Um Útero É do Tamanho de um Punho

Um Útero É do Tamanho de um Punho Angélica Freitas
Angélica Freitas




Resenhas - Um Útero É do Tamanho de um Punho


20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Dani 18/05/2018

Sempre tive vontade de ler o livro, e ela só aumentou quando o procurei algumas vezes e ele estava esgotado. Pensei: "Nossa, esse livro deve ser muito bom!". Depois da leitura, fiquei decepcionada. Sei que isso é muito subjetivo, mas essa poesia não me agradou de jeito algum.

comentários(0)comente



Gustavo Henrique 31/01/2018

Creio que a grande sacada desse livro esteja no título. Um título protesto.
Porém não vi nenhuma genialidade literária, não vi poesia à altura das grandes poetas feministas, daqueles que, talvez, grande parte das leitoras e leitores deste livro não devam conhecer.
No mais, como poesia é péssimo. Como manifesto pode até se ter relevância.
Mas não é isto que se julga, mas apenas a capacidade literária, algo que falta.

Pensei que iria encontrar literatura à altura de Sor Juana Inés de La Cruz, Florbela Espanca, Gabriela Mistral, Delmira Agustini, Alfonsina Storni, Julia de Burgos. Pensei que as poesias que continham nestes livro fossem para além do planfetário, coisa que não vi.

comentários(0)comente



Eduarda 16/01/2018

Seu corpo é seu?
Há quem diga que não existe mais diferença no tratamento entre homens e mulheres nos dias de hoje.
Com um humor ácido, a poetisa gaúcha Angélica Freitas nos traz reflexões acerca do papel feminino na sociedade contemporânea.

Os poemas de Ribeiro denunciam e ironizam várias situações vividas pelo gênero feminino ainda nos dias hoje, onde muita gente acredita que há igualdade entre os sexos.

"o que será que ela quer
essa mulher de vermelho
alguma coisa ela quer
pra ter posto esse vestido"

Dividido em 7 partes, temos textos que exploram o cotidiano e vão da desigualdade e do preconceito de gêneros (inclusive sobre transexualidade) ao empoderamento. É sobretudo um discurso de mulher pra mulher.
A autora consegue estabelecer com a leitora (sim, pois se você for homem, não vai se identificar mesmo) um diálogo bacana que nos aproxima dela e de certa forma, umas das outras.

Seu corpo é seu? O que você tem perdido/ganhado/vivido simplesmente por ser mulher?
Recomendo pela reflexão, pelas risadas (e lágrimas) e por se tratar de um grito (na verdade o livro é tão leve que está mais pra um sussurro) de igualdade de mulher brasileira pra mulher brasileira.
Pro inferno com os padrões!

site: http://www.cafeidilico.com/2018/01/um-utero-e-do-tamanho-de-um-punho.html
comentários(0)comente



Chá 12/01/2018

Perspectivas de um útero
"Um Útero é do tamanho de um punho" não é propriamente um livro de poesias sobre o feminismo e/ou a emancipação feminina, como o título venha a sugerir. Todavia é uma obra que traz variadas perspectivas e trata de várias mulheres, uma entre diversas, evidenciando certos tabus e polêmicas de uma forma diferenciada.

A autora gaúcha, Angélica Freitas, traz à tona antigos preconceitos que estereotipam a mulher e seus discursos. Há certa ironia dolorida, como quem grita, subvertendo as teorias de gênero, atrelada a um humor peculiar e algumas repetições em certos poemas, a fim de desarticular o discurso e a narrativa.
comentários(0)comente



Samira Oliveira 05/01/2018

Um livro de poemas feministas e incríveis
Um útero é do tamanho de um punho, o segundo livro da poeta gaúcha Angélica Freitas é um manifesto às avessas. Às avessas pois não prega um feminismo tradicional de emancipação feminina. Antes é com sagacidade que desconstrói a imagem sobre a mulher, e é com humor que a estende sobre nós para que possamos remontá-la – ou não. Para a poesia de Angélica, a mulher é construção, é casa fechada e comportada que apenas muda a rua. Para a poeta, a mulher é delicada aos outros, é vista como uma “salada” pela superfície social, mas mais a fundo é que percebemos, a mulher é um pedaço de carne – assim nomeada pela sociedade patriarcal em nossa percepção mais funda sobre ela.

