A Rainha da Primavera

A Rainha da Primavera Karen Soarele




Resenhas - A Rainha da Primavera


42 encontrados | exibindo 31 a 42
1 | 2 | 3


Tay 04/01/2013

Primeiramente, eu gostaria de dizer que amei a ideia da Karen de escrever um livro só para download .
O livro começa quando Flora está em seu quarto na monotonia do povo sollaris foi tirada pro dois visitantes humanos, o Jovem Dimitri com as mãos sujas de sangue e o velho Nathair Com o rosto queimado. Eles chegam com a notícia que ela é a a herdeira do trono de Hynneldor, e deve voltar para proteger seu reino. A partir dai começa a aventura que Flora esperou a vida toda.
A linguagem do livro é bem simples por se tratar de um infanto-juvenil e a leitura flui bem, o livro tem 87/89 páginas, ele é tão envolvente que li todo em uma hora contada sem perceber que estava lendo pelo computador.
Flora não é o tipo de princesa escandalosa que passa o livro todo gritando e com medo, na verdade, ela é forte e sabe muito bem se defender e defender a quem ama.
Achei a capa do livro linda e os capítulos muito bem divididos.
Pra quem gosta de livros rápidos essa é uma boa dica de livro para ler nessas férias.
comentários(0)comente



samellabridges 13/02/2013

Resenha original para o blog SammySacional - http://bit.ly/VgTi7n

Muito bom! Sem mais palavras para descrever o livro!
Conheci o livro quando vi um post no blog Da Imaginação a Escrita, no qual a Sammy, dona do blog, estava falando sobre a autora do livro, a Karen Soarele. Daí, eu entrei no site da autora e vi a versão E-book gratuita do livro completo, e comecei a lê-lo, só por acaso. Mas eu acabei me apegando à história, e quando fui ver, já estava além da página 40. Passei umas 3 horas seguidas lendo esse livro inteiro, e amei cada segundo da história!

A Flora é, realmente, uma personagem bem corajosa, ou pelo ou menos, pelo o que eu vi no livro, e ela acaba embarcando sozinha em uma jornada além do Mar Eterno, ao lado de dois desconhecidos que dizem saber sua verdadeira origem, da realeza. Porém, só um deles, Dimitri, se mostra fiel à levá-la para seu reino de origem.
Enfim, a aventura é realmente longa e a autora não cansa de detalhar cada situação, personagem, acontecimentos... Você simplesmente conhece perfeitamente cada momento do livro, e fica mais fácil de acompanhar o desenrolar da trama.

É o primeiro livro de fantasia que leio, que é justamente o estilo literário da autora, e, apesar de preferir em boa parte, histórias de romance e tal, eu realmente gostei da história. As cenas de ação e aventura realmente eram bem exploradas e era como se seu estivesse vendo um filme em minha mente, a medida que lia o que acontecia no decorrer da trama. Tudo muito bem elaborado, sem deixar dúvidas e muito bem escrito. Estou ansiosa para adquirir o novo livro da autora, Línguas de Fogo, e acredito que seja ainda melhor do que este - que também não deixa de ser bom, muito pelo contrário, é uma ótima história de se ler.
comentários(0)comente



Escriba 22/02/2013

OBS.: esta resenha também foi postada em meu blog, onde listo referências (links) interessantes a respeito. Confira em: http://escribaencapuzado.wordpress.com


Saiba antes de ler: não sou crítico literário nem detentor da verdade absoluta. O texto abaixo relata as impressões que tive após a leitura deste livro.


A Rainha da Primavera é um romance infantojuvenil da jovem escritora paranaense Karen Soarele. Disponibilizado gratuitamente como e-book (.PDF ou .EPUB) e à venda por impressão sob demanda, a obra é uma concisa introdução ao universo fantástico apresentado em Línguas de Fogo, primeiro trabalho publicado da autora.


O livro tem como público-alvo, principalmente, leitores na faixa etária entre 10 e 15 anos – na qual, obviamente, eu não me incluo já há um tempo razoável. A convite de Soarele, porém, arrisquei-me na leitura do e-book (mil vivas ao Kindle!). Ao fim das 87 páginas, porém, frustrei-me ao ver tantos elementos promissores desperdiçados.


Numa ilha que só pode ser encontrada a cada dez anos vive Flora, que há muito anseia por uma vida de aventuras. Quando um guerreiro de olhos rubros e mãos ensanguentadas e um velho de rosto deformado a encontram, seu desejo está prestes a ser realizar. Vindos de um reino ameaçado pela guerra, os dois forasteiros revelam a Flora o segredo de sua origem e a convocam a uma jornada por um mundo além dos confortos de seu lar ancestral.


