostei porque é uma história sem pé nem cabeça e isso, para mim, não faz o menor sentido. Como pode alguém escrever um livro tão louco assim?
Se eu indico? Pode ser. Se você quer se arriscar em algo que saia totalmente do comum, este livro é uma excelente escolha! E não se aflija caso não gostar, em pouco menos de duas horas você o finaliza sem maiores problemas. Então não é uma perda total de tempo, principalmente se você conseguir adquiri-lo pelo mesmo preço que eu ou até menos. Não me arrependi de tê-lo comprado ou lido, mas com certeza esperarei uma nova promoção como essa para comprar a continuação.
Afinal, não vou abandonar a série. Quero realmente descobrir os mistérios que foram deixados ao final desse primeiro volume e, claro, cultivo esperanças de que essa história tome um rumo mais centrado e com mais nexo do que foi essa primeira experiência.
Leia por sua própria conta e risco.

site: http://onlythestrong-survive.blogspot.com.br/2014/06/resenha-quem-poderia-ser-uma-hora.html
comentários(0)comente



Marina 15/05/2014

Lemony Snicket - "Quem poderia ser a uma hora dessas?"
Adoro o humor sombrio de Lemony Snicket (Daniel Handler). Acho brilhante a abordagem que o autor faz de temas que às vezes são tristes e pesados demais para crianças (como sequestro, assassinato e exploração do trabalho infantil, no caso deste livro em particular). Como sempre, o autor consegue provocar o leitor, instigar ao questionamento de situações muitas vezes injustas, frustrantes ou non-sense, sempre com uma visão tão pessimista, misteriosa e adulta (embora o protagonista tenha apenas 13 anos incompletos) que chega a ser cômica.
Embora eu tenha gostado muito desse livro, creio que a tradução não foi muito boa e algumas piadas (geralmente com jogos de palavras) podem ter se perdido. Mas recomendo! :)
comentários(0)comente



Michelly 22/02/2014

"Fiz a mim mesmo a pergunta que está impressa na capa deste livro, que, mais uma vez, era a pergunta errada."
Lemony Snicket é um garoto de quase 13 anos que está prestes a pegar seu primeiro caso como detetive. Em circunstâncias completamente estranhas, ele embarca para Manchado-pelo-mar com sua tutora, S. Theodora Markson. Chegando na cidade, eles vão ao encontro de sua cliente, a Sra. Murphy Sallis, e descobrem que foram contratados para investigar o roubo de uma estátua muito valiosa, chamada de Fera Ressonante. Mas há uma curiosidade nessa história: a Sra. Murphy sabe que quem roubou a estátua foram os Mallahan, ou seja, o trabalho de Lemony será apenas resgatar o objeto.
Sendo assim, Snicket e Theodora dão início ao plano de resgate, mas acabam descobrindo que a história é mais complicada do que parecia...

Esse foi meu primeiro livro de Lemony Snicket, e eu, simplesmente, amei sua escrita. A narrativa é leve, engraçada e muito bem construída, contudo, se você não estiver acostumado com o jeito Snicket de escrever, pode estranhar certos absurdos que permeiam sua história. Achei, inclusive, muito parecido com a escrita de Douglas Adams, cheia de ironias e com trechos que você pensa: WTF?! Porém, na minha opinião, isso dá personalidade aos livros do autor, sendo que sempre que me deparar com um texto dele, saberei logo por quem foi escrito.

Minha única reclamação diz respeito ao desenvolvimento da história, que tinha alto potencial, mas foi pouco explorada. Talvez isso se deva ao fato de que ela continuará nos próximos livros, mas, por hora, achei que essa obra poderia ter sido um pouco mais trabalhada.
Apesar disso, indico a leitura de Quem poderia ser a uma hora dessas? a todos que gostam de um mistério e, principalmente, tenham senso de humor.
Eu não só quero ler os próximos da série como também estou ainda mais animada para ler Desventuras em Série, saga mais famosa do autor.

http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
Mais Uma Página
comentários(0)comente



Ana Caroline 20/02/2014

Madrugada perfeita.
Sabe quando tu ama muito um escritor e tem certo medo de que ele te decepcione? Então, estava sentindo isso quando fiquei sabendo desse novo livro do Daniel/Lemony. Eu sou apaixonada por Desventuras em série e pensei que talvez fosse me decepcionar com esse livro. Engano meu. O livro é maravilhoso. A escrita é maravilhosa. A história é divertida, engraçada, sem forçar, tudo flui. Daniel sabe escrever de tudo, de todas as formas e, sinceramente, acho isso maravilhoso. Ainda não li a sequencia desse livro, mas, já quero! Recomendo, é um livro mega rapido, que te prende do começo ao fim e te deixa decepcionada quando acaba, porque tu quer que tenha mais paginas e que não acabe nunca!
comentários(0)comente



Página&Projetor 03/02/2014

Visto pela primeira vez na compilação de acontecimentos denominada “Desventuras em Série”, que narra a história dos Irmãos Baudelaire, Lemony Snicket (pseudônimo do autor Daniel Handler) volta a se apresentar aos leitores. Porém, desta vez conhecemos o sagaz investigador no início de sua carreira, ainda criança, trabalhando como aprendiz na resolução de mistérios em uma cidadezinha pitoresca chamada Manchado-pelo-mar [...] Leia a resenha completa no blog (link abaixo)

site: http://paginaeprojetor.wordpress.com/2014/01/14/resenha-quem-poderia-ser-a-uma-hora-dessas/
comentários(0)comente



51 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4