Dividido em 7 partes – o número da perfeição, da totalidade do Universo e da transformação.

“Uma Mulher Limpa” conta com poemas extensos e muitas vezes divididos entre as páginas. É nessa parte em que Angélica brinca com cantigas populares como a do “um elefante incomoda muita gente”. Com balbucios infantis como “mamu” “mami” e “mamona” e ainda com ritimo e sonoridade musicalizada como no poema Alcachofra. Como o título da seção sugere, o estereótipo trabalhado é o da “mulher suja” e “mulher limpa”, em outras palavras, a mulher de “valor” e “para casar’ de um lado, e a “para comer” do outro.

Na seção “Mulher de” vemos várias acepções da mulher, desde tarefas tomadas como próprias, como é caso de “mulher de regime” e o peso do corpo perfeito e da beleza padrão, até outras mais atuais como em “mulher de valores” em que a palavra “valor” é transferida de adjetivadora para substantivada, e tem o sentido deslocado para “bolsa de valores”, a função da eu lírico.

Escrito por Samira Oliveira, crítica literária e estudante de Letras na USP
Leia a resenha completa no link abaixo.

site: http://dezoitoemponto.com/2018/01/05/um-utero-e-do-tamanho-de-um-punho-angelica-freitas/
comentários(0)comente



Camila Márcia 09/11/2017

Não me identifiquei, mas tem muita coisa boa
Recentemente o livro Um Útero é do Tamanho de um Punho escrito pela Gaucha Angélica Freitas ganhou uma nova edição pela Companhia das Letras, mas a edição que li foi a digital publicada pela Cosac Naify, e não se trata de um livro inédito, tendo em vista que sua primeira edição data de 2013.

Admito que só vim conhecer o livro após as divulgações da Companhia das Letras para a nova edição, e como gosto de ler obras escritas por mulheres que falam sobre mulheres e ainda mais com um título tão interessante como Um Útero é do Tamanho de um Punho fiquei bastante empolgada.

Soube que era um livro de poesias e por ter pouca quantidade de páginas encaixei a leitura do e-book no meio de outras leituras que estava fazendo

Gostei do título e da própria intertextualidade que ele apresenta, e já deixa também a impressão de que o livro vem a tratar de algo interior, subjetivo das mulheres, em outras palavras, as poesias giram em torno do universo feminino, sobre temas do cotidiano, temas tabus e polêmicos, mas confesso que mesmo falando de um universo do qual faço parte não consegui me identificar tanto assim com o que estava lendo.

Fica claro que Angélica Freitas é uma feminista, mas Um Útero é do Tamanho de um Punho, não tem como objetivo levantar bandeira ou mesmo clamar e expor uma emancipação sexuais ou busca de direitos igualitários, mas objetiva falar de mulher para mulher, não sobre as lutas, mas sobre o dia a dia, suas lutas pessoais e individuais consigo mesma e não engajadas na sociedade. É como dizem: mulheres são difíceis de decifrar, até porque lutamos em nosso interior e também temos que lutar contra o mundo machista e cheio de limitações para com as mulheres. Queremos cruzar todas as barreiras: psicologicamente, de pensamento e físicas. Tarefa árdua, mas que deveria ter como primeiro passo o autoconhecimento: o que você acredita?

Muitas vezes levantamos bandeiras do feminismo e esquecemos de refletir o que acreditamos ser o movimentos, pois mesmo autoproclamado-nos feministas temos e agimos com alguns pensamentos machistas já tão arraigados em nossa educação.

Enfim, mesmo não sendo um dos melhores livros de poesia que já li sobre o universo feminino, Um Útero é do Tamanho de um Punho serviu-me como um norte para levantar várias reflexões pessoais e algo assim não tem preço, não é mesmo?

Então, indico o livro? Sim. Apesar de não ter me identificado tanto, houve algumas poesias que realmente apreciei e as reflexões que fiz durante a leitura vou carregar durante a vida. Acho válido também a leitura por ser de uma escritora nacional que conhece a realidade feminina brasileira, mesmo que essa realidade seja a também de muitas outras nações.

site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



Pedro 04/08/2017

Com linguagem rápida e ácida, falsamente fácil, Angélica Freitas rasga o verbo em versos velozes e em poemas cheios de fúria, textos certeiros em que retrata, registra e remonta o quebra-cabeças insondável chamado mulher. Ou o que se entende – ou se nomeia – como mulher. Com palavras duras, a poeta desdobra e desvela as tantas mulheres – a suja, a limpa, a ébria e a sóbria, aquelas que são definidas em função do "de": a mulher de respeito, a mulher de malandro. E trata de mostrar como todas, em graus diferentes, esbarram nos ditames de um mundo de machos diversos e pétreo machismo. O útero se mostra, então, mais uma parte da disputa enfrentada pelas mulheres sobre os próprios corpos. E, feito um punho fechado e em meio a dentes cerrados, aceita a briga e parte para cima.
comentários(0)comente



Marker 31/05/2017

Li este 'Útero' da Angélica Freitas sem grande pesquisa prévia, mesmo porque seu título faz um trabalho bastante claro em explicitar que ali se investiga o nascimento e pertencimento da mulher, e meu veredito foi de que se tratava de um exemplar regular de poesia contemporânea. A visão se mantêm, mas a surpresa ao perceber as reações apaixonadas à escrita da Angélica me fez notar que é um livro importante para um mulher leitora, e talvez minha percepção esteja um pouco prejudicada pelos privilégios masculinos. Claro que não é apenas uma mulher que poderá entender as questões colocadas pela autora à propósito desse universo, mas certamente quem vive essas dores sentirá um impacto muito maior ao se ver representada ali em suas complexidade. Daqui, eu sigo achando que é um pouco mais óbvio e genérico do que acredita ser, mas ainda interessante.
comentários(0)comente



Cam 03/03/2017

"Um útero é do tamanho de um punho" é o livro de poemas de Angélica Freitas, que reúne 35 poemas sobre a mulher. Não espere que este livro apresente-se como sensível, frágil e feminino.

O livro é dividido em 7 partes. A primeira se chama A MULHER LIMPA, a segunda MULHER DE, a terceira, A MULHER É UMA CONSTRUÇÃO, a quarta, UM ÚTERO É DO TAMANHO..., a quinta, POEMAS COM AUXÍLIO DO GOOGLE, ARGENTINA e O LIVRO ROSA DO CORACAO DOS TROUXAS.

Os poemas se propõem a mostrar a mulher como um ser revolucionário, independente e que tem muitos sonhos e desejos. Além de trazer muitas referências, trata da questão de gênero e feminismo, perceptível em poemas como "Mulher depois". Angélica em seu livro, nos leva a refletir a condição da mulher contemporânea, com liberdade no verso, despida de pudor e de forma direta nos convida a conhecer e a mergulhar na mulher que somos ou que almejamos ser... Na mulher sempre em construção... Sobretudo este é um livro no qual a mulher requere o seu lugar ao sol.
comentários(0)comente



Lidi Cirilo 15/11/2016

Impressões
Um livro de poesia contemporânea que trata do mundo feminino de modo simples e crítico. Vale a leitura! "[...] não queria fazer uma leitura equivocada mas todas as leituras de poesia são equivocadas"

site: https://www.instagram.com/lidicirilo/
comentários(0)comente



Fernanda.Gehrke 22/08/2016

Sobre mulheres e seus úteros
Entre risadas e algum amargor na boca, os poemas em "Um útero é do tamanho de um punho", editado pela extinta editora Cosac Naify, falam muito sobre o ser mulher, se ver mulher, se aceitar como mulher. O poema que dá título ao livro é um dos mais fortes, um grito pelos direitos das mulheres para decidir, por conta própria e sem qualquer tipo de interferência da política, da religião ou dos homens, o que fazer com o próprio corpo. Os poemas estão divididos em subtítulos: “Uma mulher limpa”; “Mulher de”; “A mulher é uma construção”; “3 poemas com auxílio do Google”; “Argentina” e “O livro rosa do coração dos trouxas”.
Os poemas escritos com auxílio do Google revelam muito sobre como o machismo ainda está presente. Para escrevê-los, a autora digitou, no buscador, alguns inícios de frases com a palavra mulher. O que se revelou foi um mar de preconceito, machismo e misoginia entre os assuntos mais pesquisados, que o preenchimento automático indica nesses casos. Por exemplo: A mulher quer (primeira opção: ser amada; segunda opção: um cara rico).
Gostei de um poema em particular, que diz muito sobre a família tradicional brasileira, aquela em que a mulher trabalha muito mais e ganha muito menos dinheiro e reconhecimento que o homem: Mulher de valores.
No link tem mais.

site: http://meudesafiodeleitura.blogspot.com.br/2016/08/livro-21-um-utero-e-do-tamanho-de-um.html
comentários(0)comente



Adriana Scarpin 14/06/2016

Não há palavras ou frases feitas suficientes para descrever o quanto gostei desse livro. Obra prima feminista.
comentários(0)comente



Patricia.Colmenero 31/05/2016

Poemas feministas, refletem de forma engraçada e irônica sobre a condição da mulher.
comentários(0)comente



Alana 20/04/2016

Sinopse : "Esta obra reúne 35 poemas que têm a mulher como centro temático - procurando definir que figura feminina é essa que é, segundo a autora, desenhada e desconstruída incessantemente, e questionando de um lado o mundo, de outro a própria identidade."

Fui atraída pelo titulo da obra, que por sinal, é o titulo de um dos melhores poemas deste livro. Angélica Freitas trata a questão do "ser" mulher sob a ótica feminista, usando brilhantemente eventos aparentemente banais do cotidiano da mulher para denunciar as pequenas violências inseridas em seu dia a dia e em seus pequenos gestos.

Ela fala de mulher suja, mulher limpa, mulher de respeito,a mulher em construção, a mulher "depois" (nesse, em especial, ela trata da identidade de gênero), a mãe de família...

Sera que o corpo da mulher pertence a ela mesma?

Um Útero é do Tamanho de um Punho é aquele livro que você lê sem pausas, pois os poemas, apesar de individuais, são interligados pelo contexto que ela vai construindo. O conjunto é que da sentido à obra.

Não tenho costume de ler livros de poesias e tenho plena certeza que estive alheia à muitas mensagens nas entrelinhas e nas referencias, o que prejudicou minha impressão final: não achei o livro forte, como muitos que leram, alegaram. Mas é uma obra límpida e de fácil leitura, capaz de gerar reflexões a quem, ainda, desmerece esse debate.
Gustavo 30/01/2017minha estante
Que legal esse tema de empoderamento feminino. Muito bom. Você conhece Chimamanda Ngozi? Meu irmão me apresentou e ela é maravilhosa. O livro dela Sejamos todos feministas é muito legal.




li.ebizio 29/06/2015

Sobre as várias mulheres
Eu li um útero é do tamanho de um punho no final de 2014. Li em uma tacada só. Cada poema me deixava com vontade de ler o que Angélica Freitas reservava na próxima página. Usando a ironia e o humor, a poeta versa sobre a mulher. Ou melhor, sobre as mulheres. A mulher ideal que é "diferente das mulheres". A de vermelho. A de respeito. A suja e a limpa. E tantas outras que enchem as páginas do livro.

Os poemas conseguiram de maneira simples dar voz a diversos pensamentos que eu não conseguia expressar. Por exemplo, a distinção entre mulher limpa e mulher suja, que é exatamente a separação que a sociedade faz. "Mulher de respeito" mostra em dois versos a vigilância sobre a vida íntima feminina enquanto "mulher de vermelho" (em mais versos) o faz com o modo de vestir e agir.

Meu poema favorito - que eu acho que resume a discussão presente no livro - é "A mulher é uma construção"

site: http://deretasegmento.blogspot.com.br/2015/02/livro-3-um-utero-e-do-tamanho-de-um.html
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2