A premissa de A Rainha da Primavera pode não soar completamente original, mas desperta o interesse. Infelizmente, a obra é prejudicada pelo tamanho, curto demais para possibilitar o desenvolvimento equilibrado de personagens, história e ambiente.


Em mais páginas, protagonistas e antagonistas poderiam ter suas personalidades exploradas com maior profundidade, eventos poderiam ser contextualizados e locais poderiam ser mais detalhados.


Nota-se no texto certo desapego aos detalhes. Em diversos momentos o leitor trava contato com aspectos instigantes do cenário, como a ilha que só pode ser visitada a cada década e seus misteriosos habitantes de pele cinza-esverdeada, uma Guerra Sem Fim, dádivas divinas, entre outros. Nada disso, porém, recebe mais do que descrições breves ou mesmo meras citações.


Em contrapartida, não se alongar em explicações pode ser parte da estratégia de introduzir novos leitores ao mundo de Línguas de Fogo, atraindo-os para o livro principal, onde estariam todos os detalhes não explorados. É uma atitude válida, mas incompreensível em um trabalho cuja proposta é, justamente, expandir esse universo ao contar uma história de seu passado.


Trata-se, ainda, de um risco que pode resultar em efeito contrário se os “ganchos” não forem bem trabalhados; e, novamente, o tamanho do livro dificulta tal tarefa. Todavia, esta questão nem incomodaria tanto se não prejudicasse também o enredo.


A narrativa poderia ter sido mais enriquecida se certos aspectos tivessem sido esmiuçados, como os eventos em torno do passado da protagonista e da sintonia que a torna tão especial aos dois forasteiros.


Por nunca terem os propósitos por trás de suas ações abordadas, os antagonistas também acabam diminuídos a figuras pouco complexas. Não há tons de cinza, tudo é preto e branco; é mau porque é mau, faz guerra por amor à guerra. Contudo, o que poderia soar inverossímil e imaturo numa literatura adulta ou jovem-adulta é aceitável em um infantojuvenil.


Narrando a história em terceira pessoa, Soarele apresenta uma escrita fluída e direta, como convém a esse tipo de obra. Em alguns momentos, porém, a autora tende a se repetir, talvez no intuito de reforçar ao leitor uma imagem ou sensação.


Senti falta de equilíbrio no ritmo da história, que ora se arrasta, ora acelera demais, por vezes até entregando muitas informações numa só tacada – certas revelações teriam maior impacto se não fossem feitas nos primeiros capítulos, por exemplo. A conclusão também se dá de forma muita abrupta.


A Rainha da Primavera é, enfim, uma inocente narrativa mais adequada ao público infantojuvenil. Aqueles que já conhecem o trabalho da autora em Línguas de Fogo, primeiro volume da série intitulada Crônicas de Myriade, tirarão maior proveito desse romance interessante, mas de potencial excessivamente limitado por seu tamanho.


Assim, eu concedo 2 penas-tinteiro (ou estrelas).

E esta é a humilde opinião de um escriba.


Em tempo: está prevista para este ano a publicação do segundo volume das Crônicas, ainda sem título definido. Já A Rainha da Primavera está disponível no blog da autora (veja o link abaixo).
comentários(0)comente



SahRosa 18/10/2013

Por muito tempo Dimitri Fahd, procurou a princesa perdida do reino de Hynneldor, e após tantos obstáculos, ele se vê frente a frente com a herdeira do trono. Flora, sempre desejou algo emocionante em sua vida, por mais que amasse seu lar, a Ilha de Ashteria era calma demais para seu gosto, até tudo que ela mais ansiava se torna real!

Dois forasteiros conseguiram chegar às terras de Ashteria, surpreendendo assim todos os seus moradores, em especial Flora, que descobre os reais segredos de sua origem, ela é a princesa perdida, aquela que salvará Hynneldo do destino cruel em que se encontra.

Dimitri finalmente conseguirá cumprir sua missão, ele usará de todas as suas habilidades para proteger Flora e levá-la em segurança até o irmão da princesa, o príncipe Fasto. Mas há ainda muitos desafios a serem vencidos até que a paz volte a reinar, afinal os inimigos estão por todos os caminhos.

***

Possuindo uma narração em terceira pessoa, nos aventuramos em uma estória repleta de magia, traições, surpresas e emoção. Karen criou um universo fantástico, com descrições profundas e poéticas, suas palavras fluem tão bem que dificilmente vamos parar a leitura, sem antes conhecer cada passo desse enredo tão rico.

Essa é a primeira vez que leio algo da autora, e fiquei admirada com sua forma de conduzir a estória, seus personagens são envolventes, as batalhas muito bem descritas, um enredo cativante, incrível e surpreende!

Uma leitura no gênero fantasia, maravilhosa, que faz com que o leitor fique apreensivo nos momentos finais e ao seu desfecho anseie pelos outros Pergaminhos Perdidos de Myríade!

A Rainha da Primavera é uma leitura mais que recomendada, e apesar de curto, nos transporta para um momento sublime, encantador e incrível! Pode ter certeza, que após terminar de saber o desfecho desse romance, você desejará mais do que nunca conhecer o livro da Karen, Línguas de Fogo! Sinceramente, não vejo a hora de poder ler outros trabalhos da autora, que mostrou possuir uma escritora fabulosa, mágica mesmo!

site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/
comentários(0)comente



Thyale 31/03/2013

Postado Originalmente em http://comoumrefugio.blogspot.com.br/
Como você reagiria se em um dos pacatos dias a calmaria de todo lugar em que você vive e nascera (ou acredita que sim) fosse abalada por dois rapazes com caráter duvidoso à sua procura e determinados a te levar? Pois é, foi isso que aconteceu com Flora...

O livro não é nada longo e até eu mesma que não gosto de ler pelo computador me rendi e embarquei nessa viagem com Flora e estou simplesmente encantada com a estória e a maneira a qual Karen desenvolveu e mexeu com a minha imaginação. Flora mora na ilha de Ashteria. Um lugar calmo, tranquilo e que não é um dos lugares mais desejados para uma adolescente de dezessete anos viver. Tudo que Flora desejava era um pouco mais de emoção. Mas quando a paz do povo Sollaris fora perturbada e o real motivo mudaria toda a verdade da vida de Flora, ela enfim teria se arrependido de um dia desejar algo fora do comum naquele lugar.

Orientada embora com tristeza por um de seus oito irmãos de Ashteria, Flora devia ir de encontro com o seu destino na companhia de dois rapazes até então desconhecidos, Nathair e Dimitri. Quando lhe surgiu a ideia de conhecer os reais motivos que a levaram para Ashteria ela após seus conflitos consigo mesma resolveu ir à procura de suas respostas. Mal sabia o que lhe aguardava em seu destino e tão pouco o que iria enfrentar durante todo o percusso até chegar ao reino chamado Hynneldor. Reino o qual segundo o guerreiro e conselheiro real (Dimitri e Nathair) Flora era princesa. E todos de lá esperavam pela sua volta.

Em meio a traições, conflitos e perigos Flora finalmente descobre o porque de sua importância naquele lugar. A paz e felicidade que não se fazia tão presente naquele reino mais uma vez, se instalou. Mas para que isso acontecesse muitas coisas ocorreram antes deste feito!

Eu simplesmente amei a forma em que a autora nos apresentava os detalhes e relatava minunciosamente cada momento. Nunca pensei que em tão poucas páginas poderia se esconder uma grande estória. Foi minha primeira leitura do tipo e fiquei encantada por um mundo imaginário, mas que conseguia projetar-se em minha mente com tanta realidade. Não posso contar muitas coisas quanto a estória senão acabaria contando fatos reveladores. Mas eu asseguro que vale a pena ler.

http://comoumrefugio.blogspot.com.br/2013/03/livro-rainha-da-primavera-karen-soarele.html
comentários(0)comente



Nat 29/04/2013

Flora estava cansada da tranqüilidade de seu povo. Um dia, o sossego dá lugar ao alarme quando dois estranhos aparecem para levá-la embora. De uma forma nada agradável, Flora descobre que na verdade ela é a princesa do reino de Hynneldor e somente sua magia é forte o suficiente para proteger o reino dos inimigos de Vulcannus. Cheia de perguntas sobre sua verdadeira origem, ela decide acompanhá-los. Nathair é o embaixador de Hynneldor e Dimitri é o príncipe de Datillion, reino aliado. Perigos, uma traição e finalmente Flora chega a Hynneldor, que está sob ataque de Vulcannus. Agora, ela deve provar que é a verdadeira princesa perdida.

