Norwegian Wood

Norwegian Wood Haruki Murakami




Resenhas - Norwegian Wood


141 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Eloa 10/05/2021

Ao terminar esse livro me peguei em um conflito que raramente acontece, afinal, qual seria minha nota para essa obra?
Ao mesmo tempo em que amei desde o começo a escrita de Murakami, realmente brilhante, confesso não ter gostado tanto assim dos personagens desse livro, provavelmente por eles serem tão excêntricos que não consegui me apegar muito. Esse livro fala sobre temas bem importantes, e preciso ressaltar novamente que escrita perfeitaaa!!! Eu amei cada frase que o autor colocou no livro, me surpreendi bastante com isso e pretendo ler muitos outros livros dele.
Enfim Murakami, talvez eu esteja um pouco apaixonada por vc. (Tenho certeza que um dia vc vai ler isso! hahaha).
OBS: desculpem por essa (primeira de muitas) resenha meia boca, prometo melhorar nas próximas!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Clara 03/05/2021

O que raramente falam sobre ser um jovem adulto
O nome do livro ?Norwegian wood? é igual à música dos Beatles, que toca no início do enredo em um avião (ou aeroporto? N lembro bem) e traz à tona emoções que Toru Watanabe, com seus 37 anos, não sentia há muitos anos. A partir desse momento, ele narra em primeira pessoa a vida que levava aos 19 anos quando morava em um alojamento em Tóquio e estudava arte dramática na universidade. A história se passa nos anos 60 no Japão, logo muitas revoltas estudantis aconteciam, e somadas à falta de convicção do personagem quanto ao que queria para o futuro, tornaram sua experiência universitária bastante tediosa. Desse modo, ele criava rotinas para escapar desse tédio e em vários momentos explorava os lugares da cidade. Nesse contexto, Toru se encontra com Naoko, namorada do seu falecido amigo Kizuki que cometera suicídio, e desenvolve uma relação marcada pela fragilidade emocional da moça. Em seguida, se envolve com Midori, uma estudante que assiste uma aula com ele, cuja personalidade é muito diferente da outra garota. Acredito que o que torna essa narrativa especial é o frequente uso de metáforas e diálogos marcantes, causando grandes reflexões no leitor. Vale ressaltar que os personagens são muito complexos e fascinantes, tornando a experiência especial. A história aborda assuntos como transtornos mentais e suicídio, além de explorar a confusão de deixar a adolescência para trás e se tornar um adulto. Como uma jovem de 19 anos, pude me identificar em vários momentos com os personagens e seus pensamentos, é muito difícil encontrar obras que retratem um pouco a desesperança e a confusão que é tão comum nesse período. Uma frase do livro que acho que expressa bem sua mensagem é ?a morte não é o oposto da vida, mas uma de suas partes constituintes.? Recomendo muito, essa leitura é aquela que te faz pensar por um tempo e que dá vontade de discutir sobre!
comentários(0)comente



Leo 30/04/2021

Um livro extremamente famoso, mas que simplesmente parecia sem direção e ritmo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



nitoletss 27/04/2021

norwegian wood - 4,5/5
meu deus... que livro carregado
eu demorei um pouco pra ler esse livro porque ele eh mto carregado em diversas maneiras. são histórias bem pesadas que vc demora pra digerir e refletir. porém eu aprendi MTO com o livro, foram realmente diversas reflexões sobre temas tao importante atualmente e que me fizeram ver as coisas com outros olhos. foi meu primeiro contato com o autor e fiquei muito curiosa pra ler mais dele. eu adoro a música e adorei o livro, foi realmente importante!
comentários(0)comente



Rhappy 25/04/2021

Meu primeiro e mais querido de Murakami
Um delicado e profundo retrato da passagem da adolescência para idade adulta, com diversas dúvidas e angústias que só essa época das nossas vidas nos guarda.
comentários(0)comente



Lasse 22/04/2021

A já americanizada Tókio no final dos anos 60 serve de palco para o simples, porém emocionante drama de Norwegian Wood. Os jovens adultos do livro se envolvem numa teia intrincada de problemas da qual não conseguem se desvencilhar - nem mesmo com a morte, pois esta é parte integrante da vida, segundo o protagonista. É um livro de linguagem simples, muitas referências que são importantes pra construção da narrativa, e de um potente sentimentalismo.

O maior problema do livro é o eroticismo exacerbado, que possui um propósito nas vidas solitárias de todos os personagens, mas que muitas vezes parece forçado e antinatural. O sexo como o esquecer de si mesmo aparece tanto quanto o sexo com um propósito mais elevado: a liberação espiritual ou a comunhão de duas almas perturbadas.

Temos aqui também a ideia da metáfora, que permeia toda a obra de Murakami. Ela está presente em quase todos os pontos do livro, sempre de uma forma sutil e estranha. Os elementos mágicos que marcam muitas de suas histórias se apresentam aqui numa forma pouco pronunciada, quase como alucinações do sentido (a chuva que cai sem som) ou lendas urbanas que podem ser aquilo mesmo (o poço que ninguém sabe onde fica exatamente e vez por outra alguém desaparece perto). Esses também servem de metáfora a cada vez que são apresentados.

Um ponto interessante é o jeito como as influências do autor se integram na obra. Muito além de serem meros name drops, a música clássica de Reiko, a música favorita de Naoko e os muitos livros que Toru lê mexem com a narrativa de um jeito também muito sutil. A minha passagem favorita é o sexto capítulo, quando Toru visita Naoko nas montanhas, que pode ser visto claramente como uma reconstrução d'A Montanha Mágica de Mann, que Toru lê pouco antes de sua chegada.

Um romance interessante, inquietante e relatável: apesar de tudo, ele toca numa ferida que todos nós podemos compartilhar.
comentários(0)comente



Giu 21/04/2021

Norwegian Wood
Acho que o que mais me impressionou nesse livro é a forma como Toru se relaciona com todo mundo a sua volta. O livro inteiro é muito sincero, com personagens que seguem seus instintos, falam sobre o que estão sentindo na hora em que sentem e exploram todos esses sentimentos com uma intensidade absurda. Muito bom!
comentários(0)comente



luizote 17/04/2021

A morte não existe como oposto da vida, mas como parte dela
Confesso que fico intimidado de escrever uma resenha sobre alguma obra do Murakami. Acho que são experiências muito pessoais e introspectivas, mas posso dizer sem dúvidas que é uma obra incrível, para ser lida e relida ao passar do tempo. Murakami captura bem os conflitos da "geração perdida" do Japão pós-guerra, e consegue transmitir emoções de uma maneira minimalista impressionante. Não vou me estender muito, mas posso dizer que é uma porta de entrada excelente para conhecer o autor e explorar a literatura não inglesa.
comentários(0)comente



Lendo no mato 12/04/2021

Leitura fácil e apaixonante.
Com certeza um dos melhores livros que li nesses últimos meses. A leitura tem sido um acalento nesses tempos de pandemia.

Esse tal de Haruki Murakami escreve DEMAIS. Fiquei bobo. Nunca vou conseguir escrever assim. Fato! ? Mas vida que segue...

De uma história aparentemente simples, um romance como qualquer outro, entre um menino e uma menina, uma história de amor, crescimento e amadurecimento, amores e desamores. O cara consegue tratar com uma sutileza absurda dos mais diversos temas. Em especial o da saúde mental. (Não falarei mais para não dar spoiler ?)

Norwegian wood faz alusão a uma música dos Beatles. Uma dessas que de nome eu não lembrei, mas quando ouvi, tinha certeza de que já tinha ouvido aquilo antes. E o livro vai meio que no ritmo da música mesmo. Se procurar no Spotify tem até uma playlist com as músicas que o autor cita no livro. Achei legal isso.

Foi o segundo livro que li do Murakami na vida e com certeza foi o que me fez virar fã do autor.
comentários(0)comente



Marisa.Monteiro 09/04/2021

?A morte não é o oposto da vida, mas uma de suas partes constituintes.?
Haruki Murakami
comentários(0)comente



Maria Clara 03/04/2021

Experiências humanas sem pudores
Um belo retrato humano sem pudores sobre à experiências de um jovem. O livro é de 1987 e narra as memórias da juventude do narrador nos seus anos de faculdade no fim dos anos 1960. Uma história que perpassa depressão e suicídio próximas à personagem desde o primeiro capítulo e diversas formas de encara-los, talvez não da melhor forma.

Não recomendo pra qualquer pessoa, li em um momento não muito feliz e o livro não contribuiu para me alegrar, mas no fim valeu a pena
comentários(0)comente



Lore 26/03/2021

Uma linda viagem sobre a vida
o primeiro livro que eu li algo de murakami já me fez perceper o forma maravilhosa que ele via o mundo, tive ainda mais certeza quando Ii esse, ele novamente retrata com excelência a vida e suas peculiaridades, amo jeito como ele faz a gente repensar coisas cotidianas e até nao cotidianos como a beleza da morte.
comentários(0)comente



Tatta 26/03/2021

quem não ama o Japão?
são muitas as imperfeições desse livro, só que a prosa é boa. a sensação de vida incompleta do Toru é latente.

aquela síndrome que ocorre nos países desenvolvidos, em que a pessoa não entende seu papel no mundo, é muito presente.

o livro é bem sexual, mas parece decorrer de uma intenção do autor de falar um pouco sobre jovialidade e nosso lado animal.

nós tomamos um banho de cultura ao longo da narrativa, muitas músicas e livros. até Desafinado do Tom Jobim é citada!

não tem como evitar a comparação com ?Apanhador no campo de centeio?. penso que o autor incorporou bem a atmosfera daquele livro, só que com um toque mais suave, agridoce.
comentários(0)comente



141 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |