O Jogo da Mentira

O Jogo da Mentira Sara Shepard




Resenhas - O Jogo da Mentira


39 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Regiane 02/05/2013

Melhor que PLL!

Eu também tinha reparado numa outra coisa sobre Emma: ela andava pelos corredores com os lábios apertados, como se estivesse prendendo a respiração; ela entrava no banheiro feminino só para se olhar no espelho, como que para reunir coragem outra vez. Nós duas tínhamos segredos. Nós duas estávamos muito sozinhas.

Eu sou apaixonada pela saga Pretty Little Liars. Tanto que devorei os 5 primeiros livros um atrás do outro. Quando eu soube do lançamento lá fora da série The Lying Game, eu fiquei super a fim de comprar, mas depois acabei deixando essa ideia de lado, porque pensei: "Um dia essa série chega ao Brasil". E não é que isso aconteceu? E o título por aqui, ficou como O Jogo da Mentira.

Fiquei imensamente feliz em ter recebido esse livro da Rocco, na apresentação dos seus lançamentos para esse semestre. Estava tão curiosa para lê-lo, que não resisti e o li em poucas horas. Eu já admirava muito o trabalho da Sara Shepard, mas posso dizer que em O Jogo da Mentira ela se superou. É muito melhor que PLL.

Sutton Mercer tinha uma vida para fazer inveja em qualquer pessoa. Então alguém a assassina, e agora a pior parte em estar morta é que não resta mais nada a fazer ou não. Ela já não tem mais beijos, nem segredos e muito menos reuniões com seus amigos, mas quando sua irmã gêmea, Emma - que lhe foi separada, antes mesmo de conhecê-la - entra em cena, Sutton consegue ter esperança: descobrir exatamente o que aconteceu a ela, já que não se lembra de praticamente nada da sua antiga vida.

Emma irá ceder a essa troca de papel, pois ela está tão desesperada quanto sua irmã para saber o que lhe ocorreu. Ela terá que juntar todas as pistas possíveis, e a única forma de fazer isso, será assumindo a vida de Sutton, de onde exatamente ela parou. Será que Emma conseguirá conviver com as melhores amigas da irmã? Convencer o namorado que ela é a garota por quem ele se apaixonou? Se passar por uma filha feliz e despreocupada diante dos olhos dos pais de Sutton? Conseguirá ainda sustentar essa farsa, mesmo percebendo que o assassino de sua irmã está observando cada um dos seus movimentos? O Jogo da Mentira está prestes a começar.

A narração desse livro é bem interessante, já que é executada por Sutton como fantasma, mas do ponto de vista de Emma, sendo intercalada entre 1ª e 3ª pessoa. A escrita é demasiadamente envolvente - o que colaborou para que a leitura fluísse naturalmente - me prendendo do início ao fim. Assim que virei a última página, senti uma extrema necessidade em ler a continuação. A ansiedade foi tanta, que não resisti e acabei comprando Never Have I Ever. Agora estou contando os dias para que chegue e eu possa finalmente ler.

Se existe uma coisa que Sara Shepard tira de letra na hora de escrever, é a criação dos mistérios e suspenses em suas histórias. Com certeza essa é a sua principal fórmula para o sucesso de suas obras, pois tudo se encaixa perfeitamente bem - conforme os segredos vão sendo revelados - sem deixar espaço para eventuais furos.

O contexto foi muito bem elaborado, com cenários e situações bem descritos que me permitiu imaginar tudo que ocorria ao redor com muita precisão. E quanto mais eu me aprofundava na história, mais a leitura se tornava viciante, pois O Jogo da Mentira é um livro um tanto instigante, com uma capacidade enorme de aguçar a curiosidade a cada novo capítulo. Sem contar que meus sentimentos variavam entre revolta e angústia ao ponto de eu querer roer todas as minhas unhas.

A maioria dos personagens possuem características bem marcantes, e por uma parte deles, eu me senti dividida entre amor e ódio. Eles tiveram a façanha de me causar os mais diversos sentimentos, pois em determinamos momentos, eles davam a entender que eram inocentes e em outros, nem tanto. Enquanto isso, eu tentava controlar a luta interna que só crescia.