Um livro muito curto para meu próprio bem. Se não fosse assim, não teria conseguido parar de ler. A história é tão envolvente que eu não percebi o tempo passar e, quando vi, o livro já tinha acabado. Gostei porque fala de mundos inventados. Muito curiosa agora sobre as Crônicas de Myríade. Espero ler logo. Livro recomendado.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2013/04/a-rainha-da-primavera-karen-soarelle-dl.html
comentários(0)comente



Emanuel 23/05/2013

Flora sempre viveu entediada e cansada da monotonia em Ashteria, tudo era sempre tão calmo. Mas ela descobre que isso pode acabar em questões de segundos. Nathair e Dimitri atravessaram o portal mágico e chegaram até a Ilha de Ashteria para resgatar a princesa e levá-la para Hynneldor.

A partir daí Flora percebe que sua vida não será mais a mesma. Ela partirá à procura de respostas sobre sua origem, mas o que vai encontrar mudará o destino de uma nação.

Ficou curioso (a) e quer saber um pouco mais do livro da autora nacional Karen? Continue lendo a resenha em: http://eomundoterminouemlivros.tumblr.com/post/51082778048/a-rainha-da-primavera-de-karen-soarele
comentários(0)comente



Jéssica R. 08/06/2013

Em um reino em decadência, um guerreiro em busca de redenção e um conselheiro real trilham uma jornada para encontrar a princesa há muito tempo desaparecida. Flora, que foi criada em uma ilha remota, é surpreendida ao ser confrontada com seu passado. Mas, no fundo de seu coração, ela sabia que a vida lhe reservava uma grande aventura, além do Mar Eterno.

Escoltada pelos dois forasteiros, ela partirá à procura de respostas sobre sua origem, embarcando na maior aventura de sua vida. E o que vai encontrar mudará não só sua relação com o universo, como também o destino de toda uma nação. Porém, é necessário cautela. Os perigos rondam à noite e os estandartes inimigos se aproximam.

Flora uma garota que anseia viver uma vida de aventuras, que acreditava ser apenas mais uma moradora da ilha de Ashteria, uma ilha que só pode ser encontrada a cada 10 anos. Em uma tarde comum de tédio Flora é atraída por uma grande movimentação.


Estava cansada da monotonia daquele lugar. Tudo era sempre tão calmo e silencioso, que, quando seu pequeno brinco de pérola caiu no chão, o som agudo do baque pareceu soar como um grande estampido. Capítulo 1, pág. 9



Curiosa, ela vai verificar o que está acontecendo, e descobre que a ilha está sendo invadida por dois homens Dimitri e Nathair, os dois atravessaram o portal protetor da ilha, algo que Flora acreditava ser impossível, e contam que Flora na verdade é uma princesa do reino Hynneldor, e que precisa retornar pois seu reino está em guerra e precisa que ela assuma o trono, que atualmente é ocupado por seu irmão Fausto.

Nessa hora Flora precisa decidir se fica em Ashteria e continua com sua vida calma e pacada ou aceita ir com Dimitri e Nathaie e descobrir sua verdadeira origem. E assim começa a história de Flora.

A Rainha da Primavera é escrito de forma direta e simples. Por ser uma história mais adequada ao público infanto-juvenil acabei sentindo falta de uma descrição mais detalhada além de achar a história curta queria que fosse um pouco maior assim poderia aproveitar muito mais a companhia de Flora. Adorei o livro e fiquei presa nele até acabar, quando cheguei a última página pensei " Ué? já acabou?".


http://lilianejessica.blogspot.com.br/2013/05/a-rainha-da-primavera-titulo-rainha-da.html
comentários(0)comente



Caverna 07/07/2013

Esse livro eu li em e-book, após ler Línguas de Fogo. Ele tem sim uma conexão com a série Crônicas de Myríade, mas isso somente porque ele é citado no livro e é meio que o passado de Hynneldor. Ou seja, você pode lê-lo sem ter lido Línguas de Fogo.
Portanto, quem quiser conhecer a escrita da autora, eu recomendo, e vocês encontrarão o link de onde baixá-lo no final desse post.
A Rainha da Primavera é um pequeno livro que conta o passado de Hynneldor, o reino inimigo de Vulcannus; no livro é citado que o reino já fora muito rico e bonito, na época da Rainha da Primavera, e esse e-book nos conta sobre essa época, de como foi a Guerra daquele tempo e como Hynneldor chegou a todo aquele explendor que ficou apenas nas memórias dos moradores de lá.
Eu gostei bastante do e-book e eu achei que complementou um pouco a leitura da série, nos apresentando a famosa Rainha tão citada e respeitada no livro, que serve, inclusive, como exemplo de força várias vezes.
Se você leu Línguas de Fogo e ainda não leu A Rainha da Primavera, leia, porque vale a pena e é bem legal! Claro que se mantém ainda naquele estilo infanto-juvenil e, novamente, achei que faltou alguma coisa no começo, quando a personagem é tirada de sua ilha (não vou dizer muita coisa além disso, porque pode vir a ser spoiler), mas no geral eu achei bem trabalho.


