A Vez da Minha Vida

A Vez da Minha Vida Cecelia Ahern




Resenhas - A Vez da Minha Vida


175 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Camila 21/01/2013

Lucy até aquele momento levava a sua vida “com a barriga”. Ela estava morando em um apartamento de um único cômodo, com um gato hermafrodita que ela esconde do inquilino, solteira (e sozinha), deu apelidos maldosos para todos os seus colegas de trabalho, mentiu no seu currículo pra conseguir um emprego porcaria, dirigia uma lata velha, fugia de seus compromissos familiares, e ainda por cima ignorava a sua própria vida.

Mas isso mudou no dia em que Vida, ou Cosmo (chame como quiser), resolveu interferir, e dar um basta nas enrolações de Lucy. Mal vestido, sujo, com mal hálito, irônico, rude e estressado. E sim, palavras no masculino, porque Vida é homem, e um homem nenhum pouco atraente. A Vida de Lucy é realmente como ela aparenta ser: um desastre.

Agora, Lucy está em uma grande enrascada. Vida veio pra ficar, não vai tolerar atrasos, mentiras ou enroloções. Vida quer ser colocado no eixo, porque uma Lucy feliz é igual a uma Vida feliz. E nem mesmo o temperamento ruim ou a relutância de sua dona fará Vida desistir da causa.

A cada vez que Lucy disser uma mentira, Vida revelará uma verdade sobre ela. E levando em consideração que as mentiras de Lucy até então têm variado de simples falsos elogios à mentir sobre sua qualificação em seu currículo, Lucy terá que segurar a boca e as mentiras se quiser sair dessa sem grandes arranhões. E é claro, que se tratando de Lucy, essa história não avi dar certo.

A vez da minha vida é um hilário encanto. A narrativa da Ceccelia Ahern é extremamente prazerosa e contínua. No início eu me senti um pouco ‘fora de órbita’, afinal, a Vida de Lucy aparece em pessoa para ela, e no livro isso é apresentado totalmente normal, como algo que vem acontecendo com as pessoas já tem um tempo. Mas aos poucos fui em envolvendo cada vez mais e não consegui mais largar o livro

A cada mentira de Lucy, e a cada verdade de Vida, vamos entendendo como esse lance de mentir é um círculo vicioso: você mente uma vez, e então tem que criar outras duas mentiras pra encobrir a mentira anterior, e assim por diante. Simplesmente não tem fim. A Novo Conceito caprichou na diagramação e revisão, e este é um livro que vale a pena ser lido!

"Havia completa e totalmente ignorado minha vida. E agora ela tinha escrito para mim, me convocando, e havia apenas uma coisa a fazer. Tinha que me encontrar com ela, cara a cara. (Página 8)"

"- Você é nojenta e tenho vergonha de ser sua vida. (Página 137)"
Mih Fraga 21/01/2013minha estante
Essa resenha deixa muito a desejar. Só a sinopse do livro, realmente não agrada nada e quando a li, me pareceu ser uma história bem estranha e sem sentido. Mas agora eu sei que é uma narrativa divertida e prazerosa, que com certeza vai me envolver do início ao fim. Tô doida por esse livro *-*


Carol 24/01/2013minha estante
Mila, sua resenha me deixou com muita vontade de ler. Parabens!


Alessandra 02/02/2013minha estante
Adorei a resenha... Quero muito ler esse livro!! Lucy pare ser muito divertida...


Lari 02/02/2013minha estante
Eu quero muito ler esse livro! Suas resenhas sempre me deixa com ânsia de ler logo !
Beijos!


Gladys 03/02/2013minha estante
Tenho bastante curiosidade com essa trama, a maioria das resenhas que li foram positivas, :D

Bjo!


Kelry 03/02/2013minha estante

Ótima resenha! Não imaginava que a história fosse assim. Estava imaginando romance e drama, mas não uma lição de moral! Interesseante, bem diferente do que estamos acostumados a ler.


Maiara 03/02/2013minha estante
Estou muito louca por esse livro. Adoro a Cecelia, e um livro que faz a gente rir vale a pena ser lido.


Maiara 03/02/2013minha estante
Estou muito louca por esse livro. Adoro a Cecelia, e um livro que faz a gente rir vale a pena ser lido.


Maiara 03/02/2013minha estante
Estou muito louca por esse livro. Adoro a Cecelia, e um livro que faz a gente rir vale a pena ser lido.


Rafaela :3 03/02/2013minha estante
Suas resenhas sempre aumentam ainda mais a minha curiosidade! u_u
Já estou louca por esse livro desde que vi a capa dele (sim, eu julgo o livro pela capa u_u kkk), e fiquei ainda mais curiosa após ler a sinopse. O que dizer depois de ler a resenha? PRECIIIISO DELE! *u*


Marcela 03/02/2013minha estante
Ahhh! Eu amei a resenha, muito elaborada. Espero lê-lo logo!


Fran 04/02/2013minha estante
Já disse no blog o quanto que gostei desse livro, a capa me chamou muito a atenção e a história também, sem falar na sua resenha que esta incrível haha Beijo!


Ketelin 05/02/2013minha estante
Adorei a resenha!
Num primeiro momento, parece meio estranho né? Tipo: como assim sua Vida é um ser humano? haha
Mas parece bem engraçado, e eu gostaria muito de lê-lo! Bjs.


Fefa 18/02/2013minha estante
Acho que você escolheu bem os quotes, ficou super a cara do livro.
O único livro da Cecelia que eu li foi P.S Eu te amo, mas eu me encantei com a narrativa dela. Sem fala que ela cria enredos totalmente diferentes e inusitados.
Estou bem curiosa mesmo com relação ao livro.
beijos


Val 27/02/2013minha estante
Suas resenhas são sempre maravilhosas! Esse livro deve ser otimo, espero ler em breve :)


Raíssa 07/04/2013minha estante
Ótima resenha. Estou lendo o livro e achava que era só eu que estava me sentindo fora de órbita. Mas depois de ler tua resenha, decidi continuar. Espero me encantar também :)




Brilho 08/10/2012

A vez da minha vida
Imaginem cada pessoa poder se encontrar com a sua própria vida?
Lucy Silchester jurava ter a vida perfeita, com ótimo emprego, namorado, amigos e um mega apartamento...... Mas ela acaba perdendo tudo num mesmo dia e 3 anos após a vida dela está um verdadeiro caos, morando num cubículo, sem namorado, fugindo dos amigos e em um emprego que detesta.
Cecelia Ahern nos mostra como esta protagonista começou a mentir, ou omitir, desde que teve sua vida virada de ponta cabeça e agora vive mentindo sobre tudo e ainda evita a sua família. Quando recebe várias cartas de sua vida pedindo um reunião, ela tenta de todas as formas fugir mais um vez, mas sua vida não dará treguá alguma a ela.
Um livro com leitura rápida, ótima diagramação e quase sem erros de revisão a Editora Novo Conceito traz um livro para todos os tipos de leitores.
Lucy se encontra com sua vida, que na verdade é um homem, e já que ela está resistente em admitir que tem que mudar totalmente a forma de viver para se sentir feliz, Cosmo (como sua vida é apelidado por ela mesma) resolver fazer uma intervenção junto a ela e praticamente ser sua sombra 24 hs por dia.
Cosmo é um personagem extremamente divertido, um presente da autora ao leitor, ajudará Lucy a voltar a enxergar a vida da melhor forma e a Lucy dar valor a ela mesma e claro que pare de mentir.
Como Cecelia é uma romântica incorrigível, não posso deixar de contar que tem romance no ar sim sim.
O único adendo que deixo a vocês é a de o livro acaba se tornando um pouco cansativo nos primeiros capítulos, mas engrena bem e com bastante história após, então vale a pena ler sim.
Eveline 20/10/2012minha estante
Li dois capítulos deste livro e senti que gostaria de ler todo, senti ainda mais quando li sua resenha. Add aos meus desejados.


Dani... 06/11/2012minha estante
Acabei de passar na livraria e comprei esse livro... Sua resenha me ajudou na escolha! ;)




Leitora Viciada 03/03/2013

Comecei a ler A Vez da minha Vida logo depois de terminar P. S. Eu te Amo, também da Cecelia. Gostei tanto do anterior que corri para ler esse e não me arrependi. É superior na criatividade e narrativa.
Acredito que Cecelia criou um estilo diferente de romance. Não é extraordinário, porém foge dos chick-lits comuns e também não possui os mesmos ingredientes dos dramas que costumo ler.
Existe um equilíbrio perfeito do drama com a comédia, como geralmente os europeus gostam. Ambas as obras abordam temas reais, mas com humor negro. Cecelia é delicada nesse sentido, mas firme.
Seus dois livros são feministas. São mulheres comuns, passando por problemas que interrompem suas vidas, porém conseguem superar todos os obstáculos sem precisar necessariamente de um "príncipe encantado" (claro, se um par aparecer, melhor ainda). Mesmo assim elas são protagonistas intensas e apaixonadas, mesmo quando desiludidas ou fragilizadas.

Assim como em P. S. Eu te Amo o ponto de partida para a reviravolta na vida da protagonista, Lucy, é uma carta. Uma sequência delas. Se antes o motivo das cartas foi o luto, dessa vez a autora abordou o oposto: a vida. Literalmente, a vida de Lucy.

