Os Noivos

Os Noivos Alessandro Manzoni
Alessandro Manzoni
Alessandro Manzoni




Resenhas - Os Noivos


7 encontrados | exibindo 1 a 7


jota 13/04/2012

Leitura obrigatória
Nas escolas italianas, é claro.
Mesmo assim os estudantes italianos devem apreciá-lo muito.
Os Noivos, de Alessandro Manzoni, é um romance histórico bastante interessante e movimentado, um dos pioneiros do gênero.
E merecia uma média melhor dos leitores do SKOOB, pois foi subvalorizado (melhor seria escrever desvalorizado, não?) aqui, nesta data.
Pode-se não se gostar dele, mas daí a considerá-lo apenas mediano vai uma grande distância.
Enquanto isso verdadeiras bombas ganham média 4,2, 4,5...

Escrevo agora em 2020 (o comentário acima é de 2012, quando li a obra) e vejo que a avaliação média está em 4,1. Precisa melhorar um pouco mais...
Luisa. 01/12/2015minha estante
Oi, Jota.
Eu também estou adorando o livro e acho que é uma leitura que vale muito a pena e que deveria ser mais recorrente no Brasil. O que eu acho que pode ser o problema é que a maioria das edições aqui no Brasil estão incompletas (a da Abril, por exemplo, que é mais acessível), com partes simplesmente cortadas. A melhor edição que conheço é a da Nova Fronteira. Mas acredito que nem todas as pessoas saibam disso.
Não estou discutindo a qualidade do livro (que para mim é clara), mas acho que este pequeno fator pode atrapalhar um pouco.




Leonardo Rosa 05/11/2013

Formidável
Um dos melhores livros que li. Equilibrado, combina humor, drama, suspense, História e situações e formalidades do cotidiano numa Itália muito antes da unificação. Trata de política, moral e tem muito da realidade...daquela época, claro. Recomendo muito!
jota 23/11/2013minha estante
Poxa: finalmente surgiu mais alguém que soube apreciar devidamente este excelente livro. Parabéns!


Leonardo Rosa 24/11/2013minha estante
Jota, quando li sua resenha antes de ler o livro, fiquei com uma expectativa boa sobre ele e terminando de lê-lo concordei plenamente com a sua opinião! Recomendo muito!




Juh Lira 01/11/2020

Emocionante!
Eu sabia que eu ia gostar de Os Noivos, mas realmente eu adorei. Realmente é um romance muito católico do começo ao fim, não somente pela presença de personagens católicos, mas pela atuação da Igreja Católica no romance que é crucial para a história do Renzo e da Lucia.

Além disso a narração do Manzoni é uma delícia, fluída como se estivesse conversando com você. O papel da Providência Divina também foi extremamente importante para os nossos noivos, que mesmo em meio às perseguições, a guerra, fome e a terrível Peste de Milão contam com a proteção dos céus através de pessoas que aparecem em seus caminhos apra ajudá-los.

Recomendo demais!
comentários(0)comente



Rafaela 03/08/2014

Uma verdadeira pérola de um dos maiores escritores italianos. Conta história de um humilde e jovem casal lombardo que é impedido de casar por interferência do rico tirano local, que é apaixonado pela moça. Os dois tentam levar à frente seus planos de matrimônio, mas são impedidos por incidentes de toda sorte. Não há espaço para monotonia na trama de "Os noivos". Essa obra entra facilmente na lista dos livros que são inexplicavelmente subestimados pelo público brasileiro.
comentários(0)comente



Marcos Renan 24/04/2016

Leitura obrigatória.
A ideologia do romance é representada pela atitude da classe dominante contra o povo e do papel atribuído ao próprio povo. Os personagens dos povos são os humildes, que são descritos de acordo com uma configuração Católica clara: eles são portadores de uma série de valores como o trabalho duro, a honestidade, altruísmo, pureza moral e, principalmente, da fé cristã. Estes números contrastam com os corruptos poderosos e arrogantes presentes na trama.

A história contada por Alessandro Manzoni se passa na Lombardia entre 1628 e 1630, durante o domínio espanhol e durante uma das epidemias da peste negra. Os protagonistas são Renzo e Lúcia Tramaglino, dois jovens humildes que são impedidos de se casarem por um nobre rico, Dom Rodrigo, que faz uma aposta com seu primo de ter Lúcia como sua mulher.

Manzoni está convencido da incapacidade da massa para criar por seus próprios esforços um sistema social que garanta o bem-estar e justiça e explora muito bem esse tema em Renzo.

Renzo, para evitar atos de violência e rebeldia frente às diversas dificuldades, requer a presença de uma orientação iluminada da qual o Cardeal Federigo, um frade capuchinho, é o exemplo mais notável. A história daquele personagem é a história da educação de um plebeu. No início, Renzo acredita que os pobres não devem renunciar em face da opressão, mas a experiência o leva a desistir de qualquer ambição de ação e confiar-se totalmente à vontade divina.

"I promessi sposi" (A esposa prometida), Lúcia, inocente, cristã fervorosa e trabalhadora, abomina a violência e espera humildemente a ajuda do Senhor que desempenha, ao longo do romance, ação corretiva nas imperfeições de Renzo e de outros personagens.

O livro não trata da redenção dostoievskiana, na qual se dirige para o homem subterrâneo revolvido nos abismos profundos do seu espírito, onde Cristo sempre está presente, mesmo quando nem seu nome nem sua idéia são pressentidos, passando do pecado para a salvação; mas sim de homens que, habitando em um mundo com Deus, chegam à salvação pela fé.
comentários(0)comente

lucas.pinheiro.5815 03/09/2018minha estante
Achei que a história do cardeal Federigo lembra bastante a de Jean Valjean, dos miseráveis!


Marcos Renan 07/09/2018minha estante
Massa, cara. Os miseráveis tá na lista. Por sinal, tu quem vai me emprestá-lo, Lucas. ;)




Sobrinho 02/09/2018

Reler clássicos é um prazer incomparável. Há tempos que eu queria fazer esse exercício com esse livro, foi gratificante.
comentários(0)comente



lucas.pinheiro.5815 03/09/2018

Il Promessi Sposi
A obra prima de Alessando Manzoni, leitura obrigatória da literatura italiana. Esse romance histórico passa em meados dos anos 1600 e conta a história de Renzo e Lucia, noivos que pretendem se casar, mas que por uma série de infortúnios, têm que adiar seus planos.

No livro, é possível perceber a cruel realidade de quem viveu as mazelas da peste. Também merece destaque o papel que a Providência exerce nas vidas de muitas personagens, inclusive dos protagonistas e "humanidade" com as quais as personagens são apresentadas, a virtude ou o vício não são exclusivos de uma determinada classe social: há padres, nobres e pobres virtuosos assim como há padres, nobres e pobres cheios de defeitos!

Manzoni foi genial neste livro, muitas vezes parece que se está no meio de uma conversa, a perspicácia do autor é notável!
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7