site: http://hangoverat16.blogspot.com.br/2012/09/linguas-de-fogo.html
comentários(0)comente



Anderson Inácio 12/08/2013

Livro ótimo, história intrigante
Logo no início, podemos ver Flora – a personagem principal, que aparentemente é apenas uma habitante comum da ilha de Ashteria - se sentir cansado da monotonia da ilha. Certo dia, dois homens – Dimitri e Nathair – invadem a ilha de Ashteria procurando pela princesa de Hynneldor, cuja qual era Flora, a herdeira legítima do trono.

Estava cansada da monotonia daquele lugar. Tudo era sempre tão calmo e silencioso, que, quando seu pequeno brinco de pérola caiu no chão, o som agudo do baque pareceu soar como um grande estampido. Página 9

Flora, então, descobre que é “adotada” e suas dúvidas pela sua aparência com os demais da ilha acaba. Sendo ela humana, e herdeira do trono de Hynneldor, ocupado até então por seu irmão – Fausto -, decide ir até o seu encontro e ocupar seu lugar de direito, mas principalmente para saber quem verdadeiramente é. Quando Flora se aventura na estrada a caminho do reino de Hynneldor, começa a adrenalina e a verdadeira história do livro. A partir de tal ponto, os acontecimentos começam a ser mais interessantes. O livro é muito bem escrito, principalmente para jovens e iniciantes na leitura.

site: http://www.bondiler.com/2013/08/resenha-a-rainha-da-primavera-de-karen-soarele/
comentários(0)comente



Mari 08/09/2013

A Rainha da Primavera | Sem Querer me Intrometer
Antes de qualquer coisa, quero esclarecer para todos que sou uma grande fã de universos fantasiosos. Acho muito empolgante ler uma estória onde é comum que as pessoas tenham poderes e cores de pele estranhas, como verde e vermelho. E foi exatamente isso que eu encontrei em A Rainha da Primavera, um mundo de fantasia extremamente bem planejado pela Karen Soarele.

Flora é a personagem principal da narrativa em terceira pessoa que encontramos em A Rainha da Primavera. Ela é, aparentemente, uma habitante comum da Ilha de Ashteria, porém, mesmo com toda sua família (pai, mãe e vários irmãos), Flora nunca se sentiu em casa em sua própria ilha. O estilo de vida pacato e tranquilo dos moradores de Ashteria não agradava a protagonista, que possui uma personalidade sedenta de aventura.

Certo dia, dois humanos, Dimitri (com quem Flora vem a ter um envolvimento emocional muito especial) e Nathair, atravessam o portal protetor da ilha (algo que Flora acreditava ser impossível) e contam a garota que ela é, na verdade, uma princesa de Hynneldor, um reino distante, e que precisa retornar pois seu povo está em guerra e precisa que ela assuma o trono, que atualmente é ocupado por seu irmão (e único integrante vivo de sua verdadeira família), Fausto.

Mesmo com a indecisão entre continuar a viver sua vida normal e pacata ou arriscar tudo e partir com homens que mal conhece, Flora decide ir a Hynneldor em busca de respostas sobre sua verdadeira origem, e é aí que a estória de fato começa.

A Rainha da Primavera narra, de forma muito simples e ativa, a viagem e a chegada de Flora em seu reino ameaçado. A estória é cheia de perigos, surpresas, reviravoltas e muita ação (lembrando que no universo criado por Karen Soarele nada é impossível).

Como a própria autora cita no prefácio do livro, A Rainha da Primavera é, para novos leitores, uma introdução à mitologia criada. E podem ter certeza que após ler esse pequeno romance (apenas 88 páginas!), vocês vão querer, assim como eu, conhecer outras aventuras que se passam nesse universo fantástico.

A leitura é rápida e leve. Terminei o e-book em poucas horas. E sabem o melhor de tudo isso? Vocês podem ler AGORA, porque A Rainha da Primavera tem versão free em pdf (link nas informações do livro lá no início da postagem). Vale super a pena!

site: http://www.semquerermeintrometer.com
comentários(0)comente



42 encontrados | exibindo 31 a 42
1 | 2 | 3