A capa é simples e combina estrategicamente com a história. Uma mulher demonstrando prazer e liberdade na parte de cima e embaixo uma pilha de envelopes com cartas. No meio o título em letras cursivas em uma faixa branca que divide as duas imagens ao meio.
O livro possui capítulos bem mais longos que P. S. Eu te amo, são trinta capítulos e um epílogo.

A narrativa da autora mantém os mesmos elementos, no entanto mais fortalecidos. Alguns leitores certamente a classificarão como lenta. Não é uma história frenética e explosiva, nem uma comédia de fazer o leitor gargalhar. É um drama com uma pitada de sarcasmo que diverte, porque Lucy está presa em uma armadilha psicológica.
Ela está completamente infeliz com sua vida familiar, amorosa, profissional... Ela está completamente insatisfeita. No entanto, ela finge que tudo está perfeito, se conforma com o estado abandonado em que sua vida se encontra e mente para todos ao redor, e o pior: Mente para si mesma.
Mentiras para levantar a autoestima, para evitar questionamentos de parentes e amigos ou para se dar bem no trabalho. Quando mais ela mente, mais ela finge que sua vida está ótima, porém mais deplorável seu coração fica.
Ela não está em depressão, nem fica se lamuriando, mas no fundo ela sabe. Não assume a dura realidade, mas tem certeza que sua vida é falsa, superficial e triste.
Depois da perda que ela sofreu, sua vida mudou e ela aceitou isso. Ela não enfrentou a realidade cruel de que às vezes somos obrigados a mudar. Mudar nem sempre precisa ser bom ou ruim, apenas necessário, e temos que fazer desse processo algo sempre positivo, por mais difícil ou doloroso o procedimento seja.

Então surge a melhor personagem do livro: a Vida de Lucy. Em pessoa, carne e osso. Vida tenta entrar em contato inúmeras vezes com Lucy. Assim como ela não abre os olhos para como sua vida está parada e lamentável, ela também ignora as cartas de Vida e suas tentativas de contato.
Por fim ela desiste de dizer "não", pois a situação começa a ser inconveniente. E a história realmente começa.
Justifico a narrativa que pode ser interpretada como lenta. Como já comentei, não é um livro comum. O tema pode ser clichê, a história pode parecer uma mera comédia romântica, mas o livro é muito mais profundo. O desenvolvimento do enredo é totalmente planejado.
Ao mesmo tempo em que comparamos o relacionamento de Lucy com Vida, verificamos o estado físico e mental de Vida. E também como a vida de verdade da Lucy se encontra. As três coisas estão interligadas de forma direta e inteligente: Lucy, sua vida e a personagem Vida que veio tentar fazer a vida de Lucy melhorar. Parece confuso? Nem um pouco. O livro é de leitura fácil e simples, mas... o leitor precisa ter a mente aberta, porque toda a história, do início ao fim possui inúmeras mensagens nas entrelinhas. Incontáveis comparações e interpretações surgem por detrás da história, capítulo após capítulo.

Cecelia consegue extrair de um assunto manjado e super explorado - uma vida chata e sem esperança - uma nova roupagem. Ao mesmo tempo em que ela usa do drama para fazer refletir e sorrir com Lucy e seus erros e acertos (mais erros!), existe um tempero sagaz que poucos encontrarão.
Embora o tema seja real e o problema enfrentado por muitas pessoas na casa dos trinta anos, a autora utiliza de itens lúdicos na narrativa.
Muitos chegam aos trinta anos e a um impasse: começam a pensar que já não são tão jovens quanto antes, porém ainda há muita vida pela frente; pensam que a vida já deveria estar em um rumo certo, pelo menos planejado e definido, seja na profissão ou nos relacionamentos (amizade, família, amor); já deveriam ter a certeza se terão filhos ou não; e ter uma vida financeira estável, ao menos um lar independente.
Lucy sofre em todas essas áreas. Até com o apartamento ou com o pai ela tem problemas. Ela tem problemas com tudo, nada na vida de Lucy parece firme. Nem seu gato. Nem seu carro.

Explorando esses conflitos realistas com uma temática fantástica, a autora coloca Lucy frente a frente com Vida. Lucy precisa enxergar que precisa mudar sua vida, assumir seus erros e mentiras e modificar tudo radicalmente. Vida precisa que Lucy faça isso, pois sua aparência e existência dependem diretamente do sucesso de Lucy. Quanto pior a vida de Lucy fica, quanto mais cega ela fica, pior a situação de Vida
Mesmo Vida estando ao lado de Lucy para ajudá-la, as atitudes e vontade de mudança devem partir da própria Lucy. Vida não pode fazer nada sem Lucy.
É irônico e muito simbólico. Como alguém pode mudar a vida sem querer? A vida de ninguém mudará sozinha sem que a pessoa se esforce, lute, enfrente.

O mais interessante, além das várias interpretações escondidas, da ligação direta de "Vida-Lucy-vida de Lucy", é a evolução que a autora dá à história. Enquanto alguns acham que existe lentidão, as mudanças na verdade são sutis, evolutivas e fascinantes.
Acompanhar Lucy e Vida em um relacionamento extremamente diferente, criativo, ousado e bonito é gratificante, pois julgamos e avaliamos Lucy o tempo todo, para depois refletirmos sobre nós mesmos.
Lucy é um espelho para o leitor. Vida é o símbolo que de devemos cuidar da nossa, por que, e se ela existisse?
Se sua vida existisse e fosse uma pessoa, que aparência e personalidade ela teria? Como seriam seus trejeitos, atitudes e roupas, por exemplo? Com certeza o que você faz de sua vida influenciaria na pessoa, não é? É exatamente isso que ocorre em A Vez da minha Vida. O próprio título já possui duplo sentido: É a vez da vida de Lucy ou de Vida?
Como Lucy decidirá mudar sua vida? Como Vida irá auxiliá-la? Todos sairão ganhando... ou perdendo.

O livro é recomendado para pessoas que buscam por autorreflexão, mas querem a ajuda de um bom livro de ficção. Temas reais, com pessoas comuns, porém com uma fantasia especial, uma magia tênue mesclada à realidade. Uma história de busca pela autoestima, pela força e vontade de mudar, sair da rotina e da mesmice. Um livro que inspira e aborda a mudança. Insatisfação não é desculpa para deixar de lado o mais importante que alguém possui: vida.

Mal posso esperar pelo próximo livro da autora que a Novo Conceito publicou em 18 de fevereiro. Me tornei fã da autora.
Maristela 21/02/2013minha estante
Quero muito ler esse livro, pois tenho lido muitos elogios sobre ele. Sua resenha está maravilhosa e só faz aumentar o desejo de ler.


Fran 21/02/2013minha estante
Resenha incrível como sempre!


Michelle Ladisl 22/02/2013minha estante
Como amooooooooooo romance sou suspeita pra falar dele !! Já li várias resenhas ótimas e a sua entra pra listinha =)
Parabéns !!
Bjus


Tarsila 22/02/2013minha estante
Ainda não li nada da autora, queria muito ler esse livro e 'P.S. Eu te amo' também. Esse livro parece ser muito bom, gosto de livros que nos proporcionam uma autorreflexão. Gostei de quando você disse que tem um equilíbrio perfeito de drama e comédia. Espero conseguir lê-lo. Adorei a resenha.
Beijos!


Sam Puckett 23/02/2013minha estante
É impossível não querer ler algum livro que vc indique, com resenhas tão fantásticas como as que vc faz.


Elis Culceag 23/02/2013minha estante
Resenha super completa, nota-se como você se envolveu na leitura. Eu quero esse livro! Bjs... Elis Culceag.


Letí­cia 24/02/2013minha estante
Tenho muuuita vondade de ler esse livro! Parabéns pela resenha!


Louco pra Ler 25/02/2013minha estante
muito bom mesmo


Sayonara 25/02/2013minha estante
Legal, as protagonistas tem suas vidas mudadas por cartas. Também gostei de saber que elas são mulheres fortes e que lutam e não aquelas personagens femininas caricatas que não fazem nada da vida. Achei bem interessante o fato da vida dela ser um personagem de carne e osso. Isso me fez lembrar da menina que roubava livros, onde a morte também é um personagem


Monique 27/02/2013minha estante
Ótima resenha! Fiquei louca pra ler agora :D


Lua 27/02/2013minha estante
A Cecilia arrasa sempre, tem como não ama-la e tem como não amar seus livros? são perfeitos em tudo, as capas mais fofas do mundo e as histórias nem se fala.


Paty 28/02/2013minha estante
Acho que todo mundo tem um pouquinho de Lucy em si, quero ler e descobrir como ela lidou com a sua vida. Amei sua resenha.. e é claro que por causa dela estou mega curiosa e interessada por esse livro.


Belle 28/02/2013minha estante
Gostei muito da resenha ........achei interessante.....


Missbook 01/03/2013minha estante
Gostei muito, acho que é um auto-ajuda bem interessante.


Thielen 02/03/2013minha estante
Não sou muito fã desses livros, mas esse me chamou bastante atenção, confesso. Parabéns pela resenha, esta mt bem elaborada :)


Sozinha 02/03/2013minha estante
Eu sempre entro em pânico quando vejo o tamanho de tuas resenhas... Mas quando começo a ler, fico surpresa com o fim.
rsrsrs
Aquela coisa que eu falo sempre, cada resenha parece uma nova versão da história. Algumas nos dão vontade de ler, outras nos fazem perder a vontade.
A história parece muito confusa... E quando tu diz que é um pouco lenta, eu fico com medo... Porque eu custo demais a gostar da história...
Cecelia Ahern é uma autora que eu ainda não tive o prazer de conhecer diretamente... Infeliz...
E quantas questões tu levanta no fim! Dá vontade de ler só pra responder! kkkkkkkkkkkk
Acredito que toda mudança é sutil... A pessoa só muda radicalmente se perder a memória (o caso de vovó).
Eu prefiro esses livros de autorreflexão que são romance do que os de auto-ajuda de textos chatinhos...

p.s: gata, tem alguns erros de digitação...