Emma é uma garota que me comoveu, porque ela não levava uma vida nada fácil antes de saber da existência da sua irmã gêmea, e depois disso - quando tudo parecia que ia melhorar - piorou de vez. Eu me afeiçoei a ela por suas atitudes. Em nenhum momento ela se sentiu deslumbrada pelo novo mundo que lhe foi apresentado. A sua coragem diante da saia justa que lhe foi colocava é digna de admiração. Ela é uma protagonista e tanto. Sutton por outro lado me causou pena. Ao ver o quanto ela tinha perdido em vida por conta de sua postura um tanto egoísta e errada, e nem ao menos se lembrar de quem era a pessoa responsável pela sua morte, foi no mínimo bem triste. É claro que também senti repulsa devido as suas atitudes escrotas.

Laurel, a irmã caçula de Sutton não me agradou muito. Mostrou-se sem personalidade ao querer imitá-la e fazer de tudo para agradar as amigas da irmã, para ver se ganhava sua atenção. As amigas também me fizeram entortar o nariz, não sei se gosto menos de Madeline ou de Charlotte. Tive vontade de socar as duas em muitas situações. Apesar disso, tenho que admitir que elas são personagens muito bem construídas, e seus defeitos só fazem soar mais reais. Quanto a Garrett - o namorado de Sutton - eu não sei se ele não foi muito bem aproveitado na história, mas a impressão que tive, é que ele não passa de um cara bobão, que só mantém a fama, por conta da sua aparência. Já Ethan me cativou muito, porque ele, assim como Emma, consegue enxergar a simplicidade das coisas. Só espero que Shepard o explore mais no 2º livro.

Eu sinceramente não vou arriscar em assistir a série de TV, porque imagino que irá me decepcionar tanto quanto a de Pretty Little Liars. De uma coisa eu estou certa, quem acompanha e gosta, precisa ler, porque tenho quase certeza que vai amar ainda mais o livro.

Se você é fã de histórias que são capazes de tirar o fôlego, cheio de segredos e suspense, não pode deixar O Jogo da Mentira passar despercebido. Só não garanto que você não irá surtar de ansiedade após a leitura. Eu recomendo!
comentários(0)comente



Aysla.Lourrana 19/03/2021

A história se passa ao redor da vida das gêmeas Emma e Sutton. Logo no início a gente já tem noção do rumo dela, pois há o "spoiler" maior na primeira linha. No entanto, o livro discorre bem acerca do assunto, e não, eu não tenho um suspeito só na mente. Na verdade, a autora me fez imaginar que cada um é culpado, o que não ajuda muito.

A escrita é envolvente e o livro é de rápida leitura, o que deixa a história mais agradável.

Agora estou curiosa para saber o desenrolar desses acontecimentos. Aguardo surpresas!
comentários(0)comente



Lucas 31/05/2013

Duas irmãs gêmeas separadas no nascimento. Uma ficou com a vida rica e cheia de glamour, a outra com uma simples e sem muitas regalias, passando de família em família. Quase perto dos dezoito anos de ambas o destino faz com que elas tentem se encontrar. Mas algo da errado e Emma, a gêmea pobre, descobre que sua irmã, Sutton, está morta e que ela vai ter que assumir seu lugar. Vida nova, amigos novos, um namorado desconhecido e uma pergunta que não quer sair de sua mente: quem matou Sutton? Em meio a tantas mentiras e jogos, Emma vai tentar desvendar esse grande mistério, isso é, se ela conseguir sobreviver também.

Surpreso, foi assim que fiquei em todo o percurso dessa história maluca criada por Sara Shepard. Conheço o outro trabalho da autora, Pretty Little Liars, apenas de nome e enredo. Em O Jogo da Mentira a americana segue a mesma linha de mistério, o que me fez não desgrudar do livro até ler a última página.

A narrativa é muito, mas muito louca mesmo. Sob o ponto de vista de Sutton e Emma juntas, nós somos apresentados ao universo da gêmea rica. Não entenderam? Eu também demorei. Mesmo morta, Sutton está vendo tudo que sua irmã vê, ou seja, as duas "dividem" um corpo. E o interessante é que ora a narração parece em terceira pessoa e logo depois em primeira. Confuso no começo, mas depois a leitura flui muito bem e é ai que o mistério começa a surgir.

Pra quem lê, a Sutton se mostra perdida, sem saber de nada e muito menos porque a odeiam tanto. Com o decorrer da história vários detalhes são apresentados, inclusive a personalidade da patricinha. No começo eu até simpatizei com ela e senti pena pela sua morte, mas isso mudou rápido. Todos, sem exceção, podem ser suspeitos por te-la matado, porque a garota era muito malvada e não poupava esforços para ver o sofrimento alheio. E ao mesmo tempo que conheci a personalidade dela, pude enxergar um pouco de cada uma das suas amigas integrantes do Jogo da Mentira, que são brincadeiras de mau gosto pregadas em qualquer um. Madeline, Charlotte e Laurel, irmã adotiva de Sutton, são todas "farinhas do mesmo saco", nenhuma tinha uma índole muito correta. Fiquei com pena da Emma, que pagou pelos erros de outra pessoa. Quanto mais eu lia, mais me perguntei quem poderia ser o assassino, e as suspeitas ora estavam em cima de uma, ora em cima de outra.

A atmosfera pode ser um tanto desconexa com o teor do livro: colegiais americanos, festas, e meninas ricas que só querem curtir a vida . Com tantos acontecimentos horripilantes acontecendo ali, esse clima meio "patricinhas de Beverly Hills", em que a líder do grupo estala os dedos e as outras saem andando atrás, fez com que eu tirasse uma estrela do livro. Se ela já fez algo semelhante em Pretty Little Liars, por que não tentar mudar um pouco? Sinto que a autora já fez essa história pensando numa série de tevê, o que é negativo. Desse jeito tudo se torna produto da mídia, e falta inovação e criatividade.

Os personagens não tiveram profundidade o suficiente, mas creio que Sara vai introduzir a personalidade de cada um melhor no segundo livro, e só assim eu poderei escolher para quem torcer. Toda trama é bem construída e não há pontas soltas, tudo se encaixa perfeitamente no final. E sim, O Jogo da Mentira é igual A Usurpadora. A personalidade das duas irmãs, Sutton e Emma, é semelhante demais com a de Paola e Paulina e todos acontecimentos são muito parecidos com os que se passam na novela mexicana. Creio até que isso contribuiu para eu gostar mais do livro (risos).

Recomendo! Sara tem talento para escrever, mesmo que ela não tenha trazido algo totalmente novo. Não me identifiquei com os personagens, mas o enredo é maravilhoso. Leiam e roam as unhas para descobrir quem, afinal, matou Sutton.
comentários(0)comente



Nadia 11/07/2013

O Jogo da Mentira é instigante, mas não apenas pela história. Um dos pontos que mais chamou minha atenção foi a narrativa paralela de Uma personagem, que torna tudo ainda mais complexo de entender – por motivos que não posso revelar.
Por enquanto, O Jogo da Mentira ganhou mais uma leitora que espera, em breve, poder descobrir um pouco mais a respeito de todo o mistério das irmãs. Que venha o segundo livro!
comentários(0)comente



Carol 22/03/2021

Um suspense lento e previsível. Os personagens e o enredo não envolvem o leitor. Achei uma grande enrolação e não leria a continuação. Serviu pra me mostrar o porque eu nunca gostei de PLL.
comentários(0)comente



larissa 11/09/2020

gostei muito msm
gostei muito desse primeiro livro,morri de curiosidade com todas as pontas soltas desse mistério porém não quis esperar mais 5 livros para descobrir o assassino
comentários(0)comente



John 14/05/2021

Livro para se ler em um dia
Este é um daqueles livros que você lê em um dia e de uma forma bem rápida e prazerosa. A história de gêmeas separadas quando crianças com um toque de mistério adolescente.
comentários(0)comente



chaany 12/09/2013

Depois que recebi a notícia do cancelamento da série The Lying Game (série que recomendo a todos), decidi que precisava saber de qualquer jeito como a história acabava.
Infelizmente, a série de livros da Sara Shepard é muito, muito extensa e tive aquela velha impressão de sempre: muito livro pra pouca história.

O livro conta a história de Sutton e Emma, duas irmãs gêmeas que nunca souberam da existência uma da outra. O suspense todo se desenvolve a partir do momento em que Emma é chantageada pelo assassino de Sutton para tomar o lugar da irmã e viver a vida que ela vivia, sem que ninguém nunca descubra que ocorreu um assassinato.
O espírito de Sutton acompanha a irmã em todos os momentos, tentando descobrir quem é seu assassino e recordando momentos de sua vida, pois sua memória foi quase que completamente apagada depois de sua morte. Nessas circunstâncias, Emma e a própria Sutton vão descobrindo coisas horríveis sobre a vida de Sutton e, basicamente, como ela era uma pessoa má, capaz de fazer coisas que ninguém imaginaria. (Sem dizer que praticamente todo mundo do mundo tinha motivos para matá-la).

Nas 360 páginas do livro, apenas algumas semanas se passam e, apesar da escrita de Shepard ser realmente muito envolvente, eu não vejo nenhum motivo de prolongar tanto essa história a não ser o lucro que o escritor tem com a produção de mais livros. Fiquei muito confusa na minha decisão de continuar ou não lendo a série para saber como a história termina, mas acredito que eu simplesmente esperarei pelo último livro ser lançado e lerei apenas ele.

Eu nunca li nenhum outro livro da autora, então para quem já está acostumado com seus livros da série Pretty Little Liars eu acredito que The Lying Game é uma série tão forte quanto e recomendo sua leitura. Agora aquelas pessoas (que nem eu), que não gostam de enrolações demais, com certeza ficarão incomodadas, pois a impressão que eu tive desse primeiro livro foi que ele inteiro é uma grande enrolação. Talvez quem não tenha visto a série de TV primeiro tenha uma impressão diferente da minha, porque na realidade, a primeira temporada da série contou infinitamente mais coisas do que o primeiro livro e isso foi algo me incomodou bastante, já que, na teoria, o livro que deveria conter mais história e não o contrário.

De qualquer forma, eu tenho que tirar meu chapéu para essa escritora, pois penso que ela desenvolveu um estilo de suspense próprio e foi uma experiência diferente de qualquer outra que eu já tive antes. Ela realmente faz você sentir medo enquanto lê e eu senti junto com os personagens toda a angustia que eles sentiram (que não é pouca).

Nota: 3/5

site: www.centraldaleiturablog.blogspot.com
comentários(0)comente



Ceile 13/09/2013

Por favor, cadê a continuação disso aqui? É uma necessidade!
Emma não teve uma vida fácil. Fora abandonada pela mãe ainda criança e, desde então, fica passando de casa em casa, vivendo com famílias provisórias. Ela está agora na casa de Clarice com o meio irmão Travis que acaba armando para ela. Emma realmente gostaria de ficar naquela casa até terminar os estudos, mas depois que ele mostrou um vídeo na internet de uma menina idêntica a ela sendo estrangulada "de brincadeira", não há outra saída a não ser abrir mão dos seus planos.

Ao pesquisar na internet, ela encontra Sutton no Facebook. Será que ela tem uma irmã gêmea? Será que a mãe entregou esta irmã para adoção? É a oportunidade de conhecer alguém da sua família, quem sabe até viver em uma verdadeira família.Depois de uma rápida troca de mensagens, elas combinam de se encontrar. O problema é que Sutton foi assassinada e Emma acaba assumindo, sem querer, o lugar da irmã. Ela agora tem uma família - rica, algo totalmente diferente do que estava acostumada -, amigas um tanto quanto cruéis e superficiais e um mistério a desvendar: quem matou sua irmã?

"Nós duas tínhamos segredos. Nós duas estávamos muito sozinhas."

Meu interesse por esse livro surgiu depois de ler essa resenha da Ni e, como não ganhei a promoção, solicitei para a editora. Eu já sabia (mais ou menos) o que esperar e, mesmo assim, o livro me surpreendeu.

Eu estava ávida pela ação, pelo suspense, mas como temos duas pessoas que não sabem de nada, isso demora um pouco a acontecer. Sutton, a irmã morta, é quem narra esse livro - olha que legal: ela narra em primeira e terceira pessoa, sem qualquer separação. Isso indica, também, que ela desconhece a "Sutton" que todos conhecem. Ela não era o tipo de pessoa que alguém (em sã consciência) se orgulhasse de ser. Ela não se lembra do que aconteceu, tampouco quem a matou; ela só tem alguns - poucos - flashbacks de situações específicas. Emma sabe tanto quanto Sutton: NADA. E isso é tudo que prende a atenção neste primeiro momento: Emma levando uma vida que não é dela sem fazer ideia do que houve com sua irmã gêmea. Depois as coisas começam a ficar muito mais tensas e os perigos passam a ficar "mais reais".

Gostei desse livro pela leveza de uma trama adolescente, mas tratando de perigos tangíveis - pfvr, alguém MATOU a menina! Desconfiei de todas as pessoas possíveis, bem, Sutton era odiosa, principalmente pelo Jogo da Mentira (mistério, mistério), mas quem teria coragem de realmente matá-la? Além deste suspense, o livro tem base no relacionamento familiar, por mais que seja algo sutil. Emma precisa sentir o afeto familiar e, além dos nomes que ela dá às estrelas e a busca pela irmã, ela faz várias referências à mãe biológica, algumas lembranças que ela tem de momentos bons (ou nem tanto, veja bem, os parâmetros dela são outros). Isso me tocou bastante, confesso.

Eu não li Pretty Little Liars, assisti somente alguns episódios avulsos da série televisiva, mas já consigo imaginar que seja o mesmo clima; as amigas, o jogo, os segredos... Bem, este livro atiçou minha vontade de ler PLL.

Ok, The Lying Game é uma série de livros e eu simplesmente PRECISO do próximo!

site: www.estejali.com
comentários(0)comente



Carolina 05/10/2013

Melhor que Pretty Little Liars!!
Sutton e Emma são irmãs gêmeas que talvez nunca tenham a chance se se conhecer. Ao que tudo indica, Sutton foi assassinada poucos dias antes de conhecer a irmã perdida. Mas enquanto Sutton está desparecida, Emma continua recebendo mensagens dela através do Facebook e combinam de se encontrar. Ao chegar na cidade da irmã, Emma fica em seu lugar e tenta descobrir aonde está Sutton e se ela realmente estiver morta, quem é seu assassino.

"O Jogo da Mentira" é um livro viciante e é bem melhor do que a série de TV. Recomendo!


Thainá 17/10/2013

Emma descobre que tem uma irmã gêmea, mas no dia em que vão se encontrar sua irmã, Sutton, desaparece. Quando a encontram ela está morta, e Emma acaba tendo que viver a vida da irmã.

O Livro é uma leitura muito rápida porem pode confundir a mente, a historia é contada pela Emma e a Sutton em certas partes.

O livro se resume em Emma tentando descobrir o que aconteceu com a irmã, o que me surpreendeu é que no inicio Emma realmente tenta contar que não é Sutton, porém com tantas besteiras que a irmã fez ninguém acredita na verdade.

As irmãs são completamente diferentes o que é fácil de perceber, e as amigas da Sutton são extremamente maldosas.

Existe uma série de Tv que se chama The Lying Game que é um pouco baseada no livro, eu já tinha começado a assistir antes de ler o livro, a série é completamente diferente do livro e gostei muito mais do livro do que da série.

Recomendo o livro, mas não espere encontrar as mesmas coisas do livro na série.
comentários(0)comente



Danielle 02/04/2014

Resenha - Sara Shepard - O Jogo da mentira
Eu sou fascinada por histórias sobre gêmeas e quando li a sinopse deste livro quis ler de cara, posso dizer que gostei bastante da trama, no início achei um pouco confuso o fato da irmã "morta" estar narrando, mas depois me acostumei. Este é o primeiro livro de uma série.

Emma, uma adolescente que foi abandonada pela mãe quando criança, vive em lares adotivos e está prestes a completar dezoito anos quando seu irmão adotivo, um viciado, rouba a mãe e põe a culpa nela. Travis mostra a mãe um vídeo no youtube de Emma sendo estrangulada, a mãe fica horrorizada e diz que só ficará com ela até completar 18 anos.

A menina do vídeo não é a Emma e sim uma menina idêntica a ela. Logo Emma consegue o perfil da menina facebook e se comunica, elas marcam um encontro e podem ser gêmeas. Emma ao chegar no encontro é confundia com Sutton pelas suas amigas e acaba não contando quem ela realmente é. Sutton não aparece e Emma acaba na casa dela com sua família, ninguém acredita que Emma não é Sutton, até na delegacia Emma foi,só que sua irmãzinha era uma pessoa mentirosa e aprontava muitas brincadeiras de mal gosto e o vídeo foi retirado do Youtube, sendo assim ela nada consegue provar.

Emma começa a receber mensagens anônimas dizendo para ela se passar por Sutton e que sua irmã está morta, caso ela não faça o que estão mandando será a próxima. Emma entra no Jogo da mentira para tentar descobrir o que aconteceu com sua irmã e quem é o seu assassino.

A narrativa tem um ritmo ótimo, li o livro rapidamente pretendo continuar lendo a série pois estou louca para desvendar esse mistério.

Recomendo a leitura para todos que curtem livros leves e com mistério.

site: www.facebook.com/minhasresenhasdp
comentários(0)comente



tiagoodesouza 24/09/2014

O Jogo da Mentira | @blogocapitulo
Eu não sabia muito bem o que esperar de O Jogo da Mentira porque eu nunca li nada da autora. Sara Shepard, como vocês devem saber, é autora da extensa série Pretty Little Liars lançada pela Rocco Jovens Leitores. PLL tem mais de dez livros lançados no Brasil. Eu assisti somente a primeira temporada da série de tevê e abandonei no começo da segunda por achá-la bastante enrolada. Nunca cheguei a assistir The Lying Game, a série inspirada no livro e que teve somente uma temporada.

A história parte da ideia de que irmãs gêmeas foram separadas quando crianças e tomaram rumos muito diferentes na vida e, portanto, nunca chegaram realmente a se conhecer. Sutton viveu trocando de lares adotivos e Emma cresceu numa família que a amava. Um certo dia, Sutton acorda na atual casa de Emma. No entanto, Sutton está morta - é um fantasma - e a única pista que ela tem para descobrir o que realmente houve é um vídeo postado na Internet. É através desse vídeo que Emma descobre que tem uma irmã gêmea e resolve encontrá-la após um conversa pelo Facebook.

No entanto, ao chegar ao local de encontro, a vida de Emma muda completamente quando as pessoas começam a confundi-la com Sutton, fazendo com que Emma seja "forçada" a assumir essa nova personalidade para tentar desvendar o misterioso sumiço da irmã.

O tal Jogo da Mentira que dá título ao livro é um conjunto de trotes bem apelativos que Sutton e algumas amigas fazem. Antes de saber isso, eu pensava que fosse por conta de Emma usurpar o lugar da irmã. Achei bem bolado esse lance da troca de lugar, porque o assassino de Sutton, ou assassinos porque eu não sei se foi só um ou mais, uma hora ou outra pode dar um vacilo e acabar se revelando. O suspense está bastante presente e alguns momentos são carregados de tensão, deixando-nos com aquela sensação de aflição de não saber o que realmente vai acontecer. Tem um acontecimento mais para o final, ocorrido no deserto, que é o ápice disso.

Quando eu comecei a leitura de O Jogo da Mentira, tive um estranhamento inicial com a narrativa, porque a autora muda o ponto de vista do narrador no meio do texto e não há uma marcação para definir quando é Sutton ou Emma quem está nos conduzindo pela história. Exceto, claro, que Sutton fala em primeira pessoa e quase sempre encerra os capítulos com algum comentário com gancho para o próximo, enquanto Emma é em terceira pessoa. Passado o estranhamento, eu comecei a curtir e perceber mais facilmente quando mudava.

The Lying Game é uma sextologia e já tem os três primeiros livros lançados no Brasil: O Jogo da Mentira, Eu nunca... e Duas verdades e uma mentira.

O livro me deixou com uma sensação gostosa de nostalgia. Ele me fez lembrar de adolescência e manhãs de domingo acordando cedo para assistir seriados jovens no SBT - hahaha - e livros pops. Se vocês assistiram PLL ou mesmo TLG e estão com dúvida sobre ler este livro, aconselho a deixá-la de lado e dar uma oportunidade. É divertido, bem bacana mesmo. Uma ótima pedida para quem curte thriller juvenis. Recomendo!

"Jogo da mentira. Se era algo que Sutton e suas amigas faziam com muita frequência, se era algo que tinham feito com muita gente da escola, talvez tivessem ido longe demais com alguém. Ela pensou no que Charlotte dissera. Como se você não tivesse feito coisa pior, Sutton. E se fosse exatamente isso? E se Sutton tivesse feio algo pior - muito pior - e alguém a tivesse matado por causa disso?"
Página 155.

site: http://ocapitulodolivro.blogspot.com.br/2014/09/resenha-o-jogo-da-mentira.html
comentários(0)comente



Lucy 22/04/2020

Emma cresceu como órfã e descobriu que é gêmea através de um vídeo de suposto assassinato da sua irmã. Ela decidi ir atrás, chegando lá descobre que ninguém sabe do "suposto assassinato" da irmã então ela passa a viver a vida de Sutton, sua irmã, a fim de esclarecer o que de fato aconteceu.
Opinião: que irmã mais diabólica é essa que fica pregando peças em todo que vivem ao seu redor. Não é a toa que tem um monte de suspeito que podem ter matado essa guria.

4 estrelas porque me prendeu e agora até eu quero saber quem matou "ou não" Sutton.
comentários(0)comente



39 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3