Leitora Viciada 03/03/2013minha estante
Oi, Sol, desculpe se escrevo muito, mas acredite: Eu tento resumir ao máximo possível. Meu esboço é sempre três vezes maior XD.
Espero que tenha a chance de conhecer o trabalho da autora para poder ter sua opinião, já que por aí elas variam muito.
Desculpe pelos erros de digitação, é que eu escrevo com muita empolgação e paixão. Beijos.


Leitora Viciada 03/03/2013minha estante
Agradeço a todos que leram e opinaram sobre a minha resenha. Obrigada!!!


Jairolenz 03/03/2013minha estante
Como sempre, suas resenhas se destacam das demais, pois você aborda aspectos distintos.


Joseph 04/03/2013minha estante
Achei essa resenha ótima, assim como todas as outras que você escreve, haha. Fico com muita vontade de ler os livros.


DomDom 04/03/2013minha estante
Muito massa sua resenha. Pelo que percebi, a autora gosta de usar o elemento "cartas" em suas histórias. Até aí, tudo bem! O problema é ela começar a se repetir. Pelo menos, gostei dessa ideia de personificar a vida da personagem principal, e fazer diálogos entre elas.
Fiquei curioso pra ler.


Ilinha 06/03/2013minha estante
Oláá´
Gostei da sua resenha!
A narrativa parece ser boaaa, também tenho vontade de ler este livro! Tive receio por ser a mesma autora de Ps: Eu te amo e não gosto muito de livros de dramas. Já li várias resenhas positivas deste livro. Vou dar uma chance.
Beijos


Suzana Chaves Linhares 06/03/2013minha estante
Olá! Gostei da sua resenha, estou muito interessada nesse livro! Bjs


Manuella 08/03/2013minha estante
Nossa, que ideia gostosa Cecelia Ahern nos apresenta: um encontro com a Vida, um encontro de vida! Que nos chama à realidade, como alguém que quer muito o nosso bem - e aqui isso interessa às duas.
Gostei demais e já coloquei o livro nos meus desejados.
Acho que essa leitura vai me fazer refletir, avaliar sonhos que não realizei e caminhos que trilhei. Questionar onde cheguei e se era isso que eu queria...


Gy 09/03/2013minha estante
O livro parece ser muito bom... Estou curiosa para ler a interação de Lucy e sua vida... Parabéns pela resenha... Ficou ótima... a melhor que li sobre esse livro até agora...


Gabi l Vai um spoiler aí? 09/03/2013minha estante
Super diferente esse livro, quero muito ler. Nunca vi nada parecido. Ótima resenha.


Little Bia 09/03/2013minha estante
Achei interessante, fiquei na vontade de ler ! Adorei a resenha :D


Amanda 11/03/2013minha estante
O livro parece ser realmente muito bom, interessante a ideia da autora! Amei, quero ler!


Priscila 13/03/2013minha estante
fiquei com vontade de ler esse livro, parece ser interessante


Carolina 15/03/2013minha estante
Você escreve muito bem :o


Luciana 15/03/2013minha estante
Eu estou bastante curiosa para saber se a Cecelia vai se superar nesse livro, pois estou lendo P.S. Eu te amo, mas não consigo gostar como imaginei que fosse. Talvez o fato de existir uma personagem diferente, que é a Vida da Lucy.




Rose 26/12/2012

Como anda sua Vida? Bem? A de Lucy Silchester não andava nada bem, ao ponto da própria vida dela a chamar para um encontro.
Depois que seu namorado a deixou, Lucy acabou construindo um castelo de mentiras do qual acabou ficando presa. Sua vida não andava, pelo contrário, parecia uma queda livre.
Ela se afastou dos amigos e de sua família. Vivia só com seu gato (Dr. Pan) em seu pequeno e bagunçado apartamento. Ninguém a visitava, mesmo porque ela não convidava e nem queria ninguém por lá.
Não foi por um acaso que quando ela se encontrou com a própria vida, ela o achou feio. Sim, a vida de Lycu era “ele” a quem passou a chamar de “Cosmo”.
Ela bem que tentou não dar atenção à própria vida, mas Cosmo desta vez não ia deixar por menos. Ela já o tinha deixado de lado por quase 3 anos, não dava mais para adiar este reencontro, esta convivência.
Aos poucos e com muita paciência, Cosmo foi pondo a vida de Lucy nos trilhos, e um novo Cosmo foi nascendo. Claro que Lucy ainda deu algumas “derrapadas”, afinal era um tanto cabeça dura. Mas vamos falar a verdade, encarar a própria vida de frente não e tão simples assim né? E ela no final se saiu muito bem.
Danny 26/12/2012minha estante
achei a capa do livro linda e a historia muito parece ser bem interessante , espero em breve poder ler esse livro !
bjos


Yassui 26/12/2012minha estante
De fato não é fácil encarar a vida cara a cara,,mas senão a enfrentarmos, quem irá enfrenta-la por nós?
Espero aprender muito com este livro!


Maristela 27/12/2012minha estante
Estou tentando ler esse livro já faz algum tempo. Tenho lido algumas resenhas e todas são muito positivas e a sua não foi diferente. Só fez com que eu ficasse com mais vontade de ler.


Paty 27/12/2012minha estante
Amei sua resenha.. e é claro que por causa dela estou mega curiosa e interessada por esse livro.Quero ver se Lucy não é louca mesmo.


Thicy 31/12/2012minha estante
Eu já tinha visto esse livro há algum tempo e achei ele bem legal. Pretendo leê-lo.
Sua resenha ficou muito boa. Parabéns!!


AndressaPalmaS 31/12/2012minha estante
Amei a resenha, super curiosa pra ler o livro. Pretendo lê-lo o mais breve possível. E achei bastante interessante a capa do livro.


Fran Moura 02/01/2013minha estante
Esse livro está na minha interminável lista de livros que quero ler *-* Amo esses livros porque acho que fazem a gente refletir, nesse caso, o que diríamos ao encontrar nossa própria vida? =]


Amanda 06/01/2013minha estante
Mais um livro na lista pra ler nesse ano!kkkk ... São tantoooos!


Regiane (Carrie) Alencar 12/01/2013minha estante
Esse eu ainda não li. Quero ler. Fiquei sabendo há pouco tempo q PS EU TE AMO era um livro e me interessei pela escritora.


NESSA 16/01/2013minha estante
Lucy é uma mentirosa compulsiva?
Viu o livro não é o que parece igual a vida de Lucy!
Fiquei curiosa sobre a proposta da vida para Lucy.
O que ela vai decidir....


Sabrina Piano 16/01/2013minha estante
Nossa, acho que eu ficaria meio louca de ter um encontro com a minha vida, embora a minha seja muito calma, e sem mentiras.
Acho que o livro é bem diferente de tudo que eu já vi, espero não me decepcionar quando tiver a oportunidade de ler o livro!


Fernanda @condutaliteraria 18/01/2013minha estante
Fiquei curiosa pra ler esse livro, gosto muito da autora. E parece ser ótimo.


DomDom 21/01/2013minha estante
Achei a história desse livro bem interessante. E soube que ele tem umas pitadas de humor bem legais. E dá pra se perceber pela caracterização da sua vida. Rsrsrs
Espero ter a oportunidade de ler em breve.


Kelry 22/01/2013minha estante
Achei legal, já vi resenhas em outros blogs mas a sua é bem clara e objetiva!

Abraços.


Deyse 24/01/2013minha estante
Resenha ótima. Acho que deve ser legal acompanhar as loucuras de Lucy pelo mundo amoroso.


Belle 28/01/2013minha estante
Interessante esse livro, gostaria de ler ele também.




Angélica Roz 01/12/2012

Esperava mais.
A Vez da Minha Vida, de Cecelia Ahern, mesma autora de P.S. Eu Te Amo, me conquistou pela capa.
Assim que a editora Novo Conceito lançou o livro, fiquei babando por ele!
No entanto, a leitura não foi tudo aquilo que eu esperava...

Lucy, a personagem principal, é alguém que está com a sua vida de pernas para o ar. Ela perdeu o namorado, com quem mantinha uma relação há cinco anos, foi demitida do trabalho que gostava, não consegue se relacionar direito com os amigos e nem com a família. Pois, guarda vários segredos e não quer que eles os descubram.

Lucy mora em um pequeno apartamento com o seu gato hermafrodita e trabalha em uma empresa que detesta. Além disso, não consegue se dar bem com os seus colegas de trabalho.

Há algum tempo, ela vem recebendo cartas, que são convites para ela se encontrar com a sua vida...

Chega um momento em que tudo está tão fora de controle e enrolado que, então, Lucy decide aceitar esse convite. A partir daí, a sua vida começa a tomar forma e a ganhar um novo rumo.

O que eu achei da obra?

Achei o início meio enrolado e a proposta um pouco confusa. Mas, no decorrer da leitura, isso foi se modificando e se tornando mais agradável.
É uma leitura leve e divertida. Mas eu esperava bem mais.
Não gostei de Lucy e não consegui me identificar com nenhum personagem. Então, acredito que isso também atrapalhou um pouco a minha leitura...

Enfim, é um livro bom para passar o tempo... Com uma mensagem bonitinha no final.
Stephanie B 23/02/2013minha estante
Muita pena você não ter gostado do livro, era parece ser bem legal! Ótima resenha, e boa sorte com o próximo!-


Fran 25/02/2013minha estante
Deve ser muito bom, apesar de você não ter gostado muito... Mas, acho que assim, cada um tem seu gostinho ;)


Regiane (Carrie) Alencar 26/02/2013minha estante
É, é possível q eu não goste tb, mas acho q quero ler o livro sim. Mas tb acabo levando pro lado pessoal, tenho q entrar na história pra gostar.


Jess 03/03/2013minha estante
que pena que você não gostou, mas acho que vou tentar ler ele


Nâna 06/03/2013minha estante
Que pena que vc não gostou.
Mas pelo menos a leitura vai se tornando mais agradável conforme passa as pags.


Kesia 09/03/2013minha estante
As vezes a nao identificação com os personagens realmente ocorre. Tentarei lê-lo.


Calcia 18/03/2013minha estante
Parece literatura fantástica rsrsrs Acho legal uma proposta diferente, um pouco fora do comum, não sei se esse é o intuito. Mas gostei bastante do P.S.




Mell 21/10/2012

A vez da minha vida - Blog Croissant Parisiense
Eu poderia começar esta resenha perguntando a vocês como se sentiriam se a sua própria vida resolvesse lhe fazer uma visita. Mas isso não alcança o significado da mensagem do livro.
Lucy Silchester tem 29 anos quando recebe uma carta com selo de ouro... Da sua vida. No começo da leitura pode parecer estranho, demora um pouco até o leitor se acostumar, mais até do que a própria personagem, que vive num mundo onde isso é aparentemente normal, mas interessante, claro.

Mas Vida só aparece quando, depois de quase três anos solteira e num emprego que não a deixava feliz, Lucy está envolvida em mentiras que tomam conta de sua existência e de seus relacionamentos. Ela namorava há cinco anos com Blake, um aventureiro lindo que ama cozinhar e tem seu próprio programa de televisão. Mas ele a deixou repentinamente, sem sequer lhe dar um motivo, e ambos concordam com sua ideia de fazer tudo aquilo parecer como se ela tivesse dado o fora. O problema é que ele passou a viajar muito por conta do programa, e era ela quem tinha que conviver com as maldades de seus amigos que, além dela, eram amigos de Blake também. Todos achavam que Lucy era fria e insensível, e que depois da separação dividiu o grupo e se manteve intocada, sempre distante de todos.

Além disso, Lucy não possuía um bom relacionamento com a sua família. Com o seu pai, então, nenhum, para falar a verdade. Ricos e meticulosos com as aparências, os Silchester faziam com que ela tentasse cada vez mais estar longe deles. Seu pai nunca atencioso, sempre arrogante e acusador, mamãe imaculada, nunca transparecendo sentimentos fora da etiqueta social. E seus irmãos impecáveis, com ótimas carreiras... Bem, Lucy sempre achou que não pertencia àquele lugar, principalmente agora com um trabalho medíocre de tradutora de manuais.

Mas quando decide (meio à força) permitir que sua Vida lhe acompanhasse em sua rotina, sua vida começa a desmoronar. Suas mentiras vêm à tona, conhece um cara lindo mas acaba lhe magoando, e descobre que seu amor realmente se esvaiu com o tempo.

Vida estava ali para ajudá-la a encontrar um rumo para ela própria, para que fosse capaz de perceber que suas mentiras apenas a distanciava da vida real, e que a sugava sempre para um mundo solitário e inventado.

E ter a Vida intervindo de um modo tão natural foi a grande sacada do livro. Vida simplesmente não é algo divino, nem nada. Ou pelo menos ele recusa isso durante o livro inteiro. “Ele”, porque na realidade é um homem. Um homem preocupado com Lucy e que vive para ela, claro, que se sintoniza com seus sentimentos, estando aparentemente lindo quando Lucy se sentia bem, e aparentemente feio e cheio de alergias quando ela ficava triste. As melhores partes da história foram os momentos engraçados de Lucy e Cosmo (nome que ele inventou para si), com falas hilárias, grandes sacadas, ironias e citações (como do filme Amélie Poulain).

Mas a mensagem de Cecilia Ahern é linda. De um modo a princípio estranho, ela nos introduz a ideia de que devemos, sim, nos importar com a vida de quem gostamos, e também com a vida de qualquer outra pessoa, mas sem que esqueçamos de viver a nossa própria, de um modo honesto e saudável - honestidade geral e vivacidade interior e externamente. Paramos algumas horas para nos questionar sobre a preciosidade da vida e das consequências de nossos atos. Juntos da história de Lucy, acabamos por refletir um pouco sobre o que fazemos com nossas vidas, e que nossas palavras e condutas possuem transformações gerais e significativas.

Adorei todas as personagens, até as mais chatas, como Blake e seu egocentrismo. É claro que há um romance, como bom chick-lit que é: Don é um cara perfeito e lindo, e o modo como Lucy o conhece e como desenvolvem seu relacionamento é demais... Tudo começa com uma chamada errada.

A escrita de Ahern é fluída, porém se acostumar com a Vida na história foi difícil para mim. Mas assim que me engajei na história e que ela começou a ficar cada vez melhor, não consegui largar o livro! Li em pouco tempo e adorei tudo nele! Mesmo a inconsistência de uma das histórias, quando Lucy viajou com sua Vida mesmo depois de dizê-lo que não tinha dinheiro e sem ter levado roupas com ela (no dia seguinte, na viagem, ela surpreendentemente aparece com uma roupa adequada para o que foi fazer: saltar de paraquedas). Ok, Cosmo é todo riquinho, tem Ipad, Iphone e tudo o mais, mas me questionei sobre isso. Resolvi deixar de lado essas inverossimilhanças para aproveitar mais o livro, afinal, comecei a me interessar muito pela mensagem que Ahern passou com suas palavras.

http://croissantparisiense.blogspot.com.br/2012/10/resenha-vez-da-minha-vida-de-cecilia.html
comentários(0)comente



Bibi 18/02/2013

Lindo demais! Muito recomendo. Leve, divertido e emocionante!
Vou precisar de um tempo para me despedir dos personagens... Só depois partir pra outro...
desireefi 25/02/2013minha estante
Não sei como continuar sem eles também :(


Janaína 19/05/2013minha estante
Também adorei!! Não tem como não gostar da Lucy!!! =)




Yasmin 06/06/2013

Fiquei surpresa com a história, tanto pela protagonista quanto pelo desenvolvimento

Já faz algum tempo que conheci os livros de Cecelia Ahern através do lançamento de seu livro mais famoso pela Novo Conceito. Confesso de que gostei mais do que eu esperava e fiquei feliz quando a editora deu continuidade aos lançamentos da autora. A Vez da Minha Vida surge com uma premissa bastante diferente de seu antecessor com um pé na fantasia, mas ainda tratando de assuntos que passeiam de forma leve no chick-lit. Cecelia Ahern consegue mais uma vez surpreender com sua desenvoltura num romance leve e bem desenvolvido

Lucy Silchester cresceu a sombra do pai, o rígido juiz e dos irmãos perfeitos. Mas foi há dois anos que as coisas pioraram de vez. A carreira que ela escolheu já não era motivo de orgulho, mas quando ela perde o emprego e começa a trabalhar como tradutora de manuais de instruções sua vida parece não ter mais como piorar. Por causa de uma única mentira Lucy teve que construir um emaranhado que permitiu esconder a verdade sobre ela e Blake. Quando ele terminou com ela dois anos e meio atrás Lucy pensou que o melhor seria dizer a todos que ela havia terminado, mas na hora não imaginou que isso traria muito mais problemas. Está se afastando dos amigos, detesta o emprego que tem, ainda remói o fim do seu namoro com Blake e mora em um aparamente ínfimo no centro da cidade que mais parece uma pocilga. A vida de Lucy era trabalho, casa, trabalho, pequenas mentiras para acobertar as grandes e ficar em casa assistindo TV. Isso até o envelope aparecer em seu tapete. Era um convite para encontrar sua Vida. Rindo da situação Lucy larga o convite de lado, mas a insistência de sua "Vida" a faz ceder. Indo ao encontro de Vida ela se decepciona ao ver um sujeitinho mal vestido, com mau hálito e em um andar de escritórios bagunçado com ares de abandono. Surpresa por sua vida ser um homem e por saber tanto sobre ela, Lucy fica irritada com os comentários e sai apressada do local. O problema é que dias após sua saída intempestiva todos seus amigos, familiares e colegas de trabalho começam a receber os tais envelopes dourados. Parece que sua Vida não vai ceder tão fácil...

A partir daí a história de Lucy se desenvolve, com uma narrativa leve, madura e bem-humorada Cecelia Ahern nos traz uma protagonista forte que se recusa a aceitar o caso que está sua vida usando a negação como meio de não sofrer. A velha história "você conta tanto uma mentira para si que ela acaba se tornando verdade". Lucy é uma ótima narradora, fácil de se identificar e que ao longo da história começamos a entender. Afinal quem aqui nunca mentiu para si e para os outros tentando não sofrer? Adorei a forma como a "Vida" acompanhou o dia a dia de Lucy, a dinâmica entre os dois e adorei o paralelo que a autora faz entre os dois personagens.

Se Lucy está na pior e escondendo isso de todo mundo Vida também está na pior, mas se Lucy melhora Vida também melhora, não só a aparência, como também seu humor azedo. Achei interessante essa metáfora e a liberdade que a autora se deu de criar um personagem tão inusitado. De onde ele veio, para onde ele vai e como são perguntas que ficam no ar. Mas a ideia que fica é de que em algum lugar ai fora existe alguém, diretamente ligado conosco e que refletem exatamente nossa vida. É interessante, mas seria um caos se fosse verdade. Se todos nós tivéssemos esse incentivo para nos manter feliz, falando a verdade e buscando a felicidade. Já pensou em ter a sua Vida batendo a porta e cobrando uma atitude?

Leitura rápida, gostosa, com uma trama madura e bem desenvolvida. Uma protagonista que reflete bem o padrão das mulheres atuais e soa verdadeira. Cecelia entra para a lista de autores que vale a pena conferir. Ainda mais que eu custo a achar autores interessantes do gênero. A edição da (...)

Termine o último parágrafo em: http://www.cultivandoaleitura.com/2013/05/resenha-vez-da-minha-vida.html

comentários(0)comente



gleicepcouto 26/12/2012

Prepare-se para um encontro emocionante com a sua própria (V)vida
http://murmuriospessoais.com/?p=5328

***

A Vez da Minha Vida (Novo Conceito) é o quinto livro da irlandesa Cecelia Ahern. A autora, mais conhecida por P S Eu Te Amo (que, inclusive, foi adaptado ao cinema), é formada em Comunicação Social e já foi integrante de um grupo pop (Shimma), que ficou com a terceira colocação na final irlandesa do Festival Eurovisão da Canção.

Nesse lançamento, Cecelia nos apresenta Lucy Silchester – uma jovem que diz para todos, a todo tempo, que está tudo bem com ela. Nem que para isso tenha que inventar umas mentirinhas aqui e ali. Seja sobre sua vida afetiva ou profissional. Para evitar questionamentos alheios, acaba por fugir de sua família e amigos, tornando-se cada vez mais reclusa. Ela entra em um ciclo vicioso que não consegue ver o quanto está se prejudicando e afastando todos de si.

É aí que Vida entra em ação. Um dia, quando volta do trabalho, ela encontra um envelope no tapete de sua sala. Dentro, um convite marcando um encontro com sua vida, a Vida. Isso mesmo. Ela já até tinha visto algum anúncio sobre esse tipo de “serviço” em uma revista, mas Lucy não tinha tempo para “bobagens” como essa, claro.

O que ela não sabia, porém, é que sua Vida não desistiria dela tão fácil. Juntas, embarcam em uma viagem de descobertas que vai render muitas risadas, mas também lágrimas.

Alguns livros chegam sorrateiramente, como quem não quer nada. Começam devagar, um pouco chatinhos, mas aí, a história vai se desenvolvendo e quando você percebe, aquelas páginas já fazem parte de você.

Em A Vez da Minha Vida foi assim que aconteceu comigo, ao menos. Logo no primeiro capítulo com uma descrição gigante de um tapete me deu a falsa impressão de que o livro seria um saco. Ainda bem que fui insistente e continuei a leitura (aliás, só dormi quando terminei de lê-lo, às 4 da madrugada). Por conta disso, posso dizer que foi o melhor romance que li em 2012 – e um dos melhores, no geral.

É, gente. Não é pouca coisa. Mas gostaria de frisar que o livro parou na época ideal na minha mão. Impressionante. Era o que eu precisava ler naquele instante. Quase como um sopro de esperança no meu coraçãozinho já cansado.

A narrativa de Cecelia é fluida e de uma delicadeza camuflada. É o tipo de texto que, em um primeiro momento, parece comum, mas, ao olhar mais atentamente, você vê que ela insere tanto sentimento ali. As palavras são cuidadosamente escolhidas para expressar emoção, mas não de modo piegas ou exagerado. Não há espaço para firulas.

Mas há espaço para humor. O toque leve e divertido ao livro é muito bem dosado. Você consegue rir, gargalhar ou apenas sorrir. Depende da situação. Mas também tem aqueles momentos de sorrisos tristes, sabe? Muito delicados e sensíveis. E sim, tem romance, gente. Mas nada meloso. É fofo, com um quê de conto de fadas; mas muito legal e inusitado. Não é no estilo Vapt-Vupt, mas também não acontece em velocidade de lesma. Gostei bastante.

Os personagens são agradabilíssimos e coerentes. Toda as situações envolvendo Lucy e sua família parecem genuínas de tão bem escritas e embasadas. Ai, que vontade de socar o pai dela, gente. >.< Essa raiva toda é reflexo de personagem bem caracterizado – que ótimo!

O destaque, porém, vai para Lucy e Vida, que foram muito bem construídos. Você até sabe o que pode se esperar deles, mas quando eles fazem o contrário, você pensa… “Ops! Não os conheço tanto assim!” Mas isso é moderado, de forma que não torna os personagens bipolares. Além disso, o modo como Cecelia traz Lucy à vida é peculiar – muito difícil do leitor não se identificar com alguma característica dela.

Tracei vários paralelos para Vida, mas o principal foi Deus. Pensa comigo. Vida estava onde Lucy estava, absolutamente em todo lugar: vida profissional, pessoal, familiar… Sempre ao lado dela, mesmo quando ela não queria. Mesmo quando ela sequer acreditava em si mesma e muito menos nele. A relação dos dois é, definitivamente, o grande ponto alto do livro. Com o desenrolar dos acontecimentos ambos vão passando por mudanças graduais que culminam em um desfecho perfeito para a trama.

A Vez da Minha Vida é um livro para ser saboreado aos poucos, se deliciando em cada situação, atentando aos detalhes. Mas você tem que estar aberta para ele, deixá-lo entrar em sua vida, assim como Lucy deixou a Vida entrar na dela. Garanto que vai se emocionar e se surpreender com o que vai descobrir quando se encara de frente a própria (V)vida.
comentários(0)comente



Clube do Farol 19/09/2016

A vez da minha Vida. Clube do Farol.
Resenhado por: Danii

"A vida tem um jeito de conseguir o que quer quando realmente sabe o que quer."

Já pensou em encontrar sua Vida cara a cara? Já pensou se ela fosse uma pessoa? Não do tipo meloso "Amor, você é minha vida" (pausa para vomitar ), mas uma pessoa que representa como a sua vida é, como ela está? Se você não pensou não se preocupe, a Cecelia Ahern pensou e escreveu um livro com isso!
Para ficar mais fácil de compreender, digamos que a sua vida seja uma vida maravilhosa, então ela teria a aparência de um cara lindo, de tirar o fôlego e tal; e se fosse uma vida ruim seria um cara feinho, com acne, manchas na pele, gordura localizada... Talvez sem nenhum dente sequer se a sua Vida estiver numa fase beeeem ruinzinha.
Pensando bem, isso é um pouco preocupante, estou com medo de achar que minha vida é bela e ela aparecer na minha frente parecendo que foi atropelada por um caminhão (duas vezes ). Melhor parar de pensar nisso, né? Vamos focar na vida alheia, ou melhor, na vida da Lucy. (Só na dela, ok? Não estou incentivando a fofoca aqui).
Amo a Vida da Lucy, não o jeito de viver da protagonista, mas o personagem Vida, deu pra entender? Para ajudar, a partir de agora vou chamar a Vida dela de Cosmo (ideia da Vida, não minha), ok? E o Cosmo é um cara (sim, é um homem, tenha a mente aberta!) bem judiado pela Lucy, por causa das mentiras, das más escolhas dela; por ela ser do tipo que empurra a vida com a barriga.
Mas ela nem sempre foi assim. Tudo começou a desandar quando o relacionamento de cinco anos que ela tinha com o seu ex, Blake, terminou e ela começou a mentir. A primeira mentira foi incentivada pelo Blake (leia o livro para entender), e para sustentar essa mentira ela foi contando outras, e para sustentar essas outras ela foi mentindo cada vez mais, e desse modo, sua vida se baseava em uma bola de neve de mentiras que estava rolando ladeira abaixo levando a sua felicidade junto.
Nessa ladeira, depois de quase três anos mentindo às pencas: ela evitava a família; fugia ou não era muito verdadeira com os amigos; não ligava muito para o seu trabalho, era só algo para ter como pagar as contas; morava em um cubículo com os seus vestidos como cortina; adotou um gato "hermafrodita" (mais gato menino que gata menina fisicamente, mas mais gata menina psicologicamente, eu acho), o Senhor Pan; tinha um carro (Sebastian) que era uma risco para a sua vida; e ainda pensava no Blake (muito!). E não fazia nada para lidar com isso, até o Cosmo aparecer.

"- Suponha que você tivesse um amigo, que sempre a apoiasse e você sempre o apoiasse, mas ele não está mais tão presente na sua vida quanto costumava estar, [...] ele se afasta de você cada vez mais, não importa o quanto você tente alcançá-lo. [...] Ele anda tão ocupado com seu trabalho, com seus amigos e com seu carro! Como você se sentiria?
- Veja, suponho que você esteja se referindo a mim nessa hipótese, mas isso é ridículo. [...] Eu nunca trataria um amigo assim.
- Mas você faria isso com sua vida."

O Cosmo não apareceu do nada, ele é um funcionário que trabalha na "Agência Vida", que objetiva colocar a vida das pessoas nos eixos, as ajudando a dar mais atenção às suas vidas. E para ajudar Lucy, Cosmo marca um encontro (precisou de muita insistência), depois outro (precisou de mais insistência ainda) e por fim, vai morar com a Lucy, vai com ela para o trabalho... Enfim, vira a sombra (nada muda) dela.
Engano seu se acha que o Cosmo é todo polido para lidar com a nossa protagonista, ele implica e discute com ela, pega no pé, puxa a orelha, desmente ela na frente das pessoas... Ele vira um auditor do cotidiano da Lucy, aponta os erros e a ajuda (do seu jeito) a corrigi-los.

"- O que você está aqui para corrigir?
- Não sei, é uma cirurgia exploratória. Eu examino todas as áreas e vejo qual é o problema.
- Então, você é o endoscópio retal.
Ele fez uma careta.
- Mais uma vez estamos tendo problemas de metáforas."

Mas ele total razão em ser implicante, né? É a Lucy que toma as decisões e é ele quem sofre as consequências! Já pensou se tudo o que você faz de bom e de ruim fosse refletido em uma pessoa? Então, no caso da Lucy é tudo refletido no Cosmo. A aparência, a saúde e o humor dele são consequências das atitudes da Senhorita Silchester. E ele é o melhor personagem de longe; com um humor meio sarcástico, ácido e negro, sabe? Na boa, a Vida da Lucy (Cosmo) é uma pessoa apaixonante. #VidaTeAmo.
Falando em pessoa apaixonante, o Don também é. Ele é o número errado que é o certo para causar suspiros. #DonTeAmoTambem. (Mas amo mais o Cosmo, óbvio).
Enfim, você deve ter percebido que "A Vez da Minha Vida" é um livro divertido e reflexivo ao mesmo tempo, que nos faz dar boas risadas e refletir como estamos tratando a nossa vida. Então o leia, o ame, e pense: "Como anda a minha vida? Como ela pode melhorar? Será que ela precisa mais de mim?"

"Enquanto você está por aí, sua vida também está. Assim como você derrama amor, carinho e atenção sobre seu marido, sua esposa, seus pais, filhos e amigos que o cercam, tem que fazê-lo igualmente com sua vida, porque ela é sua, é você, e está sempre lá dando força para você, torcendo por você, mesmo quando você se sente fraco."

site: http://clubedofarol.blogspot.com.br/2016/07/a-vez-da-minha-vida.html
comentários(0)comente



Danii 30/07/2016

"A vida nunca, jamais, desiste de você"
Já pensou em encontrar sua Vida cara a cara? Já pensou se ela fosse uma pessoa? Não do tipo meloso "Amor, você é minha vida" (pausa para vomitar), mas uma pessoa que representa como a sua vida é, como ela está? Se você não pensou não se preocupe, a Cecelia Ahern pensou e escreveu um livro com isso!
Para ficar mais fácil de compreender, digamos que a sua vida seja uma vida maravilhosa, então ela teria a aparência de um cara lindo, de tirar o fôlego e tal; e se fosse uma vida ruim seria um cara feinho, com acne, manchas na pele, gordura localizada... Talvez sem nenhum dente sequer se a sua Vida estiver numa fase beeeem ruinzinha.
Pensando bem, isso é um pouco preocupante, estou com medo de achar que minha vida é bela e ela aparecer na minha frente parecendo que foi atropelada por um caminhão (duas vezes). Melhor parar de pensar nisso, né? Vamos focar na vida alheia, ou melhor, na vida da Lucy. (Só na dela, ok? Não estou incentivando a fofoca aqui).
Amo a Vida da Lucy, não o jeito de viver da protagonista, mas o personagem Vida, deu pra entender? Para ajudar, a partir de agora vou chamar a Vida dela de Cosmo (ideia da Vida, não minha), ok? E o Cosmo é um cara (sim, é um homem, tenha a mente aberta!) bem judiado pela Lucy, por causa das mentiras, das más escolhas dela; por ela ser do tipo que empurra a vida com a barriga.
Mas ela nem sempre foi assim. Tudo começou a desandar quando o relacionamento de cinco anos que ela tinha com o seu ex, Blake, terminou e ela começou a mentir. A primeira mentira foi incentivada pelo Blake (leia o livro para entender), e para sustentar essa mentira ela foi contando outras, e para sustentar essas outras ela foi mentindo cada vez mais, e desse modo, sua vida se baseava em uma bola de neve de mentiras que estava rolando ladeira abaixo levando a sua felicidade junto.
Nessa ladeira, depois de quase três anos mentindo às pencas: ela evitava a família; fugia ou não era muito verdadeira com os amigos; não ligava muito para o seu trabalho, era só algo para ter como pagar as contas; morava em um cubículo com os seus vestidos como cortina; adotou um gato "hermafrodita" (mais gato menino que gata menina fisicamente, mas mais gata menina psicologicamente, eu acho), o Senhor Pan; tinha um carro (Sebastian) que era uma risco para a sua vida; e ainda pensava no Blake (muito!). E não fazia nada para lidar com isso, até o Cosmo aparecer.

"- Suponha que você tivesse um amigo, que sempre a apoiasse e você sempre o apoiasse, mas ele não está mais tão presente na sua vida quanto costumava estar, [...] ele se afasta de você cada vez mais, não importa o quanto você tente alcançá-lo. [...] Ele anda tão ocupado com seu trabalho, com seus amigos e com seu carro! Como você se sentiria?
- Veja, suponho que você esteja se referindo a mim nessa hipótese, mas isso é ridículo. [...] Eu nunca trataria um amigo assim.
- Mas você faria isso com sua vida."

O Cosmo não apareceu do nada, ele é um funcionário que trabalha na "Agência Vida", que objetiva colocar a vida das pessoas nos eixos, as ajudando a dar mais atenção às suas vidas. E para ajudar Lucy, Cosmo marca um encontro (precisou de muita insistência), depois outro (precisou de mais insistência ainda) e por fim, vai morar com a Lucy, vai com ela para o trabalho... Enfim, vira a sombra (nada muda) dela.
Engano seu se acha que o Cosmo é todo polido para lidar com a nossa protagonista, ele implica e discute com ela, pega no pé, puxa a orelha, desmente ela na frente das pessoas... Ele vira um auditor do cotidiano da Lucy, aponta os erros e a ajuda (do seu jeito) a corrigi-los.

"- O que você está aqui para corrigir?
- Não sei, é uma cirurgia exploratória. Eu examino todas as áreas e vejo qual é o problema.
- Então, você é o endoscópio retal.
Ele fez uma careta.
- Mais uma vez estamos tendo problemas de metáforas."

Mas ele total razão em ser implicante, né? É a Lucy que toma as decisões e é ele quem sofre as consequências! Já pensou se tudo o que você faz de bom e de ruim fosse refletido em uma pessoa? Então, no caso da Lucy é tudo refletido no Cosmo. A aparência, a saúde e o humor dele são consequências das atitudes da Senhorita Silchester. E ele é o melhor personagem de longe; com um humor meio sarcástico, ácido e negro, sabe? Na boa, a Vida da Lucy (Cosmo) é uma pessoa apaixonante. #VidaTeAmo
Falando em pessoa apaixonante, o Don também é. Ele é o número errado que é o certo para causar suspiros. #DonTeAmoTambem (Mas amo mais o Cosmo, óbvio).
Enfim, você deve ter percebido que A vez da minha vida é um livro divertido e reflexivo ao mesmo tempo, que nos faz dar boas risadas e refletir como estamos tratando a nossa vida. Então o leia, o ame, e pense: Como anda a minha vida? Como ela pode melhorar? Será que ela precisa mais de mim?

"Enquanto você está por aí, sua vida também está. Assim como você derrama amor, carinho e atenção sobre seu marido, sua esposa, seus pais, filhos e amigos que o cercam, tem que fazê-lo igualmente com sua vida, porque ela é sua, é você, e está sempre lá dando força para você, torcendo por você, mesmo quando você se sente fraco."

site: http://clubedofarol.blogspot.com.br/2016/07/a-vez-da-minha-vida.html#more
comentários(0)comente



Saleitura 22/04/2013

E se você tivesse a oportunidade de se encontrar com a sua vida? Parece loucura, mas não é. Em "A vez da minha Vida", Lucy Silchester, a protagonista é quem narra a história. Com seus 29 anos, anda muito acomodada com o rumo que sua vida vai levando. Ela mora sozinha em um apartamento pequeno e bagunçado, tem a companhia de seu gato hermafrodita, o Sr. Pan, tem um carro "caindo aos pedaços", trabalha como tradutora de manuais em uma empresa da qual não gosta, foi abondonada há três anos atrás pelo namorado Blake, não costuma se encontrar muito com seus amigos e sua família e quando se encontra nunca fica até o final, pois sempre inventa uma desculpa para poder ir embora, enfim, sua vida andava de mal a pior.

Desde que foi largada por Blake, Lucy não conseguia dar mais atenção para a sua vida, vivia desmotivada em relação a tudo ao seu redor. Começou a mentir para todos, pois para ela não importava como uma história era contada se o resultado seria o mesmo. Suas mentiras acabavam se tornando uma verdadeira "bola de neve", porém Lucy não tinha coragem de começar a dizer verdades para as pessoas, afinal sabia que não deveria mudar o que já estava feito. Mentiu sobre o fim do seu namoro para seus amigos e família, dizendo que foi ela que terminou o namoro. Mentiu no trabalho para sua chefe e colegas dizendo que sabia falar espanhol. Lucy vivia em seu mundo repleto de mentiras fingindo que era uma mulher feliz.

No início do livro, ela recebe uma carta da Agência Vida convocando-a para um encontro com sua vida. Lucy tenta de todos os modos fugir dessa reunião, não achava que isso era necessário, porém recebe várias cartas e graças a insistência, ela vai conhecer finalmente sua vida que na verdade é um homem.

"Minha vida precisava de mim. Ela estava passando por um momento difícil e eu não estava prestando atenção suficiente nela. Tinha tirado os olhos da bola, me ocupei com outras coisas: vida de amigos, questões do trabalho, meu carro se deteriorando e sempre quebrando, esse tipo de coisa. Havia completa e totalmente ignorado minha vida. E agora ela tinha escrito para mim, me convocando, e havia apenas uma coisa a fazer. Tinha que me encontrar com ela, cara a cara." (página 8)

Ao conhece-lo, Lucy tem uma enorme surpresa, o homem que é sua vida não tem uma aparência muito agradável, pois ele tem cara de acabado, se veste mal e tem o cabelo desgrenhado.

"- Isso não é As patricinhas de Beverly Hills, Lucy, não sou um projeto. Você não pode passar um dia polindo minhas unhas e fazendo permanente em meu cabelo e tudo ficará bem e maravilhoso.
- Que tal uma depilação completa?
- Você é nojenta e tenho vergonha de ser sua vida." (página 137)

No decorrer da leitura, Vida acaba acompanhando a moça durante 24h por dia, no trabalho, em casa, junto com os amigos e família. Apelidado por Lucy, Vida ganha o nome de Cosmos para se apresentar diante das pessoas. Logo de início Vida faz um pacto com Lucy, a cada mentira contada por ela, Vida revelaria uma verdade em público, desse modo foi gradativamente transformando Lucy em uma nova pessoa. Durante esse processo, acontecem diversas situações hilárias envolvendo esses dois, além de momentos mais reflexivos, pois fazer com que alguém acomodado e desesperançoso se apaixone novamente por sua vida não é uma tarefa muito fácil.

"Ele é como o Pinky e eu, o Cérebro - disse. - Ou sou o pé quebrado e ele é o raio X. - Tentei explicar, mas fiquei confusa. - Ele é o nariz e eu sou o Pinóquio - disse e sorri: o último eu tinha explicado direito." (página 164)

Lucy também encontra pelo seu caminho novas pessoas que a fazem analisar sua vida de maneira diferente. Faz amizade com uma vizinha que esta com sérios problemas psicológicos. Liga para um número errado e acaba conhecendo Don, um homem misterioso com quem troca sms durante um tempo. Tenta se aproximar mais de seus amigos e família. Tudo isso, aos poucos e com a ajuda de Vida, vai fazendo Lucy enxergar que precisa dar valor as pessoas que a amam de verdade , além de dar valor a sua própria vida e não deixa-la de lado.

" Vida era como um tio bêbado em um casamento ruim, tentando dançar como John Travolta em uma mistura bizarra de Pulp Fiction com "Stayin' Alive", mas estava feliz e me fez sorrir. Então, fiz um pouco de Uma Thurman e dancei com Vida como se ninguém estivesse vendo, até que éramos os últimos na pista e os últimos a sair. Ele era persuasivo: a vida tem um jeito de conseguir o que quer quando realmente sabe o que quer." (página 170)

"- Lucy, você está correndo o risco de seguir, totalmente, na contramão. Não quero que se torce uma mulher egoísta, que fica sentada o dia todo falando de si mesma com sua vida. Você precisa encontrar um equilíbrio. Cuidar de você, mas cuidar das pessoas que se preocupam com você também. " (páginas 190 e 191)

O livro é belo e apaixonante, uma leitura simples e agradável para qualquer idade. Soa como um auto-ajuda, mas na verdade é um romance muito bem escrito por Cecelia Ahern. No início, principalmente nos primeiros capítulos, a história não empolga muito, mas com o desenrolar da leitura, acabei me envolvendo e simpatizando com a personagem principal e a sua busca, mesmo que resistente, por uma mudança em sua vida. Tanto, Lucy como Vida, são personagens fantásticos e engraçados também. Dei boas risadas com essa dupla.

Para quem é fã de Cecilia Ahern e amou o livro "Ps. Eu te Amo" assim como eu, pode ter certeza que "A vez da minha vida" será mais um livro da autora que não irá sair da sua estante. São dois livros com histórias distintas, por isso prefiro não comparar um do outro, pois os dois são muito bons e não consigo achar qual deles é o melhor, cada um é especial e faz muito bem tanto aos olhos e como ao coração. Se "A vez da minha vida" fosse retratado para a telinha dos cinemas com certeza faria bastante sucesso como fez "Ps. Eu Te Amo". Agora estou na expectativa para ler o " O Livro do Amanhã" da mesma autora.

Recomendo a leitura principalmente para as pessoas que estão precisando cuidar do seu bem mais precioso e único, que é a sua vida.

"Desisti da minha vida por um tempo, mas o que aprendi é que, mesmo quando isso acontece, e especialmente quando isso acontece, a vida nunca, jamais, desiste de você. A minha não desistiu. E nós estaremos ali, um pelo outro, até os momentos finais, quando vamos nos olhar e dizer: "Obrigado por ter ficado até o fim!" (página 383)

Resenha por Irene Moreira
http://www.skoob.com.br/estante/resenha/23775668

Link postagem Saleta de Leitura
http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2013/04/resenha-do-livro-vez-da-minha-vida-de.html
Pandora 23/03/2014minha estante
A julgar pela sua recomendação Irene, eu estou precisando ler esse livro urgentemente.


Val 28/03/2014minha estante
Estou curiosa por esse livro, principalmente depois da resenha!




Leandro 18/12/2012

http://www.leandro-de-lira.com/
Quando eu vi a capa deste livro, me apaixonei imediatamente. Eu a acho simples e linda, e capas assim sempre me encantam. Então, quando eu comecei a leitura desse livro, esperava que ele fosse muito bom. Porém, estava enganado. Este é o segundo livro que eu leio da autora e confesso que ela ainda não me surpreendeu.

[SINOPSE] Certo dia, quando Lucy Silchester volta do trabalho, há um envelope de ouro no tapete. E um convite dentro dele para se encontrar com a Vida. Sua vida. Pode soar peculiar, mas Lucy leu sobre isso em uma revista. De qualquer forma, ela não pode ir ao encontro: está muito ocupada desprezando seu emprego, fugindo de seus amigos e evitando sua família. Mas a vida de Lucy não é o que parece. Algumas das escolhas que fez — e histórias que contou — também não são o que parecem. Desde o momento em que ela conhece o homem que se apresenta como sua vida, suas meias-verdades são reveladas totalmente — a não ser que ela aprenda a dizer a verdade sobre o que realmente importa. Lucy Silchester tem um compromisso com sua vida — e ela terá de cumpri-lo.

O livro mostra a história de Lucy, que está completamente sem saber o que fazer. Perdeu o namorado, com quem tinha um relacionamento de mais de cinco anos. Não se relaciona muito bem com os amigos. Também não tem uma boa relação com a família. E para complicar mais ainda, perdeu o emprego que tanto gostava.

Ela mora sozinha em um apartamento simples com seu gato hermafrodita. Até que inesperadamente ela começa receber cartas de uma pessoa que se diz ser sua vida e que quer encontrá-la. De imediato, ela não se importa, mas quando ela percebe que a situação em que sua vida se encontra está fora do controle, ela decide ir.

Mas será que sua vida irá melhorar após esse encontro?

"—Se você tem um sonho, você deseja, ao menos, ser capaz de tentar alcançá-lo de alguma forma. Algo que deseja, aparentemente, fora do seu alcance, mas que você sabe que, com trabalho, pode conseguir. (...) Os sonhos devem fazer você pensar. Se tivesse a coragem de fazê-lo e não ligasse para opinião dos outros, isso seria o que você realmente faria.”
Pág. 194

Eu sinceramente tentei em vários momentos não me irritar com a Lucy, mas muitas vezes foi impossível. Ela consegue ser imatura de uma forma tão natural, que eu queria muitas vezes queria dar uma sacudida nela e tentar chamá-la para a realidade. Por várias vezes, ela mentia e quase sempre sem motivo.

Algumas de suas atitudes eram justificáveis para mim, porque eu percebi que, pela maneira como ela foi criada, agir daquela forma era apenas uma consequência.

No começo, foi bem complicado para a leitura engrenar. Eu demorei até mais do que o necessário para concluir a leitura, porque a história não me envolveu; eu não consegui me sentir envolvido. E eu achei a história, em alguns momentos, muito desinteressante e até um pouco surreal.

Enfim, não foi uma leitura agradável e nem um bom livro. Eu esperava muito mais da história e um desenvolvimento mais elaborado, mas infelizmente não foi o que aconteceu. Se você quer muito ler esse livro, leia e tire suas próprias conclusões. Caso contrário, talvez não seja uma ideia interessante.

Fica a dica!
comentários(0)comente



Lucianoasantos 24/04/2013

Um bom começo para minhas leituras de Cecelia Ahern
Meu primeiro livro da Cecelia Ahern – a resenha de PS Eu Te Amo foi feita aqui pela Jaci – e me deixou em maus lençóis. Por um lado eu gostei dele, mas, por outro, não posso deixar de ficar pensando: então, é isso?

No livro, Lucy é uma mulher quase balzaquiana que de muitas formas não está satisfeita com sua própria vida: solteira, e com um relacionamento mal resolvido no currículo, um emprego que odeia mas que serve para pagar as contas, um apartamento minúsculo e uma relação complicada com sua família.

Mas o pior mesmo é que Lucy montou ao redor de si uma teia de mentiras que, grandes e pequenas, servem para blindá-la dos julgamentos do mundo exterior. É aquela velha história: contamos uma mentirinha aparentemente inocente aqui e logo ali nos pegamos tendo que justificá-la com outra mentira. Isso acontece. E, no caso de Lucy, ela foi criada em uma família onde se espera que se mantenha a compostura, e que se realize grandes feitos pessoais e profissionais: nada de ser demitido, de ficar bêbado, de chorar, e de, caso você seja cirurgião plástico, ganhar a vida implantando silicone.

Para não ser crucificada a cada reunião familiar ou com os amigos, Lucy vai se esquivando da verdade, até que recebe uma carta que pode mudar sua vida.

E a carta é da Vida dela.

Eu sei, não faz sentido e isso me incomodou durante o livro inteiro. Como assim uma carta de sua própria vida lhe “intimando” para, juntos, resolverem todos os problemas que a cerca? E que tipo de pessoa mentalmente sã se predisporia a aceitar se encontrar com um completo estranho que se apresenta como “sua vida” e conhece seus segredos mais sujos e vexatórios?, e ainda tem uma aparência horrível para representar que sua própria vida está em péssimas condições?

Bom, Lucy aceita, pois o livro tem que seguir.

Vida a acompanha em casa, no trabalho, e diz que a cada mentira que ela contar ele revela uma verdade em público. Isto serve de motivação para que ela venha a se tornar uma pessoa mais transparente em suas relações, e que possa se dedicar mais à sua vida.

Tirando a estranheza natural com relação à Vida, Cecelia Ahern construiu um bom texto. Ela é uma narradora competente, assim como o é enquanto criadora de personagens e cenários. O apartamento minúsculo de Lucy e seu emprego ganham vida com a escrita da autora, e se tornam paisagens palpáveis na imaginação do leitor. E o mesmo ocorre com os personagens. Lucy é carismática e o leitor torce por ela mesmo em meio à confusão que seu personagem é no início do livro.

Claro que a narrativa em primeira pessoa, sob o ponto de vista de Lucy, ajuda nesta identificação. E o tom de bom humor mesmo durante os queixumes a torna mais agradável, mais fácil de aceitar, embora não tenha compreendido a Vida dela como um personagem.

Acho que a principal falha do livro é justamente com relação à Vida. Se uma pessoa me escrevesse insistentemente dizendo que tenho que cuidar da minha vida eu responderia com um “Helloooooooo! Então por que raios não cuida da sua, atrevido!” E isto pode ser um problema se se considerar que o livro gira em torno disso: Lucy lidando com sua Vida – e ela na forma de um sujeito às vezes bem desagradável. Mas daí temos que considerar que esta é uma obra de ficção, e que, em muitos casos, uma boa dose de “licença poética” faz muito bem.

E, por fim, me fica aquela sensação de “é isso?” que mencionei no começo da resenha. Apesar de bem escrito, o livro pareceu entregar pouco em comparação com as reações que a autora desperta nas redes sociais. Não entendi todo o frisson, a histeria, a ansiedade. É bom, sim, mas não é pra tanto. Em todo caso, pegaria algo mais dela para ler. Vai me entender.

Resenha originalmente publicada aqui: http://www.pontolivro.com/2013/03/a-vez-da-minha-vida-resenha-114.html
Tânia Regina 31/05/2013minha estante
A mentira não leva a lugar nenhum, pois não dura pra sempre. Vou gostar de ler este livro, quem sabe vou poder ver um "mentiroso" com outros olhos.


Gabi l Vai um spoiler aí? 03/06/2013minha estante
Gosto de livros divertidos e personagens carismáticos e posso ver que com esse não será diferente. Amei a resenha e toda a história do livro. Me interessei por ele, principalmente por causa do título e da capa. São lindos.


Camila 05/06/2013minha estante
só pela capa e pelo nome já me interessei pelo livro! depois de ler a resenha só aumentou, haha, estou louca pra ler!


Kelry 09/06/2013minha estante
Realmente não têm como não gostar da escrita da Cecelia. Sou fã dela e sempre quando tenho tempo leio algum livro dela. Eu tenho esse livro e confesso que não gostei muito, comecei a ler o inicio e não estava entendo nada rsrsrs. Mas prometo que vou terminar.


Beth 13/06/2013minha estante
Adoro os romances da autora e não há como não amar suas obras.Vai pra minha estante.


Saleitura 05/07/2013minha estante
Li Ps Eu te amo e gostei muito. A Cecelia Ahern me impressionou muito com sua narrativa e como diz é uma excelente contadora de histórias.Ainda não li A Vez da Minha Vida e confesso que estava empolgada, mas vejo que a história tem seus "senões". Agora não seria a Vida dela o seu eu pedindo um basta com suas mentiras? Acho que ela criou um mundo que depois de um tempo não cabia mais continuar alimentando uma farsa para ela mesma.




Vanessa Vieira 12/07/2013

A Vez da Minha Vida_Cecelia Ahern
O livro A Vez da Minha Vida, de Cecelia Ahern, nos conta a história de Lucy Silchester, uma mulher que, literalmente, vai empurrando a vida com a barriga. Um dia, quando acaba de chegar do trabalho, ela se depara com um envelope dourado jogado no chão do seu apartamento. Dentro dele, tem um convite propondo a Lucy que se encontre com a Vida - sua própria vida.

Apesar de soar um tanto surreal, Lucy já tinha visto um artigo em uma revista a respeito disso. Porém, de qualquer forma, ela não poderá ceder aos encantos da "Vida", já que está estupidamente ocupada desprezando seu emprego, seus amigos e sua família.

A vida de Lucy não é o que parece ser. Tentando desviar dos problemas, ela acaba se tornando uma mentirosa compulsiva. Quando ela conhece o homem que se autointitula sua "Vida", todas as meias-verdades que sustentou ao longo dos anos, vem à tona, com força total. "Vida" propõe um acordo com a moça: se ela passar a trilhar um caminho de retidão e ser sincera, seus segredos permanecem no mais absoluto sigilo. Caso contrário, para cada mentira que ela disser, uma dura e massacrante verdade será revelada.

Lucy acaba se comprometendo com "Vida", mesmo sem querer, e acaba por ter uma oportunidade áurea que pode mudar seu cotidiano para melhor.

A Vez da Minha Vida foi um livro que me surpreendeu bastante. Me decepcionei um pouco com P. S. Eu Te Amo, uma das obras mais aclamadas da autora, e confesso que comecei a ler A Vez da Minha Vida com um certo receio. Felizmente, a leitura foi ótima e empolgante, além de trazer uma temática super original e envolvente. Narrado em primeira pessoa pela Lucy, encontramos um verdadeiro brinde à vida - tanto a dela, como a nossa.

"A Vida. Ora, era óbvio.
Minha vida precisava de mim. Ela estava passando por um momento difícil e eu não estava prestando atenção suficiente nela. Tinha tirado os olhos da bola, me ocupei com outras coisas: vida de amigos, questões de trabalho, meu carro se deteriorando e sempre quebrando, esse tipo de coisa. Havia completa e totalmente ignorado minha vida. E agora ela tinha escrito para mim, me convocando, e havia apenas uma coisa a fazer. Tinha que me encontrar com ela, cara a cara."

Lucy é uma personagem engraçada, e apesar de bem atrapalhada e mentirosa, tem o seu carisma peculiar. Ela é um exemplo, ou melhor, um espelho do que pode acontecer com qualquer um de nós, caso deixemos de prestar atenção no que realmente é importante em nossas vidas. Ela mentiu demasiadamente - tanto para contornar os seus problemas, quanto para agradar aqueles que lhe são caros - e acabou por se envolver em uma bola de neve. Mesmo que tente falar a verdade, devido ao emaranhado de mentiras lá atrás, opta pela segunda opção. E isso vai lhe desgastando dia após dia, e a afastando das pessoas especiais. Ela recebe uma nova oportunidade para colocar sua vida nos eixos, tarefa que se mostra dia após dia imprescindível para o seu bem-estar, porém, um tanto árdua, já que sabemos de cor e decorado o quanto a verdade machuca.

Sua "Vida", ou melhor, como Lucy o apelidou, Cosmo, tem uma importância descomunal no enredo. À primeira vista, ele aparece mal vestido, com mau hálito, cabelos desgrenhados e sujo para representar o caos que a vida da personagem se encontra. Mas, de acordo com a evolução e conscientização da protagonista, seu aspecto passa a tomar formas melhores. Os diálogos entre os dois são hilários, e lá no fundo, transmitem uma mensagem muito positiva. Gostei muito também do gatinho hermafrodita da Lucy, que ela mantém escondido em seu apê, pelo fato de não ser permitido animais no prédio, e que lhe coloca em aventuras hilárias.

Em suma, posso afirmar que a autora foi muito feliz neste seu enredo e trouxe uma temática bem original, tratada com humor, ironia, e até mesmo, comoção. A Vez da Minha Vida foi um livro que conseguiu chamar a minha atenção, e me entreter bastante. Gostei da capa e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo. ☺

site: http://www.newsnessa.com/2013/07/resenha-vez-da-minha-vida-cecelia-ahern.html
comentários(0)comente



175 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |